domingo, outubro 17, 2021

Saab RBS 70NG

1ª Brigada de Infantaria de Selva realiza apronto operacional de força de prontidão

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Boa Vista (RR) – A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl) realizou o apronto operacional de sua Força de Prontidão (FORPRON) nas cidades de Boa Vista, Manaus e Humaitá (AM), no dia 14 de abril.

Destinada a atender às hipóteses de emprego em território nacional ou em situações de defesa externa, a FORPRON da 1ª Bda Inf Sl possui tropas de suas organizações militares diretamente subordinadas.

A 1ª Bda Inf Sl, de acordo com o Plano Estratégico do Exército 2020/2023, é uma das forças de emprego prioritário e tem por missão atuar com rapidez nas ações de defesa externa e garantia de lei e da ordem, constituindo-se como uma tropa adestrada e preparada para situações de pronto acionamento.

Para a realização das atividades foram adotadas todas as medidas de prevenção contra covid-19 preconizadas pelo Ministério da Saúde.

 

DCIM914MEDIADJI_0665.JPG

 

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

154 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
154 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Talisson
Talisson
5 meses atrás

Será que a ideia do EB é dotar essas Bga de Selva com o IA2 7,62?

Teropode
Reply to  Talisson
5 meses atrás

E se concretizar a substituição , vão usar a versão 7.6mm , mais adequada para ambientes cheios de pequenos obstáculos .

rdx
rdx
Reply to  Talisson
5 meses atrás

Trocar FAL pelo FAL “IA2”?

A infantaria de selva merecia um bom fuzil 7,62 mm. FN SCAR ou HK417.

A propósito: recentemente os indianos escolheram o FN SCAR 7,62 mm para suas tropas de selva. Motivo? é o fuzil mais confiável do mundo e no calibre ideal para combates na selva.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  rdx
5 meses atrás

Eles não estão usando o SIG716 ?

rdx
rdx
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

Sim. SIG 716 7,62 mm para batalhões localizados na fronteira com o Paquistão e um pequeno lote de FN SCAR 7,62 mm para batalhões de Forças Especiais que atuam em regiões de selva.

Na verdade, as forças especiais indianas pretendem utilizar uma combinação de FN SCAR-H 7,62 mm e fuzil 5,56 mm (FN SCAR-L ou HK416).

Last edited 5 meses atrás by rdx
Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  rdx
5 meses atrás

Que besteiról. “É o fuzil mais confiável do mundo”. Então tudo que não é o “fuzil mais confiável do mundo” não serve para o que é proposto? “E no calibre ideal”. O calibre é exatamente o mesmo do IA2 7,62. Tenho vários conhecidos militares que elogiam o IA2. É o melhor fuzil do mundo? Não. É o mais barato? Não. Mas é o que tem para a missão proposta, com fabricação nacional. Acho engraçado civil querer ficar menosprezando o fuzil brasileiro com base em rankings top 10 da internet.

rdx
rdx
Reply to  Felipe Morais
5 meses atrás

Bla, bla, bla.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Felipe Morais
5 meses atrás

Tem fuzil mais barato e beem melhor que ele por ai. ele nunca valeu um centavo do que foi investido nele porque tem empresa literalmente “de fundo de quintal” nos EUA que fazem fuzis melhores usando a plataforma AR… Mas não jogaram milhões pra fazer mais do mesmo e de forma medíocre. é claro que militares vão ficar babando nele. o auto escalão que empurrou ele goela a baixo e o soldado vai ficar feliz em ter algo mais leve que faz a mesma coisa que seu antecessor, afinal ele vai ta levando menos peso. Mas o IA2 não é… Read more »

JClaudio
JClaudio
Reply to  Victor Filipe
5 meses atrás

PERFEITO VICTOR! Mas aqui se você critica é comunista. Nossas forças militares não amadurecem porque não suportam críticas, “não aprendem nada e não esquecem nada”. Temos os melhores combatentes de selva (nunca testados em combate); os melhores pilotos de caça (que nunca caçaram de verdade), etc. Sejamos realistas.

rdx
rdx
Reply to  JClaudio
5 meses atrás

Exatamente. A militância deveria tomar vergonha na cara. O EB torrou uma fortuna do dinheiro do contribuinte e 30 anos para desenvolver uma versão 5,56 mm de um fuzil da década de 50. O resultado como esperado é um lixo de produto, que ao contrário que eles pregam, não trouxe nenhuma evolução. Basta dizer que o IA-2 7,62 mm é um FAL com pequenas mudanças estéticas. O militante lá cima deixou bem claro a mentalidade que prevalece: “É o melhor fuzil do mundo? Não. É o mais barato? Não. Mas é o que tem para a missão proposta, com fabricação… Read more »

Last edited 5 meses atrás by rdx
Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  rdx
5 meses atrás

Militante cara? Sério? Daqui sou um dos poucos que não fico nessa besteirada política. Para o outro colega aí em cima, que opinou sobre o assunto, eu falei algo de comunista? Comentei lá embaixo, em relação ao sub urbano, pq ele conhecidamente é um dos russófilos/sinófilos da trilogia. Agora me diz aí,pq esse trecho do meu comentário me caracteriza como militante? Não é o melhor fuzil mesmo. E não é o mais barato. Mas é o que foi desenvolvido nacionalmente, que gerou conhecimento, empregos, arrecadação e a possibilidade de rápida fabricação no caso de um esforço total de guerra. Fatores… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Felipe Morais
5 meses atrás

Militante no sentido ufanista e não no ideológico. Eu sou um dos maiores defensores da Indústria de defesa nacional, mas existem limites. Não posso aceitar a estupidez que é o projeto IA-2. Até grandes potências industriais as vezes se rendem a produtos importados ou fabricados sob licença. Os franceses com o HK-416 e o USMC com o M27 são exemplos. Por que o EB não pode fabricar um bom fuzil sob licença?

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Victor Filipe
5 meses atrás

Mas é o que tem pra hoje e que cumpre a missão. E ponto final.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Felipe Morais
5 meses atrás

Eu não duvido que se a parceria IMBEL e SIG for bem sucedida o EB não venha a adotar os fuzis da SIG.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

Eu tbm não duvido, não que eu concorde. Se o plano é dotar as forças com o IA2, que assim continue, mantendo a padronização do emprego e das manutenções. Querem comprar algo diferente e mais efetivo, que seja para as tropas especiais e, quem sabe, FN, como já costuma acontecer.

Teropode
Reply to  Felipe Morais
5 meses atrás

O importante é tentar lacrar , só faltou ele sugerir a contratação de combatentes Indianos ou Filipinos para equipar os batalhões de selva .

Welington S.
Welington S.
Reply to  rdx
5 meses atrás

A Índia também fez um pequeno pedido de Fuzis T4 para testes. ”Além da megalicitação emergencial de 93.895 fuzis/carabinas CQB divulgada no dia 10 de fevereiro, recentemente a Índia solicitou 10 unidades do Fuzil T4 para submetê-los a testes, haja vista que pretende fazer, em data ainda não definida, uma megalicitação ainda maior, que poderá variar entre 350.000 e 500.000 fuzis/carabinas CQB para suas unidades de Infantaria, especialmente as que atuam nas regiões de fronteira, onde há a possibilidade de serem travados combates aproximados. Como comprovou a licitação para o Exército Filipino, vencida recentemente pelo Fuzil T4, a Taurus tem… Read more »

Henrique
Henrique
5 meses atrás

Ainda se usa o coturno preto. Isso brilha igual estrela nos NVG além de dar trabalho pra lustrar. E esse sinto/suspensório? O equipamento individual parou nos anos 80. Esse capacete sem cobertura molhado brilha igual bola de golfe, será que o EB não poderia adquirir cobertura pros capacetes?

Marcos Donisete
Marcos Donisete
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Parou nos anos 70, isso sim! Não sei se o sentimento é de vergonha ou desilusão. Aí ainda tem bravata do tipo: os melhores guerreiros de selva do mundo… difícil de acreditar.

Pablo
Pablo
Reply to  Marcos Donisete
5 meses atrás

Se ter melhor equipamento significasse vitoria certa, a Russia nao tinha apanhado dos afegãos por exemplo!!
Se o CIGS nao fosse reconhecido, o resto do mundo nao mandava seus soldados pra treinar aqui!!

Pablo
Pablo
Reply to  Pablo
5 meses atrás
Pablo
Pablo
Reply to  Pablo
5 meses atrás
Guacamole
Guacamole
Reply to  Pablo
5 meses atrás

Mas eles não lutam como um exército protegendo uma nação mas sim em pequenas células com pouca hierarquia protegendo seus interesses locais.

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Pablo
5 meses atrás

O CIGS é um centro de instrução e desenvolvimento da nossa doutrina de guerra na selva. Não é uma OM operacional.

Pablo
Pablo
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

O cara falou que duvida que aqui tenha os melhores guerreiros de selva do mundo, onde eles sao formados????

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Pablo
5 meses atrás

O CIGS forma instrutores e líderes de frações (COS B e C). O combatente de fato, a tropa, é formada nas OM.

O pessoal formado no CIGS está entre os melhores do mundo, ali não deixa a desejar em nada em comparação com qualquer um. Já a tropa varia, algumas OM ótimas, outras deficientes (focando mais em GLO do que operações de combate em selva, por exemplo). Isso sem contar a deficiência material (tipo BIS sem morteiro 81mm).

Bardini
Bardini
Reply to  Pablo
5 meses atrás

Podemos até ter o melhor centro de instrução de combate em ambiente amazônico, que é um fator regional… Não temos os melhores guerreiros de selva do mundo, pelo simples fato de que isso não pode ser mensurado em um contexto mundial. Ou pode??? . Falar em CIGS isso, CIGS aquilo, propagandeando encima disso que somos os melhores do mundo nisso e naquilo e etc, é puro blábláblá sem fundamento prático… . E mais: o que desqualifica os colombianos, por exemplo, como melhores combatentes em ambiente amazônico, por exemplo? O que desqualifica os demais militares da região, os franceses e os… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Bardini
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Bardini
5 meses atrás

So para completar Bardini:

Nossa experiência em combate na selva é ínfima.

Pablo
Pablo
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Nao existe exemplos de exercitos sem experiecia em determinados terrenos que foram vitoriosos??

Augusto Motta
Augusto Motta
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Bardini, vc foi PERFEITO!!!! Sempre falei isso aqui, pessoal enche a boca, tudo que é nosso é o Melhor do Mundo!!!! Os Melhores soldados do Mundo!!!!! Quem mediu???? Quais competições internacionais foram vencidas pelo Brasil???? Para ser o melhor do mundo tem que competir com outros e vencer!!!! O que não falta no mundo são tropas especializadas em guerra na selva, por que eles seriam inferiores a nós? Os SEAL, pelo que sei, treinam regularmente na Guiana francesa, quem garante que eles são menos que os CIGS? Sem participar de competições internacionais com outras tropas é difícil mensurar só com… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Augusto Motta
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Augusto Motta
5 meses atrás

E competições não servem para provar nada.

O melhor combatente de selva é aquele que combateu o melhor possível frente a um inimigo formidável.

Para mim esses foram os Chindits na Campanha da Birmânia da Segunda Guerra Mundial.

rdx
rdx
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

O pessoal confunde sobrevivência na selva amazônica com guerra na selva. É aquilo, contaram uma mentira 1000 x e ela se tornou realidade…que o EB possui os melhores guerreiros de selva do mundo. São os guerreiros que nunca viram uma guerra.

Velame
Velame
Reply to  rdx
5 meses atrás

Vocês não entendem o espírito das tropas especiais. Ninguem vai criar um centro de formação de operadores de guerra na selva e dizer que la são formados os piores do mundo, faz parte da mística do sentimento de pertencimento de fazer aquele militar acreditar que ele é melhor do que o inimigo. Vai no BOPE e pergunta quem são os melhores do mundo no combate urbano? Vai em um destacamento Navy SEAL e pergunta a mesma coisa, vem aqui na Brigada e pergunta quem é a melhor tropa Aet do mundo? isso faz parte! Como você nunca fez parte de… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Velame
5 meses atrás

Isso sabemos, o problema é quando os de fora compram essa propaganda e realmente acreditam e vem comentar aqui.

rdx
rdx
Reply to  Velame
5 meses atrás

Nunca fiz parte de nada? Inocente. Essa fanfarronice é bem típica de vocês.

Velame
Velame
Reply to  rdx
5 meses atrás

Não. Nunca fez. Nao vem pagar mistério pra quem conhece. É nítido nos seus comentários que nunca colocou essa carcaça pra ralar.

rdx
rdx
Reply to  Velame
5 meses atrás

Conhece o quê, criatura? Você não tem noção da asneira que está proferindo. Deixa de ser presunçoso.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Augusto Motta
5 meses atrás

Aqui até o cocô do cavalo do bandido é maior e mais cheiroso do mundo.

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Tem umas histórias de situações durante a operação desencadeada pelo ataque ao PF do Rio Traíra que desmentem essa afirmação categórica.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Mazzeo
5 meses atrás

Contra pés de chinelo do Bloco oriental das FARC foi mamãozinho.

Unidades de elite das FARC como a Coluna Arturo Ruiz comeriam vivos qualquer tropa do EB na selva que não fosse no mínimo Comandos.

Pablo
Pablo
Reply to  sub urbano
5 meses atrás

Contra pés de chinelo? Tu ja foi la e matou todo mundo de certo ne rambo? Ou bradock?

Oráculo
Oráculo
Reply to  sub urbano
5 meses atrás

Aquelas Colunas que foram varridas do mapa pelas Forças Especiais colombianas?

Aliás depois que as F.E . Colombianas foram armadas e treinadas pelos Boinas Verdes, TODOS os líderes de Colunas e Frentes do Bloco Ocidental das FARC foram mortos em combate ou capturados.

Mas essa parte os fãs dos narcoterroristas fazem questão de esquecer….

Pablo
Pablo
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Eu disse que o CIGS é reconhecido e por isso muitos países manda militares pra cá.

Last edited 5 meses atrás by Pablo
Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Pablo
5 meses atrás

Mr Pablo. Desde a antiguidade. Quem não apanhou dos afegãos ? Tem uma super potência e sua turma saindo de lá sem ter cumprido a missão.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Eram estes que iram fazer os EUA desistirem de tomar a Amazônia na operação pólvora kkkkkkkkkkkkk

Pablo
Pablo
Reply to  Defensor da liberdade
5 meses atrás

Vira latimos assim e vergonhoso.

Teropode
Reply to  Defensor da liberdade
5 meses atrás

Uma fala desastrosa não justifica outras igualmente infelizes !

Flanker
Flanker
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Quando o coturno preto estiver em uma situação de ser visto por um NVG, é pq está em situação de combate e, nesse caso, a única coisa que ele não vai estar é limpo e ninguém vai estar se preocupando ou cobrando isso. Coturno preto e brilhante é para o dia a dia dentro do quartel.
Cobertura do capacete tipo essa:

IMG-20210421-WA0003.jpg
Flanker
Flanker
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Ou essa?

IMG-20210421-WA0002.jpg
Henrique
Henrique
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Isso. Nos últimos anos não tenho visto mais ser usada.

Flanker
Flanker
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Não é pq vc não viu que elas não existam e não sejam usadas.

Henrique
Henrique
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Então por que não são mais vistas há mais de dois anos? Todas fotos oficiais de dois anos pra cá estão ausentes.

Flanker
Flanker
Reply to  Henrique
5 meses atrás

E tu acha que o as fotos oficiais são tudo que o EB tem? Por favor……

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Flanker
5 meses atrás

De fato a afirmativa e verdadeira, já faz alguns anos que o EB abandonou as coifas camufladas (e o nome da cobertura de pano camuflado do capacete), e o motivo ate hoje ninguém consegue uma explicação digna. Alguns afirmavam que isso se devia ao fato de que um novo padrão de capacete seria adotado e o mesmo sairia de fabrica já com um tecido camuflado costurado em toda sua área externa; contudo, atualmente o exercito tambem abandonou esse projeto e começou a aquisição em massa de novos modelos do tipo “half cut” (muito visto em tropas de ações comandos, mas… Read more »

Pablo
Pablo
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Tu e teus amigos vão visitar os quarteis pra afirmarem que não tem os equipamentos???

luiz jorge
luiz jorge
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Que capacete?

Teropode
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Cara , num conflito real o brilho some 20 segundos depois que a tropa apear do transporte , no coturno vc observa conforto , resistência e proteção contra meios externos , no capacete é a mesma observação , a diferença está na camuflagem , ele tem que fornecer também a disrupção por causa dos atiradores , mas certamente isto será cuidado no tempo oportuno .

Teropode
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Aliás , pela natureza da região é necessário que exista esta distância da barra da calça do solo , além do uso esporádico de perneiras , os para-militsres e as farcs usam para proteção contra espinhos e cobras reduzindo muito o risco de acidentes . Só indico perneiras de fácil remoção ou de material que não encharca .

Last edited 5 meses atrás by Teropode
Welington S.
Welington S.
Reply to  Henrique
5 meses atrás

O capacete é desconfortável demais! Além do suspensório e coturno, temos também, a questão do fardamento. O novo fardamento apresentado ao EB ainda está em fase de teste. Foram entregues, se não me engano, 500 unidades do novo fardamento com a possibilidade de mais unidades serem entregues para testes. Além disso, temos também, a questão da mochila. Essa mochila é horrível. O EB precisa de uma repaginada no quesito pessoal. É inadmissível o EB querer ter equipamentos de ponta, sem antes dar um ar de modernidade ao pessoal. O exército argentino chega dar de 10 à 0 pro EB. Primeira… Read more »

Augusto Motta
Augusto Motta
Reply to  Welington S.
5 meses atrás

Sem falar que devem parar de empunhar o fuzil pelo carregador, os caras parecem que estão aprendendo isso nos quarteis, o novo comandante tem que banir isso, quem for pego empunhando pelo carregador tem que ser preso.

Henrique
Henrique
Reply to  Augusto Motta
5 meses atrás

Segurar no carregador pode causar falhas de alimentação e danificar o carregador. Não é por nada que o FAL tem esse guarda mão longo, é pra segurar lá na frente.

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Em uma pesquisa feita em 2020 com 99 militares da ativa (02 Coronéis, 03 majores 62 Capitães, 5 Tenentes e 27 Sargentos) que serviram ou serviam no CMA e CMN nos 3 anos anteriores, foi perguntando se acreditavam que suas tropas estivessem devidamente adestradas para perações convencionais (Ofensivas e Defensivas) em ambiente de selva. A resposta deveria ser dada em notas de 1 a 5, onde cada cada nota representava um percentual de adestramento, onde 1 significa estar até 20% adestrada e 5 significa estar 100% adestrada. O autor considerou que para a tropa ser considerada devidamenteadestrada o nível de… Read more »

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Perguntados como estaria o Adestramento da tropa para as Operações Operações de Apoio a Órgãos Governamentais (GLO,
Operações de Cooperação e Coordenação com as Agências, Operações de Faixa de
Fronteira e etc) e tendo como padrão de resposta o mesmo da pergunta anterior, 71,7% dos entrevistados indicaram que as tropas estão em condições de serem empregadas de imediato
para esses tipos de operações.
comment image

Os autores consideraram que esse efeito ocorre pela tropa ser empregada nesse tipo de operação quase que diariamente, coisa que não acontece com as Operações Convencionais.

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Em 1º de janeiro de 2020 foi criada a primeira organização militar (OM) de Engenharia de Combate de Selva do Exército Brasileiro, com sede em Marabá/PA e subordinada à 23ª Brigada de Infantaria de Selva (23ª Bda Inf Sl), a mais poderosa Grande Unidade (GU) do tipo. No momento a 6ª Companhia de Engenharia de Combate de Selva (6ª Cia E Cmb Sl) é a única OM de Engenharia de Combate em toda a Amazônia. Ou seja, das seis Brigadas de Infantaria de Selva existentes no CMA e CMN, apenas uma conta com apoio da Engenharia de Combate. É verdade… Read more »

Last edited 5 meses atrás by ALFA BR
Henrique
Henrique
5 meses atrás

Alguém tem algum documento descrevendo a organização dessa unidade? Gostaria de saber como os iglas são empregados e organizados.

Flanker
Flanker
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Sim….quem sabe tu tb queira a quantidade, local dos paióis e onde estao distribuídos e nome dos militares que os operam….

chico tripa
chico tripa
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Ahahahahahah!

Pablo
Pablo
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Pede o numero do teste do pezinho de cada um tambem.

Henrique
Henrique
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Na internet há todo o TOE das unidades do US Army e USMC; o organograma não é coisa sensível e é até necessário que seja divulgado, numa democracia os cidadãos devem saber onde seus impostos são gastos. Você que é ignorante e tem mentalidade da ditadura em que se escondia tudo.

Flanker
Flanker
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Nossa ……ficou brabinho? Morde as costas! Tu quer saber como os Iglas são empregados e organizados. IssoUau não vai achar. Antes de apontar o dedo e botar defeito em tudo, cresce e para com essas historinhas……mimimi desgraçado….

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Mas tem como saber Flanker. Inclusive isso é exposto nos documentos que coloquei logo abaixo.

Recomendo dar uma navegada pela Biblioteca Digital do Exército (BDEx), lá tem muito material sobre a doutrina e organização da força.

Flanker
Flanker
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Tem o número de mísseis dispiniveis, lançadores e onde esses se encontram? Também pelo termo “empregados”, pode-se entender a maneira com ele opera, ou seja, procedimentos de busca, aquisição e lançamento do missil. Tem isso lá tb?

Last edited 5 meses atrás by Flanker
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Número de mísseis disponíveis não tem como saber, só dotação de munição para determinadas operações (dois mísseis por peça para assalto aeroterrestre, por exemplo).

E sim, explica como se opera, procedimentos de busca, aquisição e lançamento. Pode conferir.
comment image

Flanker
Flanker
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Então é o fim da várzea……pra que colocar isso em aberto? Não vejo lógica……logo, não tem porque reclamarem da falta de transparência, como alguns falam aqui.

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Se você visse os manuais do US Army…

São ainda mais informativos e abrangentes.

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Lançamento do míssil:
comment image

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Só para esclarecer:

A menor fração operacional em que os IGLA-S são operados é a Seção, a duas peças cada. Peça é a unidade lançadora/posto tiro.

Nos Batalhões de Infantaria é previsto um Grupo de Autodefesa Antiaérea com duas seções, totalizando quatro peças.

Na Artilharia Antiaérea temos uma organização em baterias. Cada bateria pode ter de três a quatro seções, um total de seis a oito peças do IGLA-S.

Isso você encontra nos manuais ou em trabalhos acadêmicos.

Flanker
Flanker
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Isso que vc falou eu já sabia.

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Foi direcionado pro Henrique mas registrou para você.

Flanker
Flanker
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Valeu! Abs

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Muitíssimo obrigado AlfaBR! legal vc nos ter mostrado que podemos acessar estas informações e aprendermos mais.
Legal mesmo!

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Nesses manuais, “Serviço da peça do míssil IGLA” e “Escola de Fogo de Instrução do Míssil IGLA 9K38” explica até como opera-los.

https://bdex.eb.mil.br/jspui/handle/123456789/420

http://bdex.eb.mil.br/jspui/handle/1/831

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Henrique
5 meses atrás
Last edited 5 meses atrás by ALFA BR
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Aqui como as OM dessa GU são distribuídas no território:

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Opa, link não foi. Agora sim.
comment image

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Henrique, a brigada não possui unidade de defesa antiaérea. Ou esses IGLAS são do 1° BIS, pois é previsto que cada batalhão de infantaria tenha um grupo de auto defesa antiaérea com 4 lançadores de míssil antiaéreo portátil (apesar de não ser cumprido na prática, como no caso dos mísseis anticarro), ou são elementos destacados do 12° Grupo de Artilharia Antiaérea que fica em Manaus (o que penso ser o mais provável).

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Sobre os IGLA-S e seu emprego:

https://bdex.eb.mil.br/jspui/handle/123456789/420

Last edited 5 meses atrás by ALFA BR
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Um trabalho acadêmico que discorre sobre uma possibilidade de emprego operacional do IGLA-S em ambiente de selva:

“O emprego da seção de artilharia antiaérea em apoio a um batalhão de infantaria de selva durante uma marcha para o combate fluvial em ambiente de selva”

http://bdex.eb.mil.br/jspui/handle/123456789/8340

Wilson França
Wilson França
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Cara, tu revelou todos os segredos do exército!!
Estamos fritos!!!

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Wilson França
5 meses atrás

Todos os documentos estão disponíveis no site da Biblioteca Digital do Exército (BDEx) para livre acesso ao público. Não é nenhum segredo rsrs.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Vai enviar pros seus amiguinhos venezuelanos? rs

Wilson França
Wilson França
Reply to  sub urbano
5 meses atrás

Eles não tem igla tbm?

zézão
zézão
5 meses atrás

Que prontidão…!

Cleber
Cleber
5 meses atrás

Vendo isso so tenho uma coisa a dizer : Como nossos soldados sao mal ” equipados ” . Meu Deus !

luiz jorge
luiz jorge
Reply to  Cleber
5 meses atrás

Pessoal
VCs são mesmo brasileiros?

Pablo
Pablo
Reply to  Cleber
5 meses atrás

E o que seria bem equipado pra ti por exemplo?

Cleber
Cleber
Reply to  Pablo
5 meses atrás

Vamos la ao basico ! Mesmo em meio a floresta fechada como a Amazonia : Drones mesmo aqueles lancados a mao , para observar o avanco da tropa inimiga , novos fuzis de assalto , Uculos de visao termal ou NVG , comunicacao segura entre as tropas , laptop de bolso para marcar localizacao e controlar o Drone , cuturnos mais confortaveis as tropas , melhor durabilidade, etc e etc …

Cleber
Cleber
Reply to  Cleber
5 meses atrás

So lembrando q alguns paises ja estudam uma nova ” camuflagem ” nos fardamentos , tipo uma ” manta ” , invisivel aos sistemas “termais “atuais , inclusive Drones nao captam .

Pablo
Pablo
Reply to  Cleber
5 meses atrás

E como tu sabe que nao tem nada disso?

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Pablo
5 meses atrás

Pq ele viu a foto né Pablo? Você ainda não aprendeu? Visitantes da trilogia, ao se depararem com fotos, conseguem tirar o diagnóstico de toda a situação. Isso, inclusive, está sendo objeto de estudo em uma parceria da universidade de Yale com a Nasa. O mundo está abismado com esse dom tupiniquin

Brandão
Brandão
Reply to  Cleber
5 meses atrás

Você já entrou na selva?

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Cleber
5 meses atrás

Cleber, vendo seus comentários, só tenho uma coisa a dizer: Como os brasileiros são mal “equipados” quando se trata da língua portuguesa. Meus Deus !

Bille
Bille
5 meses atrás

Material da época do Vietnã. Se você for conversar com o pessoal, tem gente que acha que é o “melhor material porque é o que aguenta na Selva” – A maioria nunca testou nada diferente e/ou acha que o que é novo não presta, e muitos são os instrutores dos cursos operacionais… Me pergunto se deveria ter algum painel/fórum dentro das unidades do EB pra mostrar o que existe de novo no mundo (muitos da tropa já tem seus kits individuais mas não os usam)… O pior não é fazer o melhor com o que se tem, mas é a… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Bille
5 meses atrás

Só uma pergunta, sem ironia ou conflito: tu és militar do EB, que serviu ou serve na amazônia?

Bille
Bille
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Vou me limitar a responder o seguinte: sei do que tô falando e da quantidade de gnt que defende os equipamentos do Vietnã sem nunca ter usado. C@gam regra, doutrina, etc, porque tem a visão muito limitada.
Pessoal que defende isso, quando fez, fez um curso, uma marcha, um campo de 3 dias e acha que sabe alguma coisa. A doutrina precisa ser atualizada no caso de uso de novos equipamentos. Doutrina não é dogma, não é estanque. Renovar é imprescindível. Se você não se adaptar aos novos tempos vai tomar uma surra sem saber de onde veio…

Flanker
Flanker
Reply to  Bille
5 meses atrás

Concordo plenamente que nada é estanque….tudo está em constante evolução…..ótimo. Correto. Mas, muita teoria e pouca prática também não acrescenta muito. E a questão não é defender esse equipamento ou criticar aquele outro. Pelo que foi divulgado, o EB está em processo de estudo, testes e desenvolvimento de novo uniforme e acessórios. Não quero crer que os oficiais decisores do EB não tenham capacidade para saber o que é melhor, dentro das possibilidades financeiras, para os combatentes. Agora, p que se vê por aqui, aos montes, são críticas simplistas, do tipo tem que ter isso, tem que ter aquilo, precisa… Read more »

Bille
Bille
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Sobre isso só acrescento uma coisa: hoje estou numa área de licitação. Parte do problema (a mais crítica) é fruto de decisões de “guerreiros de mesa” que não ouvem a necessidade da ponta da linha, outra parte é desconhecimento de quem pede material que não conhece nada de novo, e pedem as mesmas velharias por não ter contato com nada melhor. É um contexto todo precisando melhorar de mentalidade, o que chama atenção é o conformismo de achar que o que tem é bom porque mantem a doutrina e somos excelentes… falta combate pra testar isso, mas a conta é… Read more »

Velame
Velame
Reply to  Bille
5 meses atrás

Bille, você fala muita besteira, mas aqui você foi perfeito. Realmente já vi muito isso acontecer, algumas vezes quando se tem a oportunidade de pedir algo novo e melhor se compra o antigo e pior por não se conhecer algo melhor.

Bille
Bille
Reply to  Velame
5 meses atrás

É besteira porque mexe com o ego… tipo quando falei dos parâmetros de lançamento da Bda Pqdt… O exercício da realidade não é legal…
Isso não é exclusividade do EB, nem das FA.
Cultura de mudança é algo difícil. Quando a cultura nas FA Americanas realmente “mudou”? Quando 2 civis cansaram do desperdício de dinheiro e da falta de coordenação das FA lá. Leia a respeito: Goldwater-Nichols Act.
abraço!

Velame
Velame
Reply to  Bille
5 meses atrás

Ok. Abraço!

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Bille
5 meses atrás

Exemplo da realidade da nossa cadeia de suprimento:

comment image

rdx
rdx
Reply to  Bille
5 meses atrás

Perfeito.

Pablo
Pablo
Reply to  Bille
5 meses atrás

Se fosse tao ruim o mundo inteiro nao mandava militares pra APRENDER aqui, mesmo com equipamentos velhos ou não

Last edited 5 meses atrás by Pablo
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Pablo
5 meses atrás

Equipamento é uma coisa, doutrina é outra. Lembre-se que no caso de um conflito quem irá combater são essas unidades, não o CIGS.

Pablo
Pablo
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Eu sei disso!

Pedro
Pedro
5 meses atrás

Parabéns! E aproveito para fazer um adendo, estão TODOS DE MÁSCARAS!

Snake
5 meses atrás

Eeeeeeee é unânime, o viralatismo é uma doença muito perigosa mesmo

Chevalier
Chevalier
5 meses atrás

Pelamor… cadê a COIFA?? Eu não aguento esses capacetes verdes pelados. Não me vem dizer que nao tem dinheiro pra comprar um pedaço de pano!!

Roberto
Roberto
5 meses atrás

….tirando os comentários dos generais, estrategistas de YouTube, estes sentados em seus sofás, muitos sustentados pelos pais, que nunca na vida sequer tiveram a oportunidade de servir seu exército, parabéns a todos os integrantes da referida unidade, tropa pronta para a ação, braço forte, mão amiga, sempre

Up The Irons
Up The Irons
Reply to  Roberto
5 meses atrás

Estou neste momento sentado no sofá, sendo sustentado pelos meus pais, nunca tive oportunidade de servir o exército, sou estrategista de YouTube e general de Internet. Qualquer crítica que eu fizer, mesmo que seja verdadeira, será invalidada por conta disso? Ou seja: a verdade não depende dela mesma pra se impor, mas de quem fala? Então eu só posso criticar meu prefeito se eu tiver pós-doutorado em Ciência Política?

