terça-feira, julho 27, 2021

Saab RBS 70NG

Novos veículos anfíbios do USMC em alta cadência de produção

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Mais unidades dos fuzileiros navais dos EUA (USMC) verão seus veículos de assalto anfíbios com décadas de uso atualizados depois que um novo acordo foi fechado que levará a produção do tão aguardado veículo de combate anfíbio a uma nova fase.

O Corpo de Fuzileiros Navais concedeu à BAE Systems um contrato de quase US$ 185 milhões para a produção integral de 36 veículos anfíbios de combate. O acordo, segundo o Corpo de Fuzileiros Navais, significa que a Força agora pode construir e colocar mais ACVs “em uma cadência sustentada nos próximos anos”.

Espera-se que esse primeiro lote de produção plena, de acordo com a BAE Systems, salte para 72 veículos no início de 2021, com a opção de fabricar 80 veículos anualmente durante cinco anos.

O coronel Kirk Mullins, gerente do programa Advanced Amphibious Assault da PEO Land Systems, disse que os novos veículos terão mais capacidade de sobrevivência do que os AAVs da era do Vietnã do Corpo de Fuzileiros Navais.

Um desses AAVs se envolveu em um acidente fatal na costa da Califórnia neste verão. Oito fuzileiros navais e um marinheiro morreram com o veículo entrando rapidamente na água no caminho de volta para um navio, afundando com vários militares presos a bordo. O acidente continua sob investigação e as operações de água do AAV foram interrompidas.

“Estamos fornecendo aos fuzileiros navais um transporte de pessoal blindado moderno que oferece uma capacidade tremenda com relação à sobrevivência”, disse Mullins em um comunicado sobre o ACV que agora está substituindo esses veículos. “O ACV dá ao Corpo de Fuzileiros Navais uma plataforma operacional capaz em toda a gama de operações militares.”

O novo ACV atingiu a capacidade operacional inicial no mês passado. Um pelotão da 1ª Divisão de Fuzileiros Navais, baseado no Centro de Combate Ar-Solo do Marine Corps Air Ground Combat Center em Twentynine Palms, na Califórnia, foi o primeiro na fila para receber um dos novos veículos, informou o Military.com em setembro.

O veículo de oito rodas foi projetado para transportar fuzileiros navais do navio para a costa. O contrato emitido na semana passada é para a variante destinada ao transporte de pessoal.

Três outras variantes estão em fase de planejamento, disse Barb Hamby, porta-voz do Programa dos Fuzileiros Navais, Oficial Executivo de Sistemas Terrestres.

Haverá um veículo de comando e controle, um com uma torre de 30 mm e, eventualmente, uma variante de recuperação, disse ela.

FONTE: Military.com

- Advertisement -

83 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
7 meses atrás

Muito bom!! Mas se pararmos para observar, estamos virando uma marinha de guerra de desembarque, e o meu medo é a marinha virar um segundo “exercito”.

ANGELO CHAVES
ANGELO CHAVES
Reply to  DOUGLAS TARGINO
7 meses atrás

Caro colega, a matéria se trata sobre os Fuzileiros dos EUA, que de fato são um segundo exército, e bem poderoso. Se não couber o aparte, perdão.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  ANGELO CHAVES
7 meses atrás

Eita, é mesmo! Desculpe-me.

Flanker
Flanker
Reply to  DOUGLAS TARGINO
7 meses atrás

Tu leu o texto? O título?

nonato
nonato
Reply to  Flanker
7 meses atrás

Não.
O objetivo foi comentar logo.
Rs.

Tutu
7 meses atrás

Esse é o primo rico do guarani, e irmão mais novo e aprimorado do Super AV.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Tutu
7 meses atrás

Primo rico e marombeiro, olha as armas, Bushmaster 30 mm, Stinger, Javelin.

Guarani só tem a Remax .50, é o primo raquítico, capa do batman.

Alisson Mariano
Alisson Mariano
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Até onde sei, tbm existem Guaranis com canhão Bushmaster 30 mm.

Guarani-1024x743.jpg
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Alisson Mariano
7 meses atrás

Essa torre foi rejeitada no Guarani faz tempo.

Last edited 7 meses atrás by Defensor da liberdade
Tomcat4,2
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

A torre não foi rejeitada coisa nenhuma, o lote de “avaliação” serve para ver prós e contras e o que melhorar ou modificar de acordo com os requisitos do cliente ,no caso o EB. E isso está sendo feito e no processo houve pontos a se mexer conforme análise do EB, tudo parte do processo para uma aquisição de quantidades maiores e tal.

Flanker
Flanker
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Não foi rejeitada. Foi analisada e apresentou necessidade de modificações a serem feitas.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Caro Defensor da Liberdade
Guardadas as diferenças orçamentárias, este blindado possui mais armamentos porque ele é feito para ir pra guerra e os nossos Guaranis são feitos para evitar a guerra.
Abraço

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  João Adaime
7 meses atrás

Ou seja, um é enviado com a certeza que vai levar tiro e o outro é feito com a esperança de não levar nenhum tiro.

João Adaime
João Adaime
Reply to  DOUGLAS TARGINO
7 meses atrás

Caro Douglas
Boa a tua comparação. Mas o meu comentário sobre o Guarani é que ele, aqui no Brasil, seria uma forma de avisar a um possível agressor externo: “Não venha que estamos preparados”.
Ele pode perfeitamente levar tiro.
Abraço

Bosco
Bosco
Reply to  João Adaime
7 meses atrás

A versão da foto não é operacional. É só um exercício de imaginação do fabricante de sistemas na tentativa de mostrar a flexibilidade do veículo que segue um conceito de armas e sensores modular.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Mestre Bosco
Ótima observação. E aproveito pra tirar uma dúvida. Estes blindados de assalto anfíbio, quando na água, não são alvos fáceis devido sua pouca velocidade?
Abraço

Bosco
Bosco
Reply to  João Adaime
7 meses atrás

João,
Para que sejam usados a resistência tem que ser amaciada via apoio naval e aéreo. E no caso do Marines há grande quantidade de helicópteros de ataque que fazem a escolta e que é capaz de neutralizar qualquer ameaça que tenha sobrevivido.
Há planos de aumentar a velocidade dos veículos de assalto anfibio mas o objetivo não é prover maior proteção e sim permitir o assalto OTH, com os navios seguros distantes da costa inimiga.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  João Adaime
7 meses atrás

Hoje em dia, você só faz o desembarque em praias quase sem defesa e com a superioridade aerea garantida. Sem isso, mesmo que fosse mais veloz, seria alvo.

Bosco
Bosco
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

O que parece ser um lançador quádruplo de Stinger é na verdade um lançador Fletcher, capaz de lançar qualquer foguete 70 mm guiado.

Last edited 7 meses atrás by Bosco
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Não sei diferenciar, vlw.

Tomcat4,2
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Bosco, mas que é de encher os zóio a torre do blindado na primeira foto ahhhh é sim viu, tem de tudo ali que gostaria de ver em um Guarani(mesmo 6×6).

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Tutu
7 meses atrás

Interessante, que quando se fala em usar blindados sobre rodas como VCI, falam que não presta, que atola, e pouco blindado. Más o quê vêmos e vários países de primeira linha, adotando blindados sobre rodas.

João Augusto
João Augusto
7 meses atrás

Pessoal, sei que não é exatamente o foco do tópico, mas já observaram a quantidade de Guaranis capotados?
Acham que é só vacilo durante a operação ou tem algo mais?

Antonio Renato Cançado
Antonio Renato Cançado
Reply to  João Augusto
7 meses atrás

Tem. Ele é desbalanceado, basta olhar.

ricardo
ricardo
Reply to  Antonio Renato Cançado
7 meses atrás

ainda bem que a culpa é veiculo e não do cara que dirige errado pq recebeu o curso de direção errado….

MMerlin
MMerlin
Reply to  Antonio Renato Cançado
7 meses atrás

Recentemente houve um capotamento em Ponta Grossa, no Paraná.

Os acidentes acontecem pelos mesmos motivos que ocorrem com veículos normal em nossas ruas e estradas: autoconfiança, desconhecimento das limitações do veículo ou infelicidade (também chamada de azar).

Agora, dizer que o Guarani é desbalanceado a nível de projeto, apenas de olhar, chega a ser bizarro. O que poderia ser dito que talvez existe algum problema com o centro de gravidade, mas um item deste não passaria despercebido durante o desenvolvimento do projeto.

Juarez
Juarez
Reply to  MMerlin
7 meses atrás

Bom dia.
Além deste item para mais 207 despercebidos.
Aguarde, em breve o Guarani II.
Vice vai pagar a conta igual.

SoldierofFEB
SoldierofFEB
Reply to  MMerlin
7 meses atrás

Segundo o jornalista Roberto Caiafa, o que se notou é que, na verdade, é o curso para o motorista do guarani do eb que não está formando o pessoal adequadamente.

Flanker
Flanker
Reply to  SoldierofFEB
7 meses atrás

hahahaha…..como sempre, estoura no milico que opera. Cara, basta olhar para esse blindado e vc vai ver que o centro de gravidade dele é muito alto. Só não percebe quem não quer. Piora mais se colocar uma torre UT-30BR. Quanto pesa uma torre dessas? Mas, com isso estou dizendo que o blindado é ruim? Claro que não! Está léguas à frente de seu antecessor, o Urutu.Mas, correções deverão ser implementadas, não há dúvida.

Rafael costa
Rafael costa
Reply to  Antonio Renato Cançado
7 meses atrás

O Guarani é desbalanceado ? Falou o técnico da Iveco.

Kommander
Kommander
Reply to  João Augusto
7 meses atrás

Eu era muito fã do Guarani, até descobrir que ele é uma bosta.

Maurício Veiga
Reply to  João Augusto
7 meses atrás

Foram quantos “capotamos”???

Maurício Veiga
Reply to  Maurício Veiga
7 meses atrás

Digo “capotamentos”!!!

Maurício Veiga
Reply to  Maurício Veiga
7 meses atrás

Acho interessante você (quem quer que seja) negativar uma simples pergunta, qual é o problema?!?! Apareça…

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  Maurício Veiga
7 meses atrás

3

Maurício Veiga
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

Apenas 3 capotamentos e estão falando horrores do Guarani!!! Palmas para os especialistas…

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  João Augusto
7 meses atrás

vacilo durante a operação

Rafael costa
Rafael costa
Reply to  João Augusto
7 meses atrás

O Comandante Robinson Farinazzo já falou que o problema não é com o veículo e sim com o operador (motorista). O comandante disse que o curso que o EB dá para os operadores do Guarani é curso para dirigir caminhão, e todos nós sabemos que não tem nenhum pouco de comparação dirigir um caminhão e dirigir um blindado de infantaria. Por esse motivo os blindados Guarani estão capotando, porque os operadores dos blindados não sabem dirigir o veículo, mas o Guarani não tem nenhum problema de projeto, ou algo assim.

João Augusto
João Augusto
Reply to  Rafael costa
7 meses atrás

Obrigado pelo retorno. Tem link com essa declaração?

nonato
nonato
Reply to  João Augusto
7 meses atrás

Veja no google.
Não vou passar o nome do canal do YouTube do comandante porque pode não passar na moderação.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Rafael costa
7 meses atrás

Nem o treinamento de tripulação a EB faz de maneira correta. Tsc tsc

Juarez
Juarez
Reply to  Rodrigo
7 meses atrás

Isto não e verdade. Existe todo um programa de formação de operação para a vtr no CIBLD do EB, e ainda parte dos operadores são ex operadores de Urutu.
O que nós temos por aí e uma legião de papagaios de pirata falando bobagens e tentando defender o indefensável, ou seja:
A quantidade de problemas neste veículo.

Juarez
Juarez
Reply to  Rafael costa
7 meses atrás

O Farinazzo já operou com Guarani?
Não.
Já se debruçou sobre todos os problemas construtivos dele?
Não.
Ele teve pelo menos humildade de ir lá no Centro de Instrução de Blindados e ver o esforço do pessoal para formar operadores com todos os problemas que o veículo carrega?
Não.
Então meu amigo e só mais um na Blogosfera de defesa falando nada sobre coisa alguma e sem saber que não sabe.

Tomcat4,2
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Por curiosidade Juarez, já debatemos muito e vc é incisivo em suas colocações,com as quais já concordei muitas vezes. Por acaso vc é mecânico da ativa no EB???

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Tomcat4,2
7 meses atrás

Não. É inativo da FAB.

Juarez
Juarez
Reply to  Tomcat4,2
7 meses atrás

Não, eu tenho dois miolos no cérebro, vivo e convivo com unidades blindadas e mecanizadas do EB.
Fui do quadro de especialistas da FAB. Hoje estou no “pijama” porém sem remuneração.
Lido com caminhões, maquinas e equipamentos pesados e principalmente, sei para que lado se aperta um parafuso.
Terei sempre paciência e argumentos técnicos para te ver colocar a verdade que não aparece em press release de fabricante e que você paga a conta com teus impostos pelas cagadas feiras como esta bosta deste Guarani.

Flanker
Flanker
Reply to  Rafael costa
7 meses atrás

Sério? Então, o que é ensinado no curso para operadores do Guarani, ministrado aqui em Santa Maria, no CIBld??
Esse tal de comandante já sequer entrou em um Guarani? Já operou um? Ora, por favor….Ele poderia muito bem se informar com o pessoal do CIBld antes de escrever isso.

joel eduardo soares
7 meses atrás

Bom dia pergunta de leigo.
O Guarani pode ser usado para desembarque no mar?
Sds
Joel

Tutu
Reply to  joel eduardo soares
7 meses atrás

Com uma lancha de desembarque sim.

Bosco
Bosco
Reply to  joel eduardo soares
7 meses atrás

Joel,
Não! Um veículo anfíbio terrestre só é usado para atravessar pequenos rios sem correnteza, lagos, etc. Não foi feito para operação naval.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  joel eduardo soares
7 meses atrás

rapaz até dá, mas é perigoso o mar teria que estar calminho.

Juarez
Juarez
Reply to  joel eduardo soares
7 meses atrás

Só se for em desembarque com perfil.hara kiri.

Antonio Renato Cançado
Antonio Renato Cançado
7 meses atrás

E aí, Guarani?

Bosco
Bosco
Reply to  Antonio Renato Cançado
7 meses atrás

Antônio,
O Guarani é um VBTP e não um veículo de assalto anfíbio. São de classes diferentes.

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
7 meses atrás

Sinceramente, antes de alguém perguntar qual é o melhor ?
Respondo que o Guarani é melhor porque é o ideal para nosso teatro de operações, feito no Brasil, gerando empregos, renda e dentro do que o EB pode pagar para ter em quantidade.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  Entusiasta Militar
7 meses atrás

Guarani é o melhor veiculo desde que não tenha curvas para esses motoristas br capotar.

Flanker
Flanker
Reply to  Pablo Maroka
7 meses atrás

Se informe como é feito o treinamento dos tripulantes do Guarani, e de qualquer outro blindado do EB…..no CIBld

Juarez
Juarez
Reply to  Entusiasta Militar
7 meses atrás

Ok. Quando voltarem os cadáveres em sacos pretos você diz isto para as esposas e parentes dos soldados.

Claudio
Claudio
7 meses atrás

Off topic: O dia em que os EUA lançaram um míssil nuclear contra o Brasil,história de um incidente com um míssil de cruzeiro SM-62 Snark que encontrado, por acaso na Serra do Mutum, no Maranhão, onde tinha permanecido abandonado no meio do mato por 25 anos, segundo uma publicação da Revista Veja de 27 de janeiro de 1983 O acidente não foi classificado como secreto, foi divulgado e o governo brasileiro foi devidamente informado, o míssil não carregava nenhuma ogiva nuclear, mas trazia algo muito importante, algo que ignoramos e desprezamos. Se o Brasil tivesse realmente tentado localizar o Snark,… Read more »

Caio
Caio
Reply to  Claudio
7 meses atrás

O espírito de capacho não permite em mexer nada do chefe.

Maurício Veiga
Reply to  Claudio
7 meses atrás

Não tinhamos condições indústrias na época para efetuar a engenharia reversa, ainda hoje temos enormes dificuldades neste sentido, a defesa nacional nunca foi prioridade para a classe Política!!!

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Claudio
7 meses atrás

Quase um ano antes disso, em 1982, obtivemos um míssil anti-radiação AGM-45 Shrike que foi confiscado aqui no Brasil do Vulcan inglês que precisou pousar aqui em emergência.

Quanto tempo depois disso levou para colocarmos em produção um míssil ar-ar? Aliás, cadê nosso míssil anti-radiação?

Claudio
Claudio
Reply to  Leandro Costa
7 meses atrás

Um dos mísseis eles ejetaram no mar, mas o último não se desprendeu. Livros de código foram jogados ao mar, bem como equipamento ultra secreto

Bardini
Bardini
7 meses atrás

De novo essa papo de Guarani capotando?
.
Isso aí é do jogo. Pra quem acha grandes coisa o que acontece com o Guarani, dá uma olhada nisso aqui:
https://www.google.com/amp/s/www.army.mil/article-amp/20897/army_fields_new_mrap_rollover_trainers

Last edited 7 meses atrás by Bardini
Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
7 meses atrás

O passo de CG está desequilibrado. Até os cachorros da Dona Fofo sabem disto mas os especialistas de internet com “centenas” de horas de operação continuam repetindo a moda papagaio os press release contaminados.
Bardini o Guarani e o EC 725 da Infantaria, opera dentro de uma caixinha cheia de limitações operacionais.
Vem aí o Guarani II e tu vai pagar a conta.

Tomcat4,2
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Tu tbm pagará meu caro, e eu pagarei com gosto de ver o projeto evoluindo.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Tomcat4,2
7 meses atrás

Esses veículos são propensos a afundar em operação. Os M113 tem muitos casos , infelizmente. Certa ocasião estive no Uruguai e , lá ocorreu um afundamento de M113 com muitas mortes. Foi próximos Colônia.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Juarez, e aquele vídeo do guincho levantando o Guarani e tombando em sequência? Foi culpa do Guarani, do guincho ou dos operadores?

Juarez
Juarez
Reply to  Rafael Oliveira
7 meses atrás

Do operados, porque qualquer débil mental faria o ancoramento longitudinal da viatura, mas infelizmente o jacu queestava no comando não enxergou o óbvio.

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Tu viu por aí de algum telefone sem fio que o EB já estuda revisão de projeto, pra coisa toda não virar um “Urutu da vida”, ultrapassado e enjeçado até 2080 e tá achando ruim 🤣👍🏻

Flanker
Flanker
Reply to  Bardini
7 meses atrás

engessado….

Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
7 meses atrás

Não. Eu estou achando ruim que ao invés de terem o cuidado de autorizarem um lote piloto de uma 30 vtrs e testarem a exaustão, deixaram a Iveco fabricar 400 tortas, com problemas de suspensão, de aquecimento do Power train, de mal dimensionamento elétrico e cheia de bugs eletrônicos. Agora esses 400 vão ter que enfiar no c……..u e você com toda sua página pagar a conta.

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Aliás… CG desequilibrado???
.
O que existe é o caso óbvio em que o CG é alto, por conta da capacidade agregada de resistir a IEDs. Se tu jogar um blindado desses contra um barranco, VAI capotar. Quantas capotagens envolveram um zé trepando barranco?

Last edited 7 meses atrás by Bardini
gari
gari
Reply to  Bardini
7 meses atrás

.

Last edited 7 meses atrás by gari
Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
7 meses atrás

Aqui mais uma vez que um analfabeto funcional dedilhador de internet. Tu não merece por ser prepotente,mas vou te ajudar a não passar vergonha e escrever as eiras a todo. O passo de CG desço.pasdafo não está ligado diretamente a altura do veículo até porque os que capotar na torre de armas tinham. Vamos lá Bardini, vamos levantar está bunda gorda da cadeira e aprende, fisica, ensino do 2° : As variáveis que levam ao descompasso do CG são na verdade itens que está abaixo do chassi, ou seja: A distância entre eixos e a bitola(largura) que permite que se… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Se tu diz é pq tá certo…

rdx
rdx
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Exatamente. Projeto suscetível a capotamentos. Motivo? alto centro de gravidade. O problema pode ser amenizado com treinamento e instalação de ESC. Uma solução mais prática é partir para um 8×8. Aliás, sempre que eu vejo um Guarani fica a impressão que ele é um projeto 8×8 adaptado (encurtado) para 6×6.

https://defensesystems.com/articles/2015/06/03/army-mrap-electronic-stability-control-rollovers.aspx

Last edited 7 meses atrás by rdx
Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
7 meses atrás

Repararam no bow plane extended? Essencial pra evitar que ondas passem sobre o veiculo com escotilhas abertas e o inunde. Já aconteceu com AAV (nossos CLAnf) onde o acelerador encantou no máximo e não teve jeito de reduzir pra evitar o mergulho da frente. Isso e outros ‘defeitos’ matam mais que bala de carabina, que veneno estricnina… Cuidado, fuzileiros. Mas onde se encaixa o ACV (ou os AAV) na EABO e nos LAW? Os USMC deixaram de lado seus Abrams, apesar dos conectores aptos… O retrato está fragmentado, tem que juntar o que fica e separar o que vai sair… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Alex Barreto Cypriano
7 meses atrás

O conceito EABO foi desenvolvido tendo em vista os potenciais cenários de conflito com a China no Pacífico Ocidental. Sob o conceito, o Corpo de Fuzileiros Navais prevê, entre outras coisas, unidades do Corpo de Fuzileiros Navais do tamanho de um pelotão reforçado manobrando ao redor do teatro, movendo-se de ilha em ilha, para disparar mísseis de cruzeiro antinavio e realizar outras missões, a fim de contribuir, junto com a USN e outras forças militares dos EUA, para as operações dos EUA para conter e negar o controle do mar às forças chinesas.  Os navios LAW seriam fundamentais para essas operações,… Read more »

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Matheus S
7 meses atrás

Concordo com seu diagnóstico. O USMC quer até ter capacidade ASW. Novos tempos…

Matheus S
Matheus S
Reply to  Alex Barreto Cypriano
7 meses atrás

O USMC quer acabar com a afirmativa de que eles são um segundo exército terrestre e para isso precisarão unir forças com a USN em busca do controle e negação do mar, ainda mais no cenário visualizado do Pacífico Ocidental.

Realmente, novos tempos…

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
7 meses atrás

O bacana que os governo americano vendo que não tinha veículo existente no mercado que cumprisse os requisitos operacionais, testaram o superav (que na época era o veiculo que era mais capaz) viu que tinha potencial, formalizou um projeto único envolvendo iveco, bae system e governo dos eua, e está aí o produto final….país que leva defesa a sério qualquer coisa não serve

Últimas Notícias

Taiwan testará mísseis Patriot III nos EUA

TAIPEI (Taiwan News) - Os militares de Taiwan em breve testarão mísseis Patriot III no White Sands Missile Range...
- Advertisement -
- Advertisement -