terça-feira, setembro 28, 2021

Saab RBS 70NG

E se George W. Bush não tivesse invadido o Iraque?

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Governo Bush mergulhou os EUA e seus aliados em uma guerra e eventual ocupação que redesenhariam o mapa político do Oriente Médio

Ishaan Tharoor/ Washington Post, O Estado de S.Paulo

Boa parte da população americana e do establishment político varrido pela pressa do governo George W. Bush não perdeu tempo interrogando a conexão implícita entre os eventos de 11 de Setembro e a decisão de invadir “preventivamente” o Iraque menos de dois anos depois, para derrubar o ditador Saddam Hussein. Uma pesquisa do Washington Post em setembro de 2003 descobriu que cerca de 7 em cada 10 americanos acreditavam que era pelo menos “provável” que Hussein estivesse diretamente envolvido nos ataques.

É claro que tudo isso se provou absurdo, como grande parte do argumento de Bush e seus aliados sobre a ameaça iminente representada pelas fantasiosas armas de destruição em massa do regime iraquiano.

Animado por um zelo neoconservador para derrubar regimes inimigos e exercer o poder americano – e desimpedido pelo grosso da imprensa de Washington – o governo Bush mergulhou os EUA e seus aliados em uma guerra e eventual ocupação que redesenhariam o mapa político do Oriente Médio, desviariam a atenção da intervenção no Afeganistão e provocariam novos ciclos de caos e violência.

Os primeiros dois anos após o 11 de Setembro marcaram “uma era em que os EUA cometeram grandes erros estratégicos”, disse Vali Nasr, professor de assuntos internacionais da Escola de Estudos Internacionais da Universidade Johns Hopkins, ao Today’s WorldView. “Sua visão foi nublada pela raiva e pela vingança.”

Mas e se os EUA tivessem optado por não invadir o Iraque? A decisão de derrubar Hussein, ainda mais do que a invasão do Afeganistão, gerou uma guerra não provocada que, por um lado, isolou uma série de outras opções políticas disponíveis para os estrategistas de Washington e, por outro, desencadeou eventos que alteraram fundamentalmente a região. É impossível reverter o que o governo Bush disparou, mas podemos especular sobre alguns elementos dessa proposição contrafactual.

Entre eles, há o número de mortos no Iraque. O Watson Institute da Brown University calcula que algo entre 184.382 e 207.156 civis iraquianos foram mortos diretamente por causa da violência relacionada à guerra entre o início da invasão americana, em março de 2003, até outubro de 2019. Mas o número verdadeiro pode ser maior.

Mesmo considerando o longo histórico de brutalidade de Hussein, é difícil imaginar um futuro de maior sofrimento para o povo iraquiano se os EUA não o tivessem retirado do poder, argumentou Sinan Antoon, poeta e escritor iraquiano radicado em Nova York. “Se o regime tivesse permanecido no poder, dezenas de milhares de iraquianos ainda estariam vivos hoje, e não nasceriam, todos os dias, crianças com defeitos congênitos em Fallujah”, disse Antoon ao Today’s WorldView, aludindo ao impacto dos cartuchos de urânio empobrecido que as forças americanas supostamente usavam em suas batalhas no Iraque.

Antoon acrescentou que, se os EUA não tivessem invadido, também não teríamos visto a ascensão do Estado Islâmico – uma convicção compartilhada pelo ex-presidente Barack Obama e ecoada por uma miríade de especialistas.

Henry Kissinger explica por que apoiou a Guerra do Iraque: “porque o Afeganistão não era suficiente”. “No conflito com o islã radical, eles querem nos humilhar. E nós precisamos humilhá-los.”

FONTE: Estadão

NOTA DA REDAÇÃO: A saída final das tropas dos EUA do Iraque ocorreu em 18 de dezembro de 2011. Desde 2003, mais de um milhão de aviadores, soldados, marinheiros e fuzileiros navais serviram no país. Os custos do conflito foram altos: US$ 800 bilhões do Tesouro dos EUA, com quase 4.500 americanos e cerca de 200.000 iraquianos mortos. As forças militares americanas foram sucedidas por uma missão diplomática encarregada de supervisionar os interesses dos EUA em um país com problemas de segurança e divisões sectárias profundamente arraigadas.

- Advertisement -

94 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
94 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
14 dias atrás

Um outro ponto na questão Geopolitica, o Irã, sendo Hussein o que era, ainda assim era um espinho no pé do Irã!

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Marcelo Baptista
14 dias atrás

Concordo. O Irã cresceu demais sua influência após a queda do SH. Querendo ou não, SH segurava bem o Irã e vice versa.

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Marcelo Baptista
14 dias atrás

E ampliando o “what if”!
Talvez, hoje, o Afeganistão estivesse realmente pacificado, já que não teria havido a perda do foco no País.
Todo o dinheiro e tropas que foram desviadas para o Iraque teriam sido empregadas no Afeganistão. (sim, sei da corrupção no País, nas questões tribais e religiosas, etc, etc., mas como exercício de imaginação, posso abstrair isto!)

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Marcelo Baptista
14 dias atrás

Já nessa eu discordo… rs. Mais 50 ou 100k de soldados e mais 0,5TT USD a mais no Afeganistão não iriam mudar praticamente nada, na minha opinião.

Jodreski
Jodreski
Reply to  GFC_RJ
14 dias atrás

Concordo com vc… o destino do Afeganistão seria o mesmo. Cabe a sociedade daquele país estabelecer as mudanças que eles querem e não as que os ocidentais acham que devem ser feitas. Se o Talibã não fosse aceito pela maioria da população afegã o país estaria mergulhado em uma guerra civil agora, as tropas americanas saíram e eu só consigo entender a apatia dos afegãos como aceitação ao regime. Não cabe a nós entendermos isso, pois estaremos tentando entender eles a partir do nosso ponto de vista ocidental. É claro que haverão pessoas que discordarão do Talibã dentro do Afeganistão,… Read more »

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  Jodreski
13 dias atrás

Jodreski, não necessariamente concordam.
Não acho que as pessoas comuns gostem de ser oprimidas.
Mas na atual situação, primeiro vão ver como fica.
Dependendo do andar da carruagem, pode ser que apareçam focos de resistência!
Devemos lembrar que o Governo Afegão que fugiu não estava nem aí com o povão, então por que o pessoal iria arriscar a vida de sua família?
Eu faria o mesmo, minha família primeiro, depois vejo os meus direitos.

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  GFC_RJ
13 dias atrás

GFC_RJ, expandindo a especulação, ehhe. Não acho que realmente teriam resolvido as questões raízes do Afeganistão, mas se o foco tivesse sido, vamos usar a palavra pacificar o Pais, e tê-lo como um enclave mulçumano pro-ocidente no oriente médio, deveriam ter gasto parte do dinheiro empregado no Iraque para o sistema educacional do Afeganistão, 20 anos! Teríamos aproximadamente 3 gerações de jovens vendo o mundo de outra forma. Isto poderia ter afastado os jovens dos muslins radicais. Enfraquecendo a influencia do Talibã! E ainda teriam mais um País aliado atrapalhando o Irã! E fazendo fronteira com a China! E na… Read more »

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Marcelo Baptista
14 dias atrás

Mesmo que isso ocorre-se, acho que o resultado final no Afeganistão não seria muito diferente. A menos que, eles mudassem a estratégia de combate ao talibã.. E não apenas isso, investindo na educação e na áreas pobres do país.

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  Heinz Guderian
13 dias atrás

Heinz, concordo com vc.
Bater (eliminar a Al Qaeda e Bin Laden) e sair não teria dado nenhum resultado pratico.
O dinheiro jogado fora no Iraque teria sido muito melhor empregado no Afeganistão. E traria resultados estratégicos melhores.
Minha opinião.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Marcelo Baptista
13 dias atrás

Descordo completamente. Pude averiguar a duras penas que 99% da população era completamente oposta à nossa ocupação do país. E uma grande parte dessa população participava ativamente na luta de guerrilhas. Praticamente só aqueles beneficiados diretamente aprovavam, e mesmo assim timidamente.

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  Joao Moita Jr
13 dias atrás

Blz, Joao, é bom ter informação de quem esteve lá.
Eu entendo que sempre quem for ocupado vai resistir, mas como estamos especulando, será que, se houvesse um maior investimento em educação, pelo menos não haveria mão de obra para a Guerrilha?
Aqui é um exercício de “e se?”, o que vc acha?

Agressor's
Agressor's
14 dias atrás

Inúmeras guerras têm sido travadas pelos eua diretamente ou por mãos alheias a serviço deles…as forças especiais dos eua operam de forma sigilosa e aberta em mais de 130 países semeando perturbações…os eua são os maiores promotores do terrorismo pelo mundo…são eles que estão por trás das principais ações terroristas da atualidade e de derrubada de governos pelo o mundo que não se submetam aos seus interesses… A maior parte dos grupos terroristas que atuam pelo mundo hoje são na realidade grupos de mercenários recrutados pela própria inteligência dos eua pra levar caos e destruição a países alvos…os ataques que… Read more »

Last edited 14 dias atrás by Agressor's
Antoniokings
Antoniokings
14 dias atrás

Erro estratégico de Washington.
Derrubou um regime que, apesar de terrível, servia de anteparo ao Irã.
Agora, é questão de pouco tempo o Iraque cair de vez na esfera de influência iraniana.

João Adaime
João Adaime
14 dias atrás

O grande culpado por tudo isso foi o próprio Saddam Hussein, que em agosto de 1990 invadiu o Kuwait. Como ele era um “aliado” contra o Irã, achou que o Ocidente (leia-se EUA) faria vistas grossas. A partir dali Saddam tornou-se não confiável, culminando na Segunda Guerra do Golfo em março de 2003, a deposição e o enforcamento do ditador e o início da baderna. Se não fosse isto, talvez ele estivesse até hoje no poder, assim como a dinastia que até hoje controla a Arábia Saudita. Tudo em nome da estabilidade na região. Vide também o Egito. Estaríamos vivendo… Read more »

Agressor's
Agressor's
Reply to  João Adaime
14 dias atrás

Saddam Hussein não passava de mais um bandido fantoche que foi recrutado e plantado pelos eua para controlar o Iraque… Os eua é um país onde o governo é um psicopata…É como diz nas Santas Escrituras…O diabo vem pra matar, roubar e destruir…Após a invasão do Iraque os estadunidenses e aliados impuseram ao pais invadido as 100 Resoluções de Remer…que inclui os seguintes artigos: – Artigo 17, que garante aos empreiteiros estrangeiros, incluindo empresas de segurança privadas, imunidade legal; – Artigo 39, que permite a remessa de mercadorias isentas de impostos sobre lucros; – Artigos 57 e 77, que asseguram… Read more »

João Adaime
João Adaime
Reply to  Agressor's
13 dias atrás

Caro Agressor’s
Eu me limitei a dizer, na minha opinião, como estaria o Iraque caso não fosse invadido a mando do Bush. Continuaria o regime de terror, mas “em paz” e “amigo” do Ocidente.
Abraço

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  João Adaime
13 dias atrás

eu não acredito nisso, mas tem que ver também a questão da Rússia, que tava fraca naquela época e não pode fazer nada, igual fez na Síria, a China não era ninguém naquela época também, hj o ordem mundial tá multipolar,tá melhro para os países mais fracos,

João Adaime
João Adaime
Reply to  Carlos Campos
13 dias atrás

Prezado Carlos
Eu me limitei a dizer, na minha opinião, como estaria o Iraque caso não fosse invadido a mando do Bush. Continuaria o regime de terror, mas “em paz” e “amigo” do Ocidente.
Abraço

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  João Adaime
13 dias atrás

Oi João.
Apesar de o Saddam ter perdido a confiança do ocidente, ele ainda era um anteparo ao Irã!
Invadir o Iraque, e eliminar o canalha, só atrapalhou os interesses dos EUA na região.
Sim, perderam a oportunidade de viverem a Pax Romana!
Minha opinião.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Marcelo Baptista O comunista
13 dias atrás

Caro Marcelo Não foram só os EUA que perderam. O Brasil também. Exportávamos material bélico e civil, com destaque para o Passat (mais de 100 mil carros, o maior contrato de exportação de uma montadora brasileira), Cascavel, Astros, tratores, café, açúcar e carnes de gado e frango, além de obras de infraestrutura a cargo de construtoras brasileiras, como rodovias, ferrovias e irrigação. E o Iraque nos pagava com petróleo, vendido a preços camaradas. O comércio entre os dois países superava, na época, o volume com qualquer país europeu. A Petrobrás também teve prejuízo. Através da Braspetro, ela descobriu um dos… Read more »

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  João Adaime
12 dias atrás

Concordo com suas observações! Só acho que a invasão do Iraque não foi pensada com a intenção de melhorar as posições estratégicas e comerciais dos EUA!
Para mim a invasão do Iraque foi pensada com o fígado, por isto deu tudo errado.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
14 dias atrás

Em história, é muito difícil especular sobre o “e se…”
Mas, particularmente, acredito que, se não fosse o Iraque, os EUA teriam invadido…ops, “levado democracia”, pra outro sh*thole qualquer.
Talvez a Venezuela? O Irã? Líbia? Não sei. Mas algum outro país de terceiro mundo em que eles colocaram em sua “lista negra” eles teriam invadido.
Afinal, a economia norte-americana tem que girar…

Renato B.
Renato B.
Reply to  Willber Rodrigues
14 dias atrás

Até para ser maquiavélico eles precisavam de um cálculo custo x benefício melhor.

Renato B.
Renato B.
14 dias atrás

Kissinger mandou mal para caramba, nessa frase e nos eventuais conselhos que deu em relação ao Iraque. A frase dele equivale a um “tava doidão” faltando o “foi mal”

Last edited 14 dias atrás by Renato B.
Hélio
Hélio
Reply to  Renato B.
14 dias atrás

Kissinger foi um dos maiores assassinos do século XX e seguramente o maior do século XXI.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Hélio
13 dias atrás

ele era só um garoto de recado de luxo, que “serviu aos presidentes do EUA” e quem paga as campanhas dos presidentes dos EUA, são as pessoas por trás do Kissinger.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Renato B.
13 dias atrás

Acho que não existe diplomata mais vangloriado do que ele.

Sequim
Sequim
14 dias atrás

Se não fosse o Afeganistão seria outro qualquer. Recentemente foram divulgados arquivos obtidos pelo WikiLeaks informando que a guerra do Afeganistão nunca foi uma guerra para ser ganha pelos EUA, pois a principal função dela era servir como lavanderia de dinheiro de origem suspeita, pelas elites americanas

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Sequim
13 dias atrás

não duvido nada, até ópio a CIA ajudava a vender, supostamente era para o bem do país, assim como o pó que eles ajudavam a chegar nos EUA.

Teropode
Reply to  Sequim
13 dias atrás

Poste o link !

ALISON
ALISON
Reply to  Teropode
12 dias atrás

esse homi nao cansa de ser humilhado… tem que estudar isso…

pangloss
pangloss
14 dias atrás

A narrativa que vincula Saddam Hussein aos atentados de 11 de setembro é de uma superficialidade absurda. Ignora que Saddam era um governante laico, que temia a radicalização religiosa que a Al Qaeda traria ao Iraque, caso houvesse mesmo essa associação entre ele e Bin Laden. Para o grande público, basta articular as premissas de que “Saddam é malvado” e “quem produziu o 11 de setembro é malvado”, para validar qualquer conclusão sobre a necessidade de invadir o Iraque. Muito primário. E não custa lembrar que o CS da ONU não autorizou qualquer ação militar contra o Iraque em 2003,… Read more »

pedro
pedro
Reply to  pangloss
14 dias atrás

O problema nao seria o Sadam em 2003 mas sim a Al Qaeda derrotada no Afeganistao, certamente o mesmo iria lhe dar abrigo. Por esse ponto a invasao teria um lado racional mas o problema foi que a partir de 2009, nada foi feito no Iraque para que esse trabalho feito criasse raizes. É notorio como o Obama agiu de forma a buscar a minar todos os esforços para combater o terrorismo internacional e, jogou de forma irreversivel o Iraque na mao do Irã. Sobre a ONU a mesma quis “dialogar” com terroristas do Taliba, ou seja, ninguem liga mais… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  pedro
13 dias atrás

o Obama foi uma disgraça, para os EUA, mas tenho que falar como uma pessoas que ordenava assasinatos por drone, em que na maioria das vezes morriam inocentes ganhou um Nobel da Paz, como ele consegue dormir a noite.

Camargoer
Reply to  Carlos Campos
13 dias atrás

Caro Carlos. Você inverteu a ordem cronológica. Obama recebeu o Nobel da Paz no início de seu governo. Eu chamo aquele premio de “Nobel Preventivo”. Bush Jr desestabilizou a par mundial e quando Obama vendeu a eleição, o comitê do Nobel concedeu-lhe o prêmio como uma resposta ao desastre que foi Bush Jr. Infelizmente, Obama decepcionou todos aqueles que depositaram nele as esperanças de paz. Considero que a ABACC fez o suficiente para a Paz mundial e ainda não recebeu o seu Nobel. Sobre Obama, mesmo que eu concorde com você que foi um erro dar um Prêmio Preventivo, ele… Read more »

Pedro Bó
Pedro Bó
14 dias atrás

Se os EUA não invadissem o Iraque, o lobby dos “contractors” do DoD indicariam outro alvo para um conflito armado.

FERNANDO
FERNANDO
14 dias atrás

Putz
e se!

Se o Brasil não tivesse perdido para a Alemanha, será que teria o golpe de 2016?
E em 1987 eu tivesse falado com a Alessandra que estava vidrado nela, será que hoje não estaria casado com ela?
Tudo relativo, a região sempre foi instável, e o que mantinha nos eixos eram os governos corruptos e ditaduras impostas pelo ocidente, o gérmen da desestabilização já estava lá, alie tudo isso a política + religião (unidas) que eles não conseguem ate hoje separar, deu no que está dando.

Jodreski
Jodreski
Reply to  FERNANDO
14 dias atrás

Vai atrás da Alessandra cara… quem sabe há luz no fim do túnel!

Igor Lima
Igor Lima
Reply to  Jodreski
9 dias atrás

Pois é! Nunca é tarde! Boa sorte e que tenha um final feliz!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  FERNANDO
14 dias atrás

Olá Fernando, Concordo com você. Discutir o que teria acontecido SE isso ou aquilo fosse diferente é perda de tempo. Por outro lado, discutir os erros e acertos é fundamental para compreendermos o presente e decidir no futuro. A invasão no Iraque foi um erro baseado em uma enorme mentira. Colin Powell enterrou a sua biografia naquele teatrinho que tentou emular a crise dos mísseis em Cuba. A imprensa dos EUA ainda precisa fazer uma ampla autocrítica sobre seu papel chapa-branca durante o episódio.59 congressistas e senadores votaram contra a invasão do Iraque (apenas uma congressista votou contra a invasão… Read more »

Pedro Bó
Pedro Bó
Reply to  FERNANDO
14 dias atrás

Se o Brasil não levasse aquela cipoada dos alemães, perderia dos argentinos na final no Maracanã.

pangloss
pangloss
Reply to  Pedro Bó
14 dias atrás

Isso, inclusive, deu origem a uma paródia engraçadíssima, sobre a cena do bunker de Hitler em “A Queda”.

William Duarte
William Duarte
Reply to  Pedro Bó
13 dias atrás

Tem males que vem para o bem. kkkkk

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  FERNANDO
13 dias atrás

golpe de 2016? senhor vc precisa se internado, procure um psiquiatra.

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Carlos Campos
13 dias atrás

Meu amigo, eu tenho uma coisa estranha.
Quando eu fico martelando uma ideia, geralmente é pq tem rato nesta toca.
Tem outras coisas que prefiro não comentar aqui, mas, estou pensando muito ultimamente.
Mas, o futuro e a história nos dirá.

Augusto
Augusto
Reply to  Carlos Campos
13 dias atrás

Carlos Campos, foi golpe sim, um presidente sofrer um processo de impeachment por não cumprir a lei de responsabilidade fiscal e ainda sim manter seus direitos políticos e um tremendo de um golpe.

Augusto
Augusto
Reply to  FERNANDO
13 dias atrás

Fernando, vou melhorar a sua pergunta. Será que se a “gerentona” não tivesse feito as suas pedaladas fiscais ela teria recebido o dito “golpe”?

Sequim
Sequim
Reply to  Augusto
13 dias atrás

O que é interessante nessa história de “pedaladas fiscais” é que depois que o Temer assumir, dois dias depois, as ditas pedaladas fiscais foram legalizadas pelo Congresso.

Augusto
Augusto
Reply to  Sequim
13 dias atrás

Pode até parecer estranho Sequim, mas se a dois dias era crime, então a então presidenta cometeu um crime, validando assim o impeachment, está dentro da constituição o Congresso fazer isso. O que não pode é um presidente sofrer impeachment e ainda manter seus diretos políticos, isso sim pode ser considerado golpe.

Augusto
Augusto
Reply to  Augusto
13 dias atrás

e de forma alguma defendo o congresso em ter legalizado as “pedaladas fiscais”. A lei de responsabilidade fiscal foi um dos poucos pontos positivos da gestão FHC.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
14 dias atrás

Concordo com João Andaime… É difícil especular o que aconteceria se Bush não tivesse invadido o Iraque que aliás foi invadido duas vezes e na segunda invadiu e derrubou o Saddam com alegações infundadas mas que atendia a sede de vingança norte-americana.
Mas o fato é que os EUA não teriam acesso ao segundo maior reservatório do mundo em petróleo e talvez tenha sido essa maior razão de se estabelecer no Iraque.

Augusto
Augusto
Reply to  Luiz Trindade
13 dias atrás

Luiz Trindade, alguém ganhou muito dinheiro nessa historia, e com certeza não foi o contribuinte americano e muito menos os 200mil iraquianos mortos que finalmente conquistaram sua liberdade.

Camargoer
Reply to  Luiz Trindade
13 dias atrás

Olá Luiz. A primeira guerra do Golfo, ordenada por Bush Pai, foi liberar o Kwait. A segunda guerra, ordenada por Bush Jr, foi uma guerra de agressão.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Luiz Trindade
13 dias atrás

Na Primeira Guerra do Golfo contra o Iraque, os EUA assumiram a posição de libertar o Kuwait porque não queriam deixar Saddam controlar a oferta do mercado de petróleo no mundo naquela época, se eu não me engano, ele controlaria 1/3 se o Kuwait não fosse libertado, os EUA como o maior importador não poderia deixar isso acontecer, ainda mais com o Saddam usando a prerrogativa de que estava obcecado com o preço baixo por conta dos sauditas, o que encareceria a importação de petróleo aos EUA, portanto, maior custo para os americanos, isso com certeza afetaria a economia americana.… Read more »

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  Luiz Trindade
13 dias atrás

Luiz eu vejo desta forma, basicamente vingança pessoal da turma que trabalhou para o Bush Pai, sede de terminar o serviço inacabado da Guerra do Kuwait.
Algo que nunca teve relação com o 9/11! (que também era basicamente vingança, retaliação ao ataque sofrido, mas neste caso, totalmente justificado)
Já o Petróleo entrou como bônus.
Para não perderem a viagem.

Last edited 13 dias atrás by Marcelo Baptista O comunista
Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
14 dias atrás

A história é feita de e “se”. Infelizmente não podemos mudar o passado, apenas tentar melhorar o futuro.

Jodreski
Jodreski
Reply to  Bruno Vinícius
14 dias atrás

o discurso é sempre este: “apenas tentar melhorar o futuro”, mas as ações humanas parecem que sempre vão de encontro ao oposto “tentar piorar o futuro”! 🙁

pedro
pedro
14 dias atrás

O verdadeiro “Se” a ser considerado é: E se Barak Obama nao tivesse vencido as eleições de 2008, como estariamos hj? Tenham a certeza que tanto a invasao do Iraque como no Afeganistao nao teria terminado nessa M…..que o mundo inteiro viu. Quem F…eu com os EUA e virou o mundo de cabeça para baixo na realidade foi o queridinho da midia democrata americana e nao Bush, Trump ou o inepto do Biden, que com suas medidas fracas, ineptas e demonstrando uma imensa incompetencia, transformou duas guerras quase vencidas em derrota iminente e ainda abriu o ocidente para tantas outras… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  pedro
13 dias atrás

olha que o Obama era uma merd@ tudo bem, mas que a invasão do Iraque foi uma merd@ é verdade também.

Camargoer
Reply to  Carlos Campos
13 dias atrás

Caro Carlos. Quem ordenou a invasão foi Bush Jr. O erro de Obama foi se abster na votação no congresso dos EUA.

Augusto
Augusto
Reply to  pedro
13 dias atrás

pedro, concordo que as gestões do Obama e do Clinton foram muito ruins para os americanos. Mas não podemos a responsabilidade de Bush Jr. A invasão do Iraque não teve justifica nenhuma em termos geopolíticos para os americanos. Por mais que o regime de Saddam fosse hediondo, ele não tinha condições nenhum de ameaçar a América. Muito pelo contrario, ele era um contra peso contra os regimes dos Aiatolás no Irá. Os americanos não ganharam nada com essa invasão (do ponto de vista do contribuinte americano) e ainda saíram bem desgastados internacionalmente com essa guerra. Com todos esses pontos e… Read more »

Jodreski
Jodreski
14 dias atrás

Se…. os EUA não tivessem invadido o Iraque, Sérgio Vieira de Mello ainda estaria vivo!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jodreski
13 dias atrás

amgiguinho de ditador

Ivan
Ivan
14 dias atrás

Os EUA não estavam preocupados com a brutalidade do regime de Sadan Hussein, especialmente de seus filhos loucos e assassinos. As companhias petrolíferas, grandes apoiadoras de Bush, queriam as reservas petrolíferas e as têm até hoje, bem como mais de 90% do petróleo da Síria (a parte que os EUA ocupam na cara de pau. Israel queria o esfacelamento do Iraque e certamente deve ter pressionado os EUA. Mas não se pode esquecer a grande riqueza da região: ÁGUA. Israel controla o Rio Jordão e torna as áreas palestinas permanentemente inóspitas. O Nilo não era preocupação com o Egito quieto… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Ivan
13 dias atrás

sobre as petroleiras eu não sei, mas sobre os Palestinos tenho pena deles, eles tem dinheiro para míssil, drone, morteiro, foguete, túnel, menos para dessalizar água ou fazer poços.

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  Ivan
13 dias atrás

Eu acho que não interessava a Israel a queda do Saddam, era bom para manter os Aiatolás sobre controle.
Fazia com que o Irã tivesse que dividir sua atenção em ajudar os grupos xiitas dentro do território Iraquiano.

Paulo Araujo
Paulo Araujo
14 dias atrás

A liderança norte americana vem cometendo um grande quantidade de erros, nas últimas décadas. Os acontecimentos prévios e atuais são as consequências deles. O crescimento do poder e o desafio da China, a união desta com a Rússia, que já foi aliada, o fortalecimento do terrorismo que se queria combater, a retirada humilhante do Afeganistão. Tudo isso se desenvolveu durante anos, não foi um bang! Mas não foi por falta de conselhos bons. Se o país mais poderoso foi por este caminho que se mostrou ruinoso é por que a sua liderança, em cada época, o levou por ele. E… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Paulo Araujo
13 dias atrás

O que Kennan disse ficou comprovado como certo. Ao recusarem tratar a Rússia como trataram outras nações, Obama, Hillary e os neocons estão criando a Rússia que eles dizem temer, uma nação que está se armando encrespada de ressentimento. O Eisenhower, disse em fevereiro de 1951 acerca da OTAN: “Se em 10 anos, todas as tropas americanas estacionadas na Europa para propósitos de defesa nacional não tiverem retornado aos EUA, então esse projeto inteiro terá sido um fracasso.” A principal aliança militar da Guerra Fria liderada pelos EUA deveria ter desaparecido depois da dissolução da União Soviética. A União Soviética… Read more »

Paulo Araujo
Paulo Araujo
Reply to  Matheus S
12 dias atrás

A OTAN acabou se tornado um fim ela mesma.
Se não existir um adversário e missão, inventam.
A estrutura se tornou muito grande para desaparecer.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Paulo Araujo
13 dias atrás

Paulo, por incrível que pareça, a meu ver o mundo hj é mais seguro, não porque os planos americanos (se é que havia um) deram certo, mas justamente porque deram errado. Tudo de concreto que se se alcançou ao fim dessas 2 guerras foi acelerar a multipolaridade, o declínio da Pax Americana, e a ascenção da China. O custo dessas empreitadas, na casa dos Trilhões, só aumentou o já extraordinário déficit americano. Essa conta precisará ser paga algum dia. É preciso destacar também que no campo moral o desgaste americano é estrondoso, tanto interna quanto externamente. Por um bom tempo… Read more »

Paulo Araujo
Paulo Araujo
Reply to  Satyricon
12 dias atrás

Que o “fim da história” tenha encontrado o seu fim é bom.
Li em algum lugar que o caminho dos EUA é deixar de ser Imperial e se tornar um país normal.
Como o Reino Unido deixou de ser Império e se tornou o que é hoje.
A questão é com que dores e crise isso acontecerá, ou não.
Acredito que se os EUA puderem concentrar recursos nos seus problemas imediatos será bom, principalmente para eles.
A capacidade existe, mas eles devem permanecer na arena como competidores e não como agressores.

Thiago
Thiago
13 dias atrás

Tem uma série muito boa que retrata a guerra do Iraque do ponto de vista dos combatentes: Generation Kill, tem no HBO Max. É ao lado de Band of Brothers uma das melhores séries de guerra.

Alex
Alex
13 dias atrás

Pois é … li a matéria acima e ia escrever que, de certa forma, os EUA tudo pode, daí leio hoje na mídia, outro fato que eu ia dizer que era “off topic”, mas pensando bem, não é não! Pois, juntando com essa do Iraque, podemos ter uma ideia de como pensam os “senhores da guerra” norte-americanos. Segundo matéria da France Press, em um livro escrito pelo Bob “Watergate” Woodward e Robert Costa, cujo título é “Peril”, a ser lançado brevemente, o general Mark Milley, chefe do Estado-Maior temeu que Trump, após ser derrotado na eleição – naquela fase que… Read more »

Last edited 13 dias atrás by Alex
Zeus
13 dias atrás

A muito tempo assisti a um documentário no qual numa parte um ex oficial que trabalhou no pentágono como chefe de investigação após o 9/11 afirmou que D. Rumsfeld, que neste momento se encontra girando na churrasqueira de Hades, disse a ele que queria evidências para invadir o Iraque. O oficial disse que o questionou dizendo que “mas o Iraque não tem nada a ver com isto, não há evidências!”, porém rumsfeld o replicou severamente dizendo que ” não importa, o Iraque é o alvo, e nós vamos invadí-lo!”. Foram lá para gerar lucros bilionários para os que estavam naquela… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Zeus
13 dias atrás

e o povo acha que lá não tem corrupção, todos, os presidentes, todos, tem algo a se revelar, a questão é que ambos democratas e repúblicanos deixaram a máquina de fazer dinheiro rolar.

Carlos Campos
Carlos Campos
13 dias atrás

O Iraque necessitava do Sadam, ruim com ele pior sem ele, destruíram o país que tinha um padrão de vida parecido com o Brasileiro na época, aliás eram clientes nossos,e algumas pessoas até falam que o Iraque financiava a pesquisa de foguetes brasileiros, pura especulação, mas que era um cliente nosso, isso é verdade, não ligo para a vida dos soldados americanos, foram para lá na maioria das vezes pq queriam, sinto pela vida dos Iraquianos se foram e do país em que se encontram agora, onde o Sul Xiita tá dominando o país por ser a região mais rica,… Read more »

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
13 dias atrás

Discutir o “e se” é complicado, porque não se volta atrás …. Mais aprender com erros é possível sim e acho que é nessa direção que deve ser feita a análise,

Eu pessoalmente nunca entendi muito os motivos dessa invasão ao Iraque de 2003….. Mais fato é que o ou motivo(s) não foi só ameaça de terrorismo e armas químicas…

Teropode
13 dias atrás

O erro foi permanecer em todo Iraque , poderiam ter semeado a semente do mal e se deslocarem para terras curdas , se a intenção foi se vingar semeando discórdia no mundo muslins eles fracassaram ao permanecerem na região , sem querer evitaram um conflito generalizado entre sunitas e xiitas , foram incompetentes …..

