segunda-feira, novembro 28, 2022

Saab RBS 70NG

Minas ‘off-route’ na Ucrânia: o que são e como funcionam

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

A incomum mina DM22, que é mais um foguete antitanque acionado remotamente, está entre os sistemas de armamento e defesa que a Alemanha enviou para a Ucrânia desde o início do conflito com a Rússia. Ver este tipo de mina em ação é algo raro e alguns caíram em mãos russas. Os sistemas restantes fornecerão às forças ucranianas uma capacidade anti-blindagem flexível.

Os sistemas de lançamento de ombro e portáteis têm sido um ponto focal da defesa da Ucrânia contra tanques russos e outros veículos blindados, mas as minas DM22 ‘off-route’ da Alemanha têm feito uma aparição mais proeminente ultimamente. O DM22 Panzerabwehrrichtmine 2, ou PARM 2, fez parte de uma entrega que a Alemanha realizou nesta primavera que incluiu 1.600 minas antitanque DM22 ‘off-route’, bem como 3.000 minas antitanque DM31 mais convencionais.

Minas ‘off-route’ semelhantes à DM22 têm suas origens nos primeiros dias da Guerra Fria, quando a OTAN percebeu que a forte ameaça que a blindagem soviética representava exigiria armas antitanque inovadoras. O L14A1, por exemplo, tinha um design semelhante e foi fabricado ao longo da década de 1980. Logo depois, no início de 1990, o antecessor do DM22, o DM12, foi introduzido e entrou em serviço com o Exército Alemão.

O DM22 PARM 2 é uma configuração do DM12 PARM 1. O DM22 entrou em produção na década de 1990 e foi fabricado pela TDW, agora uma subsidiária do consórcio europeu de mísseis MBDA. Ambas as minas são chamadas de ‘off-route’ devido à capacidade dos sistemas de serem implantados à distância com um cabo de fibra óptica de 43 jardas de comprimento que, uma vez cruzado pelo peso e movimento de um veículo blindado, dispara o projétil.

A própria mina do DM22 consiste em uma ogiva antitanque (HEAT) estabilizada com barbatanas e altamente explosiva que é propelida por foguete e projetada para atingir alvos de até 100 metros de distância, dependendo das circunstâncias. Diz-se que a carga foi projetada para penetrar armaduras com mais de 100 milímetros de profundidade e pode ser programada para ficar ativa por até 30 dias. Os casos de uso para o DM22 podem incluir operações de proteção, grandes emboscadas e interromper completamente o avanço das forças inimigas.

Um elemento traseiro com braço e dispositivo de espoleta compõe a outra metade do DM22, e é mantido junto ao projétil por um cano com tripé, o que o torna ideal para ambientes em rápida mudança. Como não há necessidade de enterrar a mina, todo o sistema DM22 pode ser facilmente transportado e configurado em questão de minutos.

Uma visão aberta no topo do elemento traseiro permite que o DM22 seja apontado e posicionado, e entre a quantidade limitada de dados disponíveis sobre o sistema, é mostrado que ele é implantado em um ângulo perpendicular de 90 graus ao caminho de movimento assumido pelo alvo. Uma vez disparado, o foguete dispara na lateral do tanque, detonando a ogiva HEAT. O cabo de fibra óptica pode então ser substituído por um sensor infravermelho mais complexo para estender o alcance de disparo do DM22.

O sistema tem a capacidade de contornar algumas das contramedidas empregadas contra minas antiblindagem tradicionais, ao mesmo tempo em que fornece uma capacidade semelhante a uma equipe de foguetes antiblindagem, sem colocar uma equipe em risco. Emboscadas podem ser armadas e deixadas por dias ou até semanas, o que é outra vantagem em comparação com uma equipe anti-blindagem.

Embora não haja imagens confirmadas do sistema DM22 em ação na Ucrânia, presume-se que um vídeo compartilhado no Twitter pelo Ukraine Weapons Tracker seja uma gravação apenas disso. No clipe, um veículo BMP russo pode ser visto dirigindo por uma estrada rural no que é relatado como sendo Zaporizhzhia Oblast. Antes que o veículo acione a mina, uma nuvem de fumaça pode ser vista no canto superior esquerdo na área arborizada perto da explosão. Esse posicionamento levou muitos que viram o vídeo a acreditar que um DM22 foi usado para realizar o ataque, pois se alinharia com as características de uma detonação de mina fora de rota, mas não podemos ter certeza.

Também é importante notar que a Alemanha quebrou uma doutrina de longa data para enviar essas minas ‘off-route’DM22 para a Ucrânia, o que está se tornando uma tendência crescente entre os países que estão entregando, ou pelo menos se comprometendo a entregar, armas e suprimentos. A separação histórica da Alemanha de seu compromisso de nunca enviar armas para áreas de conflito veio logo após críticas generalizadas, alegando que o país não estava fazendo o suficiente para ajudar a Ucrânia.

No entanto, as DM22 estão entre as primeiras armas que a Alemanha entregou à Ucrânia, e sua posição sobre a transferência de armas para o país evoluiu significativamente desde então. Também é importante notar que a Alemanha é signatária da Convenção de Ottowa , que proíbe o uso, armazenamento, produção e transferência de minas antipessoal. Sendo o DM22 especificamente designado como uma mina antitanque, a Alemanha pode continuar a produzi-los e colocá-los em campo.

Em suma, o arsenal de mísseis da Ucrânia está rapidamente se tornando um reflexo dos esforços de assistência global, alguns dos quais vão contra as práticas históricas de um país inteiro. Política à parte, as minas ‘off-route’DM22 são uma capacidade única agora aparecendo no campo de batalha ucraniano-russo, e será interessante ver como elas competem ou complementam o resto dos sistemas antitanque da força ucraniana.

FONTE: The Drive

- Advertisement -

12 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sequim
Sequim
5 meses atrás

Aquisição interessante para o EB.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Sequim
5 meses atrás

Pra usar contra blindados de qual país?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rui Chapéu
5 meses atrás

qualquer um, ou só os Russos usam blindados?

Ten Murphy
Ten Murphy
Reply to  Rui Chapéu
5 meses atrás

Pelo teu raciocínio as forças armadas são inúteis em tempos de paz.

Reginaldo
Reginaldo
5 meses atrás

Alemanha e suas estranhas e curiosas armas de guerra.

Off topic. Um canal publicou um vídeo hoje que mostra a Legião Estrangeira em ação em Syevyerodonetsk e em um dos comentários foi dito que “voluntários brasileiros” teriam sido mortos em combate a pouco tempo… Não dá pra saber de onde a pessoa tirou essa informação, mas segue o link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=D5xKVGBT1yA

Heinz
Heinz
Reply to  Reginaldo
5 meses atrás

Foi o André Hack, infelizmente tombou em combate.
Procura no instagram (andrekirvaitis) outro voluntário na Ucrânia, ele postou que o colega faleceu, o os dois já serviram ao EB, sendo o kirvaitis ex-legionário francês.
Obs: Kirvaitis está vivo, André hack que faleceu.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Heinz
5 meses atrás

Não estava la de graça e sabia onde estava se metendo.

Josebaldo
Josebaldo
Reply to  Nilton L Junior
5 meses atrás

Não estava lá “de graça”, já vc kings está aqui cheio de graça com a desgraça do seu ídolo Putin.

Sequim
Sequim
Reply to  Josebaldo
5 meses atrás

É exatamente isso, sim. Vai pra uma guerra? Pode matar e morrer. Ponto final.

Bosco
Bosco
Reply to  Nilton L Junior
5 meses atrás

Juninho,
Quem está pedindo pra você ter dó dele?

Last edited 5 meses atrás by Bosco Jr
Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Bosco
5 meses atrás

Bosco Bosco meu gorro de alumínio preferido, a minha empatia é pelos civis mortos em qualquer guerra, agora quem foi por conta e risco esse eu não vejo motivo para dó ou para comemorar.
Segue o barco visite o Foreign Affairs vai pelo menos não esta deixando a cerveja ficar quente ou dourando dourar a pírula.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
5 meses atrás

Vai pro inventário para depois ser vendido ou para ser usado, gente para operar não falta, afinal na legião estrangeira também tem Russos que voltaram para combater ao lado dos Russos e devem saber muita coisa sobre materiais bélicos da nazotan.

Últimas Notícias

Imagens de uma guerra: míssil anticarro erra o alvo por pouco

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um ATGM russo passando sobre um carro de combate ucraniano. A...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -