segunda-feira, agosto 2, 2021

Saab RBS 70NG

Rússia e Arábia Saudita assinam acordo para implantação de fábrica de fuzis Kalashnikov

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Rússia assinou um acordo com a Arábia Saudita para implementar a primeira fase de produção conjunta de fuzis Kalashnikov.

“Quanto ao contrato para a implementação da primeira fase de criação de uma produção conjunta de fuzis Kalashnikov, foi assinado pelas partes e está passando por procedimentos de aprovação interestatal, após os quais entrará em vigor”, disse o Ministro da Indústria e Comércio da Rússia Denis Manturov disse durante uma entrevista ao jornal Kommersant no dia 20 de fevereiro.

Riyadh vai montar uma fábrica para realizar a produção licenciada de fuzis de assalto AK-103, de acordo com reportagens anteriores.

O ministro está em Abu Dhabi, nos EAU. para participar da exposição IDEX-2021 que ocorre de 21 a 25 de fevereiro.

Durante a edição anterior da IDEX, o CEO da Rostec, Sergey Chemezov, declarou: “Os sauditas querem produzir internamente uma grande parte dos fuzis – cerca de 90% – enquanto gostaríamos de ver menos do que isso.”

A Saudi Arabian Military Industries (SAMI) tem uma meta ambiciosa de produzir 50% dos equipamentos de defesa até 2030. As parcerias com a Rússia neste campo incluem a transferência de tecnologia para a produção local do sistema de mísseis S-400, sistema Kornet-EM, TOS-1A (um lançador múltiplo de foguetes soviético de 220 mm, 30 ou 24 e arma termobárica montada em um chassi de tanque T-72), lançador de granadas automático AGS-30 e fuzis Kalashnikov AK-103. Um Memorando de Entendimento relativo a isso foi assinado em outubro de 2017.

O diretor geral da Rosoboronexport, Alexander Mikheev, revelou há dois anos que vários países da África, Oriente Médio e Sudeste Asiático buscavam fabricar fuzis AK com a Rússia.

- Advertisement -

70 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
70 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Adaime
João Adaime
5 meses atrás

Mas e o embargo norte-americano à Rússia? Pode isso Arnaldo?

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  João Adaime
5 meses atrás

Os EUA não tem a mesma voz que tinha a 15 anos atrás. Aos poucos os países estão ficando mais independentes e os EUA vão ter que aprender a lidar com isso. A forma como os EUA interfere nessas questões militares só faz os outros países procurarem fabricar ou comprar da concorrência.

Agressor's
Agressor's
Reply to  DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

Comprar influência, controlar governos e promover golpes de estado também demanda muitos recursos…

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

Comentário preciso e cirúrgico, como um Reaper lançando Hellfires contra barbudinhos de chinelos e AKs.

Matheus Augusto
Matheus Augusto
Reply to  João Adaime
5 meses atrás

EUA não embargam quem é importante pra eles.

É bom notícias assim por que acaba com essas falácia de que equipamento Russo é ruim. Se os Sauditas que tem acesso ao que o ocidente tem de melhor, e tem tutu pra rasgar, compram da Rússia, é por que os equipamentos devem ser bons.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  João Adaime
5 meses atrás

Tem a Kalashnikov USA

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  João Adaime
5 meses atrás

Isso ai é café de segunda linha para as compras que AS faz, o império americano ainda será o maior fornecedor de material bélico para os sauditas.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  João Adaime
4 meses atrás

O Bidê tirou os Houthi da lista de terroristas, os Houthi continuam atacando a SA, os EUA estão correndo para se descarbonizar, a Rússia não gosta de extremista islâmico e manter a AS ao seu lado seria ótimo, além de serem a favor de passarem tecnologia para os sauditas, acho que os Sauditas veem com pessimismo o futuro de sua relação com os EUA.

Gabriel BR
Gabriel BR
5 meses atrás

Esse é só o inicio da resposta dos Árabes a traição dos EUA!
Essa fabrica tem uma simbologia inegável do ponto de vista politico…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gabriel BR
5 meses atrás

A traição dos EUA com o Mundo árabe é antiga e a influência dos americanos na região só sobrevive por conta do apoio de alguns governos monárquicos corruptos de lá.
Não que eu considere que essa fábrica vai mudar coisa, mas é um dos sinais do aumento da influência russa na região.

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Mas aqueles “governos monárquicos e corruptos” têm a mesma relação corrupta com Rússia (como o foi com a finada URSS) e o farão também com a China.

Nada de novo no front.

A grande diferença é que os russos têm mais condições geopolíticas de realmente apoiar os árabes, uma vez que não têm comprometimento com Israel, por exemplo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Tamandaré
5 meses atrás

Considere que o momento histórico mais importante daquela região foi regido pelo acordos entre os EUA e as monarquias árabes na base ‘petróleo por segurança’.
Ou seja, os árabes forneciam o petróleo e os EUA garantiam a segurança desses regimes corruptos.
E isso se mantém até hoje, visto que praticamente a única segurança que a Arábia Saudita tem contra o Irã são os EUA.
Agora que isso está começando a rachar, visto a perda de importância do petróleo daquela região por causa do aparecimento de novar regiões produtoras e fontes alternativas de energia.
Aguarde que teremos tempos ‘quentes’ naquela região.

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Prezado Antonio, essas alianças envolvendo “petróleo por segurança” foram costurados em que época? Porque o “problema Irã” surgiu em 1979, mas os EUA já costuram acordos no Oriente Médio desde antes da 2ª Guerra. No meu entender, o momento mais crítico da região foi exatamente até os anos 1970, quando ocorreram independências, traçados de fronteiras, formação de alianças regionais e o escambal. Eu gostei da vossa linha de raciocínio, mas discordo um pouco. Penso que na verdade uma parte dos árabes (Arábia Saudita, Emirados Árabes, Qatar, Kuwait, etc.) adotaram os EUA como ‘padrinho’ por um punhado de motivos: 1- Equipamentos… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Tamandaré
5 meses atrás

Prezado Tamandaré Esses acordos foram iniciados após o embargo de 1973, no Governo Nixon e sacramentado em 1976, nos seguintes termos, basicamente: A Arábia Saudita se comprometia a fornecer tanto petróleo para consumo dos EUA quanto precisassem (evitando embargos como o de 1973), manipulando sua produção de acordo com as necessidades americanas e só comercializar petróleo em dólares americanos para reinvestir em títulos do Tesouro estadunidense (o que foi excepcional para os americanos, um verdadeiro ‘negoção’) Em troca, os EUA garantiam a proteção do Reino saudita de países árabes rivais e demais inimigos e protegeriam os poços de petróleo do… Read more »

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Caro Antonio,

bom saber! Não tinha conhecimento ainda sobre esse acordo de 1973/1976. Grato pela informação!

Desejo-lhe uma boa noite! 🙂

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Tamandaré
5 meses atrás

Saudações!

Bruno
Bruno
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Antônio, fale sobre s corrupção do governo venezuelano, seus laços com o Narcotráfico.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bruno
5 meses atrás

Estou mais preocupados com o nosso Governo.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

queria ter nascido na Monarquia corrupta do Qatar, ia ficar indignado, mas não deixaria meu iphone banhado a ouro e nem meu Lamborghinni para enfrentar o governo

Gabriel BR
Gabriel BR
5 meses atrás

João Bidê realizando o meu grande sonho!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
5 meses atrás

Os americanos perdendo influência no Oriente Médio e a Rússia ocupando o espaço!

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Fabio Araujo
5 meses atrás

Sim, uma das primeiras coisas que o velho caquético fez foi cancelar a venda de armas à Árabia Saudita e para os Emirados Árabes.

Era óbvio que isso não iria desarmar eles e nem fazer parar a guerra, apenas vão pegar aqueles bilhões de dólares e darem para a Rússia e China. O Brasil também poderia aproveitar já que eles tem muito dinheiro para gastar, o problema é que não tem nada de muito avançado… acho que a única coisa que tem chance de vender é o AV-TM 300.

Last edited 5 meses atrás by SmokingSnake 🐍
André Macedo
André Macedo
Reply to  SmokingSnake 🐍
5 meses atrás

O próprio Trump já tinha suspendido o acordo de venda de armas com os sauditas, não viaja kkkkk

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  André Macedo
5 meses atrás

Errado!

Um representante do Departamento de Estado consultado pela AFP assegurou que Washington “suspende temporariamente a implementação de determinadas transferências e vendas atuais de equipamento de defesa americano” para “permitir que os novos governantes as reexaminem”, referindo-se ao governo do democrata Joe Biden, que assumiu o cargo em 20 de janeiro.”

27/01/2021 – Fonte: https://www.istoedinheiro.com.br/eua-suspendem-venda-de-armas-para-riade-e-cacas-f-35-para-emirados-diz-funcionario/

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  SmokingSnake 🐍
4 meses atrás

Pelo que sei eles pagaram consultoria brasileira para desenvolver um míssil de cruzeiro local.

PACRF
PACRF
Reply to  Fabio Araujo
5 meses atrás

A Rússia sempre teve influência no Oriente Médio, vendendo armas para a Síria, onde tem uma base aero-naval, para o Iraque e para a Jordânia, por exemplo. O Egito, embora seja na África, porém muito próximo ao Oriente Médio, também já foi ou é cliente de material bélico russo.

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  PACRF
5 meses atrás

Caro PACRF, o grande problema é que o apoio russo sempre se limitou a isso: reuniões, diplomacia, envio de equipamento (que até o surgimento do Su-27 eram consideravelmente limitados frente aos similares americanos/franceses/britânicos) e assessoria! A Rússia (então URSS) simplesmente não tinha como bancar uma campanha militar em socorro a um aliado – como o ocidente fez em 1991 quando Saddam invadiu o Kuwait – e isso significa muito mais que simplesmente receber armas. Diversos países até hoje pagam ou toleram diversas exigências americanas por necessitarem (ou apenas “desejarem”) bases e tropas do Tio Sam. Estamos falando de Coréia do… Read more »

IgorCav
IgorCav
Reply to  Fabio Araujo
5 meses atrás

Só olhar o mercado do S-300/400 ganhando força.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

Vai ter matéria da venda do veículo gladiador para a policia da Rondônia?

Talisson
Talisson
Reply to  DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

Bem lembrado, ainda mais por ser nacional. As supostas aquisições de blindados da PF e PRF também seriam interessante.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
5 meses atrás

O Egito tem seu peso geopolítico e militar, os eua podem até achar ruim e espernear mas perder um aliado como o Egito na região não seria algo inteligente.

O eua só usa seu CAATSA contra países fracos, grandes países como Índia e Turquia que têm sua importância, eles bufam ameaçam mas não passa disso.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Adriano Madureira
5 meses atrás

Juaum Bidê vai arrumar toda essa situação. Confia.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Welington S.
5 meses atrás

Essa semana alguns sites de notícias ligados aos democratas já falam em editorial que a “lua de mel” entre Biden e os americanos acabou de forma prematura.

Muita conversa, muito papo bonito, promessas, mas nada de concreto pronto pra encarar a briga que vem pela frente.

Xi Jinping deve estar sorrindo a toa…

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Adriano Madureira
5 meses atrás

Os egípcios já debandaram para o lado da China( que está financiando a nova capital) , Israel( em função da politica externa democrata) já está avaliando se aproximar ou mesmo se alinhar com a Rússia. Turquia ? Relações estremecidas ! União Europeia ? A Le Pen vem ai! América Latina ? Comprada pela China! Brasil? Apesar da ruptura dos acordos que davam status de aliado importante extra-OTAN e sofrer ameaças dos EUA em relação a Amazônia…o Brasil( A mando do atual Presidente) continua beijando os pés dos Yankes a troco de nada ! Biden tem que rezar para o Bolsonaro… Read more »

Carlos Alceu Gonzaga
Carlos Alceu Gonzaga
Reply to  Gabriel BR
5 meses atrás

Engano seu caro Gabriel. Egito compra da China e da Rússia aquilo que não consegue ou não pode pagar no Ocidente. Ex: Egito tornou-se o primeiro cliente de Mica NG.

100nick-Elã
100nick-Elã
5 meses atrás

Se a Arábia Saudita se aproximar muito da Rússia, aí sim vocês vão passar a enxergá-la como uma ditadura déspota, ignóbil, igual a Coreia do Norte, não é mesmo? Mas enquanto isso, a AS está aliada ao Ocidente e foi a principal protagonista para apoiar o Estado Islâmico e os ataques à Síria, então é uma ditadura light, não é? Por enquanto, a gente demoniza a CN. Digo a vocês: “democracia sem soberania, não vale nada”

Flanker
Flanker
Reply to  100nick-Elã
5 meses atrás

Mas, é exatamente o contrário! Até agora, vcs sempre criticaram os EUA por apoiar o regime monárquico-ditatorial Saudita. Entretanto, agora a AS está negociando com os russos grandes contratos de armas. E agora? Para se tem coerentes, vcs vão ter que criticar a Rússia por armar um regime ditatorial como o da AS. EUA vendendo, não pode? Rússia vendendo pode? Cadê a coerência?? Ora, vcs pensam que todo mundo é limitado ou tem as mesmas intenções que vocês??

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Flanker
4 meses atrás

Isso mesmo Flanker, o Xings fala da AS, mas no caso dos Uigures com suas próprias palavras disse que não liga para os direitos humanos desse povo.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  100nick-Elã
4 meses atrás

Democracia nos olhos dos outros é refresco.

Oráculo
Oráculo
5 meses atrás

Putin é um gênio geopolítico. Arrisco a dizer que é o maior “enxadrista” do poder nos tempos modernos. Agora com Biden na presidência americana, vai fazer a influência russa aumentar mais do que imaginavam ser capaz. No fim das contas somos privilegiados em viver nessa época. Nos próximos anos vamos presenciar uma mudança na geopolítica global tão grande quanto foi o mundo pós 2ª Guerra Mundial. China como maior potência global. Rússia recuperando um protagonismo que ninguém acreditava ser capaz. EUA enfraquecido por disputas internas e com um pateta no comando. Europa numa crise de identidade. Reino Unido sem saber… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

Modéstia à parte, eu já havia considerado isso há alguns bons anos.
hehehe

Fernando C. Vidoto
Fernando C. Vidoto
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

Pois é dependendo das ações dos EUA pode acontecer isso.

O fim dos EUA (como superpotência única) é quantos seus inimigos (China e Rússia) começam a entrar em seus mercados tradicionais.

Last edited 5 meses atrás by Fernando C. Vidoto
Tomcat4,2
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

Comentário irretocável ,o qual endosso !!!
Obs. há muitos que acreditam que no futuro a Índia tomará o primeiro lugar da China(como potência econômica) , e eu não duvido.

Luciano do Prado
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Baseado em algum crença pessoal, provavelmente, porque não existe nenhum número que indique isso atualmente. Mas pode acontecer algo de extraordinário nas próximas décadas que faça isso acontecer.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Luciano do Prado
4 meses atrás

nenhum número? existe indícios fortes que isso pode acontecer, e vai ser o pior cenário possível, duas superpotências uma do lado da outra tentando se estrangular de todas as formas para ocupar o lugar que os EUA já teve? cenário terrível.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Oráculo
4 meses atrás

anos atrás eu mesmo disse que a Rússia ia quebrar, que o Putin ia ter que sair, quebrei a cara bonito, hj reconhece o Putin como o maior estadista que Rússia já teve, e um dos melhores atores na geopolítica mundial de todos os tempos.

Gabriel BR
Gabriel BR
5 meses atrás

Meu comentário ficou retido , mas a Politica externa norte-americana está sendo desmontada e se os americanos não conseguirem um alinhamento da Índia e o malvado favorito de Washington aqui em Brasília perder a coisa fica feia .

Bardini
Bardini
5 meses atrás

“Um Memorando de Entendimento relativo a isso foi assinado em outubro de 2017.”
.
Pq é que tem tanta gente emocionada nos cometários?
É pq não leram nem a matéria e acham que isso aí tudo surgiu agora, do nada?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Talvez porque os sauditas tenham esperado um tempo só para confirmar as cag…. que o americanos fariam nos anos seguintes.
Fato confirmado, negócio fechado.

Bardini
Bardini
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Ah claro, deve ser isso mesmo. E quem assinou esse MOU foi o Sheik que jogou no Corinthians…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Foi não.
Esse é o verdadeiro das Arábias.
Tem muita. Muita grana.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Só faltou vc dizer que ele é ditatorial, como vc diz sempre que esse mesmo xeique negocia com os EUA….

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Ué, cadê suas críticas à AS por ter um regime ditatorial e tb aos EUA por vender armas à eles? Agora, que a Rússia está vendendo, o discurso mudou? Heheheh…hipocrisia 1000…coerência 0…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Não estou celebrando esse acordo, só comentando os fatos geopolíticos que se desenrolam.
A questão das armas em si, nem vejo tanta importância.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

Hãhãm…..até parece…….não seja hipócrita.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

Lugar que caberia uma fábrica da Kalashnikov era aqui…

Gelson
Gelson
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

Boa noite, Rodrigo! Também gostaria de ver este armamento produzido aqui. Sou fã da obra do Mikhail. Só que o Brasil deve ser o último lugar onde empresas desse ramo virão. Além da burocracia extrema do EB para homologar novos modelos de armas e dos absurdos impostos e taxas cobradas ainda tem o “apadrinhamento” daquela estatal, que além de produzir peças de museu recebe ajuda do governo para sobreviver. A outra, da iniciativa privada, por conta dessa legislação absurda está movendo as suas linhas de produção para fora do país pois assim foge da burocracia e dos impostos. Veja o… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

O EB, aceitar arma russa em território nacional? Esquece, aquele povo ainda vive nos anos 60…

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Willber Rodrigues
5 meses atrás

Qual a relação que tem ? A Taurus vai fazer o seu AK..

Quantas mais fábricas tivermos aqui maior a concorrência.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

Não vejo problema algum do Brasil ter uma fábrica da AK ( concorrência, como você mesmo disse ). Mas pergunta se o EB, aquele antro que ainda acha que estamos em plena Crise dos Mísseis em Cuba e que JFK ainda é presidente dos EUA, concordaria com isso…é capaz deles criarem todo tipo de burocracia inimaginável pra impedir isso.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Willber Rodrigues
5 meses atrás

Vocês misturam as coisas…

Uma fábrica de AKs no Brasil não significa que o exército terá que adotá-los.

Da mesma maneira que os melhores AKs de hoje são feitos nós EUA. A Kalashinikov tem uma fábrica lá e nem por isto os americanos irão adorar o AK.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

Que uma fábrica de AK’s não obrigaria o Exército a adota-la, isso eu sei.
Mas vamos dizer que o governo da Bahia, depois de estudos, veja que a melhor arma pra equipar suas forças policiais seja a AK-74…tú acha mesmo que o EB não ia mover os céus e terras pra “melar” isso?

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Willber Rodrigues
5 meses atrás

Não… Olha a diversidade de armas que as polícias tem adotado depois do fim do monopólio. Vai de FN, IWI, SIG etc Nem a IWI Negev da PMESP o EB negou O duro é alguém trocar um MCX Virtus, arma moderna e modular por um AK74 pé de boi com uma munição diferente do 556 padrão e ainda por cima inferior. Eu como CAC não vejo a hora de sair do Taurus AK( não sei que versão será)mas preferiria mil vezes um original da Izhmash.. Produtos russos que cairiam bem no Brasil em versão semi para o mercado civil. AKs… Read more »

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

O duro é alguém trocar um MCX Virtus, arma moderna e modular por um AK74 pé de boi com uma munição diferente do 556 padrão e ainda por cima inferior”.

Mas existe kalashnikov com munição 556mm…

É o AK-19 !
comment image

comment image
comment image

Gelson
Gelson
Reply to  Willber Rodrigues
5 meses atrás

Bom dia, Wilber!
Tu fostes bem generoso com o pessoal do EB. Anos 60…eu acho que ainda não chegaram lá…

IBIZ
IBIZ
5 meses atrás

Sei que esses acordos e contratos no meio militar tem muito interesse diplomático por trás, mas acho que há muitas opções melhores hoje em dia como o FN SCAR da Bélgica e o CZ BREN da Rep. Tcheca por exemplo. Um modelo de fuzil que acho impressionante não ter conquistado o mercado até hoje é o ACR da Remington/Magpul.

Joelson das Virgens de Almeida
Joelson das Virgens de Almeida
5 meses atrás

Não tem o protecionismo yankee, o comprador não vai se preocupar como usar o equipamento que adquiriu.

Paulo Costa
Paulo Costa
5 meses atrás

Dando mil gargalhadas dos caras brigando nos comentários pro-eua x pró -russos, fala serio, é geopolítica mas os caras parecem um bando de moleques de faculdades discutindo sobre clássicos do paulistão …
Quanto a matéria, os equipamentos militares russos são os melhores e todo mundo sabe disso, até os americanos e a Arábia Saudita só quer um backup caso o bide venha atrapalhar as vendas de armas para vender depois mais caro.
todo mundo sabe que o conglomerado de defesa ajudou na farsa porque queria ele como presidente para ter mais conflitos e assim vender mais armas

Last edited 5 meses atrás by Paulo Costa
Mustafah.kemal
Mustafah.kemal
5 meses atrás

A política externa que o novo governo democrata, chefiada por.Joe Biden, mais.parece com panfleto de Diretório acadêmico, falam.muito sobre meio.ambiente, direitos humanos, energia renovável, minorias, etc, e já assustou seus aliados tradicionais com o corte da venda de armas e apoio político, mas vivemos novos tempos, novos atores surgem (China) ou retornam renovados (Russia).prontos para assumirem o vácuo.
Quanto as FF.AA adotarem algo como o AK103, esqueçam, nosso generalato tem fixação em comprar sucata usada alemã e se recusa a olhar material de qualidade, provado em batalha e baixo preço e isso já a um século

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -