domingo, abril 11, 2021

Saab RBS 70NG

Tropa paraquedista retorna ao Brasil após exercício nos EUA

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Rio de Janeiro (RJ) – No dia 22 de fevereiro, foi realizada no Campo do 26º Batalhão de Infantaria Pará-quedista (Btl Inf Pqdt) uma formatura para marcar a recepção e a desmobilização dos militares participantes do Exercício Culminating. Iniciada no dia 3 de janeiro no Centro de Prontidão e Treinamento Conjunto em Fort Polk, nos Estados Unidos da América, a ação foi parte de um intercâmbio entre os dois países e finaliza o Plano Conjunto de atividades realizadas ao longo de cinco anos.

A Subunidade (SU) Culminating chegou ao Brasil na manhã da segunda-feira, 22, ao desembarcar na Base Aérea do Galeão. No local, a tropa foi recebida pelo Comandante da Brigada de Infantaria Pára-quedista (Bda Inf Pqdt), General de Brigada Helder de Freitas Braga, pelo Chefe do Centro de Coordenação de Operações Logísticas, General de Brigada Himario Brandão Trinas, e demais autoridades. Na ocasião da formatura, o General Helder dirigiu-se à tropa parabenizando-a pelo êxito obtido.

“Meu sentimento é de orgulho de tudo aquilo que os senhores fizeram. Cumpriram exatamente aquilo que desejávamos e sonhávamos. Os méritos são dos senhores. Não podemos deixar de lembrar que esse esforço só foi possível graças a uma estrutura de todo o Exército Brasileiro. E tenham humildade! Usem essa experiência para transmitir aos outros o que aprenderam”, disse o General.

Culminating
O Exercício Culminating teve a participação de uma subunidade paraquedista enquadrada em um Batalhão de uma Brigada da 82ª Airbone Division do Exército dos EUA. A Força-Tarefa (FT), aprestada para emprego em operações aeroterrestres, utilizou-se de equipamentos e armamentos individuais e coletivos de última geração: canhões sem recuo 84 mm; morteiros 60 e 81 mm; metralhadoras leves; equipamentos de visão noturna; miras laser; lunetas ópticas; GPS; meios de comunicações diversos; e paraquedas MC-1. A FT nível subunidade foi composta por 172 paraquedistas.

No Brasil, o exercício foi dividido em cinco fases. Na primeira e na segunda fases, a SU, originada da Brigada de Infantaria Pára-quedista, participou do assalto aeroterrestre e cumpriu as missões de conquista e manutenção de cabeça de ponte aérea. Na terceira e quarta fases, foram praticadas a infiltração aeromóvel e a ocupação e estabilização da área urbana de São José do Barreiro, interior de São Paulo. Na quinta fase, realizou-se o Live Fire.

Nos Estados Unidos, as atividades tiveram início com a readaptação dos paraquedistas às técnicas aeroterrestres americanas, finalizadas com o salto, no dia 20 de janeiro, da aeronave militar americana C-130 e paraquedas T-11. Seguindo a preparação, os motoristas da subunidade tiveram instruções teóricas e práticas com as viaturas americanas HUMVEE e LMTV, a fim de as utilizarem durante o exercício.

Continuando as atividades previstas, após a chegada do 1-505 PIR, Batalhão Americano da 3ª Brigade Combate Team/82ª Airbone Division, iniciaram-se as atividades de recebimento de ordens, planejamentos, emissão das ordens, ensaios e inspeções pré-combate.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

11 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Beto
Beto
1 mês atrás

Força de elite. Orgulho desta tropa.
Poderia ter um contingente maior.

Last edited 1 mês atrás by Beto
Agressor's
Agressor's
1 mês atrás

O Maduro que se cuide…aqui onde eu vivo é navio de guerra e avião de combate pra tudo que é lado realizando estes “exercícios”…só num dia observei 5 navios de guerra ancorados e enfileirados no porto da marinha, coisa que nunca tinha visto até hoje por aqui….

Last edited 1 mês atrás by Agressor's
Mgtow
Mgtow
Reply to  Agressor's
1 mês atrás

Porque que vcs lacaios querem tanto que o Brasil entre numa guerra com um pais que nunca nos fez nada, por interesses dos EUA? Vcs querem que o Brasil seja uma especie de proxy dos EUA igual as proxy iraniana que atuam no Oriente Médio? Eu queria entender como funciona a mente do lacaio padrão tupiniquim que quer porque quer o Brasil numa guerra para defender interesses dos outros. Vc são uma vergonha. ainda bate no peito dizendo que é patriota. Cê é loko

Teropode
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Ele tentou ser irônico 🤣🤣🤣, o cara é canhoto , nunca iria deseja uma guerra contra a próspera Venezuela , acalme -se 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

Agressor's
Agressor's
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Não me oponho contra a derrubada destes regimes canhotos desde que sejam nos mesmos moldes de como fizeram por aqui…

Sagaz
Sagaz
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Existe um câncer na América do Sul, se ele está contido aquele país tudo bem, mas vale lembrar que virou reduto do hesbolah, Irã, China, Rússia, narcotraficantes, FARC, …

Na minha opinião nada é melhor do que exemplo, enquanto aquele lugar permanecer daquele jeito com determinados políticos de determinados partidos daqui batendo palma, tudo bem, mas preocupa ter um vizinho problema, ninguém quer ter.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Vc não sabe bulhufas nenhuma do que escreveu aí. Larga a mãode ser papagaio repetidor de mentiras dos Terça Livre da vida. Teu tipo de fonte é tão confiavel que os donos dos canais e blogs que espalham essas mentiras tão tudo foragidos da justiça.

Bille
Bille
1 mês atrás

Alguém já tem algum debriefing desse treinamento?

Velame
Velame
1 mês atrás

“Se mais um Paraquedista e orgulha te de ti mesmo”
Parabéns a todos os audazes! Mostraram do que somos feitos!

Salim
Salim
1 mês atrás

Parabens brigada paraquedista por representarem nosso pais, espero que multipliquem resultados operacionais em nossas forças.

Yluss
Yluss
1 mês atrás

Muito legal o exercício e a oportunidade de estreitar os vínculos, mas sério que a própria agencia de comunicação do Exército escreveu errado “Airbone” Division ao invés de “Airborne”?

Guerras Modernas

O gigantesco número de helicópteros dos EUA perdidos na Guerra do Vietnã

Durante a Guerra do Vietnã, milhares de aeronaves dos EUA foram perdidas para a artilharia antiaérea (AAA), mísseis superfície-ar...
- Advertisement -
- Advertisement -