Camargoer
Reply to  Teropode
13 dias atrás

Caro Teropode. Acho necessário considerar qual foi o objetivo da invasão. Imagino que era derrubar Sadan e controlar as reservas de petróleo. Neste sentido, acertaram.

Teropode
Reply to  Camargoer
13 dias atrás

Não havia necessidade , poderiam comprar a preço de banana durante a guerra civil entre xiitas e sunitas ,,foram manés ….

Teropode
Reply to  Teropode
13 dias atrás

E teria sido uma vingança majestral , mas……ainda há tempo ,

Camargoer
13 dias atrás

Olá Colegas. Apesar de não fazer sentido nenhum, fico pensando o que teria acontecido de diferente se Al Gore tivesse vencido a eleição presidencial.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Camargoer
13 dias atrás

Se Al Gore fosse um presidente semelhante ao Obama, com toda a certeza seria um governo menos desastroso do que o intervencionismo exagerado da doutrina Bush.

Marcelo Baptista O comunista
Marcelo Baptista O comunista
Reply to  Camargoer
13 dias atrás

“What if” o Al Gore tivesse ganho, bem os ataques de 9/11 já estavam em planejamento muito antes, e eu acho que ocorreriam, infelizmente, da mesma forma.
Já a invasão do Iraque, definitivamente não, o staff era outro, sem interesses no Saddam.

XFF
XFF
13 dias atrás

Titio Sam tentou fazer a mesa empreitada igual que fizeram Iraque na Síria, mas o Putin enfrentou o Titio Sam de frente e não deixou derrubar o governo Sírio.

Sempre usando direitos humanos e democracia pra invadir outros países, mas na verdade, o que eles queriam mesmo era botar a mão nos recursos naturais desses países.

Titio Sam tentou fazer a mesa coisa que fez no Iraque na Venezuela, mas a Rússia e a China não deixaram.
Com raiva, sem conseguir realizar seus objetivos, o Titio Sam Aplicou sanções severas contra Síria e Venezuela.

Last edited 13 dias atrás by XFF
Matheus S
Matheus S
13 dias atrás

“Henry Kissinger explica por que apoiou a Guerra do Iraque: “porque o Afeganistão não era suficiente”. “No conflito com o islã radical, eles querem nos humilhar. E nós precisamos humilhá-los.””

Kissinger é um paspalhão mesmo, o cara é provavelmente o diplomata mais superestimado da história dos EUA.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Matheus S
13 dias atrás

“O poder é o afrodisíaco mais forte”

Henry Kissinger

Teropode
Reply to  Matheus S
13 dias atrás

Era só semear a discórdia e dexa- Los se matar , bastariam criar uma zona de segurança no curdistao sirio e iraquiano , iniciaram isto bem mas se enrolaram …….

Teropode
Reply to  Teropode
13 dias atrás

Os EUA possuem líderes fracos , populistas , com um ego gigantesco , além do discurso piegas de democracia , ontem foi noticiado que o comandante das FAs americanas ligou para o colega chinês dizendo que não era prá se preocuparem com a retórica do Cenoura , imagine uma nação com tanto poder cometendo o erro de eleger uma pessoa estelionatária . Os EUA são vítimas da própria soberba …

Adriano Madureira
Adriano Madureira
13 dias atrás

E se George W. Bush não tivesse invadido o Iraque? No meu ponto de vista, se ele não tivesse invadido o Iraque, iria passar uma posição de fraqueza aos países inimigos e aos vários grupos terroristas existentes no mundo… Oque poderia encorajar tais grupos a atingir alvos americanos domesticamente e no exterior,assim como qualquer turista americano poderia virar um alvo,seja de morte ou sequestro. Apesar de Saddan Hussein não ter tido envolvimento com os ataques ao WTC, a administração Bush só quis juntar o “útil ao agradável” ao incluir o Iraque como um de seus alvos. Certamente Washington saiu ganhando… Read more »

Talisson
Talisson
12 dias atrás

Essa guerra foi um crime abominável. Derrubaram o grande tirano que levava os desafetos para a masmorra de Abu Graib. Destruíram o país e continuaram levando os desafetos para Abu Graib.

Rafaelsrs
Rafaelsrs
11 dias atrás

A invasão iraquiana teve dois motivos:
1) Vingar papai que não aniquilou Hussein na 1º guerra do Golfo;
2) Privatizar as reservas iraquianas de petróleo para os amigos texanos do presidente.
Mais simples impossível!

Augusto
Augusto
Reply to  Rafaelsrs
11 dias atrás

Realmente Rafael, mais simples do que você escreveu e impossível.

Sds.

Últimas Notícias

Paraquedistas russos começam exercícios em grande escala na Crimeia

SIMFEROPOL, 27 de setembro. /TASS/. Os exercícios em grande escala de um assalto aéreo com um regimento de artilharia...
- Advertisement -
- Advertisement -