quinta-feira, janeiro 20, 2022

Saab RBS 70NG

EDEX 2021: GIDS do Paquistão revela o SHAHPAR-II, drone armado de média altitude e longa duração

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O conglomerado de defesa do Paquistão, Global Defense and Industrial Solutions (GIDS), revelou uma versão armada de seu drone de reconhecimento SHAHPAR-II de média altitude e longa duração (MALE) na Egypt Defense Expo EDEX 2021.

O drone está armado com duas novas munições ar-solo Burq guiadas por laser semi-ativo  (avançado) com um alcance de 8 quilômetros, desenvolvidas pela NESCOM do Paquistão, em duas estações de armas capazes de lidar com 60 kg de munição cada.

O drone tem um teto de serviço de 20 mil pés para vigilância e 18 mil pés para missões de ataque, uma autonomia de 14 horas para vigilância e 7 horas para missões de ataque e um alcance de link de dados em tempo real de 300 quilômetros mais capacidades SATCOM BLoS no drone com alcance completo de 1.050 quilômetros.

O drone também possui decolagem e pouso automatizados, trens de pouso retrátil, pouso assimétrico e incorpora compostos na estrutura para tornar o drone mais leve e mais aerodinamicamente manobrável.

Vários tipos de cargas úteis de vigilância também podem ser integrados ao drome armado, incluindo a nova torre Zumr-II EO/IR, casulo de mira e radares de abertura sintética (SAR), bem como cargas úteis COMINT/ELINT.

O drone é a entrada do Paquistão no mercado tático de UCAV MALE de médio alcance, para complementar o TB-2 turco, mas com um preço mais competitivo.

Espera-se que as Forças Armadas do Paquistão sejam o primeiro cliente do drone, antes de ser oferecido a provavelmente vários países da África, América do Sul e Oriente Médio.

As Forças Armadas do Paquistão seriam capazes de produzir o drone em grandes quantidades conforme e quando necessário, dando um impulso considerável em capacidades táticas de drones armados e um destruidor de blindados nativo versátil e relativamente barato para uso na frente oriental.

FONTE: Pakistan Strategic Forum

- Advertisement -

39 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Guacamole
Guacamole
1 mês atrás

Até o Paquistão consegue fabricar equipamento de ponta.
E nós ainda tentando “modernizar” o Cascavel do tempo do Ariri.
Meu Deus do céu…….

Slow
Slow
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

A prioridade aqui é modernizar o cardápio .

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Slow
1 mês atrás

kkkkk

Teropode
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

O que tem haver não produzir drone médios com a decisão acertada de modernizar os cascavéis ? Está cheio de exemplos de países que dominam uma ampla gama de tecnologia e estes já optaram por modernizar seus meios de combate , ora tanques , aviões , helicópteros , a Rússia que dispensa apresentações ainda utiliza 8×8 da década de 80 que foram modernizados e prestam excelentes serviços a eles , lado a lado de 8×8 mais atuais e modernos … não é demérito modernizar um veículo com as ótimas características do Cascavel ….o pessoal tem que entender que o design… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Teropode
Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Se o M-113 é o fusca, o bombril de muitas nações, com 1001 versões ,desde a sua versão principal até sistema lançador de mísseis, por que o Cascavel não pode ser modernizado e adaptado para outras funções?! Se há um certo número em estoque, que usem algumas dezenas de unidades e o restante pode ser usados como fonte de componentes… Se ele é um veículo para missões de reconhecimento, certamente poderiam lhe dar uma nova função, como um veículo lançador de mísseis anti-tanque (ATGM).equipá-lo com uma torreta, algo semelhante a um Panhard ou até mesmo um GAZ Tigr. Oque é… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Beto
Beto
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Até o Paquistão?
Um país que é uma potência nuclear…
Vários ganhadores de prêmio Nobel na área da ciência…
Vasta indústria militar…
rsrsrsrs…

edimar
edimar
Reply to  Beto
1 mês atrás

Cirurgico.

kahllil
kahllil
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Tudo é questão de prioridade, para o nosso Governo em geral ( os três poderes tem culpa nisso) defesa e so uma brincadeira ou forma de obter mais voto logo como esta e tratada com algo segundaria recebe orçamentos de nível secundário….. isso se chama geopolítica. Países do oriente médio e Europa, este que ja viram suas fronteiras, reinos e populações serem dominadas subjugadas e escravizadas por exércitos estrangeiros nao querem ver a historia se repetir. Nossa cultura e historia são totalmente diferentes logo esses tontos de nosso lideres deixam brecha para que tais sofrimentos caiam sobre nos um dia.… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Nós produzimos um caça leve, prozuzimos um cargueiro melhor do que o mais vendido da categoria, o que nós falata não é capacidade, mas sim investimento na área.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Sem desmerecer o Super Tucano que é um vetor fantástico e o melhor de sua categoria, mas ele não é um caça nem um caça leve.

É sim um turboélice, uma aeronave de leve de ataque e COIN com capacidade de ser usada como treinador, caça leve é outra categoria como o KAI FA-50 ou o HAL Tejas.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

tudo bem, mas que ele é bom no que faz e por isso é um sucesso é a relaidade.

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Talvez seja porque o Paquistão tem a Índia como vizinho e inimigo, nuclear por sinal. Fora Afeganistão, Irã e China que também estão em suas fronteiras. Paquistão e China são parceiros hoje mas a história mostra que isso muda. No passado argentinos lutaram pela RAF na segunda guerra mundial. Tempos depois pilotos argentinos afundavam navios britânicos. Podem ser China e Paquistão amanhã. Afeganistão e Irã são duas bombas prontas para explodir a qualquer momento. E quanto a nós? Temos os venezuelanos como uma possível ameaça, se é que seria realmente uma, narcotráfico e políticos de estimação, sejam de esquerda ou… Read more »

Carlos Vulcano
Carlos Vulcano
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Não vejo problemas em modernizar alguns equipamentos, talvez para uso no cenario sulamericano….o maior problema é a dificuldade para desenvolver equipamentos de ponta, em que muitos paizecos ja estão utilizando…tipo drones de ataque….sistemas de anti-aereo de curto alcance, blindados porta-morteiros, porta misseis anti-aereos….e outros mais…..triste!!

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

As Forças Armadas brasileiras pararam no tempo! Essa é a verdade!

Airton
Airton
1 mês atrás

É verdade aquilo que estao falando? Que a FAB por motivos estratégicos resolveu reduzir as encomendas de Gripen para 24 unidades e fechou um contrato com a embraer para modernizar os super tucanos colocando turbinas de e-jet para estender a vida útil por mais 150 anos?

Alexandre Galante
Admin
Reply to  Airton
1 mês atrás

Que viagem na maionese é essa?

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
Reply to  Airton
1 mês atrás

Mestre Airton…não sei o que esta tomando, mas vende que vc vai ficar rico…..kkkkkkkkkkk

Igor
Igor
Reply to  Airton
1 mês atrás

Bwahahaha!! Sensacional!!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Airton
1 mês atrás

pegou essa informação na cracolândia?

fewoz
fewoz
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Hahaha genial

A6MZero
A6MZero
Reply to  Airton
1 mês atrás

kkkkkkkkkkkkkk.

Já que é pra entrar nessa onda porque não aproveitar e por o Super Laser da estrela da morte nos Super Tucano…

Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Parece um desenvolvimento muito interessante.
Além da informação acima da possibilidade de construção em grandes quantidades.

_RR_
_RR_
1 mês atrás

Muita gente fala em MBT, artilharia e tal… Mas é aí que se encontra a verdadeira prioridade para qualquer exército moderno, isto é, sistemas de vigilância/reconhecimento e ataque de operação remota. É isso, quer dizer, drones como esse é o que deveríamos estar perseguindo, em se tratando de apoio de fogo e interdição do espaço de batalha em cenários assimétricos. É coisa simples de fazer e manter, com custos muuuuito mais baixos que qualquer Super Tucano. Qualquer, QUALQUER, país com um parque aeronáutico minimamente estabelecido, PODE fazer isso…! Não é nada substancialmente caro… Aqui, eu digo: não há qualquer justificativa… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  _RR_
1 mês atrás

falava isso a 2 anos, teve gente até querendo me ridicularizar, ,mas parece que as forças armadas do Azerbaijão me ouviram, ou não, mas investiram em drones.

Last edited 1 mês atrás by Carlos Campos
Nostra
Nostra
1 mês atrás

Shahpar is license produced Chinese CH-3/A UCAV

Burq is license produced Chinese AR-1 missile used by CH-3/A

carcara_br
carcara_br
Reply to  Nostra
1 mês atrás

Eu ia comentar exatamente isto, onde os paquistaneses arrumaram um sensor tão avançado pros mísseis? Explicado…

Rafael M. F.
Rafael M. F.
1 mês atrás

Manero, hein?

Mas isso não seria notícia para o Poder Aereo?

Romão
Romão
Reply to  Rafael M. F.
1 mês atrás

Sim e não. Drones podem ser operados de terra e de embarcações também. Pode ser postado aqui, no poder aereo ou no poder naval.

joel eduardo soares
1 mês atrás

Bom dia Senhores
pergunta de leigo
(PHMAtlântico pode operar drones de ataque e vigilancia?
Sds

A6MZero
A6MZero
Reply to  joel eduardo soares
1 mês atrás

Ele pode utilizar drones com configuração similar a helicópteros como o Camcopter ou MQ-8B que possuem capacidade de ataque e vigilância.
Além de Drones menores, com capacidades reduzidas e voltados a vigilância, com lançamento manual ou por catapulta que poderiam ser utilizados sem nenhum grande problema ou necessidade de modificação.
Agora modelos como o do matéria ou drones maiores é bastante improvável, por mais que houvesse espaço para decolagem ou a possibilidade de usar uma catapulta para auxiliar o lançamento não seria possível a recuperação ou pouso sem modificações na embarcação.

joel eduardo soares
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

Obrigado!

Johan
Johan
1 mês atrás

Que as FA estão atrasadas na questão dos SARPs não resta dúvidas, mas a partir do ano que vem, o EB irá operar um sistema composto por três SARPs Nauru 1000 e por veículo de comando, já adquiridos . Este SARP da Xmobots de SP possui pouso e de decolagem vertical e me parece bastante interessante. O mesmo está em testes iniciados no primeiro trimestre deste ano.
Quanto ao SARP de ataque o EB traçou um cronograma onde se pretende ir galgando know-how em SARPs cada vez mais complexos culminando no armado.

Last edited 1 mês atrás by Johan
JOAQUIM ROCHA
JOAQUIM ROCHA
1 mês atrás

Boa tarde, entendo 60kg em cada pilone muito baixo, está certa essa informação ?

A6MZero
A6MZero
Reply to  JOAQUIM ROCHA
1 mês atrás

Para essa categoria de aeronave está na média essa capacidade.

Muito próxima aos outros UAVs medianos, o pilone é bastante para misseis similares aos Hellfire (50kg), o Burq (míssil que ele devera utilizar é ainda mais leve com 45kg) ou seja tem uma boa margem de segurança nesses 60Kg.

JOAQUIM ROCHA
JOAQUIM ROCHA
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

A6MZero, obrigado pela explicação.

Jorene
Jorene
1 mês atrás

Já está passando da hora do Brasil ter drones de ataque, de preferência construídos aqui. Estão esperando o quê ?

Alexandre Galante
Admin
Reply to  Jorene
1 mês atrás

Uma guerra.

Carlos Vulcano
Carlos Vulcano
1 mês atrás

Realmente parece q é uma piada…todo mundo consegue desenvolver tecnologia de ponta, sistemas anti-aereos e drones….e nós nada

Andre
Andre
1 mês atrás

Parabéns ao Paquistão. Fez certíssimo ao se aproximar da China e está colhendo os frutos.

Seu vizinho Irã se aproximou da Rússia e o avião 5gen dos dois segue no mesmo ritmo.

Últimas Notícias

Casa Branca diz que Rússia pode lançar ataque à Ucrânia ‘a qualquer momento’

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse a repórteres na terça-feira que os EUA acreditam que...
- Advertisement -
- Advertisement -