quarta-feira, outubro 5, 2022

Saab RBS 70NG

A situação pré-guerra e as perspectivas da Força de Blindados da Ucrânia

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Por Rodolfo Queiroz Laterza*

Até o início do conflito militar com a Rússia, iniciado em 24/02/2022, a Ucrânia tinha as forças de blindados mais poderosas da Europa. Como parte de uma série de grandes formações, havia várias centenas de blindados de diferentes modelos, com modernizações no inventário da frota existente e a tentativa de criação de novos modelos.

Como já era esperado, as formações de blindados ucranianos tornaram-se um dos alvos prioritários das forças russas, sofrendo grandes perdas, não sendo possível restaurar seus números e potencial anteriores com urgência. Kiev então apelou para os EUA e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) para que lhe fornecessem blindados para continuar lutando.

Estrutura das brigadas de blindados nas Forças Armadas da Ucrânia

A imagem atual das forças de blindados ucranianos, bem como das forças terrestres em geral, foi formada como resultado de várias reformas nas últimas décadas. O resultado foi o abandono da antiga estrutura organizacional soviética baseada em divisões e a transição para o modelo brigada e força tarefa.

Atualmente a principal formação das forças de blindados ucranianos é a brigada. A composição típica de tal formação inclui um centro de comando, três batalhões de blindados, unidades mecanizadas, de artilharia e de apoio. Além disso, no âmbito das forças terrestres existem batalhões de blindados agregados às brigadas mecanizadas.

No momento atual, as forças terrestres ucranianas incluem quatro brigadas de blindados e duas de reserva. Existem batalhões de blindados ou companhias separadas em 10-11 brigadas mecanizadas.  Além disso, existem batalhões de blindados no Corpo de Fuzileiros Navais e na Guarda Nacional, em que se integram formalmente os Batalhões Nacionalistas como Azov, Kraken, Dnieper 1, Dnieper 2, dentre outras formações armadas originalmente paramilitares.

Ordem de batalha pré-guerra das formações de MBTs da Ucrânia

Um batalhão de blindados ucraniano no estado padrão tem cerca de 50 blindados de um modelo ou outro. Assim, a composição típica da brigada prevê a presença de aproximadamente 150 carros de combate. No entanto, atualmente, o número real pode ser menor, devido à falta de equipamentos decorrente do combate, defeitos e destruições pelas forças russas.

Na região de Chernihiv, no norte da Ucrânia, a 1ª Brigada de blindados separada (1 brigada) está desdobrada. Esta formação tem os três batalhões padrão de blindados. Em serviço estavam versões antigas e modernizadas do MBT T-64 com várias modificações. Em particular, a brigada era a única operadora dos mais modernos T-64BM Bulat.

A 3ª brigada estava estacionada na região de Khmelnytsky, a 4ª Brigada foi implantada na região de Chernihiv e a 17ª Brigada estava estacionada na cidade de Krivoy Rog. Essas formações têm uma estrutura regular. Ao mesmo tempo, essas unidades tiveram que ser equipadas com uma frota mista. Os blindados T-64 com várias modificações ainda estão simultaneamente em serviço, assim como várias versões do T-72 e T-80, embora em número bastante inferior ao quantitativo vigente antes do início do conflito.

A reserva operacional inclui a 5ª e a 14ª Brigadas de Blindados separadas. Foi relatado que elas não diferem de outras unidades em termos de estrutura. Além disso, foi utilizada uma abordagem semelhante para aquisição de equipamentos, em que blindados mais antigos foram transferidos para as brigadas de reserva, uma vez que eram de interesse limitado para formações da linha de batalha.

Ademais, duas brigadas de fuzileiros navais tinham dois batalhões com blindados T-64BV e T-80BV. A composição exata das unidades de blindados da Guarda Nacional não é conhecida. Essas unidades receberam equipamentos de vários tipos que ainda servem nos variados batalhões paramilitares.

De acordo com o livro de referência The Military Balance 2022, no início deste ano, as unidades do exército ucraniano tinham aproximadamente 930 blindados de vários modelos em condições operacionais e mais de 1.100 unidades na reserva. Também deve ser lembrado que centenas de blindados de vários tipos e modificações estavam possivelmente presentes no armazenamento para fins de canibalização, reposição de peças sobressalentes ou mesmo sucata.

https://militarywatchmagazine.com/article/t-64-battle-tank-why-ukraine-is-the-only-country-relying-on-this-soviet-era-powerhouse

O modelo em maior número da frota era o MBT T-64BV. Havia 660 desses carros de combate, das quais 235 passaram por reparos e modernização regulares nos últimos anos. O número de novos T-64BMs foi estimado em 100 unidades. Além disso, havia 133 blindados T-72 de diferentes versões e menos de 30 T-80BV estavam operacionais. Havia apenas alguns T-84 Oplots anunciados a serem incorporados.

https://militarywatchmagazine.com/article/t-84-and-t-80ud-no-shows-for-war-why-ukraine-s-best-tanks-are-nowhere-to-be-seen-as-russia-advances

Como a Ucrânia usa predominante o blindado T-64, iremos focar neste artigo a análise técnica deste vetor de combate.

O T-64 nas versões modernizadas, como na versão BM, foi projetado para atender às características técnicas e de combate de um blindado moderno. Com uma tripulação de três soldados, tem um peso de combate de 45 toneladas. A versão BM Bulat tem velocidade máxima de 70km/h e autonomia de 385km.

O T-64 original é um blindado soviético que entrou em serviço durante a década de 1960. Os blindados foram posteriormente atualizados e modernizados na Ucrânia. O projeto conceitual do T-64 foi usado mais tarde para vários blindados soviéticos, incluindo os MBTs T-72, T-80 e T-84.

O blindado T-64B original foi desenvolvido em 1976 e sua produção começou em 1980. A versão Bulat atualizada do T-64B foi revelada em 1999. Os primeiros blindados atualizados entraram em serviço nas UAF, em 2005.

O programa de modernização, transformando MBTs T-64 em MBTs BM Bulat, concentrou-se na melhoria de seu poder de fogo, mobilidade e proteção.

As miras e dispositivos de mira atualizados incluem um sistema de visão noturna Buran-E para detecção, identificação e engajamento de alvos, e um TKN-4S, o sistema de mira para o comandante do blindado.

O trabalho de modernização incluiu a instalação de uma mira 1G46M e um sistema de visão noturna TO1-KO1ER ou termovisor Buran-Catherine para o artilheiro, algumas unidades estabilizadoras de armamento principal 2E42M, um computador balístico de blindado 1V528-1, um sistema de armas guiadas TAKO-621, um sistema de controle 1ETs29M para metralhadoras antiaéreas e um sistema de observação e mira PNK-5SR.

O blindado de batalha está armado com um canhão de cano liso de 125 mm com carregador automático para 28 munições. Tem um alcance de tiro totalmente estabilizado de 2.500m à luz do dia e 1.500m à noite. Ele pode disparar mísseis anti-blindagem 9K120 Refleks (AT-11 Sniper) – um sistema de mísseis guiados a laser de calibre 125mm de duas partes.

Uma metralhadora antiaérea de 12,7 mm operada remotamente com uma mira PZU-7 e uma metralhadora coaxial de 7,62 mm compõem o armamento secundário do veículo.

O blindado BM Bulat possui blindagem composta para a torre e a frente do casco. Os painéis modulares ERA são instalados no casco do blindado, torre, perímetro externo e teto da torre como um pacote de blindagem adicional. Esta armadura aumenta a proteção contra armas NBC, armas de energia cinética, granadas anti-blindado e os projéteis sabot de descarte estabilizados com barbatanas perfurantes. Os principais componentes do pacote de proteção incluem blindagem reativa explosiva Nozh (ERA) passiva e embutida, um sistema de defesa ativo.

Um novo sistema de supressão de incêndio 1A45 Irtysh foi instalado no blindado BM Bulat. É um sistema de controle de incêndio de ação rápida para proteção dos compartimentos da tripulação e do pacote de energia.

Os componentes incluem sensores de calor e ópticos, equipamentos de controle e garrafas de mistura de extinção de incêndio. O sistema de supressão de incêndio diminui o tempo de resposta do compartimento da tripulação para 150ms.

A versão anterior do blindado usava um motor 5TDF. O blindado modernizado é alimentado por um motor diesel 5TDFM que produz 850cv. Ele também pode usar um motor diesel 6TD-1 para produzir 1.000 hp. O sistema de exaustão e o filtro de ar também foram redesenhados. O 5TDFM é um motor de dois tempos, cinco cilindros, refrigerado a líquido com superalimentação de turbina a gás.

Neste contexto, até o início deste ano, as forças de blindados ucranianos tinham várias características qualitativas que permitiam ser distinguidos por um grande número e, nesse aspecto, superando a grande maioria dos países europeus e asiáticos. Além disso, possuíam um grande estoque de equipamentos potencialmente adequados para modernização, recuperação e retorno ao serviço.

No entanto, também houve tendências negativas. Assim, a frota de blindados consistia também em equipamentos antigos e obsoletos, como as versões antigas do T-64 e T-80 não modernizados. Além disso, nem todos os veículos na reserva estavam prontos para operação de combate. Como se viu, também houve problemas ao longo da linha de reserva – as brigadas correspondentes não atenderam aos requisitos necessários de prontidão e só podem operar com sucesso na retaguarda profunda, nas linhas de defesa subjacentes a grandes fortificações.

https://commons.wikimedia.org/wiki/T-80_tanks_in_Ukrainian_service#/media/File:Best_tank_platoon_of_UAF_competition,_Ukraine_2019,_01.jpg

MBTs ucranianos na guerra contra a Rússia

Como se sabe agora, as brigadas de blindados ucranianos estavam se preparando para um conflito de média intensidade no Donbas no início do ano. No entanto, em 24 de fevereiro, a ação militar russa começou e todas as unidades de blindados tiveram que ser usadas nas inúmeras linhas de defesa. Também foi relatado o desdobramento para o combate de outras formações.

Neste sentido, a 1ª Brigada estava no teatro de operações de Kiev em fevereiro-março, foi transferida para o Donbass. Logo depois ela foi levada para pausa operacional (reabastecimento, manutenção e recompletamento), e no verão a respectiva unidade foi desdobrada na região de Zaporozhye. A 3ª e 4ª Brigadas de Blindados, inicialmente, foram empenhadas no teatro de operação de Donbass. Agora, o que restou dessas brigadas na região de Kharkov foram remanejadas para as linhas de defesa de Seversk-Bahmut. Quanto à 17ª Brigada, operou no teatro de operações sul e agora está na desdobrada na zona de ação de Kherson e áreas próximas.

No início de agosto, a agência Stratfor chamou a atenção para duas brigadas da reserva do Exército Ucraniano sobre o tipo de missão que estavam desempenhando e as características dessas unidades. Assim, a 5ª Brigada da Reserva estava desdobrada no teatro de operações de Odessa e se preparava para repelir o ataque anfíbio. Tendo recebido mísseis antinavio, a Ucrânia não temia o desembarque de fuzileiros navais russos – e há uma oportunidade de transferir blindados para uma direção mais importante. No entanto, isso não aconteceu. Nada mais foi relatado sobre as ações da 14ª Brigada.

A Stratfor assume ainda que as duas brigadas de reserva, pelo menos, não correspondem ao número e equipamentos declarados. É provável que eles realmente existam apenas no papel e não estejam operacionais.

https://www.19fortyfive.com/2022/04/ukraine-is-using-its-own-unique-t-72-tanks-to-fight-russia/

A polêmica estimativa sobre perdas de MBTs em combate na guerra da Ucrânia

Os blindados foram alvos prioritários para ambos os exércitos desde o início do conflito militar.  As perdas declaradas pelo Ministério da Defesa da Rússia se situam em mais 4.354 MBTs e blindados de todos os tipos, ao passo que o Ministério da Defesa da Ucrânia relata a destruição de quase 1.900 MBT russos e quase 4.700 blindados de combate de variados modelos

Ambos os números de perdas estão bastante inflados e exagerados na guerra de propaganda que envolve o conflito, no qual Rússia e Ucrânia apresentam tais números no contexto de elevação de moral e para fomentar sentimentos de vitória na psicologia coletiva de suas sociedades. Mais que a verdade em si, o que importa é a narrativa e a construção de uma imagem coerente – seja uma defesa implacável e sempre vitoriosa, no caso da Ucrânia; seja uma operação militar especial bem-sucedida e eficaz com os meios limitados empregados, no caso da Rússia. Por isso é essencial máxima cautela ao levar em consideração esses dados na formulação de estudos e análises de cenários, sob pena de vieses condicionarem conclusões igualmente parciais.

A grande mídia procura usar como referência o site de compilação de fontes abertas Oryx , enquanto que parte da mídia russa utiliza os dados fornecidos pelo projeto Lost Armor, com mesma característica e metodologia aberta do primeiro. Apesar de haver razoável quantidade de dados verossímeis, ambos não realizam filtros críticos de declarações e imagens entregues por fontes abertas ou anônimas, não havendo rigor factual quanto às circunstâncias de tempo e local do sinistro.

Ambos os portais alegam que contabilizam somente perdas confirmadas por foto e vídeo.

https://www.aa.com.tr/en/russia-ukraine-war/russia-says-hits-tank-repair-factory-in-kyiv/2565284

Ademais, o Exército Russo, especialmente na primeira metade do conflito, não realizou nenhuma gravação de fotos e vídeos por determinação do alto comando, não publicando ou filmando os próprios militares em combate, dificultando análise real de contextos de perdas e sobrevivência.

O Oryx provou-se ser extremamente tendencioso na checagem independente por vários analistas militares, sendo verificadas situações repetidas do mesmo blindado destruído em até 5 vezes, em diferentes vídeos de fotos. Quantos foram derrotados pela aviação e artilharia com mísseis geralmente também não é conhecido. O Lost Armour é extremamente enviesado em compilar perdas ucranianas, recusando -se a contabilizar as perdas russas.

Entretanto, é cediço que tanto as forças russas quanto as ucranianas tiveram perdas muito grandes em blindados nesse conflito e há razões objetivas para tal, as quais sintetizamos:

  • Um grande número de veículos antigos em más condições técnicas empregados por ambos exércitos;
  • Uso tático malsucedido por ambas forças em conflito, como formação de amplas colunas lentas e enfileiradas em áreas abertas; emprego de blindados em áreas arborizadas sem o apoio da infantaria; uso isolado de blindados em áreas densamente povoadas.
  • Uma abundância de armas anti-blindado modernas por parte de ambas forças em conflito.

Em 17/06/2022, o Ministério da Defesa da Ucrânia anunciou sua versão sobre as perdas das Forças Armadas da Ucrânia em equipamentos durante a condução da guerra contra a Rússia.

O vice-ministro da Defesa, Vladimir Karpenko, em entrevista à revista ucraniana “Defesa Nacional” mencionou:

“Estou falando apenas de armas pesadas. Hoje temos cerca de 30-40, e às vezes até 50% da perda de equipamentos como resultado de batalhas ativas. Assim, perdemos cerca de 50%. … Cerca de 1.300 veículos de combate de infantaria, 400 blindados, 700 sistemas de artilharia foram perdidos”. Segundo o general, a Ucrânia recebeu uma “grande quantidade” de armas, mas, segundo ele, elas cobrem de 10 a 15% das necessidades das forças ucranianas.

Assim, as perdas totais das formações ucranianas são de pelo menos 400 blindados de acordo com declaração de junho do próprio vice-ministro da Defesa, correspondendo a mais de 40% do número de unidades de blindados da lista conhecida no início do ano. Ao mesmo tempo, deve-se lembrar que em um conflito de alta intensidade é usual perdas de blindados por defeitos mecânicos ou má utilização, independente do exército empregado, sendo o volume de tais tipos de perdas maior, quando há menor prontidão e manutenção do inventário.  Assim, a proporção de perdas entre os blindados prontos para o combate é ainda maior.

As perdas declaradas equivalem a três brigadas de blindados, o que afeta o desempenho geral e as capacidades das forças terrestres ucranianas para realização de ofensivas viáveis.

https://mezha.media/en/2022/07/25/polish-tanks-pt-91-twardy-are-in-ukraine/

Entretanto, deve-se lembrar que, nos últimos meses, a Ucrânia não apenas perdeu blindados, mas também os recebeu. Vários países estrangeiros forneceram assistência na forma de um grande número desses equipamentos. Então, em março-abril, a Polônia entregou 230 blindados T-72 de antigas versões ao regime de Kyiv.

Recentemente, foi anunciado que cerca de 238 PT-91 poloneses seriam entregues em breve. Além disso, diferentes números de blindados foram transferidos para a Ucrânia pela República Tcheca e pela Macedônia do Norte. A intenção de fornecer blindados foi expressa por países terceiros.

Especificamente o fornecimento de PT-91 poloneses em número superior a 200 unidades, com treinamento e logística adequadas, poderiam dar suporte à contraofensiva ucraniana limitada, uma vez que se trata de um MBT com bons atributos de combate. Em uma breve análise, podemos firmar que o MBT PT-91 foi o principal blindado de batalha do exército polonês desenvolvido com base no blindado soviético T-72M2.

Em 1995, este blindado entrou em serviço com as Forças Terrestres da Polônia e estima-se que tenham sido produzido pouco mais de 280 unidades. Polônia, Malásia, Geórgia e Índia são operadores atuais deste blindado. O PT-91 tem uma tripulação de três membros. O blindado pesa cerca de 46 toneladas, 6,95 m de comprimento, 9,67 com o cano na posição de avanço.

A blindagem é composta da seguinte forma: blindagem composta; blindagem frontal e lateral laminada; blindagem frontal, lateral e superior traseira Erawa-1 / Erawa-2 ERA e telas anticumulativas laterais de aço. Emprega como arma principal um canhão de 125 mm 2A46 (D-81TM), 42 granadas e, além dela, há uma metralhadora coaxial de uso geral PKT de 7,62 mm integrada (2.000 munições) e uma metralhadora pesada NSVT de 12,7 mm (300 munições.

https://www.19fortyfive.com/2022/06/ukraine-has-deployed-its-t-84-oplot-tanks-to-donbas-front/

Considerações finais

A ajuda externa na forma de blindados soviéticos, geralmente, não melhora a situação da Ucrânia. Apenas são fornecidos veículos de combate antigos e obsoletos com características limitadas, que não são um alvo difícil para as armas russas. Já se sabe sobre a destruição de antigos blindados poloneses e tchecos – e as perdas entre esses equipamentos continuarão a crescer.

Com tudo isso, as possibilidades de reposição de perdas são reduzidas. Como resultado dos ataques russos, principalmente, de concentrações de artilharia e da aviação, a Ucrânia praticamente perdeu a capacidade de produção, reparo e modernização de veículos blindados. Entregas em massa do exterior não podem mais ser esperadas: fornecedores potenciais doaram quase todos os blindados que poderiam compartilhar sem se prejudicar e a logística se tornou extremamente difícil, devido a ampla variedade de equipamentos de diferentes origens fornecidos no esforço bilionário de assistência militar dos membros da OTAN.

No caso, específico dos blindados, a logística é ainda mais complexa, pois se faz necessária a efetividade de uma cadeia intermodal, envolvendo centenas de peças de reposição, funcionamento de várias bases de reparos, substituição de canos dos canhões, combustível, mecânica do motor, máquinas e ferramentas especiais, sobressalentes e mão de obra especializada para a manutenção regular e recuperação das unidades mais danificadas.

Apesar da ajuda do exterior, o número de unidades e formações diminuirá gradualmente e, com isso, a capacidade de combate continuará caindo.

Além disso, o problema maior atual do exército ucraniano continua sendo a manutenção da capacidade de combate do material entregue pela OTAN, tendo em vista a complexidade logística inerente a sistemas de combate muito variados em mecânica, aviônicos e peças.

Como resultado, a falta da quantidade total de equipamentos e de mão de obra suficientemente treinada é acompanhada por uma diminuição na prontidão de combate que permita a deflagração de uma contraofensiva factível, sendo mais úteis em formações defensivas que obliterem ofensivas russas.


*Delegado de Polícia, historiador, pesquisador de temas ligados a conflitos armados e geopolítica, Mestre em Segurança Pública

Fontes consultadas:

- Advertisement -

146 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

146 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

Os dois únicos MBTs de todos que estão participando do conflito e que não da pra tirar uma conclusão final do desempenho deles é o T-90M Russo e o T-84 Oplot Ucraniano e digo isso porque os números usados no campo de batalha foram extremamente limitados pra se ter uma ideia a ucrânia não tinha mais do que 6 Oplots em operação. talvez tenham forçados mais alguns ficarem prontos durante o conflito mas igual aos T-90M eu duvido que mais do que algumas dezenas tenham sido enviados para o fronte. Já os T-72B3 e B3 Obj 2016 (que são o… Read more »

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Um Off Topic aqui, para se ter ciência do EB. CORE 22 Para aqueles q acham q somos amigos dos EUA, estamos compartilhando muito. Para os que acham q os EUA são ameaça, estamos sendo dissuasórios. Para os q sabem q ninguem é amigo de ninguem e só há interesses, as duas coisas. Parcial da Participação da Cia CORE (da Bda Inf Amv) na certificação nos EUA: – Única SU que conseguiu matar o Cmt Btl Gerônimo em 15 anos, – Única SU a capturar uma Vtr Tática do Ini em 4 anos, – Única SU a atravessar o Vau… Read more »

Velame
Velame
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Parabéns ao pessoal do 5° BIL! Nosso Exército sempre se superando e mostrando do que somos feitos! Brasil Acima de Tudo!

Pablo
Pablo
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

parabéns pelo desempenho , mas que pena que essa excelência é uma fração bem pequena do nosso exercito , portanto não se iludam como foi a ilusão de uma red flag onde f-5 foram letais , ah minha nossa parem com essa asneira , estamos mal bem mal

Rudi PY3TO
Rudi PY3TO
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Bom , e tripulação para esses tanques? tripulação treinada! isso não se vê falar!

Nemo
Nemo
1 mês atrás

Parabéns pelo texto.

naval762
naval762
1 mês atrás

Enquanto a Rússia não declarar guerra, formalmente, a Ucrânia tem chance de se manter um país independente. Se os russos declararem guerra, terão ao seu dispor todo o seu poderio bélico, sem limitações de ordem política, aí os ucranianos vão se ver no mato sem OTAN.

Last edited 1 mês atrás by naval762
Rogério
Rogério
Reply to  naval762
1 mês atrás

Claro, será a Grande Guerra Patriotica 2022. Putin jogou fora todo crescimento economico q a Russia teve em 10 anos, acho que o territorio russo sera dividido em canatos novamente.

Rogério
Rogério
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Só lembrando que a Guerra do Afeganistão ajudou a colapsar a economia da URSS, que tinha uma economia maior que a da atual Russia

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Rogério
1 mês atrás

A economia era maior más era desbalanceada e distribuída por todos os países do bloco soviético. Situação diferente da Rússia de hoje, capitalista e sem a obrigação de distribuir para terceiros países.

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Você esta há 2 meses falando que o Putin iria cair e seria assassinado.

Agora a nova previsão é que a Rússia vai ser dividida e colapsar?

Frei Galvao
Frei Galvao
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Focar o presente dói a vista nao. Vejo a Ucrânia se preparando para receber a retaguarda dos poloneses. Força a esse povo guerreiro, Ao povo russo espero que consigam remover essa catarata dos olhos. Bela matéria, tanques na espera da oportunidade, agora é guerra de guerrilha

Last edited 1 mês atrás by Frei Galvao
Patrício
Patrício
Reply to  Rogério
1 mês atrás

A Rússia está simplesmente destruindo a economia européia em geral e a alemã em particular.
Hoje, o euro fechou a 0.99 em relação ao dólar e os economistas estão considerando que é o início de uma grande queda.
Falar o quê?
Bem feito.
Foram seguir o patrãozinho americano e se esborracharam.
Jogada de gênio de Putin.
E não duvide que ele vai desmantelar a OTAN

Patrício
Patrício
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Valor Econômico
23/08/22 às 00:30 h

‘Euro na mínima de duas décadas é apenas sinal de uma queda mais profunda, dizem especialistas.’

Gosto muito quando encontro reportagem online justo na hora de contradizer pontos de vistas equivocados de outros foristas.

Luciano
Reply to  Patrício
1 mês atrás

“E não duvide que ele vai desmantelar a OTAN”
kkkkkk, a Otan está mais unida do que nunca, inclusive com 2 membros novos em breve, mais fácil a Rússia se desmantelar.

Henrique
Henrique
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Só a Rússia declarar guerra que elas se desmantela sozinha

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Segundo vocês era para o Putin já ter caído há 2 meses. Na espera ainda. Rs.

Luciano
Reply to  Erick Barros
1 mês atrás

Era para ele ter tomado Kiev em 2 semanas. Na espera ainda. Rs.

Patrício
Patrício
Reply to  Luciano
1 mês atrás

O problema de tomar Kiev em duas semanas era ‘desmilitarizar’ pouco a Ucrânia.
Se é que vc me entende.
Desmilitarizar significa, até agora, 60 mil militares ucranianos mortos e mais de 100 mil feridos gravemente.

Patrício
Patrício
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Se vc não entendeu, isso é desmilitarizar.
Trabalho da artilharia russa nas posições inimigas.
Desastre total para o inimigo.

https://t.me/partizan1941/30412

Leandro
Leandro
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Trabalho de artilharia é na ponte antonovisk…viste?coisa triste pra Rússia

Marcelo
Marcelo
Reply to  naval762
1 mês atrás

Três problemas: 1) uma declaração de guerra da Rússia contra a Ucrânia será a assinatura da incompetência militar por parte da Rússia; 2) a Rússia vai ter que realocar armamento de outros territórios e da reserva, reduzindo as capacidades militares locais e futura; 3) você acha mesmo que a Rússia já não está tentando deslocar novos contingentes militares em segredo? A Operação Militar Especial da Rússia na Ucrânia já dura 6 (seis) meses. A Rússia ja não consegue avançar mais no leste e corre o risco de sofrer uma conta ofensiva no sul da Ucrânia. Até a Criméia já foi… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
1 mês atrás

Ué, mas os ucros não estavam ganhando? não entendi.

Andre
Reply to  100nick-Elã
1 mês atrás

Essas duas semanas estão demorando para passar

Patrício
Patrício
Reply to  Andre
1 mês atrás

Fale isso para as dezenas de milhares de soldados ucranianos que estão entocados em trincheiras sendo bombardeados pelos russos e esperando a morte chegar.
Só que quando o canhão chega, a morte vem rápido.

Daniel
Reply to  Patrício
1 mês atrás

eta puxa saco dos russos…

Patrício
Patrício
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Pequeníssima amostra de uma barragem de foguetes russos.
Queria ver os sistemas ocidentais e o israelense barrar isso.
Agora imagine isso em uma guerra total multiplicado por 10 ou 20.
Dá não.

https://t.me/intelslava/35887

Agressor's
Agressor's
1 mês atrás

Tanques contra drones. Advinha quem ganha?

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Os tanques de guerra e os veículos blindados, de modo geral, são presas fáceis no campo de batalha. Os mísseis anticarro, os drones e os projéteis de artilharia guiados estão promovendo destruição em massa desse tipo de veículo de combate em ambos os lados no conflito da Ucrânia. Mesmo com apoio de soldados da infantaria não é possível evitar os ataques a longa distância. Já não bastasse tudo isso de ruim, os tanques de guerra soviéticos/russo até o T-90 possuem um erro de projeto que coloca a tripulação em contato direto com os projéteis, que explodem ao impacto das armas… Read more »

gordo
gordo
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

“… um erro de projeto que coloca a tripulação em contato direto com os projéteis, que explodem ao impacto das armas anticarro”… Me pergunto sobre essa questão, que por sinal é bem ilustrada pelas guerras que esses MBTs citados passaram, o quanto isso faz diferença. Supondo que fosse um MBT alemão contemporâneo atingido quão maior é a chance de sobrevivência da tripulação. Os engenheiros soviéticos/Russos não são ingênuos e talvez o “show” proporcionado pela torre voando acabe meio que contaminado a análise. Quantas tripulações iriam sobreviver se esses MBTs tivessem um outro tipo de paiol para a munição, quantas sobreviveriam… Read more »

Astolfo
Astolfo
Reply to  gordo
1 mês atrás

Se não há diferença, porque o próprio Armata russo mudou o paradigma de posicionamento do paiol para aumentar a sobrevivência da tripulação? Se não há diferença, porque os engenheiros americanos, alemães e franceses se esforçam em posicionar o paiol dos seus tanques de forma a tentar proteger mais a tripulação se isso é mais oneroso, exige mais espaço e é menos prático do que o projeto russo dos T72/T80/T90 e similares?

Camillo
Camillo
1 mês atrás

“Até o início do conflito militar com a Rússia, iniciado em 24/02/2022, a Ucrânia tinha as forças de blindados mais poderosas da Europa”, mas de acordo com a mídia controlada pelo Ocidente a Ucrânia seria um país fraco militarmente, assim criando uma imagem de fraqueza da Rússia que não derrotou rapidamente um exército fraco.

Sentinela
Sentinela
Reply to  Camillo
1 mês atrás

Excelente analise, cara. 930 tanques operacionais, T-64 modernizados, 1100 na reserva, fonte de informação do Ocidente, o Military Balance e muitos mickeyzinhos querendo negar essa realidade. Imagina uma Alemanha, Reino Unido ou Itália enfrentando uma máquina de guerra dessa.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

A maior força ” blindada é a Turquia.

Alberto
Alberto
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Turquia fica na Ásia, tem apenas um pequeno pedaço de território na Europa fruto ainda do domínio do Império Otomano nos Balcãs.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Alberto
1 mês atrás

Depende , OTAN e Europa pra mim não muda nada …a Ucrania está na Europa mas não está na OTAN .

Alberto
Alberto
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Geografia…

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

T-64 modernizados” kkkkkk. Piada do século … Agora fico imaginando uma Siemens ,uma MTU ,uma BMW , uma Kuka no esforço de guerra … Kuka e “chinesa ” agora né? … patético….fico imaginando mesmo uma Alemanha uma Inglaterra e uma Itália enfrentando o “poder russo “….ahahahahaha

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

T-64 modernizado é superior ao Leopard 1A5 do EB. Rs.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Erick Barros
1 mês atrás

A sim claro , teve uma matéria antes de 2014 com seguinte título ” generais russos preferem o leopard” então pesquise né .

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Tratado de Brest Litoviski a vista .

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Fico imaginando o arrependimento dos “aliados” não terem deixado a Alemanha terminar o serviço em 1945 .

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Paton deve estar se remoendo no túmulo ..

Patrício
Patrício
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Paton seria presa fácil para Zukhov, o maior General da guerra.
Destruiu a Wermacht que, em seu apogeu, era muito maior e mais poderosa que o Exército americano.

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Terminar como tentou em Berlim?

T.H
T.H
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

“…não terem deixado a Alemanha terminar o serviço em 1945″. Talvez a burrice do seu Führer não lhes permitiu, mas isso terminou e terminaria, de qualquer forma, com a bandeira soviética sobre o Reichstag, inevitavelmente.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  T.H
1 mês atrás

Burros foram os aliados , se deixasse a Alemanha livre para terminar o serviço teu putino nem existiria.

Rogério
Rogério
Reply to  Camillo
1 mês atrás

A superioridade da Russia sempre foi contabilizada em 10 pra 1 então……

Sentinela
Sentinela
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Cara, a Rússia tinha em torno de 2800 tanques operacionais no início desse conflito e mais de 10.000 na reserva. Mas o pessoal esquece que o país não mobiliza isso tudo para um conflito militar limitado como o da Ucrania, considerando ter riscos de mais conflito no Ártico, na Ásia e na fronteira ocidental contra a Otan. Seria uma estupidez Estratégica. Os 930 tanques da Ucrânia mais 1100 da reserva foram até em.maior quantidade que os que a Rússia mobilizou. E como o artigo fala, a Ucrânia era uma das forças mais poderosas, tá lá no Military Balance. Barra pesada… Read more »

Rogério
Rogério
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

poe na conta de quem planejou tudo isso, desde o começo se fala em artilharia jogando 50 mil projeteis diarios contra 4 mil da Ucrania, Z que espanca U apanha, agora com o fronte congelado ha 3 meses vem essa conversa de maior força da europa.
Ucrania nem marinha tinha, força aerea com menos de 100 caças operacionais , sendo todos da era sovietica.
A Russia era sim muito mais forte que a Ucrania, mas foi incompetente.

Sentinela
Sentinela
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Cara, segura tua torcida e análise desqualificada. A Ucrania não tinha 100 caças, mas cerca de 168. A Marinha era o ponto vulnerável mas a guerra é terrestre e você negar a lógica do artigo e das fontes dele mostra que não tem mínima capacidade nem de aprender. Ficar nesse blá blá bla de Ucrania fraca é cair no ridículo. Então todos os Estudos aí são fake, teu achismo despreparado que vale. Antes a Rússia fosse isso tudo que vocês mickeyzinhos tentam achar. Compara com a ex URSS, mas para você se aprofundar é a mesma coisa que pedir o… Read more »

Rogério
Rogério
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Até hj tem politico russo dizendo que vai invadir Estonia por isso, Lituania por aquilo, Polonia que se cuide, Otan vai sofrer consequencias e vc me diz que eles não se acham super potencia?

Sentinela
Sentinela
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Essa histeria de invasão russa é a maior papagaiada que a mídia ocidental repete, quando não passa de narrativa desses países para manter as bases e apoio da otan. Se a Rússia invadisse um país desse era Terceira Guerra Mundial que não interessa a ninguém. Basta entender o mínimo de como funciona o artigo 5 da Otan. É ser muito limitado trazer um argumento desse como réplica. Chega a ser cômico

Rogério
Rogério
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Cara, vc que é limitado e desinformado, só estou repetindo a retorica do Lavrov, Medvedev e um monte de i d i o t a s russos que sugeriram atacar a Lituania por causa do bloqueio de Kaliningrado, a Inglaterra pelos envios de armas e a Estonia para defender os russofonicos. Todos eles achando a Russia uma super potencia, ate frases do tipo “inundar a Inglaterra de lama” foi dito, então…..

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Sentinela

Está no outro oposto do q julga estar o colega….

Sentinela
Sentinela
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Fronte congelado há três meses? É realmente estar ou muito desinformado ou é alienação total. A Rússia avançou recentemente em Kharkhiv, desde junho além de toda área de Zolote e Severodonetsk, tomou a Usina Termelétrica de Uglegorsk e as áreas adjacentes, a Fortaleza de Pesky e isso com um efetivo de 200 mil no máximo contra 700.000 e bilhões em armas do Ocidente. Vai se informar o mínimo antes de falar baboseira.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Já está a acordar para a realidade?
Já anda à procura de justificações para a derrota?

Desde Severodonetsk que não fazem novas ofensivas.

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Sentinela
Sentinela
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Você está totalmente por fora, para variar. Caramba, não acompanha o básico para falar um absurdo desse. Vá pesquisar as mudanças no front de Marynka a Bahmut, passando pela Usina Termelétrica de Uglegorsk e adjacentes. Tem que ou ser muito incapaz ou alienado para falar uma estupidez dessa. Olha que até te elogiei um pouco num comentário abaixo. Não fico que nem torcedor frustrado como vc, analiso o conflito com foco na realidade militar complicada que é – coisa que alguém muito limitado como vc não compreende e fala essas asneiras. Não à toa teve a desfaçatez de defender guerra… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Se estou fora coloque aí os avanços Russos, que numa linha de centenas ou milhares de km’s, foram mais do que algumas dezenas de metros diários nas últimas semanas. Sem falar em grandes cidades. Se está a referir à intervenção da OTAN nos Balcãs, sim, foi uma guerra justificada. Até porque a Rússia tentou usar os mesmos argumento para justificar esta invasão. O problema é que é tudo baseado numa mentira. Já estão num nível de alucinação tal em que já nem se preocupam em arranjar ou criarem cenários minimamente credíveis. E não venha com esse discurso infantil de acusar… Read more »

Sentinela
Sentinela
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Exatamente. Tudo é baseado em mentira – Inclusive suas análises vergonhosas sobre guerra justificada da Otan. Discurso infantil? Olha teus comentários diários, suas provocações sem embasamento técnico. Repetindo: você é dos mais despreparados aqui. Até como torcedor pró OTAN e anti Rússia.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Tenha vergonha. Houveram vários genocídios nas guerras dos Balcãs.

E o senhor não me conhece de lado nenhum. Pelo menos comporte-se como gente grande e não como uma criança.

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Você é um pró-OTAN sim Hcosta. É só ver o histórico de comentários seus. Intervenção da OTAN = bom. Intervenção russa = ruim.

Sobre os Balcãs: Ocorreram sim genocídios. Segundo a ONU também ocorreu no Leste da Ucrânia.

A diferença é que: Segundo a ONU, ambas as intervenções, tanto russa quanto da OTAN foram ilegais independente dos motivos pois violar a integridade territorial de um país sem aval do CS da ONU é crime.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Erick Barros
1 mês atrás

A guerra da Bósnia e Herzegovina teve, após alguns anos, a aprovação do CS. A do Kosovo não e com bons motivos.

E que genocídio foi esse reconhecido pela ONU na Ucrânia?

Raphael
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Houve e não houveram.
Péssimo nível cultural e técnico da grande maioria deste fórum.

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Raphael
1 mês atrás

E olha que ele é PORTUGUÊS. kkkk

Hcosta
Hcosta
Reply to  Raphael
1 mês atrás

É Rafael e não Raphael…

Teropode
Reply to  Raphael
1 mês atrás

Quem te elegeu fiscal da gramática , se recolha ao seu quadrado rapaz !

Sentinela
Sentinela
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Sua limitação é tão visível que não entende o mínimo da complexidade de um combate urbano em área industrial, a dificuldade de romper Barreiras em fortificações, a complexidade de se formar cercos com efetivo muito menor, de romper linhas de defesa em 3 níveis, de operações de assalto em infraestrutura crítica.

Cara, tudo isso ocorreu nas recentes batalhas mas você não vai conseguir assimilar . Porque está totalmente além da sua limitada capacidade, já mais que conhecida aqui.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

E continua…
Mas agora a desculpa é a complexidade do combate urbano. Amanhã vai ser porque está calor, depois porque está frio e no final a Rússia continua a não conseguir o que quer.
O que é a definição de perder…

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Se você justifica a intervenção da OTAN nos balcãs não há lógica em ser contra a Russa na Ucrânia.

Ambos usam do apelo a “genocídios étnicos” para impor seus objetivos geopolíticos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Erick Barros
1 mês atrás

Não há uma diferença entre parar o genocídio e a sua continuação? A OTAN só parou quando toda a população Sérvia fosse deslocada ou enterrada? E gostaria de saber onde ocorreu um genocídio antes de 2014 na Ucrânia… E qual é a lógica de evitar um genocídio com uma guerra desta violência? A cura é pior do que a doença… E tem mais um pormenor. Se a Rússia está assim tão preocupada com a população porque não pediu uma força de manutenção de paz? Como aconteceu nos Balcãs? Só se for daqueles que acredita que é uma guerra civil e… Read more »

Patrício
Patrício
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Dezenas de metros diários passando por cima de cadáveres de dezenas de ucranianos.
Como se diz: Cada enxadada é uma minhoca .

Daniel
Reply to  Patrício
1 mês atrás

o xings voltou….cara bom na loucura, viaja na maionese

Patrício
Patrício
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Exatamente assim.
Soldados aliados inspecionando trincheira ucraniana tomada.
Muitas baixas no inimigo.

https://t.me/intelslava/35921

E tenho outro vídeo que é pior que esse.
Para os ucranianos, é claro.

Rogério
Rogério
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

ain nao foram 3 meses foram 2 . Da na mesma, atolaram e pronto.

Sentinela
Sentinela
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Teu comentário é tão fraco que sequer entende como 1 mês faz diferença em um Conflito militar de alta intensidade.

Leia o mínimo sobre a mudança ampla que expliquei de junho para cá antes de vir com uma conclusão dessa

Daniel
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

super avançou, a russia já está em Berlin….cada um que aparece aqui…

Teropode
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Corretíssima análise , há farto material comprovando que a Ucrânia tava sucateada !

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

10.000 é conta de bar …

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Sentinela, bom dia. “considerando ter riscos de mais conflito no Ártico, na Ásia e na fronteira ocidental contra a Otan” isso tem sido posto como desculpa para a lambança q a Russia está fazendo. A vergonha q está passando. 1) Um Princípio de Guerra importantíssimo é Objetivo. Se ela está em guerra/conflito este deve ser o farol. As outras frentes, por motivos óbvios, agora, neste momento, são as frentes secundárias, e ainda há o fator nuclear, q é muito simples: “Estou em guerra, não avancem no meu flanco, ou usarei minhas armas nucleares”. Simples assim…. 2) No Ártico, a Russia… Read more »

Sentinela
Sentinela
Reply to  Rogério
1 mês atrás

E entendam que a Rússia não é a União Soviética. É uma potência militar mas não uma superpotência. A União Soviética era outra dimensão.

Rogério
Rogério
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

Agora eu entendo isso, mas antes a visão de todos, principalmente a deles mesmo, era de ser super potência

Sentinela
Sentinela
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Caramba, não vi nenhuma declaração do Kremilin até hoje dizendo que a Rússia era no nível da União Soviética. Ao contrário, vi revolta com o fim da superpotência de antes. Viajou você

Monarquista
Monarquista
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

“Se quiser, tomo Kiev em duas semanas!”
filho da Putin, Vladimir.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Os alemães colocaram essa conta em 8×1

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

8 soviéticos incluindo russos e 1 alemão tombado , é só pesquisar …isso na década de 40, imagina hoje com os aliados que a Rússia não tem ….rsrsrsrsr

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Na verdade, pela doutrina russa/soviética, eles precisam de 10×1, mas sempre se mantiveram em 5×3, o q levou ao colapso da economia na corrida armamentista. Com o fim da URSS, a OTAN diminuiu muito “esses 3” em efetivo, mas melhorou mais ainda a integração e letalidade dos meios, buscando, pelo menos um “2” em poder relativo. Já a Russia, perdeu muito “desses 5” q tinha, e não se sabe ainda, até hj, o quanto se manteve e quais as condições (vide agora pneus com mais de 30 anos e rações vencidas ha 20 anos) do q ficou. Fato é q… Read more »

dfa
dfa
Reply to  Camillo
1 mês atrás

“a Ucrânia tinha as Forças de blindados mais poderosas da Europa” Pois para mim, essa afirmação é desonesta e tenta forçar a barra para justificar o fracasso das forças russas. Estamos a falar de T64 e T72 de herança soviética que os Ucranianos possuem e modernizaram por não terem capacidade financeira de adquirir plataformas novas. E mesmo com os esforços de modernização dos melhores exemplares não deixam de ser equipamentos bastante ultrapassados em termos tecnológicos e de capacidade, quando comparados com o Leopardo 2A6 ou o Leclerc. O T84 é o modelo mais decente que os Ucranianos tem mas em… Read more »

Sentinela
Sentinela
Reply to  dfa
1 mês atrás

Então as fontes e o artigo estão abaixo da tua analise de torcedor? Pelo amor de Deus, tenha ao menos mínima humildade perante o estudo e as fontes trazidas. Cara tu nem conhece o T-64BV para falar tamanha insensatez e nem a capacidade do canhão de 125 mm . Não sabe sequer focar no porquê do prolongamento do conflito – baixo efetivo da Rússia e bilhões em armas do Ocidente.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

T-64BV * boca virgem ? Rsrsrsrsr

Sentinela
Sentinela
Reply to  dfa
1 mês atrás

Então as fontes e o artigo estão abaixo da tua analise de torcedor? Pelo amor de Deus, tenha ao menos mínima humildade perante o estudo e as fontes trazidas. Cara tu nem conhece o T-64BV para falar tamanha insensatez e nem a capacidade do canhão de 125 mm . Não sabe sequer focar no porquê do prolongamento do conflito – baixo efetivo da Rússia e bilhões em armas do Ocidente. Não é justificativa, mesmo os T-64 em grande número seriam capazes juntamente com a grande quantidade de artilharia e dezenas de milhares de sistemas antitanque e neutralizar forças blindadas mais… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camillo
1 mês atrás

A culpa é dos meios de comunicação ocidentais que levou ao engano Putin…

As Forças Armadas Ucranianas de 2014 não são as mesma de 2022. E tinham o mesmo número de blindados. Foi a ameaça Russa que as fizeram querer melhorar.
E com a ajuda da OTAN no treino e equipamentos mais tarde.

O número de blindados significa pouco. Basta comparar com o Iraque, com milhares de blindados e sem força Aérea, AA, comunicações eficazes, etc…

Sentinela
Sentinela
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Exceto pelo seu último parágrafo, mandou bem Sr Costa -Otan. As forças blindadas são um componente importante ainda e a Ucrânia tinha centenas de sistemas antiareos modernizadas e que impedirwn supremacia aérea da Rússia por um certo certo tempo

Hcosta
Hcosta
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

AA modernizadas? O Iraque também tinha…

Mas isso é incompetência da Rússia. Ou por falta de capacidade ou mesmo por burrice…

E até hoje ainda não o conseguiram. Porque será? Já poderiam ter mudado de estratégia…

Sentinela
Sentinela
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Você é muito fraco e até irracional nos teus comentários de torcedor anti Rússia. Passa vergonha e insiste. Até porque na vida real passaria vexame em um fórum de debates sobre assuntos militares. As baterias antiaereas iraquianas tiveram sérios problemas de jammers e não eram apenas soviéticas, mas também francesas. Se tem algo que a Rússia consegue estabelecer bem nesse conflito é defesa antiaerea em multicamadas contra grande parte dos drones, aviões de combate e foguetes lançados por MLRS, embora não sejam infalíveis e não interceptem todos porque qualquer sistema antiaereo não aguenta barragens de fogo sucessivas em salvas. Mas… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

O senhor é que tem razão. Até ao ponto de não saber a diferença entre uma defesa AA e SEAD’s. É tudo igual…

Nem consegue perceber a questão é de que a Ucrânia ainda tem uma defesa AA devido à incompetência Russa. Alguém falou das defesas AA Russas?

Mas continue assim. Só demonstra que afinal há pessoas menos informadas do que eu…

RAFAEL
RAFAEL
1 mês atrás

Pensei que nem guerra mais tinha. Um momento histórico passando diante nossos olhos e o trilogia postando texto de eventos kkk

Max
Max
Reply to  RAFAEL
1 mês atrás

Na verdade a Ucrania já chegou em Moscou, só estão esperando o Putin sair da UTI (está tratando o câncer dele) para prendé-lo…. kkkkk Alguém tem indicação de analistas de verdade em temas militares ? Blog de torcedores enjoa…

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

Queria que meu comentario fosse liberado 🙁

Leandro
Leandro
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Acabei de fazer um também… Fica tudo preso agora…

Hcosta
Hcosta
1 mês atrás
Up The Irons
Up The Irons
1 mês atrás

O Himars tá deitando e rolando!
A ponte de Kerch é a bola da vez e será posta no fundo do mar a qualquer momento. Até a conta do MoD Ucraniano no Twitter fez piada sobre o assunto!

a46pppwD_700w_0.jpg
Jefferson BA
Jefferson BA
1 mês atrás

Só sei que em uma guerra eu quero ficar em qualquer lugar, menos em veículos blindados.
Twitter esta lotado de vídeos de blindados russos sendo destruídos.
Ou você tem blindados de verdade com muita blindagem e defesa ativa ou não tem nada realmente útil quando analisamos um combate onde o adversário tem acesso a armas anti-tanque.
O texto acima vale para a Ucrânia e vale para a Rússia. Ambos tem praticamente os mesmos blindados.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Jefferson BA
1 mês atrás

Fora do blindado qualquer coisa no campo de batalha pode te matar: um projetil de fuzil ou metralhadora, uma granada, um morteiro, um estilhaço, uma mina. Dentro do blindado só uma arma antitanque pode te matar. Acredite, é muito melhor estar dentro do blindado. Tanto Russia quanto ucrania são muito bem equipados com blindados e tanques, se fosse o brasil em qualquer um dos lados dessa guerra já teria perdido uns 300 mil homens.

Fish
Fish
1 mês atrás

Excelente texto, parabéns a redação do FORTE.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

São análises como esta que poucas mídias tem compromisso em publicar.

Mgtow
Mgtow
1 mês atrás

Tenho visto o exército ucraniano utilizando hillux igual aquelas do isis.
A Rússia arrasou a força de blindados ucraniano.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Pois é acabaram as geladeiras, abelhas e outras coisas imbecis que mediastream pro nazotan produzia para os bots chapeletas de liga de Nb + Ai.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Excelente texto, com essa guerra aprendemos que manter um material obsoleto sempre foi custoso aos cofres públicos (administração de paz) porém fez muita falta quando precisou mobilizar a tropa reserva principalmente por parte da Ucrânia. Pensando em nosso exercito e partindo do principio que não serão todas brigadas motorizadas que serão transformadas em mecanizadas, acho muito errado doar urutus a países amigos, quando ainda temos batalhões motorizados onde o grosso da tropa ainda usa caminhões 5t como principal viatura de transporte de tropa… Conclui-se que ter uma fração de equipamentos reserva armazenada com o mínimo de manutenção para garantir condições… Read more »

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

Russia ocupou 25% do territorio ucraniano e destruiu o maior exercito da Europa.

Henrique
Henrique
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

e ainda assim ta tomando um pau da falida Ucrânia que não tem exercito e ainda ta desviando todo matéria que recebe da otan kkkkkk

Alois
Alois
1 mês atrás

Muito bom texto, parabéns, cabe lembrar agora que daqui a pouco começa o outono, muitas chuvas, e depois o inverno, a logística de ambos, que já demonstrou não ser boa, vai piorar.

Leandro
Leandro
1 mês atrás

O trilogia virou o fio ? Pois se os russian boys estão elogiando o artigo e dizendo que e diferente do que tem por ai é porque esta puxando o saco da Rússia

Sentinela
Sentinela
Reply to  Leandro
1 mês atrás

Pelo teu nível de raciocínio e conclusão se percebe como você é incapaz até de ler e aprender o mínimo.

leandro
leandro
Reply to  Sentinela
1 mês atrás

e pelo teu nivel de verborragia percebe-se que és um putinete que está nervoso com o avanço para tras da russia no dombass…ah o shoigu hoje de manhã disse que parou a ofensiva para não destruir cidades, depois de arrar mariupol, popasna e severodonestk…mais um gesto de boa vontade da russia…

Patrício
Patrício
Reply to  leandro
1 mês atrás

Parou?
Shoigu é tipo mineirinho.
Resumo
Os russos quebraram as defesas ucranianas em Kherson e se aproximam da cidade de Nikolaev
Das principais fortalezas inimigas, tomaram Peski, cerca de 3/4 de Mariinka e entraram em Adviika.
Em Soledar, ontem, tomaram as minas Gypsum e entraram no centro da cidade.
Em Artiomovsk, estão tomando Kodema para cercar a cidade.
Vc está acompanhando qual guerra?

leandro
leandro
Reply to  Patrício
1 mês atrás

não estou acompanhando pela Ria Novosti como tu com certeza…

Patrício
Patrício
1 mês atrás

Duas coisas certas.
Os blindados ucranianos foram devastados, visto que precisaram receber remessas do exterior que foram desgastadas também.
Hoje mesmo foi publicado outro vídeo de um batalhão ucraniano que se retirou de Soledade por conta própria alegando falta de apoio de equipamento pesado.
E outra é que o T-64 foi um grande fracasso.
Presa fácil para os T-72 russos e sistemas anti-tanques.

Patrício
Patrício
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Em tempo.
Recebi um vídeo de T-72 sendo atingido por um Javelin e depois saiu rodando normalmente.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Passa o vídeo então mentiroso

Patrício
Patrício
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Toma aí.

youtube.com/watch?v=H1kLvtXN5mU

E com direito a VAR.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Vi um video de um T-72 sendo atingido na cúpula por um Javelin e o tanque de guerra ficou completamente destruído, com direito a pula pirata e muito fogo e fumaça.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Foram devastados e, mesmo assim, a Rússia não faz nenhuma ofensiva…

Quantos HIMARS já foram destruídos? 50?

Patrício
Patrício
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Já foram destruídos 10.
E os EUA falaram que vão mandar mais para repor.
Mas não adianta nada.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Não sei se os mercenários do grupo Wagner têm a mesma opinião…

Patrício
Patrício
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Claro que tem.
Os russos postaram um vídeo de um prédio com número e tudo em Popasnaya.
Os ucranianos acreditaram que o prédio semi-abandonado era a sede dos ‘Musicos’.
Atacaram o prédio.
Os russos localizaram os HIMARS e destruíram dois deles.
Facinho.

Fabricio Lustosa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Tem um pessoal que, na condição de réu, vai ter opinião em um julgamento a ser realizado pela República Popular de Donetsk na cidade de Mariupol. Pessoal do finado AZOV, lembra? Os guerreiros da liberdade? E sobre mercenários, teve um prédio atingido por televisores russos que virou cemitério de centenas de vadios e doentes mundo afora, teve até um brasileiro que correu da guerra, lembra? Pois é…uma pena os dignos e honrados militares regulares ucranianos estarem morrendo e sendo postos fora de combate às centenas de milhares, uma pena mesmo, mas o tal AZOV em fila indiana SE RENDENDO e… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Fabricio Lustosa
1 mês atrás

Só centenas de milhares? Talvez milhões…

E já agora nem os Russos querem as geladeiras e televisões Russas…

Mas a minha definição de vadios são aqueles que roubam e matam indiscriminadamente. Pelos vistos, para o senhor, estes são uns heróis…

Mas talvez não compreenda mas morrer pela pátria ainda é algo de louvar.
Os Russos só morrem devido a uma ditadura que se quer manter no poder.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Se tu me mostrar a foto de 1 apenas UM destruído eu não te questiono mais.

Porem tem que ser uma imagem clara. não aquelas fotos de câmera tekpix que não da pra ver a diferença entre uma kombi e uma SW4

Patrício
Patrício
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Já postei até um vídeo.
E do M-777.
E do Caesar.
Tem de tudo e para todos os gostos.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Patrício
1 mês atrás

E eu já desmenti o vídeo que tu mandou.

Bruno
Bruno
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Deixa o rapaz viver no mundinho babaovo do putin…é a vida ele ! rsrsrsrsrsrs

Last edited 1 mês atrás by Bruno
Henrique
Henrique
Reply to  Patrício
1 mês atrás

kkkkkkkk
claro que foi kkkkkk

FZQTaJhXoAMhybR.jpg
Marcelo
Marcelo
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Foram destruídos 10 Himars fake. Os russos gastaram pelo menos 10 caríssimos Kalibr em engodos. Leia o texto.
https://www.telegraph.co.uk/world-news/2022/08/30/ukraine-deploys-dummy-himars-trick-russian-forces/

Marcelo
Marcelo
Reply to  Patrício
1 mês atrás

As forças russas estão atacando engodos feitos de madeira parecidos com o Himars. Os drones russos não conseguem distinguir os Himars falsos dos Himars verdadeiros. É por isso que o comando russo diz que destruiu 16 Himars. Estão gastando os caŕissos mísseis de cruzeiro Kalibr para atacar cópias do Himars. Enquanto isso os Himars verdadeiros continuam seus ataques cirúrgicos sobre as forças russas. https://www.google.com/amp/s/amp.theguardian.com/world/2022/aug/30/ukraine-using-wooden-decoys-to-lure-russia-into-wasting-its-missiles-report

Last edited 1 mês atrás by Marcelo
Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Os tanques de guerra estão prestes a se tornar peças de museu. É só ver o estrago que os mísseis Javelin, NLawn, Brinstone, dentre outros estão fazendo na cavalaria mecanizada russa. Por outro lado, a associação do rastreamento de alvos por meio de drones com o uso de munições guiadas, como Excalibur e agora Vulcan, estão arrasando os tanques de guerra russos. Nem falei dos rockets guiados do Himars. A associação de meios robóticos, com inteligência artificial e com tecnologia de comunicação vai aposentar os tanques de guerra.
https://www.google.com/amp/s/www.thedefensepost.com/2022/08/23/germany-vulcan-artillery-shells-ukraine/amp/

Last edited 1 mês atrás by Marcelo
Patrício
Patrício
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Prezado.
O que mais se vê é vídeo de tanque russo atacando trincheiras e bunkers ucranianos.
E atiram a queima roupa.
Nesse vídeo, os tanques ficam a poucos metros das posições ucranianas e preparam o terreno para a infantaria.

youtube.com/watch?v=Fd2xDrzzcDk

Marcelo
Marcelo
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Desculpa, mas o que mais se vê na internet é veículo de combate blindado russo explodindo após a posição dele ser travada por um drone de reconhecimento. Tem até o video de uma TV russa mostrando um TOS-1 sendo alvejado por disparos de contra bateria ucraniana. Os mecanismos de detecção de alvos estão ficando cada vez mais eficientes e os vetores de destruição cada vez mais letais. O conceito de veículo blindado tem que mudar ou eles serão extintos no campo de batalha.

Neural
Neural
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Mi-mi-mi, os cães ladram mas bondão Russo passa. Mais de 100k baixas Ucranianas

Marcelo
Marcelo
Reply to  Neural
1 mês atrás

Os russos estão gastando os caríssimos mísseis de cruzeiro Kalibr para destruir engodos parecidos com o Himars porque os drones deles não são capazes de distinguir o falso do verdadeiro. Há informações de que pelo menos 10 Kalibr atingiram Himars fake. Eis mais uma prova da incompetência do bondão russo no campo de batalha.
https://www.telegraph.co.uk/world-news/2022/08/30/ukraine-deploys-dummy-himars-trick-russian-forces/

Last edited 1 mês atrás by Marcelo
Neural
Neural
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Força blindada Ucraniana, existe isso ainda? Kkkkkk

Pablo
Pablo
1 mês atrás

a melhor analise que eu já li neste site , muito bom

Peter nine nine
Peter nine nine
1 mês atrás

Restava apenas dizer que, embora alguém pudesse afirmar que a força de blindados da Ucrânia poderia ser, talvez, a mais “poderosa” da Europa em fevereiro de 2022 (poderia, porque números são números, podem dizer mais que uma coisa, e qualidade e modernidade são outras), assim o ficou porquê se tem preparado para o efeito desde 2014, altura desde a qual o país se considera agredido e em guerra. Sei por pesquisa e por testemunhos diretos que a situação das forças armadas ucranianas até 2014 era de total abandono, com meio punhado de aeronaves e dezenas de blindados para cada tipo,… Read more »

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Os tanques de guerra russos foram destruídos na Ucrânia às pencas e continuarão sendo destruídos. Os motivos são diversos: falhas de projeto, falhas de funcionamento das blindagens reativas, plataformas de ataque a veículos blindados, etc. Esse texto exclarece o fracasso dos tanques russos na Ucrânia.
https://www.19fortyfive.com/2022/08/why-ukraine-is-now-a-giant-graveyard-for-russias-elite-tanks/

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Os EUA e a OTAN sabem da vulnerabilidade dos veículos blindados de ataque na Ucrânia, tanto que não forneceram nenhum tanque de guerra ocidental. Apenas entregaram veículos blindados de transporte de tropas e de defesa antiaérea. Por outro lado, o último pacote de “ajuda militar” dos EUA prevê mais 6 baterias do NASANS e veículos aéreos antidrones Vampire. Sera que o plano é começar a eliminar as ameaças aéreas russas para a chegada dos primeiros A-10 Warthog ou dos F-16, ou de ambos. Talvez até algum helicóptero de ataque, como o Apache. Vida dura para os tanques de guerra russos… Read more »

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Primeiro vieram os Himars, atacando depositos de munições e sistemas antiaéreos russos. Em seguida os Mig 29 ucranianos foram equipados com mísseis antiradiação AGM 88 harm para neutralizar os sistemas de radar. Agora os EUA e a OTAN estão fornecendo mais 6 Nasams e o sistema antidrone Vampire. Está claro que a estratégia é eliminar ou afastar as capacidades antiaéreas russas do campo de batalha ucraniano para permitir a chegada dos antigos e poderosos Warthog A10, em missões de ataque ao solo, e Fightning Falcon F-16, para apoio aéreo e ataque atras das linhas russas. Isso está claro como água… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Marcelo

Últimas Notícias

Impressões de um oficial do US Army sobre os exércitos da Rússia e da Ucrânia antes da guerra – PARTE II

por Mark Hertling (*) No ano seguinte, eu recebi uma nova missão: transferido do Centro de Treinamento em Grafenwoehr, no...
Parceiro