Brasília (DF) – O Centro Tecnológico do Exército recebeu 16 protótipos do ciclo veicular do Projeto Rádio Definido por Software do Ministério da Defesa (RDS DEFESA). O equipamento é produzido pela empresa AEL Sistemas, de Porto Alegre, e o Projeto conta com a participação das três Forças Armadas e de várias empresas brasileiras.

O Projeto RDS DEFESA contempla a pesquisa e desenvolvimento de rádios veiculares, rádios portáteis e rádios transportados por mochila, abrangendo as faixas de HF, VHF e UHF (2 a 512 MHz). Além de aumentar a liberdade de ação no espaço cibernético, o equipamento contribui para a interoperabilidade das comunicações das Forças Armadas. O Projeto também impulsiona a Base Industrial de Defesa, fortalece os laços entre as organizações militares e instituições de ciência e tecnologia, e cria condições para o início da pesquisa em Rádios Cognitivos.

A equipe técnica do Centro Tecnológico do Exército realizou a portabilidade de formas de onda na faixa de V/UHF dos 16 protótipos e, em breve, concluirá a portabilidade em HF. Adicionalmente, a equipe acompanha a realização de testes funcionais, de desempenho e ambientais, a fim de verificar se os referidos protótipos atendem aos requisitos estabelecidos para o Projeto. Em seguida, os rádios serão enviados para avaliação no Centro de Avaliações do Exército.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest

19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

esses rádios serão usados no Guarani?

JPonte
JPonte
1 mês atrás

O fato é muito importante pela participação da indústria nacional no desenvolvimento de meios relevantes para as 3 forças nacionais .
Que mais ações destas sejam possibilitadas , como não tenho conhecimentos técnicos no tema não sei tecer considerações de ordem técnica .

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Eles podem ser integrados ao Link-BR da FAB?

Last edited 1 mês atrás by Willber Rodrigues
EParro
EParro
1 mês atrás

O WAD do F-39 Gripen é, também, da AEL Sistemas.
Aliás, alguém pode dizer-me o que seria um “Rádio Cognitivo”?

Sequim
Sequim
Reply to  EParro
1 mês atrás

Um rádio que pensa?

Pedro
Pedro
Reply to  EParro
1 mês atrás

São radios “inteligentes”, que se adaptam automaticamente ao ambiente, adequando a as frequências e potências que utiliza, eliminando interferências e melhorando a qualidade da comunicação.

Pedro
Pedro
Reply to  EParro
1 mês atrás

De certa forma é mesmo um “rádio que pensa”…

Felipe M.
Felipe M.
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Um rádio que “processa informações”.

Heinz
Heinz
1 mês atrás

Excelente notícia, se for aprovado pelo centro de avaliações, espero que seja produzido em série para toda as FA.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
1 mês atrás

Boa notícia, em pleno século 21 já estamos conseguindo produzir rádios, já é um começo…

Pedro
Pedro
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Não entenda mal, são rádios de alta tecnologia, onde a maior parte do hardware é eliminada e substituida por software.
Minha única dúvida é quanto disso é desenvolvido aqui, e quanto é tecnologia “importada”…

Fernando XO
Fernando XO
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Prezado Pedro, é um projeto desenvolvido aqui, até onde me lembro de meu tempo na Ciência e Tecnologia da MB… a questão é que são poucos os países que detém esta tecnologia sensível (5 ou 6, se não me engano) e nenhum deles vais passar algo que não uma “caixa preta”… trata-se de uma grande conquista para a segurança das comunicações… abraço…

Pedro
Pedro
Reply to  Fernando XO
1 mês atrás

Valeu Fernando.
Realmente é uma tecnologia sofisticada e sensível, mais ainda se envolver criptografia e outros recursos…
Bom saber que alguém aqui realmente domina essa área.

DanielJr
DanielJr
Reply to  Pedro
1 mês atrás

A tecnologia provavelmente é nacional, mas os componentes, principalmente os eletrônicos, devem ser importados.

Pedro
Pedro
Reply to  DanielJr
1 mês atrás

Com certeza…
Infelizmente a qualidade dos componentes eletrônicos/mecânicos produzidos localmente é muito ruim, MIL-STD então, pode esquecer.
Interessante é saber que alguém aqui domina a tecnologia SDR, tinha quase certeza de que seria uma caixa preta nacionalizada…

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

segurança da informação é essencial , parabéns ao EB

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Como filmes de Hollywood…..transmitir voz e imagem criptografados, ter um canal direto entre a inteligência/operações e a tropa que está no terreno ou até mesmo convidar ao canal um piloto de uma aeronave ou um operador de drone.
Um comandante passará a ver a mesma imagem do observador avançado de artilharia ou de um caçador, não é só transmissão que estamos conquistando….isso é um aumento da consciência situacional das FA, estamos moldando uma nova forma de se comunicar sem seguir os protocolos impostos pelo mercado (vulnerável), é uma forma só nossa de comunicar…parabéns aos envolvidos.

Alex Prado
1 mês atrás

Então se caso exista uma contra medida ou uma interferência ele se adapta e procura uma forma de desviar de ambas? Se for assim o grau de interferência e interceptação exige uma contra medida gigantesca. Posso estar falando asneiras( não sou militar e nem entendo nada de telecomunicação).

Last edited 1 mês atrás by Alex Prado
Robson Jorge reis
Robson Jorge reis
Reply to  Alex Prado
1 mês atrás

O Brasil supostamente como um dos maiores exércitos do mundo na América apenas atrás dos EUA é uma piada não temos bateria anti aérea não temos aviação não teríamos como nos defender de uma Venezuela ao contrário de nosso vizinho o Peru q tem um exército forte, somos uma das maiores indústria bélica do mundo exportamos para todos os Países porém as forças do Brasil não tem o q vendemos (exemplo qtos tucanos/ kc390 Astros nós temos a China consegue construir um submarino em um mês o nosso demora 10 anos!! Pq ???