quinta-feira, janeiro 20, 2022

Saab RBS 70NG

BAE Systems entrega 20 veículos de combate M113 AS4 com tripulação opcional para o Exército Australiano

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Usando tecnologias autônomas líderes mundiais desenvolvidas localmente, a BAE Systems Australia entregou 20 veículos de combate opcionalmente tripulados M113 AS4 (OCCVs) para o Exército Australiano. Cada M113 AS4 é equipado com um Sistema de Gerenciamento de Veículos, derivado das tecnologias de autonomia agnóstica de domínio da BAE Systems, que permite operar de forma autônoma.

Os veículos demonstradores agora estão fornecendo percepções cruciais sobre as capacidades das tecnologias autônomas integradas em futuros campos de batalha. Quatro veículos foram recentemente testados como parte do Exercício Koolendong, um exercício de combate com tiro real de ponta no Território do Norte. O Exército testou com sucesso as limitações dos veículos e a capacidade autônoma em condições adversas dentro do ambiente de combate.

Adam Watson, diretor da BAE Systems Australia do Red Ochre Labs, disse: “É empolgante porque temos uma oportunidade única de fazer parceria e trabalhar com o Exército para desenvolver essa tecnologia juntos. Desta forma, podemos garantir a melhor capacidade e valor para o investimento”.

O projeto começou em 2019 com a equipe instalando hardware e software em dois transportadores blindados de pessoal M113 AS4 para permitir que os soldados os operassem de forma autônoma. O escopo foi estendido em 2020 com mais 16 veículos M113 AS4 convertidos em OCCVs, permitindo que eles sejam operados de forma autônoma ou como um veículo tripulado padrão.

O projeto agora entrará na próxima fase, onde o Exército testará e ensaiará a frota de OCCVs por meio de uma infinidade de atividades. A equipe da BAE Systems continuará a trabalhar em estreita colaboração com o Exército para obter feedback e aprimorar a capacidade autônoma e alinhar a tecnologia por meio de atualizações de capacidade. A capacidade soberana da BAE Systems em tecnologias autônomas é construída em mais de 30 anos de projetos autônomos complexos.

A empresa continua a investir nas capacidades de liderança mundial da Austrália como parte do Trusted Autonomous Systems Defense Cooperative Research Centre, e tem o orgulho de aprimorar as habilidades e capacidades de pesquisa da indústria de defesa australiana por meio de pesquisa colaborativa na defesa, indústria e academia.

FONTE: APDR – Asia-Pacific Defence Reporter

- Advertisement -

14 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Crispim
Carlos Crispim
1 mês atrás

isso é que é modernização de M113 e não as atualizações ridículas que fazem aqui, essa sim é de respeito, parabéns.

Mars
Mars
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Quer um ossinho totó??? Vem totó, vem pegar um ossinho…

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Essa sim também é outra decente,bem tecnológica…

comment image
comment image
comment image

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
1 mês atrás

E primeiro me perguntei qual seria a utilidade de um veiculo de transporte de tropas não ser tripulado. Aí, no meio do vídeo, veio a resposta. Para carregar outros robôs

carvalho2008
carvalho2008
1 mês atrás

Longa vida ao M113!!!!

Last edited 1 mês atrás by carvalho2008
carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
1 mês atrás
Tomcat4,2
1 mês atrás

E há outras modernizações bacanas se aproveitando da plataforma M-113 o deixando muito mais capaz. Se o EB colocar a Remax no M-113 BR já vai agregar muito em capacidade e sobrevivência.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
1 mês atrás

Gostei do “cachorrinho de metal. Deve morder bem.

Teropode
1 mês atrás

Há muitos M113 por aí , o EB poderia entregar 1 para cada faculdade e centro tecnológico , apoiando financeiramente e promovendo uma competição para ver quem entrega um vetor semelhante a este , eles poderiam após a automatização realizar tarefas anti -areas , portando radares , mísseis , canhões anti-aereos , seriam as sentinelas dos grupos de MBT e da artilharia …..

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

Rapaz, o M-113 parece um gato, tem sete vidas ou mais… é o fusca do EB e de outros países…

eu gosto da versão Israelense,o IAI CARMEL…
comment image

Michel
1 mês atrás

Esses veículos são armas de verdade. Aqueles que foram doados em caridade ao Brasil pareciam entulho antigo que estavam ocupando espaço desnecessariamente em algum depósito.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
1 mês atrás

É incrível como o M113, com os seus 60 anos de idade, se recusa a morrer. Esse é um projeto que já viu e participou de muita coisa, o equivalente terrestre do B-52.

Danieljr
Danieljr
Reply to  Bruno Vinícius
1 mês atrás

Acho que um dos motivos é o formato, tipo de construção e powertrain. Pode-se fazer qualquer coisa com um negócio quadrado, que entra uma boa gama de motores/transmissão, sem muitos empecilhos modernos que restringem upgrades. Cito como comparação as picapes antigas, você pode retirar a caçamba de metal e colocar uma de madeira, trocar o motor, trocar a cabine, colocar tração 4×4 de outro veículo e pneus de lama e ir brincar de trilhas. Picapes modernas são cheias de coisas que inviabilizam quase qualquer modificação não esperada, muito mais fácil de ser descartada em um período mais curto de uso.… Read more »

tadeu54
1 mês atrás

Os drones terrestres tem muito futuro, e a Austrália está certa, ao invés de gastar com desenvolvimento a partir do zero, pegou uma viatura com blindagem leve e adaptou para seu desenvolvimento.

Últimas Notícias

Casa Branca diz que Rússia pode lançar ataque à Ucrânia ‘a qualquer momento’

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse a repórteres na terça-feira que os EUA acreditam que...
- Advertisement -
- Advertisement -