sábado, dezembro 3, 2022

Saab RBS 70NG

Rússia planeja produzir semicondutores de 28nm até 2030

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Por causa das sanções devido a guerra contra a Ucrânia, a Rússia está elaborando planos para reviver sua produção local de semicondutores, porque não receberá chips de fornecedores regulares.

O novo plano de chips do país apresentado em abril de 2022, envolve bastante investimento nos próximos oito anos, e as metas não parecem ambiciosas. Por exemplo, enquanto a TSMC de Taiwan planeja atingir 2 nm até 2026, a Rússia quer produzir chips de 28 nm locais até 2030.

O governo russo desenvolveu uma versão preliminar de seu novo plano de desenvolvimento de microeletrônica, que exigirá um investimento de aproximadamente US$ 38,4 bilhões até 2030. O dinheiro será gasto no desenvolvimento de tecnologias locais de produção de semicondutores, no desenvolvimento de chips domésticos e o desenvolvimento de infraestrutura de data center, marketing de talentos locais e soluções e chips caseiros, segundo a Cnews.

Em termos de fabricação de semicondutores, o estado russo planeja gastar US$ 5 bilhões em novas tecnologias de fabricação e sua expansão. Um dos objetivos de curto prazo é acelerar a produção local de chips até o final do ano usando tecnologia de fabricação de 90 nm. O objetivo de longo prazo é criar produção até 2030 usando o nó de 28 nm que a TSMC de Taiwan produziu em 2011.

Tendo historicamente sido bastante bem-sucedida em software e serviços de alta tecnologia, a Rússia tem sido relativamente malsucedida em design e fabricação de chips. Embora existam planos para treinar talentos locais e desenvolver chips internamente, uma das coisas que o país planeja fazer até o final do ano é montar um programa de engenharia reversa para “soluções estrangeiras” para transferir a produção para a Rússia.

Todos os itens digitais devem ser produzidos internamente até 2024. Espera-se que as coisas que o país não pode produzir internamente venham da China.

Mikron

Processador Elbrus-2S+ feito na TSMC de Taiwan e pela Mikron

O Mikron Group (em russo: ОАО «НИИМЭ и Микрон»), liderado por JSC Mikron, é um fabricante e exportador de microeletrônica na Rússia e na CEI. Suas instalações estão localizadas em Zelenograd, na Rússia.

Durante o período de 1960 a 1980, a Mikron desenvolveu tecnologias microeletrônicas para a URSS. Em 2010, a Mikron obteve uma licença para um processo de 90 nm, com a produção começando por volta de 2012–2013. As instalações de produção de 90 nm e o centro de design foram cofinanciados em quase 50% pela Rusnano, com um custo total de 16,57 bilhões de rublos russos.

Em 2014, devido à suspensão das atividades entre Visa, MasterCard e alguns bancos russos, a Mikron esperava receber ordens relacionadas à criação do sistema nacional de pagamentos com cartão russo a ser lançado em 2015.

No final de 2014, foi anunciado que a Mikron havia iniciado a produção piloto de um microprocessador doméstico chamado Elbrus-2SM usando um processo de 90 nm sob o programa de substituição de importações na Rússia.

A produção nacional do microprocessador Elbrus-2SM foi selecionada pelos leitores da revista técnica CNews como o evento mais significativo de 2014, enquanto a criação de um sistema nacional de pagamento com cartão ficou em 3º lugar na lista.

O processo de 65 nm também foi realizado nos anos seguintes e passa a qualificação e refinamento do processo produtivo em 2020.

Em abril de 2022, o Departamento do Tesouro dos EUA impôs sanções a 21 entidades e 13 pessoas, incluindo a Mikron, por seus laços com a Rússia após a invasão russa da Ucrânia.

MSCT

A MCST (em russo: МЦСТ, sigla para Moscow Center of SPARC Technologies) é uma empresa russa de microprocessadores que foi criada em 1992. Diferentes tipos de processadores feitos pela MCST foram usados em computadores pessoais, servidores e sistemas de computação.

