AVISO DE RESULTADO DA FASE 1 DO RFP/RFT – VBC OAP 155 mm SR – SHORTLIST

O Exército Brasileiro, por meio da Chefia de Material do Comando Logístico (C Mat/COLOG), informa que, em cumprimento ao previsto no item 7.1 Cronograma de Eventos, página 11/27 do Edital Request for Proposal (RFP) – Request for Tender (RFT) – COLOG nº 01/2023, de 16 de agosto de 2023, encerrou, em 19 de março de 2024, o período da Fase 1, previsto para a análise inicial das ofertas (propostas) das empresas participantes do processo de aquisição da Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsado 155 mm Sobre Rodas (VBC OAP 155 mm SR).

A shortlist prevista no Edital é composta pelas seguintes empresas, listadas em ordem de entrada no processo e com as respectivas datas de convocação para a primeira sessão da Etapa de Negociação:

  • 05 – SH15 6×6 – Empresa China North Industries Corporation (NORINCO) – 1ª Sessão de Negociação: 18 de março de 2024 (segunda-feira);
  • 07 – ATMOS 6×6 – Empresa Elbit Systems Land Ltd. – 1ª Sessão de Negociação: 19 de março de 2024 (terça-feira);
  • 08 – CAESAR 6×6 – Empresa Nexter Systems – 1ª Sessão de Negociação: 20 de março de 2024 (quarta-feira); e
  • 10 – ZUZANA 2 8×8 – Empresa Excalibur International a.s. – 1ª Sessão de Negociação: 21 de março de 2024 (quinta-feira).

As sessões de negociação ocorrerão nas dependências da C Mat/COLOG, Quartel-General do Exército, no primeiro piso do Bloco C, Brasília-DF, com período disponibilizado para cada sessão entre 09:15 horas e 12:15 horas, horário local de Brasília-DF, UTC-3. Há a possibilidade de condução simultânea por videoconferência, devendo a empresa informar o interesse por intermédio de e-mail de comunicação oficial do processo. Maiores detalhamentos da atividade serão enviados para o endereço eletrônico oficial de cada empresa.

SH-15 (PCL-181)
ATMOS 6×6
CAESAR
ZUZANA 2 8×8

FONTE: Comando Logístico com Exército Brasileiro / COLABOROU: Manuel Flávio

Subscribe
Notify of
guest

185 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
GFC_RJ
GFC_RJ
1 mês atrás

Posso estar falando besteira, mas pelo momento, o SH15 é o único equipamento chinês que tem alguma chance de entrada nas nossas forças. 

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Tomara, torço por ele.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Só se for pra soltar pecinha e ter pós venda péssimo.

pragmatismo
pragmatismo
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Sempre o mesmo blá, blá. blá

Marcos Alexandre Queiroz
Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Típica resposta daqueles canais de temas militares feitos por adolescente e para adolescente.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Marcos Alexandre Queiroz
1 mês atrás

Não, é a típica resposta de quem não está no centro acadêmico rssss

RSmith
RSmith
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Concordo o SH15 parece-me competente mais prefiro o Caesar Frances ou o Atmos de Israel, só depois desses iria com o SH15.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  RSmith
1 mês atrás

Então.. agora fica a pergunta se a Elbit vai se prejudicada pela posição do governo de Israel.

Heinz
Heinz
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Não tenha dúvidas que a probabilidade é gigantesca, depois do nine ter falo abobrinhas.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Então… De um lado tem o governo brasileiro com uma licitação de bilhões. Do outro tem uma empresa israelense classificada na lista final. No meio tem o governo israelense. O primeiro ministro pode olhar para um lado e para o outro. Por exemplo, pode ignorar qualquer provocação ao menos até sair a decisão do EB. Pode enviar o Ministro das Relações Exteriores para visitar o Brasil, tirar foto, apertar as mãos e dizer que tudo foi superado e ainda aproveitar e fazer um lobby para defender a empresa. Pode até prometer ToT, etc…. Ou pode chamar o em embaixador brasileiro… Read more »

Jagder
Jagder
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Bilhões???

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Jagder
1 mês atrás

de reais. Este primeiro lote deve custar algo em torno de US$ 200 milhões. Considerando apoio logístico, treinamento, etc, deve ficar entre R$ 1 bilhão~1,5 bilhão. Uma vez definido o modelo, se for contratado um segundo lote, vai se do mesmo modelo, Coloca mais R$ 1 bilhão.

Rodolfo
Rodolfo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Acho dificil o governo brasileiro atual dar esse contrato pra empresa israelense, acredito que a Nexter leva essa. Mas independente da posição dos governos, tanto os militares brasileiros como o complexo de defesa israelense vão continuar a trabalhar pra manter a relação boa já que o Brasil é um cliente importante.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rodolfo
1 mês atrás

o PR tá se estranhando com o macron, a NEXTER tem o ótimo equipamento, os Tchecos podem vencer essa se deixar só para o PR decidir, ou vai ser NEXTER e ATMOS se o EB espernear

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Caro. Há um desacordo entre o Brasil e a França em torno dos subsídios dados pelo governo francẽs para os agricultores de lá.

Como os agricultores são também eleitores, o desacordo entre os dois países é consequência das respectivas demandas internas.

Na França, Macron precisa defender os agricultores francese (que são também eleitores na França)> No Brasil, se defende os interesse dos agricultores brasileiros que buscam ampliar suas exportações, os quais também sao eleitores no Brasil.

Ciclope
Ciclope
Reply to  Rodolfo
1 mês atrás

Se somos tão importantes assim para eles, eles deviam ter agido de forma mais diplomática.
Mas contra o produto Israelense, além da questão política, acho qu4 deve ser caro pela Sines questão de número de veículos vendidos mundos a fora. Quantos eles venderam por aí e quantos a China ou a França venderam?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

mas vc esquece de próposito a afronta e falta de respeito do PR com os judeus, além de que o mesmo ainda denunciou o governo por crimes contra a humanidade, ou seja quem constrogeu foi o 9, não os Israelenses, afinal por exemplo vc não gostaria de ser chamado de assassino e n.a.z.i

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Caro. O comentário do presidente foi uma forte crítica ao governo de Israel. Está claro que Netanyahu está conduzindo uma gerra de extermínio em Gaza. A maioria dos conflitos ao longo do Sec.XX e XXi foram guerras em contextos econômicos ou ideológicos, mas foram poucas as guerras de extermínio. Quando os nazistas invadiram a URSS, eles o fizeram em um contexto de guerra de extermínio, seja por meio dos esquadroes de extermínio da SS que atuaram na retaguarda do exércio regular ou pela ação do próprio exército alemão. O evento mais famoso (e documentado inclusive por filmes) foi o massacre… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

falou falou e não provou nada, quanto a guerra de extermínio, é uma guerra de exterminio do Hamas, se fosse para acabar com os Palestinos em Gaza, seria fácil, joga Napalm a vontade, seria muito mais pratico e rápido, e veja que o PR e VC não tem pena dos Ucranianos, pois não te vejo criticando os russos com a mesma veemência, parece que para pessoas de esquerda, como diria Orweel. Alguns são mais iguais que outros, ou seja os palestinos são mais humanos que o Ucranianos, o ataque as pessoas que estavam tentando pegar comida foi um erro, mas… Read more »

Ciclope
Ciclope
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Mais de 30 mil civis mortos, números aceitos como verdadeiros até pelos EUA, dizem que ele não falou abobrinha e agora até países da OTAN estão achando isso.

João Ricardo
João Ricardo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Pela posição do governo de Israel ou das burrices que atual presidente tem falado?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  João Ricardo
1 mês atrás

Depende… Quem quer vender ou quem quer comprar.

São cinco empresas classificadas… Durante o Fx2, em uma disputa entre três empresas, o Sarkozy se aproximou do presidente do Brasil, o rei da Suécia veio ao Brasil, o Obama fez um enorme lobby pela Boeing…

Então agora sai cinco empresas competindo pelo contrato com o EB…. Sei lá. Já é difícil e com o.ptoprio governo jogando contra..

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

São 4 empresas, na verdade. E a compra é bem inferior ao do FX-2. Entre US$ 180 e US$ 360 milhões. O que Brasil e Israel podem fazer é simplesmente fingir que a briga diplomática não tem nada a ver com suas relações comerciais ou de defesa. Como aliás, vem fazendo, dado que Israel continua fornecendo equipamentos e participando de licitações no Brasil. Então ninguém viria aqui ou iria lá. Não haveria cumprimentos e solenidades. Apenas a Elbit assinaria o contrato com o EB e ponto final. PS: na licitação que o Centauro ganhou não houve mobilização de presidentes e… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Olá Rafa. Vocẽ tem razão. São 4 empresas ao invés de 5. Obrigado. US$ 250 milhões é R$ 1 bilhão. Sim, o Fx2 é da ordem de R$ 20 bilhões, o ProSub da ordem de R$ 30 bilhões e as FCT da ordem de R$ 12 bilhões. Uma licitação de US$ 200 milhões continua grande sob qualquer ponto de vista. Pode não ter tido visitas ou grandes salamaleques, mas nenhum governo razoável deixa de fazer lobby pelas suas empresas. Tem o ministro das relações exteriores conversando com embaixador, tem embaixador conversando com ministro, tem ligações de telefone, tem encontros bilateriais… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Sim, os embaixadores e adidos com certeza trabalharam e estão trabalhando. Talvez até ministros da Relações Exteriores e da Defesa. Não é dinheiro para se jogar fora, só quis dizer que não é algo tão grande para envolver presidentes e primeiros-ministros. Até pode, mas não é esperado.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Ai concordamos… riso. É preciso lembrar sempre que a decisão final passa na mesa do presidente. Ele pode implicar ou pode das autonomia para o EB decidir… ainda assim, ninguém vai compar um lote de equipamentos da ordem de R$ 1 bilhão sem passar pelo gabinete da presidẽncia… até porque o ministério da Fazendo, que tem a chave do cofre, vai esperar a luz verde do presidente.

Elias E. Vargas
Elias E. Vargas
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

A principal pergunta é: Qual proposta transfere tecnologia para a fabricação dos tipos de munição para ser utilizado no obuseiro?
Isso mes faz pensar no pescador que pega sua varinha nas deixaq de levar os anzóis e as iincas, na pescaria.
O melhor conjunto é o que vem integral, sem “caixas pretas” de qualquer espécie.

pragmatismo
pragmatismo
Reply to  João Ricardo
1 mês atrás

Calma, 2026 tem outra eleição. rs

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  pragmatismo
1 mês atrás

2024 vem antes, mas 2026 vai ser ótimo também. Depois 2030, 2032 e 2034…

Torço para estar votando em todas elas…

uma questão importante que pouca gente está prestando atenção é a iniciativa parlamentar de fundir as eleições municipais com as eleições estaduais e federais, sei lá por qual argumento. È um retrocesso.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Olá V. Não precisa ser desclassificado porque isso poderia criar problemas com o Edital. Basta o EB fazer o relatório técnico e enviar para avaliação da presidẽncia. Lá no gabinete, junto com os ministros da Defesa, Plenjamento Fazenda e outros, avaliar o resultado

Se o EB apontar outro modelo, ótimo, Tá resolvido. Se o EB apontar o equipamento isreelente e o presidente concordar, ótimo,tá resolvido. Se a presidência considerar que outra proposta seria politicamene ou economicamene vantajosa, também está resolvido.

Dai ninguém pode questionar o processo.

vida que segue

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Não há nada de político em uma desclassificação sumária do ATMOS, só birra ideológica

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Pois é. Os comandos são subordinados ao Ministro da Defesa, o qual é subordinado ao Presidente em exercício. O presidente pode delegar a responsabilidade para o Ministro, o qual pode delegar a responsabildade para o Comandante do EB. O presidente também pode consultar outros ministérios, como o Itamaraty, Fazenda, Planejamento e até o de Desenvolvimento e Indústria, antes de tomar uma decisão Eventualmente, a base industrial brasileira já tem um histórico de colaboração de sucesso. Isso deve pesar. Talvez seja possível ampliar a participação da fábrica da Iveco para integrar os sistemas, mesmo que seja usado um chassi Tatra e… Read more »

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Essa é uma posição completamente ideológica, e ideologia não ganha guerra.

No mais eu sinto te dizer mas a posição do presidente da república está completamente equivocada visto que nem os países árabes ousaram fazer essa comparação.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Como dito anteriormente por “imensa maioria da comunidade internacional” leia-se Hamas, Hezbolah e seus patrocinadores iranianos pois nem os países árabes endossaram a narrativa…..

E a declaração foi tão aloprada que nas entrevistas subsequentes o presidente fez de tudo p dizer que “não foi bem assim…”

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

pela Posição do governo atual na vdd

h.saito
h.saito
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

ONU disse ter encontrado evidências de que o HAMAS praticou estupros contra reféns, e que ainda podem estar sendo cometidos pelo HAMAS.
Os nazistas resolveram apoiar o HAMAS contra Israel.

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2024/03/04/onu-diz-ter-evidencias-de-que-hamas-estuprou-vitimas-israelenses-durante-os-ataques-de-7-de-outubro-em-israel.ghtml

Edimur
Edimur
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

E as peças do Gripen que são feitas em Israel? Poderia falar de outras tecnologias que usamos deles mas nem vou alongar !!!

Sagaz
Sagaz
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

O problema a “posição do governo de Israel”? Um boçal corrupto e sem valor moral solta ebrias palavras contra Israel e o problema é Israel!?

Gerson Carvalho
Gerson Carvalho
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

vai ser o SH15 6×6 — Empresa China North Industries Corporation (NORINCO),

Gustav
Gustav
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Levando em conta que o brasil tem que proteger a estrada de ferro sudeste(São Mateus ES) xChãkay (peru) e o porto do pacífico.

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

Por quê nāo removeram logo o Atmos da lista?

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

tb acho, com as asneiras faladas contra o país do Atmos, eles não venderiam pra gente, e nem a gente compraria atualmente, mas é um excelente projeto, sem dúvida.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Só foi dito verdades

Joao
Joao
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Concordo

Carlos Crispim só falou verdades mesmo.

Pablo
Pablo
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Igual a “economia extraordinária”.

ODST
ODST
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

EDITADO

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Tanto não foi dito que nas entrevistas subsequentes ele tentou consertar com o “não foi bem assim”

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Eu não falei o que falei” o que ele quis dizer é”, e o coitado vai de um lado pro outro pedindo apoio para sua carta conjunta que ninguém assina, parece aquele pessoal que fica coletando assinatura e ninguém liga

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Por “imensa maioria da comunidade internacional” leia-se os terroristas do Hezbolah e seus patrocinadores iranianos.

A comunidade internacional em peso reconhece o direito de Israel se defender da covarde agressão que sofreu dia 07/10 embora critique a desproporcionalidade desta, agravada pelo expediente do Hamas em usar os civis de Gaza como escudos humanos

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

A Elbit acaba de ganhar um contrato multi milionário com o exército australiano e outra empresas israelenses seguem fazendo negócios mundo afora…..

Como se vê o único lugar onde Israel seria um pária é na bolha dos seguidores do comandante paçoquinha rsss

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Fora que ainda estão vendendo muito para o mundo todo, e ninguém embargou eles, queria saber como que chegam nessas conclusões, única alternativa é pensar em esquizofrênia

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

ou talvez seja o Xings que voltou com outro nome

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Reputo tanta estupidez à ser seguidor do famigerado comandante paçoquinha

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

EDITADO

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

kkkkkkkkk prova aí

Daniel
Daniel
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

É impressionante como o cara não consegue fazer nada direito. É muita falta de bom senso em uma pessoa só . . . De qualquer forma, não acho que as nossas parcerias sejam afetadas. Porquê se forem, o Gripen e o KC390 também usam componentes de Israel.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Daniel
1 mês atrás

As empresas israelenses sabem que governos e governantes vêm e vão. As Forças Armadas são instituições de Estado e não de governo. Então, a poeira vai assentar e as coisas vão continuar.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Bem colocado

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

espero eu, pois no passado tentaram enfuar LeJacquê na FAB, sorte que o Juniti Saito não deixou

Daniel
Daniel
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Concordo com você. Isso é passageiro.

Nilo
Nilo
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Bom dia. O que existe: Brasil e mais 12 países exigem banir venda de armas a Israel, um movimento entre os países com políticos que aderiram ao documento da organização Progressive International estão: Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, França, Alemanha, Irlanda, Holanda, Portugal, Espanha, Turquia… sem participação do Executivo.
Portanto, Israel está dentro da concorrencia com chances iguais a todos os outros, a escolha será técnica será do Exercito, escolherão o melhor pacote, o resto é mimimi, choro de colegial.
Pode haver recrudecimento nas relações que possa prejudicar, sim, assim como houve no caso do Hornet, ex.: “Jornalista judeu alerta Lula a tomar cuidado com serviço de inteligência de Israel“. Diplomacia é feito para criar pontes.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Olá Nilo. O EB faz a avaliação técnica que será apresentada para o gabinete da presidẽncia.

Concordo que o produto israelense será avaliado tecnicamente na primeira fase. Depois vem a avaliação financeira, que depende dos ministérios da Fazenda e do Planejamento. Depois, tem o martelo do gabinete da presidência… que pode inclusive colocar tudo na geladeira por meses ou anos…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Camargoer, você está comparando essa licitação com a do FX-2, mas, me parece que ela está ocorrendo igual a do Centauro.
Um processo bem mais rápido de escolha do vencedor com tudo sendo decidido pelo EB. Claro que depois o Executivo pode “vetar” a compra, mas acho improvável, assim como não vetaram a do Centauro.
A previsão é que o resultado da licitação saia dia 03/05/24 e a assinatura do contrato ocorra no dia 07/05/24.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Olá Rafa. A decisão final é do gabinete da presidência. Cabe ao EB fazer a análise técnica… depois disso, a decisão sobre para o primeiro escalão.

O presidente pode dar a autonomia para o Ministro da Defesa decidir, ou consultar outros ministérios, inclusive o Itamaraty,.

Como escrevi em outro comentário, pode ser que o produto israelense seja pior avaliado que os concorrentes. Pode ser que o pacote de offset dos franceses, por exemplo, seja mais amplo e adequado para o EB.

Neste momento, a única coisa que a gente sabe são os 4 finalistas.

O resto é especulação.

Nilo
Nilo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Artigo CNN de Nov2023 ” A questão orçamentária é vista com relativa tranquilidade pelo Exército, já que as Forças Armadas terão recursos garantidos no Novo PAC, o programa de infraestrutura lançado em agosto. Um dos eixos do programa é a indústria de defesa. O Exército assegurou R$ 6,7 bilhões para seus projetos estratégicos no período 2024-2027. Esses projetos contemplam forças blindadas……A intenção é anunciar o vitorioso no processo em maio de 2024……As entregas deverão começar em 2025…., o Exército pretende exigir “offset” tecnológico, que envolve obrigações como transferência de tecnologia ou uso de conteúdo local para o futuro grupo fornecedor… Read more »

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Nilo
1 mês atrás

O tal “jornalista judeu” além de estar sendo investigado pela PF por suas declarações pró Hamas é réu em uma ação civil pública proposta pela CONIB

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Pelo visto você quer se juntar ao Kapo rsss

Jean
Jean
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Todos os itens que Israel faz, seja a WAD do Gripen ou outros itens, empresas estadunidenses fazem, da Coréia do Sul, França, Japão, China, Alemanha, fazem também. É só escolher o substituto.

Daniel
Daniel
Reply to  Jean
1 mês atrás

Escolher um item de alta tecnologia para o Gripen não é como trocar de roupa, amigo. Exige estudos de engenharia e testes, o que atrasaria ainda mais um programa que já está muito atrasado.

Paulo
Paulo
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

EDITADO

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Então… Quem tem razão, o vendedir ou o comprador?

jairo
jairo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

o cliente, óbvio. rs

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  jairo
1 mês atrás

riso.. pois é.

cabe ao vendedor fazer os salamaleques para garantir a venda.

cabe ao comprador fazer charminho e biquinho para ganhar alguma vantagem,

Jagder
Jagder
1 mês atrás

Atmos está fora.
Interessante a configuração do ZUZANA 2 8×8.

C G
C G
Reply to  Jagder
1 mês atrás

Tem que ver preço pq parece de outra categoria, aos meus olhos a melhor opção, achei em um site comparando com o Caesar, esse por 5.5 milhões de dolares e o Zuzana por 3 milhões, se for isso pode pular de cabeça!

Leandro Mendes
Leandro Mendes
Reply to  C G
1 mês atrás

5.5 milhões de dólares saiu o Atmos para a Colômbia, e desistiram do Caesar pelo preço.

https://www.forte.jor.br/2023/01/03/exercito-da-colombia-opta-pelo-obuseiro-atmos-no-lugar-do-caesar/

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Jagder
1 mês atrás

A Atmos é ótima.

Eduardo Angelo Pasin
1 mês atrás

Uma pena que o Caesar 8×8 não está na disputa, aquele mecanismo de recaregameto é sensacional

Hcosta
Hcosta
Reply to  Eduardo Angelo Pasin
1 mês atrás

O único ganho é menos um operador em relação ao 6×6. E me parece que não pode ser transportado por c-130 e similares…

Falta é o ARCHER, totalmente automático.

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Emmanuel
Emmanuel
1 mês atrás

ZUZANA 2 8×8.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Bizarro.

Régis
Régis
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Já eu acho um design interessante, tem um jeito futurista.

Mario Del Ferro
Mario Del Ferro
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Meu favorito.

RDX
RDX
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Canhão L52 com até 41,5 km de alcance, carregador automático (5 tiros por minuto), provado em combate e chassi 8×8 da Tatra. Perfeito!

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Por que um produto conhecido por problemas de qualidade e com pós venda péssimo seria uma “escolha óbvia”, ideologia?

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Não estou negando a política mas apenas demonstrando birra ideológica, que não ganha guerras…😉

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

2 Desses ai os Russos queimaram, melhor ficar com um dos invictos.

Heinz
Heinz
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Grande coisa, então baseado na seu argumento, os russos não vão vender quase nenhum equipamento mais, pois tudo que eles tem ao menos um exemplar já foi destruído, não vão vender T90, T80, Msta, SU35, SU34, A50, S400, S300, S350, Buk, Tor, Malka, e etc, a lista é longa.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Pois então torcedor não faz comentário com base na realidade somente nas emoções.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Logo os sauditas vão descobrir o péssimo negócio que fizeram

Brandão
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Excelente!!!!!
😂😂😂😂😂😂

Frederico Boumann
Frederico Boumann
1 mês atrás

O Atmos está fora por questões geopolíticas, o francês me parece um projeto já em fim.
Ficaria entre o SH-15 e o ZUZANA 2. Eu iria fácil no ZUZANA absurdamente robusto, parece um tanque.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Frederico Boumann
1 mês atrás

O CAESAR 6×6 vai ter uma nova versão (mk.II) mas, mesmo nesta versão, continua a ser um forte concorrente e com provas dadas.

Não percebo a comparação do ZUZANA com estes 3 sistemas. Mais pesado e não é transportável por c-130…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Desconheço que o Atmos e o SH-15 tenham sido transportados pelo C-130.
O único que vi notícia foi o Caesar 6×6.
No mais, não é requisito dessa licitação.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

O ATMOS pode ser transportado por c-130.
Pode não ser requisito mais é um elemento diferenciador…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Eu nunca achei uma imagem ou notícia de que o Atmos tenha sido transportado e é algo que Israel poderia demonstrar com facilidade.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

O texto fala ” poderá”. Até hoje não houve sequer teste de alguma versão do Atmos no C-130.
Então ainda é uma especulação.
O próprio autor desse texto já mencionou seu site que até hoje não se tem comprovação de que alguma versão do Atmos cabe no C130 ou no C390.

Joao Motta
Joao Motta
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

O Brasil não tem mais C-130. Não sei se caberia no Kc 390 ( peso e/ou tamanho).

Hcosta
Hcosta
Reply to  Joao Motta
1 mês atrás

Se cabe no 130, então também cabe no 390…
E o Brasil já não opera o C-130????

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Joao Motta
1 mês atrás

Diga isso para os muitos países que continuam a adquirir o C-130

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Tanto é “esgotado e obsoleto” que segue vendendo (e muito) para forças aéreas como o Armée d’lair e a Luftwaffe

E KC-130 é a versão tanque dele! Se informe melhor pois o avião brasileiro é o KC-390 rsssss

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

As vendas para França e Alemanha foram antes do KC-390 se tornar operacional. Uma necessidade pontual e urgente desses países.

Nilo
Nilo
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Vc faz apologia dos produtos de Israel, e denigre o KC-390 promovendo uma velharia como C-130, ainda faz piada,🤔.
La vem o mimimi.

Franz A. Neeracher
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Você não quis dizer C-390?? A FAB já desativou todos os C-130.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Frederico Boumann
1 mês atrás

Oh Suzana não zores por mim

Nilo
Nilo
Reply to  Frederico Boumann
1 mês atrás

De a fonte de informação por favor.

Claudio X
Claudio X
Reply to  Frederico Boumann
1 mês atrás
Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
1 mês atrás

-O Zuzana 2 é o azarão. Por ser 8×8 é maior e mais pesado, o que resulta em maior consumo de combustível e maior dificuldade para ser transportado em grandes deslocamentos (por aviões ou trens). Há também acréscimo de eixo e pneus, que também tem um impacto no custo de manutenção. Será que o preço de aquisição e manutenção são competitivos? -No caso do Atmos, seria o favorito antes da disputa política-diplomática atual. Até a decisão pode ser que essa disputa tenha esfriado e não a influencie. Ou pode esquentar e eventual decisão do EB ser vetada pelo governo. É… Read more »

Bueno
Bueno
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

A Plataforma do ZUZANA 8×8 me fez lembrar um Caminhão munck de una empresa que ficava perto da casa do meu Pai… modelo antigo..
Prefiro os 6X6 que combine uma logística com a Plataforma dos Astros

https://pt.vecteezy.com/foto/15044905-um-grande-caminhao-guindaste-azul-esta-pronto-para-operar-em-suportes-hidraulicos-em-uma-plataforma-ao-lado-de-um-grande-edificio-moderno-o-maior-caminhao-guindaste-para-resolver-tarefas-complexas

Last edited 1 mês atrás by Bueno
Helio
Helio
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Se nem o Guarani quiseram 8×8, imagine um obus

Bueno
Bueno
Reply to  Helio
1 mês atrás

Verdade, penso no fator gasto para manter e operar que são maiores… alem de verificar a versatilidade de um 6×6 em relação ao 8×8 no campo de batalha.

Leo Barreiro
Leo Barreiro
1 mês atrás

Pessoal por qual motivo o da Denel foi desqualificado? Tinha algo fácil de identificar de pontos negativos se comparado com os que foram aprovados?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Leo Barreiro
1 mês atrás

Não está em produção seriada.

Daniel
Daniel
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

E o Archer? Por que saiu da shortlist?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Daniel
1 mês atrás

O Archer sequer concorreu. Não teve proposta da Bae Systems.

Felipe M.
Felipe M.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

É, complicado. Os caras produzem o G5 e o G6 há décadas, sendo que o modelo ofertado é mera atualização do modelos anteriores. Ofertavam produto em parceria com empresa brasileira, com possível montagem e manutenção nacional. Só aí já era uma boa vantagem. Outro ponto. Se não houver produção nacional das munições, de nada adianta um obus moderno. Na Ucrânia são utilizadas milhares de munições por dia. Vi até matéria dizendo que, em certo momento, os russos estavam realizando 20 mil disparos por dia. É impossível garantir o adequado funcionamento desse veículo em combate dependendo de fornecimento externo. Ah não… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Felipe M.
1 mês atrás

É complicado e não é.
Atualmente ea Denel produz algum obuseiro, seja qual for? Ou não tem linha de produção ativa?
E por mais que seja uma evolução não deixa de ser um produto novo, com novas peças e novos fornecedores.
Achei correta a exclusão.

Sobre as munições é provável que haja ToT para fabricação nacional.

Last edited 1 mês atrás by Rafael Oliveira
Marcos
Marcos
1 mês atrás

SH-15 na cabeça!

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Produto com pós venda péssimo

Helio
Helio
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Quem disse? Veja os países que operam. Acha que se fosse difícil manter eles conseguiriam manter em prontidao?

Paulo Sollo
Paulo Sollo
1 mês atrás

Segundo alguns especialistas, se o EB optasse por desenvolver um projeto por aqui, isto leva de 10 a 15 anos. Creio que o melhor modelo de compras de armamentos que há no mundo atualmente é indiano Make in Índia, que inclusive está sendo adotado por outros, como a A. Saudita. Não entendo porque o EB não adota algo semelhante.O EB quer apenas uma transferência de know how por parte da empresa vencedora para a CBC poder fabricar as munições de 155mm por aqui. E a propósito, vou lembrar mais uma vez das queixas dos oficiais ucranianos contra o Caesar. Disseram… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

O EB (e as demais FAs) não adotam algo como o Make In India por uma simples razão: falta de dinheiro e de perenidade nos investimentos em defesa.

Gilson
Gilson
1 mês atrás

Pode ser outro, isso não sabemos, o que sabemos são nossas opiniões. Mas eu acho que ganhará aquele que couber dentro do KC 390, ( chinês )

Régis
Régis
Reply to  Gilson
1 mês atrás

Verdade, a capacidade de ser transportado pelo KC-390 será importante na hora de fazer as contas.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Régis
1 mês atrás

Provavelmente é requisito, assim como o projeto do Kc390 tinha como requisito a capacidade de transporte o Guarani,

C G
C G
1 mês atrás

SH-15:
O EB parece que não gosta de nada Chinês.

Atmos:
Esqueçam, colegas ate já discorreram sobre.

Caesar:
É possível, seria até lógico mas tbm não estamos muito alinhados com a França que vetou o acordo EU/MERCOSUL.

ZUZANA:
Olhando superficialmente em um google rápido parece um projeto de um categoria acima, seria minha escolha pessoal mas vem do leste Europeu, sera que o pós venda não é impeditivo?
Daria para adaptar a plataforma ao nosso gosto ja que o EB adora isso?

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Na minha opinião vai ficar entre o CAESAR e o ATMOS.

Heinz
Heinz
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

A probabilidade dos Israelenses venderem algo para o Brasil nesse governo é muito baixa, acho que o que tem maiores chances é o CAESAR, depois o SH15, e depois o ZUZANA.

Caesar e Zuzana já foram provados em batalha e se mostraram armas bem eficientes.

Makarov
Makarov
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Deus te ouça, assim não iremos financiar a morte de crianças em Gaza……

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Makarov
1 mês atrás

Ideologia não ganha guerras, e o produto israelense junto com o CAESAR é o melhor

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Giora Epstein
1 mês atrás

Concordo. Infelizmente, ideologias podem provocar guerras, mas nunca garantem vitória ou determinam derrotas.

GeneralSofá
GeneralSofá
1 mês atrás

Deveriam cancelar esse programa e comprar mais baterias do Astros (sim, eu sei que são categorias completamente diferentes), mas me assusta a possibilidade do seguinte cenário: Avibras fecha as portas, e o EB na hora de procurar um substituto coloca uma clausula escrito bem grande: TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Talisson
Talisson
Reply to  GeneralSofá
1 mês atrás

Falou tudo, uma verdade amarga.

Me indigna que enquanto a Avibras parece passar por um perrengue imenso, tem jornalista falando em Astros 3.

Carlos Pietro
Carlos Pietro
1 mês atrás

Boa noite, eu escolheria o Chines, aparentemente mais compácto.

RDX
RDX
1 mês atrás

O Zuzana 2 leva essa. O fato do EB já operar caminhões 8×8 da Tatra que utilizam, salvo engano o mesmo chassi do Zuzana é uma grande vantagem logística.

C G
C G
Reply to  RDX
1 mês atrás

Essa informação me faltava, obrigado!

Hcosta
Hcosta
Reply to  RDX
1 mês atrás

O CAESAR e o ATMOS são montados em várias plataformas, inclusive nos Tatra.
Apesar de não ver vantagem (nestes dois sistemas) em serem montados em 8×8, mas sim em 6×6, facilitando o transporte.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  RDX
1 mês atrás

O EB tem quantos caminhões com chassi Tatra 8×8? 16?
Se for uma quantidade tão pequena é irrelevante para questões logísticas e de manutenção.
E Zuzana 2 tende a ser mais caro por ser 8×8.

C G
C G
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

O Astros tbm não usa um chassi parecido?

RDX
RDX
Reply to  C G
1 mês atrás

Os caminhões 8×8 e as viaturas 4×4 e 6×6 do Astros MK6 utilizam o mesmo chassi da Tatra (T815-7). Mais de 100 veículos.

C G
C G
Reply to  RDX
1 mês atrás

Então esta diluída qualquer preocupação logística!

Talisson
Talisson
Reply to  C G
1 mês atrás

Só de ser montado no Brasil, o uso desse chassi deveria ser requisito de qualquer blindado 6×6. Inclusive daquelas 20 viaturas de socorro.

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Eu optaria pelo Caesar ou pelo SH-15

Felipe M.
Felipe M.
1 mês atrás

Para mim, o projeto de novo obuseiro deveria ter duas prioridades ante todas as demais: 1) garantir a fabricação nacional das munições, vide o que estamos vendo na Ucrânia. 2) garantir a manutenção nacional. Outras questões, como montagem, TOT etc, para mim, são dispensáveis, visto o potencial de aquisição em quantidades. Com isso: 1) SH15: Para mim, das 04, a melhor opção no momento, caso o preço unitário seja menor e seja possível a garantia das duas prioridades acima. Além disso, seria a oportunidade de incluir equipamento chinês nas forças, visto que, até o momento, isso não aconteceu e um… Read more »

bjj
bjj
Reply to  Felipe M.
1 mês atrás

Mas nós já fabricamos as munições nacionalmente (as convencionas). Ate onde sei, temos três fabricas com essa capacidade: Imbel, Engrepron e Mac Jee. Sobre os concorrentes, também tenho visto o SH15 como a melhor opção no momento. Como você bem citou o exemplo da Ucrânia, estamos vendo a importância da capacidade de reposição de meios de forma ágil. O SH15 possui mais de mil unidades fabricadas, o que significa não apenas uma grande linha de montagem ativa, mas principalmente a possibilidade de conseguir um bom número de sistemas de segunda mão em caso de necessidade. Com uma linha logística já… Read more »

Last edited 1 mês atrás by bjj
Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Felipe M.
1 mês atrás

Suecos e indianos não apresentaram propostas.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
1 mês atrás

Acho interessante o pessoal ter certeza que o Brasil não irá comprar ou Israel não irá vender o Atmos.
A Alemanha doa armas para a Ucrânia e compra gás da Rússia, que vende sem problemas.
Não dá para ter certeza de nada até que algo realmente aconteça. De qualquer forma acho mais fácil o Brasil não querer comprar do que Israel não querer vender.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Olá Rafael, Concordo com você. Considerando que são 5 fabricantes, a escolha entre o primeiro e o segundo colocado pode ser um detalhe…. geralmente, o apoio do governo exportador é muito importante, por isso a importância do Lobby em favor das próprias empresas. A posição do governo israelense pode prejudicar a exportação de produtos militares para o Brasil. Por ouro lado, o Brasil possui outros quatro fornecedores disponíveis com os quais o Brasil tem excelente relação diplomática. É uma questão relevante para ser discutida. Uma coisa é uma empresa brasileira negociar com outra empresa israelense. Outra coisa é o governo… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Caro Camargoer,

São 4 concorrentes, na verdade.

De qualquer forma, concordo que essa disputa diplomática pode prejudicar o produto israelense, ainda mais se a concorrência estiver parelha. Assim como o Atmos pode ganhar apesar de tudo isso.

Dia 03/05 a gente descobre… ou não.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Olá Rafa. Obrigado pela correção. Vocẽ tem razão… 4 concorrentes

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Sim. Já comentei retificando o erro, Obrigado pelo aterta.

Willhorv
Willhorv
1 mês atrás

Estamos falando de quantas unidades?….dependendo de quanto….qualquer um será bem vindo….não mudará muita coisa é será apenas para criar a doutrina.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Willhorv
1 mês atrás

36 unidades.

BraZil
BraZil
1 mês atrás

Bom dia. Eu gostaria que o equipamento T5 52 tivesse entrado na disputa e sido selecionado na short list. É interessante, bonito, usa plataforma que já utilizamos e estaríamos fortalecendo um parceiro BRICS, que tem boa tradição em projetos de obuses.

icaro
icaro
1 mês atrás

Por gentileza, comparado com viaturas tipo M-109, as viaturas 155mm sobre rodas tem de vantagem apenas a mobilidade?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  icaro
1 mês atrás

E preço.

Nogueira
Nogueira
1 mês atrás

Deviam usar palavras em português invés de shortlist,afinal estamos no Brasil

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nogueira
1 mês atrás

Sei lá… talvez facilite a compreensão das empresas que estão na disputa.

Felipe M.
Felipe M.
Reply to  Nogueira
1 mês atrás

Prezado, tbm não deveríamos utilizar a palavra Smartphone, por exemplo? Ou Notebook?

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Felipe M.
1 mês atrás

Se tiver substituto não deveríamos usar. Difícil é ouvir pessoal falar do budget, ou deletar, ou head de operações, etc. etc. etc.
Existem inúmeras expressões em português para se referir a uma short list, ou request for proposal, ou request for tender.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Nogueira
1 mês atrás

Shortlist é uma expressão que geralmente não era empregado em licitações aqui no Brasil. Simplesmente se mencionava algo como “candidatos homologados” ou algo equivalente. Aí um dia alguém achou bonito usar isso, como os, hum, “desavisados” que falam “moda fashion” para ficar bonito na fita.

Felipe M.
Felipe M.
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

Há uma peculiaridade entre as licitações normais e as contratações militares e isso está na base do uso da palavra, seja ela a expressão estrangeira ou sua versão traduzida. Nas licitações convencionais, não há candidatos homologados, há candidatos habilitados. Eles apresentam suas propostas. A melhor proposta é selecionada. E aí se parte para o cumprimento dos requisitos, homologação da licitação e contratação. Já nas contratações militares costuma haver uma peculiaridade. Há o pedido das propostas e, dentre as propostas apresentadas, se seleciona aquele pequeno grupo, sejam de 03 (FX2) ou 04 (programa mencionado) ou mais empresas, para que se possa… Read more »

Akhinos
Akhinos
1 mês atrás

Eu vou dar muita risada quando anunciarem que o vencer é o Atmos, primeiro pq ele cabe no KC-390 e segundo pq vai estourar a bolha de delírios desses foristas que pensam realmente que Israel e Brasil agora são países inimigos. Meus caros, só ano passado Israel vendeu US$ 1,3 bilhão em armas para o Brasil. Vocês acham mesmo que a gente vai romper com eles de uma hora pra outra porque o presidente falou uma frase que gerou desagrado neles? E TODAS absolutamente TODAS as sinalizações até agora de ambas as diplomacias são de que o problema já é… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Akhinos
Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 mês atrás

Vai ser ATMOS ou CAESAR, escrevam aí!!!

sergio 02
sergio 02
1 mês atrás

Caras vcs estão desprezandop o ZUZANA mais pode ta pintando uma casadinha ai os Tchecos vão voar de KC-390 por ai, a nos vamos atirar de ZUZANA por aqui.
Eu não ficaria surpreso, ja que parentemente esta sendo negopciado uma casadinha tb entre o KC -390 para a India, e o sistema anti aereo deles para o exercito, e ainda tem as especulaçoes de que nos aumentariamo o contrato para um total de 50 Gripens, em troca os suecos vão tb de KC 390.

Franz A. Neeracher
Reply to  sergio 02
1 mês atrás

O ZUZANA é da Eslováquia e não da República Tcheca.

sergio 02
sergio 02
Reply to  Franz A. Neeracher
1 mês atrás

Serio ??? então esquece o que digitei.

Luís Henrique
Luís Henrique
1 mês atrás

Eu acho que as forças e o MD deveriam pensar em fazer uma concorrência um pouco diferente, com o estabelecimento de um número Mínimo de vetores e um orçamento Máximo, podendo os concorrentes ofertarem uma quantidade maior de vetores que puderem oferecer dentro do orçamento máximo pré-estabelecido. As forças e o Ministério da Defesa fazem uma pesquisa de mercado, apontam vários possíveis concorrentes e estudam os valores de cada um. Em seguida apontam o valor do concorrente mais caro e a quantidade mínima de vetores da concorrência e estabelecem o orçamento máximo da concorrência a partir dai. O MD e… Read more »

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Muda governo mais não muda mentalidade, de adquirir equipamentos do exterior,exército acostumou em tanto tampar buraco em rodovia que deve ter virado doutrina militar, melhor pegar esses 1 bilhão e comprar tudo em astros, ou investir em tecnologia pelos menos para produzir obus rebocado. A estratégia do exército da segunda guerra compra de fora tudo, daqui a pouco até bota vai vim da china, munição da Europa, se continuar nessa compra pífia o aumento do orçamento militar vai ser dinheiro jogado no licho.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Infelizmente o EB não quer o SulAfricano, que na minha opinião seria a melhor escolha pois teríamos acesso ao projeto deles, resta torcer para o ATMOS

Ciclope
Ciclope
1 mês atrás

Acho que se não for o Chinês, vai ser o francês. O Israelense por conta dessa guerra qu3 já está pegando mal faz tempo para eles, não rola E deve ser caro pela baixa carência de produção, e o zuzana 8×8 me parece ser mais caro, complexo de operar e pesado e grande para transporte aéreo não KC-390. A ideia, acho e ser leve, rápido, discreto e simples de operar.

Vitor Botafogo
Vitor Botafogo
1 mês atrás

O Ceaser e Atmos podem ser transportados no KC-390?

Não acredito no produto chinês.

Silvino Manoel da silva
Silvino Manoel da silva
1 mês atrás

É bom ver que o nosso verde_oliva,exército brasileiro,apesar das muitas carências de maiores recursos e investimentos financeiros capazes de o tornar um exército muito mais extruturado como as grandes potências mundiais,mas o nosso exercito brasileiro está sempre atualizado e buscando incorporar dentro do que pode,novos recursos armados…sei que não sou ninguém,apenas um sonhador político pobretão,mas jamais deixaria o nosso exercito,marinha e aeronáutica fora dos planos de governo federal…buscaria a todo preço ,tornar nossas forças armadas cada vez mais potente…pois um país com potencial armada,ganha mais moral…moral político,moral internacional,etc…Silvino Manoel da Silva…caruaru_pe.

Helio
Helio
1 mês atrás

A guerra da Ucrânia provou a importância de uma artilharia numerosa, se saturação, ante o frufru dos equipamentos caros. Espero que venha o mais barato e que seja adquirido na maior quantidade possível

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Helio
1 mês atrás

Um dado histórico. Mas de 70% das baixas por morte na I Guerra foram causadas pela artilharia.

Estamos acostumados a ver, seja por documentos da época ou filmes sobre o tema, as mortes causadas pelas metralhadoras contra a infantaria, mas a arma mais letal naquela guerra foi a artilharia.

Lyw
Lyw
1 mês atrás

Cortaram a proposta que tinha transferência de tecnologia… Interessante…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Lyw
1 mês atrás

Cortaram porque era um protótipo, descumprindo requisito do edital.

Ademais, quem garante que as outras não tem proposta de ToT?

Edimur
Edimur
1 mês atrás

Minha opinião, um trambolho muito grande para esconder!!! Os Drones agradecem, tem Matéria na gringa falando sobre esse problema, mas para uma força que Moderniza Cascavel com Blindagem de casca de ovo, este obuseiro eo céu.

EduardoSP
EduardoSP
1 mês atrás

Eles vão substituir os M-109?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Provavelmente complementar. O EB recebeu alguns M109 de segunda mão dos EUA praticamente novos

Luís Henrique
Luís Henrique
1 mês atrás

U$ 180 mi para míseros 36 obuseiros é muito caro. O Paquistão comprou 236 SH-15 por cerca de U$ 500 mi. Isso é que é encomenda, 200 obuseiros a mais do que o EB pretende. Por isso disse que o ideal seria estabelecer um orçamento máximo, de preferência baseado no preço do obuseiro mais caro no mercado mundial, no caso acho que seria o Archer (U$ 10,5 mi a unidade). Estabelecer uma quantidade mínima de obuseiros que poderia ser 36, porém o licitante podendo oferecer o máximo que consegue entregar com o orçamento máximo. O EB poderia conseguir cerca de… Read more »

Jean
Jean
1 mês atrás

Hora da Norinco. Aí o EB vai poder avaliar o equipamento e suporte na prática, e isso vai ser muito importante para programas futuros.

Acho que a China tem hoje 5 modelos de MBT em produção.

Eventualmente acordos muito vantajosos podem ser alinhados no futuro com nosso maior parceiro comercial.

abel martinho
abel martinho
1 mês atrás

OPINIÃO & OPINIÃO
Um sistema Obuseiro autopropulsado com um Canhão de 155 mm ou mais, tem menos tecnologia embarcada do que ao Sistema de lançadores de foguetes/mísseis do Astros 2020 Fabricado pela AVIBRAS.
Logo, tudo leva a crer, que a AVIBRAS tem expertise suficiente para projetar e fabricar um Carro de Combate Obuseiro autopropulsado, talvez até superior aos modelos mais eficientes em operação no mundo.

Bueno
Bueno
1 mês atrás

ZUZANA 2 8×8 vitima do Lancet na Ucrania

https://www.youtube.com/watch?v=_LItnf5FvSM&ab_channel=TribunTimur