O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu (L) reúne-se com o ministro da Defesa Yoav Gallant (C) e chefes militares na sede das IDF em Tel Aviv para uma avaliação de segurança em 8 de outubro de 2023. (GPO)

Ex-oficiais israelenses de alto escalão dizem que o desrespeito aos alertas é apenas um aspecto da inteligência massiva e dos erros políticos; Autoridade do Cairo diz que Israel se concentrou na Cisjordânia em vez de Gaza

As questões crescentes sobre o enorme fracasso da inteligência de Israel em antecipar e se preparar para um ataque surpresa do Hamas foram agravadas na segunda-feira, quando um oficial da inteligência egípcia disse que Jerusalém havia ignorado repetidos avisos de que o grupo terrorista baseado em Gaza estava planejando “algo grande” – que incluía uma aparente notificação direta do ministro da inteligência do Cairo ao primeiro-ministro.

A autoridade egípcia disse que o Egito, que muitas vezes atua como mediador entre Israel e o Hamas, conversou repetidamente com os israelenses sobre “algo grande”, sem dar mais detalhes.

Ele disse que as autoridades israelenses estavam concentradas na Cisjordânia e minimizaram a ameaça de Gaza. O governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu é composto por apoiantes dos colonos da Cisjordânia que exigiram uma repressão da segurança no país, face à crescente onda de violência nos últimos 18 meses.

“Nós os avisamos que uma explosão da situação estava chegando, e muito em breve, e seria grande. Mas eles subestimaram esses avisos”, disse o funcionário, que falou sob condição de anonimato porque não estava autorizado a discutir o conteúdo de discussões delicadas de inteligência com a mídia, à Associated Press.

Num dos referidos avisos, o Ministro da Inteligência do Egito, General Abbas Kamel, telefonou pessoalmente a Netanyahu apenas 10 dias antes do ataque massivo, informando que os habitantes de Gaza provavelmente fariam “algo incomum, uma operação terrível”, de acordo com o site de notícias Ynet.

Autoridades egípcias não identificadas disseram ao site que ficaram chocadas com a indiferença de Netanyahu às notícias e disseram que o primeiro-ministro disse ao ministro que os militares estavam “submersos” em problemas na Cisjordânia.

O Gabinete do Primeiro Ministro negou as reportagens em um comunicado na segunda-feira, alegando que eram uma “mentira completa”.

“Nenhuma mensagem inicial veio do Egito e o primeiro-ministro não falou nem se reuniu com o chefe da inteligência desde a criação do governo – nem indireta nem diretamente. Isso é uma notícia completamente falsa”, dizia o comunicado.

Contudo, Israel não estava apenas ignorando avisos claros dos seus aliados.

Para os palestinos em Gaza, os olhos de Israel nunca estão muito distantes. Drones de vigilância zumbem constantemente nos céus. A fronteira altamente segura está repleta de câmeras de segurança e soldados de guarda. As agências de inteligência trabalham com fontes e capacidades cibernéticas para extrair informações.

Mas os olhos de Israel pareciam ter sido fechados na preparação para o ataque surpresa do grupo terrorista Hamas, que rompeu as barreiras fronteiriças israelitas e enviou centenas de terroristas a Israel para realizar um ataque descarado que matou mais de 700 pessoas e feriu mais de 2.000.

As agências de inteligência de Israel ganharam uma aura de invencibilidade ao longo das décadas devido a uma série de conquistas. Israel frustrou planos semeados na Cisjordânia, alegadamente perseguiu agentes do Hamas no Dubai e foi acusado de matar cientistas nucleares iranianos no coração do Irã. Mesmo quando os seus esforços fracassaram, agências como a Mossad, o Shin Bet e a inteligência militar mantiveram a sua mística.

Mas o ataque do fim de semana, que apanhou Israel desprevenido num importante feriado judaico, coloca essa reputação em dúvida e levanta questões sobre a prontidão do país face a um inimigo mais fraco mas determinado. Mais de 48 horas após o início do ataque, os terroristas do Hamas continuaram a combater as forças israelitas dentro do território israelita e mais de 100 israelitas estavam em cativeiro do Hamas em Gaza.

“Este é um grande fracasso”, disse Yaakov Amidror, antigo conselheiro de segurança nacional do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. “Esta operação prova na verdade que as capacidades [de inteligência] em Gaza não eram boas.”

Amidror se recusou a oferecer uma explicação para o fracasso, dizendo que as lições devem ser aprendidas quando a poeira baixar.

O contra-almirante Daniel Hagari, o principal porta-voz militar, reconheceu que o exército deve uma explicação ao público. Mas ele disse que agora não é o momento. “Primeiro lutamos, depois investigamos”, disse ele.

Alguns dizem que é muito cedo para atribuir a culpa apenas a uma falha de inteligência. Apontam para uma onda de violência de baixo nível na Cisjordânia que transferiu alguns recursos militares para lá e para o caos político que assola o país devido às medidas tomadas pelo governo de extrema-direita de Netanyahu para reformar o sistema judicial. O controverso plano ameaçou a coesão das IDF, vistas como o exército popular.

Mas a aparente falta de conhecimento prévio da conspiração do Hamas será provavelmente vista como a principal culpada na cadeia de acontecimentos que levou ao ataque mais mortífero contra israelitas em décadas.

Israel retirou tropas e colonos da Faixa de Gaza em 2005, privando-o do controle rigoroso dos acontecimentos no território. Mas mesmo depois de o Hamas ter invadido Gaza em 2007, Israel parecia manter a sua vantagem, utilizando inteligência tecnológica e humana.

Alegou conhecer a localização precisa da liderança do Hamas e parecia prová-lo através do assassinato seletivo de líderes terroristas em ataques cirúrgicos, por vezes enquanto dormiam nos seus quartos. Israel sabe onde atacar os túneis subterrâneos usados pelo Hamas para transportar combatentes e armas, destruindo quilômetros de passagens ocultas.

Apesar dessas capacidades, o Hamas conseguiu manter o seu plano em segredo. O ataque feroz, que provavelmente levou meses de planejamento e treino meticuloso e envolveu a coordenação entre vários grupos terroristas, parecia ter passado despercebido ao radar da inteligência de Israel.

Amir Avivi, um general israelita reformado, disse que sem uma posição segura dentro de Gaza, os serviços de segurança de Israel passaram a depender cada vez mais de meios tecnológicos para obter informações. Ele disse que os terroristas em Gaza encontraram maneiras de escapar dessa coleta de inteligência tecnológica, dando a Israel uma imagem incompleta das suas intenções.

“O outro lado aprendeu a lidar com o nosso domínio tecnológico e parou de usar tecnologia que pudesse expô-lo”, disse Avivi, que serviu como canal para materiais de inteligência sob um antigo chefe do Estado-Maior militar. Avivi é presidente e fundador do Fórum de Defesa e Segurança de Israel, um grupo agressivo de ex-comandantes militares.

“Eles regressaram à Idade da Pedra”, disse ele, explicando que os terroristas não usavam telefones ou computadores e conduziam os seus negócios sensíveis em salas especialmente protegidas contra a espionagem tecnológica ou a clandestinidade.

Mas Avivi disse que o fracasso vai além da simples recolha de informações e que os serviços de segurança de Israel não conseguiram reunir uma imagem precisa da informação que estavam recebendo, com base no que ele disse ser um equívoco em torno das intenções do Hamas.

Nos últimos anos, o sistema de segurança de Israel tem visto cada vez mais o Hamas como um ator interessado em governar, procurando desenvolver a economia de Gaza e melhorando o nível de vida dos 2,3 milhões de habitantes de Gaza. Mas Avivi e outros dizem que a verdade é que o Hamas, que apela abertamente à destruição de Israel, vê esse objetivo como a sua prioridade.

Nos últimos anos, Israel permitiu que até 18 mil trabalhadores palestinianos de Gaza trabalhassem em Israel, onde podem ganhar um salário cerca de 10 vezes superior ao do empobrecido enclave costeiro. O sistema de segurança viu essa cenoura como uma forma de manter relativa calma.

“Na prática, centenas, senão milhares de homens do Hamas prepararam-se durante meses para um ataque surpresa, sem que isso tivesse vazado”, escreveu Amos Harel, um comentador de defesa, no diário Haaretz. “Os resultados são catastróficos.”

Israel também tem estado preocupado e dilacerado pelo plano de revisão judicial de Netanyahu. Netanyahu recebeu repetidos avisos dos seus chefes de defesa, bem como de vários antigos líderes das agências de inteligência do país, de que o plano divisionista estava minando a coesão dos serviços de segurança do país.

Martin Indyk, que serviu como enviado especial para as negociações israelo-palestinas durante a administração Obama, disse que as divisões internas sobre as mudanças legais foram um fator agravante que contribuiu para que os israelitas fossem apanhados desprevenidos.

“Isso perturbou as IDF de uma forma que, creio, descobrimos ser uma grande distração”, disse ele.

FONTE: The Times of Israel / Agências

Subscribe
Notify of
guest

171 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RDX
RDX
8 meses atrás

O grande mal dos serviços de Inteligência ocidentais é desprezar as fontes humanas.

Bueno
Bueno
Reply to  RDX
8 meses atrás

Quais fontes que a inteligência ocidentais usam? ETs ?

Joao
Joao
Reply to  Bueno
8 meses atrás

Tenho a impressão, leve, q tu não conhece o assunto….

Normalmente, o ocidente tem se baseado mais na Inteligência de Sinais e de Imagens (os outros 2 ramos macro da inteligência)

RDX
RDX
Reply to  Joao
8 meses atrás

Não conhece, não leu a matéria ou se leu não tem ____________________

EDITADO

RodrigoW
RodrigoW
Reply to  Joao
8 meses atrás

João.
Pode falar mais sobre esses dois ramos da inteligência?

Joao
Joao
Reply to  RodrigoW
8 meses atrás

Prezado São vários ramos da Inteligência. As principais são Humanas HUMINT, de imagens IMINT e de sinais SIGINT. Há outras, que permeiam as principais ou “fazem parte”das principais (grosso modo). Ex: GEOINT (integra info geográficas com imagens) MASINGT (por assinatura de alvos – Rec QBRN, por exemplo) OSINT (fontes abertas) COMINT (comunicações) ELINT (Eletrônica) CYBINT (Cibernética) TECHINT (técnica – análise de equipamentos tecnológicos, por exemplo) MEDINT (sanitária) Não estou lembrando de outras kkkk Mas, respondendo sua pergunta. SIGINT: Deriva do espectro eletromagnético (nela estão a COMINT, a ELINT) se relaciona muito com a GE (Guerra Eletrônica) Ela busca, intercepta, identifica… Read more »

deadeye
deadeye
Reply to  Bueno
8 meses atrás

Os serviços ocidentais geralmente focam em: ELINT e SINGINT. Abraços. Os Russos e Chineses focam muito mais em HUMINT

RDX
RDX
Reply to  deadeye
8 meses atrás

As disciplinas de Inteligência são OSINT, HUMINT, IMINT, SIGINT (as subcategorias são COMINT, ELINT e FISINT).

Os EUA, por exemplo, foca em OSINT (web), IMINT (satélites, U-2 e drones) e SIGINT (NSA).
Historicamente, os serviços de Inteligência soviéticos/russos e israelenses sempre foram excelentes em HUMINT. Estranhamente, parece que Israel perdeu essa competência.

Renato B.
Renato B.
Reply to  RDX
8 meses atrás

Quem começa a focar mais em lealdade ao chefe do que na competência degrada a capacidade de sua organização. Vale para qualquer tipo: desde empresa até o um órgão de governo.

art
art
Reply to  RDX
8 meses atrás

Perdeu? Sabotagem? Tipo ocorrido em Pindorama

Sergio Machado
Sergio Machado
Reply to  RDX
8 meses atrás

Já ocorreram provocações israelenses na palestina a fim de se obter um conflito e desviar o foco da sociedade na política interna em crise. Não me surpreenderia nem um pouco uma omissão proposital de setores do governo a fim de obter um novo conflito, embora por hora não se vislumbra elementos concretos que determine isso. Talvez essa omissão é que não levou em conta o tamanho do estrago ou, talvez, “seria necessário” tal estrago a fim de se obter uma justificativa para a “solução final” palestina, com bombardeio indiscriminado de Gaza como estamos assistindo, com corte total de água, alimentos,… Read more »

Akauã
Akauã
8 meses atrás

Independente de lados, judeus e árabes, e apesar de eu ser um entusiasta de equipamento militares… Que guerras estúpidas que estão sendo travadas agora! Só espero q terminem logo.

Joao
Joao
Reply to  Akauã
8 meses atrás

Pior é que não dá pra imaginar onde vai parar….

Akauã
Akauã
Reply to  Joao
8 meses atrás

Infelizmente não dá. Assim como na Ucrânia, tudo pode virar desculpa para uma escalada na guerra, basta alguem cometer o primeiro erro.

Jose
Jose
Reply to  Akauã
8 meses atrás

Pura verdade.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Akauã
8 meses atrás

Como assim “agora”? As guerras ali são a regra, não a exceção, isso há milênios, e os motivos são essencialmente os mesmos.

Akauã
Akauã
Reply to  Allan Lemos
8 meses atrás

Você tem razão amigo. As guerras foram estúpidas antes e agora tbm.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Akauã
8 meses atrás

Concordo plenamente, estamos entrando em uma constante de desastres climáticos e gastando recursos com guerras em vez de nos prepararmos para o pior que está por vir.

Joao
Joao
8 meses atrás

A inteligência israelense, assim como as outras pelo mundo, tem apostado muito em imagens e sinais, deixando um pouco para trás a inteligência humana. Porque é mais fácil, aparece mais, inspira mais confiança, e é menos arriscada de serem descobertas e de morrer um agente. Uma ação dessa do Hamas pode ter sido preparada há muito tempo, com inteligência sendo feita aos poucos, com caches de armas e munições sendo montadas bem devagar, com “cavalos de tróia” em Israel sendo montados bem aos poucos, com túneis sendo feitos aos poucos, com as reuniões sendo feitas presencialmente, em ambiente livre de… Read more »

Bueno
Bueno
Reply to  Joao
8 meses atrás

Com todo respeito João , quem cria qualquer tecnologia de coleta de dados de Inteligência são Humanos, quem avalia a tomada de decisão com base nos dados coletados e estratificados por estas tecnologias são seres humanos, ou estou enganado ?

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
Reply to  Bueno
8 meses atrás

O que ele tá querendo dizer é que faltou agente de campo fazendo o trabalho de inteligência mais a moda antiga…

Joao
Joao
Reply to  Bueno
8 meses atrás

Tá enganado. Você está confundindo quem trabalha com inteligência de. início ao fim do proceso de produção do conhecimento, com as formas de obter dados e informes. O ramo de sinais, por exemplo, trabalha com algoritmos, achando sinais suspeitos, pra decriptografar, se necessário, e ai fazer a análise. Os principais ramos macro da inteligência sao: Humana, SInais e Imagens. Esses ramos se baseiam em como achar os dados e produzir os informes, antes da análise, humana com apoio de tecnologia, produzirem as informações, as conjunturas e os cenários. O ocidente e os Israelenses tem baseado muito de sua coleta na… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  Joao
8 meses atrás

Por esses meios e milhares de informadores, que cada um destes tem no mundo, mossad, cia, mi6, dgse, fsb e os serviços secretos Chineses.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Joao
8 meses atrás

Só uma coisa, Israel tem milhares de informadores dentro de gaza e cisjordânia, o que falhou, só os Israelitas o vão saber, mas não vão dizer nada sobre isso, para lá das agências de inteligência Israelitas, acho que nem mesmo á CIA o vão dizer.

RDX
RDX
Reply to  Joao
8 meses atrás

Eu entendi o que você quis dizer, mas é importante deixar claro que
a atividade de Inteligência não é exclusiva de um órgão estatal de Inteligência.
Para resumir o assunto. Existem basicamente 3 tipos de Inteligência:
Inteligência Policial – assessora chefes de polícia e investigadores.
Inteligência Militar – assessora comandantes militares.
Inteligência de Estado (interna ou externa) -assessora chefes de Estado. Nos EUA, por exemplo, a Inteligência de Estado é dividida em interna (FBI) e externa (CIA). Israel segue o mesmo modelo com Mossad (externa) e Shi Bet (interna). Curiosamente, FBI e Shin Bet são órgãos de natureza policial.

Joao
Joao
Reply to  RDX
8 meses atrás

Boa, RDX
Boa correção.
A Inteligência Policial é um tipo.
Que também apoia a Militar e a de Estado.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
8 meses atrás

Ok, mas…
Quem garante que Israel não escolheu propositalmente ignorar esses informes pra “ter a desculpa” de finalmente ir pra cima da Palestina?

Pragmatismo
Pragmatismo
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

Olha a teoria da conspiração!

Joao
Joao
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

sim sim…. tipo Pearl Harbor e 11 Set ignorados… sempre tem essas teorias… a diferença é q em Israel, a bomba pode cair na sua casa..

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

Olá WR. Eu acredito mais na incompetência do gabinete do primeiro-ministro do que em uma ação deliberada deles.

Joao
Joao
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Camargoer
Desculpe, mas não dá pra precisar se tá no nível do gabinete. Pode ter sido no “nível técnico”da inteligência e o nível político não pode ser responsabilizado como um todo.

Jose
Jose
Reply to  Joao
8 meses atrás

Caro João, esse a quem você está respondendo sabe que não necessariamente a falha é do gabinete, ocorre que se verificar comentários feito por ele em outros posts verá que ele se refere de forma pejorativa ao atual governo como “extrema direita”, acho que isso já explica muito.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Jose
8 meses atrás

Caro. Não é pejorativo. Nem elogioso. https://www.bbc.com/news/world-middle-east-63942616

Renato B.
Renato B.
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Típico caso de “ideologia é coisa dos outros”

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Renato B.
8 meses atrás

Olá Renato. Concordo. É preciso um argumento ideológico para rebater outro argumento ideólogo. Enquanto que um argumento técnico demanda outro argumento técnico. Mim Tazan, você Jane.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Para deixar claro Camargoer, você é uma das pessoas capazes de reconhecer a própria ideologia e ir além dela. Coisa eventualmente rara por aqui.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Renato B.
8 meses atrás

Obrigado. A admiração é mútua.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Joao
8 meses atrás

Verdade. Um risco é jogar a culpa nos bagrinhos para salvar os tubarões. Pelo histórico do serviço de inteligência de Israel, da quantidade de meios de coleta de informações, inclusive a rede de comunicação com outros serviços de inteligência, e a conhecida truculência e arrogância de Netanyahu, aposto nos tubarões.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Sim, nos últimos tempos havia uma constante dificuldade para formar um governo e o Nethanyahu foi compondo cada vez mais com o extremismo de direita. Tanto que havia uma crescente pressão contra dissidentes israelenses, tentativa de controle do judiciário e a formação de uma guarda nacional para conter o “inimigo interno”. Assim como os torturadores militares argentinos demonstraram não ser muito bons para enfrentar soldados britânicos treinados parece que a recém-criada guarda nacional israelense miou frente terroristas. De qualquer modo, estamos num ponto de inflexão na história de Israel, estou muito curioso com o rumo da sociedade israelense e espero… Read more »

MATHEUS AUGUSTO
MATHEUS AUGUSTO
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

Touché

Maurício.
Maurício.
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

“de finalmente ir pra cima da Palestina?”

Willber, Israel até aqui está fazendo literalmente o que sempre faz, que é ataque aéreo com seus caças e provavelmente um invasão por terra. Nada até aqui mostra que Israel “finalmente quer ir pra cima da Palestina” com a intenção de devastá-la completamente por exemplo, ou seja, na minha opinião não faz muito sentido esse ponto de vista.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Se Israel “simplesmente” começasse a bombardear a Palestina da maneira como ela está fazendo nesse momento e a cortar água e luz da região sem provocação, a comunidade internacional não veria isso com bons olhos.
Mas como Israel foi atacada primeiro, eles podem usar a desculpa de que estão se defendendo.
Parece teoria conspiratória? Sim, mas não é como se isso jamais tivesse sido feito antes na história, certo?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

“Parece teoria conspiratória? Sim, mas não é como se isso jamais tivesse sido feito antes na história, certo?”

Certo, nesse ponto eu não discordo, só acho que não faz muito sentido, acho que simplesmente foi incompetência do Mossad e da inteligência israelense como um todo, incluindo o alto escalão das forças armadas.

glasquis7
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

O objetivo não é a Palestina. O que Netanyahu quer é vencer a queda de braços com a Corte Suprema. O medo proporcionado por estes ataques, são uma ferramenta muito útil pros fins do governo israelense.

Eu também acho que “deixaram acontecer”.

Maurício.
Maurício.
Reply to  glasquis7
8 meses atrás

Glasquis7, pode ser também, eu não duvido de mais nada nesse mundo, não dá para pôr a mão no fogo por politico nenhum.

L G1e
L G1e
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Aí só se houvesse a justiça antecipada do futuro do filme de Tom Cruise em que os bandidos seriam presos antes de cometer os crimes. O mundo ainda não está nesse nível. Seria como alguém invadir a sua casa, matar, estuprar e fazer reféns. E o morador da casa se sentir culpado, porque eu não tinha um revólver. Se eu tivesse o revólver porque eu não deixei carregado. E se o revólver estivesse carregado o morador se sentindo culpado porque eu não consegui matar todos os terroristas. Inversão de valores total. Os loucos iriam atacar de qualquer maneira.

L G1e
L G1e
Reply to  glasquis7
8 meses atrás

Mas que houve o ataque houve. Milhares de inocentes morreram e foram sequestrado. Os loucos agiram. Agora falar que foi culpa de quem foi atacado aí é longe demais. Os loucos atacariam de qualquer forma.

glasquis7
Reply to  L G1e
8 meses atrás

Agora falar que foi culpa de quem foi atacado aí é longe demais. “

Eu não disse isso mas, se quem deve evitar os ataques, deixa acontecer, por incompetência ou conveniência, também tem a sua parcela de culpa.

De qualquer forma, foram avisados e nada fizeram.

Não é fácil esconder os preparativos de um ataque como esse.

Tudo muito suspeito. Principalmente se analisarmos o tumultuado momento político pelo que passa Israel.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  glasquis7
8 meses atrás

Entendo mas é viagem, se o ataque aconteceu e aí Hezzbolah resolve atacar e Irã tb…tu acha que iriam correr um risco desses…

glasquis7
Reply to  Rodrigo
8 meses atrás

Alguma parte da conversa eu devo ter perdido pois não entendo onde e encaixa o seu comentário.

glasquis7
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

BINGO!!!

É o que eu acho.

Israel passa por uma crise interna devido á tentativa do governo de restringir os poderes da Suprema Corte e assim depositar mais poder no estado.

Com este ataque, o medo da população, a posição de Netanyahu sai fortalecida.

Deixaram acontecer… tal vez, não imaginaram que chegaria a este nível de perdas humanas mas, acharam conveniente ante a situação.

JHF
JHF
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

“Quem garante que Israel não escolheu propositalmente ignorar esses informes pra “ter a desculpa” de finalmente ir pra cima da Palestina?”
Ou do Iran…

Macgaren
Macgaren
8 meses atrás

Apesar da alta competencia comprovada das FAs de Israel, eles acreditaram que eram melhores e invenciveis em todos segmentos.

