quinta-feira, junho 30, 2022

Saab RBS 70NG

Rússia faz dois americanos prisioneiros na Guerra da Ucrânia

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Robert Drueke e Andy Huynh foram feitos prisioneiros pelas forças russas na semana passada nos arredores de Kharkiv

Drueke, 39, e Huynh, 27, são do Alabama. Ainda não está claro se eles eram amigos antes de ambos viajarem voluntariamente para a Ucrânia no início deste ano para ajudar as forças ucranianas a defender seu país contra as forças russas.

Um dos companheiros dos homens descreveu ter perdido a dupla de vista em uma batalha na semana passada enquanto defendiam Kharkiv. Os dois faziam parte de um grupo de dez homens que defendiam Kharkiv na semana passada, quando foram emboscados por soldados russos, de acordo com um de seus companheiros.

Drueke e Huynh desativaram um tanque russo com uma granada, mas foram perdidos na névoa do fogo de retorno. Quando clareou, eles haviam desaparecido.

Drueke serviu no Exército dos EUA no Iraque, enquanto Huynh, um ex-fuzileiro naval, nunca esteve em combate ativo antes. Ele correu para a Ucrânia em abril depois de assistir à invasão de longe, dizendo antes de partir que estava “em paz” com o conhecimento de que poderia morrer no conflito.

O Departamento de Estado disse na terça-feira que estava “ciente” dos relatos de sua captura, mas um porta-voz se recusou a comentar, citando preocupações com a privacidade. A Casa Branca também está “consciente” dos relatórios, disse um porta-voz ao DailyMail.com. O secretário de Defesa Lloyd J. Austin III e o chefe do Estado-Maior Conjunto, general Mark A. Milley, não comentaram a captura na terça-feira.

“Estávamos em uma missão e tudo ficou absolutamente louco, com informações ruins. Disseram-nos que a cidade estava limpa quando se descobriu que os russos já a estavam atacando.

“Eles desceram a estrada com dois tanques T72 e vários BMP3s (veículos blindados de combate) e cerca de 100 soldados de infantaria. A única coisa que estava lá era nosso esquadrão de dez homens”, disse um de seus companheiros ao The Daily Telegraph em entrevista na terça-feira.

“Suspeitamos que eles tenham ficado inconscientes pela mina antitanque ou pelo tanque que atirava neles, porque missões de busca posteriores não encontraram nenhum sinal deles, nada.

“Depois, enviamos drones e tivemos uma equipe de busca ucraniana no solo, mas não encontramos nada: se eles tivessem sido atingidos pelo projétil do tanque, haveria restos de seus corpos ou equipamentos no local”, disse ele.

As forças russas alegaram naquela noite no aplicativo Telegram ter capturado dois soldados americanos.

A mãe de Drueke no Alabama disse ao Telegraph que está em contato com o governo e espera que eles garantam a libertação de seu filho.

“A embaixada dos Estados Unidos me garantiu que estão fazendo todo o possível para encontrá-lo e que estão procurando por ele vivo, não morto.

‘Estou fazendo o meu melhor para não desmoronar, vou ficar forte. Estou muito esperançosa de que eles o mantenham para trocar por prisioneiros de guerra russos”, disse ela.

O conflito na Ucrânia já dura mais de 100 dias, com as forças russas agora concentrando sua ofensiva na região de Donbas.

Drueke serviu no Iraque, mas lutou para encontrar trabalho ou se reintegrar à sociedade depois de voltar da guerra, disse sua mãe.

Huynh serviu nos fuzileiros navais por quatro anos, inclusive em uma base em Okinawa, no Japão, por dois anos, mas nunca esteve em combate ativo antes. A família de Huynh ainda não comentou sobre sua captura.

Antes de voar para a região, ele disse a um meio de comunicação local em sua cidade natal em Hartselle, Alabama: “Fiz as pazes com a decisão.

‘Eu sei que há um potencial de eu morrer. ‘Estou disposto a ter minha vida ou o que eu acredito que é certo. Pois o que me ensinaram é certo, realmente pelos meus olhos, Corpo de Fuzileiros Navais, por Deus, e realmente o que é certo’, disse ele.

Ele cresceu na Califórnia, mas se mudou para o Alabama depois de deixar os fuzileiros navais para ficar mais perto de sua noiva, Joy Black, de acordo com uma reportagem da mídia local. Ela não comentou sobre sua captura.

Sua captura ocorre depois que dois britânicos foram feitos prisioneiros pelo exército de Putin. Shaun Pinner e Aiden Aslin foram condenados à morte por um tribunal de procuração no leste da Ucrânia.

FONTE: Daily Mail

- Advertisement -

40 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
gordo
gordo
14 dias atrás

A tal da adrenalina tem seus custos, e essa pelo jeito vai sair cara.

Luciano
Luciano
14 dias atrás

Vão conhecer também o gulag.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
14 dias atrás

Troféu.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
14 dias atrás

Devem estar tratando com tanto carinho eles…

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Luiz Trindade
11 dias atrás

Eu não entendo os deslikes… Quem chamou eles para uma guerra que nem era deles?!? Alguém obrigou eles a seguirem para lá a força?!? Ahhhh por favor deslikeiros de plantão!

Carlos Campos
Carlos Campos
14 dias atrás

esses daí já estão com destino feito, sinto muito pela família

Adriano Madureira
Adriano Madureira
14 dias atrás

MANDEM-NOS PARA O GULAG😆😆😆😆😆🇷🇺‼️

Adriano Madureira
Adriano Madureira
14 dias atrás

Pena não pegarem peixes grandes, que ainda estão no serviço ativo,mas esses podem se juntar aos ingleses,um pelotão de fuzilamento para essa raça é pouco…

George
George
Reply to  Adriano Madureira
14 dias atrás

Por que tanto ódio no coração, meu filho? Eles não estão lutando contra o seu país (ou estão?)

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  George
13 dias atrás

O país desta gente e a ideologia.

Brasileiro
Brasileiro
Reply to  George
13 dias atrás

Algum militar americano deve ter machucado esse daí, e deve ter sido profundo.

Heinz
Heinz
Reply to  Adriano Madureira
14 dias atrás

Volta para o Free fire garoto cevado.

Tutor
Tutor
Reply to  Adriano Madureira
13 dias atrás

Falou o bravo guerreiro dos teclados kkkkkkkkk
Pronto, meu querido, tu já desabafou; já mostrou sua indignação contra o Império Malvadão! Agora vai lá tomar seu Toddy com biscoito recheado. Uraaaaaaa!!!!

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Adriano Madureira
13 dias atrás

Se os caras que foram ajudar a combater os invasores merecem um ” pelotão de fuzilamento ” imagina o que merecem os pro russos traidores e os invasores ..

Marcelo
Marcelo
Reply to  Alan Santos
13 dias atrás

Sim!! Só faltam ganhar a guerra né ?!

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Adriano Madureira
13 dias atrás

Se continua se comportando assim não ganha Mac lanche feliz no fim de semana.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Rodrigo
13 dias atrás

Quinta série … kkkkk cada “tirada” dessa gente viu… SEM MEDO de passar vergonha… atrás de nickname são todos machos…
Cada um viu!
Devem ser um excelente vizinho, pai, marido.
Duvido!!
Para todos os mickeys mouse e os deslumbrados comunistas também .
CRESÇAM pelo bem da humanidade … por favor.
Chega a queimar os olhos essas “tiradas/sarro” que vcs tentam fazer.

Wilton Santos
14 dias atrás

Dizem que as prisões russas são terríveis. Os presos são colocados em celas a – 40° C. O frio é tão intenso que as pessoas ficam loucas. Esses mercenários não tem noção do quanto vão sofrer.

oswaldo
oswaldo
14 dias atrás

Serao executados.

Maromba
Maromba
Reply to  oswaldo
13 dias atrás

Se colaborarem nos interrogatórios talvez poderão escolher por fuzilamento ou enforcamento.

Gabriel BR
Gabriel BR
14 dias atrás

Eu enquadrava os dois como mercenários e metia no paredão

MAB
MAB
13 dias atrás

Cheio de mariposa putinzete raivosa comentando!

Agora quando mercenário russo sai matando a esmo na áfrica, ficam mudinhas da silva. A revolta evapora em segundos.

Rogerio Loureiro Dhierio
Rogerio Loureiro Dhierio
Reply to  MAB
12 dias atrás

Perfeito amigo MAB.
Concordo.

Somente mercenários americanos podem matar pois lutam em prol da “liberdade”.
Russos não. Eles São maus.
Lutam pelo comunismo.

Last edited 12 dias atrás by Rogerio Loureiro Dhierio
MAB
MAB
Reply to  Rogerio Loureiro Dhierio
12 dias atrás

Morro de rir com o ódio do bem.
Patética essa geração.

Fabio Félix
Fabio Félix
13 dias atrás

O departamento de estado americano se pronunciando sobre dois cidadãos em combate na Ucrânia? É no mínimo estranho! Pq são diferentes de outros mercenarios? Talvez sejam agentes…

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Fabio Félix
13 dias atrás

Pulou o remédio hoje ?

rafa
rafa
13 dias atrás

O mais sábio seria manter eles presos e usar como moeda de troca quando a guerra acabar. Fuzilar não resolve. Acredito até que vá ter uma propaganda reversa, alistando mais voluntários para as fileiras ucranianas.

sub urbano
sub urbano
13 dias atrás

Se foram pegos pelos separatistas serão fuzilados. Se foi pelo exercito russo eles vão ser trocados por prisioneiros russos. A Russia assinou diversos tratados internacionais nesse sentido e não pode executar prisioneiros de guerra.

Rogerio Loureiro Dhierio
Rogerio Loureiro Dhierio
Reply to  sub urbano
12 dias atrás

Exatamente.

Arthur
Arthur
13 dias atrás

Como os americanos adoram dizer: “todas as nossas orações estarão voltadas para nossos entes queridos…”, “são heróis da Ucrânia”, “defensores da liberdade”, blá, blá, blá… Na verdade são uns filhos da puta que achavam que na Ucrânia dava pra matar sem medo de represálias, porque, afinal, “são americanos”. Ninguém avisou que lá é guerra, não videogame. Achavam que era uma espécie de ‘Bacurau’ eslavo.

Mauro Cambuquira
Reply to  Arthur
13 dias atrás

Sair do seu país, para ir matar em um guerra que não é sua, pra mim isso não faz sentido algum. Na verdade essas pessoas se tornam assassinas, vem de outras guerras e não encontram mais sentido em sociedade, cheios de tormentas em suas mentes, e voltam para outras guerras onde se sentem uteis. No filme Rambo, ele fala isso, que voltar para o mato e para guerra era melhor que viver em sociedade. Veja o “Largados & Pelados” quando começa o reality e vem os fortões veteranos de guerras cheio de marra, e acabam deixando o programa porque não… Read more »

SteelWing
SteelWing
Reply to  Mauro Cambuquira
13 dias atrás

verdade, tal qual a brasileiro que foi lá morrer

Rogerio Loureiro Dhierio
Rogerio Loureiro Dhierio
Reply to  Arthur
12 dias atrás

Pensaram que iriam ao Iraque.
SQN.

Antunes 1980
Antunes 1980
13 dias atrás

Provavelmente agentes da C.I.A.

Adriano
Adriano
13 dias atrás

“Disseram-nos que a cidade estava limpa quando se descobriu que os russos já a estavam atacando…”
Tentando me ater ao trecho da narrativa acima; Da a entender que eles não contavam, ou melhor dizendo, não contaram a eles que estavam entrando em uma “caldeira”!
Tenho visto em material russo, que forças especiais combatem atrás das linhas de contato a fim de pegar algum(a) mão de obra/material de valor ou simplismente liquida-las.
Nesse caso deu bingo!

lfurlan
lfurlan
13 dias atrás

Infelizmente a Rússia avisou que mercenários capturados não estão amparados pela convenção de Genebra para prisioneiros de guerra como soldados regulares de exércitos oficiais em conflito. O tratamento dado a eles será diferente e sem garantias, com interrogatórios severos e tudo que se pode fazer para extrair informações e no futuro ser trocado oi servir de exemplo para outros mercenários. Guerra é o inferno e não passeio no parque.

Marcelo
Marcelo
13 dias atrás

O pudim tem de prestar contas desses dois… o mundo exige…exigimos a rápida resposta da Rússia nesse caso … estava lá protegendo os ucranianos …
Não pode ficar impune essa atitude Bárbara , genocida e homofóbica preconceituosa de Putim…
A população dos eua tem de ir pra frente da embaixada já
O Brasil conseguiu resolver em 15 dias…
PS.. obrigado pescador !

LUIZ
LUIZ
Reply to  Marcelo
11 dias atrás

Perfeita ironia!! Os russos vão tratar eles muito bem com os big macs e coca cola similares. Vão ter tratamento vips e tvs ligadas na NBA pra eles se sentirem em casa nas prisões russas. Muito diferente dos soldados prisioneiros nas prisões dos EUA onde eram torturados e humilhados.

Canarinho
Canarinho
12 dias atrás

OFF TOPIC (mas nem tanto…) – https://southfront.org/strikes-eliminate-hq-of-azov-battalion-in-kharkiv-russia-releases-details-on-foreign-mercenaries-in-ukraine/

Segundo relatório oficial Russo já sao 12 mercenários brasileiros eliminados, segundo o ja registrado ate entao.

Maromba
Maromba
12 dias atrás

O americano que está disfarçado de japonês começou bem nos interrogatórios, inclusive entregando os ucranianos que deixaram eles para trás.

https://youtu.be/BD4EyWM_dzs

ED71AD49-A9C3-4BA5-ABE7-4187B5226911.jpeg

Últimas Notícias

Apresentação sobre Estudos Estratégicos – Prof. Dr. Vitelio Brustolin

O Prof. Dr. Vitelio Brustolin, Professor de Direito Internacional, Organizações Internacionais e Estudos Estratégicos do INEST/UFF e pesquisador da...
- Advertisement -
- Advertisement -