Sistema Antidrones (CUAS – Counter UAV) de rápida implantação de próxima geração para segurança urbana

8

O CUAS da HENSOLDT é construído sobre um conceito extremamente modular e escalável, inclui Radar de Vigilância, câmeras EO/IR, Jammer e permite a integração perfeita de sensores adicionais para aumentar suas capacidades.

A HENSOLDT, líder em soluções de sensores, anuncia sua colaboração com a HTX de Singapura (Agência de Ciência e Tecnologia da Equipe Doméstica), para impulsionar o avanço dos Sistemas Contra UAV de Implantação Rápida (CUAS) para ambientes urbanos.

Esta colaboração é uma resposta à ameaça crescente representada por drones de venda livre. Combinando a especialização em software da HENSOLDT Singapura, habilidades de integração de sistemas e insights operacionais da HTX, a colaboração visa entregar uma solução integrada que atenda às demandas únicas de um ambiente urbano.

O sistema CUAS de rápida implantação, um resultado chave desta parceria, incorpora o software Z:ASSESS da HENSOLDT e a Fusão de Dados Multi-Sensores (MSDF) de última geração. O sistema é construído sobre um conceito extremamente modular e escalável, inclui Radar de Vigilância, câmeras EO/IR, Jammer e permite a integração perfeita de sensores adicionais para aumentar suas capacidades.

Este conjunto de CUAS é projetado para fornecer detecção de ameaças em tempo real e mapeamento, oferecendo aos usuários uma visão abrangente das ameaças identificadas sobrepostas em zonas escolhidas. O sistema é exibido pela primeira vez no Pavilhão HTX na Cúpula Milipol Asia-Pacific–TechX 2024.

A colaboração ilustra o alto nível de cooperação entre a HENSOLDT Singapura e a HTX. “Este é apenas o começo de tais parcerias estratégicas entre a HTX Singapura e a HENSOLDT Singapura. Estamos ansiosos para expandir essa relação em um futuro próximo”, diz Ines Maiwald, Chefe de Desenvolvimento de Negócios Ásia na HENSOLDT. “A colaboração visa abordar os desafios únicos apresentados pelos ambientes urbanos, fornecendo uma solução eficaz para CUAS em Singapura”, diz Dr. Ben Soon, Engenheiro Principal Sênior da HTX, que desempenhou um papel crucial na arquitetura do design do sistema.

A HENSOLDT Singapura já demonstrou sua experiência em defesa de drones por meio de seu sistema CUAS. Esta colaboração com a HTX significa um compromisso compartilhado com o avanço das medidas de segurança e a resposta proativa às ameaças em evolução. O sistema CUAS não se destina apenas à implantação permanente, mas também à proteção temporária durante grandes eventos, demonstrando a sua versatilidade e adaptabilidade.

A colaboração também representa um passo significativo na abordagem do complexo cenário de segurança associado aos sistemas aéreos não tripulados em áreas urbanas. Este esforço conjunto está preparado para estabelecer novos padrões para a tecnologia CUAS, contribuindo para maior segurança e proteção contra ameaças emergentes.

DIVULGAÇÃO: HENSOLDT

Subscribe
Notify of
guest

8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Com qualquer grupo paramilitar e de crime organizado tendo acesso a drones, tá na hora da gente discutir a implementação desse sistema em bases aéreas e outras instalações importantes das FA’s BR.

Heinz
Heinz
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

É questão de tempo até você ver narcoterroristas do RJ utilizando drones FPVs.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Com a quantidade de armas desviadas na guerra da Ucrânia e em outros conflitos, e com advento dos drones, é questão de tempo até aparecer alguma Hilux do novo cangaço´´ com um lançador de Kornet na carroceria, ou o crime organizado atacar bases da PM com drones da Shopee armados com explosivos caseiros

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

O parte boa de jammear é que ninguém voa…..a parte ruim de jammear, é que ninguém voa também…rs….reflita

ln(0)
ln(0)
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Enquanto estamos em paz, acredito que seria melhor para as usinas nucleares e hidrelétricas. Qualquer pessoa pode pegar um dji ou equivalente chinês e sair sobrevoando uma delas.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Ainda não cheguei a conclusão se um sistema antidrone, será responsabilidade da artilharia antiaérea ou da guerra eletrônica….há uma bagagem tão alta de tecnologia embarcada que vai ter uma hora que precisaremos apenas de tropas de inteligência e contra-inteligência, onde serão necessários “especialistas” de todos tipos de sensores com o risco de no momento de ligar tudo (hora do pau) ou verão tudo, ou não verão nada por causa da interferência entre eles….rs….(é uma piada irônica)

Last edited 1 mês atrás by Rafaelvbv
Marcus Pedrinha Pádua
Marcus Pedrinha Pádua
1 mês atrás

É sempre bom lembrar que detectar é só metade do serviço. Ainda tem que abater ou no mínimo desativar os passarinhos…