terça-feira, agosto 3, 2021

Saab RBS 70NG

Míssil IRIS-T SLS qualificado com sucesso pelo Exército Sueco

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Nas semanas 25 e 26 do calendário, o Exército Sueco qualificou seu novo sistema GBAD (EldE 98), incluindo lançadores de mísseis IRIS-T SLS e interceptores feitos pela Diehl Defense.

Disparos bem-sucedidos foram realizados na faixa de teste Vidsel, na Suécia.

Os interceptores foram lançados no modo Lock-on Before Launch (LOBL) e Lock-on After Launch (LOAL) contra alvos de drones.

Todos os mísseis IRIS-T lançados do solo interceptaram os alvos dos drones.

Além de um pequeno ajuste de software, este é o mesmo míssil IRIS-T que já é usado pelo caça JAS 39 Gripen.

A versão lançada no solo Robot 98 é disparada de uma plataforma na parte traseira do veículo blindado articulado BandVagon 410.

Míssil ar-ar Iris-T

FONTE: Diehl Defense / Forças Armadas Suecas

- Advertisement -

54 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat4,2
1 ano atrás

Dá pra nós entrarmos nessa hein e adquirir estes sistema ainda mais que vamos usar este excelente míssil o que já vai ajudar com a cadeia logística. Perde o bonde não EB e acerta sua defesa antiaérea.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

Para as três força!

Tomcat4,2
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

E é pra ontem !!!

Mercenário
Mercenário
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

É uma opção, mas não se pode descartar o CAMM/CAMM – ER, a ser possivelmente utilizado pela MB.

M.@.K
M.@.K
Reply to  Mercenário
1 ano atrás

Bem lembrado.

Ramon
Ramon
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

Creio eu que podem fazer uma versão do astro 2020 que possam lançar esse tipo de míssel, uma bateria composta pelo veículo lançador outro centro de comando com um radar incluso.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

Boa a tarde Tomcat e demais senhores da Trilogia!

Sim meu camarada, eis a resposta lógica ao tal Grupo de Trabalho do EMCFA que a mais de 7 meses (21/01/2020) se reuniu (se juntou pra mamar mais) para avaliar uma solução em defesa terra-ar para as três armas.

Notar que a dita comissão não deu em nada como eu cantei a pedra. (Tutu…que vc tem a dizer?)

CM

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Claudio Moreno
1 ano atrás

de novo esse papo. Vamos lá, vamos divulgar que o exército quer defesa antiaérea, durante pandemia, com milhões de novos desempregados e uma boa parte dos pequenos negócios fechando as portas.

Tempos e movimentos. Tem que ter estratégia. Uma vez rechaçado pela sociedade, com a mídia caindo em cima, vai voltar a ser discutido na década de 30.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

ou usar o A-Darter…

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Usar o A Dart, e trabalhar no Meteor para Grandes alturas , ADart estaria na faixa até 10 mil metros , já o Meteor acima chegando a 20 mil metros ou mais e grande raio de ação !

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Correção A DARTER .

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

Quando o cara não passa de um mero cliente…. Rsrsrsrs

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

E por falar em míssil, quando o Brasil vai terminar o MAA-1B? Desistiu?

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

Boa pergunta!!!

CM

FighterBR
FighterBR
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

Cancelado.

Lu Feliphe
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

Foi cancelado.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

O Aeroclube não tem interesse…

José
José
1 ano atrás

Na minha opinião acho que o ideal para o Brasil seria copiar a idéia e investir em uma versão superfície-ar do A-Darter.
Se irão demorar para liberar ou se irão desviar verba é outro assunto.
Brasil e África do Sul juntos têm capacidade técnica mais que suficiente para fazer algo semelhante.

Tomcat4,2
Reply to  José
1 ano atrás

Combinando o A-Darter + viatura Astros + radar Saber 60 já da pra termos um produto bom, que nos atende e totalmente nacional.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

Boa!

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

Aguarde….. 😉

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  José
1 ano atrás

Discordo, se vamos pôr CAMM nas corvetas, temos que padronizar o resto das forças com o mesmo míssil, logo devemos ir de CAMM-ER.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  José
1 ano atrás

Pra quê? Pra pagar 3x mais caro e comprar duas baterias. Chega. Chega dessa megalomania. Chega de quer ser o que não somos. Termina o que o que começou antes de querer colocar mais um projeto na lista infidável dos tais projetos”nacionais”. Míssil sendo desenvolvido à mais de década e nada de resultado. Nem uma mísera macaé conseguimos terminar. E tem mais Astros, Guarani, IA2, Macaé pra terminar de cumprir o planejado. Tem Prosub, gripen, mansup, Tamandaré etc pra continuar o desenvolvimento. Então chega dessa palhaçada de pagar 3 vezes mais caros pra deixar o projeto morrer com falta de… Read more »

José
José
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

Felipe Morais…
A-Darter já está praticamente pronto e irá equipar o Gripen E/F.
Uma versão superfície-ar teria no mínimo 90% em comum com a versão ar-ar.
Poderia ser usada em plataformas terrestres e navais.
Seriam produzidos muitos mais mísseis, não apenas meia dúzia para FAB.
Além de muito revoltado vc está completamente equivocado.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

No mundo existem os desenvolvedores e os clientes… Quem está na primeira categoria, são os que sempre estão na vanguarda, são os líderes. Quem está na segunda, sempre pagam aos primeiros, ou seja, sempre estão atrás. Você está na segunda categoria…

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

“você está na segunda”. Eu compro equipamento militar com dinheiro público? Ta falando isso de mim pq então cidadão? Nossa, que avançarão você é. Que nacionalista. Que patriota. Aí vai lá desenvolve nacionalmente, paga 3 vezes mais caro, e não tem demanda. E aí espertão, faz o que? Num mercado onde a clientela é muito limitada, pois apenas uma parcela de países do mundo consegue ter uma defesa antiaérea de média altura. Num mercado com opções consolidadas americanas, russas, chinesas, israelenses, suecas etc, sendo que algumas delas com possibilidade de financiamento camarada por bancos parceiros. E aí, de onde vai… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
1 ano atrás

Penso que para nossas forças armadas o RBS Bamse nacionalizado estaria bom o suficiente.

IBIZ
IBIZ
1 ano atrás

Esse é o míssil que o EB cogita integrar em uma versão de defesa anti-aérea do Astros 2020? Existe uma versão tipo SAM do míssil Meteor?

Lu Feliphe
Reply to  IBIZ
1 ano atrás

Era o CAMM ER que se cogitava.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  IBIZ
1 ano atrás

Não amigo. O EB não cogita integrar nada ao Astros para uma versão anti aérea. É um assunto que SEMPRE surge, mas vindo dos comentaristas dos diversos fóruns por aí. Até pq, o que se aproveitaria do Astros seria, basicamente, o caminhão. O que é o mais barato do sistema e sequer é brasileiro. E esses comentaristas, frequentemente, cogitam o “A-Darter” para esse tal Astros Antiaéreo, que é um míssil que está sendo desenvolvido em parceria entre Brasil e África do Sul e que está previsto para ser integrado ao nosso gripen. Quanto ao sistema baseado no Meteor, não existe… Read more »

IBIZ
IBIZ
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

Essa informação de uma versão anti-aérea do Astros 2020 foi divulgada por sites e blogs como este aqui ainda no ano passado ou retrasado. É por isso que ainda há comentários sobre esse assunto. Quanto ao Pantsir, questões ideológicas há parte (já que não há problema em manter parceria e adquirir equipamentos com os Russos!) era melhor ter isso que nada não acha?

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

Me corrigindo. A parceria firmada entre Avibrás e MBDA, quando ao CAMM, foi realmente com a proposta de utilização da plataforma Astros. Mas é importante frisar que, basicamente, seria aproveitado o chassi do caminhão, o que pode ser substituído por outros caminhões, até mais baratos. Todo o sensoriamento muda. Lançadores muda. Enfim…esqueçam essa história de astros anti aéreo.

Lu Feliphe
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

Obrigado pelas informações, Felipe.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

Errado, a Avibras chegou a ofertar uma proposta com parceria com a MBDA, usando o CAMM na plataforma do ASTROS….
Quanto ao uso do A-Darter… Já parou para se perguntar porquê a Avibras não falou mais em CAMM para o EB, mesmo a MB optando pelo Sea Ceptor nas Fragatas Tamandaré?! Uma dica, a Avibras é a responsável, no Brasil, para industrializar o míssil “afro-brasileiro”.
O EB não é o Aeroclube.
Até mais!!! 😉

Last edited 1 ano atrás by Wellington Góes
Xerem
Xerem
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Wellington Goes nos conte o que voce sabe amigo tem ninguem lendo e nem vendo nao kkkkkkkkkk

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Xerem
1 ano atrás

Deixa rolar… 😉

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Errado o que, cidadão de primeiro nível? Não viu que me corrigi no comentário abaixo? No primeiro disse que achava que havia ocorrido o acordo da avibras. E no segundo, retifiquei meu primeiro comentário.

Pra um “cidadão de primeiro nível”, você está com sérias dificuldades de leitura.

Davi
Davi
1 ano atrás

Quais as capacidades desse sistema?

J R
J R
1 ano atrás

lembro que nos anos 80 ou 90 o Brasil até testou o MAA-1 piranha para defesa AA mas os resultados não foram bons…

Luís Henrique
Luís Henrique
1 ano atrás

A África do Sul quer desenvolver uma versão do Unkhonto com guiamento por radar e 60 km de alcance, capacidades similares ao ESSM americano e mais alcance que o CAMM-ER.

Devemos seguir está parceria.
E em seguida fazer o míssil de longo alcance baseado nesse.

Odair Botelho
1 ano atrás

Off Topic: Desculpem, mas alguém tem notícias do Bosco? Ele trabalhava na área da saúde aqui em SP, torçamos que ele esteja bem. Matéria boa pra ele comentar.

Tomcat4,2
Reply to  Odair Botelho
1 ano atrás

Caramba, é mesmo rapaz, Deus abençoe que esteja bem o Boscovisk Boscopédia ele tem muito conhecimento e é super gente boa tirando dúvidas da galera.

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  Tomcat4,2
1 ano atrás

Prefiro pensar da melhor maneira possível: está trabalhando demais e sem muito tempo pra entrar na Trilogia. Os comentários dele fazem falta! Mande um sinal de fumaça pra gente, Bosco!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 ano atrás

OFF – Turkey tested Russian-made S-400 air defense systems on US-made jets
https://www.thebaghdadpost.com/En/story/48795/title/O0sesj3RpgKw41U6LQpiHyL9tdcaJCvH55760

Ernani Borges
Ernani Borges
1 ano atrás

Se um dia quisermos ser o que não somos, teremos que começar a investir em tecnologia nacional algum dia, ainda que custe 10 vezes mais caro. O governo precisa investir pesado para subsidiar a indústria pela pouca demanda, como fazem as grandes potências. Gostem ou não, essa é a realidade nua e crua.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Alcance? Efetivo contra quais tipos de alvo? Custo unitário do sistema?

Last edited 1 ano atrás by Antunes 1980
nonato
nonato
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

O aéreo é até 25 km.
Terrestre geralmente é bem menos pois gasta bastante energia para subir, diferente da versão aérea.

Wellington Góes
Wellington Góes
1 ano atrás

Se dependesse do Aeroclube, o EB adotaria esta versão do Iris-T, felizmente a força terrestre pensa mais lá na frente, daí porque é a força que, verdadeiramente, garante a soberania nacional…
Dentro de pouco tempo, se comparado ao tempo que o Aeroclube leva para desenvolver armamentos nacionais (quer dizer, os que nunca são finalizados), teremos um sistema antiaéreo próprio… Aguardem e confiem….
Até mais!!! 😉

Juarez
Juarez
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

O velho Lord mambembe do Amapá e se ódio viceral a FAB. Ate o presente momento a única coisa de fundamento que o EB lançou foram os impostos do contribuintes.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Blá, blá, blá…. Foi por causa de “enteligentes” iguais a ti, que comandaram a FAB de 2006 até 2018, que a FAB se tornou um Aeroclube…
Como é a estória do tempo é o senhor da razão?! Advinha de que lado a razão se encontra?! Rsrsrsrs
Até mais!!! 😉

Juarez
Juarez
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

O EB não adoraria nada, porque mal e porcamente consegue manter e operar Manpads. Pode colocar um Patriota na mão deles que em seguida está fora de operação.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Juarez
1 ano atrás

E eu sou quem tem “um ódio viceral”… Rsrsrsrs

Xerem
Xerem
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Meu caro ouvir dizer que serão 8 anos para o EB ter,construir um sistema anti aéreo nacional e muito tempo na minha opinião !

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Xerem
1 ano atrás

Então tá…. Rsrsrsrs

Últimas Notícias

Assessor de segurança nacional dos EUA viaja ao Brasil

Esta semana, o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, viajará para o Brasil e Argentina, acompanhado...
- Advertisement -
- Advertisement -