segunda-feira, novembro 28, 2022

Saab RBS 70NG

Nukemap – Simulador de explosão de bomba nuclear

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Nukemap permite simular o efeito de explosões nucleares. Você pode escolher a cidade e a potência da ogiva.

Nas imagens capturadas, simulamos a explosão de uma ogiva de 750 kilotons sobre o Rio de Janeiro.

A legenda apresenta os seguintes efeitos da explosão sobre o Rio:

Raio da bola de fogo: 1,12 km (3,94 km²)
Tamanho máximo da bola de fogo nuclear; relevância para danos no solo depende da altura da detonação. Se tocar o solo, a quantidade de precipitação radioativa aumenta significativamente. Qualquer coisa dentro da bola de fogo é vaporizada efetivamente.

Raio de dano de explosão pesada (20 psi): 1,98 km (12,3 km²)
Com uma sobrepressão de 20 psi, edifícios de concreto pesadamente construídos são severamente danificados ou demolidos; as fatalidades se aproximam de 100%. Frequentemente usado como referência para danos pesados ​​nas cidades.

Raio de radiação (500 rem): 2,41 km (18,3 km²)
Dose de radiação ionizante de 500 rem; provavelmente fatal, em cerca de 1 mês; 15% dos sobreviventes acabarão morrendo de câncer como resultado da exposição.

Raio de dano de explosão moderado (5 psi): 4,16 km (54,4 km²)
Com uma sobrepressão de 5 psi, a maioria dos edifícios residenciais desmorona, os ferimentos são universais e as fatalidades são generalizadas. As chances de um incêndio começar em danos comerciais e residenciais são altas, e os edifícios assim danificados correm o risco de espalhar o fogo. Frequentemente usado como referência para danos moderados em cidades.

Raio de radiação térmica (queimaduras de 3º grau): 9,43 km (279 km²)
As queimaduras de terceiro grau estendem-se por todas as camadas da pele e geralmente são indolores porque destroem os nervos da dor. Eles podem causar cicatrizes graves ou incapacidades e podem exigir amputação. 100% de probabilidade para queimaduras de 3º grau com este rendimento é 11,1 cal / cm2.

Raio de dano da explosão leve (1 psi): 10,7 km (359 km²)
Com uma sobrepressão de cerca de 1 psi, as janelas de vidro podem quebrar. Isso pode causar muitos ferimentos em uma população ao redor que chega a uma janela depois de ver o flash de uma explosão nuclear (que viaja mais rápido do que a onda de pressão). Frequentemente usado como referência para danos leves em cidades.

Abaixo, a tela com a simulação mostrando o número de mortos e feridos:

Para acessar o Nukemap, clique aqui.

- Advertisement -

64 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

64 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
M.@.K
M.@.K
10 meses atrás

Terrível!

Tio Velho Comuna
Tio Velho Comuna
10 meses atrás

Quem iria gastar um traque nuclear no Rio de Janeiro? A cidada já está mais que devastada e entregue há muito tempo!

Slow
Slow
Reply to  Tio Velho Comuna
10 meses atrás

É uma simulação não sei se você leu

Andre
Andre
Reply to  Slow
10 meses atrás

Não da para esperar que um tio velho comuna leia.

sergio
sergio
Reply to  Tio Velho Comuna
10 meses atrás

Durante a guerra fria, a tática nuclear da União Soviética era de que, em caso de guerra nuclear com os EUA, eles não deixariam nenhum pais de ideologia contraria, tomar o lugar das potencias ocidentais depois da guerra, dentro dessa filosofia, nenhum pais ocidental ou alinhado com o ocidente escaparia de um ataque nuclear Soviético, mais isso era naquela época onde cada um dos lados tinham milhares de ogivas disponíveis, hoje não sei se essa politica se mantem.

Júkov
Júkov
Reply to  sergio
10 meses atrás

Qual a fonte disso?
Nunca houve alvo estratégico na América do Sul.

joel eduardo soares
10 meses atrás

Dissuasório!

Jean Jardino
10 meses atrás

Depois de lancada, nao tem volta, devastacao total.

MMerlin
MMerlin
10 meses atrás

Pena não levar em consideração o relevo do terreno para apresentação dos efeitos.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  MMerlin
10 meses atrás

Olá Merlin. Você tem razão. O relevo tem enorme efeito. Tive a sorte de visitar Nagasaku e Hiroshima. Nagasaki é uma cidade litorânea ao lado de uma baia e cercada de montanhas (lembra de algum modo a cidade de Niterói). Esta geografia conteve o efeito da bomba. ao contrário de Hiroshima que é mais aberta. Outra variável importante em uma simulação de explosão nuclear são as condições meteorológica que irão determinar a direção e a extensão da nuvem radioativa. São simulações bem complexas que demandam um enorme poder de processamento.

Andre
Andre
10 meses atrás

Talvez não seja má ideia. Apertar o reset no rj pode ser a melhor saida, começa de novo….

Radioactive guy
Radioactive guy
Reply to  Andre
10 meses atrás

Há muito tempo que digo ser esta a única solução para o Rio! ?? (obs: Cariocas não me linchem, não nasci aqui mas moro no Rio desde os 4 anos!! ?)

Robert Smith
Robert Smith
Reply to  Andre
10 meses atrás

André… vá da “reset” lá na casa da $%#$ ¨@*& … e tenha uma Feliz e Prospero 2022 :o)

Caio
Caio
Reply to  Andre
10 meses atrás

Um povo que elege político 7 vezes apenas para ele enriquecer com sua família, precisa de reset mesmo.

Rafaelsrs
Rafaelsrs
Reply to  Andre
10 meses atrás

Só que esse reset deixaria áreas inabitadas por até 1000 anos…

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
10 meses atrás

Invoco Fausto Fawcett pra comentar os efeitos desse ataque nuclear sobre a animália humana carioca… Não era a Kátia Flávia que tinha uma calcinha exocet?
A propósito, só se pode calcular fatalidades humanas baseando-se nas densidades populacionais das áreas afetadas e parece que o NukeMap não as têm…

Last edited 10 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Alexandre Galante
Admin
10 meses atrás

Explosão de ogiva de Titan II em São Paulo, 9 megatons.

Titan II em SP.jpeg
joão Fernando
joão Fernando
Reply to  Alexandre Galante
10 meses atrás

Putz Arujá vai pro saco. Aqui em Santa Isabel conto com os morros para alguma proteção. Qdo a URSS caiu, me borrei de medo. Fui pra escola realmente borrado de medo.

Robert Smith
Robert Smith
Reply to  Alexandre Galante
10 meses atrás

Ainda acho que essas “simulações” deveriam ter como alvo Brasília :/

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
10 meses atrás

Aqui está uma sugestão de simulação…
Brasília hoje;
1. Retirem todas as crianças e seus pais, mas em caso de adultos só aqueles não envolvidos na política.
2. Todos os políticos do país inteiro e aqueles das suas comitivas são colocados dentro do Planalto Central.
3. Detona!!!

Abs

F-5
F-5
Reply to  Joao Moita Jr
10 meses atrás

Respeite os moradores de Brasília!

Robert Smith
Robert Smith
Reply to  F-5
10 meses atrás

F-5 já ouvi falar de Sodom & Gomora?

Bosco
Bosco
Reply to  Joao Moita Jr
10 meses atrás

A primeira coisa que vai ocorrer após esse evento será os sobreviventes escolherem uma nova classe de políticos.
O problema não são os políticos mas sim o fato de sermos animais pensantes , ou de acordo com os que creem na doutrina judaico-cristã, filhos caídos que cederam ao mal e de livre vontade se apartaram do Bem , e só um evento sobrenatural poderá redimi-los.
Ou seja, vai gastar bomba atômica à toa.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Como sempre haverá a tendência dos animais sobrevivente da fazendo do Sr. Jones escolherem para liderá-los os porcos.

Robert Smith
Robert Smith
Reply to  Joao Moita Jr
10 meses atrás

Ate que enfim! APOIADO 100%

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
10 meses atrás

Tem gente que ainda não entendeu que uma guerra nuclear seria a última, pouco importa quem à inicie…

Radioactive guy
Radioactive guy
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
10 meses atrás

É a triste realidade. Todos nos apegamos ao conceito MAD (“Mutual Assured Destruction”). Mas do jeito que as coisas vão, meu receio é o surgimento de um “mad” Dr. Strangelove, tal como no filme de Stanley Kubrick…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Radioactive guy
10 meses atrás

Caro Guy. Todos não. Estou tentando há dias mostrar que existe uma o conceito MAD é anacrônico e que é preciso superar essa etapa por um novo período no qual as armas nucleares devem ser banidas. Agora, que venham os negativadores (riso), aliás tão ridículos que foram capazes de negativar votos de boas festas e feliz ano novo.

Bosco
Bosco
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
10 meses atrás

Não necessariamente. No plano tático há a doutrina de guerra nuclear limitada com uso gradual de força. Esse cenário é mais provável de ocorrer e geralmente as “bombas” vão detonar em países alheios. Já no plano estratégico a doutrina MAD prevalece contra um ataque maciço e esse sim traria graves consequências a nível global, mas temo que não seria o fim da humanidade. O Universo não teria tanta sorte. Rsss Mesmo em caso de uma troca maciça entre todos os países dotados de armas nucleares menos de um décimo do arsenal mundial seriam utilizadas o que redunda em algo como… Read more »

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
10 meses atrás

Apesar dos outros comentários eu concordo contigo Fabio Max. Se citarmos somente os EUA e Rússia, eles não irão lançar ogivas em ondas. Vão lançar em todos os pontos militares, políticos e industriais nos respectivos países e posteriormente nos países aliados destruindo toda cadeia industrial mundial e respectivamente sua logística lançando o mundo novamente na era da pedra no mínimo. E isso são perspectivas otimistas aonde países como o Brasil não seriam atingidos!

Welington S.
Welington S.
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
10 meses atrás

”Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus.”

Albert Einstein

Jacinto
Jacinto
10 meses atrás

Acho que o site foi modificado recentemente. Antigamente, salvo engano meu, ele também estimava a quantidade de vítimas

Pedro Fullback
Pedro Fullback
10 meses atrás

Se uma bomba cair no RJ, vamos perder as nossas Usinas Nucleares, a nossa brigada paraquedista, a Marinha por completa, fora uma divisão de exército. É muita concentração de poder para um lugar só.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Pedro Fullback
10 meses atrás

è oque dá concentrar forças militares importantes em um só lugar…

Tomcat4,3
10 meses atrás

Simulação de uma B-61 mod 7 em BH.
https://nuclearsecrecy.com/nukemap/

Tomcat4,3
10 meses atrás

B-61 mod 7 (340 kt) em BH MG . Deus nos livre a todos deste terrível mal !!!

cabuuuum1.png
Last edited 10 meses atrás by Tomcat4,3
Felipe Augusto
Felipe Augusto
Reply to  Tomcat4,3
10 meses atrás

Neste mapa, minha casa ficou bem na divisa entre o fim dos danos por radiação térmica e início do dano de explosão leve. Pela direção da explosão e a posição das janelas eu provavelmente não estaria olhando direto pra ela, é possível que eu sobrevivesse para contar a história

Tomcat4,2
Reply to  Felipe Augusto
10 meses atrás

Moro em betim mas trabalho próximo do centro da cidade ou seja, se rola a treta no horário comercial eu vou pro saco?

Felipe Augusto Batista
Reply to  Tomcat4,2
10 meses atrás

Uma curiosidade, durante a guerra fria, nos anos 60, a revista americana Esquire publicou um artigo onde elencava as 9 melhores cidades do mundo para se mudar se você quisesse sobreviver ao apocalipse nuclear, e uma delas era Belo Horizonte.

Robert Smith
Robert Smith
Reply to  Felipe Augusto
10 meses atrás

sim…. por pouco tempo

Bosco
Bosco
10 meses atrás

Eu não vou entrar na brincadeira porque o Galante não permitiria eu simular a detonação de uma B83 de 1,2 Mt em Pequim , então deixa quieto. O ódio do bem não permite atacar o paraíso na Terra etc.
Fiquem vocês brincando com armas que não estão mais em operação e algumas sequer estiveram: Titan II, Tsar bomb, etc.

Foragido da KGB
Foragido da KGB
Reply to  Bosco
10 meses atrás

kkkkkkkkkkk, esse Bosco é froida.

Tomcat4,3
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Comprei seu boi Bosco;

cabuuuum2.png
Foragido da KGB
Foragido da KGB
Reply to  Tomcat4,3
10 meses atrás

Só não esqueça de ativar o seu Windows. 😛

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Tomcat4,3
10 meses atrás

Tomcat, o legal não é usar a mais potente arma mas bombardear com armas menos potentes formando um padrão geométrico sobre a cidade (carpet bombing). Em vez de gastar muitos megatons numa bomba só, você obtêm a mesma destruição em solo com algumas centenas de quilotons num punhado de bombas.

Bosco
Bosco
Reply to  Alex Barreto Cypriano
10 meses atrás

Há dois tipos de ação nuclear que podem ser implementadas. Uma é chamada de “contra-força” e a outra de “contra-valor”. A ação de contra-força visa destruir o potencial militar nuclear inimigo e o de contra-valor visa destruir suas cidades e complexos industriais e energéticos. A doutrina adotada hoje pela Rússia e EUA prevê as ações de contra-força, em que as armas nucleares são direcionadas às armas nucleares inimigas. Ou seja, silos de mísseis, bases aéreas , bases navais, centros de comando. A ação de contra-força está sempre combinada com a de “decapitação” onde os centros de decisão políticas são igualmente… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Alex Barreto Cypriano
10 meses atrás

Algo assim?

imagem_2022-01-08_130934.png
Luiz Trindade
Luiz Trindade
10 meses atrás

Eu já vi esse simulador… Usem o TSAR em uma cidade para você ver o estrago…

Heinz Guderian
Heinz Guderian
10 meses atrás

Eu preferiria morrer na explosão, do que de câncer decorrente da radiação.
Perdi uma pessoa próxima para essa doença e é terrível o jeito que ela mata a pessoa aos poucos.
No mais, as armas nucleares realmente são terríveis, em uma utopia, o ideal seria que elas não existissem nunca mais.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Heinz Guderian
10 meses atrás

Caro Guderian (88). Eu prefiro viver até ficar bem velhinho, ver minha filha crescer e brincar com meus netos.

João Bosco
João Bosco
10 meses atrás

Ou seja…em um raio de 15 km, todos ali se ferram. Se isso for uma bomba nuclear de média potência, não quero ver a de maior potencia.

Bosco
Bosco
10 meses atrás

A Tsar nunca foi uma arma de fato. Foi só um demonstrador de conceito. Ela pesava 30 toneladas.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
10 meses atrás

saquei

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Eu tô curioso é o efeito que uma B41 de 25 Mt , a arma nuclear de maior rendimento colocada em operação no mundo na quantidade de cerca de 600 unidades, faria sobre Pequim ou Moscou. Simula aí pra gente ver.
Melhor, já que tinham muitas simula aí umas 5 B41 caindo sobre Moscou.

sergio
sergio
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Durante a guerra fria estimava-se que no primeiro ataque, sim Primeiro, por que a troca de misses duraria dias, So Moscou seria atingida por mais de 90 ogivas

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Bosco
10 meses atrás

O Status-6 tem 100 Mt (duas tzares) e o Satan2 tem 45Mt (praticamente 1 tzar). Ambos estão operacionais e prontos para defender a Rússia. E são fabricados em série.

Robert Smith
Robert Smith
10 meses atrás

Pobre do Rio… já tem tanto problema… pq escolher o Rio para essa simulação? :o(
tenho certeza que ninguém iria reclamar se os autores escolhessem Brasília :o) … inclusive sendo a capital da nação seria, na minha opinião, o mais correto :o)))) ROFL

Robert Smith
Robert Smith
10 meses atrás

APLAUSOS!!!!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
10 meses atrás

Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus.

Albert Einstein

Tomcat4,3
Reply to  Joao Moita Jr
10 meses atrás

Simples assim João !!!

Jorge Faustino
Jorge Faustino
10 meses atrás
Rafaelsrs
Rafaelsrs
10 meses atrás

Eu estaria vivão em Jacarepaguá!!! Chupa Zona Sul!!!
hahahahahahahaha…. não sei do que estou rindo!! 🙁

Leonardo Costa da Fonte
10 meses atrás

Acabei de detonar em Brasília. A TSAr original com 100megatons! Show. Mas acho que ainda foi pouco! Tinha soltar outra depois, para limpar os possíveis sobreviventes… Mas fez um limpa bom. Pegou Formosa, Luziânia, etc…

Ivanoski
Ivanoski
4 meses atrás

Ele colocou errado o lugar, era pra ser em Brasília

Últimas Notícias

Imagens de uma guerra: míssil anticarro erra o alvo por pouco

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um ATGM russo passando sobre um carro de combate ucraniano. A...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -