terça-feira, agosto 3, 2021

Saab RBS 70NG

Certificação da Força de Prontidão da 1ª Brigada de Infantaria de Selva

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Boa Vista (RR) – No dia 19 de julho, iniciaram-se as atividades operacionais relativas à certificação da Força de Prontidão da 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl) para compor o Sistema de Prontidão Operacional da Força Terrestre.

O exercício iniciado no dia 19, no município do Cantá (RR), corresponde à simulação viva, considerada a mais significativa das subfases da certificação. No exercício, os avaliadores e uma força oponente simulada, valendo-se de dispositivos de simulação de engajamento tático (DSET) aplicados em ambos os contendores, avaliarão a performance de todos os participantes, devendo concluir, ao final, se toda a tropa está apta. A certificação ocorre quando essa aptidão é alcançada e confirmada.

O término do exercício representará, para a 1ª Brigada de Infantaria de Selva, o início da fase de prontidão, além de agregar mais capacidades à brigada que é detentora do maior poder de fogo da Amazônia Ocidental e responsável pela manutenção da soberania nacional na região localizada mais ao extremo norte do País.

A FORPRON da 1ª Brigada de Infantaria de Selva – FORPRON Lobo D’Almada – é composta por tropas do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel), do Comando de Fronteira Roraima/7º Batalhão de Infantaria de Selva, do 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva, do 1º Batalhão Logístico de Selva, do 12º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado, do 1º Pelotão de Comunicações de Selva, do Posto Médico da Guarnição de Boa Vista, do 32º Pelotão de Polícia do Exército, do 6º Batalhão de Engenharia de Construção, do 54º Batalhão de Infantaria de Selva, do 4º Batalhão de Aviação de Exército, do 12º Grupo de Artilharia Antiaérea de Selva e do 1º Batalhão Comunicações de Selva, perfazendo o efetivo total de 974 militares.

Quanto ao material empregado, destacam-se o radar SABER M60, o míssil Igla, os obuseiros L118 Light Gun, o morteiro 81mm RO, o canhão Carl Gustaf 84mm. Foram utilizadas, ainda, 83 viaturas, entre leves e pesadas, além das aeronaves do 4º Batalhão de Aviação do Exército, bem como equipamentos do Projeto Combatente Brasileiro (COBRA) em parte da tropa.

O Sistema de Prontidão (SISPRON)

O SISPRON objetiva, em síntese, implantar uma metodologia de preparação de grandes efetivos para, mediante rodízio, manter ininterruptamente tropas habilitadas ao cumprimento de todas as missões constitucionais, com destaque para a defesa externa e a salvaguarda de interesses brasileiros no exterior, além das missões subsidiárias habituais.

As Forças de Prontidão (FORPRON), componentes do SISPRON, destinar-se-ão, prioritariamente, a atender às hipóteses de emprego em território nacional que privilegiem a atuação preponderante da Força Terrestre em ações voltadas à defesa externa. Deverão, ainda, ter condições de atuar em situações de não guerra.

A Força de Prontidão deverá atingir, ao término de seu ciclo de preparo completo, o denominado estado de prontidão operacional. A prontidão operacional deve ser entendida como uma situação em que tropas selecionadas, adestradas e certificadas, permanecerão em condições de, ao serem acionadas, reunir-se, aprestar-se e deslocar-se para uma área de atuação definida em prazo limite, a ser determinado pelo Comando de Operações Terrestres (COTER).

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

8 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Agnelo
Agnelo
13 dias atrás

Muito excelente!

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Agnelo
13 dias atrás

Concordo. Mas logo logo vai aparecer alguém para reclamar de… coturnos ou algo assim.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Leandro Costa
13 dias atrás

Foi a primeira coisa que me saltou aos olhos. Brilha muito…kkkkk

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Leandro Costa
13 dias atrás

Ou pedir um corte de 75% no pessoal

Caio
Caio
Reply to  Heinz Guderian
11 dias atrás

De soldados não! Mas de oficiais, em número racional, seria ótimo para o orçamento das FAs.

Last edited 11 dias atrás by Caio
Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Caio
6 dias atrás

Ai eu concordo com você.

Tomcat4,2
13 dias atrás

Muito bom, e que venham logo os equipamentos novos como o Imbel IA2 e etc pra melhor equipar a tropa.

Bille
Bille
10 dias atrás

Coldre com capa só dificulta o saque, mais risco do combatente ser abatido, considerando que a pistola é uma arma backup do fuzil.
Espero que esses pontos do equipamento individual ainda estejam sendo discutidos no Projeto COBRA… Pra quem se interessa, no YouTube, tem um camarada bushcrafter (um ex mariner) fazendo um pernoite com equipamentos do vietnam… ele destaca: “equipamentos de 50 anos atrás”… e são exatamente os do EB. as outras forças passam pelos mesmos desafios.
Precisamos melhorar nisso.

Últimas Notícias

Assessor de segurança nacional dos EUA viaja ao Brasil

Esta semana, o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, viajará para o Brasil e Argentina, acompanhado...
- Advertisement -
- Advertisement -