A MCST desenvolve microprocessadores baseados em duas arquiteturas de conjuntos de instruções (ISA): Elbrus e SPARC. É um descendente direto do Instituto Lebedev de Mecânica de Precisão e Engenharia de Computação. A MSCT é a organização base do Departamento de Informática e Engenharia de Computação do Instituto de Física e Tecnologia de Moscou.

A MCST desenvolve a arquitetura do processador Elbrus e a família homônima de microprocessadores universais VLIW baseados nela com a participação da INEUM. O nome “Elbrus” recebeu o backronym “ExpLicit Basic Resources Utilization Scheduling”.

Veja aqui a lista de microprocessadores da MSCT:

Outros desenvolvedores de chips da Rússia:

Laptop robusto MCST Elbrus HT-R1000 no MAKS Airshow de 2013

NOTA DA REDAÇÃO: Em termos de comparação, o chip Intel “Nehalem” lançado em 2008, tinha microarquitetura de 45 nm. Ele foi usado na primeira geração dos processadores Intel Core i5 e i7 e sucedeu a microarquitetura Core mais antiga usada nos processadores Core 2, de 65 nm a 45 nm.

- Advertisement -

62 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

62 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Leandro Costa
Leandro Costa
1 mês atrás

Não acho que consigam. Muitas variáveis no caminho.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Na moral, com todo respeito. Isso deveria ser nem notícia.
Não se sabe nem se terá mundo até 2030, quanto mais russo produzindo semicondutores ultra-master-blaser até lá.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Eu acho OK fazer planos de longo prazo. É até bom, mas a situação por lá está tão instável e aparentemente ele tem outras prioridades que não faz sentido acreditar nesse plano em si.

Mas entendo sua ideia e até concordo com ela em certo grau.

MARCELO DANTON DA SILVA
MARCELO DANTON DA SILVA
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Eles são egoistas e burros. Não sabem fechar parcerias…FAÇAM O CHIPset dos BRICS.

Algol
Algol
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Talvez consigam, 28nm já é tecnologia ultrapassada hoje em dia, imagina em 2030.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Algol
1 mês atrás

Pois é, mas quem não tem tecnologia nem para fazer isso, desenvolver e produzir do zero, é bem complicado.

Patrício
Patrício
1 mês atrás

O erro de Rússia e China foi acreditar na ‘divisão internacional do trabalho’.
A China, por exemplo, durante anos montou sua poderosa indústria de eletrônicos acreditando que as empresas ocidentais seriam fornecedoras de componentes, no caso Chips.
Ou seja, acreditou que essas empresas seriam apenas parte de sua cadeia de fornecedores.
Aprenderam da pior maneira possível.
Mas, o lado positivo é que agora estão investindo nessa independência tecnológica.
Que venha logo.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Você é chinês ? russo ? Ou é um fracassado profano que não consegue viver no mundo livre e precisa de um macho alfa mandando em sua vida medíocre ? Ou seria uma mistura dos 3 ? Cada uma hein …ainda mais com esse Nick …”patrício” isso é coisa de portuga baitola que vive de esmola dos germânicos depois de gastar toda grana roubada nas minas do Brasil .

Patrício
Patrício
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Que papo esquisito……

RPiletti
RPiletti
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Em 2030 talvez consigam fazer algo que foi feito em 2011. Será que o Armata é tudo isto mesmo? P/ quem diz estar na vanguarda mundial de vários itens, me parece mais fantasia que realidade.

Fagundes
Fagundes
Reply to  RPiletti
1 mês atrás

Fica a questão…mas eu já lembro de ler aqui no fórum que em 1968 um avião americano abateu um avião de fabricação russa com um míssil guiado por calor no Mar do Sul da China a 300km de distância. Imagina o tamanho dos transístores daquela época e conseguiram esse feito

Last edited 1 mês atrás by Fagundes
Ivan F
Ivan F
Reply to  Patrício
1 mês atrás

A China vem investindo pesado na fabricação de componentes e semicondutores há muito tempo, tanto que hoje colhem os frutos. A Rússia que comeu mosca e parou no tempo. E pra ser justo, não foi só a Rússia kkkk

Jose Marinho
Jose Marinho
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Não concordo consigo em relação a China.
A China fez o seu trabalho, abriu as portas as empresas ocidentais, deixou elas se instalar e produzir, viu, copiou e passou a produzir.
Por isso se fala que pode ser tarde este bloqueio a produção de chips na China,
Provas disso é o investimento nas suas forças armadas e na exploração do espaço, fora aquilo que não sabemos.

