Chefe do Estado-Maior do Exército Brasileiro participa da cerimônia de entrega do lote piloto da VBC Cav Centauro II na Itália

121

Itália – O Chefe do Estado-Maior do Exército, General Stumpf, realizou uma visita oficial à Itália, entre os dias 28 e 31 de janeiro de 2023, acompanhado pelo General Rocha Lima, 4º Subchefe do Estado-Maior do Exército, e pelo Cel Sergio Oliveira, Adido do Exército na Itália.

A atividade englobou a cerimônia de entrega do lote piloto da VBC Cav Centauro II para o Exército Brasileiro, na sede da empresa Oto Melara, em La Spezia, e contou com a presença de diversas autoridades civis e militares italianas.

Em prosseguimento ao compromisso oficial, o General Stumpf participou, em Roma, de uma reunião com o Secretário Geral/Diretor Nacional de Armamento do Ministério da Defesa da Itália, Gen Ex Luciano Portolano; de uma reunião com o Subchefe do Estado-Maior do Exército Italiano, Gen Ex Gaetano Zauner; de briefings sobre a avaliação da VBC Cav e sobre a capacitação de pessoal. Por fim, participou de uma audiência com o Embaixador do Brasil na Itália, o Embaixador Helio Ramos.


FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest

121 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Grifon Eagle
Grifon Eagle
1 ano atrás

Excelente!!! O triste é que daqui que o nosso EB tenha as 98 unidades desses magníficos blindados, vai demorar duas décadas infelizmente…

karl Bonfim
karl Bonfim
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

Está andando até rápido, ainda passarão por longas baterias de testes pelo EB antes de entrar em produção, mas mesmo assim, ainda está sendo célere o processo de aquisição do Centauro II…

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  karl Bonfim
1 ano atrás

Pois é, só essas longas baterias de testes demorarão dois anos pq os dois blindados serão muito bem estudados e testados. Acho que o EB deveria abdicar das modernizações do Cascavel 6×6 e do Leopard 1a5 e investir pesado nos blindados Centauro II 8×8.

RDX
RDX
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

Penso que o EB deveria começar a reduzir drasticamente seus meios sobre lagartas. Não precisamos de 12 unidades (4 RCC, 4 BIB e 4 RCB) com meios sobre lagartas. Aliás, 12 unidades incompletas e equipadas com material velho e completamente obsoleto. Alguém tem dúvida de que uma simples unidade do US Army, equipada com Abrams e Bradley, é mais poderosa que as nossas 12 unidades (que na prática devem ser 6). Além disso, não temos inimigos que justifiquem tamanho (e caríssimo) aparato. Eu trocaria as 12 unidades atuais por 2 RCC com Abrams ou K2, 2 BIB com Bradley ou… Read more »

Last edited 1 ano atrás by RDX
Tomcat4,4
Tomcat4,4
Reply to  RDX
1 ano atrás

Faz sentido ,ainda mais se levarmos em conta que a maior parte do território onde se usaria um blindado sobre lagartas, não suporta/comporta um veículo de qualquer tipo ou seja precisamos de poucos veículos sobre lagartas para operarem em pontos específicos e de muitos veículos sobre rodas.

RDX
RDX
Reply to  Tomcat4,4
1 ano atrás

Sim, precisamos de blindados sobre lagartas apenas nos pampas, mais precisamente no sul do Rio Grande do Sul.

Santamariense
Santamariense
Reply to  RDX
1 ano atrás

Só uma observação: Não seria somente no pampa (Sul do RS). Além do pampa, as regiões central, toda a fronteira oeste, região noroeste e leste são aptas. O mesmo vale para o oeste de SC e PR.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  RDX
1 ano atrás

Toda a fronteira do MS até RS pode ter emprego de blindado.
É um erro achar q blindado só combate em amplas planícies sem obstáculos.
Veja o terreno da Coreia do Norte e Sul. E blindado é o q não falta lá.
Sds

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  RDX
1 ano atrás

Eu discordo, o Centro-Oeste e Nordeste comportam veículos blindados, veja que operam M60 no primeiro, um veículo de 50 toneladas.
No nordeste podem operar veículos de qualquer tipo, já que o ambiente é misto de caatinga e terreno de terra vermelha.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  RDX
1 ano atrás

isso mesmo RDX, perderia uma divisão blindada que só existe no papel, para uma brigada de cavalaria pesada padrão Otan, esta que funcionaria como a ponta de uma lança….mas para isso funcionar precisamos melhorar o modal logístico ferroviário (esta mesma que foi desmantelada pelos governos dos anos 80/90) para ter condições de colocar em operação em grande parte do território nacional…é certo que não temos condições financeiras de proteger mais de uma fronteira dos nossos Estados, então que esta resposta seja no menor tempo possível com os melhores meios. O que é mais notável na situação atual que está mais… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Rafaelvbv
Henrique A
Henrique A
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 ano atrás

Na verdade existe áreas imensas no SE, NE e Centro-Oeste que também são propícias para operação de CCs; o maior impeditivo mesmo é a infraestrutura.

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 ano atrás

Mas o importante é gastar com pessoal

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  RDX
1 ano atrás

Exatamente, o EB já concentra seus blindados sobre lagartas mais para o sul do país, ademais o EB já quer adquirir obuseiros autopropulsados sobre rodas a fim de substituir os M109A5+. O Centauro II veio na hora certa, pois é um blindado versátil e é sobre rodas 8×8.
De lagartas só teremos o M113, sendo que o EB possui 584 M113 em operação. Esses serão difíceis de saírem de operação agora.

RDX
RDX
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

O M113 deveria ficar reservado a tarefas de apoio (transporte de carga, ambulância, comando etc), assim como o M577. Defendo inclusive a aquisição do M548, uma versão de apoio logístico do M113. O grande erro do EB é insistir em usar o M113 como VCI.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  RDX
1 ano atrás

É eu concordo tbm, mas o M113 foi modernizado recentemente e serve para os dois. Tem blindados que servem de transporte e apoio logístico, e outros de combate na cavalaria e infantaria blindada. O M113 ainda sim é um excelente veículo de transporte para as tropas de infantaria, ainda nos servirá bastante.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

“…o EB já quer adquirir obuseiros autopropulsados sobre rodas a fim de substituir os M109A5+.”

Negativo, meu caro. Os obuseiros AP/SR são para reequipar Unidades que hoje operam equipamento AR (M114). Os M109A5 e A5+ operarão por muitos anos.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  Santamariense
1 ano atrás

Os obuseiros M114 são obuseiros fixos, e a previsão é que sejam substituídos pelo M198.
Eu me refiro aos obuseiros autopropulsados, no caso os M109A5 que o EB opera, continuarão operando normalmente, porém o EB já prefere um obuseiro autopropulsado sobre rodas por ser mais ligeiro, mais versátil e por ter uma praticidade logística mais viável. A previsão é a aquisição de 36 obuseiros autopropulsados sobre rodas para serem utilizados junto com os M109A5. É certo que daqui a 25 anos eles sejam substituídos por outros obuseiros autopropulsados sobre rodas.

RDX
RDX
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

Grifon, eu acho que o tal plano para adquirir M198 já morreu faz tempo. O Santamariense tem razão. Parte dos M114 já foi substituída pelo M109A5….embora um obuseiro AP sobre rodas seja o substituto ideal.

A propósito, eu queria entender porque o EB comprou 100 M109A5 (32 modernizadas para o padrão + BR, 36 revitalizadas e as demais para canibalizar ou treinamento), mas preservou uma unidade com o obsoleto M109A3.

Last edited 1 ano atrás by RDX
Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  RDX
1 ano atrás

Ainda há peças de reposição.

Santamariense
Santamariense
Reply to  RDX
1 ano atrás

Esta Unidade de M109A3 é o 22⁰ GAC/AP, de Uruguaiana/RS. Seu reequipamento com o M109A5 já está em curso, com o recebimento das 4 primeiras viaturas em dezembro de 2022. A quantidade de viaturas da versão A5 revitalizadas será de, no mínimo, 48 unidades.

Last edited 1 ano atrás by Santamariense
Santamariense
Santamariense
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

Claro que o M114 não é AP, por isso eu escrevi “equipamento AR (M114)”. AR quer dizer Auto Rebocado.
A questão do obuseiro AR M198 morreu na casca. Os obuseiros sobre rodas irão substituir, ao menos em parte, os M114.
Quanto ao futuro, veremos quais vão ser as tendências quando chegar a hora de pensar em um substituto dos M109.

Last edited 1 ano atrás by Santamariense
Henrique A
Henrique A
Reply to  RDX
1 ano atrás

O EB quer substituir o armamento vetusto mas manter as OM defasadas, nem se cogita em mudar alguma coisa, claro, vai ter coronel com menos oportunidade de comandar alguma coisa.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  Henrique A
1 ano atrás

Como assim?

Henrique A
Henrique A
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

Que o EB nem cogita em desativar ou remodelar os regimentos, quer apenas substituir o equipamento obsoleto e inoperante mas com 90% do orçamento gasto com soldo e pensões não tem dinheiro pra modernizar por completo, então fica essa força “meia-sola.”

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  Henrique A
1 ano atrás

Realmente! Com esse orçamento pífio e bastante baixo, será muito difícil modernizar o EB, só o fato de adquirir 98 Centauro II gradualmente sendo a última unidade prevista para daqui a 15 anos, já é um absurdo, quem dirá modernizar o restante dos equipamentos bélicos, como fazer aquisição de 36 obuseiros autopropulsados sobre rodas, sistema de defesa antiaérea de médio alcance, substituir os obuseiros fixos já obsoletos pelo M198, infelizmente é triste mas não teremos condições.

Felipe
Felipe
Reply to  Grifon Eagle
11 meses atrás

98 é o mínimo, poderá chegar a 221 unidades, ainda assim 15 anos é muito tempo.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Henrique A
1 ano atrás

Opa!
Cheiro de recalque…

sub urbano
sub urbano
Reply to  RDX
1 ano atrás

Eu discordo de vc. Veja os videos da Síria. Quando um MBT enfrenta qualquer outro blindado menor é um massacre. O MBT ainda é o encouraçado terrestre. 50 toneladas de aço contra 20 ton. É um peso pesado contra um peso médio, o resultado é previsível. Os alemães inventaram os “destruidores de tanques” na WWII para enfrentar os T-34, mas era uma tarefa inglória, os caça tanques nada mais eram que grandes canhões autopropulsados protegidos por uma casquinha fina de ovo. Ele podia destruir um tanque mas mal podia se proteger. Foi a solução que uma nação desesperada tomou para… Read more »

Júnior
Júnior
Reply to  RDX
1 ano atrás

Os Americanos e europeus interferem a longa data na política brasileira…tudo estratégia geopolítica, veja a realidade: 1) Nos falta uma classe política nacionalista e comprometida realmente com nosso povo! Tudo mais já possuímos ( povo trabalhador, recursos hídricos e minerais em abundância) 2) Nossos recursos hídricos e minerais são cobiçados explorados de forma barata e abusiva pelas nações desenvolvidas, em particular os americanos, Europa e China! 3) Não há um plano de desenvolvimento nacional realista e concreto ( “Nao deixam”) 3) Nossas forças armadas possuem recurso ( verba federal ) mínima pois praticamente é a conta de se pagar os… Read more »

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  Júnior
1 ano atrás

Nossa! Como os americanos são maus… kkkkkkk! Assumir que os brasileiros não fazem nada direito, não assume, né? É mais fácil culpar os outros…

Ricardo Teixeira
Ricardo Teixeira
Reply to  RDX
1 ano atrás

Essa é uma discussão que parece de fácil entendimento, já que meios sobre rodas são mais rápidos, fáceis de operar e mais baratos. Ledo engano. Para quem já esteve presente em várias manobras em Saicã e assistiu constantemente os M113 desatolando e rebocando Cascavel e Urutu posso afirmar que numa guerra, lagarta dá de 7×1 em rodas. E nem falei na blindagem.

Bardini
Bardini
Reply to  Ricardo Teixeira
1 ano atrás

E pq o EB deveria atrelar o futuro da força blindada as condições do Saicã? Gaúcho, que acha que o Pampa e a ameaça Argentina deveria ter grande relevância dentro do futuro da força?
.
O que deveriam fazer dentro do CMS, é acabar com capilaridade existênte, que só serve para rasgar dinheiro. Dinheiro este, que faz muita falta e poderia ser aplicado em meios de artilharia. Artilharia, que teria como missão, moer qualquer um que ouse se aventurar a entrar no Pampa.

Henrique
Henrique
Reply to  Ricardo Teixeira
1 ano atrás

Sim, lagartas no campo de batalha são praticamente superiores em tudo as rodas, o problema é fora do campo de batalha: lagartas são consideravelmente mais complexas, tem manutenção mais cara e demandam mais da logística.
Por exemplo, os americanos só adotaram um APC sobre rodas (Stryker) por causa do contexto da Guerra ao Terror e a crença no “fim da história” que demandava uma organização e um equipamento mais ligeiro e mais empregável em contexto de infra precária e onde a velocidade em expedir tropas era mais importante que as vantagens inerentes aos veículos sobre lagarta.

Last edited 1 ano atrás by Henrique
Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  RDX
1 ano atrás

Blindados sobre rodas e sobre lagartas vão para o combate em pranchas. Não rodam pelas estradas. Mobilidade estratégica não é um conceito fácil de por em prática, quando vc não tem um monte de Galaxy e Globemaster. E 12 unidades sobre lagartas não são muitas. Precisa é trocar o material. Demorou muito tempo pra trocar. Quando tínhamos os M-41, deveriam ter sido trocados muito antes. E quando adotamos os Leo 1, era pra termos adotado o Leo 2, substituindo o substituto do M-41. Eu não Consigo por aqui os vídeos q vi. Mas procure na internet q deve achar. Enquanto… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Velho Alfredo
1 ano atrás

Em 1 dia, você movimenta uma unidade blindada sobre rodas por bons 700 km, cobrindo uma necessidade de reação rápida. Isso é mobilidade estratégica. Não precisaria de prancha. As pranchas, ficariariam livres para o pessoal da logística movimentar outras unidades e meios, trazendo material de apoio, eng de combate, etc.

Rafael
Rafael
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Bardini, caso você tenha Twitter, o perfil do Jon Hawkes – da Janes – tem um série de threads comparando veículos com rodas e esteiras. O cara aponta vários detalhes que desmistificam uma infinidade de preconceitos solidificados nessa seara. Tudo com muita imagem.

Ps: o U.S. Army compra dezenas de milhares de veículos pesados (8×8) e seus implementos. Todos os outros exércitos têm que calcular idas e voltas para realizar seus desdobramentos. No final, podemos estar falando nem de semanas, mas de meses.

Bardini
Bardini
Reply to  Rafael
1 ano atrás

Roda vs lagarta é discussão pra lá de velha. Eu já dei minha opinião vádias vezes: 1 Brigada Pesada full, MBT, IFV, forte em Artilharia, Sinais/GE, apoio direto da AVEX e etc, concentrada no Forte Santa Bárbara. O resto, é roda e o Centauro II só faz sentido para o EB, se for empregado como VBC CC SR. . No mai, roda tem vantagem e desvantegem. Para o Brasil, a vantagem é o custo e a já existência de mais 600 unidades do Guarani. Não sai do zero. . O US Army é um ponto fora da curva. Melhor logística… Read more »

Felipe
Felipe
Reply to  RDX
1 ano atrás

Já eu acho pouco a quantidade de tanques sobre lagartas que temos , 293 salvo engano, e o máximo que chegamos a ter foram 368 M-41C, quantitativamente só veio caindo. O colega sugere se desfazer das poucas unidades que temos para investir em mais blindados sobre rodas sendo que cada meio tem uma função.

Nico88
Reply to  RDX
1 ano atrás

Pelo contrário. Deve aumentar. A capacidade de um veículo de lagarta sobre um com pneu é enorme.

RDX
RDX
Reply to  Nico88
1 ano atrás

Pelo visto você não tem a menor ideia de quanto custa um blindado sobre lagarta de última geração.

Os húngaros compraram recentemente 218 IFV Lynx por US$ 2,4 bi…e os noruegueses acabaram de encomendar 54 Leopard 2A7 por US$ 1,96 bi. 54 Leopard 2 são suficientes para equipar 1 RCC. Temos 4.

RDX
RDX
Reply to  RDX
1 ano atrás

Eu defendo a manutenção de 2 RCC com Abrams ou K2 porque eu acho que com uma hábil diplomacia o EB consegue selecionar 100 Abrams no deserto para revitalizar. No caso do K2 eu acho que a gigantesca encomenda polonesa fez o custo unitário despencar. Ainda assim está muito longe da realidade orçamentária do EB. Qualquer outro modelo, na minha opinião, é devaneio.

Oráculo
Oráculo
Reply to  RDX
1 ano atrás

Um MBT “puro sangue” é a principal arma de combate de uma força terrestre. Não existe nada parecido no campo de batalha. E nem mesmo as perdas gigantescas de MBTs na Ucrânia, nos dois exércitos, mudaram isso. O EB não só deve manter o número atual de MBTs como precisa com urgência adquirir mais unidades de um modelo mais moderno. E tem urgência em adquirir algum IFV(CV-90?) para substituir os M113 nas brigadas de infantaria blindada. Ou seja, outro veículo de esteiras. Poxa,mas não tem dinheiro… Dinheiro tem, e bastante. Só que estão gastando errado. Só pra variar… E a… Read more »

Felipe
Felipe
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

Vai depender da situação financeira, 98 é o mínimo previsto mas a meta é chegar nas 221 unidades.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  Felipe
1 ano atrás

Pois é, mas 98 Centauro II em 15 anos, justamente por causa do baixo orçamento. Isso é um absurdo!!! O ideal seria injetar recursos logo para obtermos as 221 unidades até 2030.

Krest
Krest
Reply to  Grifon Eagle
1 ano atrás

Injetar mais recursos ? O eb ja tem um ótimo orçamento! Existem forças militares muito mais modernas que a nossa com menos recursos. A questão é administrativa mesmo, uma organização militar que se comporta como realeza com um número desnecessário de militares e dinheir9 que escorre pelo ŕalo. O eb não tem preocupação real em ter uma força moderna e sim wm manter todos os privilégios de classe que mantém. Não passam de ym bando de duques completamente desconectados das necessidades do povo brasileiro e que venderiam a mãe se a ordem certa do grande irmão vier

Sulamericano
Sulamericano
1 ano atrás

Tá um dos motivos para se escolher o Centauro: aquela viagem gostosa pra Itália com tudo pago.
Afinal, que glamour tem em ir pra Sete Lagoas desenvolver um Guarani 8×8?

karl Bonfim
karl Bonfim
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

Ócios do ofício meu caro!.

Bueno
Bueno
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

Triste ter pessoas com este pensamento medíocre.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

´Vc está ganhando para postar essas coisas ou faz de graça? para sua informação o militar está estreitando a relação para tirar o melhor proveito do meio adquirido para criar uma doutrina, também conhecido como técnicas, táticas e procedimentos…quando um militar está a serviço precisa prestar conta aos superiores com relatórios…..está no fórum errado amigo…

Last edited 1 ano atrás by Rafaelvbv
Rafael
Rafael
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 ano atrás

quando um militar está a serviço precisa prestar conta aos superiores com relatórios”. Brasil, 2023.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

“Tá um dos motivos para se escolher o Centauro: aquela viagem gostosa pra Itália com tudo pago.”

Provavelmente uma viúva do made in USA adaptado…🤔 Venceu o melhor, simples assim, novidade nenhuma, deu a lógica.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Acho q ele queria que fosse o Stryke norte-americano, mas n sabe o quão bom é o Centauro II pra nós.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

Entenda: O Guarani 8×8 É o Centauro II. Fim.

PauloOsk
PauloOsk
Reply to  Welington S.
1 ano atrás

Foi o que eu sempre pensei. rsrs

Oráculo
Oráculo
Reply to  Welington S.
1 ano atrás

Tem que desenhar…

m4l4v1t4
m4l4v1t4
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

Ou um Guarani 10×10 … … pra depois partir para um Guarani 12×12 O problema do índio é que ele não quer ter uma india, construir uma família e ser feliz. Ele quer matar todo mundo como se fosse o Rambo, pra ficar com a filha de um nobre português, que ele pegara como sua índia; quer que toda mundo morra, e que só sobre ele e a portuguesinha no final. Carlos Gomes e José de Alencar vão te satisfazer, de mentirinha, mas vão. Guarani 8×8 é gambi. 8×8 com canhão de 120mm já não é gambi, é projeto natimorto… Read more »

tsung
tsung
Reply to  m4l4v1t4
1 ano atrás

q?

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

Boa tarde !!!
Já parou para pensar, que temos fornecedores na suécia, alemanha, frança, inglaterra e eua?

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Sulamericano
1 ano atrás

Guarani é o nome da família.
Dessa família, o 6×6 se chama Guarani também.
O Guarani 4×4 é o Lince.
O Guarani 8×8 é o Centauro II

Uma equipe receber o Bld q vai trazer um enorme ganho pro EB é viagem gostosa….

Alunos brasileiros fazendo mestrado e doutorado sanduíches com teses sobre os suvaques de todes é essencial…

NEMO revoltado
NEMO revoltado
1 ano atrás

Boa tarde senhores.

Tenho uma duvida, aquilo no lado esquerdo acima da torre próximo ao canhão, é o sistema de tiro automatizado da metralhadora?

Pergunto, porque não conheço os detalhes e não sei se o EB optou pelo blindado com ou sem este sistema, já pensando em adaptar o remax.

Last edited 1 ano atrás by NEMO revoltado
Bardini
Bardini
Reply to  NEMO revoltado
1 ano atrás

Esses blindados já existiam. O que você vê, é o que já estava instalado: uma estação de armas HITROLE Light.

NEMOrevoltado
NEMOrevoltado
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Obrigado

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  NEMO revoltado
1 ano atrás

Nemo, pelo que sei, fora os sistemas de comunicação exclusivos da Otan o blindado vem completo….não é exagero dizer que estamos no mesmo patamar que os próprios italianos…posso estar errado, mas acho que na história do e.b essa é a primeira vez que usamos um equipamento no Estado da Arte e isso é motivo de orgulho que a “geração lacração de teclado” não tem noção.

NEMOrevoltado
NEMOrevoltado
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 ano atrás

Obrigado

Dod
Dod
1 ano atrás

Eu acho esse centauro 2 muito maneiro.Cara de imponente

Gabriel BR
Gabriel BR
1 ano atrás

Torcendo para o EB comprar uns 400 arietes C2

MFB
MFB
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Torcendo não, SONHANDO. Vão comprar alguma porcaria de segunda mão completamente ultrapassada como sempre.

Last edited 1 ano atrás by MFB
Henrique A
Henrique A
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

O Ariete é um Leopard 2 piorado, não vale a pena e os italianos não apenas não irão vender como vão modernizá-los e usar por muitos anos mais.

Bardini
Bardini
Reply to  Henrique A
1 ano atrás

O que me quebra nesse caso todo, é ver gente falando em Ariete como opção de renovação para o EB, sendo que: a linha de produção simplesmente não existe mais, o último blindado construído tem praticamente duas décadas que foi entregue e os próprios italianos estão buscando um novo MBT (e IFV), pq não tem toda a capacidade instalada para projetar e produzir novos blindados Sobre Lagarta, sem parceiros.

Marcos R
Marcos R
Reply to  Bardini
1 ano atrás

está aí uma oportunidade de ser es parceiro e desenvolver em conjunto

Bardini
Bardini
Reply to  Marcos R
1 ano atrás

Parceria eles fazem com Alemanha e França. Para o Brasil, é venda.
.
Os italianos tem muito interesse no MGCS e em uma versão local do Lynx KF-41.

Rafael
Rafael
Reply to  Marcos R
1 ano atrás

O Brasil vai entrar com a expertise, com a capacidade industrial ou com o dinheiro?

tsung
tsung
Reply to  Rafael
1 ano atrás

expertise com capacidade industrial, nao tem , se nao teria que ter dinheiro pra valer investimento.

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Os Italianos estão a actualizar o C1 Aríete, para C2 e já está decidido, que vão fazer um novo blindado em 2030, bem como um novo VCI para substituir os Dardo, essa dos Italianos não terem capacidade instalada, é uma comédia, eles procuraram meter os Polacos no progecto de um novo mbt, para ficar mais barato, bem como no novo heli de ataque, mas os Polacos não quiseram esperar e não entraram, então os Italianos decidiram, actualizar os Aríete e avançar sozinhos em 2030, para um novo mbt, VCI e um novo heli de ataque, que já está a ser… Read more »

Atirador
Atirador
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Não existem 400 Arietes

Gabriel BR
Gabriel BR
1 ano atrás

Parabéns ao EB por escolher a melhor viatura do mundo ao inves de um guarani remendado mequetrefe

MFB
MFB
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Falou a verdade é será muito negativado por isso.

eliton
eliton
1 ano atrás

Podem me tacar pedra a vontade, mas os bilhões gastos nesses veículos seriam muito melhor aproveitados em programas nacionais. Investir no esquecido projeto COBRA, terminar de uma vez por todas as pendencias do ASTROS 2020, desenterrar o MSS1.2. Mas em fim teremos talvez o melhor caça tanque do mundo. Ai corta a cena e voltamos para a farda desbotada, fuzil dos anos 60, cantil escrito US ARMY, comunicação feita por celular, tudo amontoado na caçamba do marruá.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  eliton
1 ano atrás

O projeto COBRA permanece.
As FORPRON estão atualizando seus equipamentos pra ele. E já são muitos.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
1 ano atrás

De fato o EB está desenvolvendo uma capacidade incrível, com equipamentos modernos e capazes. Como os amigos costuma dizer aqui, a mais lúcida das três forcas. Acho 98 um número incrível para padrões brasileiros de aquisições. E se chegar as mais de 200 unidades, como pretendido, vai ser incrível. Só falta agora mais um pouco de lucidez no alto comando para desistir da modernização do Cascavel e optar por um novo MBT com canhão de 120mm ou optar pela proposta da Leonardo/Oto Melara de substituir a torre dos nossos Leo 1 pela torre do Centauro. O chassis de com um… Read more »

Inimigo público
Inimigo público
Reply to  Jadson S. Cabral
1 ano atrás

Lúcida? Vão modernizar o cascavel, ao invés de instalar equipamentos melhores no guarani, como armas de 30 mm e mísseis anticarro, e tu vem me dizer que são é a mais lúcida?

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Inimigo público
1 ano atrás

Você leu a parte em que falei sobre o cascavel?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Jadson S. Cabral
1 ano atrás

Não tem como considerar o EB o mais lúcido levando em conta que temos apenas 10 Guaranis com canhão de 30mm e ele está torrando dinheiro com o projeto de modernização do Cascavel. O substituto do Cascavel é o Guarani. É uma excrescência termos Guarani com .50 e Cascavel com nova torre e lança míssil.
Isso sem falar da tentativa de comprar o avião Sherpa e no plano de modernização do Leo1.

Felipe
Felipe
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

10??? Qual a fonte? Que eu saiba centenas foram comprados 30mm

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Felipe
1 ano atrás
Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Até onde sei o Guarani não substitui o Cascavel, já que o Cascavel é uma viatura de reconhecimento. O problema do Cascavel é que 90mm para um canhão é muito pouco hoje em dia, quase inútil e sua blindagem é quase nula também. O substituto do Cascavel é o Centauro II.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Jadson S. Cabral
1 ano atrás

Só não substituirá se o EB for menos lúcido ainda. É um veículo 6×6 moderno, com maior capacidade de sobrevivência e que pode ser equipado com torres modernas e mais eficientes que o canhão de 90mm.
Outra opção interessante é o Lince.
Ambas infinitamente melhores do que o Cascavel modernizado.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Caro Rafael. A tentativa de comprar os obsoletos Sherpas foi um absurdo.

ORIVALDO
ORIVALDO
1 ano atrás

Se for mesmo 17 anos para entregar o último é uma vergonha

Henrique A
Henrique A
Reply to  ORIVALDO
1 ano atrás

Sim, imagina o que pode acontecer nesse meio tempo.

Irineu Gonçalves
Irineu Gonçalves
Reply to  ORIVALDO
1 ano atrás

Não seria vergonhoso se fosse 5x-7x o número de veículos.

Mas para essa quantidade minúscula, é realmente decepcionante.

Nilton José do Nascimento
Nilton José do Nascimento
1 ano atrás

O exército precisa de brindados sobre lagartas como P51 alemão

João
João
1 ano atrás

Melhor aquisição dos últimos tempos.

sub urbano
sub urbano
1 ano atrás

EB precisa de aço de verdade, viaturas pesadas de cavalaria, MBTs, encouraçados terrestres para romper as linhas de um eventual adversário. Blindadinhos como O centauro a China vende no AliExpress com frete gratis e 5% de desconto. É muito alvoroço para peões de tabuleiro.

Henrique A
Henrique A
Reply to  sub urbano
1 ano atrás

É, o problema é que o EB não tem grana pra isso e a nossa pífia infraestrutura não suporta isso.

Henrique A
Henrique A
1 ano atrás

Pra mim o futuro da couraça vai ser Centauro II. O EB vacilou ao não comprar Leopard 2 usado, agora o que tiver dísponivel vai ser enviado pra Ucrânia e MBT novo não temos grana pra comprar nem nosssa estrutura pode suportar e aquelas gambiarras de “medium tank” são caríssimas e não entregam o que um MBT de verdade entrega.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Henrique A
1 ano atrás

Já eu acho o CV-90/120 e o CV-90/30 como MBT e VBCI.

Chevalier
Chevalier
1 ano atrás

Achei que fossem dois usados, p/ teste. Mas pelo visto tinham dois novos na fábrica a “pronta-entrega”, confere?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

confere

Chevalier
Chevalier
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Obrigado

Humilde Observador
Humilde Observador
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Sim, são veículos novos e já na configuração adotada pelo Brasil. Como eu disse no outro tópico, os italianos foram rápidos. Há um mês atrás estavam embargando a compra, na sequência liberaram e semanas depois, já tinham duas unidades prontas.

H.Saito
H.Saito
1 ano atrás

A bruxa não está reclamando?
Será que uma garrafa de vinho italiano foi suficiente para fazer o velho acalmar a doida?

Humilde Observador
Humilde Observador
1 ano atrás

Acho que vai cair como uma luva no Brasil.

GRAXAIN
GRAXAIN
1 ano atrás

Lembro quando compraram alguns MARDERS alemães para “avaliação” e desfiles de 7deSet…Agora se inicia a GUERRA pelo orçamento e o não contingenciamento! Vida longa aos Cascavel, vai precisar…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  GRAXAIN
1 ano atrás

Mardersno Brasil?????
Acho que sua memória não está boa.

GRAXAIN
GRAXAIN
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Caro Rafael, apesar de já ter alguma idade e experiência acumuladas, o EB adquiriu alguns veículos blindados MARDER em conjunto o sistema AA Rolland 2 e para engenharia reversa em função do desenvolvimento do TAM na Argentina. Só não compreendo a belicosidade do seu julgamento da minha, realmente já avariada memória. HEHE. Neste blog há muitos jovens impetuosos e desrespeitosos…. Para seu conhecimento: Armas Nacionais – Modelismo & História: Marder 1A2 – Sistema SAM Roland II

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  GRAXAIN
1 ano atrás

Caro Graxain,
Desculpe-me pelo beliculosidade.
Sabia da experiência fracassada com o Roland, mas não sabia (ou minha memória não está boa rsrs) que ele era montado no Marder.
Obrigado!

IvanF
IvanF
1 ano atrás

Olha só, chegou rápido demais heim! Ou minha impressão?
Bichão bonito, olha a cara de felicidade do sujeito em cima da torre! Melhor dia da vida dele! kkkkkk

Parabéns pela aquisição, exército!

GRAXAIN
GRAXAIN
Reply to  IvanF
1 ano atrás

Agora se inicia a GUERRA pelo orçamento e o não contingenciamento! Vida longa ao Cascavel, O EB vai precisar…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  IvanF
1 ano atrás

Olá Ivan. Eu também estranhei a rapidez. Parece que já estavam produzindo os dos protótipos antes de assinar o contrato.

Jurandir
Jurandir
1 ano atrás

Não podendo subir morro em socorro a população sob o traficantes, vai sobrar a este belo equipamento, em nome da defesa das instituições, passar por cima de cidadãos de bem.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

Não estou vendo o IRST? Vai vir com IRST? Engraçado é o pessoal aqui querer saber mais que o EB se temos que ter Carros sobre Lagartas ou não!!! É cada engenheiro de teclado que vou te contar!!! O EB deveria contratar vocês para consultoria, kkkkkk

Djalma
Djalma
1 ano atrás

Nossa, aqui é tudo demorado. Nossos tanques ainda são Leopard 1 de 105mm
A Coreia tem excelentes tanques, com canhões de 120mm, mais ageis e bem mais leves que leopard 2 e Abrams, e que poderiam nos atender bem. Está entregando 250 unidades para a Polônia em menos de 5 anos. Poloneses não quiseram esperar 10 anos para receber os 250 Abrams, ainda mais com a Rússia ali do lado querendo invadir todo mundo.

GRAXAIN
GRAXAIN
Reply to  Djalma
1 ano atrás

No hay plata!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  GRAXAIN
1 ano atrás

No hay guela:

Fabio Mayer
Fabio Mayer
1 ano atrás

O Guarani foi desenvolvido no Brasil, porque envolve mais de 1000 viaturas 6×6 entregues em um prazo de 15 a 20 anos. Então os custos de desenvolvimento próprio foram diluídos e isso viabilizou o programa nacional. Mas foi dito, e mais de uma vez, que desenvolver um 8×8 não é simplesmente alongar a carroceria e instalar mais um eixo, e que não seria viável um programa dessa magnitude para entregar 200 unidades. No caso do Guarani, exportações são um “plus”, um lucro adicional, mas o programa se paga em si mesmo. No caso de um Guarani 8×8, seria necessário haver… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Fabio Mayer
1 ano atrás

Mas foi dito, e mais de uma vez, que desenvolver um 8×8 não é simplesmente alongar a carroceria e instalar mais um eixo, e que não seria viável um programa dessa magnitude para entregar 200 unidades. . E quem disse isso? Por acado foram os italianos da IDV, que acabaram conseguindo empurrar o Centauro II por quase R$ 34 milhões a unidade, SEM CONTAR O VALOR DA LOGÍSTICA e vindo direto da linha de produção na Itália, para ter parafusos dos kits apertados aqui a baixo custo? Ou será que foram os jornalistas que vão passear na Itália, com a… Read more »

Gustavo
Gustavo
1 ano atrás

Para tampar uma lacuna foi ótimo, agora para a defesa foi péssimo, o Brasil não investi em desenvolvimento local , por falta de recursos, colocando o Brasil na mãos do estrangeiro, mais isso não e culpa da forças armadas e culpa do conjunto chamado congresso,que não se importa com defesa do país.

Krest
Krest
Reply to  Gustavo
1 ano atrás

Grande engano! Os militares estão cientes disso tudo e aprovam isso! Escolher esse veiculo ao invés de construir um guarani 8×8 é um bom exemplo disso

Guilherme Cordeiro
Guilherme Cordeiro
1 ano atrás

Excelente. Muitos anos atrás o Exército testou o Centauro I e eu duvidava que ele fosse ser adquirido, por ser um veículo caro. Se eu fosse Ministro da Defesa a partir de agora buscaria um acordo vantajoso para o carro de combate Ariete e o helicóptero de ataque Mangusta.

Coelho..
Coelho..
11 meses atrás

Pena que vem peladinhos né, kd aquelas antenas tipo pequenos radares nos cantos da torre, .e outros optrônicos que vemos nos vídeos da propaganda do veículo.