Várias pessoas ficaram feridas no confronto, que ocorreu em meio a tensões entre os vizinhos sobre os direitos à água.

Dois guardas de fronteira iranianos e um combatente do Talibã foram mortos depois que um tiroteio começou perto de um posto de fronteira entre o Irã e o Afeganistão, aumentando acentuadamente as tensões crescentes entre os dois países em meio a uma disputa sobre os direitos da água.

“Hoje, na província de Nimroz, as forças de fronteira iranianas dispararam contra o Afeganistão, o que foi recebido com uma contra-reação”, disse o porta-voz do Ministério do Interior afegão, Abdul Nafi Takor, em comunicado.

“A situação está sob controle agora. O Emirado Islâmico [Afeganistão] não quer brigar com seus vizinhos”, disse o porta-voz, sem identificar as vítimas.

Ele disse que uma pessoa foi morta de cada lado e várias ficaram feridas. No entanto, a agência de notícias oficial do Irã, Irna, disse mais tarde que dois guardas de fronteira iranianos foram mortos e dois civis iranianos ficaram feridos.

O jornal semioficial de língua inglesa Tehran Times disse que três guardas de fronteira iranianos foram mortos.

A violência ocorreu quando o presidente iraniano, Ebrahim Raisi, advertiu este mês o Talibã a não violar um tratado de 1973, restringindo o fluxo de água do rio Helmand para as regiões orientais do Irã. Os governantes talibãs do Afeganistão negaram a acusação.

Enayatullah Khowarazmi, porta-voz do Ministério da Defesa talibã, disse: “Infelizmente, hoje mais uma vez nas áreas fronteiriças do distrito de Kong, na província de Nimroz, houve um tiroteio de soldados iranianos [e] um conflito … eclodiu”.

 

“O Emirado Islâmico do Afeganistão considera o diálogo e a negociação um caminho razoável para qualquer problema. Dar desculpas para a guerra e ações negativas não é do interesse de nenhuma das partes”, disse Khowarazmi.

O Irã, por sua vez, acusou as forças do Talibã de atirar primeiro.

A IRNA citou o vice-chefe de polícia do Irã, Qasem Rezaei, dizendo: “Sem observar as leis internacionais e a boa vizinhança, as forças do Talibã começaram a atirar no posto de controle de Sasoli … obtendo uma resposta decisiva”.

Após o confronto, as autoridades iranianas fecharam o posto fronteiriço de Milak-Zaranj, uma importante passagem comercial – e não o local do confronto – até novo aviso, disse a Irna.

De acordo com a agência, os guardas de fronteira do Irã disseram em um comunicado que “usaram seu fogo pesado superior para infligir baixas e danos graves”.

O grupo de defesa HalVash, que relata questões que afetam o povo Baluch na província predominantemente sunita de Sistan e Baluchestan, citou moradores da área dizendo que os combates ocorreram perto do distrito Kang de Nimroz. Ele disse que algumas pessoas na área fugiram da violência.

 

Direitos da água

Os comentários de Raisi dirigidos ao Talibã sobre os direitos do Irã foram alguns dos mais fortes até agora sobre as preocupações de longa data sobre a água no Irã. O rio Helmand, que tem mais de 1.000 quilômetros de extensão e atravessa a fronteira, está sendo represado no lado afegão para gerar eletricidade e irrigar terras agrícolas.

A seca tem sido um problema no Irã há cerca de 30 anos, mas piorou na última década, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). A Organização Meteorológica do Irã diz que cerca de 97% do país agora enfrenta algum nível de seca.

Mais cedo no sábado, o ministro das Relações Exteriores interino do Talibã, Amir Khan Muttaqi, se encontrou com um enviado iraniano ao Afeganistão para discutir os direitos à água do rio Helmand, de acordo com tweets do funcionário do Ministério de Relações Exteriores do Afeganistão, Zia Ahmad.

 

Mas as tensões têm aumentado de outra forma. Outro vídeo postado online nos últimos dias supostamente mostrava um impasse com as forças iranianas e o Talibã enquanto trabalhadores iranianos da construção tentavam reforçar a fronteira entre os dois países.

Nos últimos dias, contas online pró-Talibã também compartilharam um vídeo com uma música pedindo ao ministro da Defesa interino, mulá Mohammad Yaqoob, que enfrente o Irã. O mulá Yaqoob é filho do mulá Mohammad Omar, o falecido fundador do Talibã e primeiro líder supremo.

FONTE: AL JAZEERA E AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Subscribe
Notify of
guest

19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Underground
Underground
1 ano atrás

Boa sorte aos iranianos!

eliton
eliton
1 ano atrás

Parece que aquelas toneladas de armamentos novinhos abandonados pelos americanos, não foram tão “abandonados” assim.

Maurício.
Maurício.
Reply to  eliton
1 ano atrás

Tirando as aeronaves que os americanos destruíram por completo ou parcialmente, sobrou muita coisa boa para o Talibã.

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTAS66Yj3Md_q3ZQm_e-L9GJCx1GaISW1lBQA&usqp=CAU

Godo
Godo
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

22 mil humvee mn, que loucura kkkkkk eu pensando em no máximo 1.500

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Godo
1 ano atrás

Os EUA jogou Humvee a rodo lá porque eles queriam se livrar deles mesmo, ele foi tirado de serviço nos EUA tem um tempo e os caras fizeram literalmente centenas de milhares.

Mars
Reply to  eliton
1 ano atrás

A maior parte das armas são ‘leves’, ideias para guerrilha. Eu quero ver quando os iranianos trouxerem o grosso da sua cavalaria blindada, será que teremos uma reedição do desempenho russo frente aos ucranianos ou não?
Além disso, provavelmente teremos movimentos de Israel e dos EUA para incitar os jovens iranianos a tentar derrubar o governo.
Eu não acho que é arranca-rabo esporádico. E se for, vão estimular a virar um conflito de maiores proporções.

sub urbano
sub urbano
1 ano atrás

Se virar um conflito a longo prazo aposto no Talibã e no fim da Republica Islamica do Irã.

Hank Voight
Reply to  sub urbano
1 ano atrás

Contra os EUA foi jogo Qings, o treino foi contra os pangarés soviéticos nos anos 80…rs!

Sergio
Sergio
1 ano atrás

Abdul Hamid Khorasani, vice-ministro da defesa do regime talibã do Afeganistão, fez um vídeo onde disse que “se nossos anciãos declararem a jihad (guerra santa), nós (os talibãs) atacaremos o Irã e conquistaremos Teerã em poucas horas”. 

https://www.instagram.com/reel/CsyWktRtf3D/?utm_source=ig_web_button_share_sheet&igshid=NTc4MTIwNjQ2YQ==

MATHEUS AUGUSTO
MATHEUS AUGUSTO
Reply to  Sergio
1 ano atrás

Sim, igual Kiev ia cair em 3 dias.

Hank Voight
1 ano atrás

Se é minoria não é grande Qings! Ademais os bilhões de dólares em armas norte-americanas ( superiores às da marcenaria Teerã) aliadas à tenacidade dos talibãs pendem a balança a favor de Cabul

Sinto muito

Hank Voight
Reply to  Hank Voight
1 ano atrás

Melhore seus argumentos Qings, 49% em termos populacionais e especialmente étnicos nunca será uma minoria.

Felipe M.
Felipe M.
1 ano atrás

Penso eu o quão curioso e irônico seria os EUA apoiarem o Talibã nessa empreitada contra os iranianos.
Seria um dos inúmeros exemplos que temos na história de que, como se diz,”o mundo não gira, ele capota”.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Felipe M.
1 ano atrás

O mundo já girou e já capotou, afinal depois de vinte anos, os americanos trocaram o Talibã pelo próprio Talibã, se bem que num passado não tão distante, o Talibã era reconhecido pelos americanos como “combatentes da liberdade” eram até aliados do Rambo!

Hank Voight
Reply to  Felipe M.
1 ano atrás

Quem está sendo expulso da própria área de influência é justamente o Putinstão Qings, e não são os EUA que estão fazendo isso (até porque nunca tiveram muita influência na Ásia Central) e sim pela China que, malandramente, vai comendo pelas beiradas

Esses são os fatos

Dagor Dagorath
Dagor Dagorath
1 ano atrás

O Afeganistão tem apoio do Paquistão (o embirão do Talibã surgiu nas madrassas paquistanesas do General Zia ul-Haq, ditador apoiado pelos EUA), uma potência nuclear. Coragem dos iranianos em querer arranjar problema com eles.

Carlos
Carlos
Reply to  Dagor Dagorath
1 ano atrás

Da mesma forma, os paquistaneses não tem o mínimo interesse em apoiar o Talibã, uma vez que a Índia está a espreita. Na verdade isso vai ficar só nas escaramuças, no máximo! E detalhe, nem compara-se o que os iranianos possuem em poder de fogo, em relação ao talibã.

ORIVALDO
ORIVALDO
1 ano atrás

Estão apanhado para barbudinhos de Chinelo. Nesse caso os dois lados tem desses

C G
C G
1 ano atrás

Hoje tem “open bar” em Langley!