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

O momento é esse mesmo. França e Alemanha estão fazendo o mesmo. Não dará a Russia nenhum processador quântico mas vai permitir que ela coloque um notebook ou smartphone 100% nacional em uma loja de departamento, nem que seja um produto de entrada. O brasil monta eletronicos desde a decada de 70 com componentes importados e ainda não temos uma multinacional do ramo.

Hcosta
Hcosta
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Um produto de entrada é diferente de um produto com 20 anos de atraso tecnológico.

Nem sei se é viável como produto de consumo doméstico, como smartphones. Terão de criar o software do zero e ainda tem muitos outros componentes que terão de ser fabricados para ser 100% nacional.

Nunca conseguiram fazer isso e duvido muito que numa crise económica o façam.

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
WSilva
WSilva
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Celulares atuais, CPUs e GPUs não é o foco desse projeto russo pois esses englobam uma fatia pequena de chips ultra modernos, acontece que mais de 60% de chips usados no mundo são igual ou acima de 28nm.

Pior do que fabricar chips só de 28nm é não fabricar nada e só importar, uma hora a casa cai…

Patrício
Patrício
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Exatamente.
E são bilhões e bilhões de Chips.

Hcosta
Hcosta
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Sim, eu sei. Por isso especifiquei como produto de consumo doméstico… Pior do que não fabricar chips de 28 nm é fabricar num esquema de corrupção em que gastam muito mais e depois no final têm um produto ineficiente, desfasado mais de 20 anos e sem a capacidade de inovar… É sempre a mesma história. Vão construir essa linha de montagem e vão usá-la até à exaustão e cair de podre e, no entretanto, terão passados 30 anos com os mesmos chips, ou seja, serão 50 anos de desfasamento… É uma mistura de corrupção (ao impedir a concorrência) e falta… Read more »

Felipe Augusto Batista
Felipe Augusto Batista
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Minha irmã usa como computador um i5-2310 (32 nanometros) com uma gtx650ti (28 nanometros). São peças bastante desfasadas mas ainda compatíveis com o resto do mercado, e permitem que ela faça tudo que precisa. Os russos estão bastante atrasados mas eu acredito que a tecnologia possa sim ser aproveitada mesmo para consumo doméstico afinal ainda existem muitas máquinas deste nivel sendo usadas por aí. Caso fizessem um bloqueio total para peças eletrônicas para a Rússia daria para eles se virarem com este nível, caso fizessem o mesmo bloqueio conosco o governo provavelmente iria ter que confiscar todos os pcs existentes… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Felipe Augusto Batista
1 mês atrás

O hardware e o software ainda são compatíveis…
Mas a Rússia tem de fazer tudo de raiz e ainda temos o mercado de smartphones em que a obsolescência é muito mais rápida.

E estamos a falar de produção para 2030 e não temos a certeza se haverá a produção dos outros componentes e software.

WSilva
WSilva
Reply to  Felipe Augusto Batista
1 mês atrás

”Caso fizessem um bloqueio total para peças eletrônicas para a Rússia daria para eles se virarem com este nível, caso fizessem o mesmo bloqueio conosco o governo provavelmente iria ter que confiscar todos os pcs existentes para usar como peças de reposição porque não teria como produzir substitutos.” Justamente, a ideia é ter autossuficiência domesticamente até certo ponto em que um possível bloqueio ocidental não leve o país de volta a idade da pedra. Posso estar enganado, mas os processadores top de linha da Intel hoje no mercado para PCs ainda operam em 10nm, já as GPUs da Nvidia entre… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
1 mês atrás

Ué, basta pedir a transferência da tecnologia aos mui amigos chineses. Não é assim que alguns aqui classificam essa linda relação de amizade e cumplicidade?

Patrício
Patrício
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Depois que os americanos entregarem suas parentes para os aliados, quem sabe a China faça o mesmo com os seus?

Patrício
Patrício
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Digo, patentes.
Foi o corretor.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Se essa parceria fosse mesmo sem limites, a China já teria feito o mesmo e que se dane os outros… Mas obviamente a China é mais esperta que isso.

Patrício
Patrício
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Prezado.
Os americanos, com sua parceria sem limites, levaram o Japão a uma estagnação que dura quase trinta anos.
Volte para o Mundo real.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Sempre existem limites para a parceria com os Americanos e eles nunca declararam que seria ilimitada. Nem mesmo o ‘relacionamento especial’ com a Inglaterra é sem limites. Isso de parceria sem limites só existe nesse discurso da China com a Rússia.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

“Isso de parceria sem limites só existe nesse discurso da China com a Rússia.” E complementando…”discurso da China com a Rússia e que esse mesmo Patrício aí e seus vários outros personagens ficarão e ficam repetindo aqui o tempo todo”. Ué, se não há limites, para que os russos irão gastar dezenas de bilhões de dólares em algo que pode só solicitar aos seus miguxos sem limites? Ou seja, ou existem limites nessa linda amizade ou não há confiança. E isso vai contra a tal da nova ordem mundial que vivem propagando por aqui. E falando nisso, o cara do… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Quem me dera que o meu país tivesse uma economia como a Japonesa. Maior do que a Alemanha…

Andre
Andre
Reply to  Patrício
1 mês atrás

Pois é, o Japão estagnou por muitos anos como a segunda maior economia do mundo – agora como terceira, e sempre entre os maiores IDHs do mundo.

Coitados dos japoneses, se tivessem se aliado a Russia, agora poderiam ter um nível de vida padrão do Casaquistão…

Não da nem para falar para vc voltar para o mundo real que vc não faz ideia onde ele fica…

WSilva
WSilva
Reply to  Andre
1 mês atrás

”Pois é, o Japão estagnou por muitos anos como a segunda maior economia do mundo – agora como terceira, e sempre entre os maiores IDHs do mundo.” O Japão colhe os frutos dos anos 70, 80 e 90, é isso que sustenta o Japão hoje aliado a incompetência de outros países como Alemanha, Inglaterra, Brasil e Índia que facilmente poderiam deixar o Japão comendo poeira economicamente. A situação do Japão é complicadíssima economica e militarmente, é um país ocupado pelos EUA, pouca autonomia, economia estagnada e pior, com 2 dos 3 países mais poderosos do mundo como inimigo. Nesse ritmo,… Read more »

Andre
Andre
Reply to  WSilva
1 mês atrás

O Japão colhe os frutos dos anos 50, 60, 70, 80, 90, 2000, 2010, 2020…. Segue sendo a terceira maior economia do mundo e segue tendo um dos maiores IDHs. Quando vc diz “2 dos 3 mais poderosos do mundo” está incluindo a China e a Coréia do Norte? Porque está muito claro que a Rússia não é. E como todo putinzete frustrado, tem que contar com o futuro, porque o presente é muito duro com suas fantasias. Tem que torcer para o Japão não dar certo em 50 anos porque hoje as pessoas que vivem no Japão vivem muito… Read more »

WSilva
WSilva
Reply to  Andre
1 mês atrás

”Segue sendo a terceira maior economia do mundo e segue tendo um dos maiores IDHs.” Terceira maior economia pela incompetência desses países que mencionei, e por ser um país ocupado, sem autonomia nunca teve voz no cenário global, não tem uma agenda própria, segue o que os EUA ditam Sobre IDH tem que estar alto mesmo, é uma ilha, população pequena imensamente ajudado pelo ocidente pós guerra. ”Quando vc diz “2 dos 3 mais poderosos do mundo” está incluindo a China e a Coréia do Norte? Porque está muito claro que a Rússia não é.” China e Russia, e posso… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Patrício
1 mês atrás

A China é aliada da Rússia? E não mandou um único soldado ajudar os russos na Ucrânia?

Antes de se arriscar em Taiwan a China vai recuperar Haishenwai.

Volte para o mundo real….a não, pera, você não faz ideia onde ele fica.

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Não são mui amigos a questão é que se a Rússia se fod** a China é a próxima, ou seja a inteligência dos americanos aproximou demais os 2 …

Mauricio
Mauricio
1 mês atrás

Conseguira porque possue indústrias,
demanda muito investimento

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
1 mês atrás

É bom taiwan começar a investir em turismo rs… China, EUA, França, Alemanha e agora Russia estão investindo na produção local…

Neural
Neural
Reply to  Jefferson Ferreira
1 mês atrás

China já domina os 7nm, logo nem precisa mais da Tsmc para os produtos não high-end.

28nm já da pra fabricar muita coisa. Diferente daqui do fazendão neoliberal lá eles tem planejamento estratégico na indústria

Hcosta
Hcosta
Reply to  Neural
1 mês atrás

Planeamento estratégico?
Sempre foi assim na Rússia e temos o equipamento usado na Ucrânia como o melhor exemplo.
Na maior parte antiquado e sem capacidade industrial para os substituírem. E com grandes lacunas, principalmente nos sistemas de maior carência tecnológica como os sistemas de comunicação, drones, etc…

Normalmente o planeamento estratégico é também usado para prever as necessidades futuras, ou seja, já devia ter sido feito há décadas. Fazer agora é mais um atestado de incompetência e de desespero.

Joanderson
Joanderson
1 mês atrás

A Rússia sempre foi um pais de viés autossuficiente, eu não sei porquê até hoje não tem uma indústria de béns de consumo forte exportando para o mundo todo.
Sempre se mostrou um pais anti Ocidente mas importa tecnologia e produtos arrodo do Ocidente um verdadeiro tiro no pé.

Patrício
Patrício
Reply to  Joanderson
1 mês atrás

Exatamente. E a tentativa de inserção da economia russa na ocidental, capitaneada pelo bizarro Yeltsin foi um verdadeiro desastre. Até para a identidade russa. A Rússia está orientando sua economia para o Oriente. Antes tarde do que nunca. Mesmo porque, ontem e hoje tivemos uma enxurrada de notícias ruins para os lados de cá. Os EUA anunciaram que eu dívida ultrapassou pela primeira vez a casa de 31 trilhões de dólares. A Europa anunciou que está enfrentando a pior seca dos últimos 500 (quinhentos) anos E hoje, Rússia e Arábia Saudita acertaram um corte de produção de petróleo, contrariando a… Read more »

Patrício
Patrício
Reply to  Patrício
1 mês atrás

E outra.
A Bloomberg publicou que com o fim dos bloqueios da COVID, a China deve enxugar os estoques mundiais de petróleo.
Evidentemente que, como maior fornecedor dos orientais, a Rússia vai encher os cofres de dinheiro.
Menos mal.

Regis
Regis
Reply to  Patrício
1 mês atrás

E parece que os países membros da OPEP pretendem reduzir a produção para aumentar o valor do barril de petróleo.

Patrício
Patrício
Reply to  Regis
1 mês atrás

E a notícia de agora é que os EUA retirar a proibição de exploração de petróleo da Chevron na Venezuela.
Acredite na falta de caráter dos americanos.
É usual.

WSilva
WSilva
1 mês atrás

Não é um prazo absurdo não, até porque a China ajudaria encurtando muitos processos.

Djalma
Djalma
1 mês atrás

Cansaram de copiar e roubar segredos industriais, tá na hora de criar vergonha na cara.

JOÃO PALMA
JOÃO PALMA
Reply to  Djalma
1 mês atrás

Sobre pirataria, este termo não viria dos tempos de ”Sir” Francis Drake?
Ah, a História…

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Pois é, enquanto que no “Brasil acima de todos”, fecham a CEITEC nadando na contra mão do mundo sério.
Vi um vídeo no YouTube sobre a CEITEC, aconselho a todos a assinlstirem.
Brasil que lástima!

Alem
1 mês atrás

Brasil produz de qts nm? 2?

Heinz
Heinz
Reply to  Alem
1 mês atrás

No Brasil assuntos desse nível não são preocupação.
Aqui a preocupação é o campeonato brasileiro, se ano que vem o povo vai comer picanha e tomar cerveja.

Regis
Regis
Reply to  Alem
1 mês atrás

Parece que eram de…600 nm. Mas fecharam a CEITEC.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Alem
1 mês atrás

nenhum

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

olha, não vai rodar os melhores softwares, nem um jogo de ultima geração mais a industria russa poderia continuar ativa e não importando chips defasados, afinal nem tudo tem chip de 7, 5 ou 4 nm, meu PC tem um de 14

santiago
santiago
1 mês atrás

é o caminho correto começar com um planejamento. O problema é como fomentar isso em um cenário de guerra e insatisfação interna. Vide o Brasil, quando a econômia aperta a fuga de cérebro é gigante .

MARCELO DANTON DA SILVA
MARCELO DANTON DA SILVA
1 mês atrás

Sabe o que é engraçado???!! EU NUNCA vi os russos ou chineses…reclamando e movendo diplomatas para denegrir as estratégias comerciais dos EUA… OLHA!! Parem de comprar chips pois “eles” os EUA vão dominar o mercado..vcs vão ficar na mãos deles”” COMO fizeram com o Gás russo para a europa….os EUA não querem que NINGUÉM se dê bem…essa é a verdade. Antes que aparecem os erfemiços argumentando de TAIWAN que produz por motivos de estratégia/planos dos EUA na região…. Lembro que a tecnologia de impressão do chipset é Alemanha Holandesas ou seja…eminentemente norte americana, pois com a desnazificação dessa e com… Read more »

Algol
Algol
1 mês atrás

Planejam produzir chips de 90nm até o fim do ano, o Pentium 4 em 2004 usava 90nm! Os atuais Intel são fabricados em 10nm e os AMD (pela TSMC de Taiwan) em 5nm. A Samsung planeja adotar 1.4nm até 2027.
Tudo bem que 90nm agora e 28nm em 2030 são suficientes pra muitas coisas, principalmente componentes em mísseis mas da pra ter uma ideia da disparidade tecnológica!

Andre
Andre
1 mês atrás

Será que esse planejamento foi liderado pela mesma pessoa que planejou tomar Kiev em 2 semanas?

naval762
naval762
1 mês atrás

Boa sorte tovarich!

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Melhor isso do que nada. Mas a indústria de semicondutores evolui muito rápido. É difícil até prever as inovações tecnológicas que serão produzidas em um intervalo de oito anos nessa área. Os chineses foram mais espertos.

EduardoSP
EduardoSP
1 mês atrás

Para esses planos, o de chips, o do setor aéreo, entre outros, darem certo é necessário primeiro estancar a drenagem de cérebros que está ocorrendo. De março até o início de outubro entre 500 e 700 mil russos já saíram do país. Cerca de 200 mil só após a decretação da mobilização parcial, em 21 de outubro.

JOÃO PALMA
JOÃO PALMA
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Todos geniais cientistas que a Rússia iria colocar na linha de frente como bucha de canhão…NÉ?

Natan
Natan
1 mês atrás

Para efeito de comparação, a China está caminhando para conseguir produzir seus chips de 7nm pelos próximos anos. Nesse aspecto os chineses estão avançando para ser competitivos no mundo inteiro.

Últimas Notícias

Rússia rejeita condições de Biden para conversa com Putin sobre a Ucrânia

O presidente dos EUA disse que conversaria com Putin se ele estivesse disposto a encerrar a invasão em solo...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -