O Brasil transferiu nesta quarta-feira, 7, para o Uruguai 21 blindados de combate – 10 canhões M-108 autopropelidos e mais 11 veículos EE-11 Urutu, de transporte de tropas. Não é uma venda. É uma doação. O mesmo tipo de equipamento está sendo substituído no Exército brasileiro por versões mais modernas e foi repassado ao Exército Nacional do Uruguai no estado em que se encontra, sem ajustes ou adequações.

Os blindados foram desmobilizados das frotas de sete diferentes bases militares do Rio Grande do Sul. Um grupo de 13 instrutores da Força terrestre uruguaia recebeu treinamento no Comando Militar do Sul (CMS) para operar e manter os canhões e os couraçados. A cerimônia de entrega foi realizada no 7.º Regimento de Cavalaria Mecanizado, em Sant’Ana do Livramento (RS).

A transferência ocorre no momento em que o Exército tenta formalizar a compra de 98 blindados 8×8 Centauro II. O contrato, estimado em R$ 5 bilhões, seria assinado há três dias, mas a iniciativa foi suspensa pela Justiça federal, que contesta a oportunidade do negócio.

EE-11 Urutu

Poder de fogo

Os canhões M-108 entregues ao Uruguai são americanos, modelos com cerca de 50 anos. Robustos e grandes, os obuses usam munição 105 mm para atingir alvos a 11 km de distância. Pesam 11,5 toneladas. A tripulação de 5 homens conta com poucos recursos eletrônicos. Escolhido ao longo do tempo pelas forças armadas de sete países, o tanque de artilharia usado pesadamente nas guerras do Sudeste Asiático e do Oriente Médio só é adotado no Chile e, agora, no Uruguai.

No Brasil, o obus couraçado principal é o M-109, de 155mm e 27 toneladas. Alcança alvos a 23,5 km com munição convencional. Ou a 40 km, com as granadas especiais Excalibur.

FONTE: O Estado de S. Paulo, via Terra


Quer discutir esse e outros assuntos com leitores da Trilogia Forças de Defesa em tempo real? entre no nosso grupo de WhatsApp, clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest

83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camargoer.
Camargoer.
1 mês atrás

Olá a todos. Fico feliz com estas doações do EB para os países vizinhos. Creio que o EB ainda tenha outros M108 que darão baixa.

Andre
Andre
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Até que as vezes concordamos.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Andre
1 mês atrás

Olá André. Claro que sim, e mesmo que discordássemos, tenho certeza que seria de modo elegante e respeitoso.

Anildo Silva
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Boa! Que sirva de exemplo aqui no forum e, porque não, no país!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Anildo Silva
1 mês atrás

Olá Anildo. Exato. Aliás, só há debate quando as pessoas discordam. Então, um fórum monocromático seria um monólogo.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Todos os M108 do EB já deram baixa.

Sensato
Sensato
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Ficaria mais feliz se tivesse a confirmação de que os custos do transporte correram por conta do Uruguai e de que foi feito algum tipo de contrato firmando que manutenções ou modificações, se tiverem que ser feitas por empresas contratadas, serão empresas brasileiras. Algo similar para preferência de compra de munição conosco também. Negócio, pra ser bom, tem que ser para os dois lados.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Sensato
1 mês atrás

Olá Sensato. Considerando o orçamento do EB, este custo de transporte é marginal é também serve de treinamento para o setor de logística. Lembro que tempos atrás, o EB montou um exercício de logística para transportar alguns carros de combate entre localidades muito distantes. A manutenção é outro problema. Eu percebo a situação de outro ponto de vista. O Uruguai é membro do Mercosul e neste contexto os dois países são parceiros comerciais privilegiados. Acredito que economicamente, os dois países ganham muito mais aprofundando as relações comerciais de médio e longo prazo que exigindo pequenos ganhos financeiros em operações de… Read more »

Bachini
Bachini
Reply to  Camargoer.
19 dias atrás

Difícil é sabe oque seria benéfico em um comercio com o Uruguai….

Tallguiese
Tallguiese
1 mês atrás

O problema é que o Uruguai vive de doação, eles até querem o A-29 dos doze que a a FAB tem em estoque mas só se for dado. Aí não né?

Hans
Hans
Reply to  Tallguiese
1 mês atrás

O Uruguai sabe que esses 12 A 29 são para venda e não para doação.

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Tallguiese
1 mês atrás

Cara, os Estados Unidos já nos doaram tanta coisa. Por que não fazer essa gentileza pra um vizinho também?
Equipamento ultrapassado e que não vai fazer diferença nenhuma para nossas forças armadas.
É até melhor que desocupa espaço e evita de algum comando querer fazer um upgrade estratégico.

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

A questão é que o Uruguai VIVE de equipamentos doados. Não coçam o bolso pra nada!
Não há problemas em doar e receber doações.
O Brasil faz compras militares regularmente e, de maneira pontual, aceita equipamentos excedentes do arsenal alheio. Há uma grande diferença nisso!

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  737-800RJ
1 mês atrás

É praticamente uma Bolívia. Só que a Bolívia ainda compra uma coisinha. rsrsrsrs

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Só que muito melhor que a Bolivia em IDH.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Olá. Isso é verdade. De fato, o IDH do Uruguai é superior ao do Brasil e da Colômbia, países que têm os maiores orçamentos militares da América Latina. Parabéns.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  737-800RJ
1 mês atrás

Não…o Uruguay não vive de equipamentos doados. São os políticos que não coçam o bolso. Não vejo muita diferença em “aceitar equpamentos excedentes” a receber doações.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  737-800RJ
1 mês atrás

Sem querer gerar debate…mas o Uruguay foi o PRIMEIRO cliente internacional da EMBRAER. Foi cliente da ENGESA, da Bernardini, Mercedes Benz.. Quase compramos o Marruá. O Guaraní é olhado com atenção….As patrulheiras Macaé seríam ideais pra Armada….os ST pra FAU….mas ao parecer ta faltando gente que saiba VENDER.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

E os Land Rovers fabricados no Brasil….

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Tallguiese
1 mês atrás

Caro T. Por que não? São excedentes da FAB e o patrulhamento do espaço aéreo do Uruguai também é de interesse da segurança brasileira.

Tallguiese
Tallguiese
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Há não Camargoer, Os A-29 não estão obsoletos ainda. Vamos esperar primeiro as aeronaves ficarem defasadas e depois a gente doa kkkkk

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Porque o contribuinte brasileiro pagou pelas aeronaves e não está sobrando dinheiro para dar equipamento novo para países aliados.
Que a FAB mantenha os STs de reserva os aliene pelo valor de mercado, o que resultaria em dinheiro que pode ser empregado em compras (necessidades não faltam à FAB).

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Caro Rafael. Os aviões estão parados. Teriam mais uso patrulhando a fronteira com o Brasil. Como disse, a patrulha e defesa do espaço aéreo do Uruguai interessa ao Brasil.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Caro Camargoer. Não é porque estão parados que não tem valor. Deve ter bastante coisa parada na sua casa e nem por isso você sai doando, né? rsrs. Pelo menos em casa é assim. A patrulha do espaço aéreo uruguaio é praticamente irrelevante para o Brasil. O corredor de drogas se dá nas fronteiras com Paraguai e Bolívia, principalmente, e depois com os demais países da fronteira oeste. Outrossim, o Brasil não é a “polícia” da América do Sul para ser responsável pela patrulha área dos demais países. Se o avião entrar no nosso espaço aéreo, aí sim devemos fazer… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Olá Rafael. Avião parado é custo e ainda corre o risco de se perderem por corrosão, como aconteceu com os A1. O Brasil não é polícia da América do Sul, por isso quem tem que fazer a segurança a patrulha do espaço aéreo do Uruguai são os uruguaios. Ainda assim, é melhor que o Uruguai seja capaz de manter a segurança de seu espaço aéreo que deixar aquela região ao sul do Brasil aberta, seja lá para fazerem o quê. Então, juntando os interesses do Uruguai e do Brasil, chega-se a uma solução de ganha-ganha. Mas é como escrevi. Sempre… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Camargoer. Primeiro que existe uma grande diferença de valor entre um lote de 6 ou 12 STs e 21 Urutus e M108. Essa semana mesmo o EB foi proibido de assinar um contrato de compra de blindados porque o desembargador considerou desperdício de dinheiro ou falta de prioridade. Com a venda dos STs daria para comprar um punhado de Centauros II. O gasto com a manutenção dos STs estocados é mínimo perto do valor de venda das aeronaves. O que falta é empenho da FAB em vendê-los. Em verdade ela deve considerá-los como uma reserva e não tem interesse em… Read more »

Alois
Alois
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Boa noite, na realidade muitos países no mundo possuem equipamentos e aviões estocados para situações de conflito, pois ficam como uma “reserva estratégica” Você pode ver inclusive que as forças armadas usam nos exercícios uma fração de suas forças e equipamentos, para minimizar o desgaste e aumentar a vida útil. São utilizados tropas e equipamentos apenas no sentido de assegurar o cumprimento das estratégias de combate, você nunca vai ver o EB treinando com 50 MBT’S ao mesmo tempo. Um exemplo resente é a Rússia que tinha ou tem milhares de MBT’S em estoque a diversos anos, e isto serve… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alois
1 mês atrás

Caro A. A pergunta que precisamos fazer é se estes aviões estocados são excedentes de uma frota que já tem sua reserva estratégica. O A29 tem uma estrutura toda usinada (ao invés de chapa dobrada como o T27). Isso significa que o A29 tem uma excelente resistência á fadiga. Imagino que se a FAB realmente demandasse estes aviões estocados, nunca teríamos ouvido sobre a possibilidade de cedê-los a outros países. Digo o mesmo sobre os dois submarinos em reserva.

Alex Tiago
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Bom dia Camargoer. Penso eu que de alguma forma a FAB esta enganada sobre a necessidade dessas 12 aeronaves disponiveis eu realmente nao entendo o porque delas paradas sendo que temos muitas fronteiras descobertas.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Quem disse que estão parados? Tens os números de aeronaves A-29 estocadas? Sabe se há pelo menos 1 estocada?

Marcos Silva
Marcos Silva
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Só lembrando,que os primeiros A-29 já tem cerca de 20 anos. E não receberam nenhuma atualização. Pelo menos não uma dw grande monta.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Nunca se falou em doar os ST….mas em compra por 40 milhoes de dólares, cash.

Velame
Velame
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Poderiam doar alguns A29 para o Uruguai e comprar novos da Embraer, com avionicos e sistemas mais modernos.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Velame
1 mês atrás

Sim, está sobrando bastante dinheiro no orçamento para fazer isso. Nem parece que cancelamos a compra de quase metade dos KC-390 e que ainda não assinamos o contrato para um segundo lote de Gripens.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Rafael. Se a FAB tem aviões excedentes, não faz sentido comprar novos. Por outro lado, talvez seja momento de pensar em um processo de modernização dos A29, por exemplo introduzindo um painel com uma interface gráfica similar ao do F39.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Velame
1 mês atrás

Olá Velame. Creio que seria maia adequado pensar em um programa de modernização do A29, que já atingiu 20 anos de uso. Tempo de uma modernização de meia-vida.

Peter Nine Nine
Peter Nine Nine
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Esses 12 A29 encostados… mais detalhes sobre os mesmos?

Estão armazenados porque?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Peter Nine Nine
1 mês atrás

A FAB comprou 99 aviões novos. Alguns foram para os “terceiros”, substituindo os AT27 (que voltaram a ser T27). Outros foram para Natal para treinamento. Outro foram para a Esquadrilha da Fumaça. Acho que o avião é bom demais e superou a expectativa depositada nele.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Peter Nine Nine
1 mês atrás

Porque a encomenda foi maior do que a necessidade imediata da FAB. O estoque era maior, mas foi sendo reduzido com a adoção do ST pela Esquadrilha da Fumaça e com a substituição de aeronaves perdidas. Desconheço qualquer informação oficial de que HOJE ainda existam unidades estocadas. E se existirem são bem poucas. Entretanto, é comum saírem notícias de que a FAB poderia vender até 12 STs usados, seja para o Uruguai, seja para a Ucrânia, seja para Portugal, mas nunca fica claro se elas estão estocadas e nunca foram voadas ou se serão aeronaves que foram usadas pela FAB… Read more »

Santamariense
Santamariense
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

A FAB recebeu 99 A-29:
– 10 perdidos em acidentes;
– ao redor de 24 operam no 2⁰/5⁰ GAV;
– ao redor de 16 operam em cada um dos 3 esquadrões do 3⁰ GAV = 48;
– 12 no EDA;
– 2 NO IPEV.
TOTAL: 96 aeronaves. Assim, se tiver alguma estocada, não passa de 3.

Last edited 1 mês atrás by Santamariense
Santamariense
Santamariense
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Não são excedentes! De onde tiram isso??

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Tallguiese
1 mês atrás

40 milhoes de dólares nâo é doação…igual parece que o negócio não sai.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Tallguiese
1 mês atrás

Ummmm…Não é bem assim. Ultimamente os políticos não querem gastar em equipamentos de defesa…mas se olharmos o inventário das FFAA uruguaias, tem mais equipamento comprado que doado.
Sobre os A29….o que houve foi uma oferta de COMPRA por 40 milhoes de dólares, por 12 A29. e acho que não vai sair, por interesse em outras plataformas.

Peter Nine Nine
Peter Nine Nine
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Por 40 milhões por 12 unidades, Portugal era bem capaz de os comprar.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Peter Nine Nine
1 mês atrás

Pois é…mas até agora….nada.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Que eu saiba, nunca por estas bandas se discutiu a existência de 12 unidades pouco usadas estocadas algures no Brasil para venda a Portugal. Tal proposta nunca foi feita ou referida por qualquer entidade portuguesa. Houve uma leve referência ao Tucano aqui em Portugal indicando que o avião era visto com bons olhos e que poderia haver a necessidade em breve para a compra de uma aeronave da mesma categoria, mas nunca que vós teriam oferecido uma potencial venda neste contexto. A ser verdade, já ca deviam estar. Bate o instrutor suíço em preço e duplo uso (ataque leve). Isto… Read more »

Santamariense
Santamariense
Reply to  Tallguiese
1 mês atrás

Tens a fonte desta informação de que há 12 A-29 estocados?

Last edited 1 mês atrás by Santamariense
Oseias
Oseias
1 mês atrás

Deve ser osso ser militar no Uruguai, só trabalhar com equipamento de 200 anos,
se duvidar, tem até arco e flecha e bacamarte.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Oseias
1 mês atrás

Pois é….ser militar na América do Sul é complicado. Mas pelo menos o Brasil é uma potência militar de nivel mundial e as FFAA tem o que há de melhor e mais moderno no seu arsenal.

santiago
santiago
1 mês atrás

É tipo quando você coloca aquele sofá velho na porta e fica torcendo para alguém pegar e não precisar pagar um frete para o lixão.
Brincadeiras a parte, faz bem esse entrozamento entre forças viznhas para quem sabe num futuro não virar parcerias de compra.

Jack
Jack
Reply to  santiago
1 mês atrás

Ué…e deixaram o exército fazer essa doação ou irão impedir tbm? Pegaram benção primeiro pq ter que voltar a trás fica meio feio rsss.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Jack
1 mês atrás

Caro Jack. Acredite, tem muita gente aqui na trilogia que discorda destas doações. Lembro de muita gritaria quando o EB fez outras doações ou mesmo quando a MB doou um ou dois Esquilos monoturbinas.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Um Esquilo, em troca do treinamento de oficiais navais da marinha do Brasil. O esquilo veio totalmente comprometido e aos meses já estava fora de serviço.
Gente, façam mais gritaria!!!! Cada doação é equipamento que as FFAA uruguaias NAO querem.
Mas, cavalo de presente nao se olha os dentes….

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Olá. O helicóptero está parado ou foi feita uma manutenção para retornar ás condições de voo?

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Ja está fora de serviço.Veio com a manutenção totalmente fora dos padrões, chegando ao ponto de ser um risco pra segurança das tripulações.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Que triste.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Foi doado nas condições em que se encontrava. Nao vejo problema, alias vc mesmo fala aqui neste tópico que cavalo dado não se olha os dentes….

santiago
santiago
Reply to  Jack
1 mês atrás

Bem menos provavel que alguém reclame de material com mais de 50 anos e 21 unidades do que comprar 98 no estado da arte. Mas entendo seu ponto de vista e sempre vai ter quem fale sem entender. No caso das 98 unidades eu acho qeu o EB tinha como prever a situação pós eleição e ter adiantado ou esperar o fim do ano fiscal para bater o martelo. Era só bom censo “entendivel ” por qualquer um que esteja na vida pública

Jack
Jack
Reply to  santiago
1 mês atrás

Prezado Santiago, eu estava sendo irônico.

RSmith
RSmith
1 mês atrás

Era sucata obsoleta quando veio do US Army pro Brazil imagina agora!

Eduardo
Eduardo
Reply to  RSmith
1 mês atrás

Quando veio do U.S army era obsoleto, mas não sucata.

Nilo
Nilo
1 mês atrás

Os equipamentos estão sendo entregues em boas condições, mostra respeito a uma nação amiga.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Nilo
1 mês atrás

10 tiros em cada um e 50km rodando na terra e já trava algo. É que nem carro carro velho, até anda, mas em 30 dias vai quebrar algo usando todo dia.

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Ótimas condições.

Nemo
Nemo
1 mês atrás

Eu concordo com essa política de boa vizinhança, mas não deixa de ser engraçado pensar que o único país contra o qual eles poderiam ser usados seria o Brasil. Contra a Argentina eles teriam que atravessar o Rio da Prata…a nado.rsrsrs

Eduardo
Eduardo
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Não fariam nem cócegas no Brasil. E não rodariam por muito tempo sem quebrar algo. E contra a argentina só atirando da fronteira mesmo.

Marcos Silva
Marcos Silva
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Se duvidar nem defesa contra esses blindados os argies tem….

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Não vamos fazer guerra contra ngm….
Isso nao impede de pensar em defesa.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Ola Alejandro. Concordo. Defesa não é se preparar para agredir outro país, mas dissuadir que o outro país decida atacar. Por isso os ministérios do todo o mundo mudaram de “MInistério da Guerra” para “MInistério da Defesa”. É uma profunda mudança no modo de penar.

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Uma pena esse ótica distópica de nossos militares.
Os M-108 poderiam ser transformados em veículos especiais, tais como ant minas, AAe, Porta Morteiro nacional, Lança ponte etc etc.
Mas preferem ser o “primo rico” soberba do continente.

Renato Pereira
Renato Pereira
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Compreendo seu pensamento mas discordo dele. São veículos que sim, poderiam ser modificados, mas a probabilidade de defeitos que eles terão pela fadiga do equipamento é grande, então não compensa. Mas outro dia falava sobre isso com um amigo, talvez alguns Urutu/Cascavel pudessem ser mais úteis. Citei até com este amigo Urutu como morteiro ou antiaéreo mesmo

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Renato Pereira
1 mês atrás

Entendi seu ponto de vista. Mas não acredito que os M-108 estejam tão ruins assim, se não o Uraguai não os aceitaria. E nada que uma modernização de meia vida não resolva, afinal de contas o EB fará isso nos Cascavéis. O que falta e visão estratégica e vontade para isso. Onde uns vêem “sucatas” outros vêem oportunidades. Israel até pouco tempo atrás utilizava longevos Haltrack para desenvolvimento de sistemas e validação dos mesmos. Mas aqui é Brasil, e pensamento estratégico, mentalidade científica nunca foi nosso forte. Um estudo no canhão principal do M-108, já nos daria grandes conhecimentos para… Read more »

Santamariense
Santamariense
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

“Mas não acredito que os M-108 estejam tão ruins assim, se não o Uraguai não os aceitaria.” – E não estão em más condições, mesmo. Operaram até pouco tempo atrás no 3⁰, 5⁰ e 22⁰ GAC/AP, onde eram mantidos em ótimas condições mecânicas. O problema é a obsolescência dos seus meios de tiro, canhão insuficiente em calibre e alcance, etc. “Um estudo no canhão principal do M-108, já nos daria grandes conhecimentos para desenvolvimento deste tipo de armamento. A própria torre poderia ser estudada pela Ares/ Equitron, para desenvolvimento de uma versão moderna com remuniciamento automático etc etc etc” –… Read more »

Renato Pereira
Renato Pereira
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Nisso concordamos 100%: planejamento nunca foi e acho quase impossível que um dia seja o forte no Brasil! Não desmereci seu ponto de vista que sim, é muito bom! Só discordei pois acho que os Urutu e Cascavel ofereceriam maior facilidade de transformação e teoricamente teriam vida útil maior…mas enfim, nada disso será feito, Brasil kkkkkkkkkk

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
1 mês atrás

Boa noite!! Prefiro ficar com a cena dos soldados uruguaios entoando o hino brasileiro, e os soldados brasileiros, o hino uruguaio. Nao por acaso e cerimônia se deu em Livramento/Rivera. A doação é simbólica, por militarmente nao tem quase valor, mas sim o ato, a doação, representa a confiança que as duas forças tem uma na outra. Uma confiança que nasceu das missões de paz, e que está presente nos intercambios e nos treinamentos conjuntos. Sobre fato de doar ou não….Olha, acredito que o Ejército del Uruguay não pediu os Urutús, porém eles vieram.Se aceita. e se agradece. Porém, cada… Read more »

Santamariense
Santamariense
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Apesar da óbvia obsolescência das viaturas em questão, quais os equipamentos serão substituídos ou complementados por elas no Exército Uruguaio?

Alejandro Pérez
Alejandro Pérez
Reply to  Santamariense
1 mês atrás

Os Urutús juntamente com os EE9 Cascavel(15 unidades). Os obuseiros, será criada uma nova unidade de artilharía.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Pois então? O Exército Uruguaio fica melhor com eles ou sem eles?

Sensato
Sensato
Reply to  Alejandro Pérez
1 mês atrás

Entendo, respeito e concordo com sua posição. Por aqui não é tão diferente assim, vide a politicagem que advogados, togados, jornalistas e mesmo foristas aqui mesmo estão fazendo com a aquisição dos Centauros pelo EB.

Andre
1 mês atrás

Não temos nem para nós como para doar a outros. Se fosse o alto comando, reciclava esses blindados e os guardaria num galpão como reserva, pois nunca se sabe o amanhã!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Andre
1 mês atrás

Olá Andre. São materiais excedentes que já deram baixa do inventário das forças. Não faz sentido guardar isso. Não terá uso mesmo em caso de emergência. Então, se não quer doar, que venda como sucata.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Andre
1 mês atrás

Ainda tem muitos estocados. O EB tinha ao redor de 50, ou mais, exemplares do M108. Foram doados 10 para o Uruguai agora e em 2020 já haviam sido doados 6 para o Paraguai.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Santamariense
1 mês atrás

O EB recebeu, ao todo, 72 M108.