Preparação para o imprevisto: entre aulas de design urbano e treino militar em Taiwan

27

Da sala de aula à linha de frente: entre aulas de Design Urbano e treino militar em Taiwan, Kuo Chiu, conhecido como KC pelos amigos, leciona design urbano na Universidade Tunghai em Taiwan. Mas em seu tempo livre, está aprimorando suas habilidades com fuzis ante o temor de uma invasão chinesa.

A invasão da Ucrânia pela Rússia o impulsionou a agir. “Podemos ver um padrão semelhante se repetindo aqui”, disse KC ao The Guardian.

Embora o Partido Comunista Chinês (PCC) nunca tenha governado Taiwan, ele reivindica o território como parte da República Popular da China e não descarta o uso da força para alcançar sua antiga ambição de “reunificação”.

Isso levou muitos civis, como KC, a recorrerem a treinamentos médicos e de combate para se protegerem. Os 160.000 militares ativos de Taiwan são amplamente superados pelas forças armadas chinesas, que contam com 2 milhões de membros.

A equipe de vídeo do The Guardian passou um tempo com KC para ver como ele está se preparando.

FONTE: The Guardian

Subscribe
Notify of
guest

27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Victor F
Victor F
1 mês atrás

esse cara com uma placa balística no peito e pronto, já vira um inferno enfrentar esse tipo de resistência dentro de uma cidade

Migs
Migs
Reply to  Victor F
1 mês atrás

combater passando fome é mais difícil…

Guacamole
Guacamole
1 mês atrás

Lhe desejo sorte.
A guerra já é uma m****, guerrear no próprio pais, pior ainda, e se o pais é uma pequena ilha isolada, aí sim, ferrou de vez.

Espero que essa guerra fique apenas na narrativa mesmo.

Nativo
Nativo
1 mês atrás

Correto quem dorme no ponto e o Brasil, “aiiinn não temos ameaças e se tivermos nossos aliados nos protegem”

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Nativo
1 mês atrás

Mas no nosso caso, as ameaças principais sāo internas.

José de Souza
José de Souza
Reply to  Nativo
1 mês atrás

Você prestou serviço militar?

Nativo
Nativo
Reply to  José de Souza
1 mês atrás

Sim e foi horrível.

Groosp
Groosp
1 mês atrás

Quando a coisa aperta o governo parece não se importar com o povo armado.
Em outras palavras:
-Ô pagador de DARF, pega esse fuzil e vai defender meu cargo senão vai preso ou pro paredão!

Bispo
Bispo
1 mês atrás

Penso que a China usará de forma ampla drones nas áreas urbanas.

Será meio PS5 vs esconde-esconde.

Nilo
Nilo
Reply to  Bispo
1 mês atrás

Para complemento: https://www.youtube.com/watch?v=TyadJ6Ky3WU
Taiwan também está pensando o mesmo:
12:56 min – Hong-Kong
16:54 min – Drones.
Esclarece bem, quando diz, os militares de Taiwan, não acha, tem certeza que em alguma momento a invasão ocorrerá.

Rafa
Rafa
1 mês atrás

Malditos CACs. São os culpados por tudo de mau que acontece no mundo.

Paulo Sollo
Paulo Sollo
1 mês atrás

Extremamente improvável que a China tente reanexar Taiwan pela força pois seriam duas alternativas muito ruins. Ou resolver a coisa de forma rápida devastando completamente a ilha com milhares e milhares de mísseis e bombardeios ou conquistar em terra enfrentando combates urbanos longos com grandes baixas. A importância de Taiwan é sustentada principalmente por sua indústria de microchips. A China, os eua e Europa estão investindo dezenas de bilhões para alcançar independência nisto e chegará o momento em que Taiwan se tornará irrelevante para os interesses do ocidente. E perdendo relevância no mercado mundial, perderá receitas e poderá ocorrer um… Read more »

Jacinto Fernandes
Jacinto Fernandes
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

A questão de Taiwan é que a China não tem nenhuma saída para o mar com mais de 200km de largura. A China está naturalmente bloqueada pelos arquipélagos em seu entorno e Taiwan é peça chave para viabilizar a segurança do acesso chinês aos mares.

Fábio CDC
Fábio CDC
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Se é “extremamente improvável”, por que Taiwan queima bilhões e mais bilhões de dólares em armas? Afinal, se é extremamente improvável de acontecer, para que tanto investimento bilionário em armas, munições, equipamentos, treinamentos…

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Resta saber se a venda de armas em Taiwan é mais livre como nos EUA, ou se cheia de burocracias como no Brasil e até mesmo Israel. Não adianta a população querer se meter se não tiverem acesso às armas.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Surpreendentemente, nāo é livre. Israel descobriu tarde a importância de liberar armas para os civis.

RDX
RDX
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Os orcs pensariam mil vezes antes de tentar massacrar um bairro protegido por 100 moradores armados.

Fábio CDC
Fábio CDC
Reply to  RDX
1 mês atrás

Acredito que os Orcs em questão cobririam tudo com artilharia e foguetes com aquelas sub-munições explosivas. Quem restar, se é que restaria alguém ou alguma coisa, pensaria 1000 vezes antes de enfrentá-los sozinhos em pequenos grupos.
.
Mas entendo Vosso ponto de vista.

RDX
RDX
Reply to  Fábio CDC
1 mês atrás

Eu estava me referindo ao Hamas.

Fernando
Fernando
Reply to  RDX
1 mês atrás

Ele tambem!

Jefferson B
Jefferson B
1 mês atrás

A China, em uma possível invasão, não terá 2 milhões de soldados. Na verdade terá poucos…é muito difícil por soldados chineses na ilha de taiwan. Muitos navios doca da China será destruídos no início da invasão. O uso de paraquedistas é bem limitado também.
2 milhões de soldados estão na China continental imobilizados.

Bueno
Bueno
1 mês atrás

Bem OFF TOPIC

neste video é possível identificar as fortificações russas e suas linhas de defesa.

https://twitter.com/mog_Russ/status/1747228736670347580

exemplificado no infografico

comment image

Emmanuel
Emmanuel
1 mês atrás

A cabeça desse pessoal não deve andar muito boa tendo um vizinho faminto.

Last edited 1 mês atrás by Emmanuel
Emmanuel
Emmanuel
1 mês atrás

Estude dia e se prepare para a invasão à noite.
Muito taiwanês isso.

Wilton Cavalheiro
Wilton Cavalheiro
1 mês atrás

Taiwan tem a lição do que ocorreu na Ucrânia, Taiwan precisa treinar parte de sua população e a ampliação da quantidade de reservistas é obrigatória, tanto quanto melhorar a disponibilidade dos reservistas se necessário.

As armas de ponta tecnológica não serão suficientes para a dissuasão da ilha.

Cansado
Cansado
1 mês atrás

Vai chegar o momento em que Taiwan terá de fazer a sua escolha: se render pacificamente ou virar um gigantesco estacionamento com vagas em forma de crateras.

José de Souza
José de Souza
Reply to  Cansado
1 mês atrás

Será de forma pacífica, sob a unificação econômica. Todo o resto é bravata, para aumentar o cacife nas negociações futuras. Mais ou menos autotomia aqui, e ali, etc.