Brasília (DF) – Entre os dias 30 de julho e 4 de agosto, os Exércitos Brasileiro e Argentino realizam a Operação Arandu, um exercício entre as duas forças com o objetivo de consolidar a cooperação militar entre ambos os países e reforçar os laços de união, cooperação e amizade entre os exércitos das duas nações.

Com a participação de 300 militares do Exército Brasileiro e 322 do Exército Argentino, a operação será realizada no Campo de Instrução General Ávalos, em Monte Caseros, na Argentina.

O exercício inclui atividades no terreno que serão executadas de forma conjunta entre ambas as forças, como lançamentos e ataques de tropa paraquedista, deslocamento de blindados, ataque aeromóvel e outras mobilizações de tropa. A operação contará ainda com o emprego de aeronaves e veículos blindados de ambos os países.

Do Exército Brasileiro, participarão militares do Estado-Maior do Exército, do Comando de Operações Terrestres, do Comando Militar do Sul, do Centro de Comunicação Social do Exército, da 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), da Brigada de Infantaria Paraquedista, do Comando de Aviação do Exército e do Comando de Operações Especiais.

Etapas

A execução do ciclo de exercícios militares Arandu foi estabelecida na XIV Conferência Bilateral, em 2020. Em 2022, foram realizadas, na Argentina, simulações para o adestramento dos estados-maiores das tropas de ambos os países. Em abril de 2023, foi conduzida uma Reunião de Coordenação Final na cidade de Buenos Aires, Argentina. Em junho de 2023, as tropas e os materiais que serão empregados na operação passaram por uma inspeção presencial.

Operação em 2020

O ciclo anterior da operação foi realizado no triênio 2018-2020. Realizadas nas cidades gaúchas de Santa Maria e Rosário do Sul, as atividades permitiram que os militares brasileiros e argentinos atuassem de modo integrado, realizando treinamentos; emprego de viaturas blindadas; operações aeromóveis, aeroterrestres e operações especiais; e ações de aproveitamento do êxito e junção, em um quadro tático de combate convencional. Entre as atividades, destacaram-se a transposição de curso d’água, que garante a mobilidade da tropa diante de obstáculos aquáticos, além do emprego de foguetes do Sistema Astros. A última atividade do ciclo anterior foi realizada em novembro de 2020 em Rosário do Sul.

FONTE / FOTOS: Exército Brasileiro

Subscribe
Notify of
guest

38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 mês atrás

Sacanagem terem levado o Guarani pra esfregar na cara deles depois de ter negado o financiamento para a venda ao país, hein. Se o KC-390 tb estiver envolvido nesse exercício vai ser pra fazer mais inveja ainda kkkkkkkk

Welington S.
Welington S.
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Recentemente a Argentina fechou um acordo com o FMI para liberar 7 bilhões de dólares.

Qual país irá fornecer esse montante? Eu não sei.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Caro W. Os recursos do FMI são usados para garantir o financiamento do comércio exterior. Todo país membro do FMI, seja a Argentina, Brasil ou EUA, podem acessar esta linha de crédito quando as sus reservas cambiais são insuficientes para sustentar as importações. Não há como o país usar os empréstimos do FMI para gasto de custeio. Para investimentos, os países podem solicitar financiamentos do Banco Mundial e no casos dos países latino-americanos e do Caribe, também podem buscar o BID. O Brasil ainda pode buscar recursos do banco dos BRICS para financiamento. As empresas argentinas ainda podem recorrer ao… Read more »

Welington S.
Welington S.
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Obrigado Camargoer.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Tudo certo. Só um complemento… “Todo país membro do FMI (…) podem acessar esta linha de crédito quando as suas reservas cambiais são insuficientes para sustentar as importações”. Em realidade, podem acessar para quando as suas reservas cambiais são insuficientes para sustentar o balanço de pagamentos com o exterior. Importações inclusive, mas não só. O problema mais urgente é quando há fuga de capitais de dentro para fora, sejam de residentes ou não residentes.  O “colchão” do FMI serve para dar o mínimo de confiança aos agentes econômicos de que a situação não vai degringolar e os fluxos de recursos… Read more »

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

A China emprestou dinheiro à Argentina tendo o CAF – Banco de Desenvolvimento da América Látina, como fiador.

O ponto é que a grande maioria do dinheiro do CAF vem do Brasil, logo nós somos os fiadores kkkk

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Considerando-se a quantidade de argentino que botava defeito no Guarani por ser 6X6 e o chamarem de “Fransksteein”, mesmo que eles mesmos não tenha nada melhor pra mostrar….

Welington S.
Welington S.
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

O mais engraçado é que quando o blindado está por lá, eles ficam admirados. Com a operação Arandú 2023 em curso, lá no canal do ARA202, na aba COMUNIDADE, você vê várias fotos do Guarani e muitas delas nos mínimos detalhes kkkk.

dretor
dretor
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

O Lado bom e que o governo negou o FINANCIAMENTO , na a venda, ou seja se a ARG arrumar a grana eles ainda podem adquirir os guaranis

AVISO DOS EDITORES:

4 – Não escreva em maiúsculas, o que equivale a gritar com os demais. As maiúsculas são de uso exclusivo dos editores para dar destaque às advertências nos comentários eventualmente editados ou apagados

LEIA AS REGRAS DO BLOG:

https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

Nessa localidade aconteceu uma grande batalha campal envolvendo o brasil na Guerra do Prata. Foi a batalha de Monte Caseros. Nessa batalha participaram tres futuros presidentes da argentina. Osorio (oq deu nome ao tanque e o herói da futura guerra do paraguai) participou da batalha liderando uma ala de cavalaria. Essa guerra fez do Imperio Brasileiro uma potencia regional. Outro cara q participou da batalha foi Jose Urquiza, q virou presidente da argentina depois, era uma figura dúbia, meio caudilhista. Teve pretensões ditatoriais ate o fim da vida. Qnd Solano Lopez invadiu o brasil, o Urquiza ficou em cima do… Read more »

Pedro
Pedro
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Mas o Brasil perdeu as principais Batalhas terrestres, tendo êxito no bloqueio naval, o que gerou um impasse, só mediado pela potência à época (Reino Unido).

Abraço.

Pedro
Pedro
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Não cara, aí foi na Guerra do Paraguai. Estou falando da Guerra da Cisplatina.

alexandre
alexandre
1 mês atrás

No começo o exercito imperial, era desorganizado, mas foi organizado e treinado pelo Duque de Caxias, mas venceu a guerra, tanto que o o EB chegou no Solano Lopes..

Pedro
Pedro
Reply to  alexandre
1 mês atrás

Não. Acho que você confundiu. Solano López foi a guerra do Paraguai, a Guerra do Prata, foi entre Brasil X Argentina e o que sabemos hoje como Uruguai (que foi criado como um Estado Tampão, assim como a Suíça o é.

Ciclope
Ciclope
Reply to  Pedro
1 mês atrás

E a Rússia queria que a Ucrânia fosse!

Joao
Joao
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Mas a Argentina tentou unificar o uruguai a ela e não conseguiu, pelo emprego do exército imperial portugues.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Joao
1 mês atrás

Vdd. Essa foi a Invasão portuguesa de 1816. Pode se resumir a participação brasileira assim: Portugal invade uruguai e anexa a região da cisplatina. Guerra da Cisplatina: Uruguai vence brasil com a ajuda dos argentinos e fica independente, no país é conhecida como guerra do brasil ou guerra de Independencia. Na revolução farroupilha os gauchos tentam fazer o mesmo mas levam tocha, seus amigos argentinos estavam mto longe para ajuda-los kkk Guerra do Prata: acontece no final da guerra civil uruguaia e é meio q uma saideira dela, uruguai numa guerra civil entre entre blancos e colorados, Brasil e unitaristas… Read more »

Joao
Joao
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Essa do Brasil invadir o Uruguai em 64…..

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Joao
1 mês atrás

Creio que foi erro de digitação, seria 1864.

Carlos Campos
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Suíça estado tampão, nunca vi nenhum texto amplamente aceito de que isso é verdade.

Pedro
Pedro
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

É que você não deve gostar de ler muito ou pelo menos procurar saber sobre o que aconteceu na época dos impérios Austro-Húngaro e Francês. Procura saber sobre o Congresso de Viena, que criou Estados-tampões como a Suíça e os Países Baixos.

Abraço.

Carlos Campos
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Primeiro se tu procurar a definição de estado tampão que vc não sabe, a Suíça está lá antes do congresso de viena de 1815, inclusive brigando com os reinos à sua volta desde a idade m, ou seja a suíça não foi criada em 1815, já existia desde a idade média.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Isso do Uruguai foi a Campanha Cisplatina, com a intermediação da Inglaterra criou-se a banda oriental. Por isso o nome oficial do Uruguai é Republica Oriental do Uruguai.

L G1e
L G1e
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Parece que está havendo uma confusão aí. A batalha de Monte Caseros foi em 1852 e o império do Brasil ajudou a derrubar o governo da Argentina e colocou outro no lugar.

Rodrigo
Rodrigo
1 mês atrás

Finalmente um que podemos ostentar…

Tiago
Tiago
1 mês atrás

Será que veremos o TAM em ação?
Eles tem muitas unidades né?

Fernando Botelho
Fernando Botelho
Reply to  Tiago
1 mês atrás

Pelo que parece sim. Segundo o site especializado argentino Zona Militar:

Si bien aún no se cuentan con mayores detalles, se ha apreciado la presencia del blindados de combate VC y VCTP TAM del Regimiento de Caballería de Tanques 1 «Coronel Brandsen» (RC Tan 1), junto a vehículos Oshkosh, por parte del Ejército Argentino; al igual que los Vehículos de Combate Blindado a Rueda (VCBR) 6×6 Guarani pertenecientes a la 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada del Ejército Brasileño.

Fonte: https://www.zona-militar.com/2023/08/02/avance-arandu-2023-los-ejercitos-de-argentina-y-brasil-comienzan-el-despliegue-de-sus-vcbr-6×6-guarani-vc-y-vctp-tam/

L G1e
L G1e
1 mês atrás

Novo MBT aríete 2.0 será que o Brasil vai comprar?

Carlos Campos
Reply to  L G1e
1 mês atrás

não. acredito que o EB vai continuar com LEO1 revitalizado e esperar pra ver como os novos MBT serão e qual deles é melhor para o Brasil, estamos vendo o fim do Leo2, M1, T90 como os melhores do mundo, já tem T14, Abrams X e um novo europeu

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

O fim????!!!???
Vamos ver, mas o Leopardo 2A7 e o Leopardo 2 A8, ainda estão agora a entrar ao serviço, bem como o Abrams M1A2 sepv3, o Leclerck azur, o Challenger 3, o Aríete C2, o T-90 da última versão, e os mbt’s Sul Coreanos K1 e os Japoneses Type 10, são muito actuais.
O T14 Armata, o Abrams X e o KF-51 Panther vão ter ainda um caminho a percorrer, até entrarem ao serviço plenamente, depois terão a companhia por muitos anos ainda dos actuais mbt’s e terão que provar, ser melhores que os actuais.

RDX
RDX
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Leopard 2A7/A8, K2 e M1A2 SEPv3/4 são os MBTs ocidentais mais modernos em produção.

Carlos Campos
Reply to  RDX
1 mês atrás

sim atualmente estes são os mais modernos, porém o Abrams X e o T14 são muito superiores aos seus predecessores, lógicamente, eles serão ainda muito úteis, duvido que esses novos MBT sejam baratos. por isso, estamos vendo o fim deles reinando como os melhores do mundo

RDX
RDX
Reply to  RDX
1 mês atrás

O Merkava 4 Barak e o Type 10 não estão disponíveis para exportação.

RDX
RDX
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

O novo europeu é o MGCS armado com canhão 130 ou 140mm.

uro-sd.com/2023/01/articles/29122/main-ground-combat-system-mgcs-a-status-report/

Last edited 1 mês atrás by RDX
Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  L G1e
1 mês atrás

Vamos da família CV90

Welington S.
Welington S.
Reply to  L G1e
1 mês atrás

Não e também não faz sentido. O EB ainda possui contrato com a KMW. O EB já separou o montante para a ”modernização” dos Leos. O EB também está em busca de nacionalizar diversos componentes dos Leos pois não há dúvidas que faltará peças tendo em vista os Leos que estão em campo na guerra ucrânia-rússia. E só lembrando. Nossos Leos não terão canhão de 120mm. Isso já foi descartado.

L G1e
L G1e
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Mas o Aríete C2 é da Itália e o Brasil já acertou a compra do guarani, centauro 2 e LMV da Itália. E o canhão de 120mm do Aríete C2 é o mesmo do centauro 2 e poderia ser produzido no Brasil. Quem sabe a cavalaria do exército vai toda de blindados italiano produzido no Brasil.

RDX
RDX
Reply to  L G1e
1 mês atrás

A linha de produção do Ariete está fechada há 20 anos… e foram produzidas apenas 200 unidades para o exército italiano. Os próprios italianos estavam em dúvida se valia a pena modernizar o Ariete ou substituí-lo completamente pelo Leopard 2A8. Os italianos pretendem complementar esses 125 Arietes modernizados com 125 Leopard 2A8.

Last edited 1 mês atrás by RDX