terça-feira, setembro 27, 2022

Saab RBS 70NG

Rússia, China, Grã-Bretanha, EUA e França dizem que ninguém pode vencer uma guerra nuclear

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Em uma rara declaração conjunta, os membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas disseram ser sua principal responsabilidade evitar a guerra entre os estados nucleares

China, Rússia, Grã-Bretanha, Estados Unidos e França concordaram que uma nova disseminação de armas nucleares e uma guerra nuclear devem ser evitadas, de acordo com um comunicado conjunto das cinco potências nucleares publicado pelo Kremlin na segunda-feira (3/1).

Afirmou que os cinco países – que são membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas – consideram sua principal responsabilidade evitar a guerra entre os estados nucleares e reduzir os riscos estratégicos, ao mesmo tempo em que buscam trabalhar com todos os países para criar um clima de segurança.

“Afirmamos que uma guerra nuclear não pode ser vencida e nunca deve ser travada”, diz a versão em inglês da declaração.

“Como o uso nuclear teria consequências de longo alcance, também afirmamos que as armas nucleares – enquanto continuarem a existir – devem servir a propósitos defensivos, deter a agressão e prevenir a guerra.”

O vice-ministro das Relações Exteriores da China, Ma Zhaoxu, disse que a declaração conjunta poderia ajudar a aumentar a confiança mútua e “substituir a competição entre as grandes potências por coordenação e cooperação”, acrescentando que a China tem uma política de “não primeiro uso” de armas nucleares, informou a agência de notícias estatal Xinhua.

A França também divulgou o comunicado, ressaltando que as cinco potências reiteraram sua determinação pelo controle de armas nucleares e desarmamento. Eles continuariam com as abordagens bilaterais e multilaterais para o controle de armas nucleares, disse.

A declaração do chamado grupo P5 ocorre em um momento em que as relações bilaterais entre os Estados Unidos e Moscou caíram ao seu ponto mais baixo desde o fim da Guerra Fria, enquanto as relações entre Washington e a China também estão baixas devido a uma série de divergências.

O Pentágono em novembro aumentou drasticamente sua estimativa do arsenal de armas nucleares projetado da China nos próximos anos, dizendo que Pequim poderia ter 700 ogivas em 2027 e possivelmente 1.000 em 2030.

Washington exortou repetidamente a China a se juntar a ele e à Rússia em um novo tratado de controle de armas.

As tensões geopolíticas entre Moscou e os países ocidentais aumentaram devido às preocupações com o aumento militar da Rússia perto da vizinha Ucrânia. Moscou diz que pode mover seu exército em torno de seu próprio território conforme julgar necessário.

FONTE: NBC / Reuters

- Advertisement -

219 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

219 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camargoer.
Camargoer.
8 meses atrás

Olá a todos. Existem apenas duas opções. O banimento das armas nucleares ou a ameaça de uma guerra nuclear. Um dos caminhos possíveis é a redução escalonada dos arsenais nucleares até a sua completa extinção. Os mais velhos devem lembrar do terror da ameaça da extinção nuclear durante a Guerra Fria, quando o mundo chegou a ter quase 70 mil armas nucleares. Os mais novos, felizmente, desconhecem este sentimento e espero que jamais passem pelo que passamos nas décadas de 60, 70 e 80.

Ramon
Ramon
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Banimento das armas nucleares aconteceria só em um mundo ideal onde existe só a paz, pois a realidade que nesse momento deve ter alguém construindo mais ogivas com novas tecnologias e pensando sistemas de defesa contra essas armas, e caso ocorra um milagre de todas as armas nucleares sumirem da noite para o dia, provavelmente as grandes potências em alguns meses ou anos vão perder o medo de se enfrentarem.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ramon
8 meses atrás

Caro Ramon. Um arsenal nuclear defensivo só é justificado pela existência de um arsenal inimigo. Portanto, em um cenário no qual todas as armas nucleares fossem banidas, não haveria e tese a necessidade de um arsenal nuclear defensivo. Este cenário poderá ser alcançado por meio de sucessivas reduções dos arsenais. Neste momento, EUA e Russia possuem cada um cerca de 2 mil armas nucleares, praticamente 2/3 de todo arsenal nuclear mundial. Temos que insistir para que todos os países reduzam os seus arsenais nucleares, de tal forma que se atinga uma situação de completo banimento nuclear. Outro mundo é possível… Read more »

sergio
sergio
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Caro Camargoer. vc ja pensou que sem as armas nucleares, nos já poderíamos ter tido uma terceira ou quem sabe quarta guerra mundial, o medo da aniquilação mutua assegurada impediu que a URSS e os EUA batessem de frente, estabelecendo as famosas guerras de procuração, sem jamais se enfrentarem propriamente, sem armas nucleares e o perigo da aniquilação mutua, vc acha que a época EUA e URSS não teriam ido as vias de fato?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  sergio
8 meses atrás

Caro Sergio. Vivi minha adolescência durante a Guerra Fria e o que mais pensei naquele período foi a certeza que eu e minha família morreríamos em decorrência de uma guerra nuclear. As armas nucleares não asseguraram nem a paz mas garantiram um sensação de terror. Acho um erro avaliar a história a partir de “SE”. O fato é que ao longo da Guerra Fria, o mundo viu inúmeras guerras, algumas delas em nível de genocídio, e que em alguns momentos críticos, a humanidade beirou a extinção. As armas nucleares nunca garantiram a paz e ameaçaram a existência da humanidade. Esta… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Ah sim, as potências são boazinhas, antes de existir armas nucleares grandes guerras não aconteceram, muito menos genocídios

Andre
Andre
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Hoje, não mais adolescente, não ficou claro que seu medo desconectado da realidade e não fazia sentido? Não tenho dúvidas que parecia muito real, mas o tempo mostrou que não era.

Sem a MAD a ww3 teria acontecido e dezenas de milhões teriam morrido. Graças a MAD não houveram grandes conflitos desde a ww2.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Andre
8 meses atrás

Olá André. A possibilidade de uma guerra nuclear nas décadas de 70 e 80 eram altas. Dizer que era um “medo adolescente” é equivocado, até porque a percepção de um adolescente médio do risco de um apocalipse nuclear era menor do que a de um adulto mediamente informado. O fato de alguns países (EUA, URSS, França, Inglaterra e China) possuírem armas nucleares evitou que elas fossem usadas, já que o único momento em que um país usou armas nucleares foi quando ele possuía o monopólio. Contudo, as armas nucleares nunca evitaram a eclosão de conflitos convencionais. Desde o fim da… Read more »

Augusto
Augusto
Reply to  Andre
8 meses atrás

Andre não passava de um “medo adolescente” mesmo. Uma guerra nuclear e impensável já que ambos os lados seriam destruídos. Seria tolice começar tal guerra. A MAD salvou o mundo da 3° guerra mundial, que sem as armas nucleares teria começado provavelmente no inicio dos anos 50. Esse argumento de falar que tais armas não foram suficientes para evitar pequenos conflitos e desconhecer totalmente sobre o tema. As armas nucleares serviram para evitar uma guerra TOTAL entre as grandes potencias. Enquanto o ser humano for ser humano, sempre existiram guerras. O única forma de impedir isso e fazer que essas… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Augusto
8 meses atrás

Cara Augusto. Adolescentes são conhecidos por sua alienação e incapacidade de avaliar riscos e tomarem decisões estúpidas. Medo adolescente é um oximoro.

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Redução das armas nucleares até sua completa extinção nunca irá acontecer .

A solução é o Brasil se nuclearizar também , assim acaba o mimimi sobre a Amazônia rapidinho ..

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Carlo Slow. Assim como as armas química e biológicas foram banidas, também é possível banir as armas nucleares. Para isso, é necessário que todos os países pressionem pela sistemática redução dos arsenais nucleares. Não faz sentido que ainda existam mais de 6 mil armas nucleares no mundo no contexto de uma estratégia MAD. Essa mesma condição seria alcançada por uma fração do atual arsenal nuclear. A partir do momento que o mundo conseguir um arsenal mínimo, o passo final pela banimento das armas nucleares será fácil.

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Sua opinião na maioria das vezes eu concordo porem nesse caso não .

Exemplo a Russia ja foi invadida várias vezes , eles nunca abriram mãos das suas armas nucleares ..

Ucrânia mandou lembranças haushau

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Olá Slow. Acho que só podemos compreender a posição da Russia a partir do histórico do país deste a eclosão da Grande Guerra. O exército do Czar era grande, mas mal preparado e mal equipado, tanto que a guerra contra a Alemanha foi um desastre, levando a uma crise que culminou com a revolução russa em 1917 e a paz em separado, que causou um enorme prejuízo para o país. Também é preciso lembrar que a URSS foi excluída do tratado de Versalhes e as tropas ocidentais apoiaram a contra revolução, sendo derrotadas pelo Exército Vermelho. Com a ascensão nazista,… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Pronto, resolvido. Agora basta marcar um grande show, na praia de Copacabana. Na plateia, uma linda ornamentação com bromélias e orquídeas. No palco, um grande telão com fotos de Gandi a Greta Thunberg. Anitta abre o show. Depois Pablo Vittar. Em seguida, a atração principal: Biden, Putin, Xi, Macron, Boris, Kim etc etc, todos juntos cantando o clássico de Louis Armstrong: “I see trees of green, Red roses too I see them bloom For me and you And I think to myself, What a wonderful world I see skies of blue And clouds of white, The bright blessed day, The… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Felipe Morais
8 meses atrás

Olá Felipe. Em tempos de covid, acho uma péssima ideia marcar uma aglomeração assim.

Lucas
Reply to  Slow
8 meses atrás

Não vai ser arma nuclear que vai fazer o Brasil ser mais respeitado.
Precisamos agir como um país maduro primeiro.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Lucas
8 meses atrás

Olá Lucas. Vocẽ tem razão. Como exemplo, temos a Coria do Norte (e talvez o Paquistão), países que possuem poder nuclear mas baixa inserção diplomática no mundo. Até pouco tempo, até mesmo desde o regime militar, o Brasil teve ampla inserção internacional sem possuir armas nucleares. China, EUA, Rússia, França, Inglaterra têm status de potências internacionais a despeito de possuírem armas nucleares. A Ucrânia é um caso interessante. Chegou a possuir armas nucleares e preferiu abrir mão deste arsenal, mas em nem antes nem depois desta decisão foi capaz de mudar o seu status internacional.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Que inserção internacional o Brasil teve? O maior feito do governo passado foi o acordo com o Irã intermediado pelo Brasil, ele foi usado aqui como peça de propaganda, mas lá fora foi amplamente ignorado pelas potências. A demanda brasileira por um assento permanente no Conselho de Segurança também foi completamente ignorada.

Não é possível uma nação ter algum respeito e/ou influência internacional efetiva sem possuir hard power, principalmente armas nucleares.

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

“Ampla inserção internacional” e uma piada de muito mal gosto. Por falar em Ucrânia, você mesmo se contradiz em seu comentário, já que se a mesma tivesse ainda armas nucleares não estaria sendo ameaçada de invasão agora.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Augusto
8 meses atrás

Olá Augusto. O orçamento militar da Ucrânia é cerca de 10% do orçamento da Russia. A Ucrânia não tinha condições de manter o seu arsenal nuclear em condições operacionais e em segurança. A Ucrânia se desfez do arsenal nuclear porque não tinha condições de mante-lo. Mesmo sendo repetitivo, é um erro fazer análises hipotéticas sobre o passado. Não faz sentido dizer o que teria acontecido com a Ucrânia SE tivessem feito isso o aquilo. Talvez a Ucrânia tivesse lançado suas bombas contra a Russia e iniciado uma terceira guerra mundial. Talvez terroristas tivessem roubado uma bomba ucraniana para ser detonada… Read more »

Slow
Slow
Reply to  Lucas
8 meses atrás

Kkkkk ah mais vai sim te garanto isso é natural qualquer país que tem armas nucleares senta na janela e ninguém reclama ..

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
Reply to  Lucas
8 meses atrás

Verdade! Não temos aviões, navios, tanques, políticos e militares dignos! O que dirá armas atômicas… Me faz lembrar aquela velha e boa piada do Costinha: “Brasileiros acreditam em tudo, em tudo eles acreditam…”

Mauro Cambuquira
Reply to  Lucas
8 meses atrás

Esqueça. Mais fácil cair de maduro. Com a mentalidade do nosso Legislativo e Judiciário? Entrega-te… Ou corra-te… Não sei pra onde…

rui mendes
rui mendes
Reply to  Slow
8 meses atrás

Achas mesmo que o Brasil terá armas nucleares?
Só se for com programa clandestino e com muitas sanções em cima.

Luis
Luis
Reply to  rui mendes
8 meses atrás

Take a Look:

Segundo fontes internacionais o Brasil já possui secretamente a tecnologia para a produção de uma bomba atômica

https://pt.wikipedia.org/wiki/Brasil_e_as_armas_de_destrui%C3%A7%C3%A3o_em_massa

Slow
Slow
Reply to  Luis
8 meses atrás

Lorota ..

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Luis
8 meses atrás

Olá Luis. O maior gargalo para construir uma bomba atômica é conseguir o material físsil, que pode ser urânio-235 acima de 90% ou plutônio. O meio mais eficiente para obter urânio seria por ultracentrifugação. O Brasil tem uma instalação industrial que produz combustível nuclear para usinas nucleares (4%) e será capaz de produzir combustível para um reator naval (12%). Portanto, há tecnologia para produzir urânio-235 para uma bomba. O limitante é uma decisão política expressa nos tratados assinados pelo país. Já o plutônio é ainda mais simples. Basta um reator de pesquisa usando combustível de 4% de urãnio-235 para transformar… Read more »

Luís
Luís
Reply to  Luis
8 meses atrás

O buraco para explosões nucleares subterrâneas na Serra do Cachimbo tinha circunferência aproximada de dois metros e mais de um quilômetro de profundidade.

Luís
Luís
Reply to  Luís
8 meses atrás

.

buraco do cachimbo (2).jpg
Slow
Slow
Reply to  rui mendes
8 meses atrás

As sanções contra Irã adiantou ? Coreia do Norte ? .. isso hoje em dia não funciona igual antes e mesmo que fosse .. a China agradece mais mercado pra ela ..

