Por Rodolfo Queiroz Laterza [1]

1 – Introdução

Desde o final de fevereiro, as distintas formações russas de combate estão desenvolvendo avanços no norte e ao sul da cidade de Avdeevka, localizada na periferia noroeste de Donetsk.

Avdeevka se tornou uma das mais emblemáticas e resistentes fortificações das formações militares ucranianas na região de Donbass, tendo repelido dezenas de assaltos e tentativas de rompimento das barreiras defensivas pelas forças russas, que sofreram pesadas baixas desde o início do conflito.

As estruturas de defesa alicerçadas em complexa e bem consolidada fortificação foram delineadas desde 2014, quando emergiu o conflito de Donbass, entre as forças separatistas de Donetsk apoiadas pela Federação Russa e o Exército da Ucrânia.

Assaltos frontais e tentativas de movimentos das forças russas em pinças se tornaram infrutíferos, com as forças ucranianas constantemente abastecidas por munições e sustentadas na retaguarda por barragens de artilharia de obuses rebocados e sistemas MLRS.

Este breve ensaio irá analisar o contexto tático-operacional das batalhas empreendidas entre forças russas e ucranianas pelo controle desta importante área na região de Donbass.

2 – Desenvolvimentos militares e operacionais recentes

Em março, forças russas desenvolveram finalmente avanços tangíveis na área de Avdeevka. Mais precisamente, em 17 de março, fontes militares russas relataram o controle russo da vila de Krasnogorovka, localizada a 3 quilômetros ao norte de Avdeevka. Desde então, as forças russas preservaram a iniciativa operacional ofensiva e continuaram seu avanço para o oeste, a fim de cercar Avdeevka pelo Norte e cortar a ferrovia estrategicamente importante usada para transferência de suprimentos militares para o agrupamento ucraniano na cidade.

 

Em 20 de março, as unidades russas de combate romperam as defesas ucranianas na ferrovia, tendo a vila de Stepovoe (também conhecida como Petrovsky), localizada a 200 metros a oeste da estrada, ficado sob controle russo. Os combatentes russos do 1º regimento da 114ª Brigada do 1º Corpo de Exército das Forças Armadas da Federação Russa ganharam um reduto na aldeia. Em 24 de março de 2023, a operação de limpeza ainda estava em andamento na área.

 

De qualquer forma, as Forças Armadas da Ucrânia – FAU perderam o controle da última ferrovia que levava a Avdeevka. A capacidade do agrupamento ucraniano transferir pessoal reservas militares e munição para a cidade foi severamente prejudicada. O avanço russo na periferia norte também complicou a interação entre as unidades ucranianas posicionadas na aldeia de Berdychi e a guarnição principal situada em Avdiivka.

Atualmente, apenas uma estrada que leva à cidade pelo oeste permanece sob controle ucraniano, com a situação das FAU em Avdiivka se tornando ameaçadora para os militares ucranianos ali entrincheirados.

O relatório do Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia em 19 de março indicou que as tropas russas avançaram além de Stepovoe. Os militares ucranianos alegaram que as forças russas lançaram operações ofensivas na área da vila de Berdychi.

Por sua vez, as FAU estão fortalecendo com urgência as suas posições militares perto de Berdychi. Reforços, incluindo equipamento militar pesado como tanques e blindados, foram transferidos para a área.

Na periferia nordeste de Avdeevka, a batalha pela vila de Kamenka está em andamento, com esta vila sob controle russo iminente, de acordo com canais militares russos. No entanto, esses relatórios ainda precisam ser confirmados.

Ao mesmo tempo, as forças russas lançaram operações ofensivas ao sul de Avdeevka, tendo as unidades de assalto russas avançado de suas posições militares em Opytnoe e rompido as defesas ucranianas nos arredores de Avdeevka.  Os combates começaram no 9º bairro da cidade e ainda estão em desenvolvimento.

Enquanto isso, as FAU continuam tentando contra-atacar perto de Opytnoe e Vodyanoe, apoiadas por artilharia e assaltos móveis de infantaria.

As operações simultâneas russas no norte e no sul de Avdeevka prendem as unidades ucranianas posicionadas na área, impedindo-as de transferir forças adicionais para o norte para recuperar o controle da linha férrea. As forças russas têm se aproximado dos assentamentos adjacentes de Severny e Thin, cujo controle pelas forças russas irá ameaçar a cidade de Orlovka.

A única estrada que permanece sob o controle das Forças Armadas da Ucrânia passa por este assentamento, ao longo do qual a guarnição de Avdiivka é abastecida e as tropas são rotacionadas. A outra via rodoviária que passava por Krasnohorivka ao norte de Avdiivka e que servia para a logística ucraniana está sob o controle do grupo russo.

É difícil realizar um assalto neste setor da frente, porque as unidades de combate têm que se mover por campos descobertos e facilmente rastreáveis por drones de vigilância e reconhecimento, além de serem áreas minadas.  Seria possível se esconder atrás das estreitas faixas de floresta que cruzam os campos Avdeevsko-Donetsk, mas as matas anteriormente densas agora estão bem devastadas e a força adversária pode ver o equipamento oculto com a ajuda de drones.

Enquanto isso, as tropas ucranianas estão tentando romper constantemente as posições russas, atingindo-as com projéteis de calibre 152 mm disparados de obuses autopropulsados e rebocados, como 2S9 e D-20.

Na data de 23/03/2023, os militares russos conseguiram avançar para o oeste de Novobakhmutovka, no norte da área fortificada de Avdeevsky, liberando completamente aquele assentamento. Ao sul de Novobakhmutovka, as Forças Armadas Russas conseguiram capturar dois redutos na área da rodovia H20, enquanto as batalhas posicionais continuam perto de Petrovsky – os militares russos conseguiram expandir a zona de controle ao redor da ferrovia.

Embora os avanços russos sejam tangíveis, ainda não há situação de cerco operacional a Avdeevka, que se constitui em uma fortificação bastante difícil de romper. Ademais, não há superioridade de efetivo das forças russas neste setor da frente assim como em toda direção de Donetsk, onde a proporção de forças das tropas russas e ucranianas é quase igual.

Sob certas circunstâncias, se as forças russas avançarem a noroeste de Avdiivka e sudoeste, para novas linhas, e também tentarem cortar as comunicações inimigas, é possível que as forças ucranianas que ainda ocupam Avdiivka se encontrem em um cerco real.

Da mesma forma, não é possível ainda dizer que existe um “caldeirão” formado em Avdiivka. “Caldeirões” são meios tático-operacionais que podem ser usados ​​como um dos tipos de hostilidades em manobras com cerco ao inimigo, mas para isso é preciso ter forças superiores e agir pelos flancos para estar pronto para desbloquear linhas de defesa.

3 – Considerações finais

Em nosso entendimento, o sucessivo deslocamento de reservas pelas forças ucranianas para sustentar a defesa de Avdeevka e Bakhmut pode afetar o potencial ofensivo das Forças Armadas da Ucrânia para operações em larga escala na tentativa de recuperar áreas controladas pelas forças russas. O emprego sucessivo de reforços para impedir a queda daquelas cidades fortificadas, em nossa avaliação, desviará mão de obra treinada e equipamentos que estão sendo montados para a próxima ofensiva de primavera da Ucrânia.

Neste contexto, dividir o potencial ofensivo da Ucrânia entre duas ou mais operações em setores já comprometidos e em quase cerco operacional completo, provavelmente diminuirá as perspectivas de sucesso coletivo da Ucrânia ainda que esta seja uma perspectiva este cenário e não uma avaliação decisiva. Ressaltamos que as FAU estão em processo de conclusão de treinamento de 22 novas brigadas pela OTAN e terão grande quantidade de equipamentos providos pelos países integrantes daquela aliança militar, além de superioridade de efetivo estimada em 3:1 em relação às forças russas.

Por outro lado, as forças russas tem colocado imensa pressão sobre a Ucrânia em Bakhmut e Avdeevka, duas proeminentes fortificações que compõem a linha de defesa ucraniana, não apenas em termos de conquista de território, mas em termos de desgaste, destruindo a infraestrutura militar das FAU e criando, pois, um impacto cumulativo na capacidade geral de combate da Ucrânia a médio prazo.

Portanto, ainda que haja a perda de Bakhmut e Adveevka, as forças ucranianas buscarão empreender uma ofensiva de larga envergadura, cujo êxito operacional dependerá de explorar as vulnerabilidades das linhas de defesa russas e estabilizar de alguma forma o setor do front em Donbass, evitando o comprometimento e depreciação de brigadas e diferentes estruturas de combate.

Fontes consultadas


[1] Delegado de Polícia, Mestre em Segurança Pública, historiador, pesquisa sobre geopolitica e conflitos militares.

Subscribe
Notify of
guest

60 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nuno Taboca
Nuno Taboca
1 ano atrás

O front estabilizado , mostra que a superpotência invasora Russia não consegue enfrentar uma nação bem menor. Adviika e Bahkmut é a tábua de salvação do ano desastrado russo.
Tem ainda comentários dizendo que faz parte do plano Moscou, uma guerra de desgaste. Pfv….quem em sã consciência,sabendo da sangria da economia, ia ter planos tão furados. A coisa deu ruim, e se as FAU resistirem em adviika e Bahkmut, e ainda avançarem em.alhum ponto, Putin pode apelar para a única as que ainda lhe resta .

Alexandre
Alexandre
Reply to  Nuno Taboca
1 ano atrás

A Alemanha em sua vitoria fulminante contra a França, os EUA em sua missão comprida rapidamente no Iraque e sua estadia vitoriosa no Afeganistão ensinaram muitas coisas. Pena que muitos ainda hoje não entenderam a lição.

Homero
Homero
Reply to  Nuno Taboca
1 ano atrás

 “…mostra que a superpotência invasora Russia não consegue enfrentar uma nação bem menor…”

Tá mais que explicito que esta não é uma guerra entre Rússia e Ucrânia, embora o campo de batalha seja na Ucrânia…

M4l4v|t4
M4l4v|t4
1 ano atrás

22 novas brigadas treinadas pela OTAN composta por equipamento disruptivo. Fica difícil da Ucrânia negar qualquer contra ofensiva.

Maurício.
Maurício.
Reply to  M4l4v|t4
1 ano atrás

“composta por equipamento disruptivo.”

Só vou acreditar nesse equipamento “disruptivo” o dia que esse equipamento retirar das terras ucrânianas o último soldado russo, incluindo a Criméia, até lá, esse “equipamento disruptivo” está no mesmo nível dos tais “Gamer Changers”, muita publicidade e poucos resultados.

Ildo
Ildo
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Crimea, Lugasnk, Donetsk, Zaraphozia e Kherson são Federação Russa, inexoravelmente. Historicamente, há séculos… Apenas fizeram parte administrativamente da Ucrânia soviética. A população russófila dessas regiões jamais esquecerá o que passaram quando parte da Ucrânia; nem se fala de 2014 em diante. É impressionante a miopia no ocidente pela narrativa dos EUA/OTAN… Acham, realmente, que alguém no Donbass, por exemplo, gostaria de voltar ao jugo de Kiev tendo áreas civis diariamente bombardeadas pelas FAs ucranianas? Desde 2014? Acham que alguém na Crimeia quer voltar para a Ucrânia? Que até 2014 não receberam nenhum investimento do governo de Kiev? Que até a… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Ildo
Dirceu
Dirceu
Reply to  Ildo
1 ano atrás

Porque brasileiro atrás de um p.c. ou um celular fala tanta porcaria (para não dizer outra coisa).
Será que devemos devolver Roraima?, dar uma parte do Rio Grande do Sul para o Uruguai? ou mesmo dar alguma terra para o Paraguai depois da guerra? Dar pitáco sobre assunto dos outros é fácil, quero ver um dia (espero nunca ver) que alguém invadir o Brasil, tomar vastas terras e depois alguém de fora dizer para fazermos uma trégua ou mesmos terminar a guerra, sem devolverem as terras ….. ai o bicho PEGA NÉ….

Homero
Homero
Reply to  Ildo
1 ano atrás

É pela população predominantemente russófona (e russófila) na região sul da Ucrânia, que esta é uma guerra em que a Ucrânia, desempenha o papel de conquistador e opressor de seus habitantes nativos, incluindo a supressão do uso do idioma russo.

Já a Rússia exerce o papel de libertador dos opressores, versão local de nazismo anti-russo… que tomaram conta de Kiev em 2014 com o Maidan.

Em outras regiões isto pode não se aplicar, mas no sul da Ucrânia sim.

Francisco
Francisco
Reply to  Ildo
11 meses atrás

Brasil historicamente pertence a Portugal!

M4l4v|t4
M4l4v|t4
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Engraçado que só foi o HIMARS chegar e acabou o avanço da infantaria russa por bairros e cidades inteiras destruídas por artilharia de longo, médio e até curto alcance (como no caso do TOS que calcinava as posições ucranianas dentro das trincheiras). Por que isso aconteceu? Porque com o HIMARS eles ganharam 3 coisas: precisão, alcance e mobilidade. Em um nível que os russos não possuem nem em sonho.
Portanto, não dá mais para acumular munição de artilharia para grandes ataques porque o depósito será rastreado e prontamente atacado pelo HIMARS com apenas 1 foguete.

Maurício.
Maurício.
Reply to  M4l4v|t4
1 ano atrás

HIMARS? Aquele lança-foguetes? Verdade, a Rússia está se retirando dos territórios ocupados e vai encerrar essa guerra até sexta-feira, tudo, graças ao HIMARS…

Last edited 1 ano atrás by Maurício.
M4l4v|t4
M4l4v|t4
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

A blindagem do Challanger2 poe em cheque todos os sistemas RPG, que é o sistema anticarro portátil da infantaria russa.

O Kornet, que é o ATGM que pode causar a inutilização do Challanger2 (será?) é um sistema de defesa de ponto, ou seja, é perfeitamente possível proteger os MBT contra os Kornet em uma contra-ofensiva. Com a certeza que, rompido as linhas, a quantidade desses sistemas na retaguarda cai bastante.

Qualquer defesa russa utilizando os MBT reportada, provavelmente será respondida com o envio dos Leo2, que vai enxergar os T-90M antes que esse possa fazer qualquer coisa, inclusive fugir.

Maurício.
Maurício.
Reply to  M4l4v|t4
1 ano atrás

Volto a repetir, até porque, no catálogo tudo é maravilhoso, só vou acreditar nesse “equipamento disruptivo” no dia que o último soldado russo deixar as áreas invadidas, e isso incluí a Criméia, até isso acontecer, esse “equipamento disruptivo” não passa de super trunfo.

Ildo
Ildo
Reply to  M4l4v|t4
1 ano atrás

?

Até RPG-29 colocou fora de combate Challenger 2 no Iraque…

Eu gostaria muito de saber as fontes que ainda sustentam esses mitos dos carros ocidentais…

Depois de Líbano, Iraque, Iêmen…

Ainda mais das variantes obsoletas e de exportação (vários sistemas sensíveis da OTAN estão sendo tirados) que estão sendo enviadas para a Ucrânia…

O T-90M é mais moderno que os Challhenger, Leopard 2 e M1 Abrams que estão/serão enviados para a Ucrânia.

Qualquer um, minimamente ponderado e com conhecimento básico em carros de combate contemporâneos, sabe disso.

Andre
Andre
1 ano atrás

“Por outro lado, as forças russas tem colocado imensa pressão sobre a Ucrânia em Bakhmut e Avdeevka, duas proeminentes fortificações que compõem a linha de defesa ucraniana, não apenas em termos de conquista de território, mas em termos de desgaste, destruindo a infraestrutura militar das FAU e criando, pois, um impacto cumulativo na capacidade geral de combate da Ucrânia a médio prazo.” Em “termos de conquista de território”? Estão há 7 meses tentando conquistar Bakhmut e não avançaram além da periferia da cidade, além de terem recuperado vastas áreas nesse período. Os inimigos militantes, como o delegado já chamou os… Read more »

Oliveira Barros
Oliveira Barros
Reply to  Andre
1 ano atrás

Recuperam o quê?
Isso já faz mais de seis meses.
Quem está avançando e massacrando o inimigo são os russos.

Oliveira Barros
Oliveira Barros
1 ano atrás

Excelente artigo.
Só que novos desenvolvimentos já aconteceram.
Os russos avançaram de Novobakmuthivka e tomaram Novokalinove, a oeste.
Avançaram ao sul e chegaram aos arredores de Tonenke, Sjeverne e Lastochkyne, por onde passa a rodovia acima mencionada no artigo.
Paralelo a isso, tem sido noticiada a utilização de bombas guiadas de 500 Kg que estão realmente demolindo as fortificações e trincheiras ucranianas, bem como a transferência de Músicos de Bakhmut para Adviika.

Oliveira Barros
Oliveira Barros
1 ano atrás

Agora, a situação da guarnição ucraniana em Adviika ficará muito delicada.
Era de lá que os ucranianos atiravam indiscriminadamente contra a população civil de Donestk.
Muito provavelmente quem for capturado será julgado por crimes de guerra.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Oliveira Barros
1 ano atrás

Ser julgado por crimes de guerra pelos Russo? ok… Poe os Russos e os Ucranianos na mesma corte, vamos ver qual lado tem mais sujeira… só te adianto que o Kremilin vai ficar beem vazio…

Hcosta
Hcosta
Reply to  Oliveira Barros
1 ano atrás

Basta comparar Donetsk com Mariupol e muitas outras cidades para perceber quem atira indiscriminadamente contra a população civil.

Mas aprecio a sua preocupação com a população civil, que é nenhuma.
Ainda estou para perceber se acredita no que escreve ou se acha que os outros são ignorantes o suficiente para acreditarem no que escreve. E há muitos que acreditam.

Oliveira Barros
Oliveira Barros
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

Não entendi a comparação.
Mariupol foi palco de combates urbanos onde os ucanianos, inclusive, usaram civis como escudo humano.
Já Donestk estava a 10 km dos campos de batalha e era alvo constante dos ucranianos que disparavam a esmo para o centro da cidade.
Inclusive, chegaram a lançar minas pétalas para matar civis, principalmente crianças curiosas.

Heinz
Heinz
Reply to  Oliveira Barros
1 ano atrás

então vamos comparar Donestk com Dniper, Kiev, Odessa, kramatosk, cidades longes da linha de frente (kramatosk) nem tanto e que os russos lançam pesados ataques de mísseis e drones. Não vem com essa hipócrita.

Ildo
Ildo
Reply to  Heinz
1 ano atrás

Impressionante…

Não tem equipamento militar, tropas e logística de guerra nesses oblasts?

Elias Jabour
Elias Jabour
Reply to  Heinz
1 ano atrás

A partir do momento que os ucranianos tentam armazenar armas em um shopping center no centro de Kiev, esse local torna-se um alvo legítimo.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Oliveira Barros
1 ano atrás

Claro que não entende. A Rússia até não fazia o mesmo e com muito menos consideração pelas vítimas civis… Quantos civis morreram na frente de batalha nestes combates entre a Rússia e a Ucrânia? Só engana os mais ignorantes. Tenta vir com essa propaganda de que a Rússia se preocupa com as vidas dos civis, principalmente com os da “etnia Russa”, e qualquer um percebe que as contas não batem certo. Esta guerra nunca foi por causa das etnias, da OTAN, das bombas nucleares, biológicas, etc… mas sim a manutenção no poder de várias ditaduras e alguma megalomania imperialista. Pelo… Read more »

José
José
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

Excelente HCosta!

Ildo
Ildo
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

Vosmeçê acha mesmo que essa narrativa convence alguém fora da bolha de mídia mainstream ocidental?

Até na Europa cada vez menos…

E os protestos só estão começando; quando uma boa massa de população se der conta do que realmente aconteceu a coisa vai ficar muito, muito feia, para as “lideranças” (by Washington) europeias…

Hcosta
Hcosta
Reply to  Ildo
1 ano atrás

Quer me ensinar sobre o que acontece na Europa?

Volte para os seus meios de informação onde tem notícias de crianças de etnia Russa a serem literalmente crucificadas pelos Ucranianos…

Mas está realmente interessado o que as sondagens nos países Europeus dizem sobre o apoio à Ucrânia?
Ou vai tapar os ouvidos, os olhos e assobiar para o lado?

ALISON
ALISON
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

Concordo. ensinar algo a vc é impraticável…

Ildo
Ildo
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

A Europa vive numa bolha da mídia satélite dos EUA/OTAN.  Toda mídia alternativa e/ou independente foi censurada ou mesmo banida. Não sabe disso? Russofobia nunca vista.  Mas aos poucos está sendo furada. Os protestos estão apenas começando. O curioso é que a Rússia deu a cara a tapa na ONU.  Solicitou uma investigação internacional sobre a atividade de laboratórios de armas biológicas dos EUA/OTAN Ucrânia. Também solicitou o mesmo sobre os atentados terroristas no Nord Stream?  O que fizeram os EUA/europeus? Bloquearam qualquer investigação internacional minimamente isenta? O que fizeram os EUA e europeus na resoluções que criminalização neonazismo? Votaram… Read more »

Ildo
Ildo
Reply to  Oliveira Barros
1 ano atrás

Pois é.

Inclusive centenas de civis foram feitos de reféns na Planta da Azvostal…

Áreas civis da grande Donestk é diariamente bombardeiada pelas FAS ucranianas, inclusive com armas fornecidas pela OTAN…

“Curiosamente” nunca ninguém leu ou ouviu falar disso na Europa Ocidental…

Ou dos mais de 8.000 civis mortos no Donbass pelos ucranianso até fevereiro de 2014… Centenas deles crianças…

Aliás, Mariupol que está sendo reconstruída desde a liberatação.

Ildo
Ildo
Reply to  Ildo
1 ano atrás

Fevereiro de 2022.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Ildo
1 ano atrás

Pelo menos tenha a decência de colocar os números corretos.
Tinham alguns “colegas” seus que diziam cerca de 13 000 mortos pela Ucrânia nem se percebendo que esse era o número total, incluindo civis e militares. Talvez um erro de tradução ou a ânsia de divulgar “fake news”…

Ildo
Ildo
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

Números corretos de Kiev/EUA/OTAN?

Ildo
Ildo
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

É impressionante…

Qualquer um minimamente informando em fonte verossímil sabe que desde o começo dessa guerra as FAs ucranianas posicionam carros de combate, blindados e artilharia em áreas civis, incluindo condomínios residenciais e escolas…

E que diariamente bombardeiam áreas puramente civis, sem nenhuma validade militar, da grande Donetsk. Incluindo com armas fornecidas pela OTAN…

A Rússia, ao contrário das campanahs dos EUA/OTAN, miniminiza ao máximo baixas civis, sobretudo porque as áreas de combate são de população russófilas se serão intergradas a Federação Russa, inexoravelmente.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Ildo
1 ano atrás

Em 8 anos de guerra Donetsk está em muito melhor estado do que Mariupol…
Deve ser culpa do equipamento Russo que não é muito preciso…

Cada um que aparece. Ataques com foguetes de saturação, fósforo branco, morteiros de muito grande calibre, artilharia e mísseis sem nenhuma precisão e vem com essa de que minimiza as baixas civis?
E ainda para mais veja os alvos destes ataques, prédios residenciais, praças, etc… Talvez tenham HIMARS nos telhados como afirmaram num desses ataques…

Ildo
Ildo
Reply to  Hcosta
1 ano atrás

Por acaso houveram combates no perímetro urbano central de Donestsk? 

Donetsk que diariamente tem áreas civis bombardeiada pelas FAs ucranianas. Inclusive com armas da OTAN. Áreas sem nenhuma validade militar. Apenas para fazer terrorismo.

Até minas anti-pessoal PFM-1 espalharam pelo centro da cidade com foguetes.

Last edited 1 ano atrás by Ildo
Ildo
Ildo
Reply to  Oliveira Barros
1 ano atrás

Os russos monitoram em tempo intergral as redes ucranianas.

Na frente os ucranianos em, especialmente, mercenários estrangeiros usam temerariamente os terminais da Starlink para navegar e divulgar conteúdo…

Nessa área e, sobretudo, os que divulgam crimes de guerra contra prisioneiros russos, são prioritariamente indentificados.

Bernardo
Bernardo
1 ano atrás

Será que a Rússia vai esperar perder essa guerra pra usar aquelas suas bombas arrasa quarteirões?

Elias Jabour
Elias Jabour
Reply to  Bernardo
1 ano atrás

Já estão usando.
Inclusive com vídeos.
A explosão é realmente impressionante.
Millitary Summary está considerando que grande parte do avanço russo é devido aos efeitos dessas bombas.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Elias Jabour
1 ano atrás

A única grande explosão foi a de uma bomba JDAN lançada sobre uma posição russa. Primeiro foi um video postado no Twitter com a seguinte mensagem: “Grande Explosão!!! Vídeo da Ucrânia supostamente usando bombas inteligentes JDAM de alta precisão doadas pelos EUA.” Agora é Yan Gagin, especialista em política militar e conselheiro do líder interino do DPR, que informa para a Tass que, em 10/03/2023, os militares ucranianos lançaram uma bomba JDAM na área de Kurdyumovka, perto da região de Bakhmut, na República Popular de Donetsk (DPR) para testar a viabilidade de empregá-lo em aeronaves de fabricação soviética. Yan Gagin… Read more »

Alex
Alex
Reply to  Bernardo
1 ano atrás

Não precisa esperar…pois a guerra já está perdida. Ou melhor…essa guerra já acabou.
Moscou está apenas tentando ganhar tempo para um milagre salvador….
A Alemanha perdeu a II GM no final de 42….O resto foi prolongar o desespero. O mesmo acontece aqui.

Elias Jabour
Elias Jabour
1 ano atrás

A situação em Adviika é terrível para os ucranianos.
Hoje foi publicado vídeo de uma trincheira tomada pelos russos com pilhas de cadáveres, inclusive de poloneses e georgianos.
Pela destruição do local, foi alvo direto da aviação ou artilharia russa.

Ildo
Ildo
Reply to  Elias Jabour
1 ano atrás

As baixas ucranianas em frentes como Adviika, Bakhmut e Soledar nos últimos 6 meses beiram dezenas de milhares.

Fora a gigantesca perda de material e progressivamente das posições mais fortificadas do Donbass.

E Kiev falando de “ofensiva da primavera”…

André G.
André G.
1 ano atrás

A quantidade de conta fake que comenta aqui é ENORME. as não adianta… quem já domina diplomática saca na hora a estrutura da escrita. É uma impressão digital difícil de mascarar.

Up The Irons
Up The Irons
Reply to  André G.
1 ano atrás

A maioria dessas contas pertencem ao Antonio Reis, ou Kings, se preferirem.
Alguém acha que ele faz isso de graça? Pesquisem por “Nova Resistência” e vejam a quantidade de malucos eurasianistas seguidores do Dugin que existem no Brasil.
Quem os financia?

Ildo
Ildo
Reply to  Up The Irons
1 ano atrás

É, eu devo ser mais um “Kings”…

Como todos que contestam a narrativa pró-EUA/OTAN… Então esse é um “argumento” constante: “é um nick do Kings”… Menos uma réplica embasada e verossímil da contestação da narrativa mainstream ocidental…

O “Kings” deve ser uma máquina controla por “IA”… Não dorme desde fevereiro de 2022…

Irineu Gonçalves
Irineu Gonçalves
Reply to  André G.
1 ano atrás

Pois é, está insuportável isso.

C G
C G
Reply to  André G.
1 ano atrás

Eu continuo deixando a dica para os moderadores, usar login via Facebook/insta, é fácil identificar fakes e bloquear arruaceiros, é óbvio que muitos dos comentários acima são do toin que é “.50 army”, os likes e dislikes então são ainda pior, ele deve entrar com uma VPN e em 10 minutos fazer um estrago em qualquer bom senso da coisa!

Ildo
Ildo
Reply to  C G
1 ano atrás

Para vocês norte atlantistas o ideal eram tempos que a narrativa por aqui era quase uma só: pró-EUA/OTAN…

Havia um ou 2 comentaristas para serem atacados por dezenas…

Só que, para o azar de vocês, cada vez mais gente se informa por mídias alternativas e/ou independentes e vê claramente como a narrativa pró-EUA/OTAN nao é nem um pouco verossímil.

Enquanto isso vocês poluem diariamente o espaço com essa estória que todo mundo que contesta a narrativa norte atlantista é um “nick do King”, menos com argumentos embasados para contestar.

C G
C G
Reply to  Ildo
1 ano atrás

Já chegou o disco voador norte atlanticista! Hahahahahahahahahha

Ildo
Ildo
Reply to  C G
1 ano atrás

É…

Eu sou do Sul Global com muito orgulho; e defenderei sempre as causas e Soberanias dos países do Atlântico Sul.

Já alguns optaram por defender o imperialismo e neocolonialismo do Atlântico Norte na região…

Gilson Elano
Gilson Elano
1 ano atrás

Se a Ucrânia tivesse uma aviação de combate mais eficiente e presente, a Rússia estaria em maus lençóis!

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

As forças russas não conseguem tomar Bakhmut e agora estão mudando seu foco ofensivo para Avdiivka, que pode se tornar uma segunda Bakhmut. O Instituto para o Estudo da Guerra (ISW) informou que: “A Rússia está queimando tropas e munições em suas operações. Mesmo que as forças russas possam expulsar as tropas ucranianas de Avdiivka e Bakhmut, é improvável que obtenham vantagem operacional significativa, considerando que faltam-lhes a capacidade de explorar tais avanços.” O ISW acrescentou que: “As forças do Grupo Wagner podem estar se movendo de Bakhmut para Avdiivka.” Há rumores de que a Rússia estava gastando tropas do… Read more »

Oliveira Barros
Oliveira Barros
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

A ideia é essa.
Os ucranianos enchem um local de soldados e os russos atacam em outro.
Aí, os ucranianos vão para a estrada e a VKS e a artilharia russa fazem a festa.
Basta ver a quantidade gigantesca de perdas humanas e de material para ver que essa tática está funcionando.
Em tempo
Reportado forte avanço russo em Kremenaia.

Nuno Taboca
Nuno Taboca
Reply to  Oliveira Barros
1 ano atrás

Forte avanço ?
Subúrbio de Adviika?
adviika será a nova Bahkmut. Lembro de já 5 meses atrás vc dizer que , cito suas palavras ” com o ritmo de perdas ucranianas, é questão de horas para Bahkmut cair”.
E então?….pode.nos.esclarecer o motivo de ainda não estarem os russos asargens do Dnipro?

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Em outro post, você disse que estava cada vez mais difícil para os drones e mísseis russos penetrar as defesas postas em Kiev e cidades principais. Agora pouco alvos militares foram atingidos em Kiev pelos drones Geran-2. Onde estão os Guepards que supostamente derrubariam esses drones “a rodo”?
https://t.me/IntelRepublic/17271

Alexandre
Alexandre
1 ano atrás

Curioso quando vejo uma publicação que usa a expressão os russos libertaram determinada aldeia, como assim libertaram? Eles são os invasores, desculpe mas esta publicação carece de isenção uma vez que as vítimas são os Ucranianos e não os russos!

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

Bakhmut 2.0 já começou a se estabelecer em Avdiivka, Donetsk Oblast. O Ministério da Defesa britânico, em 28/03/2023, relata que Rússia sofreu pesadas perdas em seu ataque e há informação de que o 10º Regimento de Tanques da Rússia provavelmente perdeu uma grande proporção de seus tanques ao tentar cercar Avdiivka pelo sul. Os russos não aprenderam nada com o ataque fracassado à vizinha Vuhledar e, mais uma vez falharam ao tentar um ataque frontal contra as forças ucranianas em Avdiivka. Só para lembrar, o 10º Regimento de Tanques faz parte do 3º Corpo de Exército da Rússia, que foi… Read more »

Mirão
11 meses atrás

Rússia: Tenta um assalto frontal

Haters de Twitter: que falta de profissionalismo, patético

Ucrânia: Tenta um assalto frontal

Fanboys: Meeeuuuuu Deuxxx massss que homens corajosos e patrióticos!!!!!!!