VARSÓVIA (Reuters) – A Polônia assinou um acordo de 2,6 bilhões de dólares para comprar mais de 150 obuseiros K9 sul-coreanos, informou a Agência Estatal de Armamento da Polônia nesta sexta-feira (1/12).

Sob o acordo com a Hanwha Defense, a Polônia adquirirá outros seis obuseiros autopropelidos K9 em 2025, e 146 obuseiros autopropulsados da versão K9PL em 2026-2027, disse a agência.

Um obuseiro é um tipo de artilharia que dispara um projétil em arco alto.

O contrato também inclui um pacote de treinamento e logística e a entrega de um estoque significativo de munições de 155 mm, totalizando dezenas de milhares de cartuchos, disse.

A Polônia também receberá documentação técnica sobre as armas. Além disso, serão realizadas obras de manutenção, renovação e modernização, e peças selecionadas de obuses serão produzidas pela indústria de defesa polaca.

Em julho de 2022, a Polônia assinou um acordo-quadro para comprar 672 obuseiros K9 em duas versões diferentes, disse a agência.

FONTE: Reuters

Subscribe
Notify of
guest

100 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Heinz
Heinz
2 meses atrás

A Polônia está se tornando o exército mais bem equipado da Europa.

Kommander
Kommander
Reply to  Heinz
2 meses atrás

Aprenderam com a guerra da Ucrânia. Artilharia tá causando estragos nos dois lados, ainda é uma arma muito letal.

Marcelo De Luca Penha
Marcelo De Luca Penha
Reply to  Kommander
2 meses atrás

Vou fazer um adendo, a artilharia guiada associada aos sistemas de detecção (drones de vigilância e radares de contrabateria) estão causando muitos estragos. Os russos foram perdendo a vantagem nesse quesito porque priorizaram o uso de artilharia “burra”. Parece que aprenderam a lição …

PACRF
PACRF
Reply to  Heinz
2 meses atrás

Se a Ucrânia for ocupada pela Rússia, a Polônia será a “bola da vez”, consequentemente precisará estar preparada. Vale lembrar que a Alemanha também aumentou significativamente seu orçamento militar. Afinal, depois da Polônia…

Zorann
Zorann
Reply to  PACRF
2 meses atrás

De onde tirou isto? Russia atacar a Polonia? É mais fácil a Polonia invadir a Ucrania e tomar o que sobrou

marku
marku
Reply to  Heinz
2 meses atrás

quando se tem o dinheiro da união europeia entrando no cofre fica fácil ir as compras

mendonça
mendonça
Reply to  Heinz
2 meses atrás

o exército mais bem equipado da europa é o russo.
não esqueça que a russia é asiática e ao mesmo tempo européia…

naval762
naval762
2 meses atrás

Enquanto alguns comemoram a décima edição do novo velho Cascavel.

deadeye
deadeye
Reply to  naval762
2 meses atrás

E olha que o PIB da Polônia, é menos da metade do Brasil

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  deadeye
2 meses atrás

Segundo o SIPRI, a Polônia gastou US$ 16,8 bilhões em defesa em 2022, praticamente o mesmo que o Brasil (US$ 17,6 bilhões), o que representou 3,4% e 1,1% do PIB, respectivamente. Em termos de gastos públicos, a Polônia gasta 5,8% dos recursos com defesa, e o Brasil 2,9%. Segundo o MIlitary Power Review (serve como referência, ainda que possa estar desatualizada), a Polonia tem 70 mil soldados no seu exército, 12 mil na força aérea e 15 mil na Marinha. Esta mesma fonte diz que o Brasil tem 214 mil no EB, 64 mil na FAB e 80 mil na… Read more »

C G
C G
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Calma que jaja aparece alguém justificando essa disparidade de número devido a dimensão territorial do Brasil, o que não vão falar é que a marinha vai mandar o pessoal combater a nado, a aeronáutica atirando pedras para o alto e o exercito trocando socos, ao menos nossas FA e/ou seus oficiais generais estão cuidando de suas prioridades como urna eletrônica, joias, cargos políticos e golpe de estado!

Luís Henrique
Reply to  C G
2 meses atrás

A Polônia investia bem menos em defesa. Agora que aumentaram o investimento, estão adquirindo muitos equipamentos mas também aumentando o efetivo.
Esse número de 70 mil no exército eu acho que já está defasado. Eu li que já possuem 128 mil e a intenção é chegar em 300 mil até 2035.

Os equipamentos são muito importantes, mas o efetivo também, principalmente no exército.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

A Polônia vem gastando muito com defesa há pelo menos 20 anos. Entre 2000 e 2015, eles gastavam um pouco mais de 4% dos gastos publicos. Desde 2015, eles tem gastado mais de 5% dos gastos públicos.

Luís Henrique
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Entre 2000 e 2015 a Polônia investia próximo de 2% do PIB em defesa. Apenas com o novo governo e com o aumento de tensão com a Rússia é que resolveram aprovar uma lei para estabelecer 3% do PIB como o mínimo para o orçamento militar. Ou seja, um aumento de 50% no orçamento. E algumas fontes dizem que os poloneses devem ir além e talvez chegar a até 5% do PIB nos próximos anos. Então, mesmo que eles investiam cerca de 2% do PIB há muitos anos, isso não é considerado muito e sim o mínimo pedido pela Otan.… Read more »

Heinz
Heinz
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Números interessantes, gostaria também que trouxesse como fica a porcentagem de gastos de pessoal da Polônia. Claro, se esses dados forem públicos, cabe salientar também que eles recebem dinheiro da OTAN. Mas mesmo assim a discrepância em equipamentos se comparar com o Brasil, é gigantesca.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Heinz
2 meses atrás

Pelo que apurei, o MinDef da Polônia gasta cerca de 50% do orçamento com pessoa (algo em torno de US$ 8 bilhões). Isso inclui salários, benefícios e contribuição previdenciária. Além disso, eles gastam outros 15% do orçamento com pessoal inativo (cerca de US$ 2 bilhões). Então, arrendondando para cima, uns US$ 12 bilhões com pessoal, ou 65% dos gastos. Sobram uns US$ 4~5 bilhões por ano para custeio e aquisições. Chama a atenção o fato da Polônia gastar 4 vezes mais com o pessoal da ativa que com o pessoal inativo. O Brasil gasta mais com inativos que com o… Read more »

my God
my God
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Em 1989 a Polonia saiu da esfera sovietica, que afundou, teve q se reorganizar a partir dese ponto quase zero. Os soldos na época eram baixissimos, idem os inativos. Aqui, na mesma época já constavam muitas regalias.

Nemo
Nemo
Reply to  Heinz
2 meses atrás

Tenho uma imagem dos gastos dos países da Europa, mas não está aceitando edição. Em 2020 a Polônia usou 47% do orçamento militar em pessoal. A informação não é detalhada, mas acho que serve para apontar a direção.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nemo
2 meses atrás

Olá Nemo. O seu valor é parecido com o que encontrei para 2022, lembrando que isso é o gasto com pessoal ativo. Eu inclui no gasto outros itens, como as contribuições previdenciárias e outros benefícios. Acho que se eu só incluísse salário na conta, seria menos que 50% também.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Heinz
2 meses atrás

Eles recebem dinheiro da Otan???
Não, eles recebem da UE, como todos os outros.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

EB precisa ser diminuído para uns 120 mil homens

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos Campos
2 meses atrás

Há anos defendo uma redução no tamanho do efetivo das trẽs forças, a adoção de um teto previdenciário, uma repactuação dos gastos, aumentando os gastos de custeio da FAB e da MB, a extinção de algumas atividades, como o fim dos colégios militares e o fim dos TG.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Vamos acabar com únicas escolas que tem nível de qualidade, para transformar tudo em escolas estaduais ali sim e bom super lotação, nem livros tem, criando muitos analfabetos , vamos acabar com isso.
Você as vezes vive em Nárnia.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

Segundo o MEC, o Fundeb destina R$ 5.664,21 por aluno. Podemos tomar este valor como o custo anual médio de um estudante da escola pública, seja no ensino médio ou fundamental. Segundo uma reportagem do Estadão, o custo de um estudante de um colégio militar é quase quatro vezes maior que o de um estudante de escola pública, chegando a R$ 19 mil por ano. Para ter uma comparação, um estudante de uma universidade federal custa em média R$ 25 mil por ano, mais ou menos o mesmo que custa um estudante de ensino médio em uma escola particular. Então,… Read more »

Gustavo
Gustavo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Vai acabar com escolas que estão dando certo, para aumentar verba da escola pública uma suposição, já escola pública passa por processo doutrinação partidária, falo isso pq presenciei em minha escola em 2014, aumenta investimento na suposição que vai melhorar, escolas militares um fato que funciona, seu alto índice de desempenho, merecia um investimento maior.

Vinicius
Vinicius
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Ué. As provas das escolas militares escolhem os melhores. Ou vc acha que tem que deixar uma criança/adolescente inteligente e com potencial na mesma classe de retardados e pessoas que tem dificuldade de aprendizagem? Mesma coisa as escolas de ensino médio federais.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

Servidores públicos civis têm de se virar com a educação dos filhos, como qualquer brasileiro que não é da casta fardada.
Mas isso não é para ser discutido nesse posto.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  EduardoSP
2 meses atrás

Olá Edu. Durante o Segundo Império e na República Velha, o país tinha entre 80~70% da sua população analfabeta. A rede de ensino pública era pequena, Naquele contexto, os militares criaram uma estrutura de ensino para seus filhos. Hoje, a rede de ensino público e privado é enorme. Aqueles que escolhem a rede privada, abatem os gastos no imposto de renda. Aquela ideia que as família dos militares mudam de cidade e precisam de uma escola para seus filhos e filhas não faz mais sentido O EB mantém 13 colégios (a um custo quase quatro vezes maior que o da… Read more »

Gustavo
Gustavo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Escolas que dão certo, e faz sentindo ter escolas militares e expandir elas.
O que não faz sentindo querer prejudicar escolas que dão alto índice desempenho.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

Caro. A questão aqui é mais profunda. A primeira delas é uma reforma da estrutura militar brasileiras, que acumulou atividades e perdeu a eficácia e a eficiência em sua função, que é a defesa. A segunda é que o relativo sucesso das escolas militares é resultado da quantidade de recursos empenhados, praticamente 4x o valor aplicado nas demais escolas públicas. Eu ficaria surpreso se com todo este dinheiro, estas escolas fracassassem na tarefa de ensino. O ponto é racionalizar os gastos. Escola é do MEC. Canhão é do MinDef. Outra discussão que precisa entrar é o sistema de saúde. Não… Read more »

Gustavo
Gustavo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Escolas tem pensamentos e forma de ensinar diferentes e de se comportar, MEC tem sua forma e mostrou incapaz de bons resultados, pode sim aumentar seus gastos, que vai melhorar e outra história, agora falar que deveria acabar com escolas militares e uma arrogância de tal tamanho, as pessoas como voce ,elas são contra a educação, eu entenderia se você me dissesse que deria ter mesmo gastos, para ter mais ensino de qualidade. Quer acabar com que tem , do que é concreto.
Aqui em BH escola militar e referência.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

O currículo é o mesmo. Não há como escolar militares terem um currículo diferente de escolas civis. Outro ponto que deve ser considerado é que as escolas militares aplicam um processo de seleção. Então, não é possível comparar o desempenho médio dos estudantes de uma escola que faz um processo de seleção com os estudantes que são aceitos indistintamente. Outro ponto que precisa ser levado em conta é o contexto familiar. Famílias nas quais os pais têm elevado nível educacional impactam no desempenho das crianças. Por exemplo, um jovem oriundo de uma família na qual os país têm nível superior… Read more »

C G
C G
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

Escola militar para atender qualquer coisa que não esteja atrelada as forças armadas é um abominação que praticamente nenhum país livre, sério e desenvolvido pratica em escala notável, aqui no Brasil criou-se essa abominação do pensamento de que as FA tapam buracos melhor do que a estrutura tradicional do estado! A doutrina militar supõe hierarquia e obediência, crianças e adolescentes precisam justamente do contrário, aprender a pensar com liberdade e questionar a sua realidade para mudar o seu mundo para algo melhor, supor que colegios militares são a solução para o nítido problema educacional do Brasil é uma visão limitadíssima… Read more »

Gustavo
Gustavo
Reply to  C G
2 meses atrás

Acho que único ponto que você não entendeu, foi estamos falando de educação e seus índices, você está atrelando outras coisas, escolas militares manten ensino de qualidade notável, você não é obrigado entrar, processo para entrada do aluno,como disse formas se ensinar que está da certo, educação mais disciplina, agora acabar com tudo isso com as escolas de alto índice de desempenho e ser b#rro e outra não falei que deveria ser a única escola. Agora fica retórica, na sua falácia as escolas públicas tem muita liberdade e ver qual qualidades dela,aluno estão chegando médio e não consegue interpretar um… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Gustavo
C G
C G
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

Com todo o respeito, vc entende pouco ou nada de educação e pedagogia, ou está de má fé ou sinto muito, quer tirar uma prova real se vc está oferecendo algo bom pra esses jovens?
Vai ver quantos filhos de ricos estão no colégio militar, esses que tem plena liberdade de escolha ($$$), aí talvez com essa informação vc reflita sobre o que vc está propondo como “alto indice de desempenho”, eu sei muito bem o significado de falácia, pode ficar com seu ouro de tolo!

Luís Henrique
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

A FAB e MB podem reduzir mais, afinal estamos quase sem navios e com poucos aviões.
Agora o EB já é pequeno. Temos 220 mil e já estão reduzindo para cerca de 200 mil.
Mas são 90 mil conscritos que recebem apenas 1 salário mínimo.

Com 2% do PIB para o orçamento militar, acho que o EB não precisa reduzir o efetivo ainda mais.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

É preciso lembrar que cerca de 25 mil militares da FAB servem no DECEA, fazendo o controle de trafego aéreo, o qual é (parcialmente) financiado pelas taxas cobradas das empresás aéreas.

O problema em aumentar os gastos miliares é a estrutura perdulária e anacrônica das forças armadas. Aumentar os gastos não resolverá o problema.

Além disso, aumentar os gastos militares demandará a redução de gastos em outros setores ou aumento da carga tributária.

Nativo
Nativo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Meu caro o Brasil tem um. Efetivo igual ao do México, Colômbia , Tailândia e menor do que a indonesia, Egito.

O nosso bumero de soldados não é alto até pequeno se comparado wm proporção a Colômbia por exemplo, excesso só de oficiais.

O bonde usou orçamento ten que vir na separação das despesas com pesquisa aquisição e manutenção de equipamentos, das despesas com aposentadorias , pensões, os tais 300 hotéis de trânsito e diminuir as tais viagens premiadas.

Mars
Reply to  Carlos Campos
2 meses atrás

Se diminuir em 120 mil o efetivo da EB vai enfraquecer ainda mais a guarnição das nossas fronteiras. Lembre-se o Brasil tem praticamente o tamanho da Europa Ocidental, quer gostem ou não, ainda em necessário o soldado fisicamente em pontos estratégicos.
Eu realmente duvido que 214 mil é suficiente para guarnecer todas as fronteiras do país.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Mars
2 meses atrás

Caro. Então entraremos em outra discussão, que é o modelo de defesa. Talvez tenha feito sentido no passado manter pelotões de fronteira, isolados e abastecidos por aviões. Acho que isso não faz mais sentido. A crise na fronteira com a Venezuela mostra que é preciso ter tropas com capacidade de mobilização e transporte. Não há como fazer um exército que ocupe toda a fronteira brasileira. Ainda que o EB tivesse um milhão de soldados, continuaria insuficiente. O EB deve ser uma tropa de combate, bem treinada e bem equipada, com capacidade de ser levada para onde for necessária. O problema… Read more »

Gustavo
Gustavo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Guerra da Rússia e Ucrânia mostrou o contrário, quantidade, treinamento e prontidão.
Concordo com teto previdenciário, mais com redução de efetivo, você não está na Suíça, Brasil tem problemas no norte, e ter forte presença precisa de pessoal, o que me impressiona é o Brasil gastar mais com inativo do que com ativos.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

A comparação entre o que acontece na Ucrânia e Russia, que estão em um conflito regular, e o Brasil não faz sentido para o dimensionamento do efetivo das forças armadas. Tanto na I Guerra quanto na II Guerra, o efetivo do exército inglês era pequeno. Nestas duas guerras, ele cresceu exponencialmente durante o conflito, sendo reduzido depois. O mesmo aconteceu com os EUA. Eles tinham um exército pequeno que cresceu durante a guerra e depois foi desmobilizado. Nenhuma sociedade consegue sustentar um aparato militar que consuma recursos necessários para a ampliação da infraestrutura e para a prestação de serviços essenciais,… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Camargoer.
Gustavo
Gustavo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Vamos deixar o acaso nos proteger,grandes potencias tem seus efetivos grandes, e bem equipados como forma de segurança, irã tem exercito 350 mil, coreia do sul tem um efetivo 365 mil,china,Rússia, Estados Unidos, e se for pensar no exercito europeu que querem formar, mundo aumento seu efetivo, se armando, e tem pessoas com ideias de redução. Temos problemas com as farc, Venezuela querendo atacar Guiana para isso tem que passar por Roraima, Estados Unidos com base em toda América do Sul isso também é uma ameaça. A classe política mais os idealista, ideia de paz, só que a história é… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

Caro. A eficácia de um estratégia de defesa é dispor dos recursos adequados (meios, pessoal, quantidade, logística) para o tipo de ameaça. Tomando o exemplo da crise entre a Venezuela e a Guiana, fica claro que a estratégia de defesa adotada pelo EB foi inadequada. Existe um excesso de recursos alocados no sul do país e quase nada na região da crise. Eu não sei avaliar neste momento a capacidade logística de levar os meios que possam ser necessários para a região, até porque até agora a ameaça para a soberania brasileira é baixa. Uma tropa com 100 mil soldados… Read more »

Gustavo
Gustavo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Exatamente 240 mil militares,efetivo pequeno, no mínimo efetivo deveria ser o dobro para dar reposta a crise tanto ao norte e quanto ao sul, assim manter sua neutralidade.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

Cadê o IFV moderno dessa tropa, o MBT, o ATGM, o Drone dos Pelotões, o colete balístico de placa de ceramica, o Red Dot do Fuzil, o Helicoptero artilhado.

Luís Henrique
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

O EB chama cerca de 90 mil conscritos por ano que é um plano de formação de reserva e nos garante uma capacidade de mobilização futura muito poderosa e importante, e ainda é “barato” porque os conscritos recebem apenas 1 salário mínimo.

Retire os 90 mil conscritos e verá que o EB tem cerca de 125 mil militares. Ou seja, já é muito pequeno para um país gigante como o nosso.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

São 90 mil jovens que cumprem o serviço militar anualmente, sendo que 80 mil no EB. Eles custam cerca de RR 1 bilhão por ano, ou menos de 1% dos gastos.

Este contingente não tem peso sobre os gastos militares.

Luís Henrique
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Exato. Então se o sr. considerar que estes 80 mil são jovens, inexperientes, que estão aprendendo para poderem fazer parte de uma reserva com alguma experiência, então o que “sobra” no nosso exército que pode ser chamado de Profissional são cerca de 130 mil militares, sendo que metade são temporários.

Para uma das maiores economias do mundo e com o nosso tamanho, não acho exagerado, acho até que é pouco.

Já a FAB e a MB, mesmo cumprindo missões como no DECEA e de guarda costeira, acho que da para reduzir.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

A Europa não quer formar nenhum exército Europeu, falou-se em tempos, mas não se fala mais, pois a Europa, já tem forças armadas, chamam-se Nato, onde junto com a parte Norte, do continente Americano, as forças armadas das nações da UE, UK e Noruega, têm integradas todas as forças armadas da Europa, tirando praticamente só Ucrânia (vai entrar no futuro, para UE e NATO, se não perder a guerra), Geórgia (país candidato á UE), Sérvia (candidata á UE), Álbânia, Kosovo e outro país vizinho, que a capital é Chissinau (não me lembro do nome, agora), também candidato á UE.

bjj
bjj
Reply to  Mars
2 meses atrás

Se houvesse uma real preocupação do EB com a segurança das fronteiras a maior parte do efetivo não estaria concentrada no sudeste. Dá para cortar muito efetivo e ainda ter zero impacto na segurança das fronteiras.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Mars
2 meses atrás

entendo a Preocupação mas 120 mil é suficiente, fora que patrulhar por drone é melhor, ou vc acha que os soldados podem cobrir uma área maior em menos tempo, é a mudança dos tempos a tecnologia, um drone detectando atividade suspeita e vetorando soldados em solo é melhor que entupir o EB de pessoas

C G
C G
Reply to  Carlos Campos
2 meses atrás

Seguindo meu comentário acima:
“ahhh mas o Brasil é gigante, precisa de muita gente”

Reforço de 130 soldados na fronteira, pasmem, 130!!!

(Eu vou parar pq estamos saindo do tema da matéria e eu jurei p/ Santa Rita de Cássia que não iria dar trabalho para a moderação!)

Last edited 2 meses atrás by C G
Luís Henrique
Reply to  Carlos Campos
2 meses atrás

O EB já está quase nisso. São cerca de 125 mil, sendo metade Temporários.
E mais 90 mil conscritos.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

São 80 mil fazendo serviço militar obrigatório no EB, Os outros 10 mil prestam serviço na FAB e na MB.

Luís Henrique
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Ok Obrigado pela informação.

Então são cerca de 130 ou 135 mil no EB, sendo metade temporários.
Acho bem pequeno para o nosso tamanho geográfico e econômico.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

Olá Luis. Não há relação entre o tamanho do país e o efetivo de seu exército. A Coreia do Norte é minúscula e tem um exército de 1,2 milhão de soldados. O que determina o tamanho do efetivo é a extensão do engajamento Em tempos de paz, é possível manter um exército de 100 mil soldados bem treinados e equipados, que possuam elevada flexibildaide e mobilidade. Em caso de conflitos, esta tropa é mobilizada e deslocada para o local de crise. Se a crise escalar, ai se faz uma convocação de reservistas e treinamento de novos soldados. Não faz sentido… Read more »

Luís Henrique
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Entendo que o tamanho territorial por si só não determina o tamanho do efetivo, porém entra no cálculo, pois o Brasil com uma dimensão territorial enorme, acaba tendo fronteiras terrestres com 10 países. Além disso, pelo nosso tamanho, temos áreas riquíssimas, como a Amazônia, o que nos torna um território mais “desejável”, da mesma maneira que Hitler se interessou pelo vasto território da União Soviética… Então, não é simplesmente ter grande efetivo para patrulhar fronteiras contra crimes de tráfico de drogas, mas também possuir efetivo para Dissuadir possíveis conflitos. Se a Ucrânia tivesse os 1,2 milhões de soldados que a… Read more »

Caerthal
Caerthal
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Tem a tal geografia atrapalhando.

Luís Henrique
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

O que li é que já estão com 128 mil no exército.
E o plano de ter o exército mais poderoso da Europa, inclui uma massiva expansão do efetivo, junto com as grandes quantidades de equipamentos modernos que estão sendo adquiridos.
Pelo que li, eles pretendem ter um exército com 300 mil militares até 2035.

marku
marku
Reply to  deadeye
2 meses atrás

embora a Polônia tbm receba dinheiro da união europeia, uma hora essa conta vai ter que ser paga. lembrando que ninguém compra armamento a vista é tudo financiado vamos ver na hora que os boletos começarem a cair lol

Pablo
Pablo
Reply to  naval762
2 meses atrás

So esqueceu da história da Polônia, que sofreu muito na segunda guerra e de ser saco de pancadas. Depois da invasão russa, eles nao querem voltar o tempo. Era o que a Ucrânia deveria ter feito, por exemplo, e nao fez!

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  naval762
2 meses atrás

E começou a comparação exdrúxula de Super Trunfo, esses meninos não aprendem!

RDX
RDX
2 meses atrás

Material recentemente encomendado. Blindados sobre lagartas 1000 MBT K2 (Coreia do Sul) 366 MBT Abrams (EUA) +1000 IFV Borsuk (Polônia) Blindados sobre rodas 300 MRAP Cougar 4×4 (EUA) 400 KLTV 4×4 (Coreia do Sul) 26 JLTV 4×4 (EUA) Artilharia 824 obuseiros K9 155 mm (Coreia do Sul) 288 MRLS Chunmoo (Coreia do Sul) 506 HIMARS (EUA) 75 MRLS Langusta (Polônia) 120 morteiros AP 120mm RAK M120 (Polônia) Artilharia antiaérea +100 CAMM (Reino Unido) 77 VSHORAD Poprad (Polônia) 600 Manpads Piorun (Polônia) Armas anticarro ATGM Javelin (EUA) ATGM Spike (Israel) M72 LAW (Noruega) Aviação 96 Apache (EUA) 32 AW149 (Itália) 540… Read more »

Kommander
Kommander
Reply to  RDX
2 meses atrás

Interessante que a Polônia tá apostando todas as suas fichas na Coreia do Sul. Queria muito que o Brasil tivesse uma parceria com os sul-coreanos no campo de defesa também, eles tem equipamentos bem interessantes e economicamente viáveis que se encaixariam como uma luva nas nossas FAs.

Luciano
Luciano
Reply to  Kommander
2 meses atrás

Olá, Commander. Acho que a Suécia poderia ser “a nossa Coréia do Sul”. A Saab tem soluções muito interessantes para diversas áreas da defesa. Cabe uma boa ação de parceria para aprofundar esses laços e garantir cooperação em áreas, por exemplo, como defesa aérea ou guerra anti–minas.

Underground
Underground
Reply to  Kommander
2 meses atrás

Kommander,
Brasil tem material humano, capacidade, recursos para desenvolver muita coisa por aqui mesmo e sem precisar ir lá fora. Não fazem porque não querem. Aqui o dinheiro é gasto com excesso de pessoal, excesso de direitos, excesso de excessos. Só o Congresso Nacional tem 20 mil funcionários, mais terceirizados, mais comissionados e mais os excelentíssimos. Some-se Estados e Municipios. Todos ocupados com seu próprio umbigo e quando muito tramando mais controle estatal.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  RDX
2 meses atrás

Os 500 M142 HIMARS são intenção de compra.

rui mendes
rui mendes
Reply to  RDX
2 meses atrás

Falta os Patriot pac3 e as fragatas da babcook Britânica.

RDX
RDX
Reply to  rui mendes
2 meses atrás

A relação acima é o material encomendado pelo exército. O Patriot foi encomendado pela força aérea.

Nemo
Nemo
Reply to  RDX
2 meses atrás

Muito interessante a consolidação que vc fez, parabéns. Certamente o ministro da fazenda da Polônia está apavorado pensando em como pagar todos os bilhões dessas encomendas rs.

eliton
eliton
2 meses atrás

2,9 bilhões hoje daria quase 15 bilhões de reais. Não é barato, mas se organizar direitinho é bem possível.

Um Simples Brasileiro
Um Simples Brasileiro
2 meses atrás

Impressionante como a Polônia está se tornando forte com equipamento sul–coreano de 1ª categoria, o que de melhor existe atualmente.

Pablo
Pablo
2 meses atrás

Qual o motivo do Brasil nao usar armas asiaticas (sul coreanas e japonesas, por exemplo)?
Custo, logística, qualidade?

Last edited 2 meses atrás by Pablo
Um Simples Brasileiro
Um Simples Brasileiro
Reply to  Pablo
2 meses atrás

Preconceito (tem uma idéia enraizada de que o Brasil sempre deve seguir os moldes da OTAN) e o fato de já estar habituado com material dos EUA e Europa Ocidental, assim, evitando problemas com logística, mudança de ferramental, alteração de doutrina, novos treinamentos de qualificação, etc.

Vinicius
Vinicius
Reply to  Um Simples Brasileiro
2 meses atrás

Ué. O equipamento sul coreano é padrão OTAN.

Um Simples Brasileiro
Um Simples Brasileiro
Reply to  Vinicius
2 meses atrás

Mas, não é visto como OTAN propriamente dito pelas FAs BR.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Pablo
2 meses atrás

Preconceito mesmo.
Pra esse povo, qualquer coisa que não tenha o selo “made in USA”, automaticame te o produto é uma droga, imprestável, um lixo.
Poderíamos ter feito, a décadas atrás, parcerias com Turquia e Índia, países que avancaram muito em áreas estratégicas.
Mas não, preferimos ficar dando murro em ponta de faca com projetos que vão do nada a lugar nenhum, como aquele ATGM do EB, ou ficar comprando coisa via FMS.

Rafael
Rafael
2 meses atrás

Putin…o melhor vendedor de armas da terra!

GRAXAIN
GRAXAIN
2 meses atrás

Quase 700 peças novinhas de artilharia 155mm com mais de 40km de alcance…. É para frear qualquer um!

Orivaldo
Orivaldo
2 meses atrás

Em 5 anos a Polonia da Cabo da Russia sozinha

RDX
RDX
Reply to  Orivaldo
2 meses atrás

Em 5 anos o exército polonês será o 4º mais poderoso do planeta.

RDX
RDX
Reply to  RDX
2 meses atrás

correção: 5º mais poderoso do planeta, perdendo apenas para os exércitos dos EUA, China, Rússia e Índia.

Last edited 2 meses atrás by RDX
Pablo
Pablo
Reply to  RDX
2 meses atrás

Ter armas nao significa necessariamente ser melhor.

Profyler
Profyler
Reply to  Pablo
2 meses atrás

Exato!! Vide russia, que tem um gigantesco arsenal e patéticamente nao consegue vencer a guerra na ucrania.

RDX
RDX
Reply to  Pablo
2 meses atrás

Sim, mas ter armamentos modernos e em boa quantidade é um dos principais componentes de qualquer potência militar.

Existem outros componentes, tais como:
Líderes capazes
Boa Inteligência
Doutrina moderna
Efetivo numeroso, disciplinado e bem treinado
Experiência recente de guerra
Boa logística
Orçamento generoso

Last edited 2 meses atrás by RDX
Bispo
Bispo
2 meses atrás

Polônia tem traumas históricos com os russos … 1721, 1772, 1793, 1795, 1939 e durante a guerra fria(URSS).

Compreensível, face ao eventos atuais…

Mais …a “Linha Maginot” é um exemplo de que se preparar para uma ataque/invasão é muito mais que se armar “até os dentes”.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Bispo
2 meses atrás

Olá Bispo. Creio que o contexto histórico da época da Russia Czarista, da ex-URSS e da atual Russia sejam muito distintos. A Polônia também teve problemas com a antiga Prússia e com a Alemanha, nem por isso existiria uma razão história para que existisse uma animosidade entre a Polônia e a Alemanha. A Polônia tem feito enormes gastos militares. Segundo o Sipri, eles tem gastado cerca de 2% do PIB em defesa pelo menos desde 2000, sendo que desde 2013 eles vem usado em média 5% do orçamento público em defesa. Neste contexto, parece-me equivocado supor que foi a guerra… Read more »

Bispo
Bispo
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Após a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014 à Polônia deu um salto nos investimentos militares. O governo de ultradireita também contribuiu muito para esse incremento, com o slogan “segurança nacional”. O que eu questiono não é o aumento dos gastos e sim sua eficácia geral dada a forma. A Linha Maginot francesa é um exemplo clássico de “segurança míope”. Como a história mostra, o fazer a guerra é mutável , se ontem o imperativo era a quantidade, hoje é a qualidade , futuramente o AI híbrido? Resumindo um obuseiro higtech de hoje pode ser irrelevante amanhã, se o… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Bispo
2 meses atrás

Olá Bispo. Eu concordo com você em relação á eficácia de certas estratégias de defesa.

Eu apenas pontuei que a Polônia vem sustentando elevados gastos militares desde o início do Sec.XXI. A invasão da Criméia e a guerra da Ucrânia elevaram ainda mais estes gastos.

Carlos 07
Carlos 07
2 meses atrás

Impressionante! Mas a pergunta que não quer calar! Onde eles estão arrumando tanto dinheiro? Que eu saiba a Polônia não tem uma economia forte, apesar de ser estável e relativamente grande.

Akivrx
Akivrx
Reply to  Carlos 07
2 meses atrás

No caso de material da CS vai ser financiado ao longo de muitos anos, nao vai ser compra pago com o orcamento a vista como compras via fms.
Para o comprador e interessante mas para o vendedor se assume o risco de levar um calote.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Akivrx
2 meses atrás

Olá. O FMS é um acordo governo-governo. Isso significa que o comprador paga para o governo dos EUA diretamente, em dólar, sem qualquer acordo de Offset. Eventualmente, o pagamento é a vista. Em outras vezes, é parcelado. Depende do contrato.

Às vezes, as entregas são feitas em lotes e os pagamentos são feitos de acordo com a entrega.

Akivrx
Akivrx
Reply to  Camargoer.
2 meses atrás

Obridado eu nao sabia que FMS dava para pagar em parcelas, eu pensava que era somente a vista.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Akivrx
2 meses atrás

Depende do contrato. A característica do FMS é ser um contrato governo-governo. Os governo dos EUA faz o contrato com a fabricante e paga a empresa. O importador paga ao governo dos EUA diretamente. Por isso, não há compensação de offset, nem há a participação de bancos. Para alguns países, isso entra na conta da ajuda militar. Ou seja, o governo dos EUA compra o equipamento do fabricante e simplesmente transfere o equipamento para o usuário final, por exemplo no caso dos F35 para Israel. A venda pode ser de produtos novos ou dos excedentes das forças armadas dos EUA.… Read more »

Um Simples Brasileiro
Um Simples Brasileiro
Reply to  Carlos 07
2 meses atrás

Receberam muito crédito por dar suporte a Ucrânia, é só pesquisar o tanto de coisa “velha” que a Polônia repassou para a Ucrânia com a promessa de facilitação na reposição por coisas melhores por parte da OTAN.

Emmanuel
Emmanuel
2 meses atrás

Te cuida Alemanha.
Agora, quem vai te invadir é a Polônia.
rsrsrsrsrs

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Emmanuel
2 meses atrás

agora quando a Polônia falar em indenização, a Alemanha vai pensar mais kkk

Maurício.
Maurício.
Reply to  Emmanuel
2 meses atrás

A Alemanha se tornou dependente dos EUA, essa é a verdade.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
2 meses atrás

Caramba! Quando chegar esses Boletos, só quero ver quem paga? Quem tem o Putin no cangote deve estar sabendo o que faz!