Roberto
Roberto
Reply to  Up The Irons
5 meses atrás

…..criticar é válido, sem dúvida nenhuma, mas querer menosprezar, humilhar sem o menor entendimento, com base no achismo de YouTube ou no generalato de Tik Tok, ou no conforto do sofá, ai é brabo.

Gabriel
Gabriel
5 meses atrás

A falta de capacidade cognitiva de alguns comentaristas é impressionante. Não existe nenhum tipo de problema ou desvantagem do coturno adotado pelo EB ser predominantemente preto. É muita falta de conhecimento afirmar o contrário. Existem calçados, empregados por outros exércitos, com qualidade superior? sim, mas o coturno preto empregado pelo EB é adequado. O equipamento utilizado (cinto e suspensório/colete tático/colete balístico/etc) deve ser observado conforme o tipo de tropa que utiliza e a finalidade, antes de ser criticado. Existem vantagens e desvantagens em cada equipamento. A grade maioria das OM possui hoje tanto cinto e suspensório, como colete tático. Quanto… Read more »

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Discordo sobre sua afirmação de coifa ser estético, não e por aí; se seguirmos esse raciocínio não se faria necessária a farda ser camuflada; lembrando que as primeiras experiências sobre camuflagem individual surgiram justamente no capacete; no pacífico, o usmc adotaram um padrão de camuflagem para seus capacetes antes de extender o uso para o resto do fardamento, ao mesmo tempo, os alemães adotavam um padrão de camuflagem completa para a SS, e o restante das tropas alemãs já tinham o hábito de utilizar camuflagem natural em seus capacetes, as fixando com borrachas e cordas. Atualmente, o exercíto britânico usa… Read more »

rdx
rdx
5 meses atrás

Muita gente preocupada com a estética. Aliás, desde quando a infantaria de selva usa capacetes? A tropa com capacetes da primeira foto provavelmente são do GAAe. O capacete é usado por tropas de artilharia por razões óbvias.

Last edited 5 meses atrás by rdx
Flanker
Flanker
Reply to  rdx
5 meses atrás

Na primeira foto, com capacete, é o pessoal da AAé. Na segunda foto, o pessoal de chapéu/gorro tem o capacete ao lado de cada um. Na terceira foto, o pessoal da artilharia não tem capacete visível, assim como também os da infantaria, na quarta e na quinta fotos.
Na infantaria, artilharia e cavalaria “tradicionais”, todos usam capacete.

Michel
Reply to  rdx
5 meses atrás

No Vietnam as tropas norte-americanas utilizavam o capacete em combate. Há vídeos aos milhares atestando o que digo.

Davi
Davi
5 meses atrás

É pessoal… Que Deus nos guarde e proteja, pq se depender do EB nós estamos ferrados.
O descaso com a tropa é grande.
O atraso tecnológico salta aos olhos.

Renato Carvalho
5 meses atrás

Não consigo levar a sério uma tropa equipada com um fuzil obsoleto de 1964.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Renato Carvalho
5 meses atrás

Imagine os que usam o AK47 que é de 1947.

E que seve equipar mais de 100 forças armadas no planeta.

Também não devem ser levados a sério né?

Renato Carvalho
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

Desses 100 a grande maioria são de republiquetas africanas ou asiáticas, o restante usa derivados do AK 47. argumento inválido.

sub urbano
sub urbano
5 meses atrás

Padrão Vietnã, do coturno ao fuzil. Um museu a céu aberto.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  sub urbano
5 meses atrás

Blogueiro vira lata anti imperialismo do mal não curtiu as fotos. Poxa, derrubem q publicação, a aprovação dele é muito importante.

Kommander
Kommander
5 meses atrás

Cara, se essa foto não fosse colorida, eu diria que ela foi tirada nos anos 70.

ALFA BR
ALFA BR
5 meses atrás

Para quem tem curiosidade:

Organização atual do Pelotão de Fuzileiros de Selva do Exército Brasileiro considerando a substituição do FAL pelo IA2 e do FAP pela Minimi.

comment image

Oráculo
Oráculo
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Muito bom.

Lembra a muito a organização dos GC dos Mariners.
Se não me engano lá são 11 fuzileiros por GC.

Os nossos GCs são padronizados em 10 fuzileiros ou existe variação?

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

O GC (“squad” por lá) do USMC era de 13 homens com 3 esquadras mas vão modificar para 12 homens se não me engano.

O GC padrão do EB é 9 homens (2 esquadras de 4 homens + comandante). No GC dos batalhões de infantaria de selva que tem o 10° elemento, o socorrista.

Oráculo
Oráculo
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Você está certo ALFA BR.

O Mariner Rifle Squad tem 12 fuzileiros.

a137e0_30c3e32635d641688318d0c2c3eddb1e~mv2_d_2759_3917_s_4_2.png
Oráculo
Oráculo
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

E pelo que achei pesquisando, o ARMY RIFLE SQUAD tem 9 soldados…

https://ibb.co/Dr5K9tV

Last edited 5 meses atrás by Oráculo
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

Igual a dos GC “não selva” do EB. Inclusive a organização brasileira é baseada na americana.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Oráculo
5 meses atrás

Prezado
Os Pel Fuz “não selva” também tem mais uma MAG e um Mrt 60.
Sds

Henrique
Henrique
Reply to  Oráculo
5 meses atrás
Bardini
Bardini
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Eu não gosto dessa combinação de armas… . Primeiro começa pelo IA2, que tem cano curto demais. Não vou ficar nada surpreso se algum jênio quiser concertar essa joça aí misturando com fuzil 762 nessa ou em outra unidade da força. O único IA2 que pode prestar, é o que o CFN está fuçando. . A Minimi 556 é um completo erro… . Eu abriria mão de uma MtrL em cada GC para ter um lança granada 40mm. Consequentemente isso eliminaria o lança granada no IA2. . Eliminaria todos os AT-4. Quem carrega AT-4, iria carregar munição para uma peça… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Bardini
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Não entendo porque colocaram um cano de 13.7″ no IA2. Poderiam ter ido com 14″, 14.5″, 16″…

Last edited 5 meses atrás by ALFA BR
rdx
rdx
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Eles terão problemas com o IA-2 5,56 mm em regiões de selva. Todo mundo sabe que fuzis com cano muito curto (carabinas) agravam as deficiências da munição 5,56mm, em especial a tendência a desviar/estilhaçar ao atingir obstáculos e a limitada capacidade de perfuração (ex: contra troncos de árvores). Acho que eles poderiam minimizar esse problema adotando metralhadoras Minimi no calibre 7,62 mm e encaixando um bom fuzil 7,62 mm em cada GC (FN SCAR ou HK417). Eu trocaria a MAG pelo CSR Carl Gustav e o tripé da MAG por um lança granadas Milkor MGL 40 mm (é inadmissível perder… Read more »

Last edited 5 meses atrás by rdx
ALFA BR
ALFA BR
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Minha visão sobre como poderia ser a organização do Pelotão de Fuzileiros de Selva:
comment image

Manteria a composição atual dos GC.

No lugar do AT4 entraria o M72 LAW em suas versões mais recentes por ser mais leve e flexível de emprego.

Removeria a metralhadora do Grupo de Comando. O apoio de fogo ficaria concentrado numa nova fração, o Grupo de Apoio. Este teria duas peças de metralhadora MAG e uma peça de canhão sem-recuo 84mm Carl Gustav. Alternativamente a guarnição do CSR poderia levar um morteiro leve sem reparo, tipo “commando”.

Bardini
Bardini
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Eu acho que ficaria caro demais, rsrs…
.
Tá obviamente melhor do que o que temos, mas complica tirar do papel.
.
Tem 07 munições diferentes aí. Eu acho que pensando em Selva e em se enfiar no meio do mato, onde a logística do EB seria muito pior do que já é, complicaria muita coisa.

Oráculo
Oráculo
5 meses atrás

Sobre os nossos guerreiros de Selva… É preciso separar o joio do trigo. Uma coisa é o recruta que serve em Manaus e Boa Vista. As vezes em unidades que nem numa eventual guerra vão para linha de frente. Outra são os soldados profissionais. Que atuam na selva mesmo. A análise tem que ser feita no soldado do 8° BIS de Tabatinga, que passam 11 meses do ano enfiados na selva, fazendo patrulha e trocando tiros com narcotraficantes. Esses são respeitados no planeta inteiro. No mais concordo que é exagero afirmar que somos os melhores do mundo em Guerra na… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Oráculo
Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
5 meses atrás

Pera aí. O fuzil da foto é o FAL?? Ainda???

Flanker
Flanker
5 meses atrás

Na 2ª e na 5ª fotos, tem uns guerreiros sem fuzil, em meio à todos os outros que estão portando fuzil. Há motivo ou explicação para isso?

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flanker
5 meses atrás

É o socorrista. O GC dos Pelotões de Fuzileiros de Selva tem um 10° elemento, o soldado socorrista. E sim, é previsto que ele porte somente a pistola.
comment image

Flanker
Flanker
Reply to  ALFA BR
5 meses atrás

Valeu, ALFA BR! Abs

tadeu jose
tadeu jose
5 meses atrás

Boa tarde, o 54 º B.I.S foi transferido da 17 ª Brigada de Selva para a 1ª Brigada de Selva ?

Gelson
Gelson
5 meses atrás

Bom dia, foi divulgada a lista da SIPRI de 2020 e o nosso glorioso país está colocado em 15º lugar. Que beleza! E a gente fica vendo estas imagens de nossas poderosas e bem equipadas forças armadas. Como gastam mal, né?

Last edited 5 meses atrás by Gelson
Selvatico91
Selvatico91
5 meses atrás

No ambiente de selva, a formação técnica e os atributos da área afetiva como coragem, resistência e liderança, são infinitamente mais importantes e definitivos do que o fato de o coturno ter brilho ou não, ou o uso de equipamento padrão ALICE. Indo além, os equipamentos eletrônicos como os citados, tipo OVN, GPS, DRONES, demandam um zelo que o combate na selva não permite. A enorme umidade, travessias repetidas de cursos d’água, lama, chuvas torrenciais, terreno acidentado, danificam e encurtam a vida desses equipamentos. Até porque a operação de DRONES em ambiente de Selva é impossível e inútil devido à… Read more »

Últimas Notícias

VÍDEO: Sistemas de Defesa Antiaérea de Ponto da China

A China apresentou vários sistemas de armas no Zhuhai Air Show 2021 no final de setembro. Entre os fabricantes, a...