domingo, dezembro 4, 2022

Saab RBS 70NG

Fracassos na guerra causam trocas constantes de generais russos

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

O general das forças terrestres russas Alexander Dvornikov, que ao longo de uma carreira militar de 44 anos era mais conhecido por táticas de terra arrasada em campanhas que liderou na Síria e na Chechênia, foi nomeado comandante operacional geral da guerra na Ucrânia em abril. Ele durou cerca de sete semanas antes de ser demitido como parte de uma reformulação mais ampla em resposta a grandes perdas e falhas estratégicas.

Na mesma época, o coronel-general Andrey Serdyukov, outro militar de quatro décadas, comandante em chefe das tropas aerotransportadas de elite, foi destituído de seu posto depois que quase todas as divisões das forças aerotransportadas sofreram grandes perdas.

E na semana passada o coronel-general Alexander Zhuravlev, chefe do Distrito Militar Ocidental responsável por Kharkiv, onde as forças russas perderam grandes extensões de território no início de setembro, foi removido após quatro anos no cargo, de acordo com o diário empresarial russo RBC.

Longe de dar glória ao alto escalão militar da Rússia, a guerra na Ucrânia está se mostrando tóxica para os principais comandantes, com pelo menos oito generais demitidos, transferidos ou de outra forma afastados desde o início da invasão em 24 de fevereiro. Governos ocidentais disseram que pelo menos 10 outros foram mortos em batalha, um número notavelmente alto que analistas militares dizem ser evidência de graves erros estratégicos.

A revolta nos escalões superiores dos oficiais uniformizados destaca os erros fundamentais da Rússia no planejamento de guerra e a cadeia de comando disfuncional que resultou primeiro no fracasso de Moscou em alcançar seu objetivo militar primário – a rápida captura de Kyiv e a derrubada do governo ucraniano – e mais recentemente nos retiros das frentes leste e sul.

Mas as demissões também refletem uma luta das elites políticas para culpar a guerra cara e vacilante, à medida que as críticas abertas se tornam mais altas, particularmente entre os falcões e propagandistas pró-guerra.

Como suas forças mal preparadas no front, os comandantes das Forças Armadas Russas estão se tornando alvos fáceis, mesmo como líderes políticos de alto escalão, incluindo o ministro da Defesa Sergei Shoigu, o chefe do Estado-Maior General Valery Gerasimov e o próprio presidente Vladimir Putin em grande parte evitou críticas diretas.

Críticas recentes a Shoigu, no entanto, sinalizaram que seu emprego também pode finalmente estar em perigo.

Ao contrário da Ucrânia, onde os principais generais, incluindo o comandante em chefe, Valery Zaluzhny, e Oleksandr Syrsky, que liderou a recente ofensiva de Kharkiv, agora são figuras reverenciadas, muitas vezes tem sido difícil saber quem na Rússia está realmente comandando a guerra. As mudanças de pessoal geralmente são realizadas com pouco anúncio público e chegam aos meios de comunicação da Rússia com pouca ou nenhuma explicação.

Na sexta-feira, o RBC informou que o comandante do distrito militar do leste da Rússia, coronel-general Alexander Chaiko, foi substituído pelo tenente-general Rustam Muradov. Nenhuma explicação foi dada para a mudança.

Em um raro anúncio público de mudanças de pessoal, o Ministério da Defesa russo disse no final do mês passado que removeu o general responsável pelo “apoio logístico das Forças Armadas”, Dmitry Bulgakov, e nomeou em seu lugar o coronel-general Mikhail Mizintsev.

Mizintsev era uma figura obscura antes da guerra na Ucrânia, mas ganhou o horrível apelido de “Açougueiro de Mariupol” depois que autoridades e ativistas ucranianos o acusaram de orquestrar um cerco brutal à cidade portuária do sul da Ucrânia que matou milhares de civis e demoliu edifícios residenciais.

E na sexta-feira, a Frota do Mar Negro da Rússia admitiu, após semanas de especulação, que havia substituído seu comandante, almirante Igor Osipov, pelo vice-almirante Viktor Sokolov, que prometeu “aumentar a prontidão de combate da frota”.

