• Na quarta-feira, 1º de fevereiro de 2023, o ministro da Defesa francês, Sébastien Lecornu, e seu homólogo ucraniano, Oleksiy Reznikov, reuniram-se nas instalações da Thales em Limours, ao sul de Paris, um centro de excelência em defesa aérea na Europa, para assinar um contrato para a entrega de um sistema de defesa aérea de curto alcance, incluindo um radar Ground Master 200, para ajudar a proteger a Ucrânia;
  • Como líder europeu reconhecido na integração de sistemas de sistemas, a Thales utiliza sua experiência em defesa aérea para ajudar as nações a garantir sua soberania e proteger seus cidadãos e interesses territoriais;
  • As tecnologias de defesa aérea da Thales fornecem proteção contra todos os tipos de ameaças aéreas em todos os níveis do espaço aéreo e cobrem toda a cadeia de tomada de decisão, desde a detecção e identificação até a neutralização.

Apoiando as defesas aéreas da Ucrânia

O contrato assinado pelo ministério da defesa ucraniano, o ministério da defesa francês e a Thales cobre a entrega de sistemas completos de defesa aérea de curto alcance, incluindo um radar GM200, um centro de comando e controle, um sistema de comunicação por rádio e designadores de alvos aéreos.

A visita a Limours pelos dois ministros da defesa incluiu uma visita às instalações de design, produção e suporte do radar militar da Thales.

Hoje, as instalações da Thales em Limours são reconhecidas como o maior centro de especialização da Europa no campo da defesa aérea.

Um sistema completo de detecção e proteção de ameaças para a Ucrânia

Para manter as populações e as forças armadas seguras, as ameaças devem ser detectadas o mais cedo possível, quando e onde quer que surjam – no mar, no ar ou em terra.

Para derrotar as ameaças modernas, mais discretas, mais manobráveis e mais rápidas do que nunca, os sistemas de defesa aérea devem ser capazes de detectar e rastrear qualquer tipo de alvo e fornecer dados acionáveis sobre objetos em movimento no ar, em terra ou na superfície de o mar.

A Thales possui experiência de longa data em todos os aspectos da defesa aérea, desde contramedidas de drones até defesa contra mísseis antibalísticos: radares de superfície, radares aéreos, centros de comando, sistemas e equipamentos de comunicação e diferentes tipos de efetores.

O GM200 e os outros radares de superfície da família Ground Master oferecem uma resposta eficaz aos tipos de ameaças enfrentadas pela Ucrânia, que incluem drones e ameaças de longo alcance, como mísseis de cruzeiro, helicópteros e aeronaves de combate.

Como líder europeu reconhecido em integração de sistemas, a Thales tem a capacidade de integrar sistemas de sistemas de defesa aérea e gerenciar a compatibilidade com outras defesas, o que é uma vantagem real para usuários que precisam implantar seus recursos de forma rápida e eficiente.

“A Thales tem orgulho de desempenhar um papel na proteção da Ucrânia, em particular ao fornecer sistemas de defesa aérea.” Patrice Caine, presidente e diretor executivo.

DIVULGAÇÃO: Thales

Subscribe
Notify of
guest

33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MFB
MFB
1 ano atrás

Ótima notícia para a luta contra os invasores criminosos.

Jose
Jose
Reply to  MFB
1 ano atrás

Caro MFB já não bastasse o fogo russo agora fogo “amigo” também, ou alguém acredita que um contrato para desenvolver algum sistema junto com os franceses tem como acabar bem.

Realista
Realista
Reply to  MFB
1 ano atrás

Pena que os Sírios a aliança do bem não ajuda .

Slowz
Slowz
1 ano atrás

Vai ser inútil, segundo as otanianas a Ucrânia já destruiu toda força aérea russa .. 🤣

Pablo
Pablo
Reply to  Slowz
1 ano atrás

Se destruiu ou nao, eu nao sei, mas o fato que a única hegemonia aerea russa na Ucrânia em um ano (estranhamente diziam que a tal “operação especial” duraria apenas algumas semanas), sao das torres dos blindados russos.

Last edited 1 ano atrás by Pablo
Realista
Realista
Reply to  Pablo
1 ano atrás

sao das torres dos blindados russos. ”

O mais curioso é que quem em pede tanque a todo momento é a Ucrânia ..

Leo Machado
Leo Machado
Reply to  Pablo
1 ano atrás

A cada 20, 30 dias um avião ucraniano levanta voo e logo é derrubado.
Ontem foram divulgadas fotos de um helicóptero Mi-8 derrubado com soldados de Forças especiais que estavam tentando chegar à frente.
Cenas realmente terríveis.
Mas o fato é.
Botou o nariz pra fora do abrigo,
é destruído.

Pablo
Pablo
Reply to  Leo Machado
1 ano atrás

Ae? Mas e a tal hegemonia aerea que os russos tanto falaram??

Pablo
Pablo
Reply to  Leo Machado
1 ano atrás

E os russos tem tanto blindado que nao estavam levando os T62 com mais de 60 anos para a ucrania?

Pedro
Pedro
Reply to  Leo Machado
1 ano atrás

E vc acha isso um bom sinal? Em um ano a Russia não conseguiu hegemonia aérea.

100nick-Elã
100nick-Elã
1 ano atrás

Quando a Rússia vencer, esse contrato vai tomar calote mesmo. KKKKKK

Leo Machado
Leo Machado
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Tio Sam paga.
Ou melhor, coloca da dívida federal.

Nei
Nei
Reply to  Leo Machado
1 ano atrás

Inveja!

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Não era para ter vencido em apenas duas semanas ?

Este mês faz aniversário de 01 ano e estão no mesmo atoleiro de sempre

Nei
Nei
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Pela primeira vez, tens toda razão.

Quando ela vai vencer? 2 semanas? Quando o urso acordar da hibernação de 1 ano já?

fewoz
1 ano atrás

Muitas notícias sobre aquisições ucranianas, mas pouca ou nenhuma informação sobre como ela pagará por tudo isso. Parece que tudo vai de graça, mas sabemos que não é assim de simples… Bem que o Forte poderia escrever algo a respeito.

Last edited 1 ano atrás by fewoz
Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
Reply to  fewoz
1 ano atrás

A Black Rock já assumiu o governo da Ucrania, pessoal fica se iludindo com um país que praticamente nem existe mais.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Red Pill - 红色药丸
1 ano atrás

Ainda ontem houve uma cimeira UE/Ucrânia, e em 2033, o mais tardar, a Ucrânia será mais um país da UE.
Basta a guerra acabar e a Ucrânia será reconstruída.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  rui mendes
1 ano atrás

em 2033???? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Heitor
Heitor
Reply to  fewoz
1 ano atrás

É isso que tenho escrito aqui. Inclusive os tanques, aviões que eles tanto querem. A conta vai chegar. Se a Rússia não vai tomar a Ucrânia, o ocidente vai…

Alexandre
Alexandre
Reply to  Heitor
1 ano atrás

A Rússia certamente não vai.
Ainda mais agora que o “Brahma” se ofereceu para mediar o conflito, com palavras sábias: “onde um não quer….dois não brigam”

Nei
Nei
Reply to  Heitor
1 ano atrás

Que maravilha, acredito que eles preferem dar a Ucrânia aos EUA em troca da divida, do que pertencer aos russos corruptos.

Alexandre
Alexandre
1 ano atrás

Basicamente, sem capacidade de manobra em profundidade e sem apoio aereo, os russos dos Wagner terão que rastejar cada centímetro para conquistar algum território

Estratégia da Otan se mostra eficiente.
Dia 24 aniversário de 01 ano da operação especial interminável.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Alexandre
1 ano atrás

olha tá difícil para a Rússia. Mas eles estão criando de novo uma situação de Pinça no Donbas

Felipe
Felipe
1 ano atrás

Agora só falta combinar com os Russos

Nei
Nei
Reply to  Felipe
1 ano atrás

Com os russos não se pode combinar nada, mentirosos, corruptos e atolados na Ucrânia.

Quando tomará Kiev? Mais 2 semanas?

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Esse radar pareceu muito o nosso Saber M200

RPiletti
RPiletti
1 ano atrás

Gostaria de saber quem pagará a conta caso a Rússia tomar toda a Ucrânia… curiosidade mesmo, nada de ironia.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  RPiletti
1 ano atrás

os pagadores de impostos dos países doadores. pois é eles que estão financiando tudo isso

Neural
Neural
1 ano atrás

Vão pagar como? Vão ter que vender terras do país.

Cícero Martins
Cícero Martins
Reply to  Neural
1 ano atrás

Na verdade quem paga todos esses equipamentos de obsletos somos nós, por isso mesmo é que além de pagarmos altos salários dos grandes comandantes ainda temos que comprar equipamentos de guerra desse tipo, ao invés do Brasil desenvolver seus próprios meios de defesa igual a república do Irã com pouco orçamento e enfrentando todos os tipos de sansões conseguiu desenvolver arsenais de drones letais, arsenais de várias gamas de mísseis balísticos de até 5 mil quilômetros e de curto alcance até agora não nuclear, mas não vai demorar para ter seu próprio arsenal nuclear.

Cisso Pazei
Cisso Pazei
1 ano atrás

O Brasil Só queimando o dinheiro dos impostos do povo com porcarias, além do mas tanques de guerra e nada é a mesma coisa numa guerra; quer dizer que não ajuda em nada, o Brasil tem que ter é mísseis de longo e curto alcance desde de mísseis balísticos e mísseis intercontinentais e um arsenal nuclear

Cícero Martins
Cícero Martins
1 ano atrás

O Brasil tá jogando dinheiro dos contribuintes pelo ralo, porque tanques de guerra nas guerras modernas de hoje em dia não vale nada, o Brasil precisa é se equipar com mísseis e plataformas de lançamentos para mísseis de longo e curto alcance desde mísseis balísticos e intercontinentais e um arsenal nuclear se quiser um país impenetrável, as três forças também deveria baixar a bola e proteger as fronteiras ao invés de ficar fazendo política dando proteção a acampamento golpistas, exercito é para proteger o país de possível invasão externa e não para ficar fazendo política e desarmonizando os poderes constituídos… Read more »