Home Blindados Porto de Paranaguá recebe mais blindados doados pelo US Army ao Exército...

Porto de Paranaguá recebe mais blindados doados pelo US Army ao Exército Brasileiro

7712
113

O Porto de Paranaguá recebeu nesta terça-feira (15) uma remessa de 30 veículos blindados, doados pelos Estados Unidos ao Exército Brasileiro. A operação especial foi organizada pela empresa Portos do Paraná, em conjunto com representantes do Comando da 5a. Região Militar e da empresa Marcon Logística Portuária. Os veículos vieram de Galveston, Texas, para serem usados em treinamento, combate e defesa.

A carga chegou no navio americano Arc Resolve, de bandeira norte-americana, e o desembarque foi iniciado por volta das 9 horas, no berço 215. “É uma movimentação diferente, planejada pensando no trajeto completo, até o destino final”, explica o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira.

O desembarque foi acompanhado por uma equipe técnica do Exército Brasileiro. “A ideia é que os tanques sejam usados como uma viatura Posto de Comando, que é uma instalação utilizada pelo comandante da unidade”, disse o major Luiz Fernando Albino Silva. De acordo com o oficial, nesses veículos são desencadeados os comandos para as atividades do grupamento nas mais diversas operações.

Detalhes

O modelo M577 A2 é anfíbio, possui motor diesel de 212 HP e é compatível com os mais diversos tipos de materiais optrônicos, inclusive de visão noturna. “Devido à sua versatilidade, pode ser adaptado para outras funções tais como ambulância, central de tiro e comunicações”, destaca o major Silva.

Os Estados Unidos costumam doar equipamentos usados a nações amigas, que posteriormente fazem a restauração e modernização, e dão nova vida útil aos blindados.

Somente no Porto de Paranaguá foram recebidos 96 tanques em outubro de 2018 e outros 52 veículos blindados em setembro de 2016. A Portos do Paraná também atende o Exército Brasileiro no recebimento de equipamentos novos vindos da Europa.

Trajeto

Nesta quarta-feira (16), 15 carretas especiais farão o deslocamento da carga do Porto de Paranaguá até a capital paranaense, via BR-277. Em Curitiba, todo o equipamento será desmontado, revisado e modernizado dentro dos padrões das Forças Armadas Brasileiras. Para isso, eles seguem em comboio para o Parque Regional de Manutenção e, posteriormente, para a 5a. Brigada de Cavalaria Blindada.

FONTE: Portos do Paraná / FOTOS: Claudio Neves, via Cleverson de Paula

Subscribe
Notify of
guest
113 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
6 dias atrás

“Doados”, sei…

Astolfo
Astolfo
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
6 dias atrás

O equipamento vem de graça e o cidadão ainda tem a ousadia de reclamar… nunca ouviu a frase “cavalo dado não se olha os dentes?” Uma das atitudes mais feias e baixas é a ingratidão, e infelizmente isso é típico deste país. Lamentável.

Se o EB não quisesse, ou tivesse alguma contrapartida prejudicial, era só o exército ter recusado a doação. Não recusou porque interessa receber esses meios.

sagaz
sagaz
Reply to  Astolfo
6 dias atrás

, e infelizmente isso é típico deste país. ” Falou bem até colocar no mesmo balaio 200 milhões de brasileiros.

Astolfo
Astolfo
Reply to  sagaz
4 dias atrás

Eu disse que isso é típico desse país, não que 200 milhões de brasileiros são todos ingratos. Eu nem mesmo falei que é atitude da maioria, simplesmente falei que é comum! Há uma diferença gigante entre o que eu disse e o que você está dizendo. É evidente que não são todos os brasileiros assim. Mas que é um comportamento típico daqui, é. Experimente ajudar um cidadão médio aqui. As probabilidades são altas de que, no futuro, ele irá dizer que na realidade nem precisava tanto de ajuda sua, e se bobear ainda irá inverter as coisas falando que, no… Read more »

paulo
paulo
Reply to  Astolfo
4 dias atrás

astolfinho, meu filho, o Geisel tinha razão lá nos anos 70! “Doa-se” material obsoleto, faz um “upgrade” obsoleto e tem-se material obsoleto para desfilar no dia 07 de setembro. Até porque duzentinho tá chegando em 22.

Esse alumínio é de excelente qualidade pra reciclagem. Dá muita latinhas de cerveja!!!!

Mgtow
Mgtow
Reply to  Astolfo
3 dias atrás

Vc quer que nós brasileiros aceitemos ser vassalos em troca de veiculos da guerra do vietnam?

Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Reply to  Mgtow
1 dia atrás

Desde quando doação de material bélico significa vassalagem? O Uruguai, que recebeu material nosso é vassalo no que?
Isso é conversa besta de esquerdopata que na verdade não veria a mesma “vassalagem ” se o material doado fosse da China.

Last edited 23 horas atrás by Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Eduardo
Eduardo
Reply to  Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
19 horas atrás

Se fossem doados pela Russia então…teriam múltiplos orgasmos os canhotos.

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
Reply to  Astolfo
6 dias atrás

Não tenho certeza, mas acho que o Brasil paga o transporte e garante um contrato de manutenção e a compra de peças originais de empresas americanas. Eu li uma vez que havia uma série de cláusulas que o EB OBRIGATORIAMENTE tinha que se comprometer a seguir para receber os blindados. Talvez tenha algum leitor que já trabalhou com isso e possa nos falar mais a respeito. Mas tem razão. Já que não temos dinheiro para fazer os nossos próprios blindados, o jeito é aceitar a doação e se submeter às regras deles.

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  Daniel Ricardo Alves
6 dias atrás

Sim, o problema dessas matérias é colocar no título a palavra “doados”, o que está ERRADO! Isso se prolifera na internet e as pessoas acham que o Brasil recebe lixo dos EUA. Não vou me alongar muito, mas compras via FMS são compras de equipamentos militares acertadas direto de governo a governo, sem intermediação de empresas. Não existe doação, são vendidos a preço de custo e o comprador se compromete a fazer as atualizações com empresas americanas e pagar o frete. Pra sintetizar toda a operação, existe um conceito bem americano chamado “Sem lucro sem prejuízo”, é isso que eles… Read more »

Last edited 6 dias atrás by Augusto Mota
Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  Augusto Mota
6 dias atrás

Só pra finalizar, Grã-bretanha, Alemanha, França, Itália e muitos outros países compram direto via FMS dos EUA, é a oportunidade de adquiri armamentos modernos a baixo preço. Esse tipo de operação – FMS – é para ajudar países ditos “amigos dos EUA”, obviamente.

Peter Nine-nine
Peter Nine-nine
Reply to  Augusto Mota
5 dias atrás

Amigo… está a confundir FMS com doação… Embora certos parâmetros comuns ao FMS possam ser também comuns a doações como a referida, esta é, de facto, uma doação. Compras em moldes do FMS, de equipamento moderno americano, por aliados europeus, ocorrem, sim, mas não vejo onde está a comparação. Estas viaturas fazem parte de uma doação, não tendo sido adquiridas. O que poderá ocorrer, como bem diz, é que os americanos prevêem sempre algum ganho com eventuais futuras modernizações ou adaptações. O Brasil estará também responsável pelos custos associados ao recebimento, transporte e não só. Aliados europeus também recebem material… Read more »

Teropode
Reply to  Daniel Ricardo Alves
6 dias atrás

O ideal seria se eles enviassem até as tropas para operarem estes blindados e pagassem o rancho deles .

m. wolf
m. wolf
Reply to  Daniel Ricardo Alves
6 dias atrás

sim, as únicas coisas que o brasil paga são os fretes terrestres e marítimos e as taxas aduaneiras.

ALISON
ALISON
Reply to  Daniel Ricardo Alves
23 horas atrás

exatamente isso.

Silas
Silas
Reply to  Astolfo
5 dias atrás

poderia dormir sem essa….

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
Reply to  Astolfo
5 dias atrás

Astolfo,
Imagine eu te “doar” um Jaguar enferrujado com borrachas e óleos vencidos, estofamento todo rasgardo1 Mas não se esqueça que é um “Jaguar”, u8m carro muuuuito luxuoso.
E não se preocupe, eu te “indico” um “conhecido” que reforma pra você por “apenas” R$150.000,00. Mas o Carro é doado . . .
Quem vai se dar bem é a empresa de “reforma/modernização”.
Talvez seja até a mesma, a BAe System FILIAL USA.

nonato
nonato
Reply to  Ricardo da Silva
5 dias atrás

Os Estados Unidos não obrigaram o Brasil a receber.
Sem falar que não foi hoje que começou a doação.
Vem desde 2016.
A matéria diz que serão desmontados no exército.

ALISON
ALISON
Reply to  nonato
23 horas atrás

Vdd.. o culpado é o Brasil por ser vassalo e receber tecnologia obsoleta…

Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Reply to  Ricardo da Silva
23 horas atrás

Tá ótimo o preço da “doação “, no mercado sairia bem mais caro.

João Augusto
João Augusto
Reply to  Astolfo
5 dias atrás

Não tá prevista contrapartida no contrato mas é bem sintomático essas doações agora com o alinhamento subserviente do nosso presidente aos interesses dos EUA.

Não se trata de ingratidão, mas de entender que não existe almoço grátis.

Não seja juvenil.

Inaldo Bonino
Inaldo Bonino
Reply to  João Augusto
5 dias atrás

Se o “alinhamento” tivesse sido com a Rússia ou com a China, não seria subserviente,né? AÍ o nosso Presidente não estaria sendo subserviente aos interesses da Rússia ou da China. Meu Deus…

ALISON
ALISON
Reply to  Inaldo Bonino
23 horas atrás

Isso ja veio do governo Dilma… Deixa de ser minion…

Hélio
Hélio
Reply to  Astolfo
5 dias atrás

De graça onde, Astolfo? O recebimento de todo material “doado” vem junto com milhões em contratos de manutenção e modernização. Não existe almoço grátis.

ALISON
ALISON
Reply to  Astolfo
23 horas atrás

Muito inocente vc… Todo o programa de Doação de material militar americano tem duas características principais:

1) São de tecnologia obsoleta…
2) Não precisa pagar pra adquirir, mas PAGA PRA MODERNIZAR E RECOLOCAR EM CONDIÇÕES DE USO. Assim o governo americano se livra de tecnologia obsoleta, do encargo de gastar pra estocar material que não ira mais usar, e ainda obriga o recebedor a fazer a modernização ou reparos pra por em uso em solo americano, gerando emprego e renda pra indústria bélica americana…

Eduardo
Eduardo
Reply to  ALISON
19 horas atrás

Correto, mas ainda assim não é mau negócio à quem recebe de graça também. Seria mais caro desenvolver um projeto aqui e produzir do zero. Até porque mesmos os novinhos em folha, logo também começam a dar manutenção. Enfim, bons negócio para ambos.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
5 dias atrás

Sim amigo, pesquise. o Brasil arcou com a logística.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
3 dias atrás

Pois é meu caro sincero, doados a troco de que né? Aprofundamento da subserviencia? Aí tem coisa

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
6 dias atrás

Haja óleo Singer pra tirar o ferrugem hein… Obrigado Tio Sam por esses mimos! Brazil zil zil!!!

Flanker
Flanker
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
6 dias atrás

Esses estão no mesmo padrão e condições dos primeiros recebidos anteriormente….muitos não tinham rodado sequer 200 km!!! São veículos em excelentes condições! Basta revisar, trocar óleos , graxas, etc….pintar no padrão EB e distribuir para as Unidades que irão operá-los.

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  Flanker
6 dias atrás

Exato! Podem ser até novos em folha, os EUA compram em grandes quantidades para baratear preços, muitos nem são usados, ou o são muito pouco, tem de tudo nos estoques do US Army, mas o cliente vai lá e pode escolher o que vai levar.

Last edited 6 dias atrás by Augusto Mota
Peter Nine-nine
Peter Nine-nine
Reply to  Augusto Mota
5 dias atrás

Olhe, presumindo que esta manobra possa significar a presença de mais excedentes desta viatura, eu pessoalmente não me importaria que o Exército do meu país (Portugal) se juntasse à festa e gentilmente pedisse umas duas dezenas do mesmo para si. Não vejo o motivo de alguns aqui terem vergonha disso. São viaturas que, uma vez consideradas com suficiente potencial evolutivo e de serviço, apresentam uma capacidade ainda suficiente nos dias de hoje, para diversas funções. A versão referida, baseada no M113, apresenta traços que lhe conferem utilidade como eventual viatura de comando e ambulância sobre lagartas. Com necessárias adaptações poderiam… Read more »

ALISON
ALISON
Reply to  Flanker
23 horas atrás

De fato foram pouco usados, mas muito tempo parado… fora de ser tecnologia antiga… Mas fora isso ta tudo bem né…

Teropode
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
6 dias atrás

Falar sobre oque se desconhece tem esta desvantagem , acaba falando m….

Rui Chapéu
Rui Chapéu
6 dias atrás

Essa camuflagem da primeira foto era para o Teatro de Operações da Escandinávia?

Nunca vi esse tipo de camuflagem.

Alguém sabe de onde era?

Teropode
Reply to  Rui Chapéu
6 dias atrás

Ásia ,Coreia e Japão ,

Antoniokings
Antoniokings
6 dias atrás

Eu até sou favorável que o Brasil consiga material de segunda-mão.
Mas isso não é um pouco antigo demais?

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
Reply to  Antoniokings
6 dias atrás

Zoeiras a parte, para nível de Brasil mesmo antigo será bem útil!

Matheus Augusto
Matheus Augusto
Reply to  Antoniokings
6 dias atrás

Melhor isso do que nada, muitos países ainda usam essa familia de blindados.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
6 dias atrás

É da mesma família dos M-113, dos quais o EB acabou de receber os últimos de 386 que foram modernizados. É o melhor que existe? Claro que não, mas é usado ainda por dezenas de países.

Matheus Augusto
Matheus Augusto
6 dias atrás

Tio Sam podia mesmo é mandar uns Abramhs pra nós por que ter uma frota de CCs inferior a do Chile e da Venezuela ta foda.

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
Reply to  Matheus Augusto
6 dias atrás

Nossa cara, você não imagina o problema logístico e de doutrina que isso traria! É melhor deixar do jeito que está.

_RR_
_RR_
Reply to  Matheus Augusto
6 dias atrás

Matheus,

Um M1A2, revisado, vindo direto dos estoques americanos, não vai sair por menos que US$ 1,5 milhão… Some aí um contrato de suporte, custos de implantação, treinamento, etc… pode por aí uns US$ 2 milhões por veículo, no mínimo…

Talvez um Leopard 2A5 ex. Bundeswehr custe algo parecido nas mesmas condições, com a vantagem de se absorver o parque de manutenção já presente no País.

alexandre
alexandre
Reply to  _RR_
6 dias atrás

não tem pra vender,leo 2 os que tem, tá na capa do osso…quer carro novo e não quer despesa ?

_RR_
_RR_
Reply to  alexandre
6 dias atrás

Alexandre…

Depende… Leo 2A4 é bomba mesmo ( principalmente os espanhóis ). Leo 2A5 e A6 ainda deve ter alguma coisa útil nos estoques da Bundeswehr…

E despesa vai ter de qualquer jeito mesmo…

RPiletti
Reply to  _RR_
6 dias atrás

E despesa vai ter de qualquer jeito mesmo”, concordo, entretanto as tripulação destes “tanques”, que são nossos compatriotas, não estariam dentro de um L1Aqqcoisa arriscando a vida contra veículos muito mais capazes e com chances de vitória bem baixas…

_RR_
_RR_
Reply to  RPiletti
5 dias atrás

RPiletti, Depende do que estivermos considerando como adversário em potencial… Enfrentando alguma armaria da América do Sul, as vantagens seriam todas nossas, se munidos de um Leopard 2A5, por exemplo. Considerando uma campanha em proveito da ONU, que é o cenário mais provável de enfrentamento o qual o País irá se envolver, dificilmente haveria confronto com outras forças regulares. Logo, o carro de combate, se precisar ser usado, dificilmente encontrará oposição de outra força blindada; e se encontrar, mais fácil ser de um T-72 “pra baixo”. E se chegarmos ao ponto de enfrentarmos um adversário muito mais poderoso que nós… Read more »

Mayuan
Mayuan
Reply to  _RR_
4 dias atrás

Obrigado por poupar muitos de nós de responder isso.

RPiletti
Reply to  _RR_
4 dias atrás

RR, ou pensamos em modernização geral, desde fuzis até CCs ou continuaremos com Fal e L1… e nosso dinheiro indo para algo inútil do ponto de vista atual… Cenário sul-americano? Temos volume, porém desatualizado…

Salim
Salim
Reply to  alexandre
4 dias atrás

Leo2a5 e o viável, abaixo disso náo compensa. E fato que não existe este equipamento disponível mercado e quando aparecer vai estar no osso.Acho que só Abrahams tem disponível, náo e uma maravilha porem e atual e provado combate.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Salim
4 dias atrás

Prezado Salim: sabes qual é o combustivel empregado por um Abrahams?

Steen
Steen
Reply to  Rommelqe
4 dias atrás

Qualquer um. A turbina dele [e preparada para receber ate Velho Barreiro.

Salim
Salim
Reply to  Rommelqe
3 dias atrás

Rommelqe, acho combustível e o de menos pois e multicombustivel. Ai tenho um porem, a manutencao, deve ser bem cara, porém e o que tem no mercado usado momento mais atual e viável de compra. MBT e o porta aviões do exército e custa caro manter, leo1 infelizmente taticamente não é mais viável pelo canhão e blindagem insuficiente contra blindados atuais.

Matheus Augusto
Matheus Augusto
Reply to  _RR_
6 dias atrás

Mas pra ter defesa têm que gastar dinheiro, não têm fórmula mágica, seja Leo 2 ou M1 vai ser caro, e isso por que é usado.

Dinheiro não é desculpa, se o Chile tem Leo 2, o Brasil tinha que ter algo parecido. Nosso país que em população, tamanho e economia é quase a metade desse continente tem por obrigação ser superior aos seus vizinhos em todas as áreas. Pelo menos é minha opinião.

_RR_
_RR_
Reply to  Matheus Augusto
6 dias atrás

Matheus, Dinheiro é desculpa sim… Não se pode pretender ter uma força armada que não seja sustentável. É bem verdade que chilenos tem uma força blindada respeitável, mas é inequívoco que sua força é consideravelmente menor… Fora isso, souberam aproveitar a oportunidade única para adquirir o que possuem. O que o Brasil, penso eu, deve perseguir, é um exército que seja dotado de uma alta mobilidade estratégica, escorado em uma força mecanizada competente e uma artilharia de primeira. Melhorar a força de choque é absolutamente desejável, mas isso vem depois de se ampliar a capacidade de deslocamento e a capacidade… Read more »

RPiletti
Reply to  _RR_
6 dias atrás

O que o Brasil, penso eu, deve perseguir, é um exército que seja dotado de uma alta mobilidade estratégica, escorado em uma força mecanizada competente e uma artilharia de primeira.” Concordo plenamente.

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  _RR_
6 dias atrás

Qual a semelhança logística (peças, planos de manutenção, ferramental) existente entre os Leo BR e os 2A5 ou 2A6 ?
Eu vejo alguns motivos para não recebermos os Abrams, mas alegar semelhança entre os Leo jamais seria um deles.
Mesmo dentro do mesmo lote, dependendo da fabricação existem diferenças.
Ainda assim acho que o 2A5 seria o ideal para o BR hoje.

RPiletti
Reply to  Mazzeo
6 dias atrás

Encurtando e resumindo ao máximo: KMW instalada em Santa Maria/RS.

alexandre
alexandre
Reply to  Matheus Augusto
6 dias atrás

Uns 120 M1SEP 2, já ajudariam, e tamebm helicoptero de ataque…

Teropode
Reply to  Matheus Augusto
6 dias atrás

Deixe quieto , a Família Leopard aguenta o tranco por mais uns 10 anos .

Leo L
Leo L
Reply to  Matheus Augusto
6 dias atrás

Abrams com motor a turbina dificilmente veremos no EB mesmo se fossem doados.

alexandre
alexandre
Reply to  Leo L
5 dias atrás

Turbina aceita até xixi de camelo, os LEO 1, tem que ser diesel especial 55, entope tudo os filtros, com diesel cheio de chumbo..

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Leo L
4 dias atrás

Exato!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
6 dias atrás

Serão bem úteis para reforçar a nossa força mecanizada!

Gabriel BR
Gabriel BR
6 dias atrás

Agora é só reformar e modernizar

Flanker
Flanker
Reply to  Gabriel BR
6 dias atrás

Não precisam de reforma. Estão em excelentes condições. Serão desmontados, revisados, trocados filtros, óleos, lubrificantes, etc…pintados e distribuídos para as OM. Modernizar? Quando decidirem por isso, deverão ser colocados no mesmo padrão dos M-113BR.

FERNANDO
FERNANDO
6 dias atrás

Obaaa
Blindados usados mas, como são americanos são novinhos em folha.
Dá para bater pelos próximos 100 anos.
Em pensar que o Charruá, nossa, que matriz jogada fora!
Mas,
pero si, pero no,
melhor recebe-los, já que TIO SAM está mandando,
BELEZA!

Salim
Salim
Reply to  FERNANDO
13 horas atrás

Na atual situação indústria nacional inexistente nesta especialidade serão bem vindos para manter operacionais nossas tropas. Muita gente usa este blindado, porem estas compras sem visão de futuro e planejamento matam futuro desenvolvimento de equipamento nacional para nosso uso e exportação. Mataram engesa e bernardini agora estamos colhendo frutos de nosso planejamento e visão futuro medíocre e antinacional.

Anthony
Anthony
6 dias atrás

Boa tarde povo!

Pq não podemos mais “negativar” algumas “diarreias mentais”, postadas aq p “especialistas” (SIC!), De teclado???

Guilherme Poggio
Reply to  Anthony
6 dias atrás

O comportamento de poucos acaba prejudicando muitos. Na internet há malucos de tudo quando é jeito. Alguns entravam aqui só para “negativar” comentários dos demais. Outros escreviam bobagens só para receber o maior número possível de “negativos”. Nosso tempo é curto e desta maneira isto facilitará e agilizará o processo de desbloqueio de mensagens que eventualmente fiquem presas na caixa de spam.

Last edited 6 dias atrás by Guilherme Poggio
Oráculo
Oráculo
Reply to  Guilherme Poggio
6 dias atrás

Fica a sugestão para tirar até o “positivar” então.

Nilo Rodarte
Nilo Rodarte
Reply to  Oráculo
4 dias atrás

Concordo, até porque tem uns que merecem demais ser negativados. Se não puder negativar eles, é justo não qualificar ninguém.

Salim
Salim
Reply to  Oráculo
13 horas atrás

Você pode simplesmente não votar ou contestar comentário. Concordo plenamente com posição dos administradores site pois negativavam ate pergunta.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Guilherme Poggio
6 dias atrás

Ótima atitude.

Zé Silva
Zé Silva
6 dias atrás

Estranho mesmo… Não se pode negativar?

OSEIAS
OSEIAS
6 dias atrás

Essas migalhas são um cala boca. Não nos deixar crescer e nos ilude com a falsa sensação de que temos meios para nos defender. Quem nos atacar virá de além mar, não será vizinhos.

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  OSEIAS
6 dias atrás

Engano seu, Inglaterra, Alemanha, França e Itália compram muito via FMS, não é vergonha nenhuma, vc só precisa se informar melhor sobre o que é FMS, ademais, eles não obrigam a ninguém comprar deles, o fato de a nossa MB ser insignificante nada tem a ver com os EUA, que já nos ofereceram porta-avião, cruzadores e fragatas, a culpa do nosso fracasso é toda nossa, graças ao nosso almirantado caolho.

Teropode
Reply to  Augusto Mota
6 dias atrás

É inocente , não pesquisa , não lê , vive de palpite .

Teropode
Reply to  OSEIAS
6 dias atrás

Discursinho besta , não nos deixa crescer ? Vai querer culpa_los pela falência de nossas empresas de defesa do passado , pela corrupção sistemica , pelo estado inchado e ineficiente também ? Se equivoca até em falar que o inimigo vêm do além mar e ignora que ele pode vir ,desembarcar em uma nação pária e de lá adentrar pela fronteira seca . Percebe que as coisas são mais complexas jovem ?

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Teropode
5 dias atrás

Rapaz, você tem o direito de discorda ou concorda, mas cuidado com o vocabulário, aqui não tem espaço para ofender a opinião dos outros. Vá estudar um pouco para melhorar seu vocabulário e discurso, recomendo um pouco de politica e relações internacional aplicada, e veja o modelo de operação aplicada americana para manter sua hegemonia. E antes que você tente me desqualificar como esquerdista, já te aviso que sou de direita e capitalista. Só não sou a favor da 8º economia do mundo viver de migalhas e tampão.

Salim
Salim
Reply to  OSEIAS
13 horas atrás

A culpa infelizmente e toda nossa, culpar outros e mais fácil. Qualquer pais serio vai defender sua economia e hegemonia. Tem países menores que nos em todos os sentidos e já tem misseis balísticos, satélites e indústria militar atuante, veja Ira , Israel, Paquistão , India, coreias, etc…

Heinz Guderian
Heinz Guderian
6 dias atrás

A oitava foto, o blindado me parece está pintado com a camuflagem sul coreana

Teropode
Reply to  Heinz Guderian
6 dias atrás

Parece Japonesa , a primeira é coreana mas usada pela tropa americana também no Japão .

Mensageiro
Mensageiro
6 dias atrás

“Em Curitiba, todo o equipamento será desmontado, revisado e modernizado”. Isso ae tem que tirar todas as escutas e interferências de fabrica kkkk

Flanker
Flanker
Reply to  Mensageiro
6 dias atrás

Hahahaha….bela piada……É piada, né? Não vou nem imaginar que esteja falando sério….

Audaz
Audaz
6 dias atrás

Servi em uma unidade blindada que operava os M113. Para a América Latina esta de bom tamanho. Não vejo outra força Força em nosso possível TO com equipamento neste nível, em numero e tecnologia.
A outra grande vantagem é que matem as OM blindadas com sua dotação, sem gastar tanta grana, mantendo treinamento e doutrina.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Audaz
6 dias atrás

Chile tem o Marder 1A3.

Argentina tem o TAM VCTP.

Venezuela tem BMP-3M.

Last edited 6 dias atrás by Alfa BR
Audaz
Audaz
Reply to  Alfa BR
6 dias atrás

A questão não é só o equipamento, também entra na equação a quantidade, a disponibi8lidade e o local de operação dos meios. Neste sentido, os equipamentos operados pelo Brasil ainda são suficientes para nossa realidade.

Meireles
Meireles
6 dias atrás

Em troca o Brasil também doou a Petrobrás, e o Pré-Sal, isso quê é reciprocidade hein.

Teropode
Reply to  Meireles
6 dias atrás

Uai ! Explica isso ai 🤔, áreas do pré sal foram adquiridas por chineses e a Petrobrás depois daquela pilhagem oficial ainda continua sendo uma estatal .

Sidy
Sidy
Reply to  Teropode
5 dias atrás

Áreas do pré sal e todo o setor elétrico, entre outras coisas. Aqui tudo pode se comprar, com os contatos certos.

Nilo Rodarte
Nilo Rodarte
Reply to  Teropode
4 dias atrás

É por isso que não pode desativar o dislike!!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Meireles
1 dia atrás

As empresas Chinesas que operam no pré-sal são de propriedade dos EUA ou de norte-americanos que doam equiamentos militares? Nossa, isso é um furo de reportagem, vc vai ficar rico se mandar essa informação toda pro governo chinês!!!

GILBERT
GILBERT
6 dias atrás

já tã na hora de vir Bradley afinal vão aposentar todos

Oráculo
Oráculo
Reply to  GILBERT
6 dias atrás

Se eu te falar que conto as horas pra isso acontecer….

Creio que vai uns bons 3 anos pra subistituição dos Bradley “pegar corpo” no US Army e eles terem uma boa quantidade estocada.

Daí eles começam a oferecer via FMS.

Esses vão ter fila pra comprar.

jrsalvador
jrsalvador
6 dias atrás

Americanos malvados

Dr. Mundico
Dr. Mundico
6 dias atrás

Apenas por curiosidade: qual o pêso e relação pêso/área dessas fubicas? Em qual tipo de terreno podem ou não podem operar?

Pablo Maroka
Pablo Maroka
6 dias atrás

Agora sim recebendo equipamentos de primeiro mundo estamos chegando a vanguarda tecnologica.

Alfa BR
Alfa BR
6 dias atrás

O pessoal que critica nem deve ter ideia do que essas viaturas são ou para que servem…

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
6 dias atrás

O M577 é uma viatura posto de comando. Sua função primária é servir como posto móvel de comando e controle. Não são para combate direto.

O nosso problema são os M113 e como são empregados…

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Alfa BR
5 dias atrás

Pois é…

O M113 vejo que tem bastante utilidade como viatura de apoio: Logística, ambulância e até esse posto de comando aí.

Mas como VBCFuz é uma bela duma porcaria. Para acompanhar carros de combate, de boa, podemos ter bem coisa melhor.

M65
M65
6 dias atrás

Pode ser usada tb como ambulância por causa da altura que garante maior espaço para os paramédicos ficarem em pé.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
5 dias atrás

A desvantagem de receber equipamentos militares “doados” de nossos “irmãos” e “parceiros” americanos via FMS é que mesmo eles sendo “nossos” o vendedor se acha no direito de opinar em como ele está sendo usado pelo seu novo proprietário,basta lembrar do episódio Indo-paquistanês entre os caças das duas nações. Onde Washington exigiu saber se Islamabad usou ou não usou seus falcons no confronto. Certamente eles queriam que as aeronaves ficassem restritas apenas a paradas militares. Na época,a embaixada dos Estados Unidos em Islamabad afirmou estar analisando relatos de que o Paquistão usou jatos F-16 para abater o piloto indiano, uma… Read more »

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 dia atrás

Quanta besteira, você deveria LER os post da trilogia e entender o que se escreve neles, antes de escrever estes chavões retardados!

paulof
paulof
5 dias atrás

Bem, do jeito que coisa vai em Moçambique é bom, ter viaturas de posto de comando.

Peter nine nine
Peter nine nine
5 dias atrás

Alerto os editores para o facto de que um dos meus comentários aguarda moderação a quase 24horas.obrigado

Luiz Floriano Alves
Reply to  Peter nine nine
4 dias atrás

Um blindado baseado no M113, sempre terá uso num exército, como o nosso. Este “posto de comando” pode, ser transformado em plataforma de ATGM, Manpads e canhões sem recuo de até 1106mm, ou , porta morteiro de 120 mm….etc. Numa boa, quem embarca num blindado se acha mais capaz de cumprir sua missão.

Alfa BR
Alfa BR
3 dias atrás

Posto de Comando do 2º Batalhão da Guarda Nacional dos EUA, 116º Regimento de Cavalaria, durante um exercício realizado no Centro de Treinamento Nacional em Fort Irwin em junho do ano passado.
comment image

Last edited 3 dias atrás by Alfa BR
Anderson
Anderson
2 dias atrás

Só acho que essa “doações” dos EUA aumentaram após as entregas dos Guaranis, até mesmo a versão 8X8 foi cancelada. Americanos não dão ponto sem nó fazendo com que o Brasil fique eternamente com esses lixos em detrimento de equipamentos novos.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Anderson
1 dia atrás

O Guarani não tem nada a ver com estes equipamentos. São de categorias diferentes, para funções e cenários diferentes!!!

Ersn
Ersn
1 dia atrás

Não sei porque o pessoal acha que veículos de apoio tem que ser de última geração?.são apenas postos de comando com largatas .desde que tudo funcione já está bom ,ja que ele tem apenas provisão para óperação e geração de energia para sistemas de rádios e outros sistemas taticos de comando e controle que não vem junto com o blindado.

Salim
Salim
Reply to  Ersn
13 horas atrás

E isso mesmo, só carece de uma blindagem mais efetiva, o resto e fácil modernizar. Para acompanhar MBT e Artilharia avançada sobre esteira o M113 teria que ser reprojetado, que já esta ocorrendo em forças armadas exterior. Acredito que Bradley sobre esteiras seria solução viável economicamente falando via FMS e nas ultimas guerras tiveram ótimo desempeno nesta função. Se tivéssemos mantido engesa / bernardini hoje teríamos esta solução caseira e para exportação.

Mattos
Mattos
1 dia atrás

Se fossem doados pelo russos ou chineses (cruz em credo), teria gente falando pelos quatro cantos como eles são bonzinhos. Esse blindados são variantes do M113?