sexta-feira, agosto 19, 2022

Saab RBS 70NG

Exército Brasileiro assina contrato com a Akaer para modernização dos blindados EE-9 Cascavel

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Exército Brasileiro assinou hoje o contrato para a primeira fase do projeto de modernização de 98 Viaturas Blindadas de Reconhecimento Cascavel com o Consórcio de Empresas Força Terrestre, composto pelas empresas Akaer Engenharia (líder), Opto Space & Defense e Universal.

Esse primeiro contrato celebra a entrega de duas viaturas protótipo e um lote de sete viaturas que receberão inserção de ar-condicionado, revitalização do canhão 90 mm, e instalação de diversos outros equipamentos.

A Akaer Engenharia S.A., líder do Consórcio de Empresas Força Terrestre, venceu a licitação aberta pelo Exército Brasileiro para a modernização de um lote inicial de nove unidades da viatura blindada de reconhecimento média sobre rodas EE-9 Cascavel. O resultado da concorrência foi publicado no Diário Oficial da União de 4 de maio.

Essa conquista consagra o trabalho da Akaer, que há mais de 30 anos é reconhecida mundialmente pelo seu histórico no desenvolvimento de tecnologias de ponta dedicadas à defesa. “Trata-se de um projeto pioneiro com potencial de aplicação para toda a frota desse veículo em uso pelo nosso país, após a validação desse lote inicial a ser feita pelo Exército Brasileiro”, afirma o diretor comercial da Akaer, Aldo da Silva Junior.

O projeto consiste em um amplo pacote de modernização e adoção de novas tecnologias que envolve uma nova motorização e suspensão, fundamentais para incrementar as capacidades de locomoção do veículo nos mais variados tipos de terreno. Um sistema de ar-condicionado será implantado para melhorar o ambiente operacional da tripulação composta por motorista, atirador e comandante.

Em relação a consciência situacional, característica vital para as rápidas tomadas de decisões no campo de batalha, a Akaer irá substituir a atual torre mecânica do comandante por uma nova torre automatizada. Essa melhoria irá incrementar a velocidade de resposta aos comandos e precisão de operação.

Visando o aumento da efetividade operacional no emprego de armas, o programa inclui a substituição das miras ópticas, por um moderno sistema optrônico para busca e pontaria dos alvos e identificação de eventuais ameaças. Essa tecnologia permitirá a operação diurna e noturna e em condições atmosféricas degradadas.

Um moderno computador de tiro será responsável pela execução de todos os cálculos balísticos, proporcionando um aumento significativo na probabilidade de acerto de alvos.

O sistema eletrônico contará com um computador de comando e controle que irá analisar, em tempo real, todos os sensores espalhados pelo veículo para a leitura dos parâmetros ambientais que interferem na execução das missões.

O EE-9 Cascavel modernizado contará com a adição de um lançador de mísseis antitanque em sua torre principal, introduzindo essa capacidade em veículos blindados de reconhecimento do Exército Brasileiro.

FONTE: LRCA Defense Consulting

- Advertisement -

199 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

199 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gugs
Gugs
1 mês atrás

Pela madrugada… Posso incluir meu fusca nesse pacote aí?

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Gugs
1 mês atrás

hehehehehhehe

Daniel Silva
Daniel Silva
Reply to  Gugs
1 mês atrás

Talvez fosse mais interessante adquirir mais torres armadas para os Guarani, de preferência com mísseis agregados, como proposto para a modernização do Cascavel. Creio que seriam veículos mais modernos e versáteis.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

Apesar do que falam dele e sua idade, atualizado, ainda terá muita serventia no campo de batalha…

gordo
gordo
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

No Oriente Médio e no Norte da África ele ainda se faz presente e com um bom desempenho (dado o tipo de conflito), mas para Nós com o orçamento que temos já está mais que na hora de algo novo. Hoje as especificações mudaram muito desde as primeiras linhas colocadas na prancheta pela Engesa para conceber o Cascavel. Um projeto novo geraria empregos e know-how para nossa engenharia permitindo outros projetos. Para mim isso ai vai ser remendo caro.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  gordo
1 mês atrás

os israelenses não usam o M-113 e mesmo assim não são os fodásticos tecnologicamente avançados?! qual o problema de usar maquinário nâo tão avançado?!

Nascimento
Nascimento
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Israel mantém 5.000 M113 na reserva, eles tem coisa muito melhor como VBCI, eles Israel tem o Namer, que é praticamente um BMP Terminator, além do Achzarit, baseados em chassis de CC, e o Eitan 8X8…

Nelson Junior
Nelson Junior
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Também acho que deveriam deixar esses cascavéis na reserva e fabricar algo novo e moderno com o dinheiro

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Nelson Junior
1 mês atrás

já fez a conta?

Bb1
Bb1
Reply to  Nelson Junior
1 mês atrás

O Brasil precisa de números, para enfrentar um conflito de baixa intensidade. Só no Rio de Janeiro existem 56.000 fuzis contra o estado. Isto sem contar as ameaças externas potenciais.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Israel usa o m-113 em tarefas complementares….embora na linha de frente ele não tenha mais espaço, ainda podemos usal-os com um bom custo x beneficio nas unidades de apoio no transporte de tropas (artilharia ap, engenharia bld, blog, cia comdo, etc…) um apc baseado em um ifv sai muito caro se for padronizar todas OMs…..abaixo foto de um m-113 israelense equipado morteiro pesado spear 120mm. Complementando….acho que a grande deficiencia do e.b esta em querer usar o m-113 em FT blindadas (bib)….é o que tem… ainda tem maluco querendo adaptar a torre da Ares neles, um m-113 jamais será um… Read more »

spear.jpeg
Last edited 1 mês atrás by Rafaelvbv
Bb1
Bb1
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Cada conflito tem um cenário específico. Mas, excelente analise

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Nenhum a questão é de mentalidade.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  FERNANDO
1 mês atrás

Se os israelenses conseguem anabolizar o “pacífico” M-113,por quê nós não podemos dar um upgrade no Cascavel?!

Se o veículo americano consegue ter “1001” utilidades mundo afora, se tivermos vontade política e usar do conhecimento e da engenhosidade dos engenheiros brasileiros, não tenho dúvida que poderemos dar novos dentes ao Cascavel.

comment image

comment image

comment image

comment image

comment image

comment image

comment image

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Nascimento
Nascimento
Reply to  gordo
1 mês atrás

Boa noite gordo (Não venham me censurar nã0 eim, é o nome do rapaz) Eu acho que devíamos ter, como VBR, um Guarani 6×6, canhão 30 mm, Msl AC e drone lançado como um míssil. Se é pra o Centauro II atuar como MGS, ai é outra história e nada tem a ver com o termo específico que coloquei quanto a reconhecimento armado. Fora a viatura em si, que seria apenas um Guarani com silhueta mais baixa, iguais as artes conceituais do VBR Guarani com LCTS. Melhor qualidade de proteção balística, antiminas, longevidade de projeto… Sim, definitivamente é mais eficiente!… Read more »

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Acredito que seja uma possibilidade no futuro, mas acho que o EB está focando mais nas atualizações dos Leopard e no novo VBC-CAV.

Henrique
Henrique
Reply to  gordo
1 mês atrás

Faz sentido mas como um veículo de reconhecimento blindado tem sua serventia ainda e como falamos em 98 unidades no total, para um país continental como o Brasil, isso não é absolutamente nada. Veículo para conflito interno ou mesmo com os atuais meios de nossos vizinhos, tá ótimo. Se formos olhar as perdas tanto russas como ucranianas no conflito atual, já perderam de ambos os lados talvez mais de dez EBs em equipamentos e meios… Agora, como bem colocado por vc, se quisermos veículos para ponta de lança e ofensiva em possíveis teatros urbanos, teremos que repensar toda a engenharia… Read more »

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

“Apesar do que falam dele e sua idade, atualizado, ainda terá muita serventia no campo de batalha…”

Considerando o cenário sul americano…..sim

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Considerando o cenário sul americano Rafael Gustavo, sim, ele pode ter serventia…

Glasquis7
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

“Considerando o cenário sul americano…..sim”

É por pensar desse jeito que as coisas param.

Como eu disse várias vezes, as armas não servem apenas para combater ou disuadir e os médios bélicos devem estar de acorde às aspirações geopolíticas da nação.

Será que o Brasil apenas aspira a estar em condições de combate a nível de América do Sul?

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

“É por pensar desse jeito que as coisas param.” Glasquis….tu já enumerou quantas OM de cavalaria mecanizada nós temos? cada brigada tem pelo menos 1 esquadrão ou regimento…algumas brigadas de cavalaria tem até mais de 1 regimento…estamos falando de centenas de viaturas e infelizmente estamos em uma fase onde a grana está curta….se a economia dos países de 1º mundo tomaram um tapa, nossa economia foi a nocaute e o e.b já está suando para manter os programas em andamento….não tem muito para onde fugir, segue as alternativas. -dotar todas om com vbc cav (ideal, mas não temos recursos para… Read more »

Tomcat4,4
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Também penso o mesmo caro Adriano ! Vai ficar ,merecidamente, mais atual e capaz nosso longevo Cascavel !!!

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

só os Misseis anti tank em si já dão capacidades novas ao pequeno cascavel, imagina o pacote todo.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Jhenison Fernandez
1 mês atrás

O cascavel não precisa de um canhão poderoso, ele não irá enfrentar MBTs com seu 90mm,afinal essa não é sua finalidade e sim missões de reconhecimento. Não aproveitar metade dessas 400 e poucas unidade no efetivo do EB e criar algo prático seria desperdício de material… Dizem que o veículo é uma plataforma obsoleta que não atende mais a guerra moderna. Se ele é obsoleto,o Panhard VBL MK2 seria oquê por acaso?! Foi um projeto desenvolvido nos anos setenta,ganhou vida nos anos noventa e continua até hoje, tendo recebido alguns upgrades Hoje,ainda está a serviço no mundo militar em uma… Read more »

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

Se estiverem querendo fazer realmente uma modernização de vergonha, poderiam retirar esse canhão e pôr uma torreta moderna, seja nacional ou estrangeira…

comment image

comment image

comment image

comment image

comment image

Não tenho dúvida que uma empresa como a Ares não poderia ter capacidade de criar uma torreta semelhante a da empresa turca.

https://4.bp.blogspot.com/-B6SeDJGoAGk/VCQ1EheWTDI/AAAAAAAAOM4/WN34Ziq1nOE/s1600/20734.jpg

Fernando Vidal
Fernando Vidal
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Sem dúvida, seriam excelentes alvos.

Heitor
Heitor
1 mês atrás

Misericórdia…

Henrique
Henrique
1 mês atrás

Próximo passo é integrar o Cascavel com aquele drone da XMobots que tem o míssil da MBDA lá.. e a imortalidade estará a 1 passo apenas 

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Henrique
1 mês atrás

hheheheheheheheh

Paulo Brics
1 mês atrás

Dinheiro jogado no lixo.
Vão tunar 98 chevettes que servirão apenas para manter doutrina obsoleta e fazer cena, preencher buraco.
Mesmo com esta revitalização é um projeto capenga, obsoleto, ultrapassado. Dá vergonha isto.

Lembro-me do comentaristas João Moita, que serviu no Iraque, dizer que encontravam vários cascaveis do Iraque destruídos até por munição relativamente leve, e com os esqueletos dos ocupantes dentro.

É aquela coisa, sem ameaça de conflitos bélicos a vista, o negócio é ser bon vivant e se dedicar ao hobby de restaurar antiguidades enquanto enchem o bucho com picanha, lombo de bacalhau, cerveja, vinhos finos e whisky.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

Não acho desperdício não, você só não pode querer bater de frente com um leopard 2a4 com ele.

Fernando Vidal
Fernando Vidal
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Nem tanto, bastaria passar sobre uma mina anti-carro com ele e tanto o carro como toda a tripulação estaria fora de combate, pois o Cascavel não dispõem de proteção anti-minas como o assoalho em V, blindagem extra ou assentos especiais…Além disso o canhão tem um alcance máximo de 2000 metros, enquanto os veículos modernos possuem alcance de mais que o dobro disso. Essa modernização é gastar vele em mau defunto…. O Cascavel é um projeto com base em tecnologia da IIGM, ou seja esta muito defasado. Deveríamos incorporar uma torre moderna da própria John Cockeril de 90 mm no Guarani… Read more »

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

Concordo plenamente. Quando entregarem uns 25 ou 30 vão cortar a verba e os que já foram “mordernizados” serão encostados, ou mandados pra algum desmonte. Deve ter algum grande esquema aí…

Paulo Brics
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Também acho.
As pessoas que acreditam que todos os gastos envolvendo equipamentos são 100% decididos por critérios técnicos ou necessidades operacionais realmente válidas são pra lá de ingênuas.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

que munição leve?

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Com a futura chegada dos “Guaranis” 8×8 esse projeto será jogar dinheiro fora.
Se ao menos eles fizessem a modernização em 5 unidades para desenvolvimento de conceitos e tecnologias para serem empregadas nós Guaranis 6×6 ou mesmo 8×8 tudo bem.
Ou se ao menos o programa fosse para incentivar a indústria nacional, tipo Equitron, Columbus parts etc.
Fora isso é jogar dinheiro no lixo.

Teropode
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Bobagem , sua observação inicia citando uma inverdade , um equívoco pois não existirá Guarani 8×8 , se conforme com 120 Centauros 2 de excelente qualidade .

Eduardo
Eduardo
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Já são 98. E isso hoje, hehehe. Amanhã esse número já vai cair, acredite.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Por isso mesmo escrevi Guarani 8×8 entre aspas.
Na verdade teremos a tropicalização do Centauro.
Entenda a grafia amigo !

Samuel
Samuel
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Se temos guaranis para testarmos, pra que usar algo velho?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Samuel
1 mês atrás

porque mesmo a contragosto de muitos, faria quase o mesmo por um custo bem menor

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Samuel
1 mês atrás

Porque desenvolver tecnologias e conceitos é perigoso.
Pode acontecer de um míssil explodir dentro do casulo etc.
Israel usava velhos M113 e mesmo Half trks para testes de desenvolvimento de sistemas.
Sem falar no custo de se caso explodir e danificar o veículo, o custo de uma plataforma velha é muito menor que a nova.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Guarani é o programa estratégico do EB que tem por objetivo transformar a Infantaria Motorizada em Mecanizada e a modernização da Cavalaria Mecanizada. No programa estão previstas compras de viaturas 4×4, 6×6 e 8×8. Acredito que por ser o primeiro veículo adquirido, o VBTP foi batizado também de Guarani.

L G
L G
1 mês atrás

Aleluia. Deus e maior. Esse e o blindado Cascavel BR 2.0 que o Brasil precisa. Podemos produzir aos milhares 100% nacional. Na G o que importa é a fabricação 100% nacional. E aos milhares o que está demostrado na guerra da Ucrânia. Não adianta ter 100 centauro estrangeiro que acabam em uma semana. Vide guerra de Israel em 1973 em que em 2 semanas estava tudo destruído. E os árabes e israelense tiveram que receber ajuda da Rússia e EUA. A Ucrânia está ficando sem armas e munições. O Brasil tem que ser 100% suficiente em produção de armas e… Read more »

Varg
Varg
Reply to  L G
1 mês atrás

Isso de “vamos estudar pessoal” é deveras arrogante. Vários comentaristas da Trilogia são militares da ativa e da reserva, estudiosos, engenheiros com passagem nas indústrias de defesa brasileiras, dentre outros. Acho que eles estudaram bastante e falam com conhecimento de causa quando criticam certas iniciativas das FAs brasileiras.

Last edited 1 mês atrás by Varg
Andre
Andre
Reply to  Varg
1 mês atrás

Esse LG só fala bobagens, da um monte de “ajeitada” na realidade e sempre vem com esse “vamos estudar”.

Tutu
Reply to  L G
1 mês atrás

“Esse e o blindado Cascavel BR 2.0 que o Brasil precisa. Podemos produzir aos milhares 100% nacional.”

Isso é só uma modernização de um blindado ultrapassado, com sua raiz conceitual datada da segunda guerra mundial.

Não tem como produzir aos milhares pq não existe fábrica, linha de produção, nem nada, menos fantasia e mais realidade.

E sem essa arrogância, de quem pelo jeito não sabe é de nada.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Tutu
1 mês atrás

não tem de produzir, tem de dar destino útil a 408 unidades já disponiveis

Tutu
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

Quem tá falando em produzir aos “milhares” é o LG

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

Para mim Carvalho2008, jogar os 408 Cascáveis no lixo seria um desperdício de material…

Poderia-se aproveitar metade dos 400 ou mesmo apenas 100 unidades e armá-los com uma torreta com misseis anti-tank.

Como falei acima, o propósito do Cascavel nunca foi ser um Tank-killer, sempre foi um veículo de reconhecimento.

Detectar o alvo, passar as coordenadas para o comando e dar o pé, e o comando que enviasse um veículo apropriado ou aeronave para destruir a ameaça.

comment image

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

concordo…já está aí….deve-se apenas dar um destino útil dentre inúmeras possibilidades de uso dele.

Nascimento
Nascimento
Reply to  L G
1 mês atrás

O senhor tem que parar de vir aqui e ficar mandando os outros estudarem. Se fosse pra formentar a Indústria Nacional, fomentava a construção de uma nova torre e um derivado do Guarani para fazer missões de Reconhecimento, aumentando a escala do Guarani; se for pra combater inimigo interno, 30 mm com capacidade ABM e míssil AC é mais que o suficiente, aliás muito mais flexível e devastador que canhão 90 mm que não tem nem mais de 15⁰ de elevação, o que o torna NULO pra combate urbano. Não há lógica alguma defender R$ 13 MILHÕES pra construir cada… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Eduardo
Eduardo
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Perfeito!

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

mas Akaer não é nacional?

Sensato
Sensato
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Onde você leu 13 milhões? Eu li 2.5.

Fábio Machado
Fábio Machado
Reply to  L G
1 mês atrás

O duro na área de defesa é lidar com os “Policarpo Quaresma” que infestam o ambiente. Não existe cascavel 2, o que foi exposto é só uma modernização do velho cascavel. Além disso, nem os EUA é 100 por cento auto suficiente na produção de armas e seus componentes. Vai estudar você garoto.

Last edited 1 mês atrás by Fábio Machado
Barak MX para o Brasil
Barak MX para o Brasil
Reply to  L G
1 mês atrás

Aposto que é inscrito daqueles canais do YouTube que falam de militarismo. Como ASTROS antiaéreo de 500km de alcance e a cada semana o Brasil compra um blindado novo.

Chevalier
Chevalier
Reply to  Barak MX para o Brasil
1 mês atrás

kkkkk
Tipo aquele canal Gigante dos Mares, que é só clickbait. Toda semana vem avião novo.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Chevalier
1 mês atrás

Ou aquele do “Patriotas”…

uma boa notícia para o Brasil, sempre tem um título assim.

Fernando
Fernando
1 mês atrás

Cada vez que vejo esses projetos de modernização do EB eu lembro daquela primeira fase do jogo General Panzer. Lembram dele? Rsrsrs

Na primeira fase de invasão da Polônia os equipamentos da Alemanha eram blindados e modernos aviões, os da Polonia eram aviões da primeira guerra a cavalos na Cavalaria

L G
L G
Reply to  Fernando
1 mês atrás

Se o Centauro 2 for 100% produzido no Brasil ok. Mas se comprar do exterior apenas 100 ou 200 unidades não vale nada. Em uma guerra serão destruído em 2 semanas e o Brasil ficará sem. Agora para desfile de 7 de setembro o centauro é muito bonito. Vamos estudar pessoal.

Samuca cobre
Reply to  L G
1 mês atrás

Vai você ESTUDAR !!!!

Andre
Andre
Reply to  L G
1 mês atrás

Guerra contra quem? Venezuela? Argentina? Ou na sua fantasia a Russia tem capacidade de invadir o Brasil?

Pare de jogar e vá estudar.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Andre
1 mês atrás

Só os eua tem condições militares para invadir o Brasil…A China eu nem falo, apesar que em breve ela terá uma base no atlântico.

Ted
Ted
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

A russia nao tem capacidade de invadir o Brasil, mas um unico missil com 6 ogivas destroi toda a economia brasileira.

Sidy
Sidy
Reply to  L G
1 mês atrás

O cara fala em construir 100% no Brasil e manda o pessoal estudar. Seria cômico se não fosse trágico.

Teropode
Reply to  Fernando
1 mês atrás

Nada haver esta comparação , tá descolada do mesmo universo , repare que só vão aproveitar o chassi do Casca , o réptil vai sair zerado e vitaminado deste spar …

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Teropode
1 mês atrás

correto

J.P.
J.P.
Reply to  Teropode
15 dias atrás

Sim, mas não seria mais inteligente tirar essa torre a ser modernizada e montar em um Guarani ? Ficaria tão mais caro ?

L G
L G
Reply to  Fernando
1 mês atrás

Em caso de guerra contra Bolívia, Paraguai ou Uruguai o centauro 100 unidades seria excelente. Mas em caso de guerra contra um país maior tipo França seria destruído em 2 semanas e o Brasil ficará a pé. Temos que produzir no Brasil armas e munições. Vamos estudar pessoal.

Fernando
Fernando
Reply to  L G
1 mês atrás

O Cascavel não lembra um pouco o M8-Greyhound da segunda guerra? Rsrsrs

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Fernando
1 mês atrás

O cascavel é derivado do M8, se você der uma pesquisada na internet irá ver isso.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Fernando
1 mês atrás

sim e foi um projeto de substituição dele inspirado nele….o primeiro protótipo tinha canhão 37 MM do M8…

Oráculo
Oráculo
Reply to  L G
1 mês atrás

Quem tem que estudar é você.

Tô pra ver alguém falar tanta besteira em tão pouco tempo.

tsung
tsung
Reply to  L G
1 mês atrás

hahhaha minha nossa quanta comédia

de fato precisamos preocupar com avenezuela com os iranianos proximo da nossa fronteira

Last edited 1 mês atrás by tsung
Samuca cobre
Reply to  L G
1 mês atrás

Vai você ESTUDAR!!!!

pampapoker
pampapoker
Reply to  L G
1 mês atrás

Posse de dar um conselho, para de mandar os outros estudarem, esse papinho enche os pacova. Cada um sabe o que quer da vida.

Eduardo
Eduardo
Reply to  L G
1 mês atrás

“Em caso de guerra contra Bolívia, Paraguai ou Uruguai”

Aí nem precisa de Centauro meu caro. Vá estudar…kkkk

Varg
Varg
1 mês atrás

Lembro de ter visto, acho que até aqui no FT, que várias unidades de Cascavel foram postas para fora de combate no Oriente Médio por armas de calibre 7,62. Blindagem fraca é impensável na guerra moderna.

Last edited 1 mês atrás by Varg
Fernando
Fernando
Reply to  Varg
1 mês atrás

É só remotorização e pintura nova e mais alguma coisa. Muito parecido com o que foi feito com os M113.

Melhorar proteção para tropas hoje em dia para que né? O soldado nunca foi prioridade no EB.

Teropode
Reply to  Fernando
1 mês atrás

Que isso ? Nova torre automatizada , ar condicionado , suspensão ativa , canhão recondicionado, sistema optronicos , míssel anti-carro , eletrônica de comando , controle situacional , computador para cálculo balístico , ufaaaaaaaa , e mesmo assim a choradeira é geral meu deus …….acho que lu um post diferente , sugiro destacar em negrito as modernizacoes que serão instaladas ….

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Ouvi dizer que o EB irá por KERS no Cascavel…

comment image

Gusmao 🇵🇹
Gusmao 🇵🇹
Reply to  Fernando
1 mês atrás

Os brazucas ainda tem aqueles caminhões altos para levar soldado e rancho. Tropa na carroceria? Deveria se aventurar por umas guerras na África com a ONU.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Varg
1 mês atrás

desconheço

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Varg
1 mês atrás

Existem munições perfurantes que realmente são mais poderosas que outras. Se você pesquisar o início do projeto do Guarani, verá que foi especificado enfaticamente pelo EB a necessidade da viatura resistir à munições 7.62 perfurantes, coisa que não foi pensada lá no Urutu e Cascavel.

Gusmao 🇵🇹
Gusmao 🇵🇹
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Nada que malha de vidro, fibra, não resolva. É só ter parceria com Israel.

Ricardo Rosa Firmino
Ricardo Rosa Firmino
1 mês atrás

Queima ele Alexa…..

Nilo
Nilo
1 mês atrás

Parabens pelo projeto e parceria com a Empresa AKAER; Torre automatizada – incrementar a velocidade de resposta aos comandos e precisão de operação. Substituição das miras ópticas, por um moderno sistema optrônico para busca e pontaria dos alvos e identificação de eventuais ameaças. Essa tecnologia permitirá a operação diurna e noturna e em condições atmosféricas degradadas. Moderno computador de tiro será responsável pela execução de todos os cálculos balísticos, proporcionando um aumento significativo na probabilidade de acerto de alvos. O sistema eletrônico contará com um computador de comando e controle o qual irá analisar em tempo real todos os sensores espalhados… Read more »

Teropode
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Será um novo carro e a rapaziada ainda reclama , reclamam porque é de graça 😂

Tomcat4,4
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Será basicamente outro veículo aproveitando o chassi do Cascavel , excelente !!!

Neural
Neural
1 mês atrás

Tem que instalar Zu-23mm no lugar do 90mm, melhor cadência que o 30mm

Last edited 1 mês atrás by Neural
Oráculo
Oráculo
1 mês atrás

Vou dar um “chute” qualificado.

Depois que o EB começar a utilizar o Centauro, vão abandonar esse projeto aí e gastar o dinheiro em mais unidades do “bicho” Italiano.

Quem viver, verá!

ANTONIO SANTOS
ANTONIO SANTOS
Reply to  Oráculo
1 mês atrás

Isto é, mais dinheiro do contribuinte indo pro ralo.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Oráculo
1 mês atrás

Faz de conta que o EB nunca viu um Centauro 2 em funcionamento e não sabe as diferenças.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Pode ser um bom veiculo, mas o seu tempo passou. Melhor pegar o investimento que sabemos o final que vai ser, e partir para os centauros.

Teropode
1 mês atrás

Uma solução racional , o chassi do cascavel está em ótimo estado , aliás seu design favorece este tipo de modernização por ter um desenho simples com perfis limpos , o fator que pode atrapalhar é o ritmo da modernização e se no meio do caminho alguém resolve interromper , vimos isto no programado AMX e dos Falcões da MB ….

L G
L G
1 mês atrás

Notícia urgente a Alemanha aumentou as suas exportação para a Rússia. Vamos estudar pessoal.

Nascimento
Nascimento
Reply to  L G
1 mês atrás

Atenha-se ao tópico, por favor.

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Samuca cobre
Reply to  L G
1 mês atrás

Vai você ESTUDAR!!!!

Glasquis7
Reply to  L G
1 mês atrás

Nada tenho com a sua briga mas

“As suas exportação…”

Mostra claramente um certo desconhecimento do português misturando plural com singular.

Algo estranho (por não disser contraditório) vindo de alguém que está mandando os outros estudar.

Meu conselho, se o senhor permite, vá estudar vc e comece pelo português.

RDX
RDX
1 mês atrás

E lá vamos nós… O EE-9 Cascavel, que nada mais é que um M8 Greyhound bombado, teve o seu valor nas décadas de 70 e 80. Nesse período o canhão 90mm ainda era capaz de destruir aquela miscelânea de porcarias soviéticas tão comuns no oriente médio e na África (T-34/55/62, BTR-40/50/60/152, PT-76, BMP-1 e BRDM-2). Importante destacar que o terreno dessas regiões favorecia o emprego de ágeis blindados ocidentais 6×6. Mas esse sucesso ocorreu 40 anos atrás. A guerra e as tecnologias militares evoluíram imensamente na última década. O que os responsáveis por essa insanidade (para não dizer outra coisa)… Read more »

Last edited 1 mês atrás by RDX
Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  RDX
1 mês atrás

Olha, a munição HEAT do canhão de 90mm perfura aproximadamente 240 mm de blindagem RHA. Isso é muito mais do que o TAM possui, SK105 bolivianos, T-55 peruanos e perde apenas para os Leopard 2a4 chilenos e T-72BV venezuelanos. No entanto, a função do Cascavel não é enfrentar esses carros,em especial o primeiro e os dois últimos, isso só aconteceria em uma emergência. O Cascavel pode bater de frente com viaturas leves do nível dele, mas a função principal será fazer reconhecimento e apoiar a infantaria. Quem teria mais condições de enfrentar carros de combate seria o Centauro 2, com… Read more »

Tomcat4,4
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Agora, dispondo de ATGM, o Cascavel caso se depare com um MBT no máximo dispara um missil e sai vazado. Centauro sim é caça tanques puro sangue.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Mestre Diego, acrescente que o engajamento urbano ocorre na maioria das vezes abaixo do 500 m…queima a roupa…é por isto que o EB preferiu preservar o 90 MM….principalmente, que ele já está disponivel

Fernando
Fernando
Reply to  RDX
1 mês atrás

Ninguém tira da minha cabeça que alguém leva um ($$$) nesses projetos “empurra com a barriga” que inventam de tempos em tempos.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  RDX
1 mês atrás

Mestre RDX, não existe discussão se o Guarani é um blindado melhor…ele é….

EduardoSP
EduardoSP
1 mês atrás

Qual é o custo unitário? Alguém disse, em outro post, que custaria R$ 10 milhões a unidade. Se for isso, é um baita desperdício. 2 milhões de dólares em um carro com 40/50 anos de uso é gastar vela com mau defunto.

Sensato
Sensato
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Eu li 2.5 num outro site conhecido que não vou citar pra não ficar retido

Gabriel
Gabriel
1 mês atrás

Uma alternativa muito + barata q o Centauro II (e também bem menos eficiente).

Contrata um lote piloto e aguarda a evolução da compra dos 8 x 8.

Talvez nem o EB acredite que consiga comprar a quantidade de Centauro que precisa, assim aposta também em uma alternativa envolvendo a indústria nacional (+ apelo).

“Aguardemos”

Nemo
Nemo
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Sendo otimista, eu diria que o processo de compra do Centauri (?) vai tomar no mínimo cinco anos (TCU, MP, recursos administrativos e judiciais etc etc). Então creio que se justifica reformar o vetusto Cascavel, pelo menos ele dispara.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Acertou na mosca na minha opinião.

Nascimento
Nascimento
1 mês atrás

Será que vão levar essa doideira à frente mesmo?! Isso e limpar a b..d@ com dinheiro da praticamente na mesma. E sem ninguém no país para questionar as decisões que o EB toma, é exatamente isso que vai acontecer. Essa modernização do Cascavél é a mesma sanha e paradoxo que o EB sempre teve “pagar muito caro para ficar barato”. AMV era pronto, investimento seria na fábrica e capacitação, mas o que fizeram? Gastaram uma fortuna pra desenvolver um primo pobre do SuperAV e 6×6 ainda, só recebendo 10 anos depois o LED, 12 anos depois a produção em série. Agora… Read more »

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Num é, parece que o pessoal das forças armadas não frequentam a faculdade de administração. O custo de atualização destas 90 unidades daria para equipar melhor os Guaranis, com torres de 30 mm e mísseis AT, muito mais capazes e com mais tempo de vida que este dinossauro aí, por menor que fosse o lote de unidades.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

já fez a conta? Mestre?quantos chassi de guarani, rodas de guarani, motor de guarani, eletrônica guarani, mais as armas?

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

Não precisa de novos Guaranis, os atuais já foram projetados para serem equipados com torres remotas de armas.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

o Guarani não chegou ainda ao número pretendido…faltam muitos ainda

Felipe Maia
Felipe Maia
1 mês atrás

Quais serão motor e câmbio que irão instalar?

Foragido da KGB
Foragido da KGB
Reply to  Felipe Maia
1 mês atrás

Motor DKW-Vemag e Câmbio Dualogic. 😛

Guacamole
Guacamole
Reply to  Felipe Maia
1 mês atrás

Cambio de Passat e motor de Monza.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

O motor eu não sei…mas um motor de veículo 9ton é comercial mais simples barato e econômico, maior disponibilidade, mais fácil manutenção e com menor possibilidade de ficar numa fila de acostamento parado como vcs viram na Ucrania…Copo meio cheio…copo meio vazio…

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Felipe Maia
1 mês atrás

Será o powershift, robusto,eficiente e durável…

comment image

Felipe Maia
Felipe Maia
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Esse da foto não é o Powershift. É um cambio AT do Ka com conversor de torque tradicional. Eu sei porque já tive um Ka AT.

Tutu
Reply to  Felipe Maia
1 mês atrás

Cummins ISB 6.7, é o que está circulando.

Felipe Maia
Felipe Maia
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Bacana. Mais de 320 CV. O bichinho vai voar hahaha.

cipinha
cipinha
1 mês atrás

Se fizessem uma modernização no canhão, ele poderia vir a disparar munição de 90mm mais modernas e com maior poder de fogo

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  cipinha
1 mês atrás

mas o canhão é revitalizado….capacidade de disparar munição tipo flecha….mas a verdade é que os engajamento da guerra atual praticamente tornaram-se urbanos e a queima roupa com menos de 500 metros de visada….o que ele não perfura a 2 km….perfura a 500 metros…não é uma discussão se guarani é melhor, é sobre o que fazer sem a grana suficiente para o Guarani ou outro tipo de blindado…

Segio
Segio
1 mês atrás

Pergunta de leigo, por favor não me crucifiquem. Mas não se pode instalar esse canhao, míssil em um guarani?

Nemo
Nemo
Reply to  Segio
1 mês atrás

O Guarani 6×6 não suportaria um canhão 105 ou 120 mm. Míssil poderia, mas teria que desenvolver a torre para isso.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Ele perguntou “esse canhão”, ou seja, 90mm.
Sim, poderiam instalar essa torre no Guarani.
Apesar de considerar o canhão 90mm obsoleto, seria melhor ter ele num Guarani novo e muito mais capaz do que num Cascavel antigo reformado.
No fim, teremos Cascavel com canhão e lança-mísseis e Guarani com torre Platt com .50.

Tutu
Reply to  Nemo
1 mês atrás

O Cascavel não tem um canhão de 105mm, uma torre de 30mm com esses dois mísseis já davam uma capacidade equivalente ao guarani.

Tomcat4,4
Reply to  Segio
1 mês atrás

Guarani 6×6 é VBTP(como o Urutu o qual substitui) e o Cascavel é VBR .

Tutu
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

Se o problema é blindagem, o guarani com placas extras é melhor que o Cascavel, a questão é puramente semântica.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Tutu
1 mês atrás

O Guarani é STAGNAG 2, aguenta até IED protegendo a tropa em caso de explosão… Coisa que o Cascavel nunca fará. Aliás, se quer uma VBR coloca o Centauro mas bota ele pra fazer outras coisas, pois o Cascavel como VBR é ridículo.

O Guarani também tem blindagem superior ao M113…

É inadmissível essa visão do EB.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Um Guarani com canhão de 30mm é muito mais eficiente que um Cascavel com canhão 90mm.
E se irão por o lança mísseis no Cascavel, poderiam por no Guarani.
PS: eu duvido que o EB compre lança mísseis e mísseis suficientes para 98 veículos.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

os pacotes sairiam o mesmo preço entre um e outro?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

sem a blindagem extra ele é igual, salvo a melhor proteção IED

Nascimento
Nascimento
Reply to  Carvalho2008
20 dias atrás

Porra nenhuma. O guarani é totalmente superior ao M113. É muita cara de pau e mentira mesmo.

Tomcat4,4
Reply to  Tutu
1 mês atrás

A função do Guarani é diferente da função do Cascavel ,ambos se complementam na missão .

Tutu
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

Questão semântica, o guarani armado com um canhão de 30mm e dois mísseis anti-carro, é mais moderno, melhor blindado, resistente a IEDs, muito mais eficiente e vai durar bem mais do que 15 anos.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Tutu
1 mês atrás

sim, ele é

Johan
Johan
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

A torc30 ou a ut30 Br mk2 são compatíveis com lançadores de mísseis. Faltou foco mesmo por parte do EB. O mais eficiente, economicamente viável e pragmático seria a adoção de Guarani com uma dessas torres citadas em detrimento do Cascavel modernizado e do Centauro,o primeiro porque já passou o tempo dele e o segundo porque é caríssimo e com isso, desqualifica a alegações que não tem dinheiro para comprar Guarani com torre com canhão de 30 mm Aliás, tendo em vista o histórico, nenhum programa será completado. Pode anotar.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Segio
1 mês atrás

sim, é o plano existe de instalar o canhão no Guarani, mas ao tem orçamento para esta encomenda….daí, o tampão com o Cascavel que existe em mais de 400 unidades.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Segio
1 mês atrás

Acredito que “se” o MD quisesse e realmente estivesse interessado, poderia financiar o desenvolvimento de uma torreta antitanque nacional para o EB, seja com a Ares ou alguma empresa estrangeira…

comment image

Mas nossos políticos e burocratas não se interessam quanto a defesa nacional, mas dinheiro para fundo eleitoral, orçamento secreto, emendas parlamentares,aqui se é votado em regime de urgência e na calada da noite.

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Satyricon
Satyricon
1 mês atrás

Esse contrato não faz nenhum sentido.
Com novos motores, transmissão, suspensão e optronicos vão aproveitar o que, o chassi e a torre?
Isso é muito míope, pois esse chassi é de uma época onde IEDs não eram ameaça.
Se o EB faz tanta questão assim desse canhão, que aproveitasse somente a torre do cascavel, adaptando-a no Guarani. Pelo menos assim manteria-se apenas uma linha logística.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

É isso que venho falando.

André
André
1 mês atrás

Triste o país onde dizer “vá estudar” é visto como ofensa. Do mesmo nível que mandar alguém a M…. Ou qualquer outro da mãe língua pátria.

Tomcat4,4
Reply to  André
1 mês atrás

Meu caro a questão é que ,mediante o contexto em que se diz “vá estudar” fica subentendido que vc é menos entendido do assunto que aquele que te manda estudar o qual ,neste contexto, se coloca como detentor do conhecimento e da verdade absoluta sobre o assunto/tema etc.no caso somos aqui todos igualmente debatedores uns mais ou menos sabedores do assunto mas a humildade deve sempre ser a premissa de qualquer sábio.

Tutu
Reply to  André
1 mês atrás

Ninguém vai se ofender com “Vá estudar”, o problema é que o cara falou muita besteira, vai fábricar Cascavel novo onde?

Claramente tem youtuber de quinta criando esse factoide.

Varg
Varg
Reply to  André
1 mês atrás

Dá uma lida em Immanuel Kant e seus conceitos sobre os tipos de verdade e veja o quão rude foi o comentarista que diz “vamos estudar pessoal” (e que não separa o vocativo com vírgula, mas isso é mero detalhe) como se detivesse uma verdade incontestável.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Alguem sabe se esta atualizacao permitiria o cascavel lançar misseis aos moldes do Falarick 90?

Tomcat4,4
1 mês atrás

Merecida modernização desta máquina ,demorou mais veio e creio que ficará bem interessante e muito mais capaz nosso bem sucedido Cascavel .

Ivan herrera
Ivan herrera
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

Praticamente será outro carro, e a blindagem será a mesma?

Tomcat4,4
Reply to  Ivan herrera
1 mês atrás

Vai saber né já que tornar o veículo mais pesado diminui a mobilidade, o mesmo caso de se adicionar blindagem nos Leo 1A5 .

Reginaldo
Reginaldo
1 mês atrás

Sabe que eu acharia interessantíssimo se tivesse como transformar o cascavel em uma espécie de carro remotamente controlado… Mais aí também teria que substituir o canhão por uma torre de menor calibre e também remotamente controlada, tipo uma UT30.

Como blindado de reconhecimento acredito já não sirva para o cenário de hoje mas ele tem suas características interessantes.

Caerthal
Caerthal
1 mês atrás

Excelente decisão. Qualidade sem quantidade não funciona. Uma país muito grande precisa de diversos sistemas de armas, de forma a ampliar as opções de resposta efetiva.

Acredito realmente que devemos sempre pensar em termos de equipamento low-end e high-end. No low-end temos que buscar os atributos de conteúdo nacional, quantidade, baixo custo, facilidade de manutenção e de operação.

Ivan herrera
Ivan herrera
1 mês atrás

Vai ser praticamente um novo veículo com inúmeras melhorias, decisão correta.

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Para um exército que moderniza M113 e pensa em modernizar os leopard, nada mais natural que modernizarem também os cascavel, está tudo no mesmo nível…🤷🏻‍♂️

Sentinela
Sentinela
1 mês atrás

Rússia e Ucrania usando BMP1 e BMP 2 e nego aqui ridicularizando a modernização do Cascavel.

Preferem que o Brasil importe Bradley estocado por exemplo.

Típico pensamento de mickeyzinho aqui tão comum.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Pelo contrário. Russia usando BMP1 e 2 e estão tomando um pau.
Imagina o Cascavel que tem um projeto ainda mais velho.

Desperdício de dinheiro.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
1 mês atrás

Meu Deus, que descalabro!!!!!!!!

Amaury
Amaury
1 mês atrás

Eu acho que pode ser útil. Tirando a parte superior do casco e enchendo de lenha, dá para fazer boi no rolete de forma intinerante.

Samuel
Samuel
1 mês atrás

Vendam os 98 , liberem a garagem. Pra que espalhar blindados pelo Brasil meu caro?

Last edited 1 mês atrás by Samuel
Samuel
Samuel
1 mês atrás

Vendam, também muitos quartéis urbanos deveriam ser vendidos. Ubuseiros, 8×8 e helicópteros já dão uma boa doutrina.

Marcos Borges
Marcos Borges
1 mês atrás

Pena que não irão melhorar a blindagem, pelo menos kits de reforço reativa ou ativa.

Last edited 1 mês atrás by Marcos Borges
Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
1 mês atrás

Tá faltando é vergonha na cara deste pessoal das forças armadas, por ainda querer manter esse troço do tempo da segunda guerra mundial rodando. Era melhor gastar esse dinheiro equipando o Guarani com mísseis anticarro e torres de 30 mm, que não temos nenhum.

Carvalho2008
Carvalho2008