domingo, dezembro 4, 2022

Saab RBS 70NG

Quirguistão suspende manobras militares com a Rússia

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Quirguistão protestou contra ataque realizado pelo Tajiquistão e contra a inação da Rússia diante do caso

“Irmandade Indestrutível-2022” – este era o nome dos exercícios militares conjuntos que a Rússia deveria realizar com cinco de seus aliados próximos na ex-república soviética do Quirguistão nesta semana.

Em vez disso, o país anfitrião, o Quirguistão, cancelou os exercícios que seriam realizados de 10 a 14 de outubro um dia antes do início programado.

Onde está a ‘irmandade indestrutível’ quando nossas aldeias estão sendo atacadas por um parceiro [da aliança]?” disse Edil Baisalov, vice-primeiro-ministro do Quirguistão à CNN na terça-feira, em referência aos recentes ataques que alega terem sido realizados pelo Tajiquistão.

Segue o contexto: o Quirguistão acusou o Tajiquistão, outro aliado russo e membro da aliança militar da Organização do Tratado de Segurança Coletiva, de lançar um ataque mortal em setembro que matou 63 cidadãos quirguizes e deslocou mais de 140.000 pessoas.

“Como podemos hospedar as tropas tadjiques para participar de exercícios em nosso território?” disse Baisalov.

O governo do Tajiquistão acusou o Quirguistão de desencadear as hostilidades em 16 de setembro.

Os poucos amigos de Putin: Enquanto líderes de ambos os países foram convidados para uma reunião organizada pelo presidente russo Vladimir Putin em seu 70º aniversário na semana passada, apenas o presidente do Tajiquistão, Emomali Rahmon, compareceu, ao lado de vários outros líderes de ex-repúblicas soviéticas.

Putin concedeu a Rahmon a “Ordem de Mérito à Pátria” por “garantir a estabilidade e a segurança regionais”, um gesto que foi ridicularizado no Quirguistão.

O vice-primeiro-ministro do Quirguistão sugeriu que a guerra da Rússia na Ucrânia distraiu Moscou de ser uma garantia de paz e segurança na antiga Ásia Central soviética.

“Sabemos que [os russos] têm muitos problemas em outros lugares, mas é para isso que eles são uma superpotência”, disse Baisalov à CNN. “Se eles são uma superpotência, devem ser capazes de prestar atenção em todas as áreas geográficas de responsabilidade.”

O Quirguistão, juntamente com o Tajiquistão, permaneceu publicamente neutro sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia.

FONTE: CNN

- Advertisement -

22 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alessandro Almeida
Alessandro Almeida
1 mês atrás

Eles acabam sempre se entendendo.
O fato positivo na Comunidade ‘russófona’ foi que Armênia e Azerbaijão acertaram acordo de paz.

Raça Negra
Raça Negra
Reply to  Alessandro Almeida
1 mês atrás

Errado! Cada vez mais a influência russa nesses países assim como na Ásia Central diminui, basta ver os inúmeros protestos que irromperam na Armênia em virtude da inação russa no conflito com o Azerbaijão

pangloss
pangloss
Reply to  Alessandro Almeida
1 mês atrás

Sim, a harmonia sempre prevalece nos clubinhos liderados pela Rússia.
Basta ver que o número de membros do Pacto de Varsóvia não para de crescer.
Ou estou enganado?

Leandro Costa
Leandro Costa
1 mês atrás

Alguém precisa avisar ao Basilov que a Rússia não é mais uma superpotência, mas sim uma potência regional mediana, e que pelo visto vai até diminuir de poder e se tornar apenas um país grande com armamento nuclear.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Os russos estão deixando de combater para matar civis ucranianos. Cadê os pró rússia da trilogia que dizia que isso era mentira?
https://www.youtube.com/watch?v=q_otmp16YKA&list=WL&index=224

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Só mais um detalhe. Não existe vácuo de poder. Se a Rússia não consegue garantir a paz ali, os caras vão procurar outro parceiro que possa. É bem provável que a ‘mui amiga’ mão Chinesa se faça presente em breve, se é que já não está por lá.

Alessandro Almeida
Alessandro Almeida
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Exatamente o que ocorreu com os EUA na Ásia Central.
Foram literalmente expulsos e o espaço está totalmente ocupado por Rússia e China.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Alessandro Almeida
1 mês atrás

Foi aquela expulsão em que os EUA divulgaram a data certinha em que iriam embora? Só para clarificar e tal…

pangloss
pangloss
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Rússia hoje é apenas um Cubão com armas nucleares obsoletas (mas ainda perigosas).

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

O mundo tem duas superpotências tanto na questão militar quanto econômica. (pra ser uma superpotência, não adianta ser um e não ser o outro) e elas são EUA e China. a primeira bem estabelecida e a outra ainda em ascensão

Russia não é uma superpotência desde 26 de dezembro de 1991.

NOstra
NOstra
1 mês atrás

Ursinho carinhoso não quer passar mais esta vergonha

MATHEUS AUGUSTO
MATHEUS AUGUSTO
1 mês atrás

A esfera de influência Russa está diminuindo cada vez mais. Logo a própria Rússia terá que aceitar uma posição de subordinação a China, por que como líder mundial a Rússia já não têm mais nenhuma credibilidade.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  MATHEUS AUGUSTO
1 mês atrás

Como disseram acima, não existe vácuo de poder.
Xi Jinping deve estar esfregando as mãos com essa oportunidade de ouro em ocupar esse lugar de influência que era da Russia. E como chinês não dorme no ponto…

Machado
Machado
1 mês atrás

A mão invisível da CIA…….

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Machado
1 mês atrás

Se for, então parabéns para eles! Deve ter sido uma operação e tanto e mostra o quão a FSB está ficando para trás, até porque seria papel deles impedir que algo assim acontecesse.

Mas não parece que foi a CIA não. A inatividade em Moscou nesse episódio, mesmo que para aplacar a ira do ‘aliado’ parece ser porque eles já tem coisas demais na cabeça mesmo.

Andre
Andre
Reply to  Machado
1 mês atrás

e a Russia ficou maneta.

paulof
paulof
1 mês atrás

China deve conseguir colocar em sua esfera já Quirguistão e Kazisquistão, Azerbaijão parece que o primeiro parceiro já é a Turquia, assim como inimiga do Kremkin, Georgia, Irã avança na Armenia, sobra para Russia Bielorusisa, Ubesquitão e Tajisquistão (além da chechenia que na prática é um Estado a parte, inclusive a Charia é a lei utilizada). Se a 2 anos, alguém disse-se que a Rússia iria perder a influência no seu quintal tão rápido, todos ririam, agora é apenas uma constatação.

Régis
Régis
Reply to  paulof
1 mês atrás

Não queria envolver ideologia religiosa nessa discussão, mas notaram como os cristãos estão sendo massacrados enquanto o Islã avança? Vejam a humilhação da Armênia, derrrotada por drones de tecnologia turca.

pangloss
pangloss
Reply to  paulof
1 mês atrás

E ainda pode piorar. Aquele território imenso é completamente artificial.
Quero ver o que a claque vai dizer se a Chechênia, por exemplo, quiser sair da federação russa.

Andre
Andre
1 mês atrás

Irmandade Indestrutível”

Mais uma piada do gênio do xadrez 5d.

Depois do Avanço Putin, do lend-lease para o adversário na guerra, agora a mais nova criação: alianças militares que não fazem nada.

Rodrigo
Rodrigo
1 mês atrás

Rússia é um Paquistão com grife…me positivem se concordam comigo

Heinz
Heinz
1 mês atrás

A Rússia está perdendo força e moral em diversos campos, principalmente no apoio a seus aliados.
Primeiro a Armênia e agora o Quirguistão.

Últimas Notícias

Empresa alemã produzirá munição do Gepard na Espanha

A Rheinmetall, depois de adquirir o mundialmente famoso fabricante espanhol de munições Expal Systems SA, planeja estabelecer a produção...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -