quinta-feira, junho 30, 2022

Saab RBS 70NG

1º Regimento de Carros de Combate apoia formação de cadetes da Cavalaria

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Santa Maria (RS) – Entre os dias 4 e 9 de junho, o 1º Regimento de Carros de Combate apoiou as instruções do Curso de Cavalaria da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), sediada em Resende – RJ.

Os cadetes do 4º ano do curso de Cavalaria tiveram a oportunidade de realizar um ataque coordenado, desde a emissão e execução de ordens, até as atividades de manutenção dos meios empregados.

Essa atividade permitiu aos futuros oficiais conhecer a fundo a Viatura Blindada de Combate Leopard 1 A5 BR, bem como, observar o trabalho desenvolvido pelos integrantes do “Regimento Vanguardeiro” junto aos simuladores empregados nas certificações das guarnições dos Carros de Combate.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

14 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Adaime
João Adaime
15 dias atrás

Pergunta aos especialistas:
Um 6 X 6 ou 8 X 8 passa nesse atoleiro?
Antecipadamente agradeço a quem responder.

Palpatine
Reply to  João Adaime
15 dias atrás

Blindados sobre lagartas são bem mais adequados para esse tipo de terreno, por isso a maioria dos VCIs puro sangue utilizam lagartas.

Paulo Brics
Reply to  João Adaime
15 dias atrás

Passar em atoleiros é a capacidade mais básica que se exige de um veículo militar 6×6 ou 8×8. Até veículos civis com tração 4×4 vencem atoleiros brabos.

Este aí das fotos está mamão com açúcar, até um fusca passa.
O cotidiano na Amazônia :
https://youtu.be/XjBtPj-hyAw

João Adaime
João Adaime
Reply to  Paulo Brics
15 dias atrás

Caro Paulo
Já vi que você é do ramo. O vídeo é impressionante.
Então permita abusar um pouquinho. O Marruá teria um desempenho melhor ou igual a estes do vídeo.
Abraço

Paulo Brics
Reply to  João Adaime
15 dias atrás

Melhor ou igual, ambos. É basicamente um veículo militar feito para enfrentar todo tipo de intempéries. A única queixa dos proprietários é que ele inexplicavelmente não vinha com caixa reduzida. Muitos proprietários optavam por mudar a caixa de cambio por uma de outros veículos com similaridades. Atualmente a versão top vem com a caixa reduzida e a na versão “de entrada” pode-se encomendar a troca. É um veículo absurdamente caro, principalmente considerando-se seu completo despojamento em relação ao acabamento e eletrônica. Foi anunciado no início do ano por valores entre 170 a 200 mil e agora está na tabela Fipe… Read more »

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Paulo Brics
15 dias atrás

Paulo

5t passa aí nessa estrada da matéria sossegado…nesse do seu vídeo acho que não passa, talvez com pneus sem ar, dá um desconto que o e.b usa pneus de uso misto, muito diferente desses jipe com pneus 100% offroad…lembrei de uma vez fugindo do atoleiro colocamos o 5t no mato e tivemos que cortar o capim que enrolou no cardan….hahaha…bons tempos..era um MB 1418

Vídeo clássico de um resgate de um 5t…esse é mais moderno, o man worker

(1) Fuscão 15-180 atolado sendo arrastado pelo M113 – YouTube

Last edited 15 dias atrás by Rafaelvbv
João Adaime
João Adaime
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
15 dias atrás

Prezado Rafael
Interessante o vídeo, mas tenho uma observação.
Aquele militar que as vezes acompanhava o ato de rebocar ao lado do cabo de aço, correu o risco de ser cortado ao meio caso o referido cabo se rompesse. Isto acontecendo, ele dá uma chicotada que atora tudo que estiver ao seu alcance.
Repare que no vídeo do Paulo eles utilizaram uma faixa flexível, que não apresenta o mesmo risco do cabo de aço. Em alguns casos os jipeiros usam cordas de nylon.
Abraço

Bardini
Bardini
Reply to  João Adaime
15 dias atrás

Blindado SR não funciona direito aí… Mas eu sinceramente não vejo problema algum nisso. . O problema que eu vejo, é querer passar por aí em um combate e insistir em meter nossas forças nesse tipo de terreno ruim. Esse tipo de terreno aí, em um conflito, é a região ideal para ser “moída” por nossa artilharia, caso um inimigo se meta por ali. Dá para saturar sem dó, com artilharia de tubo e ASTROS o quanto quiser, sem provocar grandes danos colaterias aos brasileiros e seus bens. . Traduzindo: esse aí deveria ser o terreno para onde uma força… Read more »

Last edited 15 dias atrás by Bardini
João Adaime
João Adaime
Reply to  Bardini
15 dias atrás

Prezado Bardini
Não é achismo não. Sun Tzu já ensinava que um general vencedor escolhe o terreno onde lutar.
A propósito, na primeira ação do “Exército Brasileiro” na História, na Batalha dos Guararapes em abril de 1648, os brasileiros atraíram as tropas holandesas para uma passagem estreita situada entre o morro dos Guararapes e um pântano. Isso dificultou a ação da cavalaria inimiga e utilizando táticas de guerrilha, 2.500 brasileiros puseram pra correr 6.000 holandeses.
O final da História todo mundo já sabe.
Abraço

Claudio
Claudio
15 dias atrás

Parece que não sobrou dinheiro pro exército colocar a pintura no padrão br, estão com o padrão alemão de camuflagem ainda, se bem que combinou com a região sul

Last edited 15 dias atrás by Claudio
Flanker
Flanker
Reply to  Claudio
15 dias atrás

O EB optou por manter o padrão de camuflagem alemão nos Leopard 1A5 e nos Gepard. E eles já foram pintados após o recebimento, mas mantiveram o padrão original.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Flanker
15 dias atrás

E diga-se de passagem é um padrão de camuflagem muito bonito.

Machado
Machado
12 dias atrás

Infelizmente o Brasil usa o M113 como se fosse um VBCI acompanhando carros de combate. Pena desses infantes nos caixões de alumínio.

Zé lesqui
Zé lesqui
8 dias atrás

Imagina deslocar os Alunos da nova ESA de PE pra uma instrução dessas lá no sul? Ou não precisa…(??)

Últimas Notícias

Apresentação sobre Estudos Estratégicos – Prof. Dr. Vitelio Brustolin

O Prof. Dr. Vitelio Brustolin, Professor de Direito Internacional, Organizações Internacionais e Estudos Estratégicos do INEST/UFF e pesquisador da...
- Advertisement -
- Advertisement -