Home Exércitos Trump quer retirar tropas da Coreia do Sul, Japão e outros aliados

Trump quer retirar tropas da Coreia do Sul, Japão e outros aliados

4976
122

O presidente dos EUA, Donald Trump, foi “muito claro” que ele quer retirar as tropas americanas da Coreia do Sul, Japão e outros aliados, disse seu ex-embaixador na Alemanha, enfatizando que os americanos estão “cansados ​​de pagar demais” pela defesa de outros países.

Richard Grenell fez as observações em uma entrevista ao jornal alemão Bild no início da semana passada, confirmando um plano de retirada de 9.700 soldados dos EUA da Alemanha — cerca de 30% do total de 34.674 soldados dos EUA no país europeu, de acordo com a mídia americana Politico.

A conversa sobre a retirada de tropas ocorreu quando Washington pressionou Seul a aumentar suas contribuições financeiras para a manutenção das 28.500 forças norte-americanas da Coreia (USFK) sob o acordo bilateral de compartilhamento de custos, chamado Acordo de Medidas Especiais (SMA).

“Esta é uma questão muito disputada nos Estados Unidos. Donald Trump foi muito claro, queremos trazer tropas da Síria, Afeganistão, Iraque, da Coreia do Sul, Japão e Alemanha”, disse Grenell.

“Não parece que é algo que transmita uma mensagem muito poderosa, além do que os americanos estejam um pouco cansados de pagar demais pela defesa de outros países. E esse foi um ponto muito político que o presidente Trump fez “por muito tempo.”

Depois que surgiram as notícias da mídia de que os EUA planejam uma retirada parcial de tropas da Alemanha, a Casa Branca disse na segunda-feira que Trump está “constantemente reavaliando” a presença militar americana no exterior.

Em meio ao impasse nas negociações do SMA entre Seul e Washington, persistem as preocupações de que os EUA possam usar a questão da redução de tropas como moeda de troca, embora as autoridades de defesa dos aliados tenham negado qualquer perda futura.

Nas negociações, a Coreia e os EUA traçaram linhas de batalha, lançando suas últimas propostas como as finais.

As autoridades de Seul indicaram um aumento de 13% em relação ao SMA do ano passado, cerca de US$ 870 milhões, como a “melhor oferta” que a Coreia poderia fazer, enquanto os EUA pediram que a Coreia do Sul pagasse US$ 1,3 bilhão por ano — um aumento de cerca de 50% em relação ao SMA de 2019.

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul, no entanto, disse que não houve discussões entre Seul e Washington sobre qualquer possível retirada de tropas da Península Coreana.

“Os EUA reafirmaram seu compromisso de manter o atual nível de tropas americanas aqui. A questão não foi discutida entre os dois lados”, disse uma autoridade do ministério.

De acordo com o comunicado conjunto da 51ª reunião consultiva de segurança entre os chefes de defesa da Coreia do Sul e dos EUA em novembro do ano passado, o secretário Mark Esper “reafirmou o compromisso de manter o nível atual do pessoal militar dos EUA na República da Coreia e de melhorar a prontidão de combate “dado” o ambiente de segurança atual.”

A Lei de Autorização de Defesa Nacional dos EUA (NDAA) também proíbe a redução do número de tropas americanas na Coreia do Sul abaixo do nível atual, a menos que o secretário de Defesa dos EUA ateste que é do interesse da segurança nacional dos EUA, acrescentou o funcionário.

FONTE: Korea Herald

Subscribe
Notify of
guest
122 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
1 mês atrás
Ótima decisão Donald. Eu absolutamente apoio
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Evgeniy (RF).
1 mês atrás

E, semana passada, Putin afirmou que os protestos nos EUA eram ‘chororô’ dos Democratas com a eleição de Trump.
Será que Putin está torcendo pela reeleição de Trump?
Por qual motivo?

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás
Eu não sei. Eu estou familiarizado com Putin. Portanto, não sei se ele apóia a reeleição de Trump.
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Evgeniy (RF).
1 mês atrás

Eu já acho que Putin sabe que Trump´é um desastre e vai afundar os EUA.
 

RENAN
RENAN
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Antônio, o Trump colocou a América em primeiro em tudo, renegociou vários acordos do estilo dele, ou aceitaram ou romperam, a América saiu de uma crise e cresceu muito bem no governo Trump, ele está vendendo muitas armas mundo a fora, e pode ter certeza que se ele diminuir a presença americana irá vender mais ainda pois estes países iram tentar repor de alguma forma o poder retirado.
Não diria que ele é um desastre.
Diria que ele tem um ponto de vista diferente.
Não é atoa que ele faz parte de um seleto grupo
Bilionário

rui mendes
rui mendes
Reply to  RENAN
1 mês atrás

No que toca à Alemanha, actualmente jà pouco armamento Americano ela compra, e no futuro, será menos ainda ou nenhum. Os USA queriam bases Americanas na Europa, e só a Europa é que as pagava!!!! Vá embora, já vai tarde, a França, a Alemanha, Itália, Espanha, e os demais, têm dinheiro e armas próprias para defender a UE e se for preciso projetar força fora da Europa, mas se preciso for tem indústria militar própria para comprar mais armamento. Quem quiser pagar para ter bases USA no seu país, que fique com eles. Quanto às qualidades do Trump, é só… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Putin é um tradicionalista e portanto de Direita

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás
Ele não é nem direito nem esquerdo; ele é simplesmente um pragmático.

 

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Evgeniy (RF).
1 mês atrás

Leia um pouco sobre a politica interna da Rússia e você perceberá que Putin é mais direitista que o Trump

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Por que devo ler sobre política interna na Rússia se a vejo todos os dias?
Na Rússia, na Rússia moderna, conceitos como “direita” e “esquerda” estão bastante confusos agora.

Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Reply to  Evgeniy (RF).
1 mês atrás

Verdade, a ideologia agora é Eurasianismo

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).

Também não. Não existe essa ideologia.
Na Rússia moderna, não existe ideologia.

J R
J R
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Nada mais natural, para um país que sofreu décadas nas mãos de ditadores comunistas, até um Putin de direita é melhor que a volta de um Stalin e seus pares…

nonato
nonato
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Em termos de costumes, vários países, inclusive islâmicos, são de “direita”.
Enquanto isso, vários países ocidentais defendem a bagunça, liberação de drogas, bailes funk, a baderna e o vandalismo.
Inclusive com importação de milhões de imigrantes.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  nonato
1 mês atrás

Exatamente.O Ocidente não tem mais praticamente nada de Judaico-Cristão na pratica.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Quem dera tivesse surgido um Putin brasileiro lá por 1990.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Putin é de Centro. O partido dele é um PMDB russo, porém autoritário.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Evgeniy (RF).
1 mês atrás

Péssima decisão, Xi Jinping, Vladimir Putin e a Kim Yo-jong, agradecem!

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

Acabou a farra de botar o contribuinte americano para bancar a negligencia dos outros com Defesa acabou

Jacinto
Jacinto
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

O que acaba é a influência dos EUA. Se os EUA não conseguem proteger seus aliados, os EUA não terá mais aliado; e como não existe vácuo de poder, a influência que os EUA tinham no mundo será substituída pela de outro poder.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

Na boa não concordo com tropas estrangeiras em territórios nacionais se o país base esta estruturado e em condições de se defender. Ainda mais quando no caso atual, o país ocupante tem condições plenas de enviar apoio militar em no máximo 7 dias.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Daí os países europeus aproveitam o dinheiro que iria para a defesa e fazem estado de bem estar enquanto o americano não tem acesso a saúde.

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Concordo

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Você tem razão.

Tomcat4,2
1 mês atrás

Pode até retirar tropas dos outros países mas , da Coreia do Sul creio que, ainda mais agora com a irmã do nhonho fazendo ameaças, não vão retirar não, além do fato da base americana ali ser muito estratégica .

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Eu acho que a coreia do sul e o Japão tem forças convêncionais para no minimo, segurar uma possivel invasão da coreia do norte ou repelir ou revidar um ataque convencional de quem quer que seja ali. Ate chegar apoio dos aliados. Ninguem ali e fraquinho militar ou econômicamente falando.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Vai nada, se ela fizer isso, vai perder mais do que vai ganhar. Os EUA dependem desses países, como esses países dependem dos EUA. Se os EUA ficarem batendo muito de frente e afrontando ou ameaçando os paises que ainda tem como aliados, seja militarmente ou economicamente, eles vão escantear os EUA e a China vai crescer mais ainda.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

A fonte ($$$) está secando.

O Chato
O Chato
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Falar que a fonte está secando nos EUA não considero algo válido. Eles podem, simplesmente, “imprimir mais dinheiro” sem ter grandes impactos na sua economia. No entanto, a saída de determinados países e regiões, por outro lado, tenderá a reduzir a influência dos EUA. Isso, por sua vez, poderá afetar negativamente sua economia. Ao meu ver, isso é que torna esse tipo de ação arriscado para os Estados Unidos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  O Chato
1 mês atrás

Não creio que imprimir dólar seja uma solução durável e inteligente:
 
Reportagem de holje da FSP:
 
https://www1.folha.uol.com.br/colunas/nelsondesa/2020/06/nos-eua-disparam-os-primeiros-alarmes-de-crash-do-rei-dolar.shtml

Jacinto
Jacinto
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Faz 40 anos que estão falando isso, desde que acabou o acordo de Bretton Woods…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Só que já se passaram 40 anos e o Mundo mudou.
O recuo dos EUA, conforme visto nesta reportagem, é visível.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Quantos Dollars o Ping tem no bolso?
Vão rodar a maquininha até cansarem. O Ping sustenta.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Plus ça Change, Plus C’est La Même Chose” como diriam os franceses. O motivo pelo qual o dólar é o dólar é que qualquer transação internacional precisa ser realizada com uma base comparativa estável que serve para a conversão das moedas locais. Como não existe mais o padrão ouro, enquanto não houves uma moeda a servir de base comparativa de valor, o dólar continua sendo esta base. E a China não que que sua moeda tenha esta função, já que nesta situação ela não pode manipular o valor de sua moeda para facilitar exportações.

nonato
nonato
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Vai secar bastante a fonte da China.
Vários países vão deixar de depender de importação da China.
O corona virus voltou para Pequim.
Vai sacar a fonte dos que defendem os interesses da China nas mídias sociais de outros países, os famosos quinta coluna.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  nonato
1 mês atrás

Nem pense em fechar o AliExpress!
Lá, tudo é pela metade do preço.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  nonato
1 mês atrás

Duvido amigo, mesmo que os paises ocidentais achem algum país que consiga produzir o que a China produz pelo preço que ela produz, vai levar no minimo 10 anos para fazer a mudança e ninguem quer perder os bilhoes de consumidores Chineses. No fim não deve mudar muita coisa.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

E a China é que está movimentando a economia mundial.
Principalmente agora nesta época de pandemia em que ela voltou a trabalhar enquanto o resto do Mundo está começando a sair da quarentena.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A China tem vantagens que apenas um ditadura comunista pode oferecer para o mundo capitalista aproveitar e como aproveitaram desses beneficios. Onde mais você conseguiria mão de obra barata, qualificada, dócil e sem a imprensa questionando?
Lá não ten protestos ou greve por melhores salários, condições de trabalho e direitos trabalhistas. Lá se trabalha 12 horas por dia, de segunda á sabado e com poucos feriados e impostos.

J R
J R
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Mas realmente hoje tem locais em que a presença dos EUA não é tão necessária como nos tempos da Guerra Fria, na Alemanha mesmo, já passou da hora dos comedores de salsicha levarem sua defesa a sério, até a Inglaterra a presença dos EUA já não é tão necessária, no entanto há países onde os EUA perderiam muito saindo de lá, como Coréia do Sul e Japão, se quiserem conter a China, vão precisar de uma presença fixa na Ásia.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  J R
1 mês atrás

O que alguns políticos alemães querem (principalmente da CDU) é a saída total dos EUA do território alemão, inclusive com a retirada de todas as armas nucleares de lá.
Ontem, Macron anunciou que a Europa deve seguir um caminho equidistante de China e EUA.
Realmente, o futuro da OTAN não é dos mais promissores.

nonato
nonato
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Macron, o emgomadinho, tentando posar de bicho papão.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

O problema da OTAN acabar não é dos EUA é dos aliados europeus que são incapazes de tocar a sua própria defesa

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Os EUA estão ficando isolados.
Saíram do acordo de Paris, da OMS e estão querendo sair da OMC e da TPP,
Os tão falados acordos bilaterais não estão rendendo e por aí vai.
Sair da OTAN e ficar mais isolado ainda é só questão de tempo.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Os países europeus realmente têm o problema de terem muitos exércitos com diferentes equipamentos e visões políticas mas afirmar que são incapazes de se defender parece-me algo exagerado. O RU, França, Alemanha, Polónia, Itália etc.. não possuem forças armadas competentes? Conseguem defender-se sozinhas de um ataque em massa Russo? Não, mas também não consigo imaginar um cenário em que isso aconteça. Dá a ideia que basta a Rússia querer e conquistava a Europa de um dia para o outro. Comparem os números dos exércitos, marinhas e forças aérea europeias com os dos russo e vão perceber que não existe muita… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Mauro Cambuquira
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Os russos falam que esse negócio da Russia invadir a Europa é pura histeria sem pé nem cabeça.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

No que eles tem razão. A Russia tem mais território e recursos naturais que a europa. O único interesse Russo na Europa ocidental e como clientes dos seus recursos naturais. invadir para quê?

O Chato
O Chato
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Não necessariamente a China crescerá mais ainda. Mas o que realmente acontecerá será uma redução da influência dos EUA nesses países e nas regiões em que se encontram. Apesar de eu ver com bons olhos uma eventual redução do intervencionismo dos EUA, a verdade é que, em algumas regiões (como no Leste Asiático), isso poderá aumentar as tensões. Por exemplo, a saída dos EUA dos dois países mencionados no título do artigo poderia levar a agressões diretas da Coreia do Norte contra o Sul. Além disso, permitiria à China ser mais “enfática” em suas disputas territoriais, visto que as capacidades… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  O Chato
1 mês atrás

Só que o panorama e diferente hoje amigo, a coreia do sul tem forças armadas fortes o suficiente para segurar o norte ate os reforços chegarem por mar e ar.

Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Venho afirmando e reafirmo.
Os EUA, dentro em breve (ou já), terão sérias dificuldades em manter uma estrutura militar desse tamanho.
O orçamento deles explodiu.

J R
J R
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Sim, e os países da Europa Ocidental tem mais que obrigação de cuidarem de sua defesa territorial com os próprios meios, as forças armadas Alemãs são uma piada levando-se em conta a riqueza do país. Os EUA devem bancar o guarda-chuvas nuclear, mas CC, soldados, defesa AAA, isso tudo é obrigação dos países europeus…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  J R
1 mês atrás

Como eu disse acima, parece que será esse o caminho.
A Europa unida e sozinha buscando seu futuro.
Principalmente após as declarações de Macron.

Carlos Bernardo
Carlos Bernardo
Reply to  J R
1 mês atrás

O que Trump quer é vender armamento para os países europeus e os alemães fazem o sacrifício de comprar 45 f-18 mas vão comprar 90 eurofighters Typhoon e os 45 é uma chucha para Trump já agora uma informação há na Europa dois países com ogivas nucleares e foi sempre politica dos EUA não deixar desenvolver as industrias de defesa na Europa

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  J R
1 mês atrás

Cuidar de si com os próprios meios, ai os EUA não querem. Eles querem que a Europa cuide de sí com armas, equipamentos e veículos americanos e de preferência, fabricados nos EUA.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Com a China e a Coreia do Norte afoitas pode não ser um bom momento para essa retirada de tropas do Japão e da Coreia do Sul. Mas da Europa não seria tão complicado assim.

Tomcat4,2
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Tem que deixar os europeus, q se acham melhores e mais evoluídos que o resto do mundo se virarem. Da Europa q saíram grandes conflitos e guerras ,então que se virem sozinhos, tio Putin vai adorar.

J R
J R
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Se a Alemanha levasse sua defesa a sério como leva principalmente a França e até a Itália por exemplo, nem o Putin seria louco de invadir a Europa contando apenas com tropas convencionais…

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  J R
1 mês atrás

Me explica o que a Russia ganharia invadindo a Europa ocidental? Justamente o seu maior cliente de recursos naturais da Russia se lavendo do valor so Euro frentebo Rublo?

rui mendes
rui mendes
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Deus queira, já vão tarde.

O Chato
O Chato
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

A saída dos EUA de qualquer país ou região tende a reduzir sua influência. No caso da Europa, isso tenderá a fortalecer ainda mais a indústria de defesa local, o que poderá representar uma ameaça ainda maior à indústria de defesa dos EUA no mercado internacional. E esse seria apenas um dos muitos resultados “negativos” para os norte-americanos. Resta saber se, no final, a conta permaneceria positiva para os EUA. A longo prazo, eu, particularmente, acredito que não.

Caio
Caio
1 mês atrás

Tá certo esses países têm potencial para se defenderem.
Os EUA podem continuar ganhando e muito como seu maior fornecedor de armamentos, sem está botando os seus homens na reta.

O Chato
O Chato
Reply to  Caio
1 mês atrás

Alemães, Ingleses e, principalmente, Franceses prefeririam fazer o que? Comprar dos EUA ou fortalecer suas indústrias locais? Eu, particularmente, acredito mais na segunda opção (ainda mais com essa onda de ultranacionalismo e consequente protecionismo que tem atacado ou ameaçado vários países pelo mundo (muito notoriamente na Europa).

Marcelo
Marcelo
Reply to  O Chato
1 mês atrás

Ingleses preferem muitas e muitas vezes, comprar dos EUA. E não é de hoje como os artigos recentes do Poder Aéreo mostram.

nonato
nonato
Reply to  O Chato
1 mês atrás

Desde quando a França depende dos Estados Unidos para ter aviões de caça, tanques, navios, submarinos nucleares e mísseis?

O Chato
O Chato
Reply to  nonato
1 mês atrás

Foi exatamente o que apontei ao escrever “e, principalmente, Franceses”. Citei alemães, franceses e ingleses por serem as maiores forças da região. Seria muito mais vantajoso aos países europeus suprirem suas próprias necessidades do que comprarem “armas” do outro lado do Atlântico, algo que em nada ajudaria suas economias e só manteria a dependência em um aliado cujas ações, nos últimos anos, não tem sido das mais benéficas para a Europa (apoio ao Brexit, aumento de taxas de importação, essas ameaças envolvendo gastos militares, defesa/estímulo a valores que estão em desconformidade com os valores atualmente predominantes na UE, etc).

fewoz
fewoz
1 mês atrás

Vamos ser sinceros: sabemos que isto não vai dar em nada. Como a matéria fala, vão pagar um pouquinho mais e vai ficar por isso mesmo. Não é do interesse americano sair daquela região, especialmente agora.

Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  fewoz
1 mês atrás

Qualquer acréscimo do pagamento para o financiamento das tropas americanos é válido, eu acho que justamente isso que Trump quer. Ele joga o valor lá em cima e espera chegar um meio-termo aceitável, e sempre colocando pressão para decidir o melhor acordo, esse exemplo da retirada de tropas da Coreia do Sul e Japão e outros países só retrata isso.   O Trump sabe onde os seus pés alcançam, e sabe que os EUA não tem a mesma disposição para bancar gastos militares mundo afora sem a reciprocidade dos países, no caso financeiramente.   Eu vejo o Trump como um… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Matheus Santiago
1 mês atrás

Acho que a estratégia de Trump é mais básica do que isso. Por um lado sabe que a retirada de tropas agrada o seu eleitorado, por outro faz pressão sobre os seus maiores críticos (Angela Merkel, UE, etc..)
Quer uma marinha com mais navios e afirma que é um não intervencionista? O seu discurso em West Point é um atestado de incoerência.
Os motivos para as suas acções nesta altura são para agradar o seu eleitorado mais do que algo baseado numa nova estratégia geopolítica coerente. Ele segue o seu “instinto/intestino”.

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Eu amo esse cara!!!!!!!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Esse papo tem tirado o sono da Ângela Merkel, ela vai ter que gastar uma grana a mais na defesa.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Até porque ela não está fazendo o dever de casa, as FAs da Alemanha estão em frangalhos a tempos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

A Alemanha já tem planeado passar de 180 mil homens para 203 mil em 2025.
O maior problema é encontrar recrutas, que devem ter melhores oportunidades de carreira na vida civil.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Não faltam imigrantes que aceitariam esse trabalho, o problema é saber se os alemães aceitariam tantos estrangeiros nas forças armadas…

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Se eles precisarem de estrangeiros , eu estou a disposição rsrsrsrsrsrs

J R
J R
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Acho que a compra dos F-18 pela Alemanha já visa agradar um pouco o Trump, mas a Alemanha é muito negligente com suas forças armadas…

Atirador 33
Atirador 33
1 mês atrás

Não acredito em saída da Coreia do Sul e Japão, a China será um osso duro para se roer, para os EUA nos piores dos cenários com a China, tendo bases na CS e no Japão, podem levar um conflito com a China para fora do território americano. Já na Europa, os EUA tem margem para diminuir seus efetivos.

Gustavo Eberhardt Vieira
Gustavo Eberhardt Vieira
1 mês atrás

Mas como é que ele vai retirar as tropas do Japão? Não tem um acordo do fim da 2GM sobre o EUA ajudar na defesa japonesa?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Gustavo Eberhardt Vieira
1 mês atrás

É só diminuir a quantidade de tropas, assim mantem o acordo mesmo retirando tropos.

Junior
Junior
Reply to  Gustavo Eberhardt Vieira
1 mês atrás

Como se o Trump ligasse para acordos firmados pelos EUA antes do mandato dele, se ele não curtiu o que tá ali no acordo, ele simplesmente rasga e pronto

Shinigami
Shinigami
Reply to  Junior
1 mês atrás

O Japão cobre 80% dos custos das bases americanas em seu território são cerca de US$9 bilhões por ano, chega a ser ridículo os valores que a Coreia do Sul paga por ano ao Eua.
 
 

Last edited 1 mês atrás by Shinigami
Hcosta
Hcosta
1 mês atrás

Os EUA têm muitas bases na Europa por algum motivo. Não será, certamente, somente para proteger a Europa mas os seus interesses nos países em si. A Europa precisa da protecção Americana? Acho que não. Neste momento vejo 2 ameaças à Europa: a Rússia e as organizações terroristas. O primeiro luta-se com acções políticas e o segundo, nesta fase, com acções militares. E em ambos não vejo grande utilidade em ter tantas bases dos EUA, que são diferentes das bases da OTAN, para combater essas ameaças. Agora pergunto qual é a vantagem de ter uma base Americana num país Europeu?… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Eu acredito que os EUA nunca irão deixar de ter bases na Europa assim como em grande parte do mundo, o número de bases certamente pode diminuir em decorrência do aumento dos custos operacionais dos meios e outros motivos, mas deixar de ter é realmente uma impossibilidade.   Uma base militar é muito mais do que um lugar para estacionar os meios e as tropas, é um lugar de apoio ao esforço logístico da guerra, permitindo assim que você distribua esse esforço mundo afora, pegando o gancho – já que se trata da maior potência militar do mundo.   Vou… Read more »

paulof
paulof
1 mês atrás

Uma coisa é o discurso, outra é o orçamento, no discurso retira-se tropas, na prática envia mais dinheiro para frota do pacífico.

Doug385
Doug385
1 mês atrás

É um jogo de barganha no que diz respeito à Coréia e ao Japão. Quanto à Alemanha, creio que haja sim um interesse em diminuir as tropas no país e redirecioná-las para a Polônia que tem demonstrado maior disposição em arcar com os custos do que os alemães. Trump ficou simplesmente p#@$to da vida quando viu que os alemães estavam desfrutando da segurança promovida pelas tropas americanas, cortando investimentos em defesa e por outro lado estavam fechando negócios bilionários com os russos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Os alemães estão pouco se importando com a paranoia (e esperteza) americana.
Estão fazendo diversos acordos comerciais com a China, comprando empresas por lá, aumentando investimentos o comércio e acabando de construir um gigantesco gasoduto com os russos.
O resto é historinha de americano para criança dormir.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Acho que as motivações de Trump são basicamente eleitoralistas e também incoerentes. Por um lado quer reduzir as bases e não intervir em guerras do outro lado do mundo, por outro quer aumentar as despesas militares. E como a Angela Merkel não aprecia muito Trump é uma forma de ele a atacar politicamente. É assim que Trump faz política.   Mas temos de por esta redução dentro do seu contexto. No final da guerra fria na Alemanha eram 400 mil, passaram para 80 mil, 30 mil e agora quer retirar 9 mil. Não é algo de relevante tendo em conta… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Trump ‘superestimou demais’ o poder e a influência dos EUA.
O resultado é que estamos vendo o isolamento gradual do País e um declínio geral da sua situação política e econômica.

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

Vamos ver até quando eles conseguem manter essa estrutura militar. Enquanto isso a China vai comendo pelas beiradas.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
1 mês atrás

É meus caros amigos, uma hora chega a conta de tantos gastos militares para pagar. Acho que essa decisão anima os vendedores de armas em vários destes países.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Tirar ou diminuir tropas na Alemanha: improvável, mas possível.
Tirar ou dominuir tropas na CS e Japão: com a China botando cada vez mais as garras de fora a cada dia? Duvido MUITO.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

A população do Japão agradece !

O Chato
O Chato
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

A população, sim (diria que, principalmente, em Okinawa). O “país” (governo), não tenho certeza. Sem a presença dos EUA, o Japão e a Coreia do Sul ficariam, pelo menos por um tempo, mais vulneráveis. Além disso, teriam de aumentar seus gastos militares. Há ainda a tensão entre Coreia do Sul e Japão, onde a primeira sempre “estranha” qualquer aumento de poderio militar por parte do segundo (em função do passado dos dois países). Essa “estranheza” poderia até dificultar a colaboração entre os dois países (como já vem afetando).

Camargoer
Reply to  O Chato
1 mês atrás

Olá Colega. A população japonesa apoiaria a retirada das tropas dos EUA e o fechamento das bases. O impacto econômico da retirada das bases seria pequeno na escala da econômica do Japão. Talvez o governo japonês veja com bons olhos a saída das tropas dos EUA de seu território já que são elas os alvos preferenciais. Isso abriria espaço para a animação dos gastos mitares do Japão o que poderia significar impulso a sua indústria de defesa. Aliás, se Trump retirar as tropas dos EUA que estão espalhadas pelo mundo (Japão, Coreia, Alemanha, Iraque, Afeganistão, Arábia Saudita.. ) ele se… Read more »

O Chato
O Chato
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Peço desculpas, mas Nobel da Paz é pegar – muito – pesado. Ainda mais ele sendo a figura “controversa” que é (largamente odiado dentro e fora dos EUA). Mesmo assim, concordo que o governo japonês poderia tratar isso como uma oportunidade. Por isso escrevi que, quanto ao governo, “não tenho certeza”. O problema seria o intervalo de tempo até o Japão estar preparado para lidar “sozinho” (pelo menos em um primeiro momento) com as adversidades que possam surgir na região. Além disso, no campo econômico, a economia japonesa não parece que, a curto prazo, seria capaz de comportar um aumento… Read more »

Oráculo
Oráculo
1 mês atrás

Japão e Coreia do Sul é blefe pra receber mais grana.
Não vai sair de lá nunca.

Já na Alemaha tá mais que na hora de sair de lá.
Se for o caso, deixa só a base aérea.
O resto muda pra Polônia.

Alemanha tem mais dinheiro do que consegue gastar e a segurança militar é o Tio Sam que paga a conta?
Que piada.

Aliás essa bronca não começou com o Trump.
Obama já tinha diminuído bastante.
Isso vai acontecer.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Os japoneses arcam com 80% dos custos das bases militares americanas no japão e Donald Trump ainda tem a cara de pau de dizer que pagam pouco?!

Shinigami
Shinigami
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

O Japão paga ao Eua cerca de US$ 9 bilhões por ano……

nonato
nonato
1 mês atrás

Acho que Trump deveria aumentar a presença militar americana no mundo. Não precisa necessariamente ter 50 mil homens em nenhum pais. Basta ter uma boa base com bons equipamentos tipo navios de guerra, aviões de caça, defesa antiaérea. Inclusive defendo sairia muito mais barato para a India ter 3 bases militares americanas em seu território. Uma naval, com navios e submarinos, uma base aérea com 50 aviões de caça, e uma outra com defesa antimísseis. Mais barato do que comprar aviões de caça e manter.. Poderia até pagar. E os aviões e navios não teriam que ficar nas bases o… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  nonato
1 mês atrás

E os outros ficavam quietos?
Faziam uma na Índia, a China fazia outra no Paquistão e os Russos no Bangladesh.

Marcos R.
Marcos R.
1 mês atrás

Off topic:
Soldados mortos em confronto na fronteira China/Índia.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Marcos R.
1 mês atrás

link?

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Marcos R.
1 mês atrás

valeu amigo

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Marcos R.
1 mês atrás

Ao que parece, três soldados indianos morreram.
E, segundo fontes indianas, não foram a tiros e sim em uma briga.
Acho melhor o Governo ‘nacionalista’ indiano colocar a cabeça no lugar e sair dessa furada.
A China tem muito a oferecer à Índia na questão do desenvolvimento regional, em vez de ficar buscando desavenças.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Kings, concordo que é uma furada para ambos os lados, porém quem está procurando assunto são os chinas que recentemente deslocaram grande número de tropas posta à região, os hindus apenas reagiram a isso.

IBIZ
IBIZ
1 mês atrás

Ele não quer reduzir os gastos com a presença de tropas em países aliados; ele quer que esses países aumentem sua dependência aos EUA com aquisição de armamentos/equipamentos americanos ao invés de investimento na industria local. Trump quer tornar cada aliado dos EUA em uma “Israel”!

Ricardo Ramos
Ricardo Ramos
1 mês atrás

É interessante como a maioria aqui parece ignorar que essas forças americanas não estão ali simplesmente defendendo aliados, mesmo porque na Alemanha e o Japão essas forças eram de ocupação e são resquícios das da 2ª GM. Ainda devemos entender que elas atendem aos interesses americanos, afinal a 3ª e 4ª economias do mundo têm em seu território forças americanas, criando um laço que vai muito além do militar, gerando dividendos econômicos e diplomáticos. Um cálculo simplista não é adequado para isso, e o presidente americano parece estar muito mais interessado em montar algo para a eleição do que em… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

Japão,Coreia do Sul e Alemanha são grandes nações que não deveriam estar terceirizando parte de sua defesa e soberania a outros países.

Capela
Capela
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Allan você tem razão, mas como fazer para essa geração de políticos e jovens mimizentos pegar em armas, não podemos esquecer que a cultura do politicamente correto impera hoje.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Quantas tropas sul coreanas e armas americanas a coreia do Sul poderia comprar com esse dinheiro que pagam para os EUA manterem tropas lá?

Capela
Capela
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Cristiano como disse no comentário anterior ao Allan com essa cultura do politicamente correto que impera no mundo como convencer os políticos e os jovens mimizentos a pegar em armas, recrutar estrangeiros talvez seja pior do que “terceirizar” sua segurança.

O Chato
O Chato
Reply to  Capela
1 mês atrás

Essa questão não tem absolutamente nada a ver com o que chama de “politicamente correto”. Existe uma diferença muito, muito, muito grande entre necessidade e aventura. O que classifica como “politicamente correto” poderia até interferir, de alguma maneira, em “aventuras” (como algumas das “guerras desnecessárias” nas quais os EUA se envolvem direta ou indiretamente), mas não afetaria em nada quando o objetivo for tratar de defesa do território nacional e da população. No caso específico da Coreia do Sul, o serviço militar é obrigatório a todo cidadão do sexo masculino (obrigatoriedade essa levada a sério, sendo difícil um indivíduo sadio… Read more »

Pedro
Pedro
1 mês atrás

https://conflitosguerras.com/ Pelo Visto, Chico Xavier só errou a data e não o ano.

Dr. Mundico
Dr. Mundico
1 mês atrás

Nada mais justo. Manter exércitos em países estrangeiros custa os olhos da cara e qual a utilidade prática disso? Ocupação militar de aliados? Pressão política regional? Facilidades comerciais? Alguém ainda acredita nisso como exercício de “poder”? Alguém ainda acredita que em pleno século 21 EUA, China ou mesmo Rússia querem mesmo “invadir”, “dominar” e “expoliar os recursos naturais” de países indefesos? Coisa mais cafona!! Vamos trocar a cartilha, gente! Hoje temos 6 bilhões de pessoas para alimentar. Imagina só se 10% desse pessoal resolve bater o pé no chão na hora certa…. Apenas como exemplo, só a China tem mais… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Dr. Mundico
Capela
Capela
Reply to  Dr. Mundico
1 mês atrás

Dr. Mundico os números acredito que sejam bem piores, só na China e na Índia são mais de 2,2 bilhões de excluídos/miseráveis.

André Souza
André Souza
1 mês atrás

Eu vejo com bons olhos a diminuição da influência e presença dos americanos dentro desses territórios aliados, além de ter uma estratégia protecionista economica americana como alvo, por consequencia também tem um amadurecimento da hegemonia de antigos protagonistas mudiais ressurgindo que certamente reequilibraria o “player mundial”, são esses, Alemanha; Japão; França e etc… Hoje o que vemos é uma inércia de poder desses países e até mesmo uma comodidade justamente por essa “proteção” americana. Portanto a retirada de tropas e a diminuição de influêcia nessas regiões será necessário para os americanos voltarem a ter aliados fortes já que atualmente a… Read more »

Last edited 1 mês atrás by André Souza
Hcosta
Hcosta
Reply to  André Souza
1 mês atrás

Não me parece que a influência Americana leve à inércia dos países europeus. Acho mais relevante a sua escala geográfica e económica em que são comparados com países continentais (EUA, Rússia e China) e daí a importância da UE. Que apesar das boas intenções ainda não consegue no plano político agregar os diferentes países. Mas para isso os países têm de ceder e perder alguma soberania para as instituições europeias.

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
1 mês atrás

Síria, Afeganistão, Iraque, da Coreia do Sul, Japão e Alemanha … inclua nessa lista Arábia Saudita, EAU, África e todos os paises da OTAN e a coisa fica ate melhor;
Assim, vai economizar bem o dinheiro do contribuinte e deixar esses preguiçosos/acomodados se virarem sozinhos contra china, Russia, turquia, irã e coreia do norte.
 
 
 

Last edited 1 mês atrás by Entusiasta Militar
100nick-Elã
100nick-Elã
1 mês atrás

Os EUA têm mais é que deixar mesmo esse contingente de tropas inúteis nos seus aliados e continuar com o insuportável orçamento militar, inchado, desnecessário e inútil.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

Tirar da Coreia do Sul agora com a piora da tensão entre as Coreias é péssima ídeia.

Paulo Costa
Paulo Costa
1 mês atrás

O barril de petróleo estava em torno US$10,00 ,bastou
a locomotiva americana funcionar mais depois da quarentena
e hoje esta a US$40,oo dólares o barril

Andromeda1016
Andromeda1016
12 dias atrás

Conversa para boi dormir e ganhar campanha eleitoral. Os gringos estão ai por que é vantajoso para eles, tanto é que se a Coreia do sul exigisse dinheiro para que eles permaneçam lá, eles pagariam. A península coreana é único lugar através do qual os EUA podem invadir a China por terra, logo tem uma importância estratégica militar ímpar. É por lá também que podem invadir a Rússia se desejarem. Invadir a China por qualquer outro lugar seria de uma dificuldade e risco incomparável, afinal se os gringos quisessem invadir a China por mar teriam de fazer algo comparável ou… Read more »