Um monte de inocentes vão pagar a conta agora.

wilhelm
wilhelm
8 meses atrás

Não só os serviços de Israel foram afligidos por esse mal causado por um auto-senso exagerado de invencibilidade, mas arrisco dizer que todos os setores de inteligência e forças armadas do Ocidente.

Os últimos dois anos estão derrubando diversos paradigmas que eram aceitos sob aplausos por parte de quem supostamente diz entender sobre esses assuntos, ainda que à custa de muito sangue inocente.

Nemo
Nemo
8 meses atrás

Uma operação desse porte, todos sabem, não se prepara em um mês. Certamente foram meses de planejamento, treinamento, coordenação entre unidades, logística extremamente complexa para obter ou montar drones, mísseis etc. O início da ação envolveu a disponibilização dos equipamentos e a coordenação entre grupos. Isto não foi feito por um pequeno núcleo, mas certamente por dezenas de militantes.
Tanto a Mossad, quanto o Shin Bet e o IDF terão muito a explicar. Minha opinião é que depois da tempestade o “Passaralho” vai levantar voo e arrancar muitas cabeças.

Joao
Joao
Reply to  Nemo
8 meses atrás

Pode ter certeza.

WSilva
WSilva
Reply to  Nemo
8 meses atrás

“Na prática, centenas, senão milhares de homens do Hamas prepararam-se durante meses para um ataque surpresa, sem que isso tivesse vazado”, escreveu Amos Harel, um comentador de defesa, no diário Haaretz.”

Um pensador cujo nome me escapa agora certa vez disse que quanto mais pessoas envolvidas em algo mais complexo é a tarefa de manter esse algo em segredo.

Agora se milhares de homens do Hamas estavam cientes do ataque então precisamos reconhecer a força de coesão do grupo Hamas e não somente culpar a inteligencia de Israel.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  WSilva
8 meses atrás

Acho que pela primeira vez, concordo com você.

Mas faz sentido. Se são tão fervorosos em sua causa, e se Israel anda negligenciando investimentos em HUMINT, parece que um alinhamento de fatores positivos para o Hamas, aconteceu. Uma tempestade perfeita que não desperdiçaram.

Heinz
Heinz
Reply to  Nemo
8 meses atrás

Deve ter militares do Irã coordenando isto, tem até vídeo de uma sala do hamas (tipo aquelas da Ucrânia, com várias televisões para acompanhar imagens de drones em tempo real), não tenho um pingo de duvida que a guarda revolucionária está até o pescoço nisso ai.

Munhoz
Munhoz
Reply to  Heinz
8 meses atrás

Sim e o pior de tudo, a Ucrânia vai ser abandonada, quem deu a ordem de ataque foi o Irã que por sinal deve ter recebido a orientação dos Russos para o momento certo, logo após o congresso dos EUA bloquearem a ajuda para Ucrânia, a atenção foi desviada, vamos ver os próximos capítulos!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Munhoz
8 meses atrás

Caro. As situações são diferentes. Israel tem forças armadas bem equipadas e bem treinadas e está combatendo um grupo que usa táticas de guerrilha urbana. Ainda que o Hamas tenha adquirido enorme experiência e ninguém sabe o tamanho do seu arsenal, Gaza é um território pequeno. Israel tem capacidade de manter esta guerra sozinho. A Ucrãnia combate um exército profissional e a Russia possui recursos materiais, tecnológico e humanos superiores ao da Ucrânia. A Ucrânia é totalmente dependente da ajuda externa. O número de refugiados na Ucrãnia que precisam de apoio é muito maior que na região da Palestina e… Read more »

Lucena
8 meses atrás

Essa história é igual com outra… a do 11 de setembro … em que muitas agências de inteligência estrangeiras tinham alertado os EUA sobre aquele atentado e mesmo assim estes não levaram à serio os alertas.
.
A pergunta que fica é … quem ganhou … politicamente … com essa matança de gente inocente…. nos dois lados ?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Lucena
8 meses atrás

Olá Lucena. Geralmente, uma boa análise começa com estas perguntas. Pelo que acompanhei até agora, o Hamas tinha como objetivo interromper ou ao menos paralisar os acordos diplomáticos entre Israel e os países árabes. Neste sentido, para que o Hamas obteve sucesso. Natanyahu estava (talvez ainda esteja) sob forte pressão e contestação doméstica. Há quem diga que este ataque irá fortalece-lo internamente. Outros dizem que as falhas da inteligência irão enfraquece-lo. Acho que é cedo para avaliar isso. Contudo, acho difícil que o PM israelense consiga avançar qualquer reforma constitucional enquanto Israel estiver envolvido em combates. Neste caso, Netanyahu pode… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Alguém Esteve. Ou nada teria acontecido.

Lucena
Reply to  Lucena
8 meses atrás

O grande dilema de Israel não é entrara na faixa de gaza e sim como o eles estarão lá dentro… uma guerra urbana … corpo a corpo … e como sairá de lá.
.
O Hamaz provavelmente pensou até nesse detalhe … basta verem como foi com os EUA lá no Afeganistão … um verdadeiro atoleiro que consumi milhares de vidas e de Dólares.
.
Os Americanos com todo seu poderio … saíram do Afeganistão daquele jeito como se viu … e quem ficou lá … foi os Talibãs … e isso pode se repetir com Israel.

Joao
Joao
Reply to  Lucena
8 meses atrás

Os EUA deram um pau no Talibã, q ficou escondido nas montanhas e exterior executando ações de inquietação durante anos. Os EUA saíram de lá depois do Governo não querer mais bancar ficar fazendo o que seria de resp do governo afegão. Não por menos, que a população se agarrava nos aviões pra ir junto… O que é comum é o medo que a população palestna tem do Hamas, assim como a pop afegã tem do Talibã. Há também apoio de parte dos palestinos. E o terreno é outro. É urbano, mas muito restrito. É bem diferente, por exemplo, do… Read more »

RDX
RDX
Reply to  Lucena
8 meses atrás

Gaza tem é uma área cercada de 41km x 10km urbanizada em formato retangular, não tem florestas nem montanhas e não possui fronteiras com inimigos de Israel. Trata-se de um grande favelão governado por terroristas, um black spot em território israelense.
Ambiente perfeito para qualquer exército convencional.

Nemo
Nemo
8 meses atrás

A culpa não é de Israel; mas até mesmo israelenses já estão criticado os serviços de inteligência.

Kommander
Kommander
8 meses atrás

Acredito que os serviços de inteligência falharam, mas também acredito que teve gente fazendo vista grossa…

O mundo não é mais aquele lugar onde existiam heróis e vilões, hoje em dia eu desconfio de tudo, teoria da conspiração deixou de ser coisa de doido e virou realidade.

Airton
Airton
8 meses atrás

Esperando um general brasileiro (daqueles que montam grupo de estudo) dizer que TelAviv vai cair em 12 dias…

Mustafah
Mustafah
Reply to  Airton
8 meses atrás

Vamos manda os do Alto Comando com sua grande experiência para salvar Israel

glasquis7
Reply to  Airton
8 meses atrás

Não, isso é papo do Putin.

Phacsantos
Phacsantos
8 meses atrás

Parece o enredo do filme Body of Lies (Rede de Mentiras).

C G
C G
8 meses atrás

Sinceramente esse é um caso de “não viu pq não queria ver”, um belo causus belli obtido, apoio do mundo todo, vitoriosos em guerras costumam sair por cima em vários aspectos.
Acho que o Hamas que vacilou com o proprio povo palestino, provavelmente boa parte de Gaza vai ser nivelada ao solo.

Eromaster
Eromaster
8 meses atrás

Na minha opinião, não houve falha da inteligência. Acho que o governo de Israel sabia de todas as movimentações do Hamas, mas fez de conta que não sabia de nada. Deixou o pau rolar solto pra fortalecer o seu governo e ganhar apoio popular. Além disso,agora vai ter desculpa para fazer todas as atrocidades.

È difícil demais de acreditar que o governo de Netanyahu não sabia de nada.

Antunes 1980
Antunes 1980
8 meses atrás

Historicamente um dos maiores inimigos de Israel soltando essa “informação”.

É verdade esse bilhete.

Last edited 8 meses atrás by Antunes 1980
Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
8 meses atrás

Foi avisado né? Parece até aquele negócio de deixar acontecer para escalar o conflito.

Matheus
Matheus
8 meses atrás

Eu simplesmente RECUSO a acreditar que ninguem no MOSSAD ou Shin-Bet não viu que isso iria acontecer.
Isso é equivalente as milicias cariocas começarem a fazerem ataques no resto do estado, impossível que ninguem viu eles se preparando e recebendo armamento(provavelmente do Irã).

Pareçe até que deixaram acontecer.

Eromaster
Eromaster
Reply to  Matheus
8 meses atrás

Eu também acredito que deixaram acontecer. Tem projeto político por trás.

glasquis7
Reply to  Eromaster
8 meses atrás

Tem sim, Netanyahu quer restringir os poderes da Suprema Corte e está enfrentando sérios problemas por isso. Com este ataque, além de acalmar os protestos internos, une a população contra um inimigo externo e fortalece a sua posição de que o governo precisa de mais poder.

Deixaram acontecer. Ninguém consegue preparar um ataque desses sem deixar rastos.

Renato B.
Renato B.
Reply to  glasquis7
8 meses atrás

Eu entendo que você está propondo algo parecido com a lógica do Galtieri para as Malvinas. Possível, mas o risco dessa decisão deixar rastro e o tiro sair pela culatra também existe. Nesse caso Israel ficaria quase tão isolada quanto a Àfrica do Sul nos anos 80.

Um dos objetivos do Hamas me parece ser impedir a normalização de relações que estava em curso entre Israel e os países árabes.

Todos os atores envolvidos tem seus planos, se são bons planos é outra história.

Felipe
Felipe
Reply to  Eromaster
8 meses atrás

Sim, agora tem “carta branca” para cometer genocídio em “legitima defesa” e atrocidades com toda população arabe da faixa, cisjordania, libano, siria, etc.

Joao
Joao
Reply to  Matheus
8 meses atrás

Isso não é simples assim. Com tempo, e detendo o terreno, com amplo apoio populacional, é possível se fazer muito. Principalmente, porque não foram alvos que se precisa de muito treinamento ou locais amplos de treinamento.
O que pode ter acontecido foi não valorizar muito a possibilidade, principalmente, se o trabalho de contrainteligência foi bom, levando ao “conhecimento”dos israelenses óbices e “determinações contrárias”de grandes autoridades do HAMAS.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Matheus
8 meses atrás

Viagem na maionese.
A inteligência não existe só de um lado.
Os terroristas não vão planejar um ataque surpresa, contando pra todo mundo.
Se os serviços de inteligência fossem assim tão infalíveis como alguns pensam, não existiria nenhum atentado em nenhum lugar do mundo, nem crimes, tudo seria previsto com antecedência.

L G1e
L G1e
Reply to  Luís Henrique
8 meses atrás

Tem um filme que trata desse assunto a justiça antecipada no futuro. Acho que Tom Cruise.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  L G1e
8 meses atrás

Minority Report. È um bom filme e lança excelentes questões éticas e morais.

L G1e
L G1e
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Mestre Bosco. Parabéns. Esqueci o nome do filme. Mas é isso que alguns estão querendo.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  L G1e
8 meses atrás

Tranquilo. Dias atrás alguém também fez confusão e trocou meu nome por “Camarão”. rs

L G1e
L G1e
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Kkkkkk

Renato B.
Renato B.
Reply to  Luís Henrique
8 meses atrás

Manter segredo com um grupo pequeno de pessoas é fácil, o 11 de setembro não precisava de muita gente e organizações terroristas atuam em células justamente para aumentar o segredo. Porém uma operação dessas envolvendo um monte de equipamento e centenas ou até milhares de pessoas já é bem mais difícil.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Renato B.
8 meses atrás

Você tem que ter traidores lá dentro. Pessoas infiltradas que por dinheiro faz esse tipo de coisa. É mais difícil quando o grupo é radical e religioso.
Então é possível ter centenas e milhares de combatentes do Hamas sabendo do ataque e nenhum deles ser traidor.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Luís Henrique
8 meses atrás

Você leu a matéria? São ex-oficiais de inteligência israelenses e oficiais egípicios falando que houve um erro israelense. O ser humano é diverso e as pessoas tem suas próprias agendas. Uma organização é essencialmente um monte de indivíduos trabalhando juntos. Eu acho muito improvável que um movimento do tamanho do Hamas não tenha seus traidores, desertores, espiões ou etc. Pode ser gente que quer dinheiro, sair daquele purgatório ou vítima de chantagem. O trabalho de um bom serviço de inteligência achar e cooptar essas pessoas e se não fizer isso não fez um bom trabalho. Claro que também pode ter… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Renato B.
Gilson Elano
Gilson Elano
8 meses atrás

Começo a crêr mais firmemente que algum político israelense que estava perdendo importância, beneficiou- se desse ataque do Hammas.

Felipe
Felipe
Reply to  Gilson Elano
8 meses atrás

Sim, começa com Neta… temina com Nyahu…

Camargoer.
Camargoer.
8 meses atrás

Caro. Suponho que basta pedir as imagens da CNN e da AlJazira. Uma outra boa alternativa é acompanhar os redes sociais. Tenho a impressão que os terroristas gostam de colocar seus próprios vídeos. Parece suficiente para identificar muitos bagrinhos. Depois, é só abrir as relações, sigilos, etc para chegar nos tubarões. Lembro que o FBI encontrou McVeigh, que fez o atentado de Oklahoma, a partir do registro do número de série de uma peça do caminhão alugado pelo terrorista para levar a bomba ao lado do prédio do governo. Hoje, é muito difícil um criminoso fazer o crime perfeito. Eventualmente,… Read more »

Jose
Jose
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

É pelo visto não entendeu o “sarcasmo” mesmo!!!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Jose
8 meses atrás

Recíproco.

Maurício.
Maurício.
8 meses atrás

Israel cometeu um grande erro em não estar alerta, Israel em tese é um dos países mais preparados para não serem pegos desprevenidos. O Hamas consegui invadir muito facilmente, tinha terroristas de motos, carros, escavadeira, botes e até de paraglaider, algo surreal quando se pensa em Israel, conseguiram tomar até uma base com tanques Merkava e blindados M113 e Achzarit, causaram muito estrago. Enfim, além do Mossad, alguém cometeu muito erro em não prever tudo isso que aconteceu. Que a inteligência de Israel fique mais preparada daqui pra frente.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
8 meses atrás

Foi falha tb dos EUA, impossível não saberem de nada e não terem alertado oficialmente Israel, por que será que não avisaram? Bem,como disse Guga Chacra: “o mundo ficará mais soft com Biden e sem Trump”. Duvido que isso aconteceria seTrump fosse reeleito.

Kommander
Kommander
Reply to  Carlos Crispim
8 meses atrás

Me diz em que parte ele mentiu?

Heinz
Heinz
8 meses atrás

A próxima temporada de FAUDA será um verdadeiro estouro! Aguardando ansiosamente.

Joao
Joao
Reply to  Heinz
8 meses atrás

pensei exatamente nisso.

adriano Madureira
adriano Madureira
8 meses atrás

Eu acho um erro Israel tentar atiçar o Hezbollah para o conflito, são mais fortes que o Hamas em números e armas, abrir uma segunda frente seria mais problemas a enfrentar, fora que israel já está pedindo assistência militar e munição a Nato e eua. Acho melhor eles tentarem conter o Hamaz do que ampliar a cota de combatentes no conflito. O grupo iraquiano al-hashd al-shaabi anunciou apoio a invasão do /hamas e ameaçou no domingo as bases e tropas dos EUA no Iraque, que se tornariam “alvos legítimos” se Washington decidir interferir diretamente na guerra em curso entre Israel… Read more »

adriano Madureira
adriano Madureira
8 meses atrás

E parece até que os israelenses pensaram em um ataque preventivo a Síria, algo que não parece sensato no momento.

Zenótico
Zenótico
Reply to  adriano Madureira
8 meses atrás

Eu queria saber porque convocaram 300.000 reservistas. Para tomar a faixa de Gaza não precisa de tanta gente.

L G1e
L G1e
Reply to  Zenótico
8 meses atrás

Próximos passos ataque ao Iran, programa nuclear, ataque ao hezbola, no líbano e na Síria, e as forças armadas do Iran que está na Síria, e ataque a faixa de gaza. O que virá depois, qual vai ser a reação do Iran e aliados. Só o tempo dirá.

Franz A. Neeracher
Reply to  Zenótico
8 meses atrás

Não quer dizer que os 300.000 serão usados para tomar Gaza….
Eu acredito que serão divididos em 3 grupos:
1/3 no norte de Israel, caso ocorra uma invasão ou ataques a partir da Síria ou do Líbano.
1/3 para realmente atacar Gaza
1/3 ficaria como “reserva” no centro do país…..como Israel é muito pequeno, essa reserva poderia ser utilizada onde houver uma maior necessidade.

Zenótico
Zenótico
Reply to  Franz A. Neeracher
8 meses atrás

È, deve ser por aí mesmo. Precaução.

Vamos esperar que não usem esse contigente para ampliar a guerra. Certas declarações do Netanyahu dão a entender que estão pensando nisso. A presença de uma força-tarefa para ‘apoiar’ Israel tambem excede o que é necessário para uma ação policial, ainda que dura, em Gaza …

Vamos torcer.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Zenótico
8 meses atrás

Ele quer controlar a situação interna, dissuadir oportunistas, retomar a iniciativa e uma guerra urbana em gaza será um moedor de gente para ambos os lados. Para mim faz sentido.

adriano Madureira
adriano Madureira
8 meses atrás

Li que o corpo da guarda da revolução islâmica (IRCC) estava se dirigindo para Golã, além até de movimentações egípcias, e o próprio exercito sírio aumentou sua prontidão de combate.

comment image

comment image?itok=0hJrFUKH

comment image

bruno
bruno
Reply to  adriano Madureira
8 meses atrás

fonte

Joao
Joao
Reply to  adriano Madureira
8 meses atrás

Se estão indo, não sei. Mas aeronaves não identificadas (Americanas ou israelenses?) bombardearam um enorme comboio do Irã na Síria.

Renato B.
Renato B.
Reply to  adriano Madureira
8 meses atrás

Israel já enfrentou e ganhou mais de uma vez contra uma aliança árabe inteira quando o país mal estava consolidado. Os próximos dias não serão fáceis, mas as chances estão a favor de Israel.

Maurício.
Maurício.
8 meses atrás

Já que tem um pessoal falando em Ucrânia, vou dar o meu pitaco. Se os EUA tiverem que dividir a atenção, recursos e armamentos com Ucrânia e Israel, eu não tenho a menor dúvida que os EUA vão priorizar Israel. Isso não tem nem o que ser discutido, Israel tem muito mais relevância no cenário internacional, ainda mais comparado com a Ucrânia, e aqui não é achismo ou opinião pessoal, é um fato, algumas pessoas gostando ou não, é assim que funciona o mundo de verdade.

Cansado
Cansado
8 meses atrás

Israel ficou com inveja da Rússia passando vergonha sozinha e resolveu passar também.
Conseguiu.

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
8 meses atrás

Ninguém é perfeito. O problema é que quando as agências de inteligência erram, as consequências são sempre graves. De qualquer modo, os terroristas do hamas já querem iniciar um acordo de paz. Não aguentaram nem uma semana briga. 😂

Jonathan Pôrto
Jonathan Pôrto
8 meses atrás

A solução na minha modesta opinião seria 1- o Ministro Netanyahu renunciar, segundo os integrantes do HAMAS e OLP serem presos pelos seus crimes 3- Um novo local provavelmente na África propício pra agricultura para traslado e colonização os Árabes de GAZA e Cisjordânia sob supervisão da ONU 4.- Israel pode ficar com o Jerusalém,Golan, GAZA e Cisjordânia mas não poderá reivindicar por motivos, MILITAR, ESTRATEGICO, histórico ou religioso nenhum território como por exemplo a Península do Sinai!!Segundo especialista o maior objetivo seria levar os Árabes de GAZA e Cisjordânia pra longe do local de conflito e que novas gerações… Read more »

L G1e
L G1e
Reply to  Jonathan Pôrto
8 meses atrás

Não poderia trazer para o Brasil. O Brasil é muito grande e tem muitas terras férteis.

L G1e
L G1e
Reply to  L G1e
8 meses atrás

Poderia dividir os 5.000.000 de árabes que estão em gaza e Cisjordânia pôr toda a América do Sul de acordo a população de cada país. No caso do Brasil a metade seria dividido por todos os estados de acordo a população. Os árabes viveria melhor do que vivem hoje. E só fazer a proposta. E a ONU bancária o dinheiro para tudo isso.

Ricardo Torres
Ricardo Torres
Reply to  L G1e
8 meses atrás

Péssima idéia, o Brasil já possui problemas demais!

Não precisa importar mais ainda.

L G1e
L G1e
Reply to  Ricardo Torres
8 meses atrás

O Brasil já tem uma grande população de descendentes de árabes que vieram principalmente da Síria e do líbano e que convivem pacificamente aqui no Brasil. Receber 2,5 milhões de novos árabes ou 5 milhões o Brasil conseguiria absorver facilmente espalhando pelo país de acordo a proporção da população. Uma ótima ideia. E a ONU deveria ajudar com dinheiro para trazer e ajudar inicialmente esse povo. O Brasil já fez isso no passado e pode fazer agora.

Ricardo Torres
Ricardo Torres
Reply to  L G1e
8 meses atrás

A grande maioria dos imigrantes sírios e libaneses que vieram para o Brasil eram cristãos!!
Uma grande diferença…..

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ricardo Torres
8 meses atrás

Caro. A religião dos imigrantes ou refugiado faz pouca diferença. A maior comunidade de japoneses fora do Japão é no Brasil e a maioria dos imigrantes era xintoísta.

Ricardo Torres
Ricardo Torres
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Na teoria sim, mas na prática é diferente…

Com budistas, xintoístas, protestantes e católicos funciona…..mas com muçulmanos infelizmente é diferente…

Vá passar uns tempos em certos bairros de Berlin, Estocolmo, Colônia ou Bruxelas e depois a gente conversa…

Joao
Joao
Reply to  Ricardo Torres
8 meses atrás

Sabe qual é o pior de tudo?
Vc está certo.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Ricardo Torres
8 meses atrás

Se na prática a teoria está errado, então a teoria está errada. É a base do método científico. O Islã é mais próximo do Cristianismo que o Xintoísmo, Budismo ou qualquer outra religião, como exceção do judaísmo.

Os bairros pobres de periferia nas grandes cidades no Brasil são em sua grande maioria cristãos, com enorme presença evangélica. Ainda assim, são regiões extremamente perigosas.

Apenas para comparação, o índice de homicídios no Irã é 4,1 por 100 mil habitantes. No Brasil é maior que 20.

Rafa
Rafa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Aí vc misturou maçãs e bananas.

O problema no oriente médio é religioso. No Brasil é o tráfico. Se um morre mais do que o outro, tudo bem, mas não é possível relacionar guerra santa no Oriente, com a guerra contra as drogas nas Américas.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafa
8 meses atrás

Caro Rafa. Há uma frase curiosa que afirma que não se pode somar bananas e laranjas. Isso depende. Quando se pede para contar o número de frutas é obrigatório somar bananas, laranjas e tudo mais. Gosto deste exemplo para mostrar que é necessário entender o contexto de um argumento. O problema no Oriente Médio é muito mais complexo. Envolve recursos naturais (seja petróleo ou água potável), politico, tanto em nível doméstico quanto em nível internacional, religioso e também histórico. O antissemitismo é um problema secular na Europa, tão grave quanto o racismo contra o negro no Brasil ou nos EUA,… Read more »

Renato B.
Renato B.
Reply to  Ricardo Torres
8 meses atrás

O termo “turco” vem dos vários libaneses, sírios, palestinos e turcos que vieram para o Brasil trabalhar com comércio.Tem muito libanês em Brasília, sírios e árabes em São Paulo (lembra do Sírio-Libanês?) tanto que a primeira mesquita brasileira é paulista. Também há um monte deles em foz do Iguaçu e Paraguai não criam mais problema que os próprios brasileiros. Inclusive, veio até um monte de palestino depois de 1948.

Last edited 8 meses atrás by Renato B.
Jose
Jose
Reply to  Jonathan Pôrto
8 meses atrás

Caro Jonathan se tem conhecimento da política interna de Israel sabe que é exatamente isso que a oposição deseja, mesmo em um momento trágico como esse, lá como cá tem muita coisa que ainda vai vir a público sobre esses acontecimentos (se as imagens não sumirem é claro / modo irônico), principalmente sobre a participação de membros do estado que aparentemente “fizeram vista grossa” para os sinais de fumaça.

Zenótico
Zenótico
Reply to  Jonathan Pôrto
8 meses atrás

Com um programa tão justo, moderado e equitativo, voce está pronto para concorrer a Primeiro-Ministro de Israel. Se bem que alguns vão chamar essa solucão de “limpeza étnica” ! Imagine só !

Falando serio, é extraordinário que, vendo um conflito causado justamente pela invasão sionista das terras palestinas, pareça a muitos que a “solução” possível é desterrar os que foram vitimas da invasão. Fantástico !

JHF
JHF
Reply to  Zenótico
8 meses atrás

Muito esclarecedor que todos os comentários anteriores ignoram a opinião dos Palestinos que moram faz gerações nas terras ocupadas. Ninguém pensou em perguntar para eles se querem sair das terras donde enterraram seus antepassados. Qual seria a opinião de deixar Jerusalém 100% para os Israelitas? Uma esmola de terra fértil seria suficiente para comprar sua identidade? A capacidade de mediação de conflitos por aqui está bem …… enfim, paciência.

Luís Henrique
Luís Henrique
8 meses atrás

O Primeiro Ministro de Israel Benjamin Netanyahu citou esta informação hoje em seu vídeo à nação como completa fake news.

L G1e
L G1e
8 meses atrás

Israel fez um acordo com o Catar ,a alguns anos atrás, amigo do Iran, para que milhares de moradores da faixa de gaza pudessem trabalhar em Israel ganhando 10 vezes mais do que ganharia na faixa de gaza.

Esses trabalhadores poderia entrar em Israel todos os dias para trabalhar.

O Catar se comprometeu a enviar 40 milhões de dólares todos os meses para o Hamas ajudar a população de gaza.

Parece que esse dinheiro foi para comprar armas.

carvalho2008
carvalho2008
8 meses atrás

Relato em primeira mão, de um brasieiro que sobreviveu ao ataque…de quarenta que haviam fugido e se refugiado num bunker…somente ele e mais 4 sobreviveram…

https://www.youtube.com/watch?v=tWxQAEZCPUA

Last edited 8 meses atrás by carvalho2008
Rafa
Rafa
8 meses atrás

Uma coisa que não entendo, é pq os reservistas não podem ter armas em casa. Por mais bizarro que possa parecer, as armas em Israel são apenas para o pessoal da ativa.

Te falo que se os reservistas tivessem armas em casa, o ataque não teria encontrado tanta facilidade / ou teria que ser planejado de maneira diferente. Talvez isso seja revisto em Israel a partir de agora principalmente em cidades próximas as fronteiras.

É o que eu sempre falo: não terceirize sua segurança. Quem tem que cuidar da segurança da sua família, é você.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafa
8 meses atrás

Caro Rafa. Considero uma decisão acertada. Primeiro, que isso facilitaria o roubo e os desvios das armas, que poderiam cair em mãos de terroristas. Outro ponto é que se o Estado detém o monopólio da violência, estão as armas são fornecidas pelo Estado para aqueles que estão atuando em nome do Estado. Reservista só passam a atuar como agentes do Estado quando são convocados. Por fim, quando maior o arsenal nas mãos de civis, maior é o índice de homicídios por armas de fogo. Estatística básica. ]

Orivaldo
Orivaldo
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Está falando de Israel ou do Brasil ?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Orivaldo
8 meses atrás

Israel, por óbvio, ainda que a teoria de ciência política e de segurança pública se aplique para Israel, Brasil, Suiça, Japão….

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Ok, mas esta estatistica não funciona na Suiça…..então o fator não é o numero de armas com o civil…lá, eles ficam com o fuzil em casa….e é o pais com o maior numero de clubes de tiro….

Rafa
Rafa
Reply to  carvalho2008
8 meses atrás

Nem na Suécia, Noruega, Finlândia, etc.. e por incrível que pareça: Paraguai.

Groosp
Groosp
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Na Suíça o cara serve o exército e fica com o fuzil em casa. Deram uma restringida recentemente por causa de um acordo com a União Europeia.

Rafa
Rafa
Reply to  Groosp
8 meses atrás

Negativo. Lá eles inclusive pagam munição para 1 dia ao ano o pessoal reciclar no tiro.

Rafa
Rafa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Ledo engano caro Camargoer. Veja no próprio Brasil. O número de armas vendidas no ano passado chegou a mais de 1000 por dia. E o índice caiu. Pode pesquisar onde vc quiser. Recomendo inúmeros lívros, incluindo livros do Bene Barbosa, John Lott entre outros. E outra: o monopólio da violência não é mais monopólio. Aqui o tráfico mata mais do que a própria polícia. Não somente no Brasil, mas na América como um todo. Preciso citar África com seus milhões de rebeldes? Oriente Médio? Se a gente levar em conta a sua lógica então não posso ter um carro, pois… Read more »

Rafa
Rafa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Mesma coisa na Ucrânia.
O cidadão não podia ter armas.
Opa, invasão da Rússia. Agora os ucranianos podem. Estado bonzinho.

Vou te falar. Eu não terceirizo a segurança da minha família. Faço tudo dentro das leis e se não está dentro das leis eu luto para mudá-las e acho que é o dever de todo pai de família ter o direito (mesmo se não quiser) de defender sua família.

Quando a ________________
, vc vai depender apenas de vc pra se salvar ou salvar sua família. Anote o que eu digo.

AVISO DOS EDITORES: MANTENHA O BLOG LIMPO.

https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Rafa
Rafa
Reply to  Rafa
8 meses atrás

Peço perdão aos moderadores do fórum.
Não foi um ataque ao Camargoer, na qual tenho enorme respeito pelos comentários e posições.

O que foi editado pela moderação foi algo do tipo:
“Quando o problema bate a sua porta…vc vai depender apenas de vc pra se salvar ou salvar sua família. Anote o que eu digo”

Last edited 8 meses atrás by Rafa
paulof
paulof
Reply to  Rafa
8 meses atrás

já foi liberado a facilitação das licenças, mas sim em termos de segurança é só ver a irritação do embaixador de Moscou em Varsóvia quando o governo Andrzej Duda facilitou o acesso a armas para quem participasse de clubes de tiro (novos diga-se financiados pelo governo), foi que ele mais reclamou, mais que armas entregues para Ucrânia e até a ovação que recebeu (kkk).

Groosp
Groosp
Reply to  Rafa
8 meses atrás

Porque esse é o padrão em países que foram governados por socialistas e Israel é basicamente uma Social Democracia Europeia no Oriente Médio.
O Estado só quer o cidadão armado em defesa do próprio Estado e está pouco se lixando com a segurança das pessoas.
A Ucrânia liberou armas depois da invasão e Israel só começou a relaxar um pouco as restrições depois que pessoas armadas evitaram atentados.

Rafa
Rafa
Reply to  Groosp
8 meses atrás

Exatamente Groosp. Perfeita sua análise.
A arma serve para proteger o estado, os governantes, a polícia e o artista. Na hora de defender a sua família, ela é perigosa.

glasquis7
Reply to  Rafa
8 meses atrás

é pq os reservistas não podem ter armas em casa.”

E por que não poderiam?

Até onde sei, qualquer cidadão pode ter arma em casa desde que esteja registrada e o individuo demonstre ser uma pessoa idônea. Isso em muitos lugares no mundo é assim.

groosp
groosp
Reply to  glasquis7
8 meses atrás

É que sempre colocam na lei algum requisito subjetivo que permite à autoridade negar a posse ou o porte de arma por mera arbitrariedade. Aqui é a comprovação de efetiva necessidade que permite ao delegado da PF negar a compra ou o porte “porque sim”.

Rafa
Rafa
Reply to  groosp
8 meses atrás

Mais uma salva de palmas para o groosp.
Que bom que não sou o único aqui ligado nas armas para defesa.

glasquis7
Reply to  groosp
8 meses atrás

Desculpe mas, no meu caso não ocorreu assim.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  glasquis7
8 meses atrás

Caro Glasquis. Qualquer pessoa pode solicitar uma permissão para ter uma arma. O que não faz sentido é o Estado fornecer um fuzil para um reservista manter em sua casa.

glasquis7
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Fuzil não é arma, é armamento. Duas coisas bem diferentes.

Rafa
Rafa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Discordo do seu comentário e já me expliquei.
Parece que o único direito do cidadão comum é morrer na contramão atrapalhando o trânsito.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafa
8 meses atrás

Caro Rafa. A Polícia Federal apreendeu hoje, em uma mansão na Barra da Tijuca, 47 fuzis, que seriam (segundo a PF) fornecidos para as facções criminosas e para as milicas (há pouca diferença entre elas, a não ser pelo fato das milicias serem formas por ex-policiais com formação militar). Esta apreensão é um desdobramento da descoberta de uma fábrica de fuzis em MG, que tinha como fachada uma fábrica de móveis. Obviamente, este fuzis seriam usados tanto na guerra das facções, mas também contra policiais e civis. O exemplo mais conhecido do risco de se dar acesso ás armas foi… Read more »

Rafa
Rafa
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Camargoer, procure na internet o nome Inbar Lieberman.
A moça de 25 anos que matou 25 terroristas do Hamas.
Pq ela matou? Pq teve acesso a fuzis.

Franz A. Neeracher
Reply to  Rafa
8 meses atrás

Me intrometendo na conversa de vocês 🙂 Apenas para clarificar os fatos: A moça é uma ex-militar e era a pessoa encarregada pela segurança na aldeia. Quando ela percebeu que algo fora do normal estava ocorrendo, ela abriu o arsenal e distribuiu armas e munições para outras pessoas que tb eram preparadas a lidar com armas….ela soube posicionar as pessoas nos lugares certos e assim repeliram o ataque dos terroristas. Ela matou 5 dos terroristas, os demais foram mortos pelos outros defensores. Ela foi inteligente, manteve o sangue frio e tomou as decisões corretas na hora certa. Ou seja, fez… Read more »

Rafa
Rafa
Reply to  Franz A. Neeracher
8 meses atrás

Opa meu jovem. Fique a vontade para participar da conversa.

Mas é o que eu digo. Quase todo mundo em Israel prestou serviço militar. E são 3 anos de serviço bem prestado, não é varrendo chão e pintando passeio.

Nonato
Nonato
8 meses atrás

Percebo que a imprensa especializada em defesas no Brasil cobre muito pouco guerras.
Acaba que algumas emissoras cobrem muito mais.
Seja em tempo, duração, quantidade de matérias e profundidade da coberturas.
Isso não deveria ser o contrário?
Percebo que a guerra da Ucrânia tem tido por parte de TODA imprensa menor cobertura menor cobertura do que a invasão do Iraque em 1991.
Passados 32 anos, com melhor tecnologia.
Aqui, não se vê sequer matérias discutindo as estratégias que Israel poderá empregar…

Nonato
Nonato
Reply to  Nonato
8 meses atrás

Defesa não é só interesse de pais A em talvez comprar um Humvee ou Oshkosh.
Mais importante é o uso na hora H.

Esteves
Esteves
Reply to  Nonato
8 meses atrás

Naqueles anos a diferença foi a CNN. Hoje qualquer um com smartphone vira jornalista.

Nonato
Nonato
Reply to  Esteves
8 meses atrás

Mas não há cobertura.
Na faixa de Gaza mal colocam um câmera na faixada de um hotel e se vê uma explosão à distancia.
Como se fosse uma cidade sem carros, pessoas.
A trilogia poderia ter alguém lá.
Poderia até ser algum voluntário residente de Gaza e de Israel mostrando mais.
Na Ucrânia a mesma coisa
Não se vê nada.

Esteves
Esteves
Reply to  Nonato
8 meses atrás

Justamente. A internet surgiu em 1997. Em 1991 existiam telefones celulares sem câmera e sem internet.

Hoje, qualquer um com smartphone vira alguém.

Incluindo jornalistas.

Paulo Roberto
Paulo Roberto
8 meses atrás

Fiquei com essa impressão também,de que a inteligência israelense “tirou um pouco o pé”,pra merda ser feita e reforçar alguma e outra narrativa,a exemplo de um e outro atentado perpetrado por supostos terroristas islâmicos, ocorrido ao longo do tempo na Europa, que as inteligências dos países onde eles aconteceram não as “previram” ou as “detectaram”,pra moldar uma opinião pública favorável sobre o que vassalos europeus dos EUA e o próprio EUA,sob comando da OTAN,estavam a praticar no Oriente Médio e Afeganistão. Talvez quem agora esteja usando esta tática são os israelenses(diga-se Benjamin Netaniahu e seus aliados),mas quem sempre paga por… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Paulo Roberto
Esteves
Esteves
8 meses atrás

Evidentemente, Israel falhou. Se Israel falhou intencionalmente ou não, provável que essa informação nunca apareça. Cada um de nós tem já uma missão. Pressionar os eleitos para incluírem no código penal a criminalização de práticas e do apoio à grupos terroristas. É crime a apologia ao nazismo. Precisa também ser lido como crime toda e qualquer manifestação favorável à atos terroristas. Outra coisa. O Brasil precisa vestir as calças. Nosso voto na Assembleia da ONU em 1947 exercendo a presidência da ONU contribuiu para a partilha da Palestina e a criação do Estado de Israel. Vamos honrar esse voto. Certo… Read more »

Jose
Jose
Reply to  Esteves
8 meses atrás

Caro Esteves, você se recorda daquele ataque a “boate gay” em Paris por um grupo terrorista como esse que atacou Israel e que vitimou mais de uma centena de pessoas, você se recorda da posição á época dos que hoje apoiam esses terroristas, é a mais pura hipocrisia ou completa falta de noção tamanha é a incoerência em fatos tão semelhantes, a ideologia tomou conta da sociedade pelo mundo e é óbvio que isso não vai acabar bem, aliás já não está.

Esteves
Esteves
Reply to  Jose
8 meses atrás

Depende de nós.

JPonte
JPonte
8 meses atrás

Bem ….. falhas acontecem em todos os serviço de inteligência , talvez a maior falha tenha sido a arrogância quanto a informes de outros e a divisão interna por fatores exógenos ao serviço devido a disputa política que chegou ao seio dos serviços secretos e forças armadas …..

Manus Ferrum
Manus Ferrum
8 meses atrás

Benjamin Netanyahu é possivelmente o pior chefe de governo na pior hora possível para Israel.