No final de abril, a Ucrânia afundou a nau capitânia da frota, o cruzador Moskva, com um ataque audacioso, mas bem-sucedido, usando dois mísseis antinavio Neptune. No Dia da Marinha, em julho, a sede da Frota do Mar Negro foi atacada por um drone de combate improvisado que derrubou um dispositivo explosivo em seu telhado, um ataque simbólico que simbolizava a capacidade da Ucrânia de atacar profundamente as posições russas.

Os recentes anúncios públicos de demissões podem refletir um imperativo crescente de satisfazer as demandas por culpa e responsabilidade. Tais apelos e críticas ao esforço de guerra em geral foram amplificados desde a declaração de Putin de uma mobilização militar parcial no mês passado, que levou mais de 200.000 homens em idade de combate a fugir do país e desencadeou queixas furiosas sobre homens sendo chamados erroneamente ao serviço e recrutas recebendo maus tratos, incluindo comida mínima e armas enferrujadas.

Depois de uma longa série de fracassos e poucas vitórias significativas, as facas agora parecem estar na mira dos generais russos, em meio a críticas de proeminentes correspondentes militares russos, propagandistas da televisão estatal e até membros do parlamento normalmente obediente.

Dois legisladores russos – o presidente do comitê de defesa Andrey Kartapolov e o comitê anticorrupção Vasily Piskarev – estão realizando reuniões a portas fechadas na câmara baixa do parlamento, a Duma do Estado, para revisar a “situação com o suprimento do exército russo. ”

Kartapolov e Piskarev também enviaram um pedido por escrito ao procurador-geral, pedindo-lhe para investigar “como o financiamento foi desperdiçado na retaguarda” – alegando que os comandantes estão saqueando o orçamento militar.

O chefe da Chechênia, Ramzan Kadyrov, que enviou seus próprios combatentes para a Ucrânia, criticou o comandante do Distrito Militar Central, Alexander Lapin, como um líder “sem talento” e um produto de “nepotismo” na liderança do estado-maior geral, por destacando combatentes de uma das autodeclaradas áreas separatistas pró-Rússia sem o devido apoio ou preparação.

“O coronel-general mobilizou combatentes da República Popular de Luhansk e outras unidades em todas as fronteiras da direção de Lyman, mas não forneceu comunicação, não garantiu coordenação e fornecimento adequado de munição”, escreveu Kadyrov em um post no último sábado.

Críticos, incluindo Kadyrov, acusaram altos oficiais de mentir sobre o que está acontecendo no front.

“É necessário parar de mentir”, disse Kartapolov, presidente do comitê de defesa, atacando o Soloviev Live, um canal online dirigido pelo principal propagandista da televisão estatal Vladimir Soloviev. “Quase todas as aldeias fronteiriças da região de Belgorod foram destruídas, mas estamos aprendendo isso com qualquer um: governadores, canais de Telegram, correspondentes militares. Mas não o Ministério da Defesa”, disse Kartapolov.

Em um programa diferente nesta semana, Soloviev disse que “mentiras em todos os níveis devem ser punidas com mais severidade”.

“Não pretendo conhecer a arte da guerra, mas qual é a ideia genial por trás dos planos do Estado-Maior agora?” Soloviev perguntou retoricamente. “Você acha que o tempo está do nosso lado? [Os ucranianos] concentraram armas e mercenários… e o que você fez nesse tempo?”

De acordo com a Conflict Intelligence Team (CIT), um grupo independente que monitora as atividades militares russas na Ucrânia desde 2014, o coronel Gennady Zhidko assumiu o lugar de Dvornikov em maio como comandante geral da guerra russa.

A demissão de Dvornikov pode estar ligada à destruição do 58º Exército de Armas Combinadas, normalmente estacionado no sul de Vladikavkaz, que foi elogiado como um dos exércitos russos mais prontos para o combate e chave para a invasão da Geórgia em 2008, informou o serviço russo à BBC.

Mas Zhidko, que também detinha o título de vice-ministro da Defesa, no que parece ser uma tendência condenatória para os generais na Ucrânia, ficou no cargo por cerca de um mês antes que surgissem mais problemas, e ele foi rebaixado a chefe do Distrito Militar do Leste. .

Não está claro qual general comanda atualmente a operação de guerra russa.

FONTE: Washington Post

- Advertisement -

54 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Teropode
1 mês atrás

Mas não devemos ignorar a proficiência Ucraniana , os caras estão motivados , bem treinados e tudo indica que vão receber equipamentos melhores , os equipamentos atuais são bons mas aguardam os ótimos !

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Os franceses estão enviando mais CEASAR, munição e armas. Canadá está enviando mais MRLS, uniformes de inverno, IFV e pasmem NASAMS a serem acordados com os EUA ainda. Lituania, Estonia e Letonia estão preparando mais uniformes de inverno, M113 e morteiros 120mm. Alemanha tambem prepara pacotes de armas. Reino Unido acaba de concluir o treinamento de 10 mil soldados ucranianos.
A russia segundo a propria midia está retirando do estoque o D-1 (os D-30 não estavam arrasando?) e modernizando 800 T-60.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Wellington jr
1 mês atrás

O Tonho vinha aqui falar dos D-30 como se estivessem resolvendo a guerra, mais uma vez o que ele escreve se mostra falacioso!

Oswaldo
Oswaldo
Reply to  Wellington jr
1 mês atrás

E a Russia segue na Ucrania… Nem OTAN e nem Ucrania conseguem parar a Russia…

mac
mac
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

Ninguém consegue parar a Rússia, ela segue caindo e caindo…

Silent Eagle
Silent Eagle
Reply to  Wellington jr
1 mês atrás

Canada está na lista também com uniformes e mais equipamentos militares.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Lembremos que, na guerra, só chega à grande mídia uma fração da informação real. A grande maioria ocorre por baixo dos panos.
Ou seja: a coisa vai ficar russa pros russos

Sblogniev
Sblogniev
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Acho que o Putin vai pegar uma doença misteriosa e morrer… apenas acho.

mac
mac
Reply to  Sblogniev
1 mês atrás

Silovikite, “transmitida” por alguém muito próximo a ele.

Nickless
Nickless
Reply to  Sblogniev
1 mês atrás

ou vai cair de uma janela ou tropeçar na escada como acontece muito na russia.

Wellington jr
Wellington jr
1 mês atrás

A guerra ta ruim para os Russos, segundo a própria mídia estatal russa 800 T-60 estão sendo reativados e modernizados. Previsão de entrega de 200 por ano.

Oswaldo
Oswaldo
Reply to  Wellington jr
1 mês atrás

A Guerra esta ruim para os Russos… Imagina pra Ucrania, que foi invadida e esta sendo destruida dia a dia…kkkkkk

Sblogniev
Sblogniev
Reply to  Wellington jr
1 mês atrás

Mais alvos… os Russos não se cansam… serão como os nossos M-41 com as torres “anabilizadas”… bonitinhos mais ordinários.

Gilson Elano
Gilson Elano
1 mês atrás

Que comece o mimimi, da putinetes!
O que eles quiseram dizer com a essa frase: ‘ é necessário dizer a verdade!’
Será que o moedor de carne orc, tá mais efetivo do que imaginamos!
O poderoso exército orc, com falta de equipamentos e equipamentos velhos e enferrujados!
Uma indagação para as putinetes: o que eles quiseram dizer com a frase: ‘ o tempo não estar do nosso lado!’
Será a falta de equipamentos?
Será a falta de efetivo?
Será a falta de gestão?
Será a crise econômica?

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Gilson Elano
1 mês atrás

No fim das contas sobrará para cortar a cabeça do gênio orc do xadrez 27d

Hcosta
Hcosta
1 mês atrás

Luta pelo poder. E com as justificação do costume…

Mas ninguém culpa Putin, o maior responsável por esta guerra…

Oswaldo
Oswaldo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

O maior responsavel por essa guerra e os EUA e Reino Unido, pois a cada dia cercam a Russia…

O Chato
O Chato
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

Tadinha da Rússia…
Escreves como se não fosse culpa da mesma o ódio histórico e recente que muitos de seus vizinhos sentem em relação a ela. Se a mesma não se colocasse como ameaça aos seus vizinhos, não teríamos visto a OTAN se expandir como se expandiu na história recente, assim como a Suécia e a Finlândia não estariam se juntando a essa aliança.

Last edited 1 mês atrás by O Chato
Guilherm S.
Guilherm S.
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

Poxa Oswaldo, mas por que será que todo mundo em volta da Rússia prefere ficar com os EUA e Reino Unido heim? Que coisa…

Underground
Underground
1 mês atrás

Para completar: mais da metade da força de blindados da Ucrânia, hoje é formada por veículos capturado aos russos.

Oswaldo
Oswaldo
Reply to  Underground
1 mês atrás

A Ucrania vive de doacoes, de dinheiro, de armas e de soldados….

O Chato
O Chato
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

Sim. E o maior doador de material bélico é a Rússia.
Que coisa, não?

George
George
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

Não tenha dúvida disso. Graças as doações russas os ucranianos possuem mais tanques agora Do que quando começou o combate.

mac
mac
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

“A Ucrania vive de doacoes, de dinheiro, de armas e de soldados….”
Para você ver o quanto de inimigos a sua amada Rússia fez ao longo dos anos.

Sblogniev
Sblogniev
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

A Russia vive do sangue derramado pelos seus soldados longe da Mãe Patria… os coitadinhos nem ouvem o barulho das balas..

Plinio Jr
Plinio Jr
1 mês atrás

Exagero, as trocas de comandantes são um revezamento dentro do plano previsto pelo genial little Putin para que os generais possam descansar ….kkkkkkk

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

Tudo planejado, para acabar com atlanticismo e reerguer o império de Daniel.

André K
André K
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás

O autor dessa pérola deu uma sumida, tem um tempo que não o vejo por aqui.

europeu
europeu
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

De acordo!
descansar e terem uma boa reforma. se ficassem muito tempo na frente de batalha seriam mortos…

Jagdverband#44
Jagdverband#44
1 mês atrás

Butim poderia nomear o tonho xingss como cmdte.

europeu
europeu
Reply to  Jagdverband#44
1 mês atrás

Concordo… mas nem sei. aldrabões já têm muitos!

Daniel
Reply to  Jagdverband#44
1 mês atrás

Isso não, pelo amor de Deus, vai acabar com minhas risadas aqui nos comentários!!!!

Carvalho
Carvalho
1 mês atrás

“Não está claro qual general comanda atualmente”
Tem tudo pra não funcionar…..

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Neste ponto eu sou solidário ao menino Vlad..

Sou santista..

Sei o que é ficar sempre trocando o comando sem melhoras e cada vez mais próximo da Série B

mac
mac
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Pô Rodrigo, agora magoou… Tou na maior torcida pelo Peixe…

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  mac
1 mês atrás

É velho…n está fácil…

mac
mac
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Nem fala…

Hawke
Hawke
1 mês atrás

Vou falar uma teoria maluca minha desse que esse conflito começou. Tenho 2 livros da década de 80 fala sobre o exército da URSS (Guia de Armas de Guerra), e diz que a “maior incógnita numa guerra” não seria o armamento soviético e sim seus soldados. Muitos odiavam a URSS e estavam ali porque sabiam que ia acontecer se não obedecem-se. Já pensaram que tanto os oficiais veteranos ucranianos como os Russos receberam o mesmo treinamento da URSS?E a Rússia tenta aplicar o que aprenderam num povo que já foi ensinado a evita-los?

Sblogniev
Sblogniev
Reply to  Hawke
1 mês atrás

O armamento, doutrina e contingente se mostram fracos diante de um exercito Ucraniano moderadamente treinado que porém vem recebendo do Ocidente (leia EUA) todo um pacote de inteligência de campo de ultima geração, os Ucranianos sabem localização, CIC e RG de cada soldado Russo… aquele cruzador Russo estava sendo super monitorado e quando caiu no “alçapão” foi colocado fora do jogo numa jogada de mestre dos Ucranianos. Li muitos livros desde a década de 70 e sempre via que o Ocidente se gabava de ter as armas tecnologicamente mais avançadas, sempre duvidava se podíamos confiar nisso… acho que podíamos… não… Read more »

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

“É tudo FAKE NEWS da mídia Ocidental, controlada pelos Atlanticistas e a Nova Ordem Mundial”

Xings, Antonio (e suas 95 múltiplas personalidades), BR,12/10/2022

Sblogniev
Sblogniev
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

“Não atira na cara para não estragar o enterro”… hahahahaha

DaGuerra
DaGuerra
1 mês atrás

Passam os séculos desde Ivan, Pedro, Catarina, Lenin, Stalin e Putin e pensamentos atrasados de 500 anos como desconfiança, opressão, favoritismo, estatismo, corrupção, nepotismo, corporativismo e violência contra o próprio povo não evoluem na Rússia…e em outras nações também.

Sblogniev
Sblogniev
Reply to  DaGuerra
1 mês atrás

hoje no Pravda saiu um artigo muito interessante sobre a disputa Presidencial no Brasil… eles odeiam o Bolsonaro… e pelo que li acho que eles consideram o Lula farinha do mesmo saco.

Artur
Artur
1 mês atrás

Ser general na “guerra” de Z x U é que nem ser técnico de futebol do Brasil. Toda semana troca…..

Gilson Elano
Gilson Elano
1 mês atrás

O que houve com as putinetes?
Ainda não se manifestaram!
Será que embarcaram pra Mãe Rússia, a fim de servirem a pátria amada com risco da própria vida?

Nonato
Nonato
1 mês atrás

Senhores, o grande Pai Putin convoca seus fieis servos de além-mar para juntar-se na luta pela grande mãe Rússia!
Larguem seus iphones e venham pegar seus AK 47…
A glória vos espera!!!
Fostes preparados por décadas nos bancos das universidades para esse grande momento de glória!
Vosso pai e vossa mãe vos esperam de braços abertos para o grande de dia de glória!
Venha Toimvirosk e demais servos!!!
Vossa hora é chegada!!!

Marcos
Marcos
1 mês atrás

Esses Generais já deveriam estar de pijama a muito tempo, viviam de glórias do passado e não se atualizaram para os conflitos modernos, priorizaram os interesses financeiros pessoais em detrimento dos profissionais. Acharam que o guarda chuva nuclear os protegeriam e esconderiam suas incompetências; aos poucos o castelo de cartas começa a desabar.
A indústria militar igualmente corrupta cria produtos de grande poder de fogo e muito interessantes, porém de qualidade duvidosa e de péssima assistência pós venda.
Após esse conflito os Russos terão de rever muita coisa.

mac
mac
Reply to  Marcos
1 mês atrás

“Após esse conflito os Russos terão de rever muita coisa.”


Principalmente a autoimagem de “grande potência”…

Renato B.
Renato B.
1 mês atrás

Se alguém precisa de um indicador dos problemas russos, essa troca de generais é um excelente indício. Não consigo imaginar alguém assumindo uma organização desse tamanho, no meio de um “empreendimento” complexo como esse e resolvendo rápido (a não ser que seja para recuar). As trocas evidenciam o distanciamento entre o nível estratégico e o operacional, o que deixa esse último ainda mais perdido.

Oswaldo
Oswaldo
1 mês atrás

Fracasso da Russia?? A Russia invadiu a Ucrania, tomou territorios, tornou esses territorios Russos, esta na Ucrania a oito meses, e nem a Ucrania e nem a OTAN conseguiram expulsar a Russia. Vamos acordar, pessoal!!

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

Nick novo… começou…

mac
mac
Reply to  Oswaldo
1 mês atrás

Já cansou do Patrício, Alessandro, Aggressor’s e outros, Xings?

Sblogniev
Sblogniev
1 mês atrás

A velha frase: “jogo é jogo, treino é treino”… sempre achei que Russia, China e Coreia do Norte possuíam forças praticamente inexpugnáveis… em “paradas militares”.

Segue o jogo… ou melhor… Segue a guerra e o baile.

Lúcio Sátiro
Lúcio Sátiro
Reply to  Sblogniev
1 mês atrás

Eu ficava impressionado também com aquelas tropas iranianas vestidas de branco dos pés à cabeça e com balaclava branca no rosto, tudo pompa de desfile

Últimas Notícias

Empresa alemã produzirá munição do Gepard na Espanha

A Rheinmetall, depois de adquirir o mundialmente famoso fabricante espanhol de munições Expal Systems SA, planeja estabelecer a produção...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -