Por Rafael Barifouse – Da BBC News Brasil em São Paulo

José Múcio Monteiro Filho (PTB) será o ministro da Defesa do terceiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Será o primeiro civil a ocupar o cargo em quase cinco anos.

A escolha já vinha sendo anunciada pela imprensa e foi confirmada por Lula na sexta-feira (9/12).

O presidente-eleito também anunciou os titulares da Fazenda (Fernando Haddad, PT), da Justiça (Flávio Dino, PSB), da Casa Civil (Rui Costa, PT) e das Relações Exteriores (o diplomata Mauro Vieira).

Múcio pode ser considerado um outsider da Defesa, porque não fez carreira na área.

É um político experiente – foi deputado e, inclusive, ministro de Lula – e dialoga com civis e militares, conservadores e progressistas. Ele diz que se dedicou a “construir pontes”.

Ele assume o cargo em um momento em que Lula terá desafios na Defesa no Brasil e no exterior.

Quem é José Múcio?

Múcio é formado em Engenharia Civil e hoje trabalha como consultor, mas ele fez antes uma longa carreira na política.

Começou em 1975, como vice-prefeito de Rio Formoso (PE) e, depois, foi prefeito. Trabalhou como secretário no governo pernambucano e na Prefeitura de Recife.

Em 1991, elegeu-se deputado federal por Pernambuco e ficou no Congresso por cinco mandatos seguidos.

Antes de se filiar ao PTB, em 2003, passou pelo PSDB, o PFL (hoje, União Brasil), o antigo PDS e o Arena, partido ligado ao regime militar.

Deixou a Câmara em 2007 para ser ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais de Lula e, em 2009, foi indicado pelo petista para o Tribunal de Contas da União.

Ele presidiu o tribunal nos dois últimos anos antes de se aposentar, em dezembro de 2020.

“Busquei, incessantemente, ao longo desses anos e durante toda minha vida, construir pontes, pois considero que as melhores soluções são resultantes da soma dos diversos pontos de vista”, discursou Múcio ao deixar o TCU.

Múcio abriu uma consultoria de gestão empresarial e faz “engenharia política” para seus clientes.

“Eu uso meu network de 40, 50 anos de política e abro portas, marco para a pessoa ser recebida”, disse Múcio ao jornal O Estado de S. Paulo.

A escolha

Agora, aos 74 anos, Múcio voltará à vida pública, novamente como ministro de Lula.

O anúncio do futuro ministério seria feito só depois da diplomação do presidente-eleito, em 12 de dezembro.

Mas Lula foi cobrado para que divulgasse logo quem estará no governo e adiantou indicações consideradas certas – a de Múcio foi uma delas.

O anúncio ocorre diante da possibilidade, noticiada pela imprensa e não confirmada pelas Forças Armadas, de que a transmissão dos três comandos militares seja antecipada para antes da posse.

Lula terá com Múcio mais uma vez um civil à frente da Defesa, como em seus outros governos. Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL) colocaram militares no cargo.

Múcio é considerado alguém com bom trânsito nas Forças Armadas.

O vice-presidente, o general Hamilton Mourão (Republicanos), disse ter “muito apreço” por ele em entrevistas recentes e afirmou que seu nome tem “boa aceitação” entre os militares.

O comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), o brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Júnior, disse que Múcio é uma “pessoa inteligente e ponderada, com quem tivemos ótimas relações em suas funções passadas”.

Bolsonaro também já rasgou elogios a ele. “Eu sou apaixonado por você, José Múcio”, disse o presidente na cerimônia de despedida do ministro do TCU e abriu as portas do governo. “Se a saudade lhe bater, venha para cá.”

O que significa?

Mariana Kalil, professora da Escola Superior de Guerra do Ministério da Defesa, avalia que a indicação de Múcio frustrou expectativas de que a pasta ficaria com alguém da área.

“É uma surpresa porque, diferentemente da época de governos anteriores, como os de Fernando Henrique Cardoso e Lula, o Brasil tem hoje grandes especialistas civis que também têm trânsito entre militares e as diferentes pontas do espectro político que poderiam exercer o cargo”, diz Kalil.

A lógica política prevaleceu, afirma a pesquisadora, ao Lula entender que precisaria de alguém com as características de Múcio para o cargo.

“Lula é um conciliador e faz todo sentido, por ser alguém que vai ter o papel de estabelecer com destreza um diálogo com setores que Lula percebe que podem ser resistência ao governo. Ele está pensando em sua sobrevivência política.”

Adriana Marques, professora do curso de Defesa e Gestão Estratégica Internacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), critica o fato da equipe de transição não ter anunciado até agora um grupo temático da área.

“Parece que o Ministério da Defesa está sendo tratado de uma forma diferente. Que a política de defesa não é uma política pública e não merece uma discussão mais ampla da sociedade. A coisa começa torta”, afirma.

A professora diz ser mais importante discutir a política que Múcio irá implantar.

“Há uma ideia equivocada que se sustenta há décadas de que o ministro da Defesa é o representante das Forças Armadas no governo, mas não é”, afirma Marques.

“Por exemplo, os documentos da Defesa produzidos nos últimos anos foram feitos sem participação e diálogo da sociedade civil. Ser ministro não é só chegar lá e implementar o que dizem os militares.”

O ministro é o responsável do governo pela execução da política de Defesa, reforça a pesquisadora.

“Se continuar com essa visão de que o ministro está lá para atender as demandas dos militares, tanto faz ser civil ou militar, nada vai avançar.”

Os desafios de Múcio

À frente da Defesa, Múcio terá que reafirmar o controle civil sobre as Forças Armadas, diz Kalil.

“É um desafio, porque o ministério foi tradicionalmente povoado por militares da reserva e da ativa e foi chefiado por militares. Ele terá que reestabelecer que a política de Defesa do Brasil virá dos civis do governo, como é feito em uma democracia”, afirma.

No governo Bolsonaro, houve uma “sobreposição” entre civis e militares, diz Kalil: “Tudo ficou tudo mais confuso”.

Lula também precisará de um bom diálogo com as Forças Armadas se for cumprir a promessa de desmilitarizar o governo, após oficiais assumirem ministérios e milhares de cargos com Bolsonaro.

O novo ministro deve ainda rediscutir o papel das Forças Armadas em atividades que não são militares, diz Marques. Ela dá como exemplos o apoio a atletas de alto rendimento, o programa de desenvolvimento econômico e social Calha Norte e as escolas cívico-militares.

“O Ministério da Defesa precisa cuidar de questões de Defesa e dar apoio à política externa, para aperfeiçoar sua articulação, um processo que foi iniciado pelo Nelson Jobim (no governo Lula) e que o Celso Amorim deu continuidade, mas depois se rompeu”, afirma Marques.

Múcio precisará reconstruir a liderança regional do Brasil após uma “retração” do país sob Bolsonaro, , avalia Kalil, e do crescimento da influência de Rússia, China e Estados Unidos na América do Sul.

A pesquisadora cita como exemplo desta retração a saída do Brasil da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) em 2019.

“Quando o Brasil se retira de campo, deixa um vazio e abre espaço para que potências extrarregionais estabeleçam dinâmicas próprias em âmbito militar e de defesa, e isso dificulta que o país se movimente como o grande ofertante de soluções na região”, afirma.

Mas ela diz que enxerga um cenário internacional favorável para Múcio e Lula porque, para os Estados Unidos, um Brasil mais influente pode ser um contraponto a Rússia e China.

Também há, neste momento, governos de esquerda à frente de vários países da região.

“Quando governos assim estiveram juntos no poder, eles convergiram em política externa e criaram instituições regionais. É um momento oportuno para retomar relações mais próximas.”

FONTE: BBC Brasil

Subscribe
Notify of
guest

130 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camargoer.
Camargoer.
1 mês atrás

Olá Colegas. Há anos critico a indicação de militares (sobretudo do EB) para o MInDef. Sempre argumentei que o Ministro da Defesa é o representante do gabinete do presidente junto aos militares, nunca o representante dos militares dentro do gabinete. Eu também vejo com bons olhos a ideia de colocar um político como ministro. Lembro que Lula chegou a indicar o Vice-presidente para o cargo, algo que também me parece um erro (o presidente pode demitir o ministro mas não o vice-presidente). Independente da capacidade política de Múcio, chama a atenção o fato dele ser filiado ao PTB. Comentei em… Read more »

gordo
gordo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

É uma bela bomba que Ele vai ter que desarmar e isso talvez explique a escolha ao invés de alguém mais técnico. Existe um número absurdo de militares no atual governo e a alguns deles indícios graves de corrupção, basta ver os sigilos de 100 anos dados a granel para tudo que é coisa, Santos Cruz e outros oficiais não foram demitidos do governo porque não gostavam de comer “comer pastel com caldo de cana”, Eles estavam incomodando por não compactuar com certas práticas. E para quem insiste na tese de que farda é sinônimo de ausência de corrupção basta… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  gordo
1 mês atrás

Olá Gordo. Há uma certa confusão na ideia que o ministro deve ser um técnico. Pelo contrário, deve ser um político hábil. O corpo técnico é formada pela equipe de gabinete. Sobre os militares que ocupam cargos de confiança, é prerrogativa do presidente nomear e demitir aqueles que ocupam cargos de confiança ou função gratificada. Sobre caráter, nem diploma, nem fé nem farda são garantias. Em todos os setores existem uma minoria de canalhas e corruptos. Felizmente é uma minoria e na maioria das vezes, a gente consegue identificar com alguma facilidade.

Esteves
Esteves
Reply to  gordo
1 mês atrás

Maluf teve uma mãe generosa. Perguntado de onde vinha tanto dinheiro, Maluf respondeu:

— Da bolsa da minha mãe.

João Moita Jr
João Moita Jr
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Comparado à maioria da quadrilha de hoje, Maluf é um santo…

Last edited 1 mês atrás by João Moita Jr
Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Sim. PTB do Bob. Vi uma entrevista. Múcio está na linha dos que entendem uma função moderadora aos militares. Entendem e extendem. Não adianta dizer que não. Esse é o papel que os militares desejam cumprir. Uma mulher…penso que ainda não. Aliás penso mesmo é que sequer deveria haver uma pasta de Defesa. Os 3 comandantes são bem grandinhos para serem mandados, heim? As Armas tem seus programas, tem seus orçamentos, tem suas necessidades. Apresentam isso tudo no Senado, aprovam suas LOA, vão tocar a vida com nossas BIDs, BDLs, fornecedores internacionais e desenvolver inovações. Lugar de militar não é… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Todos os países tem um ministério da defesa que centraliza as ações de defesa. Porquê o Brasil seria diferente?

Esteves
Esteves
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

E por qual motivo devemos copiar o que passa na casa dos outros?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. A ideia de poder moderador dos militares é um erro (nem dá para dizer que seja um equívoco), contudo eu assisti a entrevista do Mucio na GNews, bastante cuidados com as palavras. Sobre o Ministŕio da Defesa, considero importante porque o ministro é o representante da presidencia dentro das forças armas, não o contrário. Além disso, é preciso promover uma ampla integração das forças armadas para reduzir desperdícios. Até FHC, cada fora era um ministério separado, o que parece ser um obstáculo para integrar os programas e estruturas.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Pois é. Depois de FHC ficou assim. Com tutela.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Militar não tem função moderadora exceto em repúblicas falidas e pobres como o Brasil. Militar foi feito para proteger quando ordenado. Quer ter poder moderador vire candidato e concorra às eleições no parlamento, este é o único poder moderador que existe.

Esteves
Esteves
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Alguém precisa manter isso em evidência.

francisco Farias
francisco Farias
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Quem sustenta o regime comunista chines, quem sustenta o Putin e quem sustenta o maluco da Coreia do Norte e quem sustenta o Maduro no poder? OS MILITARES.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Olá Inimigo. Caso um ex-mitar se candate e vença uma eleição, ele será um representante do poder executivo ou legislativo. A CF88 não tem poder moderador

Mauro S
Mauro S
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Os 3 comandantes são bem grandinhos para serem mandados, heim?”

A prova de que os militares não são “grandinhos” é que gastam quase todo o orçamento com privilégios e ineficiência. E agora ainda inventaram de passar pano para golpistas.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Mestre,

Aquele ministro que foi procurar o Et Bilu…botou o EB pra procurar o Et Bilu…aquele ministro ainda tá lá?

Nilo…Nilo…como chama aquele ministro que foi procurar Et na Amazônia?

E as Armas vão sentar ao lado de gente que vai procurar Et no mato?

Santo Jesus!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Não lembro deste caso. Que doidera.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Olá Nilo. Até minha filha de 8 anos sabe que a transição dos mares para a terra seca aconteceu à cerca de 360 milhões de anos, que coincide com a datação dos fosseis do Tiktaalik, que os seres humanos nunca compartilharam a mesma era com os dinossauros, que um meteorito gigante extinguiu os dinossauros há cerca de 65 milhões de anos, que a espécie humana não descende dos macacos mas que compartilhamos um descendente comum e que nossa espécie não tem mais do que 300 mil anos. E olha que o ET Bilu participou do CQC e recomendou buscarmos o… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Pois é.

Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Grato, Nilo.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

É normal nas democracias um civil ocupar esta pasta, inclusive militares da reserva.
É uma implicância, pra dizer bem light, essa ideia de não poder ser um militar da reserva.

Quanto a mulheres, não há problema algum, desde q esteja à altura da pasta.

Katia Abreu não foi uma boa Ministra da Agricultura, dito pela maioria dos Auditores-Fiscais Federais Agropecuários.

Foi em sua gestão, q houve a Carne Fraca, uma gigantesca maracutaia com a JBS.

Foi tão grande, q obrigou o MAPA a alterar toda a sua estrutura de fiscalização pra não ocorrer novamente.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Olá Velho. A problema do ministro (deputado, senador, presidente, vereador, prefeito, governador…) ser um militar da reserva ocorre quando ele/ela ter pouca habilidade política. A habilidade política é algo que a pessoa aprende com o tempo e experiência (admitindo que alguém pode passar por diversos cargos pela maior parte da vida sem conseguir adquirir esta habilidade). Lembrei da Katia Abreu, mas existem muitas outras mulheres extremamente competentes e habilidosas politicamente. Os ministros ex-militares indicados por Temer e Bolsonaro se comportaram como representantes dos militares no gabinete presidencial quando a função do ministro é o contrário. Sobre a operação “Carne Fraca”… Read more »

Velho Alcredo
Velho Alcredo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

O problema da carne fraca era a pressão do governo, vindo da ministra, pra JBS não ser fiscalizada corretamente, além da propina….

Alfredo
Alfredo
Reply to  Velho Alcredo
1 mês atrás

Vc tem ideia do que está se passando atualmente?
Só como exemplos, ontem foi noticiado que garimpeiros abriram uma estrada de 150 km em território indidena protegido.
Desmatamento bateu todos os recordes possíveis, enquanto o Governo proíbe o IBAMA e a PF de destruir os equipamentos dos bandidos (por que será?)
Ontem também, no apagar das luzes, a ANVISA concordou com mais uma mega fusão no setor de saúde privada .
Abriram-se as portas para o crime organizado e corrupção em tudo quanto é tipo de estrutura.
Até propina em compra de vacina nós tivemos.
Desmontaram o Estado brasileiro

Alfredo
Alfredo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Folha de São Paulo – 12/12/22

‘Caminhões de atos antidemocráticos foram usados para tráfico de drogas e contrabando.’

Quer mais?

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Tu é muiito cara de pau

Fala ai do q houve na Amazonia com garimpeiros, FARC, ORCRIM antes do atual gov.

fala!!!!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Velho Alcredo
1 mês atrás

Olá Velho. O problema do delegado que deu a coletiva sobre a operacao “carne fraca” era um amplo desconhecimento de química básica. Tivesse antes perguntado para um professor de quimica do ensino médio ou tudo a paciência de assistir alguns vídeos na internet não teria passado vergonha e causado um prejuízo milionário para as exportações brasileiras. Aliás faltou ao jornalista espírito crítico e perguntar para ele porque a laranja tem ácido ascórbico e a carne não.

Gabriel
Gabriel
1 mês atrás

Independente se for civil ou militar da reserva, se for homem ou mulher, tem é que “entender minimamente” do assunto. Se não entende, que tenha uma assessoria que entenda. Não é possível, por exemplo, relacionar escola civico-militar como se tivesse sido uma iniciativa do Ministério da Defesa. Não existe vinculação nenhuma (e não estou entrando no mérito se é bom ou ruim a idéia do projeto). Atletas de Alto desempenho? ótimo, desvincula do MD!, agora, quem vai assumir? Me chama a atenção, também, que nenhum momento é feita qualquer citação a Operação Acolhida, essa sim do MD, para receber venezuelanos… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

O Múcio é o cara.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Ministro não precisa e tender do assunto, para isso existe o corpo técnico dos ministérios que o auxiliam. Ministro tem que ouvir esse pessoal e conseguir as verbas no congresso para o ministério.
Não adianta ter o maior especialista em defesa do Brasil a frente do ministério se ele não entender nada de política e não saber explicar pró públicos as coisas.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Depois de um certo nível hierárquico a habilidade em política conta tanto ou mais que a técnica. Líderes lidam com gente. Isso vale para quem está em empresa privada ou administração pública.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Olá Gabriel. O ministro é um representando do presidente, nunca o contrário. Isso significa que o ministro é um cargo essencialmente político, não técnico. Por isso, os ministérios possuem uma estrutura técnica permanente formada por servidores concursados. Precisa ser alguém de confiança do presidente, mas também alguém com habilidade política para negociar com o Congresso, negociar com os outros ministros e ministras e também saber acolher e priorizar as demandas dos servidores. Como exemplo a não ser seguido coloco os ministros da educação do governo Bolsorano, inábeis politicamente e que conquistaram antipatia dos servidores do ministério.

Fabio
Fabio
1 mês atrás

Olha a visão desse governo,vamos escolher um cara boa praça e papudo para administrar a crise com os militares, nossa que especialista bom na área

Esteves
Esteves
Reply to  Fabio
1 mês atrás

Crise?

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

Poderia ser pior, muito pior, considerando que o PT virá com espírito de revanchismo, imagina se coloca alguma lacradora feminista para cuidar da pasta.

Nilo
Nilo
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Ninguém desrespeitou mais as instituições seculares das Forças Armadas do que Bolsonaro.
E a resposta foi leniência.

Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

O PT foi Gandhiano. Quem diria?

Minsc
Minsc
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Pq desrespeitou? Esta sempre homenageando em vários eventos.

Alfredo
Alfredo
1 mês atrás

As tarefas urgentes do novo Ministro, são despolitizar os quartéis e tirar os milhares e milhares de militares que estão em cargos em comissão.
A questão salarial e previdenciária ficará para um segundo momento, segundo fontes políticas.
Muito provavelmente para um segundo mandato.
Não é o ideal, mas está bom.
Terá de ser feito mesmo, de qualquer maneira.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Também acho, os militares antes reclamavam de estar fazendo coisas fora do escopo militar, GLO, distribuição de água no Nordeste, obras Brasil a fora, más pararam de reclamar de estar no escritório com ar condicionado ganhando um salário polpudo. Me lembra o que o Hugo Chaves fez na Venezuela para se manter no poder e todos sabemos como eles estão. O Pazuelo foi um dos piores ministros da saúde que já tivemos. Não por não entender do assunto saúde ou administração, coisa que parece não sabia, mas por não entender de política. Caiu em armadilhas e se queimou.

Nilo
Nilo
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Se “Caiu em armadilhas e se queimou.” refere-se a Pazzuelo, está enganado, saiu vitorioso, Senador da República.
O gado vota e o discurso: Tudo dará certo no momento oportuno”, de Bolsonaro em fala a apoiadores é messiânico.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Cara, eu vi isso. Fiquei assustado porque parece exatamente aqueles PTistas radicais que acreditam que o Lula é um messias. Parece coisa de seita religiosa mesmo. Estamos vivendo em tempos sombrios.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Tirar política do quartel será bem fácil. Já não tem. Só imbecil q acredita nisso, por causa dos militares da reserva q estão no atual governo. General da reserva manda no quartel tão quanto um motorista de ônibus manda numa empresa de aviação. Militares (da reserva) em funções políticas faz parte da equipe. Tem governo q botou terroristas e bandidos…. As funções pros da ativa continuarão sendo da ativa. Quando a segurança presidência passou ora PF, não durou um mês. A questão previdenciária será muito boa pros militares ganharem na ativa como os civis. Vão ganhar bem mais durante a… Read more »

Lucena
Lucena
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

> Tirar política do quartel será bem fácil. Já não tem.

Amigo, infelizmente existe e não é pouco. Conheço pessoalmente oficiais que foram hostilizados pelos comandantes por posição política.

Um dos meus amigos mais próximos, que era oficial temporário até 2021, foi inclusive ameaçado pelo comandante do batalhão onde servia por ser de esquerda.

Para ter essa visão, ou não está em quartel ou não quer enxergar o óbvio.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Lucena
1 mês atrás

Eu puni oficiais, sargentos, cabos e soldados q falavam dos dois lados.

E politica em Qtl não é isso, não.

É o marido, tocador de bumbo de banda de Música Militar participar de viagens de acertos pra análise de Artilharia Antiaérea na Russia.

É gente ser posta em cargos sem as devidas qualificações por ser ligado a um partido “extraoficialmente”

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Você está se esquecendo dos militares “da ativa” que estão no governo?
Teve até general “da ativa” e ministro da saúde subindo em trio elétrico para fazer discurso. E a decisão do Exército sobre o caso foi colocada em sigilo por 100 anos.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

caramba!!!
1

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Dei o exemplo de 1 general da ativa.
Há milhares de oficiais da ativa trabalhando no Executivo (já existiam antes, mas mais que dobrou no atual governo).
Isso é fato notório.
Então não venha com essa de que não tem política em quartel. Tem e tem muita.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Olá Alfredo. Os cargos de confiança e função gratificada são temporários e sem estabilidade. Eles podem ser demitidos ou exonerados a qualquer momento. Por outro lado, os últimos anos mostraram que muitos militares cruzaram a linha da institucionalidade. Os miliares comprometeram a sua imagem púbiica. As pesquisas sobre a confiança da população nos militares era alta durante desde o período FHC, mas nos últimos anos, ela caiu. Uma pena.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Camargo

O militar foi MANDADO!!!!!!! Não ultrapassaram nada.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Caro Velho. As diversas manifestações política de militares na ativa, que são proibidas, a maioria por meio de redes sociais, são exemplos de ações que ultrapassaram o limite institucional. A questão militar é como juiz de futebol. Quando aparece mais que os jogadores é porque tem alguma coisa errada. Nos últimos anos, a questão militar se tornou foco do debate, o que indica uma quebra na normalidade institucional do país. Se estivéssemos em tempos normais, isso jamais seria tema de debate.

Andrey
Andrey
1 mês atrás

Deus do céu,a cada nome da carreta furacão um frio na espinha sobe,para a militância só pessoas de alto gabarito como Haddad,Dino,Rui costa,Margarete Menezes e cia.
Logo logo vão importar assessores cubanos e venezuelanos para ensinar como controlar o povo.

Sergio
Sergio
Reply to  Andrey
1 mês atrás

Da uma olhada no twitter do Kim Paim, hoje. Assista aos dois vídeos que ele postou lá de uma live esquerdista. Aonde os dois militantes, um deles o jornalista Pepe Escobar, comentam, angustiados, sobre a presença de membros da open society do Soros na transição do governo lula. Não é papo de extrema direita etc…São os próprios preocupados. A coisa é muito grave.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Sergio
1 mês atrás

Kim Paim, o mesmo sujeito que chamou o André Mendonça de “mitonça”…Esse Brasil não tem jeito mesmo…😂

Esteves
Esteves
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

O Et Bilu…o Et Bilu está com eles.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Andrey
1 mês atrás

Calma

Sérgio Cabral será solto e assumirá Justiça ou AGU ou a PGR, algo bom pro Brasil……….

Alfredo
Alfredo
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Está reclamando do quê?
O Ministro de vcs era o Moro.
O sujeito conseguiu a proeza de ter as contas de campanhas reprovadas.
Ele e a ‘conja’.
Como dizem: Quem nasce torto, morre torto

Esteves
Esteves
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

“A falta de provas é uma prova.”

Ted
Ted
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

1 entregar o projeto calha norte para o mst
2 desmantelar os colegios militares
3 botar nordestino em todos os ministerios
4 desarmar a populacao e proibir a policia de prender
5 tirar o poder dos pais sobre os filhos
6 doutrinar estudantes nas universidades

Se a Russia chutar o balde e tocar o terror na europa esse mucio vai ficar quenem barata tonta, pois nao sabe nada. Ou manda tomar 5 cervejas para acabar com a guerra.
Lula deu esta ideia rsrsrskkkk

Alfredo
Alfredo
Reply to  Ted
1 mês atrás

Seu pensamento está um pouco confuso.
Explane melhor suas ideias
Estamos aguardando.

Ted
Ted
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Sonhamos com uma grande nacao de mais de 8 milhoes de km e acordamos com uma republiqueta das bananas

Esteves
Esteves
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Sérgio Cabral está sendo solto porque a Justiça Federal do Rio, a mesma que tentou criminalizar a FGV por não ter compactuado com essas babaquices de códigos fonte e a mesma que está deixando de oferecer denúncias na LavaJato trabalhando pelo extinção dos processos, é uma caixa de Pandora.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Andrey
1 mês atrás

Caro Andrey. A indicação de ministro é uma prerrogativa do presidente. Geralmente, há uma articulação de compromissos para atender diferentes pressões, como a composição dos partidos da base, grupos de interesse, características pessoais e ate mesmo a tipo de relação pessoal entre o ministro e o presidente. Haddad e Dino são nomes bem conhecidos de qualquer pessoa mediamente informada. Acho improvável que um presidente consiga montar um gabinete que satisfaça todo mundo. Por exemplo, alguns setores da sociedade defenderão um determinado perfil que seria inaceitável para outro setor. Ao menos, Mauro Vieira é um grande diplomata, ao contrário do Ernesto… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Da onde veio o Ernesto?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Dos escalões inferiores do Itamaraty.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Esteves
1 mês atrás

De um curso fuleiro chamado COF, onde você aprendia sobre a terra plana e que Einstein era um picareta e que a teoria da relatividade era uma furada socialista…

Sergio
Sergio
1 mês atrás

Assisti na globo news que ele foi pedir a benção do Alexandre Moraes para a escolha do novo comandante do EB. Sim, não leram errado. Ele foi ajoelhar aos pés do imperador para poder, como ministro da defesa, escolhido por um eleito do povo, nomear o general! Quem está por trás disso?

Esteves
Esteves
Reply to  Sergio
1 mês atrás

Forças ocultas?

Nilo, quem está por detrás?

Nilo
Nilo
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Não existem forças ocultas.
É só olhar o tamanho da teia, e os pontos de conexão, Lula sentou em cima do dossiê: Banestado, CC5, …..,

Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás
Nilo
Nilo
Reply to  Esteves
1 mês atrás

o que Lula vai fazer a respeito? Nada, com Lula só existe Plano B, “ele pode vir a galvanizar a ira dos sindicatos e movimentos sociais” , contra o Lula, isso é uma piada que contararam.
Lembra-se!!! de que os democratas insinuram que os russos detinham segredos de Trump rssrsrsr.
Trump é só um homem, enquanto que Washington rsrsrsr, a lista é parruda …..
Foram quatro bons anos para o resto do Mundo, um jogador a menos na cadeira de reservas.
O Brasil está em perigo, veja agora, neste momento, o que esta se passando na Servia.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Segundo Jãnio Quadros, não existem forças ocultas. São forças terríveis. Segue o trecho “… “Desejei um Brasil para os brasileiros, afrontando, nesse sonho, a corrupção, a mentira e a covardia que subordinam os interesses gerais aos apetites e às ambições de grupos ou de indivíduos, inclusive do exterior. Sinto-me, porém, esmagado. Forças terríveis levantam-se contra mim e me intrigam ou infamam, até com a desculpa de colaboração… “

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Mestre,

O Nilo acabou com o sono meu. Agora estou tentando entender o que está passando na Sérvia.

Contestações, separações, enfrentamentos, desunião, ódio e repulsa.

Algo parecido?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Não dou conta. Você acha que conseguiria escrever um poste? Provavelmente os editores da trilogia publicaram. O que acha?

Alfredo
Alfredo
Reply to  Sergio
1 mês atrás

É porque, graças aos Céus, não é mais necessário pedir a benção no quartel da esquina.

Esteves
Esteves
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Minha bandeira jamais será vermelha.

A Carla viu a bandeira do Japão e tacou que são comunas.

Oh, glória!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Em 2023 celebraremos 115 anos da imigração japonesa. Banzai.

japao.jpg
Felipe Morais
Felipe Morais
1 mês atrás

Sempre fui um dos que engrossava o discurso pela “necessidade de um militar na defesa”, especialmente depois dos deslumbres do Celso Amorim. Isso aumentou quando surpreenderam a todos nomeando o Aldo Rebelo, que, claramente, era persona no grata nos meios militares. Convenhamos, nem fedeu, nem cheirou. Veio o Jungman, que, especialmente considerando o histórico mais recente da época de ministros, não fez um trabalho ruim. E aí, finalmente, veio a tão pleiteada nomeação de militares. Foram 04 nos últimos 04 anos. Sinceramente, não vejo nada de tão positivo que salte aos olhos ao ponto de continuar batendo na tecla de… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Felipe Morais
Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Foi a melhor escolha.E poderia ser outra pior.Então deixa quieto.

Mirão
1 mês atrás

Políticos irão fazer o papel de economistas, políticos irão fazer o papel de cientistas, políticos irão fazer o papel de militares, políticos irão fazer o papel de médicos.

Quando o efeito começar a bater na porta lembrem-se de “fazé Uh Heli”

Last edited 1 mês atrás by Mirão
Alfredo
Alfredo
Reply to  Mirão
1 mês atrás

Prezado Mirão.
Não podemos nos esquecer que um dos piores desastres dos últimos tempos foi um militar fazer papel de Ministro da Saúde.
Catastrófico.
E o sujeito ainda se elegeu Deputado Federal.
Vai fazer papel de político.
Certamente, será um papelão.

Esteves
Esteves
Reply to  Mirão
1 mês atrás

São todos bruxos.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Bruxos são poucos. A maioria fracassa como aprendiz de feiticeiro.

Nilo
Nilo
Reply to  Mirão
1 mês atrás

Como militares da ativa fazendo o papel de politicos, venezuelaram o Brasil.
Caro ao menos a democracia brasileiro mostrou sua pujança, nos EUA os militares caíram fora da armadilha.

Oliveira
Oliveira
1 mês atrás

“Lula é um conciliador e faz todo sentido…”

Tradução: sabe distribuir $$$ entre companheiros e oposição.

Santamariense
Santamariense
1 mês atrás

” O novo ministro deve ainda rediscutir o papel das Forças Armadas em atividades que não são militares, diz Marques. Ela dá como exemplos o apoio a atletas de alto rendimento, o programa de desenvolvimento econômico e social Calha Norte e as escolas cívico-militares.” Então tá!! Concordo!! Militar não tem que ter atleta de alto rendimento, nem construir estradas, pontes, distribuir água, realizar ações de saúde e cívico-sociais nos mais longínquos recantos do país, não tem que carregar índios de uma reserva para outra, em aviões , helicópteros e navios, não precisa comprar, operar e manter navios de assistência hospitalar… Read more »

Alfredo
Alfredo
Reply to  Santamariense
1 mês atrás

Os caras trabalham pouco, se aposentam muito cedo, ganham relativamente bem e ainda ganham integral quando se aposentam, quando não deixam para mulher ou filha.
Dirigir caminhão para levar água para miseráveis no Nordeste é o mínimo que poderiam fazer.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Vocês têm que se decidir se querem que os militares cuidem somente da defesa ou sejam o Bombril do serviço público. Militar não tem que fazer serviço que não é de militar, seja qual for. Não gosta? Problema teu….

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

A semente da discordia plantada por Bolsonaro nas FAs vai explodir é no colo deles mesmo. Em todas as guerras civis brasileiras a coisa só nao foi generalizada pq o exercito se manteve coeso e unido do mesmo lado. No proximo conflito pode ter certeza que vão rachar, efeito Bolsonaro.

Nilo
Nilo
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Para começar milhares de militares com segundo emprego no governo tem que ser sumariamente demitidos. Os rentista, o sistema financeiro, que recebeu apoio deste grupo de militares, são indiferente aos destinos deles, e o grupo de empresários “mamadores”, em determinado momento, quando o caixa secar, irão lutar pela própria sobrevivência.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 mês atrás

“Parece que o Ministério da Defesa está sendo tratado de uma forma diferente. Que a política de defesa não é uma política pública e não merece uma discussão mais ampla da sociedade. A coisa começa torta”, afirma. O ministro é o responsável do governo pela execução da política de Defesa, reforça a pesquisadora “Se continuar com essa visão de que o ministro está lá para atender as demandas dos militares, tanto faz ser civil ou militar, nada vai avançar.” Perfeito! Está corretíssima a pesquisadora Adriana Marques. Precisamos de convergência e reformulação total entre as políticas de defesa, indústria e relações… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Sim, essa foi a melhor passagem da matéria. Completamente irretocável. Aliás, tive muito contato com o pessoal lá da Defesa da UFRJ e são muito bons no geral.

Esteves
Esteves
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Pois é. Isso veio da Guerra Fria e dos filmes da Guerra Fria como Dr Fantástico e Limite de Segurança. Civil ou militar sempre teve e tem alguém querendo apertar o botão como em Marte Ataca. Então…bota um Ministro pra dizer não como disse o Jungmann quando compraram o Atlântico: — Vai comprar mas quem vai pagar é o orçamento. No fim acabou saindo do Tesouro como compensação dos hidrocarbonetos. Militar que assina nota golpista pode ficar aonde está. Militar Comandante tem que ter currículo forte pra levar as necessidades sem contaminar a carreira com historinha de pré sal e… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Concordo com você, Esteves. Essa narrativa de ‘nós versus eles’ quando somos todos Brasileiros precisa acabar. Isso vem de tempos atrás, mas ficou ainda mais acirrada nos últimos anos. A maioria do povo só quer saber de trabalhar e ganhar o seu.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Eu respeitosamente discordo. Somos um pais de mais de 200 milhões de indivíduos, cada qual com seu interesse. Temos pontos em comum e divergências. Pessoalmente considero que a democracia é um “esporte de contato” onde diversos grupos competem para atender seus interesses mas tem que respeitar regras para manter algo minimamente civilizado. É a diferença entre a negociação e a guerra, no primeiro você quer ganhar, mas não pode fazer isso de goleada nem tentar destruir o inimigo, como o segundo. A democracia e liberdade são tensas, envolvem discordância, diferenças e a função do estado é evitar que a liberdade… Read more »

Nilo
Nilo
1 mês atrás

Esteves bom dia
https://www.rtp.pt/noticias/mundo/kosovo-separatistas-servios-barricados-no-norte-do-pais_v1452963
É a repressão da Otan contra a população Servia no Kosovo, contra o direito de protestar, o ultimato já foi dado, isso é real, está acontecendo.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Bom dia Nilo, bom dia.

To lendo.

francisco Farias
francisco Farias
1 mês atrás

Sem os militares nenhuma nação sobrevive. Todos os regimes comunistas, ainda hoje existentes, são mantidos e respaldado com o apoio dos militares. O que a esquerda faz é corromper as Forças Armadas e passar a comandá-las.
NENHUM pais comunista acabou com as Forças Armadas, apenas subverteu-as e passou a controlá-las.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  francisco Farias
1 mês atrás

Existem nações independentes que não tem forças militares permanentes

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  francisco Farias
1 mês atrás

Costa Rica mandou um abraço para você. Um abraço com PIB per capita e IDH maiores que o do Brasil, diga-se de passagem.

Fabio
Fabio
1 mês atrás

Parei de ler quando li….“Lula é um conciliador e faz todo sentido”…..

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Fabio
1 mês atrás

Olá Fábio. Geralmente, que para de ler no meio fica sem entender. Nós romances policiais, o assassino só aparece no final.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Não vai fazer nada de bom …. Do contrário já teria se pronunciado a favor da compra dos “Centauros” A grande maioria dos políticos não fazem nada só mentem, politica é a arte da mentira.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Caro Rodrigo. Errado. O governo eleito assumirá em 01 de janeiro. Até lá, seria inconsequente que o presidente eleito e o ministro indicados interferissem no processo que corre na justiça.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

“Quem não gosta de política, está condenado a ser dirigido por aqueles que gostam” frase atribuída a Platão que continua verdadeira até hoje.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Renato B.
1 mês atrás

Pois é. Aristóteles disse que o ser humano é um animal político. Isso significa que todas as suas ações afetam outras pessoas e as ações de outras pessoas afetam o indivíduo. Ao ignorar a politica, como a arte da negociação e compromisso, o pessoal se arrisca a bater cabeça.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Renato B.
1 mês atrás

Isso é a pura verdade, Não é a toa que uma quadrilha que assaltou o pais por mais de 13 anos esta voltando a cena do crime

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Caro Camargoer, Não estou pedindo para interferir na justiça, O que estou dizendo é que como futuro ministro da Defesa este Senhor deveria saber da necessidade destes blindados então ele poderia se pronunciar , acenar que é a favor da aquisição..Como sabe este processo de aquisição não começou agora.

No mais a presidente do partido que nem consigo digitar o nome já interferiu no processo a se pronunciar contra aquisição, e o advogado que entrou com a ação pedindo a suspensão da aquisição é um pau mandado do referido partido

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Olá Rodrigo. Como “futuro”ministro da Defesa, ele nada pode fazer agora pois o titular da pasta é outra pessoa, apesar que a situação da segurança pública chegou ao ponto do “futuro” ministro da justiça ser chamada a dar uma entrevista coletiva sobre os distúrbios em Brasilia no lugar do titular da pasta. Sobre a Gleise, ela é a presidente do PT mas também deputada federal (inclusive reeleita), o que dá a ela (assim como a qualquer deputado) a prerrogativa de se manifestar sobre os atos do poder executivo.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Caro Camargoer, sobre a segurança publica a muito que melhorar sim, mas se comparar com a época do PT no governo, estamos muito melhor a taxa de homicídios por exemplo é a menor em 10 anos e a apreensão de drogas também é recorde, vamos observar atentamente como estes índices vão se comportar agora com a volta da esquerda ao poder,. O tal futuro ministro comunista da justiça se pronunciou por conta própria sobre os “distúrbios” por sinal muito esquisitos, porque é fato que o atual ministro também se pronuncio na mesma noite. É também triste constatar que a Gleise… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Ola Rodrigo. A questão da queda dos homicídios precisa ser vista com atenção. O Atlas da Violêcia 2022 (o mais recente) tem uma figura que me preocupa muito. Ele mostra que a queda no número de homicídios entre 2017 e 2019 (não foram publicados dados de 2020 que deverá aparecer no Atlas de 2023) e um aumento nos casos de Mortes Violentas por Causa Indeterminada. Tem muitos pesquisadores da área de segurança pública apontando esta inconsistência. Recomento muito a leitura deste relatório do IPEA. Sobre a apreensão de drogas, ainda não deu para estudar isso. FIcaria grato se vocẽ tivesse… Read more »

Captura de tela de 2022-12-14 10-45-24.png
Joelson
Joelson
1 mês atrás

“Lula é um conciliador e faz todo sentido, por ser alguém que vai ter o papel de estabelecer com destreza um diálogo com setores que Lula percebe que podem ser resistência ao governo. Ele está pensando em sua sobrevivência política.”

A tá… tão conciliador como o Fernandinho Beira-mar quando era chefe do morro.

Faz me rir!

Diego Lima
Diego Lima
1 mês atrás

Agora vai!

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Eu não gosto dessa politica americanista , o Brasil não precisa ser instrumento da politica americana de contenção da Rússia e da China coisa nenhuma.

Jonathan Pôrto
Jonathan Pôrto
1 mês atrás

Já que preferem a vergonha de fazer continência a um Ladrão em 2023 o povo verde amarelo ñ vai comparecer ao Desfile Militar 07 de Setembro!! Nossas famílias ñ mais prestigiarão e que os Militares sejam hostilizados na arquibancada pelos vermelhos, comunistas maconheiros, feministas , todos ali no dia dos excluídos são a platéia agora em diante!!!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Jonathan Pôrto
1 mês atrás

Olá J. Inclua também os verdes, que são os ambientalistas. Eles também são um grupo estranho. Tem também os pretos. Os azuis e laranjas. Também tem o pessoal do arco-íris. Já que tem os vermelhos, acho importante adicionar na lista os infra-vermelhos, que são estão além do vermelho e são invisíveis mas carbonários. Também tem os ultravioletas. São extremistas mas não deve ser confundido com os ultra-violentos. Todos estes excluídos.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Faltou os de base em silício! Um absurdo!!!!! Hortas em protesto já!! 😛

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Excluídos do mundo, uni-vos!

Marcio Cosentino
Marcio Cosentino
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Hortas! Fantástico comentário, fantástico episódio. Vida Longa e Próspera.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Marcio Cosentino
1 mês atrás

Ah! Alguém sacou!

Vida longa & Próspera, Marcio.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Jonathan Pôrto
1 mês atrás

Tem uns mesmo que não vão fazer continência, vão “fazê uh ele” no lugar, Vergonha !

RSmith
RSmith
1 mês atrás

Hum… conheço esse senhor … ele fez teve muito sucesso no EUA…. vai da um excelnet Ministro da Defesa :o) vide –> Henry Winkler – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Wellington
Wellington
1 mês atrás

A velha tradição do PT em colocar num cargo quem não entende nada dele!

Renato B.
Renato B.
1 mês atrás

Escolheram um político profissional, dentro das opções eu achei uma boa escolha. Assim, os militares deixam a política para ele, que é como deve ser. Se ele for um bom gestor vai escolher bons técnicos e a vida continua com estabilidade.

André Garcia
André Garcia
1 mês atrás

Devemos sempre estimular a ocupação do MD por civis.
O envolvimento de civis no tema da defesa é estratégico para o país. Defesa não é, e nem deve ser, um assunto exclusivo para militares, sob pena de ficar sujeito à incompreensões, desconhecimentos e, sobretudo, desconfianças.
É assim que as modernas democracias se relacionam com a questão.

Last edited 1 mês atrás by André Garcia
Grifon
Grifon
1 mês atrás

José Múcio será aquele que vai diminuir a quantidade de treinamentos das nossas forças armadas, aquartelando-as cada vez mais, ou seja, é aquele que vai encostar de vez as nossas forças armadas deixando-as jogadas às traças!!!

AMX
AMX
1 mês atrás

Só rasgação de seda, tá louco.

E mais: durante todo o governo Bolsonaro, cuja maioria era composta por técnicos (leia-se entendedores de verdade ou gente com experiência nas suas áreas), reclamava-se “que não era técnico”.
Agora, claramente não-técnico, dizem “oh, nossa, que bom…”.

Já perdemos.

Grifon
Grifon
Reply to  AMX
1 mês atrás

Agora é que as forças armadas serão colocadas no fundo do poço