quarta-feira, novembro 30, 2022

Saab RBS 70NG

Henry Kissinger em 2014: Para resolver a crise na Ucrânia, comece pelo fim

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Henry A. Kissinger foi secretário de Estado de 1973 a 1977

Por Henry A. Kissinger, 5 de março de 2014

A discussão pública sobre a Ucrânia tem tudo a ver com confronto. Mas sabemos para onde vamos? Na minha vida, vi quatro guerras começarem com grande entusiasmo e apoio público, todas as quais não soubemos como terminar e três das quais nos retiramos unilateralmente. O teste da política é como ela termina, não como começa.

Com demasiada frequência, a questão ucraniana é apresentada como um confronto: se a Ucrânia se junta ao Oriente ou ao Ocidente. Mas para que a Ucrânia sobreviva e prospere, não deve ser o posto avançado de nenhum dos lados contra o outro – deve funcionar como uma ponte entre eles.

A Rússia deve aceitar que tentar forçar a Ucrânia a um status de satélite e, assim, mover as fronteiras da Rússia novamente, condenaria Moscou a repetir sua história de ciclos auto-realizáveis ​​de pressões recíprocas com a Europa e os Estados Unidos.

O Ocidente deve entender que, para a Rússia, a Ucrânia nunca pode ser apenas um país estrangeiro. A história russa começou no que foi chamado de Kievan-Rus. A religião russa se espalhou a partir daí. A Ucrânia faz parte da Rússia há séculos, e suas histórias estavam entrelaçadas antes disso. Algumas das batalhas mais importantes pela liberdade russa, começando com a Batalha de Poltava em 1709, foram travadas em solo ucraniano. A Frota do Mar Negro – o meio da Rússia de projetar poder no Mediterrâneo – é baseada em arrendamento de longo prazo em Sebastopol, na Crimeia. Até mesmo dissidentes famosos como Aleksandr Solzhenitsyn e Joseph Brodsky insistiam que a Ucrânia era parte integrante da história russa e, de fato, da Rússia.

A União Europeia deve reconhecer que a sua lentidão burocrática e a subordinação do elemento estratégico à política interna na negociação da relação da Ucrânia com a Europa contribuíram para transformar uma negociação em crise. A política externa é a arte de estabelecer prioridades.

Os ucranianos são o elemento decisivo. Eles vivem em um país com uma história complexa e uma composição poliglota. A parte ocidental foi incorporada à União Soviética em 1939, quando Stalin e Hitler dividiram os despojos. A Crimeia, cuja população russa é de 60%, tornou-se parte da Ucrânia apenas em 1954, quando Nikita Khrushchev, ucraniano de nascimento, a concedeu como parte da celebração dos 300 anos de um acordo russo com os cossacos. O oeste é em grande parte católico; o leste em grande parte ortodoxo russo. O oeste fala ucraniano; o leste fala principalmente russo. Qualquer tentativa de uma ala da Ucrânia de dominar a outra – como tem sido o padrão – levaria eventualmente à guerra civil ou ao colapso. Tratar a Ucrânia como parte de um confronto Leste-Oeste arruinaria por décadas qualquer perspectiva de trazer a Rússia e o Ocidente – especialmente Rússia e Europa – para um sistema internacional cooperativo.

A Ucrânia é independente há apenas 23 anos; anteriormente estava sob algum tipo de domínio estrangeiro desde o século 14. Não surpreendentemente, seus líderes não aprenderam a arte da concessão, muito menos a perspectiva histórica. A política da Ucrânia pós-independência demonstra claramente que a raiz do problema está nos esforços dos políticos ucranianos para impor sua vontade a partes recalcitrantes do país, primeiro por uma facção, depois pela outra. Essa é a essência do conflito entre Viktor Yanukovych e sua principal rival política, Yulia Tymoshenko. Eles representam as duas alas da Ucrânia e não estão dispostos a dividir o poder. Uma política sábia dos EUA em relação à Ucrânia buscaria uma maneira de as duas partes do país cooperarem entre si. Devemos buscar a reconciliação, não a dominação de uma facção.

A Rússia e o Ocidente, e muito menos as várias facções na Ucrânia, não agiram de acordo com esse princípio. Cada um piorou a situação. A Rússia não conseguiria impor uma solução militar sem se isolar em um momento em que muitas de suas fronteiras já são precárias. Para o Ocidente, a demonização de Vladimir Putin não é uma política; é um álibi para a ausência de uma.

Putin deve perceber que, quaisquer que sejam suas queixas, uma política de imposições militares produziria outra Guerra Fria. De sua parte, os Estados Unidos precisam evitar tratar a Rússia como uma aberração a ser pacientemente ensinada sobre as regras de conduta estabelecidas por Washington. Putin é um estrategista sério – nas premissas da história russa. Compreender os valores e a psicologia dos EUA não são seus pontos fortes. A compreensão da história e da psicologia russas também não foi um ponto forte dos formuladores de políticas dos EUA.

Líderes de todos os lados devem voltar a examinar os resultados, não competir em postura. Aqui está minha noção de um resultado compatível com os valores e interesses de segurança de todos os lados:

1. A Ucrânia deve ter o direito de escolher livremente suas associações econômicas e políticas, inclusive com a Europa.

2. A Ucrânia não deve aderir à OTAN, posição que assumi há sete anos, quando surgiu pela última vez.

3. A Ucrânia deve ser livre para criar qualquer governo compatível com a vontade expressa de seu povo. Os sábios líderes ucranianos optariam então por uma política de reconciliação entre as várias partes de seu país. Internacionalmente, devem seguir uma postura comparável à da Finlândia. Essa nação não deixa dúvidas sobre sua feroz independência e coopera com o Ocidente na maioria dos campos, mas evita cuidadosamente a hostilidade institucional em relação à Rússia.

4. É incompatível com as regras da ordem mundial existente a Rússia anexar a Crimeia. Mas deve ser possível colocar o relacionamento da Crimeia com a Ucrânia em uma base menos tensa. Para esse fim, a Rússia reconheceria a soberania da Ucrânia sobre a Crimeia. A Ucrânia deve reforçar a autonomia da Crimeia nas eleições realizadas na presença de observadores internacionais. O processo incluiria a remoção de quaisquer ambiguidades sobre o status da Frota do Mar Negro em Sebastopol.

Estes são princípios, não prescrições. As pessoas familiarizadas com a região saberão que nem todos serão palatáveis ​​para todas as partes. O teste não é a satisfação absoluta, mas a insatisfação equilibrada. Se alguma solução baseada nesses elementos ou em elementos comparáveis ​​não for alcançada, a tendência para o confronto se acelerará. A hora para isso chegará em breve.

FONTE: The Washington Post

- Advertisement -

113 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

113 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camargoer
9 meses atrás

Olá Colegas. Gostem ou não de Kissinger, ele tem uma experiência diplomática que falta para a maioria dos governantes. Ele menciona subliminarmente o erro que é subordinar a política externa às exigências da política interna. Há dias tenho sugerido retomarmos aos artigos e documentação gerada sobre a crise em 2014 para entendermos o que estaria se passando hoje e sobre o equívoco que tem sido basear qualquer análise exclusivamente no que é publicado pela mídia ocidental, essencialmente alinhada com Washington. O problema é que a situacao atual avançou para muito além do que era discutido em 2014. Acredito que exista… Read more »

Joe
Joe
Reply to  Camargoer
9 meses atrás

Joinha pra você. 🙂

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer
9 meses atrás

De não retorno, possivelmente. Vamos ver se evolui para uma situação de estagnação.
Agora é que serão mais prováveis as ações de false flag. Não é a mesma coisa atacar “separatistas” ou tropas Russas, identificadas como tal. Talvez os ataques de artilharia deixem de acontecer em ambos os lados.
A Ucrânia até deveria retirar a artilharia das linhas da frente para não darem qualquer justificação.

Nilo
Nilo
Reply to  Camargoer
9 meses atrás

Dov Zakheim, colunista de famoso site americano diz:” como a Bielorrússia também entrou na esfera de influência de Moscou, o mesmo acontecerá com a Ucrânia.” Isso é inexorável.

André Sagat
André Sagat
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Assim como era inexorável o triunfo do Comunismo?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  André Sagat
9 meses atrás

Ou como a História tinha acabado, com o triunfo das ‘democracias liberais’ ocidentais?
Está voltando tudo de novo.
E na versão 3.0.

Nilo
Nilo
Reply to  André Sagat
9 meses atrás

Sim, se não inexorável a Rússia na configuração atual terá o mesmo fim que o Comunismo.
“Hoje iniciei uma conversa telefônica com o presidente da Federação Russa. O resultado foi o silêncio”, disse Zelensky
Além da mãe Dina, digo Biden, mais um oficial americano a repetir: ‘Certamente é possível’ que a Rússia invada a Ucrânia ‘hoje’, disse um oficial de defesa dos EUA.

Last edited 9 meses atrás by Nilo
Jefferson
Jefferson
Reply to  Camargoer
9 meses atrás

Russia começou a bombardeia kiev e os arredores… começou a guerra

fulcrum
fulcrum
Reply to  Camargoer
9 meses atrás

O mau venceu em 1945.

Dr. Mundico
Dr. Mundico
Reply to  fulcrum
9 meses atrás

O mal sempre vence.

Wellington Kramer
Wellington Kramer
Reply to  Camargoer
9 meses atrás

Ele tem muita experiencia em favorecer seus inimigos.

Antoniokings
Antoniokings
9 meses atrás

Excelente o texto de um veterano da política externa.
Olha a diferença dele para um sujeito quase sem qualificação como esse Blinken.
Interessante que ele coloque em relevo as questões da influência russa sobre a Ucrânia e a ‘solução’ estilo Finlândia.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

A Rússia fez tudo ao contrário das sugestões do texto…

Nilo
Nilo
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

EUA também rsrs

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Os EUA também.
Só que ali, a posição de força é da Rússia.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Excelente texto, de um americano??
fala sério…

Nilo
Nilo
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Se a solução da Ucrânia for cópia da Finlândia, e vc acha ótimo, vc não entendeu os acontecimentos atuais que levaram ao conflito, que Putin não o ouça, e se ele aceitar então diria que ele acabou de derreter a Rússia.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilo
9 meses atrás

O que vc não entendeu é que Finlândia sempre ficou quietinha nas questões política, diplomáticas e principalmente militares, para não perturbar o gigante russo.
A Ucrânia, não.
Está perturbando a Rússia aventando, inclusive, sua entrada para a OTAN.
O que os russos não admitirão de jeito algum.
É essa a mensagem para a Ucrânia.
Quer entrar na União Européia? Pode.
Quer negociar e fazer acordos diretamente com outros países? Pode.
Quer entrar para a OTAN? Nem pensar.
O aviso russo foi dado.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Não, a Rússia não quer que a Ucrânia seja igual à Finlândia. Por mais quieta que esteja o desejo da Rússia é dominá-la.
Duvido muito que permitam a sua entrada para a UE…

Nilo
Nilo
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

bom dia, o inxorável ainda está a caminho.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Como eu disse:

oglobo.globo.com/mundo/primeiras-sancoes-contra-russia-tem-impacto-minimo-apos-moscou-proteger-sua-economia-durante-anos-1-25406835

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

A bolsa de valores deu um grande tombo…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Vetereno, Mensageiro do Caos, mas dessa vez concordo com ele, a Finlândia devia ser o modelo a seguir.

Fabio Jeffer
Fabio Jeffer
9 meses atrás

Foi talvez um dos melhores comentários que li a esse respeito, e como foi feito em 2014, se alguns dos líderes atuais o tivessem levado a sério, principalmente o Biden Senil e submisso do Jens Stoltemberg, a situação não estaria assim

Hcosta
Hcosta
Reply to  Fabio Jeffer
9 meses atrás

Leu o que está escrito?
Dos 4 pontos, a Rússia desrespeitou 3.

Nilo
Nilo
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Artigo, Enrolação, tendencioso.

José de Souza
José de Souza
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Artigo do HENRY KISSINGER tendencioso?????????????? Gente, é cada uma! Pesquisa quem foi o cara, a obra dele e depois volta aqui…

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Fabio Jeffer
9 meses atrás

Quem teve 4 anos para tentar uma solução nos termos deste texto não foi o Biden

Last edited 9 meses atrás by Bruno Vinícius
Augusto
Augusto
Reply to  Fabio Jeffer
9 meses atrás

Sim com todo certeza, todos os pontos que o Kissinger pontuou (talvez tirando a Crimeia, que já e um fato consumado a anexação russa) são bastante moderados para ambos os lados. De longe faltam diplomatas no ocidente do nível de Kissinger. Para resolver essa crise ambos os lados terão que ceder em algum ponto. Tem que ter dialogo.
Mas infelizmente qualquer conversação não e mais possível. Vamos orar para crise não tomar qualquer proporção maior ainda. Um confronto entre Russia e Ocidente não será bom para ninguém.

Joe
Joe
9 meses atrás

Acho uma estupidez total e completa essa pressão cada vez maior que a OTAN está aplicando na Rússia. Deveriam buscar um caminho de maior aproximação, mas o desejo de manutenção da hegemonia por parte dos americanos e a arrogância dos europeus não permite isso. O maior inimigo do ocidente não é a Rússia, e em breve pode ser tarde demais para perceber isso.

Minha humilde opinião. Se fosse especialista não começaria com “ACHO” o texto.

Last edited 9 meses atrás by Joe
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Joe
9 meses atrás

Olá Joe. De modo geral, começar um texto com “acho”, “acredito” ou “talvez” é um modo elegante de colocar uma opinião em uma discussão de modo respeitoso e educado, permitindo que outros colegas com opiniões divergentes também possam colocar seus pontos de vista sem que a discussão vire uma contenta pessoal. A maioria de nós somos apenas entusiastas que temos a oportunidade de aprender com aqueles que sabem muito. Apenas discordo da necessidade de termos opiniões humildes. Nada disso. Não precisa.

Marcelo
Marcelo
9 meses atrás

Acho um erro associar a história do povo ucraniano aos russos. É como se o povo ucraniano fosse uma subclasse dos russos.
Mesmo que afirmar que os tchecos são parte da história da Alemanha.

Joe
Joe
Reply to  Marcelo
9 meses atrás

Não é um erro colocar na mesa os FATOS. Você consegue fazer essa separação com facilidade? Existem diferenças sim, mas a associação não é equivocada. Sobre ser uma subclasse de russos, aí é outra questão.

Last edited 9 meses atrás by Joe
Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Joe
9 meses atrás

E a mesma coisa que falar que peruano e boliviano são o mesmo povo

José de Souza
José de Souza
Reply to  Capa Preta
9 meses atrás

Negativo, é como dizer que gaúchos e paulistas são o mesmo povo.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Marcelo
9 meses atrás

Pelo que percebi, há 3 grupos principais que derivam de antepassados comuns. Os Ucranianos, os Russos e os Bielorrussos. São mais irmãos do que subclasses. Tenha isso o valor que tiver…

WSilva
WSilva
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Engraçado….

Esses dias mesmo você tava defendendo a existência do povo ”taiwanês”que na verdade são chineses(fora os 2% aborigenes).

Eu heim…

Hcosta
Hcosta
Reply to  WSilva
9 meses atrás

Não, o senhor confunde muitas vezes os meus comentários. Disse exatamente isso que escreveu. Que existe uma etnia na Formosa mas que a grande maioria era composta por Chineses.
Mas para contrariar a ideia que a Formosa sempre foi Chinesa…

WSilva
WSilva
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Legal, acho que confundi o seu comentário com do Thiago.A. Me desculpe amigo.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Olá Helio. Acho que é mais complicado que isso.

Nilo
Nilo
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Correto

André Sagat
André Sagat
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Os russos são tão parentes dos ucranianos quanto os brasileiros são dos portugueses…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  André Sagat
9 meses atrás

Fale isso para os separatistas.
Creio que estão se preparando para tomar o resto de Donetsk e Luhansk.

valor.globo.com/mundo/noticia/2022/02/23/em-sinal-de-que-pode-lancar-ataque-russia-diz-que-separatistas-pediram-ajuda-contra-agressao-da-ucrania.ghtml

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Separatistas checoslovakos pediram ajuda a Alemanha também em 1939

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Eu acho que depois de Lênin, Stalin e Kruschiev terem matado milhões de pessoas lá, somente poloneses odeiam tanto a Rússia do que Ucranianos.

Hélio
Hélio
Reply to  Marcelo
9 meses atrás

Também é um erro associar a história do povo paulista ao povo brasileiro? O povo ucraniano é o povo russo, a Rússia que se formou após é o povo russo e outros diversos povos. A própria ucraniana é uma invenção da URSS.
Não se trata de ser subclasse, trata-se de ser a própria classe.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Hélio
9 meses atrás

Hélio, assim como o Brasil, um dia, se separou de Portugal, a Ucrânia, um dia, se separou da Rússia.
Houve um plebiscito e decidiram ser uma nação independente.
Não é tão difícil assim de entender (à menos pro Putin, e seus cupichas)

Nilo
Nilo
Reply to  Marcelo
9 meses atrás

Os russos dizem ao contrário, a história do surgimento da Rússia parte da Ucrânia.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Portanto, mais um motivo para se reunirem novamente em uma mesma Nação.
Como foram durante séculos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Portugal não se uniu a Castela e já passaram 800 anos…

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

A maioria dos Ucranianos nem falam russo, somente os colonos do leste do país que foram colocados lá depois de massacres e expurgos de Ucranianos locais durante a URSS.

Marcelo
Marcelo
9 meses atrás

https://avia-es.com/news/strany-nato-gotovyatsya-atakovat-pridnestrove.

Parece que as coisas vão ficar interessantes pro lado da Rússia.

Alexandre Galante
Reply to  Marcelo
9 meses atrás

Esse site Avia.Pro não é confiável.

Matheus
9 meses atrás

Depois das cagadas no Vietnã e Iraque, eu nem ouço mais esse velho.

Alexandre Galante
Reply to  Matheus
9 meses atrás

Deveria ouvir, porque algumas pessoas aprendem com os erros que cometem.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Olá Alexandre. Acho que algumas pessoas, por outro lado, acreditam que sempre estão certas.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Matheus
9 meses atrás

Caro Matheus. O fato de alguém ser velho importa pouco. Alguns são sábios desde muito jovens. Outros continuam imbecis pela vida toda. Geralmente, o que torna uma pessoa sábia é estar junto de pessoas mais sábias sem ter vergonha de ser o menos preparado, assim como o estúpido sempre se cercará de pessoas menos preparadas para que possa se sentir o mais inteligente. Kissinger é um daqueles casos raros dos quais parece ter nascido sábio.

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Matheus
9 meses atrás

“Na minha vida, vi quatro guerras começarem com grande entusiasmo e apoio público, todas as quais não soubemos como terminar e três das quais nos retiramos unilateralmente. O teste da política é como ela termina, não como começa.”
O nível de experiência deste “velho” era tanto que ele era o melhor conselheiro que os EUA tiveram no final do sec. 20. A culpa não é dele se não o escutaram.

sub urbano
sub urbano
9 meses atrás

Henry Kissinger estava certo. Na minha opinião o Zelensky consegue ser pior que a Timoshenko mil vezes. Ela ainda soube jogar e ganhou até algumas concessões antes de vacilar e ser presa. Um governante inteligente teria tirado vantagem dos dois lados. Devemos lembrar que a Ucrania era a maior fornecedora de componentes para a Industria Russa que vinha em recuperação desde o fim do trágico governo Yeltsin.

Nilo
Nilo
Reply to  sub urbano
9 meses atrás

Henry no texto da corda para a Rússia, essa corda ele usa para enforcar a Rússia, e vc nem percebe, isso é brilhante no velho estrategista.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Nilo

Esqueça isso.
Naquela região é ‘Rússia e mais dez’.
A Rússia manda e desmanda e, certamente, tem o apoio da China para driblar eventuais sanções.
Hoje, Biden anunciou sanções ao NordStream2.
Qual o peso de sanções a um gasoduto que nem entrou em operação?
Apesar disso, a Rússia acabou de assinar um acordo de fornecimento de gás com a China por trinta anos.
A Alemanha está fazendo ‘c. doce’.
Tudo bem.
Vamos vender para a China.
A Rússia começou a dar andamento a sua estratégia e não vai parar.

sub urbano
sub urbano
9 meses atrás

O Zelensky é aquele político que argumenta não ser político e sim empresário. esses caras são mais autoritários do que os politicos tradicionais. Por exemplo: ontem, em Minas Gerais, o governador Romeu Zema (com tragetoria similar ao zelensky) insinuou em uma rede social que Policiais grevistas não servem pra nada e deveriam morrer. Trump, também com o mesmo perfil, instigou uma invasão ao capitólio, um arroubo autoritario sem precedentes naquela que é a democracia mais antiga do mundo hoje. Esses caras são perigosos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  sub urbano
9 meses atrás

Não estará a confundir com o anterior presidente, esse sim, um dos maiores empresários do país?

João Almeida
João Almeida
9 meses atrás

https://youtu.be/Mmb6a_wTUi8

Em espanhol, um resumo da eterna briga desses irmãos vikings

João Almeida
João Almeida
Reply to  João Almeida
9 meses atrás
Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
9 meses atrás

Muito bom o artigo dessa cobra criada. Muito bom mesmo. Interessante essa parte: “De sua parte, os Estados Unidos precisam evitar tratar a Rússia como uma aberração a ser pacientemente ensinada sobre as regras de conduta estabelecidas por Washington.”, em outras palavras, os EUA tem que ter uma abordagem que não seja agressiva. E por fim, o mais sensato: “A Ucrânia não deve aderir à OTAN, posição que assumi há sete anos, quando surgiu pela última vez.” E não deve mesmo. Para o bem de todos, inclusive dos próprios ucranianos.

paulof
paulof
9 meses atrás

Sem resolver o problema interno que levou ao enfraquecimento de Kiev, o problema ali entre Rússia e OTAN só mudaria a natureza.

Carvalho2008
Carvalho2008
9 meses atrás

E olha que é a visão de um americano, experiente…mas americano com seu próprio viés, mas uma análise bem elaborada…

Nikita kuchev presidente soviético, era Ucraniano….

Usar etnias internas para separar um país não é sensato e ninguém quer, a não ser o interesseiros que ou usaram lá em 2014 EUA para desestabilizar, ou agora para de decidir um colchão de zona segura Rússia

E aquela história de ficar dando autonomia, autonomia, autonomia que depois transformam-se em feudos separatistas, num mundo que deveríamos é nos unir

Last edited 9 meses atrás by Carvalho2008
Nilo
Nilo
Reply to  Carvalho2008
9 meses atrás

E tem mais viés rsrs, e nisso o velho Henry é um gênio. Congratulações mestre Carvalho.

Nilo
Nilo
Reply to  Carvalho2008
9 meses atrás

A enorme unidade estratégica da marinha russa, operando no Mar Negro e no Mar Mediterrâneo, é onde se encontra a grande frota russa marítima de águas quentes.
Qual é a sugestão de Henry Raposa, que a esquedinha festiva adorou:
…. Rússia reconheceria a soberania da Ucrânia sobre a Crimeia. …..
….O processo incluiria a remoção de quaisquer ambiguidades sobre o status da Frota do Mar Negro em Sebastopol……
Aprende Brasil, sem compremetimento com a verdade dos fatos, o comprometimento com ideologia leva a um futuro de uma Amazonia Internacionionalizada, o pato da vez.

Marcos10
Marcos10
9 meses atrás

Em resumo: Putin é um recalcado!

Marcos10
Marcos10
9 meses atrás

Acho que as crianças deumbradas por E ussia e China leram e não entenderam, tanto que comemoram.

Nilo
Nilo
9 meses atrás

“É incompatível com as regras da ordem mundial existente a Rússia anexar a Crimeia” se gostou dessa parte então gostou da parte que EUA entrega parte rica em petróleo da Síria, cria um enclave e da aos Curdos e coloca soldados Americanos para proteção.

Last edited 9 meses atrás by Nilo
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Prezado Zeus.

Kissinger sempre teve uma visão realista de até onde os EUA poderiam chegar.
Extremamente pragmático, sabia que a Guerra do Vietnã era um caso perdido para eles e lutou para re-escrever as novas relações com o gigante oriental que começava a despontar: A China.
Infelizmente, seus sucessores no cargo tentaram o caminho oposto.
Do confronto.
E estão se estrepando.

Nilo
Nilo
Reply to  Nilo
9 meses atrás

“Soldados americanos para proteção?!” .
Pois é, ainda não foi dessa vez, pega um banquinho para não cansar.
Agência France-Presse – postado em 03/02/2022 11:43
“Graças à habilidade e à coragem das nossas Forças Armadas, tiramos do campo de batalha Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurashi, líder do ISIS (acrônimo do Estado Islâmico em inglês)”, afirmou Biden no comunicado,
Membros das Forças Democráticas Sírias (FDS), dominadas por curdos, participaram na operação.

Camargoer.
Camargoer.
9 meses atrás

Olá Zeus. Acho que muita gente confunde o Kissinger “intelectual” com o Kissinger “secretário de estado dos EUA”. As suas decisões devem ser contextualizadas em torno do papel que ele desempenhava em cada momento. Um Secretário de Estado (equivalente ao cargo de Ministro de Relações Exteriores do Brasil) irá tomar decisões dentro das circunstâncias do cargo que ocupa. É muito diferente da posição de um intelectual ou de um acadêmico. É preciso ficar atento a isto.

Nilo
Nilo
Reply to  Camargoer.
9 meses atrás

Não confundi. Sei bem distinguir a raposa Henry do Henry o sábio.
A esquerda festiva brasileira não tem futuro no Brasil.

Last edited 9 meses atrás by Nilo
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Olá Nilo. O que é uma “esquerda festiva”? Quem são eles? Para mim, este tipo de classificação não faz sentido… esquerda festiva, direita nutella, centro lantejoula, esquerda azulada, direita pipoca, centro elíptico, esquerda tandem, direita colibri, centro hidrofóbico… estes adjetivos são apenas espuma.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Camargoer.
9 meses atrás

Caro Zeus. Como todo ministro de qualquer governo democrático (creio que não-democráticos também), ele tomou decisões dentro do contexto do gabinete e em acordo com a política determinada pelo seu presidente. Um político que ocupa um cargo de alto escalão, como ministro ou presidente da Câmara ou do Senado (e mesmo a presidência) deve buscar soluções de compromisso, que envolvem a formação de consensos ou que resultam de acordos negociados. Politica como a arte da negociação e do convencimento. Além disso, um ministro de relações exteriores busca acordos quem envolvem outros países. Por isso existem tantas pessoas que fracassam quando… Read more »

Antonioaqueen
Antonioaqueen
9 meses atrás

Um pais é um interesse e não a nenhuma obrigação de um mesmo “povo” viver em um mesmo pais, todo esse argumento parece coisa do século XVIII.

João Almeida
João Almeida
9 meses atrás

Cadê o portuga da ONU propondo força de paz na aérea de conflito, invadem países países pobres sempre!?

Hcosta
Hcosta
Reply to  João Almeida
9 meses atrás

A Rússia já enviou as suas “forças de paz”…
Mas é impossível a ONU fazer alguma coisa com o veto da Rússia e, provavelmente, da China.

Nilo
Nilo
9 meses atrás

Depois de perseguirem cidadões ucranianos de origem russa, proibir o ensino da lingua, proibir progamas, filmes russos de serem divulgado em TV da Ucrânia, depois de…
Zelensky disse: “Dizem que odiamos a cultura russa. Como alguém pode odiar uma cultura? …
Este Humorista continua a fazer o que sabe, contar piada. O azar dele é que os russos são não entende a piada.

Alessandro
Alessandro
9 meses atrás

Henry Kissinger, o cara que INCENTIVOU a industrialização da China e colocou os EUA nessa situação de dependência econômica dos chineses, é realmente um “Jênio” da estratégia ocidental, SQN!! Se esse cara fosse russo ou chinês e fizesse o movimento contrário, teria sido FUZILADO em praça pública, mas como estamos no ocidente é reverenciado pelos intelectuais, artistas, políticos, empresários e toda a ELITE burocrata “social democrata” que SALVOU o comunismo da falência! Pois é amiguinhos e amiguinhas, o resumo é esse mesmo para bom entendedor, o capitalismo financiou e manteve todo esse tempo o comunismo lá na China a todo… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Alessandro
Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Alessandro
9 meses atrás

Alessandro, você reparou como Kissinger tem uma prosa parecida à de David Hume? Eu não gosto de David Hume (tenho más lembranças), mas reconheço que é muito elegante, inclusive pra enganar e desencaminhar…

Carlos Campos
Carlos Campos
9 meses atrás

A Ucrânia é livre para entrar na OTAN, e é livre para enfrentar as consequências disso, como Kissinger falou, e dessa vez concordo com ele, a Ucrânia devia ficar fora da OTAN e fazer parte ou ter um acordo comercial com a UE.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Carlos Campos
9 meses atrás

Acho que para os ucranianos é melhor ficar fora da Otan.
Deveriam também fazer um acordo direto com Moscou, ” olha tu não atira em mim e eu não atiro em você” , você fica com as regiões rebeldes, mas retire o grosso das tropas da minha fronteira.
Paralelamente a isto, a Ucrânia deveria buscar acordos comerciais com a UE, China, e etc, recuperar sua economia e modernizar suas forças de combate, principalmente a Força Aérea.

Nilo
Nilo
9 meses atrás

Oficial do Departamento de Estado, Ned Price, afirmou: “As ações dos Estados Unidos e da Alemanha transformaram o gasoduto russo Nord Stream 2 em uma pilha de metal no fundo do mar. Fatos: O consórcio Nord Stream 2 AG, baseado na Suíça, é um projeto euro-russo de US$ 11 bilhões que conecta as reservas da Rússia ao território alemão, de onde o gás será distribuído para abastecer a própria Alemanha e outros países da União Europeia (UE), metade de seu financiamento vem de empresas europeias, como a francesa Engie, a austríaca OMV, a anglo-holandesa Shell e as alemães Uniper e Wintershall.… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Nilo
Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Pilha de metal… HA! daqui a uns meses a Alemanha certifica o gasoduto.

Nilo
Nilo
9 meses atrás

No momento: Ucrânia impõe estado de emergênciae voos civis esão restritos. Será que foi depois do silencia na ligação do presidente Ucraniano ao Putin.

Nilo
Nilo
9 meses atrás

Global Hawk continua rastreando Donbass – 23/02/22

voo sobre donbass1.jpg
Nilo
Nilo
9 meses atrás

No início arrogante. Agora? Ele parece estar à beira de um colapso nervoso.Zelensky falado à nação pela TV parecia um morto vivo. A gravidade da situação parece tê-lo realmente afetado. Como disse dele só espere M@#$@%#.
Futuro dele, nem presidente, nem Humorista.

pres. ucrania.jpg
Last edited 9 meses atrás by Nilo
Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Nilo
9 meses atrás

Tu fala é muita groselha isso sim!

forte2-1645682124.8407.png
Nilo
Nilo
Reply to  Carlos Gallani
9 meses atrás

preocupado com a perda da região basca pela Espanha? fique tranquilo,
Gibraltar nunca vai voltar a ser de vcs.

Jefferson
Jefferson
9 meses atrás

Começou a ação militar russa… caramba, hein pandemia, guerra, aonde vamos parar ?
Acredito que ficará restrita a ucrania essa guerra mas pra escalar é 2 palitos

Bardini
9 meses atrás

Cadê os caras que debochavam, falando que a Rússia não iria invadir a Ucrânia e que a concentração de forças era normal, visando treinamentos regulares como os realizados anteriormente???
.
Cadê os caras que falavam que tudo não passava de alarmismo dos americanos, para distrair o público dos problemas internos???

Agressor's
Agressor's
Reply to  Bardini
9 meses atrás

O presidente da Rússia está dando aula de estratégia para o mundo, o cara não brinca em serviço. Tô do lado da Rússia, a Ucrânia sempre foi da Rússia.

Podem falar o que quiserem, mas uma coisa é certa: O presidente da Rússia defende os interesses do seu país. Diferentes dos governantes fantoches que temos por cá…

Last edited 9 meses atrás by Agressor's
Hcosta
Hcosta
Reply to  Agressor's
9 meses atrás

Putin defende é a sua manutenção no poder…

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Se liga nesse aqui que ainda vai aparecer pra falar M!

forte2.png
Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Bardini, eu era um destes, mea culpa.
Eu achava que as coisas seriam resolvidas na mesa de negociação.

carcara_br
carcara_br
9 meses atrás

Ao que tudo indica deu ruim, ai sim, fomos surpreendidos novamente. Seguir as sugestões deste sábio senhor precipitaria a ação russa em alguns anos. Na época podia não ser tão claro, mas hoje cada lado já se posicionou claramente, e sabemos que alguns limites seriam ultrapassados.
Algumas vezes simplesmente não é possível resguardar os interesses de ambas as partes. Ou alguém cede ou resolvem por meio do conflito.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
9 meses atrás

Parece que começou a invasão, alguns vídeos na internet de artilharia pesada de foguetes rolando!
Espero que a Ucrânia tenha se preparado, que a população sofra o mínimo possível e que faça a Russia lembrar da Primeira Guerra da Chechênia.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Carlos Gallani
9 meses atrás

É incrivel, 3:38 da madrugada e meu comentário tem 4 negativos, a Ucrânia sofrendo bombardeio pesado, população civil com artilharia sobre as cabeças e tem gente que ainda defende a M da Russia!
Tem bot aqui, gente paga, só pode!

Nilo
Nilo
Reply to  Carlos Gallani
9 meses atrás

A culpa é do Trilógia rsrsrs

Nilo
Nilo
Reply to  Carlos Gallani
9 meses atrás

A Ucrânia se preparou rsrsrsr, com os misseis anti tanque americanos, ingleses….
Quem está preocupaddo com os civis dde laddo a laddo é Putin, a depender de americanos, uma chacina de jovens cai no seu agraddo.

Capa Preta
Capa Preta
9 meses atrás

Essa conversinha de perderdor de guerra ressentido ( no caso a fria) de: ” aaaiiin só vamo ali defender nossa população nativa que tá fazendo sei lá o que no país vizinho” o mundo já ouviu em 1939

Last edited 9 meses atrás by Capa Preta
Satyricon
Satyricon
9 meses atrás

Começou…

Continuarão a defender esse Hitler da era moderna?

Camargoer
Reply to  Satyricon
9 meses atrás

Olá Satyricon. Comparar Putin a Hitler distorce os fatos, descia a discussão e enfraquece qualquer crítica seria sobre sua decisão de iniciar uma guerra.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Camargoer
9 meses atrás

Acabou o momento de amenizar as palavras meu amigo, a Ucrânia é a nova Checoslováquia!

Francisco
Francisco
Reply to  Satyricon
9 meses atrás

Amigo só explica quem é o Hitler nessa história, quando se acua demais o outro e não deixa uma saída é isso o que acontece, nem vou entrar no mérito da guerra, mas uma coisa temos que concordar gostemos ou não mas como esses democratas são “bons diplomaticamente”, Obama e Biden acabaram com a Ucrânia, parabéns ao pessoal do politicamente correto, parabéns aos lacradores de plantão e por fim parabéns aos mimizentos objetivo atingido.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Francisco
9 meses atrás

Francisco, vc não reparou que o tal Putin muda a narrativa conforme o tempo passa?
Primeiro é a Criméia, que nunca foi ucraniana;
Depois é a proteção de ucranianos da etnia russa em Donbass;
Depois a Ucrânia nunca foi um país, foi inventada pelos bolcheviques;
E agora justificam a invasão dizendo que a Ucrânia ameaçou a Rússia;
Amigo, quando é que a Ucrânia ameaçou alguém?
Putin nunca foi acuado num canto, como vc diz. Isso é falácia. Só incrédulos acreditam.
A palavra de Putin vale tanto quanto uma nota de R$ 3,00.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
9 meses atrás

Santo pai do céu: texto desatualizado e cujo núcleo de razão está destruído: dos quatro princípios, três já foram pro vinagre e o segundo é argumento favorável à paranóia que fundamenta a agressão do ditador enlouquecido Putin. Kissinger ficou gagá faz tempo, coitado, ou finge que não entendeu o giro desconcertante do mundo em que ele se considerava o mastermind…

Last edited 9 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
9 meses atrás

“O teste não é a satisfação absoluta, mas a insatisfação equilibrada.”
Isto deveria estar em um quadro com letras enormes em todas as salas onde ocorram alguma negociação.

Últimas Notícias

Saab leva soluções e sistemas de alta tecnologia para a 7ª Mostra BID

A Saab estará na 7ª Mostra BID, entre os dias 6 e 8 de dezembro, no Centro de Convenções...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -