quinta-feira, março 4, 2021

Saab RBS 70NG

Imbel entrega ao EB lotes de munição 120 mm para morteiro pesado

Destaques

China busca uma força nuclear com maior capacidade de sobrevivência

Segundo a Associated Press, a China parece estar se movendo mais rapidamente em direção à capacidade de lançar seus...

Gastos da China em pesquisa e desenvolvimento atingem um recorde de US$ 378 bilhões

O Escritório Nacional de Estatísticas da China disse que os gastos com P&D, que visam desenvolver novos serviços...

Rafael conclui o desenvolvimento da versão superfície-ar do míssil I-Derby ER

A Rafael Advanced Defense Systems Ltd. concluiu o desenvolvimento da versão de defesa aérea baseada em solo do míssil...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Brasília (DF) – Na última semana de dezembro de 2020, o 4º Depósito de Suprimento recebeu lotes de munição 120 mm AE PR dos contratos nº 121/2018 e 149/2019, que foram firmados entre a Força Terrestre e a IMBEL e que tinham como prazo limite os meses de julho de 2021 e março de 2022.

A referida munição é empregada no Morteiro Pesado 120 mm Raiado, que dota, principalmente, os Batalhões de Infantaria Blindados (BIB), os Regimentos de Carros de Combate (RCC), os Regimentos de Cavalaria Blindados (RCB) e os Regimentos de Cavalaria Mecanizados (R C Mec).

O Morteiro Pesado 120mm Raiado é um armamento desenvolvido e fabricado pelo Sistema de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro, sendo composto de três partes principais: tubo-canhão raiado, reparo com trem de rolamento e placa-base.

Utiliza qualquer tipo de munição 120 mm para morteiros de alma lisa ou raiada de padrão internacional. Com munição pré-raiada e propulsão adicional, atinge cerca de 13 km de alcance.

A referida atividade permitirá o encerramento dos contratos supramencionados e, assim, a reposição dos estoques estratégicos, garantindo a continuidade no adestramento da tropa.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

77 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
77 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

Esses dias vi um video com uma munição nova dos americanos…
70km de alcance com precisão certeira

ERCA / Excalibur

Porém…. U$112k por munição…. impossível pra nossa realidade.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Mas aí é munição para obus de 155mm.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

é, realmente misturei uma coisa com outra.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Prezado
Como vc já viu, está é de artilharia, e não de morteiro.
Mas cabe um conhecimento importante. Essa munição, não é distribuída aos montes no USArmy. Mesmo lá, é muito controlada, podendo ser empregada por decisão do q aqui é a Art Divisionária. Se pra cada peça há a disponibilidade de 70 a 100 Mun pra uma operação, em um Grupo (lá Batalhão) com 18 peças, há umas 8 munições apenas pra todo grupo.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Qual alcance dos nossos morteiros?

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Alcance máximo vai de 6.500 m até 12.600 m dependendo da munição (convencional, pré-raiada e pré-raiada com propulsão adicional).
comment image

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Alfa BR
1 mês atrás

Como alguém dar joia negativo? Acho que tem pessoas que entram só para dar joinha negativo! Acho que os donos na página deveria fazer um cadastro com nome completo, cpf, e-mail, telefone, enfim, você logar para poder comentar algo ou algo do tipo para evitar qualquer um aqui ficar fazendo isso ou aperreando os demais.

Wilson França
Wilson França
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Era só o que faltava…. Querer vigiar quem dá joinha negativo….

Edimar
Edimar
Reply to  Wilson França
1 mês atrás

Douglas está certo, negativar ele por querer conhecer mais e o pior negativar a pessoa que deu a explicação para ele. Acredito que o motivo da existência do blog seja levar conteúdo e agregar conhecimento a todos. Quem negativa uma pergunta por mais irrelevante que ela seja para si é contra estes ideais.

Augusto Motta
Augusto Motta
Reply to  Edimar
1 mês atrás

Joinhas positivos ou negativos servem para um montão de análises técnicas, sociológicas e ideológicas das pessoas que frequentam, ajudam muito quem pesquisa e quer melhorar qualquer blog, vocês não fazem a menor idéia disso, nem vou perder meu tempo explicando pois o horizonte de vocês não chega ao umbigo. Internet é e deve ser LIVRE, chega de autoritarismos, pessoas querendo controlar e dizer o que pode e não pode, brasileiro, principalmente, adora censurar os outros, é incrível esse viés totalitário das pessoas. E quem censurará os censuradores????? Pessoal só quer receber carinhas felizes, me poupem, mundo perfeito de faz de… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Augusto Motta
Flanker
Flanker
Reply to  Augusto Motta
1 mês atrás

Tá revoltadinho? Internet é livre, mas depende de onde. Aqui é um blog de propriedade de alguém e, sendo assim, ninguém tem obrigação de permitir nada. E só escreve e debate aqui quem quer e concorda com as regras. Quem não concorda, não precisa participar….simples.

Flanker
Flanker
Reply to  Wilson França
1 mês atrás

Tanto foi vigiado que acabou eliminado o negativo….até que enfim!!!

paulop
paulop
1 mês atrás

E o Guarani porta morteiro? Tá pra onde?

Ramon
Ramon
Reply to  paulop
1 mês atrás

Faz um bom tempo que não tem nenhuma novidade acerca das outras versões do guarani provavelmente vão ser as ultimas produzidas, se não me engano já foram produzidos 400-500 guaranis e o contrato aparentemente é de 1200 viaturas e se não me engano são produzidos 60 viaturas por ano então tem mais 10 anos de produção, creio eu que as outras versões vão ser produzidas daqui uns 5 anos no mínimo.

Caio César
Caio César
Reply to  Ramon
1 mês atrás

Não era mais de 2000?

Flanker
Flanker
Reply to  Caio César
1 mês atrás

Disse bem….eram! Já faz um bom tempo que a encomenda de 2044 unidades foi reduzida.

Caio César
Caio César
Reply to  Flanker
1 mês atrás

quase pela metade, bela redução hein

Flanker
Flanker
Reply to  Caio César
1 mês atrás

Serão pouco mais de 1500 unidades.

Gelson
Gelson
Reply to  Ramon
1 mês atrás

Boa tarde, Ramon! Segundo o Portfólio Estratégico do Exército,…: “2022/2023 – Aquisição do Protótipo da Viatura 6 x 6 VBE Mrt MSR, com todos os seus sistemas integrados”.
Vamos aguardar…!

Gelson
Gelson
Reply to  Gelson
1 mês atrás

Desculpa, esta resposta era para ser no post do paulop….

Alessandro
Alessandro
1 mês atrás

Esses 13km de distância é um bom alcance para morteiros pesados dessa categoria ou tem melhores?

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alessandro
1 mês atrás

Muito bom e compatível com o que tem de melhor nessa categoria.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Alfa BR
1 mês atrás

Obrigado.

Last edited 1 mês atrás by Alessandro
Henrique
Henrique
Reply to  Alessandro
1 mês atrás

É provavelmente o morteiro com mais alcance. É bom lembrar que esse é o alcance máximo e raramente é utilizado nesse limite e a granada é do tipo ”Rocket Assisted Projectile”. É um alcance semelhante aos do M101 por isso até defendo que estes sejam substituídos por esses morteiros.

Gutierrez
Gutierrez
Reply to  Henrique
1 mês atrás

São armas diferentes, com poder de destruição diferente e que oferecem um apoio de fogo diferente… Na minha opinião substituir um bolseiro (mesmo que antigo) por um morteiro que não oferece a mesma capacidade seria um erro da Força Terrestre

Gutierrez
Gutierrez
Reply to  Gutierrez
1 mês atrás

Obuseiro*
Peço desculpas

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Gutierrez
1 mês atrás

A munição do morteiro 120mm tem carga de arrebentamento maior do que a munição de um obuseiro 105mm, portanto tendo maior poder destrutivo.

Caio
Caio
1 mês atrás

Taí uma arma que ainda muita presença na guerra de selva, espero que tenhamos algumas centenas no mínimo, o ideal aos milhares… Já seria uma pólvora de respeito.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Caio
1 mês atrás

Como esses equipamentos e munições são fabricados aqui no Brasil, em caso de necessidade pode chegar aos milhares facilmente

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Acho que somos um dos poucos países que produzem o morteiro pesado e munição para o mesmo!

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Dês de quando produzimos morteiros para nós mesmo? Estou sabendo agora…

Tomcat4,2
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Está no texto meu caro;

“O Morteiro Pesado 120mm Raiado é um armamento desenvolvido e fabricado pelo Sistema de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro, sendo composto de três partes principais: tubo-canhão raiado, reparo com trem de rolamento e placa-base.”

Henrique
Henrique
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Esse morteiro é uma cópia do Mortier 120mm Rayé Tracté Modèle F1 https://en.wikipedia.org/wiki/Mortier_120mm_Ray%C3%A9_Tract%C3%A9_Mod%C3%A8le_F1

Matheus Augusto
Matheus Augusto
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Ta bem desinformado então, o Brasil produz morteiros de 60 mm, 81mm e 120mm e a munição obviamente.

Inclusive o EB pelo que eu sei tem um dos maiores arsenais de morteiros do mundo, na casa das milhares de peças se não me engano.

Tomcat4,2
1 mês atrás

Sempre fico pensando em como se tem o morteiro e o obus sendo que são tão parecidos e tal, não entendo a aplicação do morteiro se tem o obus.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

eu tb não entendi o tipo de emprego que seria útil isso.
.

Henrique
Henrique
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Um obuseiro é bem mais complexo que um morteiro. Só o sistema de recuo e a culatra demanda muita capacidade técnica. Não é por nada que da pra contar nos dedos quem fabrica obuseiro.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Longe de eu ser um especialista no assunto, mas obus é um equipamento de artilharia. Morteiro é equipamento de infantaria.
Mas estou receptivo à mais detalhes sobre doutrinas.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Toda fração tem Apoio de Fogo curvo. A Esquadra tem as granadas de mão. O GC tem as grandes de bocal ou de lança granada 40 mm. O Pel Fuz tem o Mrt 60 mm. A Cia tem o Mrt 81 mm. O Batalhão tem o Mrt 81 ou 120 mm. A Bda tem a Art 105 ou 155 e a Divisão tem a Art 155 e MF. Normalmente, o alcance máximo de uma fração é próxima do mínimo da fração acima. Já Mrt do Btl e Art não é bem assim, mas o Alcance da Art que apoia a… Read more »

Carvalho
Carvalho
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Alô Tomcat
A título de exemplo, as baixas na FEB na 2a GM foram predominantemente por morteiros e Minas, nessa ordem, se não me engano.

Luciano
Luciano
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

Olá, Carvalho. Embora os morteiros e as minas provocassem muitas baixas e terror entre os pracinhas, foram os estilhaços provocados pelas granadas de artilharia tedesca que mais provocaram mortes e ferimentos (1146), seguido do “blast” das explosões (153). Vale ressaltar que a FEB recebeu algumas das maiores concentrações de fogos naquele front em algumas de suas principais ações, como em Montese por exemplo ( o que coloca em questionamento o argumento de “front secundário”, ao menos para as unidades que estavam no alvo do inimigo!). Os dados estão disponíveis em: BRANCO, Manoel Thomaz C. O Brasil na II grande guerra.… Read more »

Carvalho
Carvalho
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Alô Luciano,
Obrigado pela correção.
Quanto à importância do front e ao papel da FEB no âmbito do 5o Ex, a leitura mais elucidativa que já vi é o livro do Critenberger, sobre a ofensiva do noroeste da Itália.
Fico te devendo as referencias bibliográficas.
Abraço

Luciano
Luciano
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

Olá, Carvalho. “A campanha no noroeste da Itália” do Crittenberger é importante por mostrar o lado do comando aliado nesse front. O que quis dizer quanto a “front secundário” não foi no âmbito estratégico que normalmente avaliam as operações de guerra, mas no escopo dos soldados que ali lutaram. Qdo o infante tá lá no foxhole recebendo as salvas de morteiro, seu front é o principal, é aquele que importa. Todo soldado que lutou numa guerra viveu um front principal. Abç

Carvalho
Carvalho
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Entendi perfeitamente a tua colocação anterior.
Concordo plenamente.

Henrique
Henrique
Reply to  Luciano
1 mês atrás

”Blast” pode ser traduzido como ”sopro”. Desde a Primeira Guerra que artilharia é quem mais mata. É assim em quase todas as guerras desde então.

rdx
rdx
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

A grosso modo, o obuseiro é uma arma de artilharia com cano raiado e com trajetória mais plana e maior precisão, ideal para tiros diretos (por exemplo: o nosso L118 pode ser usado como arma anticarro), Além disso, os obuseiros costumam possuir maior alcance….já o morteiro me ensinaram que ele servia para “bater terreno”, ou seja, realizar tiros indiretos sobre alvos inimigos. Em outras palavras, ele serve para atingir alvos protegidos de tiros diretos. (p.ex: trincheiras).

Last edited 1 mês atrás by rdx
rdx
rdx
Reply to  rdx
1 mês atrás

Outra vantagem do morteiro é a capacidade de disparar a curto alcance, tipo 1 km ou menos. Durante a guerra do Afeganistão os americanos usaram com sucesso morteiros 60 mm contra forças talibãs que tentavam penetrar em suas bases. Os disparos atingiam as proximidades da base para tentar atingir ou pelo menos dissuadir os agressores.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  rdx
1 mês atrás

Tiros de curto alcance e o mais importante com muita precisão.

Tomcat4,2
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Obrigado a todos pelas explicações !!!

Tomcat
Tomcat
1 mês atrás

Aproveitando o tópico, alguém sabe quantas peças de artilharia o EB tem atualmente?

Talisson
Talisson
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Ja li algo em ser 120 no modelo M114 155mm, tendo sido “desativadas” 6 peças na 3ª bateria do 13GAC ha pouco tempo. Ainda tem outros modelos que desconheço a quantidade, mas deve ser a mesma quantia de M101, uns 60 Light Gun e um pouco menos de Oto Melara. Fora os M108 e M109.

rdx
rdx
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

https://www.forte.jor.br/2018/04/30/janes-exercito-brasileiro-busca-obuseiros-rebocados/

“Obuseiros Autorrebocados: 200 M-101, 92 M-114, 36 Light Gun, 72 M-56 Oto Melara”

rdx
rdx
Reply to  rdx
1 mês atrás

Obuseiros Autopropulsados: 37 M109A3, 32 M109A5+BR e 56 M109A5.

Pedro
Pedro
1 mês atrás

Ótimo. Melhor munição 120 mm, do que 25 mil garrafas de vinho!

MCruel
MCruel
1 mês atrás

No Brasil, fornecimento de munição para as forças armadas vira notícia. Se ao menos fosse munição incomum (guiada ou com alcance anormal, por exemplo) eu até entenderia… daqui uns dias vamos ver notícia do recebimento de munição pro fuzil IA2.

Talisson
Talisson
Reply to  MCruel
1 mês atrás

Na midia especializada acho bastante natural que “pequenos” fatos sejam noticiados. Me admiraria ler isso na Zero Hora kkkk

MCruel
MCruel
Reply to  Talisson
1 mês atrás

Munição comum não é fato “pequeno”, é fato ordinário. Assim deve ser tratado inclusive pela mídia especializada. Quando você abastece seu carro, não vira notícia na família, por mais especializada que sua cunhada seja em fazer fofocas, agora, troque de carro pra ver!! ahahah
Saudações amigo, leve na esportiva!

Talisson
Talisson
Reply to  MCruel
1 mês atrás

Olha, tenho que concordar kkk

Augusto Motta
Augusto Motta
Reply to  MCruel
1 mês atrás

Não tem outra coisa, amigo, as novidades são essas, ainda mais pra IMBEL que produz muito pouco, ou quase nada, entregar munição de morteiro é um grande feito! Provavelmente o próximo lote só ficará pronto em 2030. Se vc for comprar uma pistola Imbel, pode demorar 1 ano pra entregar, no padrão Imbel, semi-acabada, vc tem que levar pra um armeiro terminar ela. A SIG vai se queimar com essa parceria com a Imbel, eles não conhecem os funcionários públicos brasileiro e o ranço das estatais.

Satyricon
Satyricon
1 mês atrás

Off-topic: alguém tem notícias dos M-198 que o EB estava interessado?
Falta só uma semana pro cara sair…

Talisson
Talisson
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Li por aqui nos comentários que o EB inspecionou as peças disponíveis e desistiu de recebê-las, talvez por estarem muito surradas. Talvez tenha sido uma manobra do EB pra tentiar o M777 (sonho meu).

Satyricon
Satyricon
Reply to  Talisson
1 mês atrás

Dificil crer que estariam mais surrados que as peças do EB da época da guerra da Koreia…

Naamã
Naamã
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Aposentar as peças velhas é bom,mas tampão aqui é permanente.

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Ainda não entendi o porquê da Imbel não fabricar as armas de tubo desenvolvidas pelo EB via CTEX/IME como a ALAC, Mort. 120/80/60 mm etc.
Ou seja, elefante branco e inepto!
Ao menos as munições e sistemas eletrônicos e de comunicações eles sabem fazer, porque o que o EB realmente precisa como canhões, metralhadoras, fuzis de infantaria e sniper, espingardas etc etc etc etc, esquece!

Augusto Motta
Augusto Motta
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

É Estatal, meu caro, tudo devagar quase parando, foi feita pra dar prejuízo e consumir recursos do tesouro e servir de cabide de empregos, a direção tem de lidar o tempo todo com plano de cargos e salários, gratificações extra-teto, viagens, cursos, palestras, concurso público para apertar parafuso, tudo na mais completa contramão do mundo ocidental. Imbel é uma aberração.

Last edited 1 mês atrás by Augusto Motta
Flanker
Flanker
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Como assim? Os morteiros e suas munições são fabricados no Brasil.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Caro Flanker! As munições são fabricadas na Imbel e os tubos e partes no Parques de manutenção do EB. Ou seja, não há uma integração fabril na Imbel, que para mim deveria ser o “braço fabril” das pesquisas feitas nos centros de P&D do EB. A Imbel deveria ser como a IWI, Oeriklon etc por exemplo. Muito mal ele fez essa aberração denominado IA2 e o AGLC. Sou completamente contra privatizações,as no caso da Imbel armas, acho que ou deveriam privatiza-lá para algum empresário nacional (capital 100% nacional) ou então aposentar velhos generais e oficiais de alta parente que estão… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Pessoal , desculpem-me o off topic
O MBT Altay turco com motor autóctone já tem data para estrear e achei importantíssimo apresentar-lhes esta informação https://www.youtube.com/watch?v=ftIupdNL4mI

ScudB
ScudB
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

O mais correto seria dizer que “ainda não tem a data” pois este tal motor autóctone Batu (que BMC faz com Fiat) nem existe como protótipo de teste.
Quase 10 anos de desenvolvimento (já com as soluções coreanas prontas) , 4(!) unidades construídas , 500 milhões de dólares torrados e mesmo como versão castrada do K2 este projeto não tem a data para ser finalizado.
Piada…
Off-topic finalizei principalmente por ser de baixa importância no momento.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  ScudB
1 mês atrás

Você não sabe de nada!

Henrique
Henrique
1 mês atrás

”O Morteiro Pesado 120mm Raiado é um armamento desenvolvido…” Pera aí! Isso é uma cópia do MO-120 RT! https://en.wikipedia.org/wiki/Mortier_120mm_Ray%C3%A9_Tract%C3%A9_Mod%C3%A8le_F1

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Henrique
1 mês atrás
Henrique
Henrique
1 mês atrás

O EB não pensa em usar munição insensível igual a OTAN? Composição B não é mais potente que TNT? Lá na OTAN eles usam explosivos a base de PBX pra tornar a munição insensível.

Henrique
Henrique
1 mês atrás

Os FAL dos elementos na foto tem um cano mais curto do que os originais… talvez seja aqueles daquele projeto que modificava e ”reformava” os fuzis FAL para o padrão PARAFAL.

willhorv
willhorv
1 mês atrás

Fico me perguntando quantas foram entregues em um caminhãozinho destes aí, com cada palete com 15 munições…
Acho que serve só para treinamento pontual a poucas salvas….
Que coisa hein!!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  willhorv
1 mês atrás

Serve só para publicidade.
Para tentarem justificar a existência desta empresa que não se justifica da forma como é hoje!

EParro
EParro
1 mês atrás

Encontrei isso sobre o contrato 121/2018-COLOG/DABAST. “…A entrega da munição atende o contrato nº 121/2018-COLOG/DABAST, que totaliza 11 toneladas de suprimentos…” (o sublinhado é meu). “…O material, produzido pela Fábrica de Juiz de Fora (FJF), apesar das restrições impostas pela pandemia da COVID-19, foi entregue no último dia 28 de setembro…”. “…A FJF é a principal fabricante de munições pesadas para a Força Terrestre e integra o Sistema de Ciência e Tecnologia do Exército e a referida atividade é o coroamento de um processo produtivo caracterizado pela excelência do serviço prestado e pela qualidade do produto fornecido, marcas registradas da… Read more »

Guerras Modernas

Armênia, Azerbaijão e Rússia fecham um acordo para acabar com o conflito de Nagorno-Karabakh

YEREVAN/BAKU (ARMENIA/AZERBAIJÃO) — Armênia, Azerbaijão e Rússia disseram que assinaram um acordo para encerrar o conflito militar na região...
- Advertisement -
- Advertisement -