quinta-feira, setembro 29, 2022

Saab RBS 70NG

Embraer e Exército Brasileiro apresentam o radar nacional SABER M200 VIGILANTE de alerta aéreo antecipado

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Campinas – SP, 10 de dezembro de 2021 – A Embraer e o Exército Brasileiro (EB) apresentaram hoje, em evento na unidade Embraer Campinas, o radar SABER M200 VIGILANTE. Fruto do desenvolvimento conjunto de radares para o Governo Brasileiro, o radar nacional foi desenvolvido para atender às unidades de defesa antiaérea do país, com vistas também ao incremento do portfólio de produtos da Embraer e à exportação de sistemas de defesa integrados.

“Estamos orgulhosos em presenciar este evento, em conjunto com a Embraer. Ao longo de mais de 15 anos de trabalho conjunto, a sinergia entre Exército e Embraer permitiu alcançar a autonomia nacional no desenvolvimento da capacidade tecnológica dos agora radares digitais, com tecnologia phased array, que em breve ampliarão as capacidades da nossa tropa, mantendo a operação continuada com o apoio da nossa Base Industrial da Defesa (BID)”, disse o General de Exército Guido Amin Naves, Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) do Exército.

O novo radar terrestre nacional terá como finalidade o atendimento das necessidades das Forças Armadas Brasileiras nas suas missões de vigilância de baixa altura destinadas à defesa antiaérea. Desenvolvido no Brasil pela Embraer e pelo Centro Tecnológico do Exército (CTEx), organização militar integrante do Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Exército (SCTIEx), o radar SABER M200 VIGILANTE tem como objetivo principal mobiliar as Unidades de Artilharia Antiaérea da Força Terrestre, embarcando as mais atualizadas tecnologias de radares, disponíveis em poucos países.

“Celebramos neste evento uma importante etapa na colaboração com o Exército Brasileiro. Para a apresentação do primeiro radar SABER M200 VIGILANTE, vários desafios tecnológicos foram superados em conjunto com o Exército ao longo de seu desenvolvimento, valendo-nos das capacidades de engenharia e de processos de gestão de projetos complexos da Embraer. A adoção do radar e o início de operação pela Força Terrestre será fundamental para validação e endosso da solução visando futuras exportações”, disse Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa e Segurança.

Esse novo desenvolvimento passará a integrar a família de radares nacionais, que já conta com o radar SABER M60, destinado à busca de alvos aéreos e que atua integrado a um Centro de Operações Antiaéreas, e o radar SENTIR M20, destinado ao monitoramento de alvos terrestres e em uso no Sistema de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON). Além disso, a família de radares nacionais em breve contará também com um novo resultado de pesquisa e desenvolvimento, o radar SABER M200 Multimissão, o qual será destinado a integrar Sistemas de Defesa Antiaérea de Média Altura.

Tais esforços do Exército Brasileiro e da Embraer contaram com apoio da BID e de órgãos de fomento, destacando-se as contribuições da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e do Banco Nacional de desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde sua fundação, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

83 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus
Matheus
9 meses atrás

Então é um radar “standalone” ao invés de ser um complemento do M200?
Ou o M200 era só um protótipo e esse é a versão final?

Astolfo Junior
Astolfo Junior
Reply to  Matheus
9 meses atrás

Esse é o M200 amigo, se você está pensando naquele que foi divulgado anos atrás e era gigante é o protipo desse de fato, miniaturizaram muito ele!

Carlito
Carlito
Reply to  Matheus
9 meses atrás

Aparentemente esta é a versão final ou algo próximo disso. Parece ser um produto muito mais compacto e maduro em relação àquele que vinha sendo divulgado.

Last edited 9 meses atrás by Carlito
Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Matheus
9 meses atrás

Ao que percebi nossa diversos PDF,s do EB que li, é uma “variante” do Saber M200.
São três versões ao todo !

Matheus
Matheus
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Pode postar esse PDF?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Matheus
9 meses atrás

Vou ver se acho novamente e envio o link

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Matheus
9 meses atrás

https://youtu.be/3VnkLuwNUrw
Aqui explica também

Foxtrot
Foxtrot
9 meses atrás

Ufa até que enfim! Achei que era mais outro produto que tinha virado lenda . Em minha modesta opinião, o EB já (as FAAs nacionais na verdade) já deveria nesses 15 anos, estarem desenvolvendo os mísseis (ou o míssil) de defesa aérea para esse radar. Uma versão Solo /Ar do A-Darter, MAA1-B, MAR-01 já deveria estar entrando em produção seriada agora, junto com o radar. Agora serão mais outros 15 anos para o sistema de bateria de mísseis. O Brasil não sabe mesmo tocar programas correlatos em paralelo. Mas ao menos fico feliz de saber que o radar saiu. Realmente… Read more »

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

O problema é dinheiro pra tocar tanto programa junto, né? nós mal conseguimos tocar o pouco que fazemos, imagina se fizéssemos mais…

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Jadson S. Cabral
9 meses atrás

Realmente o dinheiro fica pouco gastando em tanta coisa desnecessária.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

De fato! disso eu não discordo

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Entao amigo, você cobra os seus Parlamentares? As FFAA não emitem dinheiro e não aprovam seus Orçamentos!!!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Marcelo Andrade
9 meses atrás

Cara a mesma choradeira?
Já te respondi em outro post.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Marcelo Andrade
9 meses atrás

Não, mas da forma como gastam aparenta que sim viu !

Marcos Alexandre Queiroz
Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  Marcelo Andrade
9 meses atrás

Mas adoram uma mamata. Como gostam nossos generais de mordomias e pensões para suas filhas.

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
9 meses atrás

A designação correta não seria M/S200?

A abrangência dele para captura, identificação, acompanhamento e designação de alvos seria de 200KM ao mesmo tempo que seria de 450KM para acompanhamento meteorológico.

Só vai faltar um sistema antiaéreo para atuar de forma eficaz.

Eu preferira um desenvolvimento nacional de lançadores más não sendo possível, mei preferido para importação seria o Barak com intercetação em 35km, 70km e 150km.
Associados ao Saber M60 com RBS70, Igla teríamos uma otima cobertura antiaérea.

Gabriel BR
Gabriel BR
9 meses atrás

Show! A Industria de Defesa do Brasil tem tudo para ser um campeão nacional , é só fazermos os aportes necessários.

Sequim
Sequim
9 meses atrás

Fico imaginando um sistema de defesa antiaérea composto pelo sistema astros 2020 podendo lançar os ATM-300, Mansups com alcance extendido e os futuros mísseis hipersônicos X-14. É uma excelente expectativa.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Sequim
9 meses atrás

Duvido muito que a FAB tenha qualquer intenção de usar o 14-X como míssil hipersônico, se está complicado até para os EUA, imagina para nós.

decio
Reply to  Allan Lemos
9 meses atrás

Caso tenha sucesso com o missil, os E.U.A. vai leva-lo, copia-lo, como faz com os super tucano.

Nilo
Nilo
Reply to  decio
9 meses atrás

Nossa que baita tecnologia, correm o risco de copiar tecnologia das empresas deles.

Sequim
Sequim
Reply to  Sequim
9 meses atrás

Na verdade, artilharia costeira.

Jorge Augusto
Jorge Augusto
Reply to  Sequim
9 meses atrás

Então você ta falando de uma Artilharia de Saturação, lançando misseis de cruzeiro e anti-navio, contra aviões? Caramba! Melhor ideia que o F-35 no Atlântico.

Sequim
Sequim
Reply to  Jorge Augusto
9 meses atrás

Grato pela ironia. Evidentemente que essa artilharia costeira seria contra uma esquadra agressora, tipo um Bastião tupiniquim. Eu já lhe agradeci pela sua ironia?

Welington S.
Welington S.
Reply to  Sequim
9 meses atrás

NÃO EXISTE ASTROS ANTI-AÉREO E NEM VAI EXISTIR.

É difícil entender isso? O conceito do ASTROS é o que todos nós vemos e isso não vai mudar, ponto.

Sequim
Sequim
Reply to  Welington S.
9 meses atrás

Grato pela sua educação. Percebe-se de longe sua finesse. Quanto ao Astros anti-aéreo nunca existir, bom “nunca” é muuito tempo, né? Qual seria o problema de se desenvolver uma versão nacional de um Iron Dome? Ou de um sistema Barack? Ou de um sistema S-300? Havendo interesse, por que não? Competência a indústria nacional já mostrou que tem.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Sequim
9 meses atrás

A resposta para sua teimosia é muito simples. ASTROS quer dizer Artillery Saturation Rocket System. Não tem nada a ver com artilharia anti-aérea e nem tem como ter. Isso é devaneio de canalzinho de YouTube feito por adolescente que não faz a mínima ideia do que tá falando. Quando a Avibrás aventou a possibilidade de desenvolver um sistema desses, um caminhão da plataforma ASTROS foi usado como ilustração. Isso nos levou a pensar que se algo fosse realmente feito, havia a possibilidade de se usar os mesmos caminhões dos ASTROS. Mas seria só isso. Portanto, não existe, nem nunca existirá… Read more »

Sequim
Sequim
Reply to  Jadson S. Cabral
9 meses atrás

E eu te pergunto para que tanta grosseria? É só responder com um pouco de educação. Tenta. Não dói.

Murder Nova
Murder Nova
Reply to  Sequim
9 meses atrás

Você é muito sensível

Sequim
Sequim
Reply to  Murder Nova
9 meses atrás

Verdade. Neste momento estou te respondendo chorando baixinho.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Sequim
9 meses atrás

Não existe nenhuma grosseria na minha fala. Apenas respondi a sua insistência.

Marcos Alexandre Queiroz
Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  Jadson S. Cabral
9 meses atrás

Exatamente isso. Canalzinho do YouTube feito e principalmente comentado por adolescentes. Insistem em falar asneiras tais como dizer que o astros é antiaérea.

Allan Lemos
Allan Lemos
9 meses atrás

Excelente avanço para as forças armadas. Agora que já fabricamos mísseis e radares, deveriam investir no desenvolvimento de um sistema de defesa antiaérea nacional, ao invés de comprar um no exterior. Isso estaria completamente dentro das nossas possibilidades, mas é preciso mais vontade e coragem para sair da zona de conforto.

Jean Jardino
9 meses atrás

So uma pergunta de leigo, Aviso atencipado para QUAL artilharia antiaerea?????? e o Brasil tem alguma???

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jean Jardino
9 meses atrás

para uma futura, radares são bem caros, esse só peca por não ser GaN, se fosse estaria no estado da Arte, mas temos uma empresa que sabe mexer com GaN, se fundirmos a tecnologia das duas, daria para colocar radares ainda mais modernos no Gripen, nos novos navios, nas baterias AA, e por aí vai

Nilo
Nilo
9 meses atrás

A pergunta é: em que momento este governo irá comprar ou ao menos assinará um uma intenção de compra?
De promessa e dircurso ufanista, já encheu o saco.

Last edited 9 meses atrás by Nilo
Henrique
Henrique
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Esse governo não compra mais nada… 2022 é eleição então dinheiro só pra santinhos, 2023 é ano de passar reforma ou fazer populismo barato… então pode esperar pra 2024 pelo menos

Up The Irons
Up The Irons
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Uma das grandes compras que será assinada pelo atual governo para o EB é a do novo caça-tanques, provavelmente o Iveco Centauro II, o favorito. Se não me engano a intenção de compra fica entre 98 a 220 unidades. Se também conseguir adquirir um sistema antiaéreo de médio alcance, vai ficar com muita moral com a tropa. Segundo um jornalista de Defesa das antigas, as chances são muito boas pro Land Ceptor

Tomcat4,2
Reply to  Up The Irons
9 meses atrás

Estou torcendo pro Barak 8 mas….. vindo algum sistema já será pra aplaudir de pé.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Up The Irons
9 meses atrás

O EB tá envolvido há anos do desenvolvimento de um sistema. 15 anos para desenvolver um radar no estado da arte e me vem nego defender que o governo faça a compra de um sistema de prateleira, uma caixa preta…

Matheus
Matheus
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Esse projeto já vem rodando a uns bons anos, se o CTEx está envolvido no desenvolvimento então algumas unidades pelo menos serão entregues, que nem os M60.

Ramon
Ramon
9 meses atrás

Realmente essa versão apresentada teve uma grande redução em seu tamanho em comparação com a versão anterior, e que venham mais sistemas e armamentos para nossas defesas AA pois atualmente é uma das nossas grandes deficiências.

Satyricon
Satyricon
9 meses atrás

Excelente notícia.
E quanto a seus dados técnicos?

João Adaime
João Adaime
9 meses atrás

Quando um projeto é um programa de estado e não de governo, sai.

Ednardo Sombra So
9 meses atrás

Pensei que esse radar seria AESA…

Jorge Augusto
Jorge Augusto
Reply to  Ednardo Sombra So
9 meses atrás

O de baixo é AESA.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Ednardo Sombra So
9 meses atrás

mas é AESA.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Ednardo Sombra So
9 meses atrás

E quem disse que não é?

Torama
Torama
9 meses atrás

Embraer Campinas? A Embraer decidiu encerrar a marca Bradar?

João Adaime
João Adaime
Reply to  Torama
9 meses atrás

Prezado Torama
Em abril de 2018 os acionistas da Embraer aprovaram a incorporação das empresas Bradar e Neiva.
Abraço

João Adaime
João Adaime
9 meses atrás

Qual o chassi utilizado?

Welington S.
Welington S.
Reply to  João Adaime
9 meses atrás

É um 6×6 VOP1 MAN Constellation 31.320, que pode ser aerotransportado por um C-130 e KC-390.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Welington S.
9 meses atrás

Welington S.
Obrigado. Não querendo abusar, mas já abusando, os fuzileiros navais utilizam um caminhão escrito Avibrás para o Saber M60. Qual é o chassi?

Saber M60.jpg
Flanker
Flanker
Reply to  João Adaime
9 meses atrás

Caro João, o caminhão que aparece na foto do seu post é uma viatura lançadora do sistema ASTROS do CFN. Ele apareceu na foto junto como radar, mas não é uma viatura do sistema de radar e sim, do sistema ASTROS.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Flanker
9 meses atrás

Obrigado Flanker. Eu desconfiei, mas como não tinha certeza, preferi perguntar.
Abraço e bom domingo.

Francisco
Reply to  João Adaime
9 meses atrás

Vendo uma foto em outro site é um caminhão da Volkswagen.

Carlito
Carlito
Reply to  Francisco
9 meses atrás

A MAN faz parte do grupo VW.

Jorge Augusto
Jorge Augusto
Reply to  Francisco
9 meses atrás

A MAN é a divisao global de caminhões e ônibus do grupo Volkswagen

João Adaime
João Adaime
Reply to  Francisco
9 meses atrás

Obrigado. Depois também vi.

CRSOV
CRSOV
9 meses atrás

Estação de radar sem os mísseis terra ar compatível de nada adianta !! Os aviões inimigos talvez sejam detectados mas não serão derrubados !!

CRSOV
CRSOV
Reply to  CRSOV
9 meses atrás

Compatíveis melhor dizendo

Carlos
Carlos
Reply to  CRSOV
9 meses atrás

Sou leigo no assunto, então o que vou dizer é baseado no ” achômetro”
Será que eles não estavam aguardando a finalização deste projeto para, agora sim, buscar um sistema antiaéreo que melhor se integre a ele? (se é assim que a coisa funciona)

Last edited 9 meses atrás by Carlos
Salim
Salim
Reply to  Carlos
9 meses atrás

E lógico que não. Para montar sistema de defesa, sempre será necessária integração para sistemas existentes. Se fosse desenvolvido em paralelo ai sim teria uma sinergia. Embraer e especialista em integração para produtos novos, kc, ejets…..no desenvolvimento conjunto e possível alterar todos parâmetros meios envolvidos para chegar melhor solução, qdo não e assim virá uma adaptação e sempre se perde capacidades não obtendo otimo desempenho dos componentes. Será muito difícil alguém abrir conteúdo técnico total e fazer alterações de produtos ja consolidados. Somente se volume for Alto teríamos este tipo acesso. Geralmente nossas compras são pequenas, bem abaixo do necessário,… Read more »

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  CRSOV
9 meses atrás

Uma coisa de cada vez, né?

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  CRSOV
9 meses atrás

Já ouviu falar numa coisa chamada FAB? Dizem (mas é segredo) que é uma instituição brasileira que opera aeronaves capazes de derrubar outras. Pessoas ainda mais conspiracionistas diriam até que utilizando esse radar seria possível vetorar essas aeronaves misteriosas para interceptar as aeronaves inimigas.

Last edited 9 meses atrás by Bruno Vinícius
Salim
Salim
Reply to  CRSOV
9 meses atrás

Pelo menos vai dar pra avisar pessoal sair correndo. Já e um começo, estamos bem atrasados em vários pontos defesa nacional, o duro e nao ver nada sendo planejado, so blábláblá.

João
João
9 meses atrás

Excelente notícia, e como será que está a parceria da Avibras com uma empresa estrangeira para desenvolver um sistema AA?

Wellington Góes
Wellington Góes
9 meses atrás

Enfim! Mas mais uma vez mostra a falta que faz uma agência de desenvolvimento e aquisição no MD, para administrar o desenvolvimento e aquisição de equipamentos militares às FFAA… O MD não passa de, até hoje, um protocolador geral de demandas para aceite e liberação de verba… Ainda mais com militares a frente… Acreditar que algo mudaria por causa disso, só demonstra que não entendem como as coisas, de fato, funcionam…. A muito que um sistema desse, aplicado ao que já temos (plataforma e artefato/míssil), já poderia está na fase de teste de um sistema AAe pleno, mas…. O negócio… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
9 meses atrás

Esses avanços são muito importantes, fico contente de como estamos passando a produzir tecnologias que antes nem sonhávamos em ter!

Tomcat4,2
9 meses atrás

Este já busca a 150 km e o multimissão passará dos 200 pra defesa aérea de média altura, aí é fechar a compra(melhor ainda desenvolver localmente) do sistema de lançamento de mísseis de defesa antiaérea e acabar com esta lacuna aberta a décadas. Excelente ?????

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
9 meses atrás

Eu assisti a apresentação e já li esses textos umas duas vezes em sites diferentes e uma coisa ainda não ficou claro para mim. Dizem que o futuro M200 multimissão é que será o radar integrado a um sistema de artilharia anti-aérea de média altura, ou seja, o que o EB está estudando em adquirir/desenvolver. Mas o M200 atual, esse apresentado, servirá para que afinal?

Barak MX para o Brasil
Barak MX para o Brasil
Reply to  Jadson S. Cabral
9 meses atrás

Pelo que falaram, seria para baixa altura. O M200 multimissão seria apresentado em breve.

vlademir baltazar
vlademir baltazar
9 meses atrás

Gostaria de saber qual sistema antiaéreo????

Fagundes
Fagundes
9 meses atrás

A engenharia brasileira mais uma vez mostrando que é a melhor ao sul do equador

Alexandre
Alexandre
9 meses atrás

Mais uma notícia maravilhosa, excelente para calar a boca dos vira-latas e dos imigrantes lacradores. Já podemos dizer que esses últimos 21 anos estão sendo de uma verdadeira revolução nas nossas capacidades tecnológicas. E para aqueles que querem lacrar, dizendo que o Brasil não produz nada e seus projetos não vão a frente, digo que terão que sair da lacração e observar calado nossos programas sendo tocados com seriedade. Só para constar, nesses últimos anos: Força Aérea: Super tucano Caça Gripen NG Avião KC 390 Missil A DARTER Foguete VSB 30 Marinha: Submarinos TIKUNA e 4 Scorpens Reator nuclear Corveta… Read more »

kahllil
kahllil
Reply to  Alexandre
9 meses atrás

Sem oque ficamos inertes nos anos 90 e início dos 200 esse ultimo 15 tem andando bastante

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
9 meses atrás

Quem fala que esse radar é inútil sem um SAM nunca deve ter ouvido falar daquela instituição secreta e obscura chamada Força Aérea Brasileira (FAB para os mais íntimos). Sim, o ideal seria ter um sistema antiaéreo capaz de utilizar a capacidade desse radar em sua totalidade, porém, não se pode desconsiderar o valor deste equipamento para detectar aeronaves inimigas e vetorar caças da FAB para uma interceptação.

Leonardo Cardeal
Leonardo Cardeal
Reply to  Bruno Vinícius
9 meses atrás

E a pronta resposta vai pro buraco né. Se o radar estiver no SUL, ou extremo norte, até os Gripens chegarem…..

groosp
groosp
9 meses atrás

Mais compacto, provavelmente aerotransportavel e com um sitema que deixa a antena elevada. Gostei!

ALISON
ALISON
9 meses atrás

De que adianta um equipamento de alerta antecipado se não tem como abater a ameaça? rsrsrs

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  ALISON
9 meses atrás

FAB

Salim
Salim
Reply to  Bruno Vinícius
9 meses atrás

Vc acha que com quantidade de vetores operacionais temos cobertura nacional. Não temos cobertura vigília e nossas fronteiras secas e marítimas são desguarnecidas. E um passo importante para a urgente necessidade do Sisfrom e do Sisgaz, que estão atrasados a décadas.

Nonato
Nonato
9 meses atrás

Se desenvolverem alguns mísseis com alcance entre 20 e 100 km de alcance já dá alguma independência.
Poderiam chamar a Denel.
Mesmo que não sejam os mísseis mais modernos, já seria um início.

Últimas Notícias

Alemanha prevê primeira entrega do IRIS-T SLM para a Ucrânia em outubro

Os sistemas de defesa aérea IRIS-T são fabricados especificamente para a Ucrânia e não estão em serviço com o...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -