O principal comandante militar da Ucrânia sinalizou na manhã de sábado que as forças do país estavam prontas para lançar sua tão esperada contra-ofensiva após meses de preparativos, incluindo ataques recentemente intensificados a alvos logísticos, bem como dissimulações e desinformação destinadas a manter as forças russas no limite.

“É hora de recuperar o que é nosso”, escreveu o comandante militar supremo da Ucrânia, general Valeriy Zaluzhnyi, em um comunicado.

A declaração contundente, acompanhada por um vídeo [abaixo] habilmente produzido de tropas ucranianas se preparando para a batalha e divulgado nas mídias sociais, parecia ter a intenção de reunir uma nação cansada de 15 meses de guerra e aprofundar a ansiedade nas fileiras russas. Mas o general Zaluzhnyi não deu nenhuma indicação de onde e quando as forças ucranianas podem tentar romper o controle da Rússia sobre o território ocupado.

Outros altos funcionários ucranianos também sugeriram que a contraofensiva era iminente.

Oleksiy Danilov, chefe do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, disse à BBC em uma entrevista divulgada no sábado que as forças de Kiev estavam “prontas” e que um ataque em grande escala poderia ocorrer “amanhã, depois de amanhã ou em uma semana”.

A Ucrânia passou meses acumulando um poderoso arsenal de armas fornecidas pelo Ocidente e treinando dezenas de milhares de soldados em manobras ofensivas sofisticadas para a campanha, que analistas militares sugeriram que provavelmente se concentrará nas áreas ocupadas pela Rússia no sul e leste da Ucrânia.

Não houve indicações públicas de movimentos de tropas em larga escala ao longo da vasta linha de frente na manhã de sábado. Tanto a Ucrânia quanto a Rússia se engajaram em campanhas informativas robustas usando vídeos e mídias sociais durante a guerra.

Mas as declarações do general Zaluzhnyi e do Sr. Danilov vêm como um número crescente de altos funcionários ucranianos – incluindo o chefe da inteligência militar – disse nos últimos dias que a Ucrânia agora tem o que precisa para ir ao ataque.

De muitas maneiras, observaram analistas militares, a contra-ofensiva pode já ter começado.

Durante semanas, a Ucrânia aparentemente tentou preparar o terreno para a campanha e “moldar” o campo de batalha por meio de uma série de ataques coordenados bem atrás das linhas inimigas com o objetivo de minar as operações logísticas russas críticas, degradar as habilidades de combate da Rússia e comprometer a capacidade de Moscou de mover suas tropas. forças ao redor do campo de batalha.

Nos últimos dias, o ritmo e o alcance dos ataques nas profundezas do território controlado pela Rússia aumentaram. Embora os militares da Ucrânia não tenham reivindicado explicitamente a responsabilidade, oficiais russos locais em áreas ocupadas relataram ataques.

Aumentando a especulação de que o início de uma contra-ofensiva estava próximo, a internet e as telecomunicações caíram em algumas partes da Ucrânia ocupadas pela Rússia na sexta-feira.

A NetBlocks, que rastreia interrupções de internet em todo o mundo, disse que o serviço de internet foi interrompido na Península da Criméia e em partes da região de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia – inclusive na cidade de Enerhodar, onde as forças russas estão ocupando a maior usina nuclear da Europa. O serviço de Internet também caiu em Berdiansk e Melitopol, duas cidades estrategicamente importantes que a Rússia transformou em redutos militares, de acordo com a Netblocks.

“O motivo da interrupção da internet são as interrupções no trabalho do provedor de internet russo Miranda Media, que opera na Crimeia”, informou a organização.

A interrupção ocorreu quando a Rússia e a Ucrânia se acusaram de preparar uma provocação na Usina Nuclear de Zaporizhzhia, que não fica longe da linha de frente. No sábado, na manhã seguinte à inteligência militar ucraniana alertar que a Rússia estava se preparando para “simular um acidente” na usina, as autoridades ucranianas disseram que a noite havia passado sem incidentes.

As autoridades ucranianas foram deliberadamente vagas ao delinear seus planos militares, provavelmente na esperança de manter um elemento surpresa no que se tornou uma campanha amplamente telegrafada. Eles disseram que a contra-ofensiva não seria marcada por um único evento e provavelmente contaria com fintas e enganação no início.

Ao mesmo tempo, as autoridades ucranianas também tentaram moderar as expectativas, alertando para uma luta longa e sangrenta nos próximos meses.

A Rússia ainda controla mais de 40.000 milhas quadradas de terra no sul e leste da Ucrânia, o que equivale a cerca de 17% do país, e teve meses para fortalecer suas posições defensivas.

Enquanto Kiev continua a buscar armas mais avançadas para suas forças, altos funcionários ucranianos e ocidentais disseram nos últimos dias que as forças ucranianas têm o que precisam para lançar a contra-ofensiva.

E o arsenal continuará a crescer. Uma semana depois que o presidente Biden disse aos aliados dos EUA que permitiria que pilotos ucranianos fossem treinados em caças F-16 fabricados nos Estados Unidos, um passo para finalmente permitir que outros países entregassem os aviões à Ucrânia, soldados ucranianos começaram a treinar na Alemanha sobre como operar e manter tanques americanos M1 Abrams, de acordo com o Pentágono.

Cerca de 200 militares – aproximadamente um batalhão blindado – na sexta-feira começaram a conduzir o que os militares chamam de instrução de armas combinadas em campos de treinamento em Grafenwoehr e Hohenfels, na Alemanha , disse o tenente-coronel Garron Garn, porta-voz do Pentágono, em um comunicado.

Essa instrução inclui tarefas militares básicas, como pontaria e habilidades médicas, juntamente com treinamento em níveis de pelotão e companhia e, eventualmente, exercícios maiores envolvendo unidades do tamanho de um batalhão enfrentando umas às outras.

Outros 200 soldados ucranianos começaram a treinar como abastecer e manter os tanques, disse o coronel Garn.

Funcionários do Departamento de Defesa haviam dito anteriormente que cerca de 31 tanques seriam enviados à Alemanha para serem usados ​​em um programa de treinamento para tropas ucranianas que deve durar de 10 a 12 semanas. Tanques prontos para combate podem chegar aos campos de batalha na Ucrânia no outono, disseram as autoridades.

Inicialmente, as autoridades de defesa americanas disseram que os tanques M1 Abrams não chegariam à Ucrânia até o próximo ano. Mas desde janeiro, quando o governo Biden reverteu sua resistência de longa data e anunciou que enviaria os tanques , altos funcionários da defesa disseram que queriam acelerar o cronograma.

Assim como os caças, a entrega dos tanques M1 Abrams e tripulações treinadas levaria meses, talvez tarde demais para ter qualquer impacto em uma contra-ofensiva ucraniana. No entanto, as forças ucranianas receberam dezenas de tanques avançados Leopard II, bem como dezenas de veículos de combate Bradley e outros blindados.

Embora o momento da contra-ofensiva permanecesse incerto, a declaração do general Zaluzhnyi foi a indicação mais direta de que a hora se aproximava.

O vídeo que acompanhava sua declaração foi transmitido na televisão nacional e rapidamente se espalhou pelas plataformas de mídia social.

Intitulado “Oração pela Libertação da Ucrânia” – uma referência a um poema nacionalista da década de 1920 – mostrava soldados ucranianos se preparando para a batalha e jurando “destruir” seus inimigos.

“Abençoe nossa ofensiva decisiva!” os soldados cantam.

FONTE: The New York Times

Subscribe
Notify of
guest

22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nano
Nano
4 meses atrás

Se essa ofensiva vai alcançar seus objetivos, só o tempo dirá…
E o mais inacreditável é, sem dúvida um país como a Rússia estar na defensiva.Nem o mais otimista analista militar conseguiu prever a atual situação,a unanimidade era que a Ucrânia cairia em pouco tempo.
Como vai acabar isso tudo ninguém sabe,mais o exército ucraniano mostrou que é casca grossa.
E apesar das terríveis baixas humanas e materiais,tem seu lugar..tem seu valor.

Last edited 4 meses atrás by Nano
C G
C G
Reply to  Nano
4 meses atrás

17% de um dos países mais pobres da Europa, pobre mesmo, PIB per capta mais ou menos metade do Brasil, do tamanho de Minas Gerais, fronteira com fronteira mds mas na cabeça do iluminado a Rússia tá tratorando! Hahahahahahahahahahah
Na boa, só não liga pra esse sistema de like e dislikes, o toin usa algum VPN e inflama os comentários de acordo com a viagem na maionese dele, já reparei que quando ele está no debate a coisa vai se distorcendo.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Nano
3 meses atrás

É fácil ser “casca grossa” quando se está recebendo bilhōes em armas, treinamento e inteligência da OTAN.

Quem fica mendigando ajuda para lutar as próprias batalhas só é digno de pena.

Felipe M.
Felipe M.
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Ainda nessa? 1 ano e meio depois…acostume-se cara e vire o disco. Se no plano de ação não se previu eventual apoio ao invadido, a responsabilidade é de quem criou o plano de ação. Isso é, as houve um.

Vocês ficam aqui chorando e lamentando ad eterno uma realidade que não mudou e pelo visto não vai mudar. O apoio vai continuar. Adianta o que ficar aqui com esse chororô?

Toshio Nagasaki
Toshio Nagasaki
Reply to  Allan Lemos
19 dias atrás

Bom dia,a Otan está lutando contra a Rússia desde do começo da guerra,a Rússia já sacou a muito tempo, tem pais que não tem como enviar mais munição,os estados unidos estão limpando os paios de munição antigas,que seria um sustento em caso de guerra,já tem f16 dentro da ucrania,eu cheguei a mostrar no Instagram a base aérea onde eles estão

Heinz
Heinz
4 meses atrás

A verdade é que os Ucranianos estão usando massivamente a mídia, e ataques em diferentes lugares para confundir os russos, e parece que tem surtido algum efeito, até parece que ele ia anunciar uma grande ofensiva assim. Na verdade, não vai haver anúncio.

Heinz
Heinz
Reply to  Heinz
4 meses atrás

Agora, voluntários russos, e FE Ucranianos estão atacando forças russas no seu próprio território, emboscando comboios, carros militares e atacando grande acúmulo de blindados. Tudo isso com o intuito de distrair e infligir perdas a logística e moral russa.

C G
C G
Reply to  Heinz
4 meses atrás

Tá liberado, enquanto as putinetes estão comemorando uma questionável tomada de um cidade do tamanho de Bertioga-SP depois de quase um ano a Ucrânia pega, faz um incursão em território inimigo e dá um dedo do meio para as quase cômicas ameaças nucleares diárias dos russos, QUE FASE! Hahahahahahahahahhaha

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  C G
3 meses atrás

Concordo, mesmo após um ano recebendo bilhōes em armas, treinamento e inteligência da maior aliança militar do mundo, ainda nāo conseguiram expulsar o inimigo do seu território.

Que fase mesmo rsrsrs.

C G
C G
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Vc não acredita no que está falando, só está com dor de cotovelo!

Underground
Underground
4 meses atrás

O impacto psicológico dessa mensagem é grande para ambos os lados.
Apesar da conquista de Bakhmut, segundo os próprios russos, as perdas foram gigantescas.
Brasileiros que trabalham na Ucrânia dizem que nunca a união entre os ucranianos foi tão grande.
Já os russos, não sabem pelo que lutam.

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
3 meses atrás

A “hype” está diminuindo consideravelmente apesar de todo aparato de propaganda. PIB contrai 0,3% no primeiro trimestre e Alemanha entra em recessão https://valor.globo.com/mundo/noticia/2023/05/25/pib-contrai-03percent-no-primeiro-trimestre-e-alemanha-entra-em-recessao.ghtml Tesouro dos EUA prepara plano de contingência para possível calote https://www.cnnbrasil.com.br/economia/tesouro-dos-eua-prepara-plano-de-contingencia-para-possivel-calote/ Zona do euro está à beira da recessão, diz UE  https://www.dw.com/pt-br/zona-do-euro-est%C3%A1-%C3%A0-beira-da-recess%C3%A3o-diz-ue/a-63726807#:~:text=O%20crescimento%20do%20PIB%20da,meses%20iniciais%20do%20ano%20seguinte. Enfim, as populações dos países que enviam bilhões diariamente para o governo do zé já estão, aliás desde o ano passado, começando a coçar a cabeça com essa situação. A propaganda é sempre muito bem feita, basta ver o vídeo do artigo. Agora surge a questão: se essa “contraofensiva maravilhosa” falhar miseravelmente, e já há… Read more »

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Fabricio Lustosa
3 meses atrás

To escutando essa ladainha de que o apoio a Ucrania ta diminuindo desde fevereiro de 2022. Que a Europa vai entrar em recessão e não vai enviar mais armas para Kiev e que os EUA vão dar calote e não vão financiar mais a Ucrania. Essa ladainha nunca se concretizou, os europeus não congelaram pela falta de gás russo e os EUA não quebraram. Pelo contrario cresceu o envio de armas e equipamentos modernos. No mais, os russos atacam todo dia “centenas de depositos militares ucranianos com bilhoes em equipamentos ocidentais”, mas o que se ve nas fotos e videos… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Wellington jr
Magaren
Magaren
Reply to  Fabricio Lustosa
3 meses atrás

Cansados todos estão, ainda sim o dever de lutar pela propria patria e não entregar para larapios invadores é muito mais importante.

É o mesmo de um ladrão invadir a sua casa para roubar seu gol bolinha com adesivo da URSS e vc não fazer nada.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Magaren
3 meses atrás

Como se valesse a pena lutar por uma pátria dessas.

Felipe M.
Felipe M.
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Calma ai galera, vamos observar o guerreiro do teclado tecendo suas conclusões, há 11 mil km de distância, sobre se um povo alheio ao dele deve ou não lutar por sua pátria.

Kkkkkkkkkkkkkk
Se enxerga cara. Vai tentar fazer algo de útil pelo seu país em vez de querer concluir como alguém deve se portar em relação ao seu próprio país. Você é patético.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Felipe M.
3 meses atrás

E eu aqui achando que km era unidade de comprimento rsrsrs.

Vitor
Vitor
3 meses atrás

Texto com zero pragmatismo sobre conflito …sobra propaganda dos yankes.

Arthur
Arthur
3 meses atrás

A lenda da famosa contraofensiva ucraniana foi criada no final de 2022 para começar em janeiro, que passou para março, abril, agora maio, e talvez vá para junho. Zaluzhnyi não foi mais visto desde 08 de maio, e desde então, postagens fake tem aparecido com fotos e imagens do ucraniano em eventos de datas anteriores. Inclusive esse comunicado mais parece propaganda, com imagens de soldados e não do próprio general. Em datas recentes, mais se tem ouvido falar em F-16, M1 e de meia dúzia de ataques ucranianos repelidos em Zaporizhzhia, do que operações preliminares para moldar o campo de… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
3 meses atrás

Que nada, vai acontecer sim. Os patriotas ucranianos só precisam esperar mais 72 horas rsrsrs.

Pedro
Pedro
3 meses atrás

Torcer para que os ucranianos só consigam avançar o mínimo possível e sofrendo pesadas baixas

Pedro
Pedro
3 meses atrás

Aham! Agora conta outra piada