Ronilson Nogueira costa
Ronilson Nogueira costa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Amigo a bomba nuclear é o maior instrumento de paz que existe, acabe com ela e o mundo voltará para a idade das trevas só guerra e sofrimento.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ronilson Nogueira costa
8 meses atrás

Caro Ronilson. As armas nucleares são instrumentos de poder e terror. Desde o fim da II Guerra, o mundo teve inúmeras guerras convencionais, inclusive envolvendo as grandes potências. Nem mesmo o fato da Inglaterra possuir armas nucleares dissuadiu a Argentina de fazer uma guerra pelas Ilhas Malvinas.

Ronilson Nogueira costa
Ronilson Nogueira costa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Com a destruição mútua garantida já se fez tantas guerras, imagina sem as nukes só imagina, a segunda guerra mundial iria parecer brincadeira de criança.

Last edited 8 meses atrás by Ronilson Nogueira costa
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ronilson Nogueira costa
8 meses atrás

Caro Ronilson. Minha hipótese é que a posse de armas nucleares não impedem a deflagração de guerras, mas impede que outros países usem armas nucleares de forma ofensiva. Portanto, as armas nucleares servem apenas para evitar que se usem armas nucleares, mas ineficazes para evitar guerras convencionais. Deste modo, o banimento das armas nucleares não irã alterar o equilíbrio militar entre os países, essencialmente baseado em poder convencional.

Ronilson Nogueira costa
Ronilson Nogueira costa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

A polícia deve ser desarmada também né meu jovem, polícia armada traz muita insegurança pública kkkk

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ronilson Nogueira costa
8 meses atrás

Olá Ronilson. Já que você tocou neste assunto, considero um erro misturar políticas de segurança pública com políticas de defesa nacional. O México e a Colômbia são exemplos de países que colocaram as suas forças armadas como meios de polícia no combate ao tráfico de drogas. Nem conseguiram reduzir o tráfico e comprometeram as duas forças armadas. Você tem certeza que quer abrir uma discussão sobre segurança pública em um post sobre armas nucleares?

Ronilson Nogueira costa
Ronilson Nogueira costa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Foi apenas uma ironia kk, imagina a Rússia se livrar de suas armas nucleares, no outro dia adeus Rússia.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ronilson Nogueira costa
8 meses atrás

Olá Ronilson. Então é preciso entender qual é a ameaça hoje sobre a Russia? Desde o colapso da URSS, seria um erro dizer que existe uma disputa ideológica entre comunismo e capitalismo, aliás um erro que muita gente tem feito achando que a Russo de Putin é um regime de esquerda. Então, por que a Russia hoje se sente ameaçada? Esse é o ponto de partida para uma discussão sobre a necessidade ou não de armas nucleares de defesa.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Não entendi…. Uma guerrilha como as FARC era questão de segurança pública???????? Meu Deus……

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Agnelo
8 meses atrás

Olá Agnelo. O Colômbia usa suas forças armadas para destruir laboratórios de produção de cocaína na selva.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Sim.
Laboratórios para sustentar uma das herdeiras da maior barco-guerrilha do mundo.
E narco-guerrilha não é assunto tão somente de segurança pública.
Na verdade, é mais de Defesa do q Segurança Pública.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Agnelo
8 meses atrás
Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

“ mas impede que outros países usem armas nucleares de forma ofensiva “

Sua hipótese seria valida se todos países fossem nuclear kkk fora isso nenhum país tem garantia que não vai sofrer um ataque nuclear ala Japão ..

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Olá Slow. No mundo, existem uns 10 países que possuem armas nucleares, uns 50 países que possuem exércitos convencionais fortes e uns outros 150 países com pequeno poder militar. O único caso no qual um país usou uma arma nuclear foi quando detinha o monopólio delas (EUA sobre o Japão). A partir do momento no qual este monopólio foi quebrado, nenhum país jamais usou uma arma nuclear de modo ofensivo (atacando outro país). Por outro lado, praticamente todos os países nucleares e praticamente todos os países com exércitos fortes se envolveram em conflitos convencionais desde o fim da II Guerra.… Read more »

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Mas porquê algum outro país vai querer entrar em guerra direta com um país nuclear ?

Um exemplo que armas nucleares evita uma guerra é China e India na fronteira .. Agora se um só ali fosse nuclear vc sabe que não teria disputa né o outro iria colocar o rabinho no meio das pernas e sair de fininho ..

Você acha que Ucrânia seria invadida se tivesse os seus brinquedinhos ainda ?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Caro Slow. Você tem razão. É preciso avaliar antes o que levaria um país (qualquer país) iniciar uma guerra contra outro país (qualquer outro país). Esta avaliação é fundamental. Sem esta avaliação geopolítica, qualquer cenário de conflito é apenas um “jogo de guerra” do país “vermelho” contra o país “azul”. É possível avaliar a motivação de cada país agressor em todos os conflitos desde o fim da II Guerra. Eu evito avaliar o passado em termos de “SE”. Não faz sentido pensar o que teria acontecido na Ásia se a Ucrânia tivesse um arsenal nuclear. “wishful thinking”. Cenários hipotéticos só… Read more »

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

A questão é que nenhum país com armas nucleares é invadido e por isso as outras potências não quer que ngm tenha ..

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Algum desses 10 países já se enfrentaram em guerra total depois de se tornarem em potencias nucleares?

“Por fim, a existência de armas nucleares em um país ou em vários é insuficiente para evitar conflitos convencionais.” Seu argumento e pura falácia e mais uma vez você está bastante equivocado. Quais conflitos em larga escala houve entre duas ou mais potencias nucleares?

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Desculpe, mas não é simples assim. Convenientemente, a história atual não aceita o “se”, mas dentro do estudo militar, é importantíssimo entender as outras “opções” dentro de uma mesma situação. Muito provavelmente, as armas nucleares evitaram uma guerra convencional entre a OTAN e o Pacto de Varsóvia. Entre Índia e Paquistão diminuiu muito a possibilidade do “entreveiro” de grande intensidade. Hj, Coreia do Norte pode não ter sido atacada por conta disso, e Israel não foi mais fortemente atacado há um bom tempo. Fato é que analisar o armamento nuclear como bom ou ruim não tem nexo atualmente. Ele simplesmente… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Agnelo
8 meses atrás

Olá Agnelo. Correndo o risco de ser repetitivo, a elaboração de cenários otimistas e pessimistas é uma ótima ferramenta de planejamento. Neste contexto, elaborar cenários alternativos sobre eventos passados serve para tornar a elaboração de cenários futuros mais realistas. “Jogos de guerra” são excelentes ferramentas para elaborar e refinar estratégias e táticas e podem ser usadas em qualquer ambiente (na prevenção de desastres naturais, no treinamento de equipes profissionais em qualquer área de atuação, na elaboração de projetos de arquitetura, etc). O que me parece um erro é fazer análises históricas baseadas em especulação sem que haja documentação histórica (mesmo… Read more »

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Você mesmo esta fazendo isso ao cogitar um mundo sem armas nucleares.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Augusto
8 meses atrás

Olá Augusto. De fato, uma das ferramentas para planejar o futuro é fazer cenários otimistas e pessimistas. Para que estes cenários futuros sejam plausíveis, é preciso fazer uma análise do presente e aproveitar o passado para gerar as condições de contorno. Este tipo de exercício é sobre o FUTURO. O que é errado é criar cenários fictícios do passado. Este tipo de coisa é bem legal como temática para um tipo de literatura de ficção que serve inclusive para uma abordagem crítica do presente. Lembro de uma série na Netflix (ou HBO, não lembro mais) sobre o que teria acontecdi… Read more »

Tomcat4,3
Reply to  Agnelo
8 meses atrás

Perfeitas colocações caro Agnelo , as quais endosso !!!

rui mendes
rui mendes
Reply to  Ronilson Nogueira costa
8 meses atrás

A 2 guerra mundial parecer brincadeira????
Só de brincadeira se diz isso,

sergio
sergio
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Uma potencia contra um qualquer sim, mais uma potencia, contra uma potencia, nunca desde a segunda guerra, as armas nucleares garantiram isso.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  sergio
8 meses atrás

Caro Sergio. O desenvolvimento de armas nucleares pela URSS evitou que os EUA usassem suas bombas em conflitos menores, como na Coreia. Há um depoimento de um diplomata francês sobre a oferta dos EUA de duas bombas atômicas para serem usadas na Indochina. As explosões em HIroshima e Nagasaki mostram que o monopólio do arsenal nuclear permitiu aos EUA usar as suas bombas. Neste contexto, a posse de armas nucleares pela URSS e China, e em menor grau pela França e Inglaterra, foram fundamentais para evitar o seu uso disseminado, mas elas próprias fomentaram uma corrida armamentista que por pouco… Read more »

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Bom que você tocou nesse assunto , você viu um relatório que saiu hoje falando que Inglaterra implantou 31 bombas nucleares em navios durante guerra das malvinas ? Se quiser te mando link .. ela já implantou pra garantir que não iria “ perder em caso de perda “ se é que você me entende ..

Last edited 8 meses atrás by Slow
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Olá Slow. Eu li a reportagem, mas seria ótimo colocarmos o link aqui no PN para substanciar o debate. Pelo que entendi, os ingleses tinham estas armas antissubmarino em suas fragatas e destroyers para um eventual conflito com a URSS. Quando a força-tarefa se dirigiu para as Malvinas, as armas foram transferidas para os Porta-aviões e estocadas neles. Acho muito difícil discutirmos se a Inglaterra as teria ou não usado, até porque a Argentina foi incapaz de colocar seus submarinos em operação contra a força-tarefa. Mas o fato da Inglaterra tê-las á mão durante o conflito deveria servir de alerta… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Mas os ingleses não sabiam q a Força de Submarinos Argentina estava mal.
Tanto é, que empregaram todo seu esforço ASW na campanha.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Agnelo
8 meses atrás

Olá Agnelo. Segundo o que foi publicado recentemente, os dispositivos nucleares antissubmarinos estavam em alguns navios de combate ingleses que foram enviados para as Malvinas. Eles pensaram em descarregar o armamento, mas isso atrasaria a força-tarefa, então os dispositivos nucleares foram transferidos para os porta-aviões. Os militares mantiveram sigilo por receio das implicações diplomáticas e política caso a informação se tornasse publica ou caso os dispositivos fossem danificados ou perdidos. Os ingleses não planejam usar as armas contra os submarinos argentinos.  https://declassifieduk.org/uk-deployed-31-nuclear-weapons-during-falklands-war/

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Slow
8 meses atrás

Oque poderia acontecer em caso de uso de armas nucleares inglesas na Argentina? Poderia acontecer desdobramentos maiores ?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Adriano Madureira
8 meses atrás

Olá Adriano. Os ingleses trouxeram armas nucleares antissubmarinas. É difícil avaliar quais teriam sido as consequências, mas podemos especular algumas coisas. No caso da Inglaterra usar armas nucleares contra um país não-nuclear em uma zona na qual a própria Inglaterra reconhecia como livre de armas nucleares, isso significaria que Thatcher teria cometido um crise (por desrespeitar um tratado ratificado no Parlamento inglês). Talvez, isso levaria a uma crise diplomática e política que derrubaria o seu governo. Haveria um grita geral na Europa, porque isso criaria um problema inclusive com a URSS, lembrando que era o auge da Guerra Fria. Se… Read more »

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

A Inglaterra é membro permanente e tem poder de veto kk o máximo que iriam fazer é enviar notinhas e boicotar o país fora isso iriam fazer vistas grossa Igual quando Coreia do norte afundou um navio da Coreia do Sul .. é isso que acontece se você é um país nuclear

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Olá Slow. Como disse, é muito difícil discutir “o que teria acontecido”. Poderia ter acontecido inúmeras coisas, inclusive nada. Uma comparação mais adequada seria pensar o que teria acontecido com a Coreia do Norte caso ela tivesse detonado um disposito nuclear sobre um navio da Coreia do Sul.

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Pra que um dispositivo nuclear contra um navio se um torpedo basta ? Kk

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Olá Slow. Um torpedo é incapaz de afundar um porta aviões, mas as armas nucleares que os ingleses trouxeram eram cargas de profundidade para destruir submarinos. Imagino que a onda de choque de um dispositivo nuclear é muito mais destrutiva que as ondas de choque de cargas de profundidade convencionais. O que significa esse “kk” que vocẽ tanto digita? problemas no teclado?

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

O torpedo foi sobre oque vc falou da Coreia k k

Sobre as armas nucleares assiste uma live desse canal aqui que você vai virar fã e sua visão vai mudar .. e esse canal não tem torcida é pro Brasil e a pessoa que faz ele é mt inteligente conhece e já leu muitos livros de guerras/biografias e sempre recomenda algum em suas lives ..

As lives ficam gravadas então é só ir no canal e assistir

https://youtube.com/c/ARTEDAGUERRA

Last edited 8 meses atrás by Slow
Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Aconteceria isso mesmo com a Primeiro Ministro? Se é especulação, o Parlamento inglês seria inerte a uma derrota britânica ou “liberaria” todo o esforço de guerra? Um risco contra a URSS ainda seria assegurado pela MAD. Só gritaria. O q o Brasil poderia fazer contra a Inglaterra? Não admitiria e…………… mandaria tropa lutar no gelo? Chegariam como? Mandaria aviação ficar longe das ilhas? EUA bombardeou a embaixada chinesa na Sérvia e aconteceu….. nada. A questão é q, como escrevi acima, armamento nuclear faz parte da equação pra sempre. Pra se opor a isso, o prejuízo pro inimigo deve ser o… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Agnelo
8 meses atrás

Olá Agnelo. Como sempre escrevo, o passado deve ser avaliado a partir de documentos históricos ou testemunhos. Qualquer coisa baseado no “SE” é apenas especulação sem qualquer compromisso. Ninguém pode dizer o que teria acontecido na história SE isso ou aquilo tivesse ocorrido. O fato aqui é que existe um documento publicado recentemente que expõe os receios dos ingleses do impacto diplomático e político caso a informação da presença das armas nucleares inglesas viesse a público e dos receios dos militares caso viessem a perder ou danificar alguns dos dispositivos.  https://declassifieduk.org/uk-deployed-31-nuclear-weapons-during-falklands-war/

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Entendo perfeitamente, pois sou formado em História. É bastante conveniente a abominação ao SE, como se especulação fosse. Principalmente baseado em documentos, q podem evidenciar somente uma das versões, linhas de raciocínio ou planejamentos. Fato é, q quando assuntos históricos misturam-se com assuntos militares, deve-se ter em mente que, sem sombra de dúvida, diversas alternativas foram planejadas, e estão, ou com acesso restrito, ou tiveram suas fontes destruídas, pelo motivo do decisor ter optado por outra Linha de Ação. Logo, a luz da doutrina, de princípios, de fundamentos da Ciência Militar, é possível “se especular” muita coisa, pois é bastante… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Agnelo
8 meses atrás

Olá Agnelo. Elaborar cenários futuros, alguns mais otimistas e outros pessimistas, é uma excelente ferramenta de planejamento (na maioria das vezes ocorre algo intermediário entre o otimista e o pessimista). Neste contexto, criar cenários alternativos sobre eventos passados também é uma excelente ferramente de planejamento, pois permite criar cenários futuros mais realistas. “Jogos de guerra” se encaixam neste contexto. São muito úteis para testar e refinar táticas e estratégias para ações futuras. De fato, a ausência de evidência não pode ser usada como evidência de ausência, coisa que de vez em quando acontece meio por distração.

Slow
Slow
Reply to  Adriano Madureira
8 meses atrás

Não oque quis dizer é que se eles fossem perder no convencional vc acha que eles não usariam elas ? Não é atoa que foram implantadas

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Olá Slow. As armas nucleares que os ingleses levaram eram cargas de profundidade para destruir submarinos. Acho difícil imaginar os ingleses usando estas armas de modo improvisado contra os argentinos, até porque os ingleses possuíam (e possuem) armas nucleares estratégicas apropriadas. Os argentinos mantiveram seus submarinos longe da frota inglesa e não faz sentido algum imaginar os ingleses explodindo uma bomba nuclear sobre Port Stanley e muito menos sobre Buenos Aires.

Frederico Boumann
Frederico Boumann
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Boa tarde Camargoer, perdoe-me me intrometer, mas, acho que você não sabe, ou a reportagem que leu, não o informou adequadamente. As bombas nucleares embarcadas nos dois porta-aviões, no destroyer e no navio de apoio eram para ser utilizadas contra a Argentina sim. Houve uma reunião entre o Ministério da Defesa, Royal Navy e Ministério das Relações Exteriores; na reunião foi levantado dois pontos: 1) utilizar arma nuclear contra país não-nuclear; 2) usar arma nuclear numa área livre de armas nucleares, inclusive com tratado ratificado pela Grã-Bretanha. O Ministério das Relações Exteriores afirmou na reunião que levar esses armamentos era… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Frederico Boumann
8 meses atrás

Ola Frederico. A notícia publicada esta semana é que a Inglaterra tinha 31 bombas nucleares de profundidade para ataque á submarinos. Estas armas estavam em destroyers e fragatas, mas foram transferidas aos porta-avióes. Os ingleses temiam que estas armas fossem perdidas ou danificadas durante a guerra e quanto ao prejuízo diplomático o político caso a informação viesse á publico. https://declassifieduk.org/uk-deployed-31-nuclear-weapons-during-falklands-war/

Alexandre Galante
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

O Poder Naval já tinha publicado matéria completa sobre esse assunto, no ano passado:

https://www.naval.com.br/blog/2021/05/29/as-armas-nucleares-dos-navios-da-royal-navy-na-guerra-das-malvinas-falklands-de-1982/

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alexandre Galante
8 meses atrás

Olá Galante. FELIZ 2022. Obrigado pelo link. Um grande abraço.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

tu viveu a guerra fria, mas parece que não aprendeu nada.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos Campos
8 meses atrás

Caro Carlos. Caso queria discutir ideias, será ótimo. Caso contrário, prefiro o debate com outros colegas. Boa sorte e feliz 2022.

José Carlos de Oliveira
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Como nenhum dos detentores dessas Armas vai querer se livrar delas, sou favoravel que tenhamos as nossas, para acalmar os aventureiros de olho na nossa Amazonia, porque os EUA não invade a Coreia do Norte?

Hcosta
Hcosta
Reply to  José Carlos de Oliveira
8 meses atrás

A Coreia do Norte só recentemente conseguiu as suas bombas nucleares…
Foram 50 anos sem bombas nucleares e sem serem invadidos.
Neste caso, seria por a China as ter?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Hcosta
8 meses atrás

Olá Hcosta. A primeira pergunta seria “Por que os EUA invadiriam a Coreia do Norte?”. No fim da II Guerra, a Coreia foi dividida em duas zonas de ocupação após a derrota do Japão, que ocupava a península. As duas Coreias defendiam a unificação da península. Após o armistício, a fronteira foi restabelecida nos termos anteriores á guerra. Se a Coreia do Sul invadir a Coreia do Norte, ela terá violado o tratado. O mesmo se a Coreia do Norte invadir o Sul. Os dois países estão presos nesta armadilha. Quando a Coreia do Norte desenvolveu suas armas nucleares, isso… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Exatamente. As bombas nucleares não alteraram a situação.
Não foram necessárias, durante mais de 50 anos, para evitar uma invasão devido à capacidade de retaliação convencional sobre a Coreia do Sul e o apoio da China e da Rússia.
Em termos de sanções também não me parece que tiveram algum efeito.
Fica impossível uma eventual invasão? Sim, mas faz com que seja viável a CN invadir a CS? Não.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Hcosta
8 meses atrás

Olá Hcosta. Concordo com você. São apenas três opções. 1. se mantém o equilíbrio entre as duas Coreias. 2. A Coreia no Norte invade o sul. 3. A Coreia do Sul invade o norte. Caso a Coreia do Norte inicie uma guerra, os EUA serão mobilizados e caso a Coreia do Norte use armas nucleares, a resposta também será nuclear, devastando os dois países. Nem a China nem a Russia virão ao auxilio da Coreia do Norte. Portanto é 100% de garantia de perda. Caso a Coreia do Sul invada o norte, a resposta da Coreia no Norte será imediata… Read more »

Slow
Slow
Reply to  Hcosta
8 meses atrás

Se fosse nuclear naquela época não teria existido guerra da Coreia ..

Agressor's
Agressor's
Reply to  José Carlos de Oliveira
8 meses atrás

A Coréia do norte hoje é a prova de que realmente quem pode mais chora de menos. Pois se não fosse pelo poderio bélico de que o país dispõe, o regime déspota “socialista” de lá já estaria derrubado a muito tempo e terminado igual a países como o Iraque ou Líbia.

Last edited 8 meses atrás by Agressor's
Hcosta
Hcosta
Reply to  Agressor's
8 meses atrás

Certamente que ter armas nucleares implicam uma quase impossibilidade de ataque à sua nação mas temos de ver quem, e de que forma, é aliado desses países. Por exemplo a Coreia do Norte não existiria se não fosse a China. E quais são as vantagens que este país tem com as bombas nucleares? Havia esse risco de invasão?
Talvez seja uma forma de manterem no poder a dinastia reinante…

O Iraque e a Líbia não tinham alianças deste grau. E por culpa própria.
A Síria como tinha uma base Russa…

Slow
Slow
Reply to  José Carlos de Oliveira
8 meses atrás

Pois é ..

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Adriano Madureira
8 meses atrás

Olá Adriano. Obrigado por colocar o link. Aprendi muito com este filme. Há uns 5 anos, assisti novamente. Continua atual. Chorei muito. Segue o link do filme completo. https://www.youtube.com/watch?v=Iyy9n8r16hs

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

comment image

É um dos muitos filmes que mereceria um remake… Não fizeram daquele filme Red Dawn,mais conhecido como amanhecer violento?!
comment image

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Com os efeitos especiais de hoje, seria um filmão ! Quando eu assisti eu fiquei pensando:

Imagine em caso real, a sensação de pânico e apreensão ao você estar em um estádio com familiares e amigos e você ver mísseis nucleares Titan 2 subindo em direção a URSS, e você sabendo que assim como o tempo do envio, o do recebimento de misseis inimigos é o mesmo.
comment image

Last edited 8 meses atrás by Adriano Madureira
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Adriano Madureira
8 meses atrás

Olá Adriano. Você assistiu “Não olhe para cima”?

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

ainda não…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Adriano Madureira
8 meses atrás

Olá Adriano. Vale a pena. Basta trocar o choque de um cometa com a Terra por um ataque de mísseis balísticos armados com bombas nucleares.

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

O filme serviu pra mostrar que o presidente dos EUA hoje em dia é um fantoche de grandes corporações e mostrar o quanto o mundo esta polarizado ..

Last edited 8 meses atrás by Slow
Tomcat4,3
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Este filme é a critica das criticas !!!

Carlos
Carlos
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Caro Camargoer, respeitosamente, o “ banimento das armas nucleares ” ficaria para sempre no:

“começa você primeiro”

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos
8 meses atrás

Olá Carlos. Acho muito difícil que todos os países adotem o banimento das armas nucleares em um único tratado, até porque existem resistências internas dentro dos aparatos militares. O caminho seria avançar com novos tratados de limitação de arsenais nucleares, algo que funcionou muito bem nos últimos 30 anos. A China, por exemplo, pretende aumentar o seu arsenal nuclear para se aproximar dos números dos EUA e da Rússia. O melhor seria que os EUA e a Russia reduzissem seus arsenais para obter o compromisso da China de manter os atuais níveis. Também seria importante envolver todos as potência nucleares… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Se a Rússia não tivesse capacidade nuclear. E os meios de fazer um ataque em qualquer inimigo. Como existe a possibilidade real de ser atacada e destruída.
Há muito teria sido invadida pela OTAN. As armas nucleares são a garantia da paz.
O que se recomenda é sabedoria e bom senso aos governantes.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Sim , mas o grande problema é que sem as armas nucleares , as nações iam começar novamente uma guerra mundial , só não aconteceu de novo pois sabem que agora a destruição é mútua …. o que é um grande paradoxo elas mantém uma “paz ” mundial

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alexandre
8 meses atrás

Caro Alexandre. É preciso revisitar as origens das duas guerras mundiais. Em 1914, o regime da Alemanha era essencialmente militarista, seguindo a tradição prussiana. Praticamente, nenhum governante havia se dado conta do impacto do desenvolvimento industrial e tecnológico sobre a evolução de um conflito, tanto que era unânime a ideia que o conflito iria ser breve, já que se imaginava que os recursos para a guerra (mão de obra, matéria prima, munição, alimentos) seriam esgotados em poucos meses. A II Guerra resulta da ascensão de regimes fascistas e militarizados na Europa e na Ásia. Neste contexto, uma III Guerra provavelmente… Read more »

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Não apenas fascistas Camargoer, somente para te lembrar a URSS atacou a Finlandia, os países bálticos e a Polônia e ainda abocanhou uma parte da Romênia.

A URSS era claramente um pais altamente militarizado depois da segunda guerra e com uma politica externa altamente agressiva.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Eu sou da tua geração Camargoer. Nós que vivemos a época da Guerra Fria entre os EUA x URSS achávamos que dos anos 2000 não passaríamos. As consequências são indescritíveis de uma Terceira Guerra Mundial usando armas nucleares. Sorte de quem estiver no ponto zero e morrer logo pois depois o que virá será o próprio inferno na terra. Rezemos ou oremos para que o mundo nunca lance seus arsenais um contra outro!

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Boa tarde, ou ninguém tem, ou todos tem….. abraços

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Saldanha da Gama
8 meses atrás

Oĺá Saldanha. Voto para que ninguém tenha.

Ten Murphy
Ten Murphy
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Um dos caminhos possíveis é a redução escalonada dos arsenais nucleares até a sua completa extinção.

Concordo 100% nisso. Ou todos tem ou ninguém tem. E pensando nas consequências de 1 ou vários terem, prefiro que ninguém tenha.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ten Murphy
8 meses atrás

Ola Murphy. Ótimo. Já somos dois. Daqui a pouco seremos muitos. Logo seremos a maioria. Depois seremos todos.

João Augusto
João Augusto
8 meses atrás

“Como o uso nuclear teria consequências de longo alcance, também afirmamos que as armas nucleares – enquanto continuarem a existir – devem servir a propósitos defensivos, deter a agressão e prevenir a guerra.”
Detalhe: quem já tem a arma de deter a agressão e prevenir a guerra faz de tudo para que os outros não a conquistem, inclusive agredir e guerrear.
C’est la vie.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  João Augusto
8 meses atrás

só preveni a guerra contra eles, estão falando oq tudo mundo sabe, bando de países hipócritas.

Slow
Slow
8 meses atrás

Que novidade ..

Tomcat4,3
8 meses atrás

O mais interessante é que tem uma turma por estas bandas brasucas fazendo campanha por bomba nuclear brasileira. Gastar os tubos pra ter e manter uma arma que não se pode usar . Trágico!!! Só o que vai consumir em dindin pra desenvolver a estrutura necessária pra desenvolver e testar a bomba(nem falo no meio de transporte da ogiva) e etc, por uma arma que se vc lança em algum país , o mesmo tem direito de resposta e ai vira briga pois o seu soco doeu mais que o soco que te dei e eu quero descontar tbm(assim as… Read more »

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Tomcat4,3
8 meses atrás

Sou a favor de gastar tubos de dinheiro com sistemas e armas que nós possam nos defender de ICBMs…

Radares potentes assim como mísseis anti-ICBM para interceptá-los.

Os eua investiram(para uns é gasto…) USD 2,2 Bilhões de dólares na fabricação do radar X-BAND, que fica no Havaí se não me engano.
O feixe de radar é capaz de detectar um objeto do tamanho de uma bola de beisebol a até 2.500 milhas de distância.
comment image

comment image

comment image
comment image

Last edited 8 meses atrás by Adriano Madureira
Tomcat4,3
Reply to  Adriano Madureira
8 meses atrás

Isso eu tbm defendo meu caro, o negócio é gastar tudo com nuque (que nem pode usar) e ficar sem todo o resto uai, ai que não dá.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Tomcat4,3
8 meses atrás

Só por curiosidade: o Projeto Manhatan custou dois bilhões de dólares, em dinheiro da época, 1945, quando se podia comprar uma boa casa com algumas dezenas de milhares de dólares. Em dinheiro de hoje, 2022, teria custado mais de trinta bilhões de dólares, uns 300 F-35, uns 15 Burkes, uns três Ford.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alex Barreto Cypriano
8 meses atrás

Olá Alex. Segue o link com a descrição dos custos do Projeto Manhatan.
https://www.brookings.edu/the-costs-of-the-manhattan-project/

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Grato, mestre Camargoer. Pelo artigo: 1,9 bilhões em 1945, 21 bilhões em 1996.

Tomcat4,3
Reply to  Alex Barreto Cypriano
8 meses atrás

É disso que estou falando, perdemos o bonde e agora, conforme mencionado pelo sr Agnelo, pra caçar desenvolver nuque nós teremos que nos armar até os dentes pra segurar possíveis ataques preventivos que possam vir para parar nosso desenvolvimento, fora as sanções .

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Tomcat4,3
8 meses atrás

São pessoas que não dão importância o que é realmente importante para o país. Um país realmente grande começa com o básico: 1° Educação, pois um grande país tem seus cidadãos formados em educação; 2° Saúde, pois se temos saúde preventiva menos cidadão doentes e mais mão obrar disponível e 3° Segurança, ae sim deveríamos focar na segurança interna e externa. Pergunta se querem ter tempo para planejar, ter metas e executar?!?

Joanderson
Joanderson
8 meses atrás

No momento armas nucleares são essencial pense em um mundo onde não existissem a destruição mutua a segurada ja teria ocorrido a terceira guerra mundial a muito tempo .

Tomcat4,3
Reply to  Joanderson
8 meses atrás

Viaja não fiot , arma nuclear num traz segurança nem aqui nem em lugar algum !!!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Joanderson
8 meses atrás

Caro Joanderson. Desde o fim da II Guerra, o mundo teve inúmeras guerras, muitas das quais causando enorme dado á população civil, beirando o genocídio. Portanto, a existência de armas nucleares nunca serviu como ferramenta de garantia de paz. A estratégia da mútua aniquilação promove uma insana corrida armamentista que serve apenas para elevar o risco de uma guerra nuclear. Os últimos anos mostraram que é possível reduzir os arsenais nucleares dos países de modo sistemático. Hoje existem cerca de 6 mil armas nucleares, ou 10% do pico observado na década de 80. Ainda é possível reduzir este arsenal para… Read more »

sergio
sergio
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Mais nenhuma guerra regional, tampouco uma mundial. guerras entre estados sempre houveram e sempre haverá, o problema e que entre duas potencias antagônicas sem nucleares elas iriam as vias de fato com certeza, uma para subjuga a outra. a historia esta repleta de exemplos, Grécia vc Persia , Roma vs Cartago etc. Por exmplo se Cartago tivesse um recipiente de fogo Fogo Grego grande o suficiente para por fogo em Roma, e roma tivesse o mesmo para por fogo em Cartago vc acha que eles teriam tido todas as guerras que tiveram ?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  sergio
8 meses atrás

Olá Sergio. Talvez seja inapropriado compararmos os conflitos entre potências pré-industriais, com os conflitos que eclodiram a partir do Sec XX no contexto de guerras totais. Nas duas guerras mundiais, as guerras foram deflagradas a partir de um projeto de expansão territorial essencialmente fundamentado em regimes militaristas. O contexto da Guerra Fria nunca teve um caráter expansionista, como ocorreu com o Império Alemão, com o Império Japonês e com a Alemanha Nazista. A disputa entre a URSS e os EUA foi de base ideológica. Essencialmente, os EUA temiam ser tomados por uma revolução socialista inspirada ou até financiada pela URSS,… Read more »

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

“mas tenho certeza que o fato de vários países terem armas nucleares evitou que elas fossem usadas”

Você mesmo responde suas próprias contradições

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Augusto
8 meses atrás

Caro Augusto. Quando a gente observa a história recente, percebemos que a única vez que um país usou armas nucleares foi quanto ele detinha o monopólio das armas nucleares. A gente também observa que após a quebra deste monopólio, nenhum país empregou armas nucleares seja contra países que possuem arsenal nuclear ou países em arsenal nuclear. Também observamos que desde o final da Ii Guerra, praticamente todos os países (com armas nucleares ou sem armas nucleares) participaram de conflitos convencionais. Então, a estrategia MAD foi bem sucedida para evitar que países com armas nucleares usassem seus arsenais contra outros países.… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

e quantas guerras mundiais já teve? tu vive no mundo dos ursinhos carinhosos.

Beto
Beto
Reply to  Carlos Campos
8 meses atrás

Boa kkkkkkkkkkkkk

Welington S.
Welington S.
8 meses atrás

Nossa, que sapiência.

sub urbano
sub urbano
8 meses atrás

Sou contra o fim dos grandes estoques de armas nucleares. Na virada do século XIX para o XX o planeta terra passou a emitir grande quantidade de ondas de rádio para o espaço. Retirantes alienígenas que destruíram seu proprio planeta podem ver a terra como solução. É a “Hipótese Dark Forest” uma interpretação pessimista do paradoxo de fermi.

Emmanuel
Emmanuel
8 meses atrás

Pra quem esperava a Rússia varrendo a Europa, ou a China chutando os US do Pacífico, esqueça.
Quando as coisas esquentarem vão dar as mãos e cantar amigos para sempre.

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Emmanuel
8 meses atrás

Interessante é ver a quantidade de bombas nucleares da França. O que uma Alemanha de vizinha não faz.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Emmanuel
8 meses atrás

Caro Emmanuel. A França detonou a sua primeira arma nuclear em 1960. Antes da II Guerra, a França já tinha pesquisadores na área nuclear. O ponto crítico para a decisão da França de construir uma arma nuclear foi a intervenção dos EUA quando a Inglaterra e a França ocuparam o Canal de Suez. A Alemanha estava dividida e ocupada durante o período de desenvolvimento da bomba atômica francesa.

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

A Alemanha estava endividada e ocupada antes da IISGM.
A Alemanha sempre foi uma ameaça, mesmo quando não era unificada, tanto que a guerra franco-prussiana foi uma resposta para uma possível unificação alemã.
A França nunca quis essa unificação.
Quem garantia que a Alemanha não se levantaria uma terceira vez e varreria a Europa novamente.
Melhor estar devidamente preparado para pará-la numa terceira tentativa.

Digo
Digo
Reply to  Emmanuel
8 meses atrás

Isso não tira a possibilidade de conflitos convencionais limitados na Ucrânia e no mar do sul da China.

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Digo
8 meses atrás

Não limita. E aí temos como exemplos a guerra da Coréia, Vietnã, Afeganistão…

Alessandro
Alessandro
8 meses atrás

É fácil para eles fazer esse TEATRINHO, pois já fizeram a deles e JAMAIS vão se livrar de seu armamento nuclear até ter algo mais destruidor e eficaz, por isso que armas biológicas e químicas saíram de uso.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Alessandro
8 meses atrás

Quem disse que as armas biológicas e químicas saíram de uso? De onde vc tirou isso? A maior parte das potências bélicas ainda investem no desenvolvimento e no arsenal desses tipos de armamentos…E os EUA, a Rússia e a China são justamente hoje os países que mais dominam no poderio desses armamentos…

Alessandro
Alessandro
Reply to  Agressor's
8 meses atrás

Como armas de dissuasão em grande escala? Reafirmo, não tem uso! Veja o histórico das batalhas e guerras em que foram usadas, apenas servem para sabotagens em casos PONTUAIS causando um efeito psicológico no adversário.

Last edited 8 meses atrás by Alessandro
Talisson
Talisson
8 meses atrás

O Brasil precisa se nuclearizar.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Talisson
8 meses atrás

Caro Talisson. Há muitos anos, li um relatório do governo japonês sobre os custos do país adotar um arsenal nuclear. A conclusão é que isso consumiria metade dos recursos de defesa do país para manter uma capacidade de resposta nuclear para uma ameaça que só seria efetiva a partir do momento que o país se nuclearizasse. Podemos aplicar essa mesma conclusão para o Brasil. Ao adotar um arsenal nuclear, o país seria obrigado a implantar uma infraestrutura para a construção e manutenção destas armas, além disso, teria que implementar uma capacidade de empregar estas armas, que seriam mísseis, submarinos lançadores… Read more »

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Realmente é caro mas quanto custa a soberania de um país ? .. os Russos com economia igual nossa praticamente mantem o maior arsenal nuclear ..

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Slow
8 meses atrás

Caro Slow. O arsenal nuclear russo é herança dos gastos soviéticos. Por 60 anos, a URSS acumulou material físsil e desenvolveu tecnologia para seu lançamento, construindo uma base industrial para a manutenção de sua força nuclear. Contudo, foram estes gastos militares durante a Guerra Fria que levaram a URSS ao colapso. Ainda assim, a Russia tem um orçamento militar da ordem de US$ 60 bilhões, praticamente o triplo do orçamento brasileiro, que consome cerca de 3% do PIB.

Slow
Slow
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Sim , uma herança que garante a soberania do país independente do gasto , por isso não foi desmanchada ..

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
Reply to  Talisson
8 meses atrás

O Brasil precisa primeiro é tomar vergonha na cara! Ai sim depois pode fazer isso que você sugeriu!

Talisson
Talisson
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
8 meses atrás

Depois que perder um território para interesses globalistas ao custo de sanções preliminares e depois milhares de vidas não precisará ou adiantará tomar vegonha na cara. E é basicamente por falta de vergonha na cara que o brasileiro médio acredita que por ser um povo alegre e pacífico que as potências irão poupar do nosso couro como não pouparam o dos iuguslavos, iraquianos, líbios, ou que nos defenderão da intervenção de uma potência antagônica. Já está começando, nas escolas e imprensa ocidental o Brasil já é o “vilão” em certas áreas. Já colocam na cabeça dos jovens europeus que o… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Talisson
Heinz Guderian
Heinz Guderian
8 meses atrás

Tudo farinha do mesmo saco.
Eles não entram em confronto direto, mas utilizam-se de terceiros para isso, muitas vezes países pobres, levando caos e destruição. No fim, muitas pessoas continuam morrendo por causa das guerras de procuração.
Esse papo family friend é ridículo.

Tomcat4,3
Reply to  Heinz Guderian
8 meses atrás

Vc foi na mosca meu caro e nessas trairagens por procuração eles testam seus brinquedinhos novos e colocam o carimbo de testado em combate pra vender mais.

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
8 meses atrás

Ratos, isso cheira a novos TNPs para os idiotas que sempre assinam… Ratos !

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
8 meses atrás

Blá blá blá, e mais blá blá blá…

Francisco
8 meses atrás

Parece que o avanço tecnológico de muitos países entre eles o Brasil e a aparente possibilidade destes desenvolverem seus arsenais nucleares promovendo com isso uma mudança no status dominante dos auto intitulados senhores do mundo gerou uma “união” casuística neste assunto, isso só nos mostra que este é o caminho a ser seguido pelo menos pelo Brasil ou qualquer outra nação que não deseja continuar sendo explorada, manipulada e até ameaçada como no caso da Amazônia, ameaça está feita pelos SAPOS entre outros, isso só confirma a história de que o mundo (países, nações, povos, etc.) desde que é mundo… Read more »

Agressor's
Agressor's
Reply to  Francisco
8 meses atrás

Perfeito, fechou com o assunto…

Agressor's
Agressor's
Reply to  Francisco
8 meses atrás

Todos temem o potencial do Brasil ! O Brasil só não é umas das 5 maiores
potências militares e econômicas porque a nossa classe dirigente nos
sabotam para que isso não se concretize! O Brasil sempre foi “castrado” em termos de progresso.

Nosso país só não é mais evoluído por causa de maus brazileirus, só compramos e pagamos, e qualquer passo que damos para frente somos puxados de volta pra trás. A corrupção é o maior inimigo de uma nação, ela rouba tudo, até os sonhos…

Last edited 8 meses atrás by Agressor's
Francisco
Reply to  Agressor's
8 meses atrás

Amigo você tocou no ponto crucial responsável por nosso subdesenvolvimento, que são os tais dos brazileurus, não consigo entender alguém ser contra os interesses do seu país, contra seu povo, especialmente por predileções políticas, é algo inimaginável mas infelizmente é o que ocorre no nosso país, e para completar temos a cereja do bolo popularmente conhecidos por aqui como corruptos, junte tudo isso a nações que fomentam todo esse circo e temos uma nação relegada a um sonoro e distante país do futuro, futuro esse que nunca chegará enquanto tivermos brazileurus em nosso meio.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Francisco
8 meses atrás

As potências hegemônicas disputam entre si pelo o domínio e a influência sobre as nações mais fracas, onde elas se usam de uma guerra de narrativas pra mascarar seus reais intentos por trás. Mas ainda tem gente que acha que as potências dominantes querem que os países como o nosso sejam soberanos e se desenvolvam para se tornarem em mais um dos concorrentes delas…

Last edited 8 meses atrás by Agressor's
Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
8 meses atrás

Conversa para boi dormir. Se essa conclusão fôsse verdadeira, então porquê não destroem os seus respectivos arsenais atômicos?
A unica guerra nuclear que não teria vencedôres seria entre EUA e Russia.

Carlos
Carlos
Reply to  Tadeu Mendes
8 meses atrás

E tem mais Tadeu, não acredito que quem já tem arsenal abrirá mão da sua “defesa”…

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Carlos
8 meses atrás

Sua conclusão está perfeitamente correta.
A Ucrania fêz isso nos anos 90. E o resultado é que agora tem o urso respirando no cangote dela o tempo tôdo.

Augusto
Augusto
Reply to  Tadeu Mendes
8 meses atrás

Concordo com você Tadeu, a Rússia e os EUA poderiam vencer as demais potencias em uma troca de tiros nucleares. Talvez a China daqui a alguns anos quando aumentar seu arsenal consiga bater de frente contra esses dois.

O problema ao enfrentar algumas de potencias nucleares “menores” é se uma ou algumas armas consigam atingir os EUA ou os Russos, já seria um baita de estrago, tanto em vidas quanto economicamente. Os ingleses e os franceses possuem SSBN’s modernos e silenciosos que dificilmente seriam detectados antes de qualquer hipotético ataque.

Jacinto
Jacinto
8 meses atrás

Eu acho que, ao contrário do que estes países desejam, outros países deverão desenvolver armas nucleares nos próximos anos ou décadas: Irã, Arábia Saudita, Turquia, Taiwan, Japão e Coreia do Sul vêm à mente.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Jacinto
8 meses atrás

Eu duvido muito Taiwan desenvolver algo assim, não porque eles não possuem capacidade para tal, mas sim por causa da pressão chinesa.
Quanto ao Irã, tenho minhas duvidas também, Israel dificultará o máximo isso, e até mesmo a Arábia Saudita.