The Challenger 3 prototype in the BAE Systems Land (RBSL) factory in Telford Defence Secretary, Grant Shapps, today (18 Apr) visited Rheinmetall BAE Systems Land (RBSL) in Telford where the latest of eight Challenger 3 prototypes rolled off the production line. The Army's Senior Responsible Owner, Colonel Will Waugh, Head of Programmes Major General John Swift, and RBSL Managing Director Will Gibby met the Defence Secretary. With advanced armour and devastating firepower, the Challenger 3 boasts an impressive range of state-of-the-art technology, making it the most lethal and survivable tank ever operated by the British Army. The Defence Secretary met the engineers and apprentices who have worked on the ArmyÕs main battle tank, which will be one of the most protected and lethal tanks in Europe. The first Challenger 3 prototype is already showing its capabilities on trials. All prototypes will be tested under operational conditions before another 140 are built and delivered to the British Army. The tank will remain in service until at least 2040. Challenger 3 can reach speeds of up to 60kph and is armed with a 120mm smoothbore gun with higher muzzle velocity and greater penetration than its predecessor, Challenger 2. Challenger 3 will be at the heart of the ArmyÕs Armoured Brigade Combat Teams, alongside Ajax and Boxer, and is critical to the Army's warfighting capability and the UK's contribution to NATO deterrence.

Os soldados do Exército Britânico estão um passo mais perto de colocar as mãos em um dos tanques mais letais da Europa, já que o mais recente protótipo do Challenger 3 terminou a produção em Telford.

Com blindagem avançada e poder de fogo devastador, o Challenger 3 possui uma gama impressionante de tecnologia de ponta, tornando-o o tanque mais letal e com maior capacidade de sobrevivência já operado pelo Exército Britânico.

Num mundo mais perigoso, a necessidade de veículos como o Challenger 3 é imperativa, à medida que as ameaças que o Reino Unido enfrenta evoluem. Este tanque estará no centro das capacidades de combate do Exército Britânico e será parte integrante da dissuasão do Reino Unido.”

O secretário de Defesa, Grant Shapps, visitou o local onde conheceu os engenheiros e demais profissionais que trabalharam para alcançar este marco crucial na guerra blindada do Reino Unido.

O primeiro protótipo já está mostrando suas capacidades em testes. Todos os protótipos serão testados em condições operacionais para validar o seu desempenho e fazer refinamentos, antes de outros 140 serem construídos e entregues ao Exército Britânico.

O Challenger 3 será o predador máximo da guerra moderna. Com poder de fogo, proteção e mobilidade incomparáveis, ele estará pronto para dominar o campo de batalha.

O tanque pode atingir velocidades de até 60 km/h e está armado com um canhão de alma lisa de 120 mm com maior velocidade inicial e maior penetração do que seu antecessor, o Challenger 2 .

A sua nova blindagem modular e o Sistema de Proteção Ativa, que pode detectar e destruir ataques de foguetes e mísseis em segundos, farão dele um dos tanques mais bem protegidos da Europa.

O Challenger 3 estará no centro das Equipes de Combate da Brigada Blindada do Exército, ao lado do Ajax e do Boxer, e é fundamental para a capacidade de combate do Exército e para a contribuição do Reino Unido para a dissuasão da OTAN.”

 

O secretário de Defesa, Grant Shapps, disse que “num mundo mais perigoso, a necessidade de veículos como o Challenger 3 é imperativa, à medida que as ameaças que o Reino Unido enfrenta evoluem. Este tanque estará no centro das capacidades de combate do Exército Britânico e será parte integrante da dissuasão do Reino Unido.

“O trabalho árduo e a dedicação demonstrados em Telford e em todo o país são fundamentais para impulsionar a inovação da defesa do Reino Unido e contribuir para as nossas forças na linha de frente.”

Fornecendo o principal tanque de batalha do Exército, o Challenger 3 permanecerá em serviço pelo menos até 2040.

A entrega destes veículos protótipos, o primeiro dos quais já iniciou os testes, representa um marco significativo na jornada de modernização do Exército.”

A RBSL está desempenhando um papel fundamental na implementação da Estratégia Industrial Terrestre através do seu programa Challenger 3, garantindo que beneficia do melhor da engenharia e produção britânicas, ao mesmo tempo que mantém competências valiosas em todo o país.”

“A entrega do primeiro Challenger 3 de pré-produção e o início dos testes representam um marco crítico na entrega desta impressionante capacidade ao Exército Britânico e fornecerão aos nossos soldados um Tanque de Batalha Principal de classe mundial feito aqui no Reino Unido.”

O Challenger 3 está a ser entregue ao abrigo de um contrato de £800 milhões, criando muitas funções altamente qualificadas, com quase 300 empregos gerados na RBSL, incluindo 130 engenheiros e 70 técnicos, e outros 450 empregos em todo o Reino Unido.

FONTE:UK MOD

Subscribe
Notify of
guest

58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luck
Luck
1 mês atrás

No mínimo teríamos que espionar fábricas como essas.

Last edited 1 mês atrás by Luck
Marcos Bishop
Marcos Bishop
Reply to  Luck
1 mês atrás

Com que objetivo?

Carlos Pietro
Carlos Pietro
1 mês atrás

Que máquina linda.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 mês atrás

Os ingleses precisaram da ajuda dos alemães através da Rheinmetall.

Creio que o novo Leopard 2A7 está em um nível acima do Challenger 3.

Mais mobilidade, sistemas de tiro e sistema de defesa ativa.

comment image

Last edited 1 mês atrás by Antunes 1980
Maurício.
Maurício.
Reply to  Antunes 1980
1 mês atrás

Esse Leopard parece aquele dos suecos, na minha opinião, o Leopard 2 é o tanque mais bonito que existe, tirando o A4.

Last edited 1 mês atrás by Maurício.
Iran
Iran
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Acho o Leopard 2 da versão A5 pra cima e o T-90M os mais bonitos

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Antunes 1980
1 mês atrás

Para a modernização do Challenger 2 foram oferecidas 2 propostas/protótipos, um em 2018 da Bae e outro em 2019 da Rheinmettal, em 2019 as duas empresas decidiram unir em uma Joint Venture no Reino Unido e ficou apenas 1 proposta que acabou sendo aceita.

Underground
Underground
Reply to  Antunes 1980
1 mês atrás

Acho que alguma versão inicial do Abrams também teve ajuda alemã.

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

“Com blindagem avançada e poder de fogo devastador, o Challenger 3 possui uma gama impressionante de tecnologia de ponta, tornando-o o tanque mais letal e com maior capacidade de sobrevivência já operado pelo Exército Britânico.”

Depois de pronto, poderiam mandar para a Ucrânia, assim poderíamos ver se é isso tudo mesmo…

Kommander
Kommander
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Enquanto não for provado em combate, tudo isso não passa de propaganda, assim como aconteceu com o M1A1, T-90, Leopard e o próprio Challenger 2.

Orivaldo
Orivaldo
Reply to  Kommander
1 mês atrás

E o Armata

C G
C G
Reply to  Orivaldo
1 mês atrás

E o Terminator!
(Que ninguem sabe, ninguém viu!)

Kommander
Kommander
Reply to  C G
1 mês atrás

Tem vídeo do Terminator operando na Ucrânia, é só procurar.

Heinz
Heinz
Reply to  Kommander
1 mês atrás

E sendo destruído.

Fábio Jeffer
Fábio Jeffer
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Principalmente demolindo tudo a sua frente com seus canhões, é só procurar

Heinz
Heinz
Reply to  Fábio Jeffer
1 mês atrás

Procura aí o Terminator sendo destruído por drones FPVs, acha Easy

Melky
Melky
Reply to  Orivaldo
28 dias atrás

O T-14 Armata foi cancelado.vão receber as unidades programadas, cerca de 150 e parar de fabricar.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Kommander
1 mês atrás

Na verdade eu dei uma zuada nesse tanque “devastador e letal”, mas qualquer tanque teria o mesmo destino dos tanques que já estão lutando na Ucrânia, das tais “bestas do ocidente” o único que ainda continua combatendo é o Leopard, o “indestrutível” Challenger 2, depois que a Rússia destruiu o primeiro, o resto sumiu do mapa, e dizem que por ordem dos próprios ingleses, para não passar mais vergonha. O Abrams que era o “pika das galáxias”, que ia fazer e acontecer com sua munição ultra, mega, blaster de urânio empobrecido, está indo pelo mesmo caminho, depois de 5 ou… Read more »

Underground
Underground
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Nossa!
30 Abrams e 12 Challenger para Ucrânia.
Abrams foi tirado da frente de batalha devido ao peso. Não passaria o primeiro lamaçal.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Underground
1 mês atrás

O número doado não importa, o que importa é que quando foram para o front, foram destruídos.
Quanto ao Abrams, não está passando nem pelas minas velhas do tempo da urss.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Existem fórmulas que calculam a probabilidade de um veículo passar por determinados tipos de terreno.
O EB tem um estudo disso (que li à anos) e outras FA também tem. Mas é mais fácil encontrar a explicação em vídeos de 4×4 (gringo e técnicos) no YouTube.
Independente da pressão que o veículo exerce no terreno, sua força e meio de tração, naquele “terreno” entre os dois países, eme determinadas épocas, nem Unimog preparado passa.

Heinz
Heinz
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Na verdade, o Challenger continua operando na 82° brigada de paraquedistas, mas uma boa parte está na reserva. Os ucranianos falam muito bem do blindado, afirmam que é um “sniper” sobre esteiras, muito preciso e com uma proteção excelente. Entretanto, o que pesa contra o Challenger é seu peso, as vezes ele atola muito fácil nas molhadas terras ucranianas, iae demanda um grande esforço logístico para retira-lo e também opera-los.

Iran
Iran
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Saiu uma matéria no Bulgarian Military esses dias comentando que o Challenger foi retirado do front depois do primeiro ter sido destruído. Vi algumas pessoas comentando o mesmo do Abrams despois que o quinto deles foi destruído por um T-72B3.

Heinz
Heinz
Reply to  Iran
1 mês atrás

Cara, no grupo do telegram de paraquedistas Ucranianos, vez ou outra eles publicam umas fotos do Challenger, com camuflagem de rede, e aquelas gaiolas. Mas geralmente com o fundo todo borrado, eles operam principalmente a noite. Na 82° brigada de paraquedistas

Vitor
Vitor
Reply to  Kommander
1 mês atrás

No texto o autor intitula como predador…seu antecessor fico escondido igual tatu para não passar vergonha.

Underground
Underground
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Evidente que se expuseram o tanque a fogo inimigo, ele vai ser destruído.
Não sei de onde as pessoas riram essas ideias de que armamentos são indestrutíveis.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Underground
1 mês atrás

“Não sei de onde as pessoas tiram essas ideias de que armamentos são indestrutíveis.”

Não é o que se lia na internet e o que via em vídeos no YouTube, “Challenger 2 indestrutível”, “aguentava vários disparos de RPG e ATGM”, “nunca perdido em combate” e blá, blá, blá. Digita Abrams e Challenger 2 no campo de busca que tu vai ver o que um pessoal falava sobre eles aqui nos comentários, principalmente do Abrams.

Last edited 1 mês atrás by Maurício.
Underground
Underground
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

YouTube?

IvanF
IvanF
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Seria o combate da década: Challenger 3 vs. Armata!

Bispo
Bispo
1 mês atrás

Manda para Ucrânia testar a capacidade de sobrevivência 😈

Underground
Underground
Reply to  Bispo
1 mês atrás

Os poucos blindados Ocidentais destruídos na Ucrânia, ao que se sabe, todos os tripulantes sobreviveram. Não se pode dizer o mesmo dos russos.

Bispo
Bispo
Reply to  Underground
1 mês atrás

🤔 1000x , prefiro “pilotar” um drone que qualquer carro de combate existente …

Tanques com tripulação humana devem ser extintos…viraram alvos fáceis… os tanques do futuro, creio, serão muito menores , mais rápidos e ágeis.

Last edited 1 mês atrás by Bispo
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Bispo
1 mês atrás

Sobre isso…

Todo mundo vê vídeos de T-90 ou Abrams virando fumaça. São vídeos que dão visualizações.
Mas ninguem mostra tanques atingidos, mas que conseguiram recuar pra posições seguras, ou que foram rebocados depois, ou que, mesmo atingidos, continuaram na luta.
Quantos tanques foram destruídos versus. quantos tanques foram atingidos mas sobreviveram?
Adoraria uma matéria sobre isso.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Underground
1 mês atrás

“Os poucos blindados Ocidentais destruídos na Ucrânia, ao que se sabe, todos os tripulantes sobreviveram.”

Não é bem assim, no twitter tem imagens da tripulação ucrâniana morta do lado dos tanques, quando saiam eram mortos pelos russos, e não dá para dizer que toda a tripulação sobrevivia, visto que tinha imagens de Leopards bem destruídos no campo de batalha, visto que o Leopard também transporta munições em seu interior além da torre.
Ou seja, esse papo de que “toda tribulação sobrevive” não é verdade.

José
José
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Sobreviveram ao impacto no tanque meu nobre ser! Se saíram vivos do tanque…
Se enrola na própria informação. É pra dar mais postagens ou tumultuar?

Maurício.
Maurício.
Reply to  José
29 dias atrás

“Sobreviveram ao impacto no tanque meu nobre ser! Se saíram vivos do tanque.”

Tu tem como comprovar que todos os tripulantes dos tanques ocidentais saíram vivos conforme o Underground dá a entender? Na internet existe imagens de tanques enviados pela OTAN/EUA bem destruídos, principalmente os Leopard que possuem munições em seu interior além da torre, inclusive tem Leopard que ejetou a torre, e tu sabe por que isso acontece, né? Aliás, quando isso acontece, a tripulação sai vivinha da Silva, né?

Iran
Iran
Reply to  Underground
1 mês atrás

Poucos se for levar em conta a massa, mas proporcionalmente foram destruídos iguais os demais

Fábio Jeffer
Fábio Jeffer
1 mês atrás

Mais um game changer

Orivaldo
Orivaldo
Reply to  Fábio Jeffer
1 mês atrás

Como está o Armata ? Creio que já tenha milhares no campo de desfiles

Underground
Underground
Reply to  Orivaldo
1 mês atrás

Se tem Armata, não sei, mas que os tanques russos continuam ejetando as torres, continuam.

Underground
Underground
1 mês atrás

Pessoal resumindo tudo a um tanque isolando operando em linhas inimigas.
Para paises bem armados isso não ocorre. A hora que esse blindado avançar, muita coisa já rolou. É preciso diferenciar os combates ocorrendo na Ucrânia, que tem pouca ou nenhuma arma, que apesar disso infligiu durs perdas aos russos.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Blindado caro, não me surpreenderia se a produção dele parasse nos 50, venda externa dele vai ser difícil, contando que tem no mercado, americano com sua influência, chinês que tem preço mais baixo, fora alemão que é considerado o melhor.
Britânico seguiu o caminho certo independência.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

Acho que custará 1,3 bi de libras ou U$ 1,6 bi para 148 Challenger 3 (modernizando challenger 2 para 3)
Ou cerca de U$ 10,8 mi cada.

RDX
RDX
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

148 planejados. O Challenger 3 é um Challenger 2 profundamente modernizado.

IvanF
IvanF
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

Pelo que encontrei, o contrato pra converter 148 (140 de produção + 8 protótipos) Challenger 2 para Challenger 3 ficou em aproximadamente 1 bilhão de dólares, ou 6,76MM de dólares por unidade.
O M1A2 SEP v3 custou 24MM de dólares a unidade para os poloneses, e o Leopard 2A8 saiu por 31MM a unidade na ultima compra dos alemães.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  IvanF
1 mês atrás

O valor de 800 mi de libras parece que foi corrigido, teve aumentos etc e agora falam em 1,3 bi de libras que dá 1,6 bi de dólares ou U$ 10,8 mi a unidade. O contrato polones dos M1A2 SepV3 foi de U$ 4,75 bi para 250 unidades, portanto U$ 19 mi cada na conta de padaria. Os U$ 31 mi por cada Leo2A8 é referente à um contrato pequeno de 18 unidades, os alemães pretendem adquirir 123 unidades, neste caso o valor cai para cerca de U$ 25 mi cada. Os K2 sul-coreanos também foram comprados por U$ 19… Read more »

IvanF
IvanF
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Não consegui achar essa correção do valor no Challenger 3, mas correções de contrato são comuns. O valor do M1 saiu da Wikipedia e fonte não fala nele, então parece ser um equívoco de lá, o valor mais divulgado é o que vc falou mesmo.
Mesmo esses valores mais baixos para o M1A2 e o Leo2A8 em alta produção, e ainda considerando esse possível aumento no valor do tanque inglês, o preço não estaria ruim.

Abimael
Abimael
1 mês atrás

Sempre a mesma lorota. Custa milhões MAS é quase indestrutível.
Aí quando mandam para o front, o MBT de milhões vai pelos ares ao se encontrar com dois ou três drones iranianos que custam o mesmo que uma coxinha e uma Pepsi no bar da rodoviária.

Pablo
Pablo
1 mês atrás

E o EB a um passo de receber o Cascavel NG.

Underground
Underground
Reply to  Pablo
1 mês atrás

Cê vai ver quando vier a revitalização, na versão Cascavel Pró 2 Vananium, lá em 2040.

Lucas
Lucas
1 mês atrás

Bom enquanto os ingleses lançam uma modernização os francos/alemães estão desenvolvendo tanques com canhões de 140mlm

Paulo Montezuma
Paulo Montezuma
1 mês atrás

Tão importante quanto a qualidade do projeto, qual a quantidade de unidades que estão previstas para serem adquiridas?

Marcos Bishop
Marcos Bishop
1 mês atrás

As quantidades são irrisórias.
150 unidades não fazem diferença em um campo de batalha de alta intensidade como na Ucrânia.
Deveriam ser contados em milhares e não em centenas.

José pereira
José pereira
1 mês atrás

Para o Brasil seria interessante uma parceria com a IVECO em relação ao mbt ariete c2
comment image

José pereira
José pereira
Reply to  José pereira
1 mês atrás

comment image

Bueno
Bueno
Reply to  José pereira
1 mês atrás

Também acho…

Mr.White
Mr.White
Reply to  José pereira
29 dias atrás

Sempre o Lobby da IVECO, pq não desenvolvem um blindado proprio que não esteja sucetivel a sanções? Contrata empresas grandes do ramo de engenheria de transporte pesado como Randon e Tupy, uma produz o blindado, a outra os motores, o EB entra com a area de desenvolvimento.

José pereira
José pereira
Reply to  Mr.White
29 dias atrás

Projeto de nacionalização de um modelo aprovado e testado é muito mais vantajoso, ganha-se tempo e expertise.
A Turquia é o maior e melhor exemplo para o Brasil neste quesito e agora anda com as próprias pernas.