terça-feira, agosto 16, 2022

Saab RBS 70NG

Análise: Maré vira na guerra à medida que a Rússia avança no leste

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Forças russas estão em sua melhor fase desde o início da invasão da Ucrânia, segundo analista

Por Tim Listerda – CNN

As forças russas estão talvez em sua melhor fase desde o início da invasão da Ucrânia, há quatro meses.

Eles eliminaram a maior parte das defesas ucranianas na região de Luhansk, consolidaram o controle de uma faixa de território no sul, melhoraram sua logística e estrutura de comando, e restringiram a efetividade dos ataques de drones da Ucrânia.

Na última semana, os russos foram recompensados por seus bombardeios intensos nas regiões em Luhansk ainda comandadas por ucranianos, que finalmente abrirão mão de Severodonetsk e perderam território ao sul de Lysychansk.

O líder da autodeclarada República Popular de Luhansk (RPL), Leonid Pasechnik, previu na última sexta-feira (24) que as forças russas iriam cercar completamente Lysychansk em um prazo de dois a três dias. Até o momento, não o fizeram, mas a cidade está em perigo iminente.

O exército russo também elevou os ataques na região de Donetsk, se aproximando do cinturão de cidades industriais na área — que se estende do sul de Sloviansk, através de Kramatorsk, até Kostiantynivka.

Em Lysychansk, e em muitas das cidades espalhadas pelos meandros das linhas de frente que passam por cinco regiões, os ucranianos podem enfrentar novamente o que aconteceu em Severodonetsk, onde foram bombardeados até a retirada. Não havia mais o que pudesse ser defendido.

O dilema imediato do exército ucraniano é se permanece compromissado em defender Lysychansk, sob o risco de perder soldados e armas no caso de a cidade ser cercada, ou se a liderança política da Ucrânia ordenará uma retirada em direção a novas linhas defensivas.

Se for o caso, as unidades dentro do território mantido pela Ucrânia conseguirão recuar sem serem dizimadas? Grandes fatias da estrada entre Lysychansk e Bakhmut estão sucateadas com detritos, e unidades russas estão chegando perto de Bakhmut.

Aparentemente, os russos não estão fazendo muito progresso em Izium, ao norte em direção a Sloviansk, apesar dos esforços constantes para atravessar as linhas ucranianas. Mesmo assim, os oficiais ucranianos alertaram no domingo (26) sobre um “acúmulo” de soldados russos ao norte de Sloviansk. O exército russo pode mobilizar rapidamente alguns grupos táticos de batalhões do outro lado da fronteira.

Alguns blogueiros militares russos não estão se deixando levar pelo otimismo. Yuri Kotyenok, por exemplo, acredita que as forças russas não têm mão de obra o suficiente para cercar as cidades fortificadas de Slovyansk e Kramatorsk.

A longo prazo, a melhor esperança dos ucranianos é de trazer mais armas do Ocidente capazes de destruir a artilharia russa, sistemas de mísseis e postos de comando longe das linhas de frente, para diminuir gradualmente o déficit no poder de fogo.

Mas armas como o sistema de foguetes HIMARS, que tem um alcance de 70 quilômetros na configuração fornecida à Ucrânia, exigem várias semanas de treinamento. E em Donbass, várias semanas é muito tempo, dada a atual pressão sobre as forças ucranianas.

HIMARS

Essa pressão é ainda maior porque muitas das unidades implantadas na região estão entre as mais experientes da Ucrânia. Elas foram desgastados pela pura intensidade do bombardeio russo e não são facilmente substituídas.

E os militares ucranianos já perderam em combate algumas das armas levadas para a frente. O Ministério da Defesa da Rússia afirmou na semana passada que os ataques russos já haviam eliminado alguns dos obuses M777 fornecidos pelos EUA.

A ofensiva russa também aprendeu com os erros cometidos durante a campanha inicial e abortada em direção a Kiev.

As defesas aéreas, principalmente o S-300, foram implantadas para fornecer cobertura extensa em vez de local, tornando os drones de ataque ucranianos menos eficazes. Curiosamente, parece que menos vídeos foram postados recentemente nas mídias sociais mostrando aviões de combate ucranianos em ação.

S-300

Rússia nomeia novos comandantes

A hierarquia russa também foi reorganizada, com novos comandantes para as forças do sul e do centro comprometidos com a Ucrânia sob a liderança geral do vice-ministro da Defesa, Gennady Zhidko.

O Instituto para o Estudo da Guerra disse que “o alto comando russo está reorganizando e reestruturando o comando militar para organizar melhor as operações na Ucrânia”.

Talvez não seja por acaso que a primeira visita relatada do ministro da Defesa russo Sergei Shoigu e de comandantes seniores às forças envolvidas na “operação militar especial” ocorreu quando a maré parecia fluir a favor da Rússia. A vitória tem mil pais, mas a derrota é órfã.

Rob Lee, analista do exército russo no King’s College London, observou que Zhidko se sentou ao lado de Shoigu em reuniões durante sua visita. Lee lembrou que a Rússia aparentemente “não tinha um comandante geral na fase inicial (em março), violando o princípio da unidade de comando”.

A grande incógnita é se o sucesso russo em aumentar as defesas ucranianas em Donetsk pode encorajar uma maior expansão de seus objetivos de guerra além da operação militar especial – talvez um esforço para sustentar o impulso até o rio Dnipro, que essencialmente divide a Ucrânia em dois.

Esse é o pior cenário para os ucranianos e, por enquanto, continua sendo uma possibilidade distante, e não um risco iminente. As forças ucranianas ainda estão defendendo cerca de 12.000 quilômetros quadrados apenas de Donetsk.

FONTE: CNN Brasil

- Advertisement -

112 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

112 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gabriel ferraz
Gabriel ferraz
1 mês atrás

Tirando os EUA, nenhum país do globo terrestre incluindo qualquer país europeu teria condições de lançar uma ofensiva dessas hj no dia. Fazer chacota da Rússia, desqualificando a mesma diante dos erros cometidos na primeira semana é um equívoco, é um exército monstruoso e com uma capacidade bélica muito grande ,principalmente em quantidade e que consegue aos poucos tornar seu objetivo um fato concreto. Um exército que tem uma taxa de 60 mil tiros de artilharia por dia e um estoque de munição suficiente pra um ano sem demandar fabricação não é brincadeira. Pra salvar a Ucrânia só mesmo uma… Read more »

Fabio Jeffer
Fabio Jeffer
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Ótimo comentário, vc só recebeu muitos deslikes pq aqui tá cheio de ucranete

Eromaster
Eromaster
Reply to  Fabio Jeffer
1 mês atrás

Aqui, quanto mais deslikes, mais relevante é o comentário.,

Nei
Nei
Reply to  Eromaster
1 mês atrás

Na sua cabeça.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Eromaster
1 mês atrás

kkkkkk matou a pau.

César
Reply to  Eromaster
1 mês atrás

Pelo contrário, mostra que a gigantesca maioria dos comentaristas aqui acham que é pura tolice o que vcs escrevem.

Caerthal
Caerthal
Reply to  César
1 mês atrás

O que significa munição pesada e em quantidade frente a comentários sarcásticos e risadas de superioridade da mídia Ocidental?

BraZil
BraZil
Reply to  Eromaster
1 mês atrás

Concordo colegas. É igual aquela história: “ser processado por certos indivíduos é ponto positivo na sua biografia”.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Fabio Jeffer
1 mês atrás

Eu acho que existe os ucranetes que foram cooptado pela informação mediastream onde no campo das ideias absolveram valores fabricados para que o pensamento fosse apenas na direção das verdades editadas para sustentar as regras do imperialismo hegemônico, esses são os bots da boa causa, por outro lado temos os chapeletas e gorro de alumínio esses estão preso numa linha temporal onde o mundo se rivalizava entre o atlantico norte e a cortina de ferro, a formação era as TVs e Jornais, quem não lembra que comunista come criancinha e por últimos os simpatizante do azov, esses não o que… Read more »

Maurício.
Maurício.
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

“Tirando os EUA, nenhum país do globo terrestre incluindo qualquer país europeu teria condições de lançar uma ofensiva dessas hj no dia.”

Concordo, na Líbia os europeus da OTAN já estavam passando sufoco, ainda bem que para a sorte deles os americanos também fazem parte da OTAN.

“Um exército que tem uma taxa de 60 mil tiros de artilharia por dia”

Eu só discordo desse ponto, não dá para saber de fato esses números são verdadeiros, de resto concordo em tudo.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Que sufoco os Europeus passaram na Líbia?

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Europeus precisaram chamar o tio sam por que a quantidade de munições guiadas precisas estavam acabando, as forças armadas europeias estão despreparados para um conflito longo de larga escala.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás

Sim, eu sei.
Mas pelo comentário parece que haviam tropas europeias a serem massacradas na Líbia… Ou alguma intervenção militar.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Não. Não pareceu nada disso. Você que é analfabeto funcional mesmo. Aonde ele mencionou isso? Imaginação fértil a sua, viu?

Vai fazer falácia do espantalho novamente?

Hcosta
Hcosta
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Tenha algum respeito e tente convencer os ignorantes com as sua teorias da conspiração. Comigo não resulta.

Não é o senhor que diz que a Alemanha e a Itália são controlados pelos EUA?

E se está assim preocupado pergunte a quem levantou a questão o que significa um sufoco na Líbia.
Como tem muitos que afirmam que a OTAN fez uma limpeza étnica na Líbia ao nível do que a Sérvia fez, parece-me razoável fazer essa pergunta.

E para finalizar
Vá chatear outro…

Nascimento
Nascimento
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Mas sofreram um sofoco mesmo, tanto é que pediram ajuda aos EUA. Se não tivessem sofrido não teriam pedido ajuda. Ficaram sem munição durante meses e semanas, tanto é que pediram ajuda aos EUA. Foi comprovado que a metodologia de produção de armamentos europeus NÃO estaria adequada para uma guerra de alta intensidade e que os estoques de munição de seus países não insuficientes para campanhas. https://carnegieeurope.eu/2011/09/21/what-war-in-libya-tells-europe-pub-45569 “A Líbia foi uma guerra em que alguns dos membros mais poderosos da OTAN não participaram – ou não participaram com aviões de combate, como a Espanha e a Turquia. Era uma guerra… Read more »

Sentinela
Sentinela
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Detonou na explicação, esse daí tenta contestar aqui nesse site até coisas que saem na mídia do Ocidente quando atinge os desejos dele de mundinho particular da Otan. Para ele tudo que você explica aí não existe, não importa tu trazer trezentas explicações.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Hcosta, na Líbia tinha em torno de 17 países, contando com os vassalos da Jordânia, Catar e EAU, e mesmo assim estavam ficando sem munições guiadas, 17 países, sim, 17, e o salvador da pátria foi os EUA, o resto é blá blá blá.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Eu já respondi esse dai, mas o comentário esta retido.

Pra ele, os erros do Pazuello são inadimissíveis (e de fato são) mas os dos europeus são, como diz o Kremlim, planejados…

Maurício.
Maurício.
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

O Rodrigo já respondeu, até munições estavam acabando.

Gabriel ferraz
Gabriel ferraz
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Meu amigo tem diversas fontes ocidentais divulgando isso ,até o próprio blog já postou isso aqui.

Flávio
Flávio
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Comentário do sujeito foi puramente objetivo.
Fico imaginando os caras nos “likes”:
o perfil deve ser de jovens de uns 45 anos, morando com a mãe, jogando vídeo game dia todo, comendo biscoito recheado.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Flávio
1 mês atrás

Eu acho que joga LOL

Mateus Gonçalo
Mateus Gonçalo
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Cuidado com a inveja, mermão.
É doença que ainda não tem cura.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Mateus Gonçalo
1 mês atrás

Opa amigo eu não tenha essa ambição como vcs de jogar LOL, eu prefiro DCS é menos fantasia.

César
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

O seu negócio é não fazer nada na vida e jogar video-game o dia inteiro, né brigadista!?

Mateus Gonçalo
Mateus Gonçalo
Reply to  Flávio
1 mês atrás

Tá com dor de homem traído.
Pega leve e cuida da sua vida, rapaz.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Estamos falando de 150mil soldados empregados com pouco treinamento e qualidade de equipamentos, essa quantidade de militares muitas forças armadas possuem, inclusive com as últimas tecnologias.

UK, Australia, China, França e etc…Esses países inclusive possuem porta aviões, Odessa já estaria sobre o controle deles 🙂

Jodreski
Jodreski
Reply to  Guilherme Leite
1 mês atrás

Pelo jeito o exército russo aprendeu bastante com seus erros, os ucranianos aprenderam bastante treinando com o ocidente mas vc pelo jeito não aprendeu que quando o assunto é guerra super trunfo não dá para ser aplicado! Eu acho que a guerra na Ucrânia mostrou isso à todo mundo.

Gabriel ferraz
Gabriel ferraz
Reply to  Guilherme Leite
1 mês atrás

E iam entra como no mar negro? se a passagem está fechada pra embarcações militares, esse porta aviões iria voar? Você não sabe nem oque falar. Estou citando uma suposta guerra com a Ucrânia. E outra tirando a China que ainda não mostrou sua capacidade de combate esses outros 4 juntos não tem 1 terço da quantidade de artilharia russa. E a Ucrânia é um país quase na sua totalidade terrestre. Nenhum desses 3 aí teriam condições de fazer oque a Rússia vem fazendo, o único capaz seria sem dúvida nenhuma os EUA, tem qualidade e quantidade de equipamentos. UK… Read more »

HLopes
HLopes
Reply to  Guilherme Leite
1 mês atrás

Guilherme, ninguém em seu pleno juízo iniciaria uma campanha militar com emprego de 150.000 soldados sem ter pelo menos o triplo nas suas fileiras.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Militarmente e verdade, a Ucrânia somente pode fazer guerra de resistência contra a Rússia e não de contra ofensiva. Porém guerra e muito mais complexo do que avanço militar, e também logística,economia, opinião pública e manutenção da ocupação.
Os Ucrânianos odeiam a Rússia e não vão aceitar nunca serem dominados novamente como no passado,isto vai gerar um atoleiro de guerrilha infinito, como a Rússia vai lidar com isso? Extermínio e repovoamento como fez no passado? Em plena era da internet 5g?

Atitador 33
Atitador 33
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

As chacotas aos russos no começo da invasão foi motivadas pelas trapalhadas deles mesmos. Só fizeram merd… entraram achando que apenas posicionando os seu recrutas e equipamentos os ucranianos teriam a mesma conivência da invasão da Crimeia.

O russos nao fazem por obrigação corrigir o curso de suas ações militares até então desastrosas.

Acredito que o unico país capaz de levar a guerra alem de suas fronteiras sao os EUA, os russos lutam ” casa” poucos km de suas fronteiras e apanharam demais na sua logística. Fico imaginando se os russos resolvem se aventurar com a OTAN.

HLopes
HLopes
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Gabriel, no mundo há dois ou três países com condições de lançar uma ofensiva destas, ainda mais com oito anos de preparação, como os russos tiveram. Na Europa nenhum país tem essa capacidade porque, por diversos motivos, na Europa desinvestimos na defesa e achámos que apenas a manteiga e as trocas comerciais eram suficientes para manter a paz. Nem a agressão russa de 2014 acordou a Europa. Por outro lado, há muitos anos que a perspetiva Europeia não é ofensiva, é puramente defensiva e para isso existe a NATO e a defesa em rede. No entanto, também pudemos constatar que… Read more »

Nascimento
Nascimento
Reply to  HLopes
1 mês atrás

Não é ser “defensivo”. É falta de capacidade mesmo. A doutrina militar dos países europeus é desenvolvida para operar numa coalizão liderada pelos EUA, até no Brasil se lê nos manuais operar em ambientes de manutenção de paz ou em coalizões. Assim como a doutrina dos membros do Pacto de Varsóvia era criada pra operar em suporte a URSS e não liderando grandes ofensivas. Se fossem defensivos não teriam atacado a Líbia sem serem atacados anteriormente.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Há muito a Ucrânia foi vencida, mesmo sendo o Terceiro maior exército da Europa. Esse confronto está entre Russia e Otan. O que só piora a situação dos Ucranianos, pois prolonga esse conflito e muita gente fica mal. Nada bom isso. E tem gente que fica na torcida…

Neural
Neural
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Mickeyboys chorando em 3,2,1…

Luis
Luis
1 mês atrás

Se esta é a melhor fase, fico imaginando a catástrofe que seria a pior!

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
Reply to  Luis
1 mês atrás

Chola mais!

George
George
Reply to  Fabricio Lustosa
1 mês atrás

A fase é tão boa que eles abandonaram a Ilha da Serpente.

Henrique
Henrique
Reply to  George
1 mês atrás

A Ilha da Serpente é uma armadilha para qualquer dos lados que tente mantê-la. Pode ser alvejada de artilharia terrestre, marítima e ataques aéreos.
Se estivesse em qualquer um dos lados seria o último lugar que gostaria de estar…

Henrique
Henrique
Reply to  Luis
1 mês atrás

Os russos, por falha estratégica ou de inteligência ou mesmo por arrogância, acharam que teriam o mesmo resultado rápido que tiveram na Georgia ao impor uma avalanche militar, mas ao mesmo tempo tentando não destruir infraestrutura ou áreas civis… Foi ai que pisaram na bola pois os ucranianos já estavam se preparando pra isso desde 2014 … por isso foi um verdadeiro desastre a chamada “primeira fase”, onde tiveram a maior quantidade de baixas de militares e meios. Agora estão aplicando a pura doutrina “soviética”, põem tudo abaixo até os escombros para que não haja mais o o que defender… Read more »

Albuquerque
Albuquerque
1 mês atrás

A prioridade da Rússia e a região de Lisichiansk.
Depois, com a liberação de tropas, passarão a avançar de Izyum e Slaviansk para Kramatorsk.

Albuquerque
Albuquerque
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

Digo, Izyum e Lisichiansk para Kramatorsk atacando a cidade por duas frentes.

Maurício Oliveira
Maurício Oliveira
1 mês atrás

O HIMARS é tão superior em qualidade e alcance ao TOS-1 ou ao Smerch?

Guilherme S.
Guilherme S.
Reply to  Maurício Oliveira
1 mês atrás

Só pra começar: o alcance do TOS-1A é de 6km.

Gabriel ferraz
Gabriel ferraz
Reply to  Guilherme S.
1 mês atrás

Pode ser de 6km ,mais a função é uma só, lançar foguetes termobaricos.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

Tem que comparar com um sistema similar, no caso o russo smerch.

Albuquerque
Albuquerque
Reply to  Maurício Oliveira
1 mês atrás

Não.
Grande parte dessa ‘superioridade’ se deve à propaganda ocidental.
Quando entra em condições de combate, grande parte das armas ocidentais mostram-se ineficazes e até frágeis.
E isso já ocorreu com o fuzil M-16, Abrams e agora com o Javelin e M-777.
Os ucranianos estão reclamando que os Javelins tem se mostrado pouco eficiente em ambiente de combate, além de serem pesados e desajeitados.
Os M-777 sofrem com a necessidade constante de manutenção.
Idem para os Abrams.
Por isso muitos países preferem as confiáveis armas russas com seu DNA soviético.
Encaram qualquer situação.

Nemo
Nemo
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

T72 que o diga, não pode ver um lançador anti-tanque que a munição já detona sozinha!

Eduardo Angelo Pasin
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Acabaram criando uma plataforma de lançamento orbital sem querer, eles são geniais.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

Que alucinação.

Uma arma “burra” é melhor do que um lançador de foguetes guiados ou não, com um alcance muito maior?!

E por ser mais viável? Mais vale começar alutar com uma espada do que uma espingarda já que esta é muito menos confiável.

Esse mito de as armas russas serem mais “confiáveis” já acabou há algum tempo. O que são é baratas e simples de operar mas não estão à altura das mais modernas como a Ucrânia demonstra todos os dias.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Depende do seu nivel de inteligência situacional. De nada adianta lançar misseis, foguetes e bombas guiadas a laser se não tiver que designe o alvo com o laser ou armas guiadas por satélites contra alvos moveis. Via de regra, quanto mais móvel o alvo for, de mais perto deve ser o lançamento.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

Se os Javelins fossem ineficientes, Zelensky já estaria em um Gulag na Sibéria, tentaram tomar Kiev….

M-777 é um obuseiro testado e comprovado em batalha, você está falando de algumas dezenas de obus que foram enviados para a Ucrânia as pressas e me fala de manutenção kkkkk….

O M-16 deu-se em uma plataforma que só não é mais utilizada do que a AK-47 (bem mais velha), chama-se M-4.

Já sobre o Abrams, realmente, aquilo é um trambolho muito pesado, beberão e a turbina kkk

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Guilherme Leite
1 mês atrás

Se os Javalins fossem tão bons assim, eles não tinham recebido 10 mísseis para cada blindado russo.

Mateus Gonçalo
Mateus Gonçalo
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

O problema não tá nas armas serem boas ou más, mas sim no elevado grau de sofisticação que depende da profissionalização do exército.
O exército americano e as tropas inglesas são muito avançadas e exigentes na recruta. As armas também são “exigentes” pois necessitam de horas de formação e aprendizagem. Esse tempo, a Ucrânia, com o seu exército despreparado, não tem.

Mateus Gonçalo
Mateus Gonçalo
Reply to  Guilherme Leite
1 mês atrás

Vocês tão vendo mal as coisas.
As armas estão cada vez mais sofisticadas e os exércitos americano e inglês são altamente profissionalizados. Logo, as armas feitas exigem igualmente enorme nível e conhecimento.
O exército ucraniano e os mercenários não têm o mesmo número de horas de treino para dominarem estas armas, principalmente no meio de uma guerra
A OTAN não estava preparada para a guerra, mesmo depois de ter incentivado Putin e aplicado sanções como mecanismo de dissuasão.
Agora a novela é essa: ucraniano morrendo como gado na linha de abate.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

De fato os problemas com o M-16 são conhecidos ate pelos nossos fuzileiros, os Abrams e Leopard estão sofrendo na guerra do iemen e os leopard turcos sofreram na Siria. Más como tudo e uma questão de doutrina de uso…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

É que da usar material bélico no limite do prazo de validade, afinal Biden é um progressista tem que manter os postos dos CEOs do complexo militar.

Sensato
Sensato
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

Os muitos tripulantes que infelizmente pereceram discordam de você.

Plinio Carvalho
Plinio Carvalho
Reply to  Maurício Oliveira
1 mês atrás

A qualidade das armas ocidentais é um fato, o problema é só a quantidade, as quantidades minguadas que a OTAN enviam não tem sido suficiente pra impedir o avanço russo, pioro expulsar os russos.
Pra armas ocidentais fazer diferença de fato precisam vir em quantidade suficiente.
Essas é uma guerra de alta intensidade, equipamentos militares são destruídos aos montes, quem conseguir repor primeiro as perdas tem a vantagem.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Maurício Oliveira
1 mês atrás

Ta, vamos lá para uma pequena comparação rápida. mas eu acho valido destacar que eles apesar de serem MRLS não são exatamente competidores pois cada um tem as suas especialidades. vou deixar aqui apenas a capacidade de foguetes do veiculo e não outros aspectos. HIMARS Munições: 6 foguetes de 227mm M30/M31. Alcance Maximo: 84km 1 Missil ATACMS. Alcance Maximo 300km. Obs: está sendo desenvolvido o PrSM ou Míssil de ataque de precisão (em tradução livre) com alcance de 500km o HIMARS vai poder levar dois desses, mas ainda não está em serviço ativo. TOS-1A Munições: 24/30 Foguetes com alcance máximo… Read more »

Nascimento
Nascimento
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Exato. Os caras estão comparando um sistema de saturação de curto alcance com um sistema de artilharia de precisão e de longo alcance, não tem o que comparar ai… Os russos tem sim sistemas que fazem o mesmo que o HIMARS. Assim como os americanos tem sistemas que fazem o mesmo que o TOS. Mas são montados sob plataformas diferentes e fazem funções diferentes e tem alcances diferentes. Mas geralmente essas comparações são enviesadas ou mal feitas. No nível de saturação de curto alcance, os americanos tem mais alcance. Porém os sistemas russos possuem uma capacidade de saturação muito maior.… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Marcus Pedrinha Padua
Marcus Pedrinha Padua
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Muito bom, prezado!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Maurício Oliveira
1 mês atrás

O TOS-1 e um sistema de categoria/calibres diferente. O similar Russo e o sistema smerch.

Plinio Carvalho
Plinio Carvalho
1 mês atrás

Uma novidade que saiu a pouco sobre o combate no leste é que além de a cidade de Lysychansk esta quase cercada os russos estão quase completando uma pinça pelo centro cidade se unindo com tropas que atravessaram o rio severodonetsky perto do heliporto de Lysychansky, se essa pinça se completa a cidade vai ficar cercada e dividida ao meio. Vamos aguarda pra ver o desenrolar dos combates mas tudo indica que a Lysychansky não vai durar tanto quanto mariupol ou severodonetsky

Albuquerque
Albuquerque
Reply to  Plinio Carvalho
1 mês atrás

E aproveitando a retirada desordenada dos ucranianos, os russos estão perto de Seversk que era para ser a segunda linha de defesa (feita ás pressas) antes de Kramatorsk.
Os generais ucanianos devem estar de brincadeira deixando seus soldados expostos desse jeito.
Todo mundo sabia que Lisichiansk seria cercada e eles deixaram a retirada para a última hora quando os russos têm todas as estradas sobre controle.
Tem unidade ucraniana perdendo até 80% de pessoal nessa retirada sob fogo inimigo.

Albuquerque
Albuquerque
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

A única explicação para isso é que o comando político em Kiev está sob as ordens de outros interesses e está tentando retardar ao máximo o avanço russo achando que vai ter uma vitória política.
Só que está sacrificando milhares e milhares de soldados e está adiantando muito pouco.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

Você está se respondendo ?

Senhor, o que se passa nessa cabeça ?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Aparentemente, os russos aprenderam com seus erros, segundo as últimas matérias do ForTe.
Mas tambem mostra que os ucranianos não estão dispostos a abaixarem as armas e facilitarem a vida dos russos.
A única maneira da Ucrânia continua segurando os russos é se a OTAN e o Tio Sam triplicarem em quantidade e velocidade a ajuda fornecida.
A pergunta é…eles farão isso? E se farão, o farão por quanto tempo mais?

Last edited 1 mês atrás by Willber Rodrigues
Luis
Luis
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

“Não sei como vai acabar, mas não vai acabar com a Rússia derrotando a Ucrânia”, disse Biden 

https://www.forte.jor.br/2022/06/30/biden-nao-sei-como-vai-acabar-mas-nao-vai-acabar-com-a-russia-derrotando-a-ucrania/

Plinio Carvalho
Plinio Carvalho
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Pois é, tenho postado aqui sobre isso já faz um tempo, a ajuda da OTAN esta muito a quem das necessidades ucranianas, pra piora tudo, os ucranianos começaram alegar que estão ficando sem munição soviética e não tem como produzir mais, tb não podem usar munições ocidentais pois os calibres são diferentes, complicado, o futuro da Ucrânia esta nas mãos da OTAN.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Plinio Carvalho
1 mês atrás

Ninguem toca nesse assunto, mas esse conflito tá mostrando morosidade da OTAN em situações de emergência.
Muitas promessas, muitas reuniões, e pouco material realmente enviado.
A Ucrânia precisa de MUITO material pra ontem, e não meia dúzia de HIMAR’s, tratadas como balas de prata, enquanto os russos despejam toneladas de artilharia todos os dias.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Pouco? Já viu a lista do que foi enviado? Centenas de MBT’s, de Javelins, etc…

Paulo Brics
1 mês atrás

Uma radical mudança de postura da mídia mainstream dos eua, que passa cada vez mais a divulgar a verdade, ao contrário da mídia britânica que continua empenhada em sua campanha de divulgar mentiras e análises esquizofrênicas. Mas sabemos que nem mesmo com os estadunidenses divulgando isto os otanbots sairão de seu sombrio estado de alienação da realidade. Continuaraõ acreditando em suas próprias ficções e alimentando uma esperança natimorta. Como apontei antes, Putin disse que a campanha vai até o fim do ano e estão progredindo agora de forma sólida, coesa, com passos muito bem planejados. Podem odiar esta realidade mas… Read more »

César
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

Por falar em mentira tu não acha que usar dúzias de perfis fajutos é uma baita de uma mentira também, sujeito?

Paulo Brics
Reply to  César
1 mês atrás

E o mais interessante que dessas “duzias de perfis fajutos” chego a usar um, “César”, para atacar a mim mesmo.
Agora vai lá tomar sua flufenazina antes que o surto piore…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

E vc ainda responde.

Fabio Jeffer
Fabio Jeffer
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

A mídia americana está mudando a narrativa pq já percebeu que a tal vitória Ucraniana não virá, assim os EUA terão a quem culpar no final se isentando do contexto geral. É compreensível, são gigantes e sua reputação tbm é, já os Britânicos, em especial Bóris Jhonson e sua távola redonda na sua cruzada anti Rússia, parecem não conseguir sair de seus devaneios narrativos

Last edited 1 mês atrás by Fabio Jeffer
Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

E novamente a pergunta….

A que preço ?

Sangria Sangria !

Eromaster
Eromaster
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

Belo comentário, Paulo Brics!!!

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Uma dúvida, não se vê mais tantos tanques russos destruídos como até bem pouco tempo atrás, os russos mudaram suas estratégias e agora estão só na base da artilharia ou as armas at da Ucrânia estão acabando?

Luis
Luis
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Coitado dos tanques russos, dá até dó!

tank 2.jpg
Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
Reply to  Luis
1 mês atrás

Chooooola mais! 😭😭😭😭😭😭

Cassini
Cassini
Reply to  Luis
1 mês atrás

Os ucranianos discordam do teu comentário, sobretudo aqueles lutando e morrendo nas mãos dos blindados russos e nas mãos da artilharia.

naval762
naval762
1 mês atrás

Os russos já ganharam a guerra, não tá vendo não tovarisch analista?

100nick-Elã
100nick-Elã
1 mês atrás

Mudança de maré? em nenhum momento a Ucrânia esteve a frente, em nenhum…agora, como não podem esconder a realidade, falam em mudança de maré…faz favor, né

Albuquerque
Albuquerque
Reply to  100nick-Elã
1 mês atrás

A imprensa ocidental começa a preparar seus leitores para a notícia que sempre foi evidente.
A Ucrânia já perdeu a guerra.
Aliás, começou a perder em 24/02/22.
Ou melhor, nem deveria entrar nessa.
Um bom acordo com os russos resolveria isso.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

A CNN BR jogou a toalha diferente da CNN de Portugal que desde o inicio do conflito procurou dar aos eventos na Ucrânia opiniões com abordagem diferente da guerra, ou seja foi menos lacaia do think tank atlanticista.
Já vi algumas entrevistas que diante da impossibilidade das forças ucras de impedirem os Russos consolidarem seus objetivos no Donbas era recuar para posições mais vantajosas e concentrar na região de Odessa as melhores armas e tropas.

Neural
Neural
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Estratégia Russa é caldeirão soviético. Cercar, posicionar tropa de elite nos flancos e tratora o miolo com os D-30, Grad e MSTA. Não tem páreo não

Sentinela
Sentinela
1 mês atrás

Cadê as figurinhas Wellington Jr, Rodrigo Nascimento, os mais patetas e campeões de imbecilidades desse site, metidos a especialistas com tanta burrice escrita? Ué, sumiram?

Hoplita
Hoplita
1 mês atrás

Olha, eu estava esperando pacientemente as coisas se definirem melhor nos campos de batalha, mas como a “maré” da informação da mídia Ocidental já mudou, então vamos lá. Sabemos, historicamente, que enfrentar a infantaria russa em seu próprio terreno sempre foi uma tarefa impossível de ser cumprida. Os exércitos mais poderosos do mundo – de Napoleão a Hitler – fracassaram nessa tentativa. Por vários motivos que alguns comentadores já elencaram aqui, mas principalmente pela enorme capacidade da sua indústria bélica. Herança do período soviético, sua concepção militar se baseava em atulhar com homens bem treinados e equipamentos (transportes leves, tanques,… Read more »

Nick
Nick
1 mês atrás

Os ucranianos estão perdendo a guerra. Manter essa guerra agora está na dependência da OTAN. E para virar a favor, só com armamente pesado e em quantidades significativas. Venho repetindo que os EUA/OTAN já deviam ter encaminhado algumas centenas de carros de combate pesados e IFVs. Agora talvez até para isso seja tarde.

Mensageiro
Mensageiro
Reply to  Nick
1 mês atrás

Concordo mas não tem nada perdido. Se os ucranianos fizerem ataques nos esconderijos de munições, nas artilharias, linhas inimigas, a russia se lasca. O que está mantendo território é o poder de fogo das artilharias, no mano a mano Rússia perde.

Mateus Gonçalo
Mateus Gonçalo
Reply to  Mensageiro
1 mês atrás

Perde, nada.
A Rússia não vai entrar em guerrilha urbana, na Ucrânia, contra o exército ucraniano bancado pela OTAN.
O pressuposto militar de Kiev consistia na ideia que Putin não atacaria a Ucrânia como fez na Chechênia. Grande erro.

ROliveira78
ROliveira78
Reply to  Mensageiro
1 mês atrás

Desde o início a Rússia tá se lascando, né?
Todo dia pede armas, munições e dinheiro?
A Rússia tbm fez uma mobilização nacional

Antunes 1980
Antunes 1980
1 mês atrás

A dúvida é como as defesas ucranianas suportam mais de 60 mil tiros de artilharia, e continuam atrasando o avanço russo a mais de 190 dias.

Ou a artilharia russa está errando todos os alvos, ou a Ucrânia tem mais de 1 milhão de tropas concentradas nesta faixa de território. Repondo as perdas de forma jamais vista.

Um invasor com grande capacidade tecnológica e bélica, que tem o domínio aéreo, terrestre e naval já deveria ter conquistado estas duas regiões com mais facilidade, ou estou errado?

Hoplita
Hoplita
Reply to  Antunes 1980
1 mês atrás

Seu raciocínio não está errado nem certo, ele é simplesmente simplório.

Se analisarmos a história dos conflito militares modernos entre grandes potências e países menores, nem sempre “um invasor com grande capacidade tecnológica e bélica, que tem o domínio aéreo, terrestre e naval” necessariamente ganha a guerra. O caso exemplar são a derrota do EUA no Vietnam.

No caso em questão, até agora, os russos estão conquistando seus objetivos para, na minha humilde opinião, terem vantagem nas negociações de paz que ocorrerão mais cedo ou mais tarde, por esgotamento de recursos humanos, materiais e políticos por parte da Ucrânia.

Grifon
Grifon
1 mês atrás

O Galante ainda acha que a Ucrânia vai vencer a Rússia, parece piada rsrs… Acorda rapaz, acorda pra realidade, a Ucrânia já é uma nulidade militar, não tem mais poder bélico e depende incessantemente de outros países pra poder se defender.

Alexandre Galante
Reply to  Grifon
1 mês atrás

De onde você tirou que eu acho que a Ucrânia vai vencer? 🙂
Obrigado pelo “rapaz”, eu nasci em 1968.

Last edited 1 mês atrás by Alexandre Galante
Grifon
Grifon
Reply to  Alexandre Galante
1 mês atrás

As postagens do portal dizem tudo rsrs

E eu em 1984 rsrs, mas é isso mesmo, estamos vivos e continuamos jovens 🙂

Last edited 1 mês atrás by Grifon
Maromba
Maromba
Reply to  Grifon
1 mês atrás

O exército ucraniano está muito longe de ser derrotado. Lutarão até a última ucraniana.

F9C3B54F-901E-4FAD-9D79-88C6B5A764D1.jpeg
Hcosta
Hcosta
Reply to  Maromba
1 mês atrás

Tenha alguma dignidade e não brinque com a coragem de quem luta pelo seu país.

E se for daqueles que admiram a Rússia, lembro-lhe que as mulheres Russas também lutaram contra os Nazis…

Grifon
Grifon
Reply to  Maromba
1 mês atrás

kkkkkkkkkk tá de ironia né?

Madmax
Madmax
1 mês atrás

É a velha história: mire pequeno, erre pouco.

RDX
RDX
1 mês atrás

Curiosidades: preço das munições da artilharia do EB.

AE 105mm – M101 e M56 – R$ 3.200
AE (munição convencional) 105mm – Light Gun – R$ 7.000
AE (M107) 155mm – M114 e M109 – R$ 5.900

Ou seja, os ucranianos (para ser mais exato, os EUA) estão gastando pelo menos R$ 30 milhões (aprox. 5.000 tiros) diariamente em munições 155mm.

Last edited 1 mês atrás by RDX
MIGUEL
MIGUEL
1 mês atrás

Os EUA devem enviar a 101ª Divisão de Infantaria Aero-Transportada para desembarcar nesse teatro de operações, basta isso, os EUA têm estacionados tropas na Polonia + Letônia + Lituânia+ Romênia , basta isso e muda o rumo da Guerra, agora dar M777 aos Ucranianos que não sabem usar essas armas é mais complicado, os Ucranianos não estão acostumados com o Armamento Ocidental e ainda vai levar muito tempo a se adaptarem , o melhor mesmo será os soldados Americanos fazerem o Trabalho… Os EUA devem enviar os Marines e Rangers.

Mateus Gonçalo
Mateus Gonçalo
Reply to  MIGUEL
1 mês atrás

Os EUA não devem, nem vão enviar nada.
Vão perder por terem optado por um discurso acalorado de Biden que não tem condições para ser POTUS. Zelensky vai perder, a NATO vai perder e os EUA serão novamente humilhados.
A estratégia de “fornecer” armamento altamente especializado de um exército profissional como o americano ou o britânico a forças de uma nação definida como corrupta e racista, pela própria UE e EUA, só revela que há muitos Tiririkas nas instituições ocidentais, fazendo companhia ao ex comediante ucraniano.

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
Reply to  MIGUEL
1 mês atrás

Devem enviar os Power Rangers! 🤣🤣🤣🤣🤣🤣 Cada uma…calma q Hollywood vai suprir suas necessidades em um futuro não muito distante.

Cidadão das Sombras
Cidadão das Sombras
1 mês atrás
MIGUEL
MIGUEL
1 mês atrás

Parece que agora o Força Terrestre passou a fazer analise militar, antes baseava-se em informações erradas do campo de batalha, eu sempre disse que a Rússia em forças terrestres é superior a Ucrânia e a OTAN, a Rússia perde em superioridade Aérea e Naval, mas em termos de Artilharia e Infantaria tem superioridade, a OTAN deve enviar com urgência Helicópteros de Ataque se quiser reverter as perdas territoriais… Caso contrário a Rússia vai ocupar toda a Ucrânia, cidade a cidade, vila a vila, aldeia a aldeia, lembro que a Ucrânia é 3º Maior Exército da Europa.

Últimas Notícias

Primeiro dia de atividades operacionais do Exercício Core 22

Louisiana (EUA) – Na madrugada de 12 para 13 de agosto, a Companhia CORE realizou os preparativos para o...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -