Home Artilharia Exército indonésio recebe o sistema Avibras Astros II Mk6

Exército indonésio recebe o sistema Avibras Astros II Mk6

15944
50

Conforme relatado pelo site indonésio Defense Studies, o navio de carga MV Tian Fu, com bandeira de Hong Kong, partiu de Santos, Brasil, para o porto de Tanjung Priok, em Jacarta, onde, em 12 de junho, entregou 27 lançadores de foguetes Astros II Mk 6 com munição para o Exército Indonésio.

Os lançadores de foguetes Astros II Mk 6 da Avibras do Brasil serão operados pelo Comando de Reserva Estratégica do Exército. Em 2012, a Indonésia encomendou 36 MLRS Astros II, que foram todos recebidos e, consequentemente, usados ​​por dois batalhões de artilharia nas Divisões Kostrad 1 e 2.

Em 2018, a 3ª Divisão Kostrad do Exército foi formada. Esta Kostrad tinha vários batalhões destacados em Sulawesi e Papua Nova Guiné. Toda força Kostrad está equipada com um batalhão do MLRS. Portanto, é provável que o MLRS recém-entregue também seja usado lá. Outra possibilidade é que eles preencham a lacuna nas divisões Kostrad 1 e 2 porque várias unidades do Astros MLRS foram enviadas para a ilha de Natuna.

Desde que a tensão no Mar do Norte de Natuna aumentou, o Exército Indonésio transferiu 14 unidades do Astros II MLRS para Natuna. A tarefa foi ao mesmo tempo a mudança de Astros para o 1º Batalhão de Compostos/Gardapati Kodam I Bukit Barisan, que supervisiona as regiões de Sumatra do Norte, Sumatra Ocidental, Riau e as Ilhas Riau.

O ASTROS II (Sistema de Foguetes de Artilharia para Saturação de Área) é um lançador de foguetes autopropulsados produzido no Brasil pela empresa Avibras. Apresenta um design modular e emprega foguetes com calibres que variam de 127 mm a 450 mm (5 a 17.72 polegadas). Foi desenvolvido com base em um veículo todo-o-terreno Tectran VBT-2028 6 × 6 para maior mobilidade.

Em 2014, um primeiro ASTROS II Mk.6 aprimorado foi entregue. Este sistema também é conhecido como ASTROS 2020. O veículo lançador é capaz de disparar novos mísseis de cruzeiro AV-TM 300 com alcance de 300 km e foguetes guiados AV-SS-G40.

FONTE: Army Recognition

Subscribe
Notify of
guest
50 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat4,2
26 dias atrás

Se sair esta encomenda de mais 56 veículos vai ser bacana hein e estão pra nos passar em quantidade de veículos Astros. Outra questão é que do jeito que anda aquela região , estas baterias de lançadores devem ver ação real de combate breve breve.
O EB deveria comprar mais baterias do Astros 2020 pois ,agora com o MTC-300(que sabemos que terá muuuuito mais q 300 km de alcance) todos os vizinhos podem ser alcançados por nossas baterias sem que saiamos de casa e isso é uma bela de uma dissuasão .

Last edited 26 dias atrás by Tomcat4,2
nonato
nonato
Reply to  Tomcat4,2
26 dias atrás

Do jeito que as coisas andam na região? Como assim?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  nonato
26 dias atrás

Também não entendi

Ted
Ted
Reply to  Gabriel BR
26 dias atrás

Tom cat. O teu avião perdeu o rumo! Kkk

Tomcat4,2
Reply to  Tomcat4,2
26 dias atrás

Foi mal galera, confundi a Indonésia com as Filipinas que estão próximas das tais ilhas reivindicadas pela China e tal.
 comment image

Last edited 26 dias atrás by Tomcat4,2
Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Tomcat4,2
26 dias atrás

Você esta certo tem conflito de fronteira com a China na região. A fronteira marítima ao norte das Ilhas Natuna. Reivindicada pelo Camboja, China, Indonésia, Malásia, Taiwan e Vietnã. No texto fala: “Outra possibilidade é que eles preencham a lacuna nas divisões Kostrad 1 e 2 porque várias unidades do Astros MLRS foram enviadas para a ilha de Natuna.
Desde que a tensão no Mar do Norte de Natuna aumentou, o Exército Indonésio transferiu 14 unidades do Astros II MLRS para Natuna.”
 

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Fabio Araujo
26 dias atrás

Só não entendo o motivo da China reivindicar, pois ela nem fica perto, os outros pretendentes a essa região marítima estão todos fisicamente no local.

Last edited 26 dias atrás by Fabio Araujo
André Maciel
André Maciel
Reply to  Fabio Araujo
2 dias atrás

Devemos compreender o principal motivo da china estar fazendo tudo isso. É a segurança alimentar que tanto preocupa a liderança chinesa. A população chinesa miseravelmente não pára de crescer. Em algum momento da década de 2070 chegarão a inacreditáveis dois bilhões de pessoas. Como cuidar de tanta gente com os recursos disponíveis? Impossível, daí eles precisam de recursos novos, conquistados à força se preciso for. Abarcar o Mar do sul da China pode resolver a situação no futuro ou, pelo menos, ganhar algum tempo. Antes de mais nada vamos aceitar que a China sabe que tanto do ponto de vista… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Fabio Araujo
26 dias atrás

 

Capturar.PNG
Gian
Gian
Reply to  Fabio Araujo
22 dias atrás

Tem certeza?

Screenshot from 2020-06-22 21-42-03.png
Tomcat4,2
Reply to  Fabio Araujo
25 dias atrás

Valeu Fabio, no fim, eu não tô maluco!!!rs

Flanker56
Flanker56
Reply to  Tomcat4,2
25 dias atrás

Parabéns Tomcat, no final os outros é que são os malucos.
 

nonato
nonato
Reply to  Tomcat4,2
25 dias atrás

Eu só estava tentando entender ao que você de referia.
Lógico que a China tem problemas no “mar da China “, mas a princípio a Indonésia não parece ter conflito.
Diferente de Índia, Paquistão, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Taiwan.
Eu não censurei, apenas estava tentando entender.
Muitos conflitos são pouco falados na mídia…

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Tomcat4,2
26 dias atrás

Agora eu entendi.
Você está certo amigo

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Tomcat4,2
25 dias atrás

Onde você viu que ele terá mais de 300km de alcance?

Flanker56
Flanker56
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

É só colocar mais propelente ou um booster.

Mauro
Mauro
Reply to  Flanker56
25 dias atrás

É turbina, estilo Tomahawk. Deve ser combustível líquido, seu alcance é de mais de mil km, foi o que deixou entender o gerente do programa.

É uma arma dissuasória e tanto, vai equipar o Gripen, neste caso é uma versão menor, pois não necessita do booster, vai por inércia antes de acionar a turbina.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
26 dias atrás

Seria bom ver a Indonésia comprando o MTC-300…

Seria nosso primeiro comprador internacional do míssil.

Last edited 26 dias atrás by Adriano Madureira
Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Adriano Madureira
26 dias atrás

O Brasil não pode vender

Doug385
Doug385
Reply to  Gabriel BR
26 dias atrás

Pode vender com alcance limitado a 300 km.

Gian
Gian
Reply to  Doug385
22 dias atrás

Acredito que é possível revogar essa babaquice de 300km como limite.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Gabriel BR
26 dias atrás

Pode sim em qualquer versão ate 309 km de alcance

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
26 dias atrás

Ops.. 300km alcance

nonato
nonato
26 dias atrás

Para quem gosta de falar em logística, a Indonésia deve ser um dos piores países nesse sentido.
O país na verdade são várias ilhas…
Todo espalhado…

Gabriel BR
Gabriel BR
26 dias atrás

Top

Alessandro Vargas
Alessandro Vargas
26 dias atrás

Desculpem pela minha ignorância, mas essas baterias não são suscetíveis a ataque e neutralização por aviação inimiga antes de entrarem em ação? Não seria melhor o BR desenvolver logo uma versão aerotransportada do MTC 300? Provavelmente meu questionamento acima não faça sentido, motivo pelo qual gostaria de ouvir os especialistas quanto a essa pretensa fragilidade (aviação inimiga) desse sistema (Astros) frente a aviação inimiga. Obrigado e desde já agradeço!

João ricardo
João ricardo
Reply to  Alessandro Vargas
26 dias atrás

Ja ta fazendo,o micla,br

Tomcat4,2
Reply to  Alessandro Vargas
26 dias atrás

Já está em desenvolvimento e teve até mackup voando em F-5 da FAB, MICLA-BR (missil de cruzeiro de longo alcance em desenvolvimento pela FAB/Avibras);
 
https://www.aereo.jor.br/2019/10/01/foto-caca-f-5m-voando-com-o-missil-de-cruzeiro-micla-br/
 comment image
 
 

Last edited 26 dias atrás by Tomcat4,2
Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alessandro Vargas
26 dias atrás

Para isso que se tem uma defesa aérea composta por aeronaves de combate e sistemas antiaéreos.
 
Sem contar que a aviação tem que saber onde estão as viaturas para destrui-las. Aí entrar contra-reconhecimento, guerra eletrônica e etc.
 
As guarnições são treinadas para se moverem sempre que não estiverem disparando e quando não estiverem se movendo se ocultarão (camuflagem, uso do terreno…etc).

Fila
Fila
Reply to  Alessandro Vargas
25 dias atrás

Todo vetor é suscetível ao ataque inimigo, desde que o inimigo saiba localizar e tenha meios para neutralização. No caso concreto, inimigos não facilitam a vida do outro entregando suas posições. Além do mais, quanto maior o número e tipo de vetores, mais dificuldade representa ao adversário.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
26 dias atrás

O que falta no Brasil eh vontade politica. A nossa industria de defesa sempre conseguiu bons contratos e forneceu equipamentos de qualidade. Muitos provando a sua qualidade em combate.
 
 
 
 

Fabio Araujo
Fabio Araujo
26 dias atrás

Excelente notícia. Há algum tempo existia uma conversa para eles produzirem localmente sob licença as munições, foi para frente?

RENAN
RENAN
26 dias atrás

Parabéns a avibras um sucesso de vendas
E irá aumentar assim que o missel com 300km chegar ao mercado

Foxtrot
Foxtrot
26 dias atrás

Acho que o EB além de criar outra divisão de mísseis e foguetes, com aquisição de mais unidades do Astros (chegando a 100 unidades), deveria estar treinando pilotos da Avex no esquadrão Hórus da FAB para operar os futuros Vant,s Falcão . Quanto ao MT-300 espero um dia ver algum vídeo de lançamento e vôo do mesmo. Aproveitando a deixa, se pudesse dar um conselho a Avibras, diria para ela retomar o desenvolvimento do FOG-MPM para dotar os helicópteros das FAAs e Vant,s nacionais. Porém no lugar da giagem por fio, trocaria por um sistema rádio controle/INS,GPS com câmera CCD4… Read more »

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
26 dias atrás

A indonésia esta se preparando porque esta vendo como o imperador chinês ja decretou que a china vai dominar a região e o mundo ate 2050.
 
E na minha humilde opinião, nos próximos 05 anos teremos as primeiras invasões e os primeiros países que cairão sob o domínio chines serão myammar, laos, vietnam, camboja, tailandia e talvez ate a malásia e a filipinas.
 
E os EUA (sem trump) e a ONU não farão nada para frear essa sede expansionistas e imperialista da China

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Entusiasta Militar
26 dias atrás

Só se não aprenderam nada com o que foi feio com o Hitler e seu apetite por terras, foram deixando ele invadir um país após o outro até chegar num país em que existia um acordo de defesa e assim tivemos a Segunda Guerra. A história esta aí para aprendermos com o passado ou vamos ver o passado se repetir.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Fabio Araujo
26 dias atrás

Fácil falar, difícil fazer e para ambos os lados. Hitler (ainda bem) não tinha a bomba atômica. Qualquer conflito aberto entre China e Estados Unidos pode escalar para uma catástrofe.

nonato
nonato
Reply to  Filipe Prestes
25 dias atrás

A China deveria se preocupar com isso também. Ser aniquilada…

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  nonato
24 dias atrás

Não tenha dúvidas que ela se preocupa porque não tem nenhum besta ali. Se até hoje não tomaram Taiwan é justamente por temor ao Estados Unidos e uma imprevisível escalada no hipotético conflito.

nonato
nonato
Reply to  Fabio Araujo
25 dias atrás

Mas com líderes bxxxa mole igual a Macron, Ângela Merkel, os “democratas”…
Trump está tentando corrigir o erro de Obama que deixou a China colocar as patas para fora…

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Entusiasta Militar
25 dias atrás

não é tão facil assim meu amigo entusiasta lembre-se do q nos ensinou o vietnã pode morrer toda a população em combate q eles não se renderiam…mandam milhoes de soldados para a morte certa sem pestanejar uma nação q nunca será subjulgada,além de no passado ja terem dado uma coça violenta na china q saiu com o rabo entre as pernas.

Francisco
Francisco
Reply to  horatio nelson
19 dias atrás

A diferença é que os vietnamitas estavam defendendo suas próprias casas. E, no caso da China, ela será a invasora, ou seja o inimigo a ser derrotado.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
26 dias atrás

Bora tratar de vender os MTC-300 e derivados tb (quando estiverem prontos, obviamente), dona Avibrás.

E olha lá EB, os indonésios parecem que vão operar mais Astros 2020 que vcs…Eu não deixaria isso ficar “barato”. Taca-lhe mais unidades aí, moços.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Filipe Prestes
26 dias atrás

Eles já devem estar de olho só esperando a hora de comprar.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Fabio Araujo
25 dias atrás

Deus te ouça, Fábio! Haha

Salim
Salim
25 dias atrás

parabéns Avibras, Brasil precisa disto, vendas externas com valor agregado, espero que sirva exemplo e façam governo rever politica exportação empresas de defesa que tanto valor tecnico/comercial e econômico vieram para Brasil. Parabéns novamente.

Oseias
Oseias
25 dias atrás

Muito bom. Espero que com a certificação em breve das munições guiadas, esse sistema irá conseguir ainda mais mercados.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
25 dias atrás

Muito legal!! Parabéns a todos os envolvidos!
 

Adson
Adson
25 dias atrás

Astros 2020 made in Brazil!!!orgulho de nossa indústria bélica!!!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
24 dias atrás

comment image?w=1200&quality=75&strip=all&ssl=1
 
 
 
Off-Topic :
 
 
Pelo visto,além das tensões Sino-indianas,outro conflito parece estar em ebulição,e esta tem mais chances reais de ocorrer do que o do continente asiático…
 
Alguns especialistas diziam que a guerra por recursos hídricos poderia ocorrer entre 2030-40,mas acho que se enganaram.
 
Quando a diplomacia acaba,a diplomacia bélica entra em cena,certamente a maior potência militar do continente africano não irá ficar quieta vendo a Etiópia levar a frente seu projeto hídrico.
 
Certamente a barragem Renascença ~talvez não tenha vida longa.
 
 
 
https://www.monitordooriente.com/20200619-egito-declara-fim-das-negociacoes-da-barragem-renascenca-com-etiopia/
 
https://www.easternherald.com/war/egypt-ethiopia-renaissance-dam-war-66745/
 
 
 
 
 comment image
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Last edited 24 dias atrás by ADRIANO MADUREIRA