O presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu na quinta-feira uma União Europeia mais forte e mais independente, argumentando que a Europa precisa de uma política de defesa mais credível para enfrentar a Rússia e não ser um “vassalo” estratégico dos Estados Unidos.

Num extenso discurso proferido sob os tetos altíssimos da Sorbonne, em Paris, Macron delineou a sua visão atualizada para a “autonomia estratégica” da Europa, incluindo planos para reforçar a produção europeia de defesa e expandir a política industrial para se manter firme contra a Rússia e competir com superpotências econômicas que não jogam mais pelas regras do livre comércio.

“A nossa Europa, hoje, é mortal e pode morrer”, disse ele. “Ela pode morrer, e isso depende apenas de nossas escolhas.”

O discurso, que durou cerca de duas horas, foi a sua tentativa de definir a agenda antes das eleições europeias em Junho e moldar o rumo da União Europeia para os próximos cinco anos.

Isto ocorre num momento em que a Europa tenta manter o ímpeto na ajuda à Ucrânia e pondera o que o potencial regresso do ex-presidente Donald Trump pode significar para o continente. Também acontece menos de uma semana antes de ele receber o presidente chinês Xi Jinping, que está ansioso para afastar a UE de Washington.

O discurso de quinta-feira foi apresentado como a sequência de uma palestra que ele proferiu no mesmo ambiente de agosto em 2017 – e Macron não conseguiu evitar torná-lo uma espécie de momento do tipo “eu avisei”. Quando ele defendeu pela primeira vez uma autonomia mais estratégica, muitos na Europa estavam céticos, disse ele. Isso, como tantas outras coisas, mudou.

Macron esboçou como os últimos sete anos transformaram o continente e – pelo menos no seu relato – afirmou o seu apelo à autonomia estratégica.

Durante a pandemia, a União Europeia trabalhou em conjunto para comprar e entregar vacinas, disse ele. Quando os tanques russos chegaram a Kiev, a Europa reuniu-se para se libertar da energia russa, sancionar a Rússia e aumentar o apoio à Ucrânia.

A Europa precisa aproveitar isto, disse ele, criando uma união que seja mais integrada, mais bem defendida e mais competitiva – e nunca demasiado dependente dos Estados Unidos.

Macron sublinhou que a Europa já não pode confiar apenas nos Estados Unidos para a sua segurança. “Os Estados Unidos têm duas prioridades: os Estados Unidos em primeiro lugar e a questão da China em segundo. A questão europeia não é uma prioridade geopolítica”, afirmou.

Embora os Estados Unidos ainda sejam o membro mais poderoso da OTAN e o principal garante da segurança europeia, Macron imaginou um tempo em que a Europa será capaz de se defender da Rússia sem a ajuda americana. Para chegar lá, terá de impulsionar o seu setor de defesa, disse ele.

“Como podemos construir a nossa soberania, a nossa autonomia, se não assumirmos a responsabilidade de desenvolver a nossa própria indústria de defesa europeia?” ele perguntou.

Macron apelou à criação de uma academia europeia para formar militares de alta patente e também falou longamente sobre a necessidade de reforçar a produção europeia.

“Temos de produzir mais, temos de produzir mais rapidamente e temos de produzir como europeus”, acrescentou.

Embora exista um amplo consenso sobre a necessidade de reconstruir a base industrial da Europa, o seu foco na compra europeia não será popular em todas as capitais. Na verdade, alguns aliados ficaram irritados com o seu foco nas armas francesas e europeias, especialmente quando se trata de armar rapidamente a Ucrânia.

Suas observações também levantarão algumas sobrancelhas em Washington. O discurso incluiu várias referências pontuais à Lei de Redução da Inflação da administração Biden e sugeriu que tanto os Estados Unidos como a China decidiram abandonar o conjunto de regras do comércio global e agir sozinhos.

“As regras do jogo mudaram”, disse ele. E se a Europa não se adaptar, disse ele, ficará para trás.

FONTE: The Washington Post

Subscribe
Notify of
guest

96 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

Falou o vassalo do Klaus Schwab!

Nilo
Nilo
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Ironia a parte Klaus Schwab é um pensador eleva a Europa, com contribuição relevante ao mundo, mas sinceramente, o discurso de 2017 e este de 2024 não fará diferença.
Se perguntarmos sobre a independência Europa dos dois grandes centros que polarizam os rumos de mundo, veremos que a Europa por sua própria iniciativa não consegui e não conseguirá atingir o patamar que vislumbra Marcon para Europa.
As mudanças da Europa se vier será por força das disputas geopolíticas externas.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Se vc quer comer os insetos que ele pediu e não ter nada e “ser feliz” vá em frente.

Eu to fora.

Nilo
Nilo
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Meu caro é inevitável a força, a presença chinesa que se tornou fundamental no comércio mundial, seus investimentos em tecnologias de ponta, para quem ainda acha que pode rotular a China como “xingling”, em algum momento comerá inseto pensando ser “hotdog”.
Infelizmente viagem para Marte ainda é um sonho.

Art
Art
Reply to  Nilo
1 mês atrás

comunismo de mercado = Globalismo, vc não terá nada mas será feliz, comer ração de insetos etc. klaus Swab é apenas um testa de ferro revolucionário, em seu escritório uma estátua de lenin. Revolucionário 4.0 que toma chandon e gosta de vinho.

Last edited 1 mês atrás by Art
Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Art
1 mês atrás

mas os 1.0 também curtiam um luxo, alguns são mais iguais que os outros

Jose
Jose
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

O problema não está em curtir o luxo desde que seja com o seu dinheiro, o problema é quando pessoas como esse klaus Swab da vida querem o luxo pra eles mas com o nosso dinheiro e o lixo pra nós.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jose
1 mês atrás

concordo José, da uma procurada no termo TecnoFeudalismo, vai achar mais coisa em inglês, mas vai abrir tua mente para o que uma parte da elite quer, e outra, o carbono que querem acabar somo nós

Vitor
Vitor
1 mês atrás

Mais um político oportunistas …desses o Brasil é campeão.

Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Vitor
1 mês atrás

Daqui a pouco o Tio Sam vai refrescar a memória do Macron de onde está guardado o lastro de ouro da França (e não é no território francês).
Pra além disso, ainda tem uma conta bem grande pra ser paga devido ao apoio que foi dado pra vencer a WWII.
Logo logo o Macron vai se lembrar de qual é o seu lugar no busão da geopolítica (e não é sentado na janelinha).

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
1 mês atrás

A vassalagem era cômoda quando o eua suportava os maiores gastos… depois que começou a cobrar pela “mesada” não ficou mais tão cômodo quanto antes

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Jefferson Ferreira
1 mês atrás

Rapaz, agora tú falou toneladas de verdade…

Quando os EUA bancavam sozinhos mais de 70% da OTAN, ninguém achava ruim ser vassalo´´, né?
Foi só o Trump finalmente chamar a atenção pra isso, que só agora´´ os europeus não querem mais serem vassalos…

C G
C G
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Não se pode atribuir apenas ao Trump o que na realidade é em maior parte culpa de Putin!

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Olá Wilber. Os EUA saem da II Guerra com uma indústria de defesa madura e renovada e com os EUA sendo responsáveis por 60% da produção industrial do mundo. Os países europeus, por outro lado, saíram destroçados da II Guerra. A Alemanha teve sua indústria reduzida a pó, dividida e sob o trauma das desnazificação. A França ainda se recuperando a ocupação nazista e do colapso do seu sistema colonial. A Inglaterra falida e com o sistema colonial destroçado. Espanha com feridas abertas da guerra civil. A Áustria, Holanda, Bélgica destroçadas. Por fim, os EUA sob a presidência de Johnson… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Por coincidência acabei de ouvir este podcast e talvez seja interessante para perceber a perspetiva mais Europeia da OTAN…

https://www.youtube.com/watch?v=OgUCIzsw12c

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

O que só prova meu ponto dos meus comentários abaixo sobre isso: A tão alardeada União Européia´´ não foi um processo harmônico e natural, foi mais pra algo imposto, por causa de 2 eventos traumáticos seguidos ( 2 guerras mundiais ) e após um passado de séculos de europeus se matando. Até ontem, França e Alemanha se matavam. Uma década depois, tiveram que fazer as pazes´´ de maneira forçada, por causa de um gigante ( EUA ) pra combater outro gigante ( URSS ). Europeus gostam de se dizerem civilizados e de dizerem que são um continente harmonioso, mas sabemos… Read more »

Mig25
Mig25
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

A relação França-Alemanha jamais foi tão pacífica e harmoniosa quanto o pós 2 guerra mundial. Existe grande cooperação entre os dois países, suas nações e povos vivem um período de prosperidade que jamais tiveram. É fato que a União Europeia criou um ambiente de paz, cooperação e desenvolvimento inédito no continente. Os Estados Europeus só manterão seu status quo geopolítico se permanecerem unidos. A Inglaterra resolveu sair da União, e cada vez mais perde relevância político/econômica e geopolítica. Agora, enfrentando diversos problemas, estão arrependidos e pensando numa maneira de retornar…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Mig25
1 mês atrás

Ah, claro…

Depois de ambos os países quase se chacinarem duas vezes ( e estou falando das Guerras Mundiais, eu nem citei a guerra Franco-Prussiana ), depois de ambos terem bases norte-americanas em seus territórios, e depois da França ter suas nukes, é óbvio que, uma hora ou outra, ambos teriam que fazer as pazes, pro bem ou pro mal.

É isso, ou começarem uma Terceira Guerra…

Carlos
Carlos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Nota-se bem que és expert em UE mas esqueces-te de Robert Schuman e a região da Alsácia e esqueces que esta região era rica em minas de carvão e de ferro e Schuman para que não houvesse mais conflitos entre a Alemanha e a França, porque são os produtos necessários ao desenvolvimento de sociedades industriais, teve a ideia de criar a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço e esta é a percussora da Comunidade Económica Europeia e agora a União Europeia e geralmente estes dois países combinam as politicas a serem empregues da UE, porque são as duas maiores… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Mig25
1 mês atrás

na vdd o UK tá sofrendo por ter saído e adotado políticas burras, como por exemplo colocar um controle de imigração barrando pessoas da UE, pq a UE não permite que pessoas do UK vivam no UK, além de outras picuinhas entre os dois

JHF
JHF
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

A (pouca) base industrial da Europa é dependente de gás e petróleo barato russo. Refazer em magnitude 2x o que foi se acomodando nos últimos 20 anos em outros cantos do planeta vai ser quase impossível e vai demorar o vidro do tempo necessário.

JHF
JHF
Reply to  JHF
1 mês atrás

Dobro*

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  JHF
1 mês atrás

Pouca base industrial na Europa? Quatro países europeus estão no ranking dos 10 países de maior produção industrial do mundo. Só a soma desses 4 (Alemanha, Reino Unido, França e Itália) já chega a 2/3 dos EUA e a 1/3 da China. Se somar com os diversos outros países europeus que estão abaixo dos 10+ no ranking, a produção equivale ou até passa (não fiz as contas até os países menores) a produção industrial dos EUA, cerca de metade da produção da China. Não é pouca coisa não. Sobre a dependência do gás russo, a participação russa no consumo europeu… Read more »

Mig25
Mig25
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Pois é. É cada coisa que temos que ler por aqui. Lá estão grande parte das principais indústrias automobilísticas, navais, químicas, farmacológicas, de defesa, etc. do mundo, e vem um camarada dizer que a base industrial europeia é pouca.

José de Souza
José de Souza
Reply to  Mig25
1 mês atrás

Não estudam nada, não leem nada, não tem ideia do que repetem.

Mas, “viram no YT”, algum “influencer disse”, então é verdade… Se fossem só convicções para consumo próprio, vá lá, mas vem aqui (e em outros fóruns..) vomitar essas asneiras, e acabam até no parlamento gastando nosso tempo e dinheiro com essas sandices.

Vitor
Vitor
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Esse percentual 2/3 , 1/3 de participação europeia deve ficar só no papel , Brasil que é quintal dos europeus e americanos o que mais se vê é produto chineses de muambas a manufatura de ponta .

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Vitor
1 mês atrás

Procure os dados em fontes confiáveis e confira por si.

Kleber
Kleber
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

E o PIB da UE é do mesmo patamar que EUA e China.

Carlos
Carlos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Se soubesse alguma coisinha até terias piada. EUA e a Alemanha pagam 16,2% o RU paga 11%, França 10%, Itália 8% e os restantes países contribuindo menos do que estes, A questão é apenas uma vontade de vender mais mesmo em tempos de paz, porque os 2% do PIB em defesa, inclui também que 20% deste montante em material novo, como tal não sei onde foste buscar esses 70%, só mesmo por ignorância.

Carlos
Carlos
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Falta um site para demonstrar o quanto estás enganado https://www.youtube.com/watch?v=HeZCHtxoT9U&ab_channel=HojenoMundoMilitar

Carlos
Carlos
Reply to  Jefferson Ferreira
1 mês atrás

Existem dados que te esqueceste de referir. Onde surgiram os melhores MBT? Onde surgiram os primeiros aviões a jato? Onde surgiram os primeiros misseis e foguetões V1 e V2? Qual foi o país que foi proibido de ter forças armadas? Todos os países europeus estavam destruídos e necessitavam de construir a economia que suporta a defesa. Existe um país que não tem forças armadas, Islândia, e outro que tem apenas mil militares, Luxemburgo. Na cimeira de Gales em 2014, foi decidido o aconselhamento no gasto de 2% do PIB em defesa e desse montante 20% em material novo e isto… Read more »

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Bem, eu não gosto do Macron, mas nesse caso da vassalagem, ele disse uma verdade, aliás, ele só constatou um fato, simples assim.

Kommander
Kommander
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Pela primeira vez eu vou ter que concordar com esse cara. Os EUA usam a Europa como uma barreira, nada de “ruim” chega a América do Norte porque o filtro é a Europa.

Joao
Joao
Reply to  Kommander
1 mês atrás

Os EUA defenderam a Europa em 2 guerras mundiais.
Na Guerra Fria, por maior que fosse o efetivo das forças europeias, as Forças Americans na Europa eram incríveis.

Alguma coisa, a Europa tem q fazer. É alguma coisa os EUA tem q ganhar.

Ou acham q tudo foi por amor?

Dogtag
Dogtag
Reply to  Joao
1 mês atrás

Hã?
Quem defendeu a Europa na primeira guerra foram o franceses e os ingleses.
Os EUA chegou no final do “show”

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Dogtag
1 mês atrás

Exato. Comentei isso mais abaixo

Carlos
Carlos
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Macron apenas quer vassalos para lhe comprarem material de guerra e nem acordos quer, basta lembrarmos do acordo UE-Mercosul e de quem anda a comprar armas francesas.

António Rodrigues
António Rodrigues
1 mês atrás

Li e revi as três opiniões acima de pessoas diferentes e só pensei, realmente a Europa está mesmo de rastos, mesmo quando aparece alguém com ideias de defesa comum, aparece alguém de fora mandando bocas sem sentido.
Se a Europa quer ser emanicipar dos estados unidos lá vem boca se não… é vassalo deles.
Meus caros organizem as vossas ideias e digam lá o que querem de nós europeus.

Guacamole
Guacamole
Reply to  António Rodrigues
1 mês atrás

A questão aqui é mais complexa eu diria. E não há resposta certa Veja, os Estados Unidos são 50 países diferentes unidos por uma lingua e história em comum que foi forjada por guerras. As Europa são 50 países diferentes, com linguas, etnias e visões difentes que foram forjadas por guerras. Não hã resposta certa porque o que o Macron propôs é que a Europa siga seu próprio caminho, porém não há como ter a união de defesa necessária com tantos paises distintos, que guerrearam uns com os outros por 2000 anos só porque não querem ficar sob a tutelagem… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Guacamole
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Não hã resposta certa porque o que o Macron propôs é que a Europa siga seu próprio caminho, porém não há como ter a união de defesa necessária com tantos países distintos, que guerrearam uns com os outros por 2000 anos só porque não querem ficar sob a tutelagem dos Estados Unidos.´´ Concordo. Como conseguir consenso entre, por exemplo, Portugal e Grécia, ou com Itália e Polônia. A única coisa em comum entre esses países é residirem´´ no mesmo continente. Todo o resto ( língua, história, costumes, hábitos, PIB, IDH, etc ) é totalmente diferente. Sem contar que, praticamente todos… Read more »

Comte. Nogueira
Comte. Nogueira
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

A Europa se assemelha à um prédio de apartamentos. Um condomínio que abriga quem é dono do próprio apartamento com 3 suítes e 3 vagas na garagem, mas também recebe quem mora de aluguel e usa transporte público. Na hora que o síndico convoca uma assembléia para apresentar um projeto de construção de uma nova área de lazer, com espaço gourmet, adega e etc, quem tem o apartamento de 3 suítes vai aprovar. Mas quem mora de aluguel não vai por motivos claros. E tem também aquele morador que fica no meio do caminho. É necessário conciliar os interesses de… Read more »

Talisson
Talisson
Reply to  António Rodrigues
1 mês atrás

Começaram duas guerras mundiais. Por favor, não comecem a terceira. Se puderem retirar vossas ONGs duvidosas de nosso território, agradecemos.

António Rodrigues
António Rodrigues
Reply to  Talisson
1 mês atrás

Isso cabe aos povo brasileiro tirarem essas ONG do vosso país, sois um país independente e não vassalo de ninguém.
Se quem está no comando da vossa nação nada faz como podemos nós?
Quanto á terceira é melhor ligarem para o Putin se tivesse feito a coisa especial em duas semanas o problema estava resolvido, mas se tivesse ficado quieto a NATO se calhar já estava moribunda afinal ressuscitou a dita e ainda viu países neutros a aderir.

Renato B.
Renato B.
Reply to  António Rodrigues
1 mês atrás

Das mais de 800.000 ong´s no Brasil a maioria está no sudeste e quase 30% são religiosas. Vai promover um estado ateu no Brasil também?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Renato B.
1 mês atrás

Olá Renato. Um estado laico é parte fundamental do Estado Democrático de Direito.

Seria péssimo se o Brasil se tornasse um estado teocrático, seja no modelo da Arábia Saudita, do Irã ou de Gileade.

Carlos
Carlos
Reply to  António Rodrigues
1 mês atrás

Como é possível a Europa estar de rastos? Todo o mundo quer emigrar para a Europa? A Europa não produz nada nem tem energia mas é o continente que mais contribui para ajuda no combate à fome, ao combate às epidemias. Todo o ,mundo usa aplicações dos EUA, como é o caso do GPS, mas a Europa é independente deste sistema de posicionamento global porque tem o sistema Galileu, mas todo o mundo sabe que são os EUA quem mais investe em defesa, mas também todo o mundo deveria saber qual foi o único pais a acenar o artigo 5… Read more »

António Rodrigues
António Rodrigues
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Que a Europa não está de rastos sei eu, apenas fui irónico com os comentários que eu li.
Que a imigração para aqui está a aumentar está a olhos vistos, mas estou triste quando olho para o país irmão Brasil e pergunto o que diabo se passa para que os filhos dele venham trabalhar para cá.
Os brasileiros realmente precisam de um milagre.

Vinicius Soares
Vinicius Soares
Reply to  António Rodrigues
1 mês atrás

EDITADO

Last edited 1 mês atrás by Vinicius Soares
Vinicius Soares
Vinicius Soares
Reply to  Vinicius Soares
1 mês atrás

EDITADO

Carlos
Carlos
Reply to  António Rodrigues
1 mês atrás

Foste muito irónico e enganaste-me bem

Celso
Celso
1 mês atrás

Falem pra ele sobre primeira e segunda guerra. Quem salvou a pele dos Franceses…. Hoje estaria comendo salsichão……

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Celso
1 mês atrás

Ah, meu Deus.
Vc está ganhando para ser tão patriota assim.
Olha, nunca vi tanto patriotismo num americano raiz.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Celso
1 mês atrás

Bem, olhando por esse lado, os franceses ajudaram na independência dos EUA…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Celso
1 mês atrás

Então….. na I Guerra, as maiores perdas, tanto civis quanto militares, foram russas. Em segundo, está a França. A diferença é que a França lutou e liderou as tropas na I Guerra e a Rússia assinou um armistício. Os EUA estavam completamente despreparados para a I Guerra. Mal treinadas e mal equipadas, tanto que eles passaram a produzir o Renault FT sob licença. Pershing insistiu em manter o comando supremo das tropas dos EUA, o que resultou em um desastre e perdas imensas. As tropas dos EUA só passaram a ter relevância militar após a unificação do comando por Foch.… Read more »

Bispo
Bispo
1 mês atrás

Esse presidente francês é meio alienado, no inicio da “desnazificação ucraniana” , o mesmo disse … “precisamos ser cautelosos para não humilhar a Rússia”..rs… 02 anos depois a OTAN Europeia subserviente dos EUA é a humilhada.

A Europa não tem produção de armas o suficiente para oferecer a Ucrânia… descobriram agora que somente dinheiro não vence guerras …

C G
C G
Reply to  Bispo
1 mês atrás

“precisamos ser cautelosos para não humilhar a Rússia”
E com todo esse cuidado como a Russia esta agora se nao humilhada?

Bispo
Bispo
Reply to  C G
1 mês atrás

Creio que você —— EDITADO ——

A Rússia está sapateando na OTAN … que não tem meios para efetivamente ajudar a combalida Ucrânia…

A Rússia entre todos os países da OTAN é a que mais cresce … e no campo militar, está surrando o ocidente de 7 x 1 , no verão europeu teremos WO no exército ucraniano…a deserção por lá está endêmica..rs

Espero que os F-16 cheguem antes do fim, curioso de como serão os embates…🙃

C G
C G
Reply to  Bispo
1 mês atrás

A russia esta sapatendo na Otan???
AHAHAHHAHAHAHAHAHSHSHSHSH

Iran
Iran
Reply to  C G
24 dias atrás

Meu caro, parece-me que você ficou preso em 2022, até mídias ocidentais admitem que a Rússia está se saindo muito bem na Ucrânia no mínimo desde a falha ucraniana no começo de 2023 na contra-ofensiva. Fluxo de fogo russo chega a ser 10x maior que o ucraniano, maior parte da infraestrutura ucraniana já era, o país não tem mais gente pra recrutar porque ou morreram, ou fugiram todos, agora falam de caçar jovens ucranianos nos países da UE para enviarem eles novamente para a Ucrânia para lutarem.

JHF
JHF
Reply to  Bispo
1 mês atrás

A chegada dos F16 no TO da Ukrania tem mais a ver com os testes de capacidade tática e só revivencia de drones usando este hardware e um esboço de AI como ponta de lança contra as capacidades russas. Depois de ter coletados dados durante 6 meses e com 20 a 25 fuselagens, fica mais tranquilo para saber até donde se pode abusar deste tipo de nova arma. As capacidades já estão testadas em condições de Laboratório. Falta colocar os ratinhos Ukranianos para voar as carcaças doadas para colher os dados no TO e terminar as modelagens.

Bispo
Bispo
Reply to  JHF
1 mês atrás

Concordo, infelizmente os políticos ucranianos corruptos , transformaram a Ucrânia em um grande laboratório de deserção

Mais um país “estuprado” com maestria pelos EUA e seus delírios de xerife do mundo , que não percebeu seu envelhecimento e perda do poder de outrora…

Divina pública americana hoje U$33 TRILHÕES… impagável.

Hcosta
Hcosta
1 mês atrás

Macron é um oportunista e é um dos políticos que menos apoiou a Ucrânia com equipamento militar. A França, com um dos maiores exércitos e num processo de renovação do equipamento, poderia, facilmente, apoiar numa escala muito maior. Mas, infelizmente, as entregas parecem ter o único objetivo de auto promoção, sendo muito limitadas e muito publicitadas. E só acredito nas “boas” intenções da França em relação a um exército europeu quando esta ceder o seu lugar no conselho de segurança à UE e, se tal não for possível, uma consulta ao Parlamento Europeu nestas questões. Enquanto isso não acontecer, ou… Read more »

António Rodrigues
António Rodrigues
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

100% de acordo mas que a Europa tem que procurar o seu caminho isso é indiscutível.
O Trump quando teve a ideia dos 2% só estava interessado que a Europa entrasse com o guito nas fábricas de lá.
Mas se a ideia ou proposta de gastar os 300 biliões de euros em armas produzidas cá e rearmar a defesa europeia estou completamente de acordo.
E acho que este discurso dele é uma maneira de Chico esperto, para vender o made in France já e consquistar opinião dos franceses.
Claro que quem está fora do baralho europeu fica confuso 😕😕

Hcosta
Hcosta
Reply to  António Rodrigues
1 mês atrás

Obviamente que Macron pretende ser o líder da Europa depois da saída de Merkel e o seu sucessor parecer que não estará à sua altura e do Brexit. É uma tendência nos líderes Franceses de se acharem que são os líderes da Europa por direito natural. O rearmar a Europa não sei como isso resultaria e continuaríamos dependente dos caprichos dos políticos dos países. E ainda temos alguns países, para além da França, que não contribuíram de forma significativa. Nem que seja com material obsoleto que poderia ter alguma utilidade na Ucrânia. Mas não tenho nenhuma solução para este problema… Read more »

Iran
Iran
Reply to  Hcosta
24 dias atrás

Macron se acha o líder natural da UE porque a França é de longe o país mais relevante da UE.

Jose
Jose
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Caro Hcosta também pensava assim, contudo, depois de ver uma matéria de uma repórter francesa afirmando que ele “casou com ele achando que era ela” passei a acreditar que ele tem boas intenções, o problema é que ele é muito inocente aí acabam enganando ele, esse caso da professora que era professor e que o “enganou” conseguindo até casar com ele é o melhor exemplo da inocência dele.

Marcus Pedrinha Pádua
Marcus Pedrinha Pádua
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

É que o Macron, com todos os defeitos dele, é Presidente da França e sabe muito bem dos interesses que seu país tem e dos riscos que corre. Ele sabe muito bem que nenhum país da Europa tem o menor risco de ser atacado pela Rússia. A Rússia quer – e terá – sua zona de segurança, que inclui partes da antiga Ucrânia. Macron sabe que são os EUA que lucrarão com essa guerra e, ao contrário de outros dirigentes europeus, não vai gastar nenhum tostão (além do mínimo necessário pra efeitos de propaganda política) do suado dinheirinho francês pra… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

(…) defendeu na quinta-feira uma União Europeia mais forte e mais independente, argumentando que a Europa precisa de uma política de defesa mais credível para enfrentar a Rússia e não ser um “vassalo” estratégico dos Estados Unidos.´´ Como já disseram, quando os EUA bancavam mais de 80% dos gastos da OTAN, nenhum europeu achava ruim, né? A Europa precisa aproveitar isto, disse ele, criando uma união que seja mais integrada, mais bem defendida e mais competitiva – e nunca demasiado dependente dos Estados Unidos.´´ Visão integrada´´ num bloco com 32 países, aonde a única coisa em comum entre eles é… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Em dois comentários passou de 70 para 80%…
Que números são esses?
Se for a contribuição de cada país para a OTAN, então estão errados.
Se for o orçamento total de cada país, então está a comparar despesas dos EUA que na sua maior parte não são destinados à OTAN ou exclusivos para a defesa do espaço europeu.

E já temos uma união na Europa, com o nome de União Europeia, para não haver dúvidas…

Mig25
Mig25
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Macron está correto. Os EUA, principalmente a corrente republicana do Make America Great Again, do pato Donald Trump, vivem ameaçando abandonar a OTAN. Se antes para os Europeus estava confortável se garantindo com as costas largas americanas, agora não está mais, e eles devem repensar esse “relacionamento”, assim como os americanos estão fazendo. Você ou alguém aqui tem dúvidas que, se a Europa, principalmente França, Alemanha e alguns outros, resolverem reinvestir pesado em indústria de defesa, eles terão sucesso? Lembrando que a França é uma potência nuclear, e a Alemanha desenvolveria nukes e mísseis balísticos rapidamente sem a menor dificuldade.… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Mig25
1 mês atrás

Eu não digo que Macron e os europeus estejam errados nesse desejo de serem independentes. Eles não estão.
Mas só acho curioso que eles tiveram décadas pra isso, mas só se mexeram agora´´, quando o Trump começou a dizer o óbvio, que a maior parte da conta da OTAN fica nas costas do contribuinte norte-americano.

Mig25
Mig25
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Tudo bem. Os EUA (Trump), tem o direito de rever a OTAN, e os europeus tb. Se for preciso eles se rearmam de novo, jogam esse TNP no lixo, e mais uns 2 lá viram nucleares.

Marcos
Marcos
1 mês atrás

….se não fosse os EUA, esse palhaço estaria falando alemão………

Comenteiro
Comenteiro
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Se não fosse a França os Estados Unidos seriam 13 Colônias na Commonwealth.

MATHEUS AUGUSTO
MATHEUS AUGUSTO
Reply to  Comenteiro
1 mês atrás

Quem sabe o México independente não tivesse arrastado essas 13 colônias no século 19 kkkk

Jose
Jose
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Realmente Marcos os EUA estragaram os planos dos franceses que era sim o de falar alemão, basta uma rápida pesquisa e vai encontrar muita coisa como a França de Vichy.

Paulo Sollo
Paulo Sollo
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

27 mil mamateiros a menos. Que se estenda para as outras Forças e vá além, eliminando também outras formas de mamatas que milhares de parasitas pensionistas tem usufruído nas nossas costas.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

As perguntas mais importantes são: “por que os militares possuem um sistema de saúde próprio”? Por que os hospitais militares não integram o sistema de saúde pública do SUS?

joao
joao
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Por que são mantidos pelo orçamento da Defesa. Há zero $$ do SUS. Existem para manter a prontidão das Forças. Na COVID, por exemplo, atendiam os militares doentes, enquanto as forças ficaram “full time” em operação. E fazem parte de um sistema de evacuação. O militar desconta pro sistema, e não abate do IR. É obrigatório o desconto em folha. Mesmo que só exista SUS no local. E ocorre muito no interior. Ele, mesmo descontando, pode ser atendido pelo posto da Unidade, ou pelo SUS, ou por órgão de saúde conveniado. Depende da disponibilidade local e custo. Dependendo do caso,… Read more »

joao
joao
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

EDITADO:
2 – Mantenha o respeito: não provoque e não ataque outros comentaristas.

Bernardo
Bernardo
1 mês atrás

Esse povo arruma as brigas e depois não briga sozinho.

Marcos Bishop
Marcos Bishop
1 mês atrás

A Europa – UE possui um PIB equivalente aos EUA.
Possui também uma população de cerca de 600 M .
Possui o domínio de todas as tecnologias que os EUA possuem, sendo capazes do ponto de vista tecnológico e cientifico de não possuírem dependências.
Possuem forças militares que no seu conjunto equivalem as americanas.
O fato de estarem “sob proteção americana” é mais um ardil psicológico e cultural de países que temem ainda uns aos outros do que real necessidade.

Joao
Joao
Reply to  Marcos Bishop
1 mês atrás

Acho q não equivalem a americana.
Porque os números de cada país contam a estrutura de ensino, de comando e administrativa de cada um.
Tem q “enxugar” da conta isso, e verificar os meios de combate.
Acho q não dá.
Os EUA ainda tem uma jogada, a tal da Guarda Nacional, que não contam pra várias coisas, mas fazem parte do Poder Militar terrestre e aéreo.

Marcelo De Luca Penha
Marcelo De Luca Penha
1 mês atrás

Macron é um político e ponto. Seu discurso reflete posições e preocupações políticas. Mas Macron parece entender que, num mundo globalizado e multipolar, a Europa precisa escolher trilhar um caminho próprio, economicamente, socialmente e militarmente falando. A Europa é economicamente desenvolvida, mas seus produtos indústriais e agrícolas são pouco competitivos. A população européia está envelhencendo e a taxa de natalidade é baixa, enquanto há um grande fluxo de imigrantes de diversos países em desenvolvimento para o continente europeu. E, finalmente, a Rússia resolveu mostrar sua face imperialista, ainda que de forma capenga, na Ucrânia, fazendo a parte européia da OTAN… Read more »

Jose
Jose
Reply to  Marcelo De Luca Penha
1 mês atrás

Marcelo o Macron é um demagogo e hipócrita isso sim, assim como boa parte dos líderes europeus, o maior perigo que a Europa tem para enfrentar é justamente a questão demográfica, e o que se tem feito para resolver essa questão, nada, muito pelo contrário os governos tem apoiado pautas identitárias como a de “gênero” que na verdade vão acelerar esse processo demográfico, ele mesmo é casado com uma professora que dizem que é professor basta pesquisar, a Alemanha está conseguindo a proeza de destruir a maior economia da Europa por outra pauta a ambiental, e por conta dessa pauta… Read more »

JULIO dONDICE
JULIO dONDICE
1 mês atrás

Lamentável e infeliz comentário! Ainda bem que estamos há poucos dias das comemorações dos 80 anos da Operação Overlord, o dia “D”, onde os aliados tiveram mais de 10.000 baixas, sendo pelo menos 6.600 Americanas, surreal o comentário desse aí!
Quem sabe ele estude a História na véspera para aprender um pouco e não sair falando tanta besteira e baixar um pouco essa soberba da França em querer ser lider da Europa, a França sempre foi péssima estrategista, desde a Grande Guerra, 2ª Guerra, Camboja, etc, etc só apanha!!! kkk

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Donald Trump falava isso e os Europeus atacavam ele, o próprio Macron disse que a Europa nao precisava dos EUA para sua defesa, parece que o discurso mudou.

BraZil
BraZil
1 mês atrás

Bom dia. Claro que ele continuará sendo vassalo e ninguém dá muita bola para o que o menino Macron diz, talvez até por isso ele saia do script de vez em quando, mas , sua declaração ecoa uma verdade que eu digo direto aqui. Os EEUU são o problema da Europa e não a Rússia. Quem ocupa militarmente a Europa, a explora, trata como quintal e passa a perna aqui e acolá? Plano Marshall foi ótimo, mas os Europeus “pagarão o preço” por ele eternamente..e o Japão já tenta deixar de ser vassalo também, o problema é que se ele… Read more »

fjuliano
fjuliano
1 mês atrás

Interessante como essa constatação absolutamente óbvia da galinha francesa, causa revolta em alguns brasileiros, alguns aqui expressaram todo tipo de descontentamento com a galinha francesa. Interessante os motivos. Alguém apontar que a subserviência brasileira, até pior que essa vassalagem europeia que é evidente, só faz como sempre fez mal ao Brasil por exemplo, causa até mais revolta nesses mesmos sujeitos. É uma luta surreal, além do ridículo, em prol dessa “entidade” (EUA) de onde, no delírio doentio deles, emana a verdade e a justiça. É de vomitar, no mínimo. O Brasil não precisa nem de inimigos externos, já tem um… Read more »

Destro
Destro
1 mês atrás

Tá bravo porque perdeu parte da África.

Machado
Machado
1 mês atrás

Finalmente admitiram publicamente. Mas eu acredito que a Europa deveria se aproximar da Rússia ao invés de vê-la como o inimiga. Quem joga a Europa contra a Rússia é o EUA.

Iran
Iran
Reply to  Machado
24 dias atrás

O Macron mencionou que depois da guerra na Ucrânia, seja vitória russa ou da OTAN, os europeus deveriam trabalhar para normalizar as relações com a Rússia…

Ricardo Santos
Ricardo Santos
29 dias atrás

Estaria falando alemão, hoje em dia, se não fosse os EUA?

valdemar lopes
valdemar lopes
29 dias atrás

este gajo nao existe, WWI, precisou de ajuda, WWII rendeu-se logo, Na asia teve de ter ajuda em varios paises, a frança está um caos devido á emigração descontrolada, por isso macron não és exemplo para ninguem

IBZ
IBZ
27 dias atrás

O que ele quer dizer é: “Comprem dos nossos armamentos e não dos americanos!”