quinta-feira, maio 19, 2022

Saab RBS 70NG

Diretoria de Material promove estágio de manutenção de obuseiros

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Brasília (DF) – No dia 2 de agosto, a Diretoria de Material (D Mat) realizou a abertura do Estágio de Manutenção de 2º e 3º Escalões do Obuseiro 105 mm M101 AR e 155 mm M114 AR. Com duração de três semanas, a capacitação foi realizada no Arsenal de Guerra General Câmara (AGGC), em General Câmara, no Rio Grande do Sul.

Na oportunidade, foi destacada a relevância estratégica da capacitação continuada de recursos humanos em favor da disponibilidade dos obuseiros nas unidades de artilharia do Exército Brasileiro. Ressaltou-se, também, o compromisso dos estagiários em se tornarem polos difusores do conhecimento adquirido. O AGGC, integrante do Sistema de Fabricação do Exército, é uma organização militar indutora e catalisadora de conhecimento desses materiais de emprego militar sob a gestão da D Mat.

A atividade contou com a presença do Chefe da Divisão Classe V – Armamento da D Mat, Coronel Juliano Naressi Neves; do Adjunto da Divisão Classe V – Armamento da D Mat, Tenente-Coronel Marcos Antonio Silvano dos Santos; do Diretor do AGGC, Tenente-Coronel Nei Altieri Pereira dos Santos; do Chefe da Seção de Cl V – Armt do 3º Grupamento Logístico, Major Jonas Chaves de Almeida; e do Adjunto da Seção de Planejamento e Gestão da Diretoria de Fabricação, Major Rodrigo Boaventura.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

21 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Heinz Guderian
Heinz Guderian
9 meses atrás

Creio que seja a parte mais obsoleta do EB, os obuseiros são muito antigos.
Nenhuma novidade sobre os M198?

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Heinz Guderian
9 meses atrás

Ao que parece” estavam no osso e o EB declinou da aquisição, mas não tenho como afirmar.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Tomcat4,2
9 meses atrás

Entendo, como eu queria o M777, ali é um obuseiro de respeito, ou poderiamos comprar uns ATAGS da Índia, que é um obus muito capaz também.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Heinz Guderian
9 meses atrás

Amigo Guderian Penso que a artilharia AR 155mm está perdendo seu espaço, fiz uma breve consulta e temos ainda em produção somente 2 sistemas 155mm leves…seria o M-777 americano (caro) e o Pegasus de singapura (sem muitas informações dele), ambos de tubos tamanho 39. O M-198 era uma excelente proposta “tapa buraco” para os GAC, na minha opinião a compra do M-777, para todos GAC vamos gastar rios de dinheiro e a doutrina ficará estagnada do jeito que está. Sobre obus pesados Ar, avaliando o mercado de usados encontramos opções de obus de cano 52, mas estes são muito pesados, passando fácil… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Rafaelvbv
Barak MX para o Brasil
Barak MX para o Brasil
Reply to  Heinz Guderian
9 meses atrás

O EB tá de olho em outro obuseiro usado via FMS.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Barak MX para o Brasil
9 meses atrás

qual?

Barak MX para o Brasil
Barak MX para o Brasil
Reply to  Heinz Guderian
9 meses atrás

M119A2

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Barak MX para o Brasil
9 meses atrás

Mas esse é de 105mm, estava me referindo a 155m.
Mas se vier vai ser uma boa aquisição, para somar com os light gun

André Luís
André Luís
Reply to  Heinz Guderian
9 meses atrás

Eu acho que o exército quer é se livrar dos light gun; por questões de custos e diferenças com a operação da espoleta.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  André Luís
9 meses atrás

a ser é um erro, a peça, de desenho inglês, marca presença em praticamente todos, se não todos os exércitos com um mínimo de modernidade, por conta da discrição de disparo e posicionamento, providenciando poder de fogo numa solução de menores dimensões, aerotransportável, com uma variedade de diferentes fogos e ainda com um potencial de serviço no campo moderno de prováveis décadas. É praticamente a única, se não a única peça de artilharia “convencional” no EB que não necessita de substituição nem se encontra em considerável nível de obsolescência na classe a que pertence.

André Luís
André Luís
Reply to  Peter nine nine
9 meses atrás

So why doesn’t the Brazilian army opt for more pieces? Why is Brazil considering the American howitzer? For me, the answer is simple: the American surpasses the English equipment and it’s more advantageous.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
9 meses atrás

Fico pensando, se damos manutenção que basicamente recria obuseiros e morteiros porque cargas d’água não produzimos ,até hoje, um obuseiro 155 ou 105 que seja, nacional ???

Ramon
Ramon
Reply to  Tomcat4,2
9 meses atrás

Esses obuseiros devem ter passado por tantas manutenções que se for olhar nada ali deve ser original, então pode dizer que é quase nacional.

Flanker
Flanker
Reply to  Ramon
9 meses atrás

Mais Ou menos Isso. Tipo a história do cara que gostava tanta de uma faça que ganhou do avô, que com o passar doa anos foi cuidando, mantendo, usando, cuidando, uma hora trocou o cabo, outra hora trocou a lâmina….ficou sempre com uma faca original e bem cuidada…a faca do avô se manteve sempre nova….hehehe

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Tomcat4,2
9 meses atrás

Somos incapazes de produzir obuseiros nacionais…Não tenho dúvida disso !



ScudB
ScudB
Reply to  Tomcat4,2
9 meses atrás

Não temos conhecimento , nem estudos , nem teoria , nem ciência da física dos materiais. Hoje temos uma meia dúzia dos países que conseguem projetar e fabricar um cano de obus. Fora disso – ou licença ou meia boca.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Tomcat4,2
9 meses atrás

Quantos países no mundo fabricam tubos de obuseiros e canhão de carro de combate?

Não é a barbada como alguns acham.

mendonça
mendonça
9 meses atrás

putz… desculpas pelo termo , mas que porra é essa ?
a unica arma que temos e que é nova de fábrica ,são os astros ,o guarani e fuzis .
todas as outras são compras de brechó!

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  mendonça
9 meses atrás

Triste realidade !!!

Bruno
Bruno
9 meses atrás

Muito melhor vender essas velharias, despedir esses militares e usar o dinheiro do contribuinte com algo util.

ScudB
ScudB
Reply to  Bruno
9 meses atrás

Do jeito que ta – se vender é capaz de ficar pelado mesmo. Sem nada.
Pois os politicUs sempre vão achar um jeito…

Últimas Notícias

‘Terminators’ vistos pela primeira vez em Donbas

Vídeos nas mídias sociais mostram os temidos veículos blindados de guerra urbana Terminators supostamente em Donbas, onde os combates...
- Advertisement -
- Advertisement -