Brasília (DF) – O primeiro protótipo da viatura de reconhecimento Cascavel e a revitalização do Obuseiro Light Gun foram apresentados para o Alto Comando do Exército nesta quarta-feira (29). A solenidade aconteceu no Quartel General do Exército, em Brasília, e contou com a presença do Comandante do Exército, General Tomás Miguel Ribeiro Paiva.

Projeto Cascavel NG: Viatura Blindada de Reconhecimento em Transformação

A modernização da Viatura Blindada de Reconhecimento – Media Sobre Rodas (VBR-MSR) EE-9 Cascavel é parte importante do Programa Estratégico do Exército Forças Blindadas. O objetivo é transformar a viatura em uma peça fundamental e altamente tecnológica no arsenal do Exército Brasileiro.

Segundo o Tenente-Coronel Fábio Musetti de Souza, Supervisor do Projeto, “a modernização do Cascavel representa um importante avanço tecnológico para a Engenharia Militar e para as nossas Forças Mecanizadas. É uma atividade complexa de engenharia que, em estreita cooperação com a Base Industrial de Defesa, demonstra a importância do desenvolvimento de novas tecnologias para o País”, afirmou.

Inovações e Melhorias na VBR-MSR EE-9 Cascavel

O projeto apresenta uma série de inovações e melhorias, desde a substituição do motor e da caixa automática por versões mais potentes até a implementação de sistemas de última geração para aumentar a eficácia operacional. Destacam-se adaptações como o sistema de ajuste de pressão de pneus para todos os tipos de terreno, um sistema de freio mais eficiente, e a modernização do sistema de controle da torre, permitindo o acionamento do canhão de 90 mm por meio de um joystick. Além disso, a segurança foi aprimorada com a implantação de um sistema lançador de mísseis anticarro.

Revitalização do Obuseiro Light Gun: Nacionalização e Manutenção Eficiente

Outro projeto ambicioso de revitalização em andamento é a melhoria do Obuseiro Light Gun, com foco na nacionalização de componentes com histórico de falhas. Com cerca de 450 itens identificados como suscetíveis a problemas, o processo visa corrigir deficiências e otimizar o desempenho geral do equipamento.

A estratégia adotada inclui revisão minuciosa e engenharia reversa de componentes específicos, sem alterar o projeto original, visando maximizar a manutenabilidade do equipamento e dilatar seu período de disponibilidade. Além disso, está sendo desenvolvido um suporte abrangente de manutenção, incluindo treinamento especializado, fornecimento regular de peças de reposição e ferramental específico, para garantir a eficácia e prontidão do Obuseiro Light Gun em qualquer cenário de operação.

Importância Estratégica para as Forças Armadas

Os projetos de modernização reforçam o compromisso do Exército em elevar a sua capacidade operacional. A nacionalização da produção e a implementação de suporte abrangente são passos importantes para o emprego eficiente da Viatura Cascavel e do Obuseiro Light Gun.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest

91 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Pietro
Carlos Pietro
2 meses atrás

Boa noite, o que são estas coisas estranhas e gigantes na parte superior da torre?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Carlos Pietro
2 meses atrás

É o tamanho da vergonha que temos de passar!

GodDrax
GodDrax
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

kkkkkkkkkk

JNWatanabe
JNWatanabe
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

Impagável…

BLACKRIVER
BLACKRIVER
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

Eles não estão nem aí pra nada…
Se realmente tivessem vergonha pra passar, não fariam o que fazem com dinheiro nosso.

Mafix
Mafix
Reply to  Carlos Pietro
2 meses atrás

EDITADO

José Fernandes Gonçalves
José Fernandes Gonçalves
Reply to  Carlos Pietro
2 meses atrás

Sistema optronico talvez com visão noturna com projeção em alguma tela de led

Cleiton
Cleiton
Reply to  Carlos Pietro
2 meses atrás

É o r2d2 lá do Star Wars kk

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Carlos Pietro
2 meses atrás

A cobra cascavel dever ser mais perigosa para invasores que esse cascavel

Leo
Leo
Reply to  Carlos Pietro
2 meses atrás

São casas pra passarinhos

Antonio Neto
Antonio Neto
2 meses atrás

Pra quê Centauro, se temos essa máquina?

Palpatine
Palpatine
Reply to  Antonio Neto
2 meses atrás

Claro que o Centauro 2 é muito superior, principalmente em relação à proteção blindada e ao poder de fogo. Mas pelo menos, o projeto prevê que cada unidade do VBR Cascavel NG deve custar no máximo 30% do valor de um novo VBC Cav

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  Palpatine
2 meses atrás

Muito superior em proteção blindada ?
Se o blindado “MUITO SUPERIOR” resiste a projéteis de 20mm frontalmente e 12,7 (0.50 pol) no resto do chassis… eu chutaria que o Cascavel resiste apenas a 7,62 perfurante…
Ou vc chutou isso ai sem saber as reais características dos 2 blindados…
Das duas uma.. rsrs

Nilo
Nilo
Reply to  Antonio Neto
2 meses atrás

Depois do Cascavel NG, projeto aprovado e finalizado pela AKAER, que o Exercito utilizasse o dinheiro de aquisição do Centauro 2, colocasse mais recurso e solicitasse a AKAER um novo projeto de um blindado nacional.
Onde está a irônia, mostre aos chineses ou italianos, a ausencia de irônia os fizeram começam pequenos.

Last edited 2 meses atrás by Nilo
Luís Henrique
Luís Henrique
2 meses atrás

Cada Cascavel modernizado está saindo por cerca de R$ 8,3 mi ou cerca de U$ 1,7 mi. Um dos requisitos é que o custo de cada Cascavel modernizado não supere 30% do valor do VBC CAV escolhido. O VBC CAV escolhido foi o Centauro 2 que custou cerca de U$ 1 bi ou R$ 5 bi, saindo cada unidade por cerca de R$ 51 mi ou U$ 10 mi. Porém, um dos competidores era o ST-1 com canhão de 105 mm da Norinco. A versão IFV do ST-1 com canhões de 30 mm foi exportada recentemente por valores em torno… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

8 milhões de reais pra “recauchutar” um caminhãozinho levemente blindado com um canhão de baixa pressão ( que me perdoem o pessoal da Engesa, mas é isso que o Cascavel, em sua essencia, é ).
Enquanto isso, as versões ambulância, porta-monteiro, observação, e outras versões do Guaraní que estavam previstas lááá atrás, nunca saíram do papel, ou seus protótipos estáo a passo de tartaruga paralítica.

Prioridades, né?

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Alguém tá ganhando algo…só mete TCU aí que acha rapidoao

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rodrigo
2 meses atrás

Seria uma explicação mais “razoável” do que acreditar que os generais BR realmente acreditam que Cascavel AINDA tem serventia hoje….

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Rodrigo
2 meses atrás

TCU? Kkkkkkkkk tá tudo em casa.

L G1e
L G1e
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

Prezado, o Brasil não pode comprar equipamentos militares da China. Ainda não. O jogo é esse hoje.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  L G1e
2 meses atrás

Por quê não? A China já é o maior parceiro comercial do Brasil. A MB já comprou navio chinês, porque o EB não pode comprar blindados chineses?

L G1e
L G1e
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

Caro, tipo assim, existe um acordo com o império ocidental. Os helicópteros mi-35 comprados da Rússia, como vamos falar, os EUA pediram para aposentar. Pediu educadamente, más pediu. E para bom entendedor como é o Brasil, um pingo é letra. Manda quem pode obedece quem tem juízo.

Felipe M.
Felipe M.
Reply to  L G1e
2 meses atrás

Pqp. Que preguiça desse papo furado

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

Eu duvido que os equipamentos chineses tenham uma vida operacional longa comparada aos equipamentos ocidentais (estimo que dure a metade).
Procurei e quase não se acha dados sobre esse assunto de disponibilidade dos equipamentos dos “clientes chineses “por que será?
Chinês produz barato para produzir sempre, e como ficaríamos a disponibilidade disso? E outra…tudo que envolva não produzir na China é transferir tecnologia eles torcem o nariz.

A verdade é que não levaram a licitacao porque foi testado é ruim

Tomcat4,5
Tomcat4,5
2 meses atrás

Excelente 🇧🇷🇮🇱, quem não entende a importância do q esta modernização está ensinando para a indústria nacional e para projetos futuros é por causa do poder do mimimi mesmo🤷🏽‍♂️🤷🏽‍♂️🤷🏽‍♂️. Que venha a versão com lançador de ATGM.

L G1e
L G1e
Reply to  Tomcat4,5
2 meses atrás

Verdade. O Cascavel NG, com ar condicionado, mísseis, novo motor, etcetera, será um excelente blindado de reconhecimento para o exército brasileiro pôr mais 30 anos.

400 cascavel NG+ 200 Centauro 2 e o Brasil terá uma grande força de cavalaria mecanizada.

Parabéns ao exército brasileiro pôr dá prioridade a indústria nacional. E se precisar pode recomeçar a produção aos milhares. 100% nacional.

Felipe
Felipe
Reply to  L G1e
2 meses atrás

A previsão são de no máximo 201 Cascavel NG e 221 Centauro II.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  L G1e
2 meses atrás

Creio que em futuro próximo o reconhecimento será feito por drones e outros equipamentos eletrônicos. Mandar blindado leve fazer reconhecimento será coisa de gente com cabeça no passado.
Qualquer loitering munition, dessas que existem às dezenas no mercado internacional, arranca o chocalho dessas cascavéis. Estão ai centenas de vídeos na Internet para mostrar isso.

Last edited 2 meses atrás by EduardoSP
Rafa
Rafa
Reply to  EduardoSP
2 meses atrás

Por isso que eu falo. Esses Cascavéis não são para ameça externa. Mas sim para ameaças internas, como traficantes (ah, contra eles não pode), nas fronteiras e contra os velhinhos com bandeiras do Brasil em Brasília.

erikbomberman
erikbomberman
Reply to  Rafa
2 meses atrás

SEMPRE APARECE os “crente do golpismo”!

Bardini
Bardini
Reply to  Tomcat4,5
2 meses atrás

E o que essa modernização está ensinando para a indústria local? Qual é a importância dessa modernização para projetos futuros?
.
Elabore…
.
A única coisa que eu vi desenvolvida aí, é um projeto de integração de sistemas. Sistemas estes, que existem prontos no mercado e não fazem parte de um plano de desenvolvimento futuro de nossas forças blindadas…

Alexandre
Alexandre
Reply to  Tomcat4,5
2 meses atrás

Uma vergonha! Tudo que se está aprendendo com esse projeto é a perpetuação da anemia crônica da indústria de defesa nacional! Dinheiro público sendo gasto com um projeto anacrônico e sem nenhum potencial tanto operacional quanto econômico!

Macgaren
Macgaren
Reply to  Tomcat4,5
2 meses atrás

Me emocionei com esse ensinamento, só temos a agradecer nossos parceiros por entrarmos em uma nova era tecnologica.

Leonardo Cardeal
Leonardo Cardeal
2 meses atrás

Dinheiro jogado no lixo… e continua sem blindagem.

Last edited 2 meses atrás by Leonardo Cardeal
Oráculo
Oráculo
Reply to  Leonardo Cardeal
2 meses atrás

Os comandantes dos quartéis que receberão essa Gambiarra já podem começar a escolher os pontos pra soldar suportes de fixação de grades e blindagens reativas. Terão que improvisar pra tentar salvar as vidas de seus soldados.

Igual os russos e ucranianos estão fazendo na guerra com os velhos T-62 que mandam pro front. Vão até com sacos de areia e troncos de madeira pendurados pra batalha.

E olha que a blindagem do T-62 é melhor que a do Cascavel…

Last edited 2 meses atrás by Oráculo
Werner
Werner
Reply to  Oráculo
2 meses atrás

Vc sabe qual a função do tronco? É bem engenhosa e vem da 1 GM.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
Reply to  Oráculo
2 meses atrás

até por que o T62 é um MBT e o Cascavel é um veículo de Reconhecimento.

Ravengar
Ravengar
2 meses atrás

Com uma simples tiro de espingarda flobe tira -se esses sensores de operação…

vmax
vmax
Reply to  Ravengar
2 meses atrás

Cara, eu que entrei pra bisbilhotar e bati o olho me perguntei a mesma coisa.
Uma arma convencional não pode desabilitar esses sensores?
É isso mesmo? =/

Leo
Leo
Reply to  vmax
2 meses atrás

Uma pedrada resolve

Emmanuel
Emmanuel
2 meses atrás

Cascavel NG = New Gambiarra

Marcelo Soares
Marcelo Soares
Reply to  Emmanuel
2 meses atrás

kkkkkkkkkkkkkkkkk o melhor comentário.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Emmanuel
2 meses atrás

Kkkk fenomenal

Orivaldo
Orivaldo
2 meses atrás

Parece um.carrinho de brinquedo, ou talvez seja

Neural
Neural
Reply to  Orivaldo
2 meses atrás

Acho que a modernização é valida, mas é burrice insistir nesse canhão. Mais de um atirador que já operou ele disse que não se tem precisão nenhuma. Tem que substituir pelo 30mm torc-30

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Neural
2 meses atrás

É óbvio que não tem precisão nenhuma.
O canhão do Cascavel original não tem estabilizador, não tem telêmatro a laser, sua mira é digna de um Sherman da WWII.
Acertar em clima de chuva ou névoa? Esqueça.
A noite? Melhor nem comentar…

Bem, considerando-se que o Cascavel é um M1 Greyhound bombado…

Orivaldo
Orivaldo
Reply to  Neural
2 meses atrás

Qualquer centavo a mais que gaste com este veiculo já é loucura ou corrupção

Felipe
Felipe
2 meses atrás

Temos poucos Light Gun, se não me engano o EB usa 36-40 peças em 2 grupos de Artilharia e alguns para instrução.

O custo de um Centauro II equivale a 3 Cascavel modernizados, e temos uma frota de mais de 400 Cascavel e sem dinheiro de imediato pra substituir todos.

Felipe
Felipe
2 meses atrás

O Cascavel é robusto e de manutenção relativamente fácil e barata pois produzimos aqui suas peças em geral. Esta modernização vai aumentar consideravelmente a eficiência dele para reconhecimento e ataque com os novos sistemas de pontaria, visão noturna e até ar condicionado. Mas não altera a blindagem ou o calibre do canhão, o que é compensado pelo lança-missel antiblindado que será instalado. Em suma, o EB está fazendo o que a FAB fez com o F-5 e a Marinha com as fragatas Niterói pra segurar o tranco até virem meios novos.

Daniel
Daniel
Reply to  Felipe
2 meses atrás

Mas esse é o problema. Já há meio novo em produção. O Guarani com torre de 30mm + mísseis anticarro. Mais barato que o Centauro,de projeto muito mais moderno mais adequado à missão. A FAB e a Marinha não tinham substitutos para o F-5 e as Niterói na época da modernização, o Exército tem.

Heinz
Heinz
2 meses atrás

Porque não fazer engenharia reversa no light gun? Fabrica-los e substituir os antigos M101. É tão difícil assim produzir um canhão rebocado de 105 e 155 mm?

Oráculo
Oráculo
Reply to  Heinz
2 meses atrás

Pois então…

O Irã, a Turquia e a própria China hoje tem uma indústria militar forte, que começou com engenharia reversa.

Até terroristas do Hammas, Hezbollah, ISIS, etc. fabricam armamentos mais sofisticados na base do “desmonta e faz uma cópia”.

Mas aqui nesse país os dinossauros que comandam o EB são contra.

Nunca duvide da “desinteligência” dos nossos generais.

Last edited 2 meses atrás by Oráculo
Guacamole
Guacamole
2 meses atrás

Uma coisa que me chamou a atenção foi a “engenharia reversa” que foi feita nele Light Fun de 105mm.
Se foi mesmo engenharia reversa (ou seja, nada de blueprints do projeto original) a minha pergunta é porque não usar mais ER em produtos que precisamos como obuses de 155mm entre outros?

SGT MAX WOLF FILHO
SGT MAX WOLF FILHO
2 meses atrás

Alvo perfeito para Drones autônomos, Exército é uma piada mesmo. Vergonha viu….

Oráculo
Oráculo
Reply to  SGT MAX WOLF FILHO
2 meses atrás

Um Lancet russo explode o Cascavel de uma só vez. E nem precisa de drones tipo Lancet.

Um quadricoptero com munição de morteiro já destrói o blindado.

Pelo jeito os generais do EB não fazem a menor ideia sobre o “estrago” que os drones estão fazendo no campo de batalha moderno.

Heinz
Heinz
Reply to  Oráculo
2 meses atrás

talvez, só leopard, T90, abrams sobrevivam a drones FPV com munições de morteiro, isso se o drone no pegar na traseira do blindado.
O que o EB precisa é investir em guerra eletrônica, AA, e armas anti-drones

Fabiano
Fabiano
2 meses atrás

Não iria ter um lança mísseis??

GRAXAIN
GRAXAIN
2 meses atrás

Já existe previsão de entrega do Cascavel-M? Quantas unidas? Entregas ainda nesta década? O motor é nacional, transmissão, direção, eletrônica embarcada são nacionais?

Felipe
Felipe
Reply to  GRAXAIN
2 meses atrás

Mínimo 98 unidades e máximo de 201

Mafix
Mafix
2 meses atrás

EDITADO

Carlos 07
Carlos 07
2 meses atrás

A pergunta que não quer calar! O cascavel sobrevive a um disparo de RPG? Não falo a de carga dupla, a simples mesmo. Quem comenta? Não desmerecendo o veículo, mas não faz mais sentido revitalizar algo que já está ultrapassado.

L G1e
L G1e
Reply to  Carlos 07
2 meses atrás

Nenhum blindado da categoria do cascavel sobrevive. Nem o centauro 2.

Oráculo
Oráculo
Reply to  L G1e
2 meses atrás

O Centauro fica fora de combate.
Mas a tripulação consegue sobreviver.

Já o Cascavel vira o caixão de quem tá dentro na hora que o RPG acertar o alvo.

Emmanuel
Emmanuel
2 meses atrás

Eu já vi gambiarra.

Gambiarra feia.

Gambiarra que só Deus na causa.

Mas essa aí do cascavel…parece um holofote. Dois.

Fico imaginando esse veículo avançado em um ponto, com a luz do sol contra ele, se essa luz não iria refletir nessas lentes igual um espelho. Se sim, são dois marcadores de alvo, gigantes, para o inimigo. Se não, menos mal.
Aposto que com esse dinheiro gasto com cada unidade do Cascavel o EB compraria, pelo menos, uma unidade do Robust M-RCV.

https://www.youtube.com/watch?v=hNLCa6isqJA

Maurício.
Maurício.
2 meses atrás

Esses optrônicos são muito grandes, aqui um sistema que foi colocado nos AMX 30 da Venezuela por uma empresa espanhola, é bem menor.

https://pbs.twimg.com/media/E4fOcs7XwAQ2ayO?format=jpg&name=medium

L G1e
L G1e
Reply to  Maurício.
2 meses atrás

O Brasil tem que enviar urgente 100 cascavel e 100 guarani para Roraima para proteger as nossas fronteiras da região norte. Urgente.

MMerlin
MMerlin
Reply to  L G1e
2 meses atrás

A região tem contingente e estrutura logística para suportar tal demanda?

Last edited 2 meses atrás by MMerlin
737-800RJ
737-800RJ
2 meses atrás

Eu sempre tento ser polido nos meus comentários por aqui e sinceramente tenho tentado ver o lado bom das coisas ultimamente, mas isso daí é algo que tem feito eclodirem sentimentos odiosos involuntários de mim toda vez que abro uma notícia mencionando a tal modernização de um veículo com projeto de mais de 50 anos e que já deveria estar aposentado.

Leo
Leo
Reply to  737-800RJ
2 meses atrás

E o pior, vão ser entregues até 2031…

alaor
alaor
2 meses atrás

Parecem os blindados de Gana, Republica Centro Africana…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  alaor
2 meses atrás

Ou nem isso.
Esses países estão substituindo Cascavel por veículos melhores made in China.

Carlos Campos
Carlos Campos
2 meses atrás

esses optrõnicos são nacionais ou importados?

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Para segunda ou terceira linha.Agora para ser equipamento de primeira nem pensar.

Bispo
Bispo
2 meses atrás

Em um mundo tecnológico: drones, guerra eletrônica, AI.. torram* $$$ com gambiarras.

*Alguns lucram ?

Esse pato, alvo, quis dizer , veículo blindado , não dura 5m se “encontrar” drones. E pode ser drones AliExpress.

Os gastos de nossas FA deveriam ser MUITO mais 𝗮𝘂𝗱𝗶𝘁𝗮𝗱𝗼𝘀.

Wilson Roberto da Fonseca
Wilson Roberto da Fonseca
2 meses atrás

Ideal seria, transformar essas carroças em cortador de grama e comprar rolinhos e cal para pintar meio fio.

cipinha
cipinha
2 meses atrás

Um monte de gente reclamando e falando em carro novo, vamos dizer que desistissem da modernização e partissem para algo novo. Quanto custaria? Quantos zero KM poderíamos comprar? 30? e o que fazer com diversas unidades que receberiam os outros 60 veículos? A modernização do cascavel vai além da ideia de ter uma viatura de reconhecimento menos defasada, mas também garantir a manutenção da doutrina e ser uma ponte para quando chegar algo mais novo, não estará saindo da 2 guerra mundial para a terceira década do século XXI, mais um degrau bem menos alto. Um dia todos poderão ser substituídos… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  cipinha
2 meses atrás

Esse “algo novo” ja existe por aqui:

Guarani.

Um Guaraní com torre TORC-30, com canhão 30 mm e com um ATGM integrado, é infinitamente melhor e mais moderno do que qualquer Cascavel NG será.

cipinha
cipinha
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

TORC-30 não foi nem pra frente. Acho que se fosse viável o EB teria ido por esse caminho, vamos lembrar que usam a UT-30. Talvez um Guarani com torre 90mm também fosse opção, mas seria viável? Eu vejo esse cascavel NG como ponte, entre o passado e o futuro, mas isso exige dinheiro.
Outra opção seria comprar Centauro 1, mas e o custo e dificuldade de manter esses carros aqui?

Felipe
Felipe
Reply to  cipinha
2 meses atrás

O custo de um Cascavel NG é 30% de um Centauro II , e garantido são 98 unidades deste último, outros 123 são apenas uma intenção em aberto no contrato. Então tudo depende de dinheiro…modernizar é melhor que deixar como está.

JNWatanabe
JNWatanabe
2 meses atrás

1 sniper + 1 Barrett M82
E adeus sensores da torre….

RDX
RDX
Reply to  JNWatanabe
2 meses atrás

1 sniper + 1 Barrett M82 + 1 munição AP incendiária….e adeus Cascavel.

General de Sofá
2 meses atrás

O exército da Bélgica tomou a decisão controvérsia de substituir seus MBTs, por IFV com canhões de 90 mm. Depois descobriu-se que a munição de 90 mm anti-tank, danificava/reduzia muito a vida útil do canhão, será que o Cáscavel sobre com esse mesmo problema?

https://www.youtube.com/watch?v=uVPH81HE20s

naval762
naval762
2 meses atrás

E lá vamos nós, o novo velho Cascavel é o EB não pára de passar vergonha!

Last edited 2 meses atrás by naval762
José Silva
José Silva
2 meses atrás

Cascavel “NG”…
É lamentável a falta de seriedade com recursos públicos.
Será que vão oferecer esta máquina de guerra ao Iraque novamente?

Gustavo
Gustavo
2 meses atrás

Sinceramente exército poderia pegar esse dinheiro fazer o desenvolvimento do guarani com torre 105 mm, que as compras exército ela tem que ser questionada, e caminhão, jipe,e caça tanque,artilharia tudo estrangeiro e unica coisa que EB faz nacional e a modernização de blindado obsoleto.
Mais espero que essa modernização seja para um passo para futuro blindado superior.
E o conceito de compras tem que ser feita nacional.

Last edited 2 meses atrás by Gustavo
Alvaro
Alvaro
2 meses atrás

Esse cascavel é um lixo. Dinheiro jogado fora. Esses
Optornicos parecem torres do Sisfron. Não servem para veículos. Compramos centauro para que?

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
2 meses atrás

a torre segue não sendo estabilizada ?

Gelson
Gelson
2 meses atrás

Bom dia! O EB não consegue nem atualizar a sua infantaria com uma arma individual moderna e adequada. Nem quero saber quantos novos fuzis a Imbel já entregou, com certeza não deve ter sido nem 10% do que é necessário. Eles adotaram um calibre que já era padrão em todo o mundo (5,56x45mm Otan), com pelo menos 50 anos de atraso e agora se arrastam para fazer o básico. O que se pode esperar,…reforma de Cascavel, Leopard 1A5BR, Obuseiros de 105 e 155mm da IIGM!? Desse mato aí não sai nada mesmo. Tempo e dinheiro perdidos da forma mais banal… Read more »

J.J.
J.J.
2 meses atrás

A torreTorc 30 cairia melhor.

Gelson
Gelson
Reply to  J.J.
2 meses atrás

Boa tarde, J.J.
Eu acho muito melhor usar esta torre no Guarani e usá-lo na função que o Cascavel executa hoje. É claro que com um sistema de ATGM acoplado. Aí sim, acho que a “família Guarani” se completaria. Mas, com essas cabeças pensantes que temos nas FA…não dá para esperar nada mesmo.

Leonardo Guerreiro
Leonardo Guerreiro
2 meses atrás

impossivel ler o site pelo PC, brota propaganda a cada segundo… melhor ler pelo celular que não tem esse assédio marketeiro