O Presidente russo Vladimir Putin e o líder chinês Xi Jinping elogiaram a “parceria” de seus países nas margens da Organização de Cooperação de Xangai (SCO), um bloco de segurança regional fundado pela dupla como um contraponto ao poderio ocidental.

Falando nas margens da cúpula em Astana, Cazaquistão, na quarta-feira, Putin e Xi elogiaram a crescente adesão do grupo, que inclui países da Ásia Central, bem como Índia, Irã e Belarus, que aguarda para se tornar membro. Eles também continuaram a retratar a relação China-Rússia como uma força estabilizadora em tempos caóticos.

Putin afirmou que a SCO está “fortalecendo seu papel como um dos pilares chave de uma ordem mundial multipolar justa”. No entanto, ele enfatizou que “a cooperação não é direcionada contra ninguém, não estamos criando blocos ou alianças, estamos apenas agindo no interesse de nossos povos”.

Durante comentários televisionados antes de uma reunião bilateral com Xi, o líder russo rapidamente se voltou para a relação entre Moscou e Pequim. Ele disse que a “parceria abrangente e cooperação estratégica” entre os dois países está passando por seu melhor período na história.

Por sua vez, Xi referenciou a “situação internacional turbulenta e o ambiente externo” e disse que Rússia e China “devem continuar a defender a aspiração original de amizade para as gerações futuras”. Ele chamou Putin de “velho amigo” e disse que os países estabeleceram “planos e arranjos para o próximo desenvolvimento das relações bilaterais”.

O encontro entre os líderes – o segundo em dois meses – ocorre enquanto China e Rússia continuam a enfrentar pressão do Ocidente sobre suas políticas regionais. Durante a última reunião em Pequim, os dois líderes prometeram aprofundar os laços, enquanto faziam críticas veladas a organizações e blocos internacionais, incluindo as Nações Unidas, o G20 e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO).

De forma geral, os dois líderes já se encontraram cerca de 40 vezes, incluindo a assinatura de uma parceria estratégica “sem limites” poucos dias antes da invasão russa à Ucrânia em 2022. China tem sido repetidamente criticada pelos EUA e aliados ocidentais por suas ações assertivas na região Ásia-Pacífico e sua política em relação a Taiwan, a ilha autônoma que reivindica como sua. Rússia tem buscado mostrar que não está isolada no cenário internacional em meio à contínua invasão da Ucrânia, apesar de ser alvo de uma torrente de sanções e pressão dos países ocidentais.

Durante a cúpula, Putin também se encontrou com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que estava entre os estados observadores participando da cúpula junto com Arábia Saudita e Egito. A Turquia é membro da NATO com estreitos laços comerciais e financeiros com Moscou e se apresentou como um possível mediador na guerra Rússia-Ucrânia.

A presidência turca disse que Erdogan disse a Putin que a Turquia “pode lançar as bases para um consenso para acabar com a guerra em curso entre Rússia e Ucrânia, primeiro com um cessar-fogo e depois com a paz”. “Uma paz justa que possa satisfazer ambos os lados é possível”, acrescentou.

Mais tarde, o porta-voz de Putin disse que Erdogan não poderia atuar como intermediário no conflito Rússia-Ucrânia. Dmitry Peskov, questionado por um entrevistador da televisão russa se Erdogan poderia assumir tal papel, respondeu: “Não, isso não é possível”, informou a agência de notícias Tass.

FONTE: Al Jazeera

Subscribe
Notify of
guest

15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joanderson
Joanderson
16 dias atrás

Pacto de aço.

bruno
bruno
Reply to  Joanderson
8 dias atrás

Estabilidade para eles, instabilidade para o resto do mundo.

NBS
NBS
16 dias atrás

A parceria entre China e Rússia permanece forte e estável, impulsionada tanto pela interdependência econômica de seus mercados e trocas de matérias-primas e produtos industrializados quanto pelo fortalecimento geopolítico resultante da maior integração entre eles, o que também reforça o BRICS e promove negociações livres de vetos com outros países. A China compreende que, neste momento, se não apoiar a Rússia, o próximo país a ser admoestado será ela.

fjuliano
fjuliano
Reply to  NBS
16 dias atrás

Exato, até pq a ofensiva contra ambos não poderia ter outro resultado senão o fortalecimento da parceria.

LUIZ
LUIZ
Reply to  NBS
16 dias atrás

O projeto Ucrânia do ocidente pra enfraquecer e isolar a Rússia fracassou. A Rússia vem ficando mais forte e nem isolada está. Se o ocidente fracassou em usar a Ucrânia pra destruir a Rússia: o que resta agora pra o ocidente? Os homens ucranianos não querem nem saber da guerra. A Ucrânia é dependente de armas ocidentais e do recrutamento forçado,pois de forma espontânea nenhum ucraniano quer ir pra guerra.

Charle
Charle
16 dias atrás

Seja como for, essa aliança está servindo como um contrapeso à hegemonia EUA – OTAN. Entendo que se as forças ocidentais alcançarem todos os objetivos almejados em todas as frentes e esferas de poder, sejam militares, comerciais, ideológicas, etc. o próximo objetivo será o Brasil. Mais do que já é.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Charle
16 dias atrás

A sorte do Brasil é que os WASP inevitavelmente terão questões internas extremamente agudas e existenciais que impedirão uma ação mais contundente em relação a América latina!

Iran
Iran
Reply to  Alexandre
15 dias atrás

A elite WASP já tem questões internas envolvendo países latinos, o México, no caso.

As disputas internas nos EUA entre a elite WASP e outros grupos já existe também, a maior delas é contra a AIPAC.

Afonso Bebiano
Afonso Bebiano
16 dias atrás

Relação muito estável entre o sugardaddy e sua putina.

Bispo de Guerra
Bispo de Guerra
16 dias atrás

EUA e Europa…fingem que a SCO nada é… oh dó ! Já a realidade…. Países fundadores: China, Rússia, Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão e Uzbequistão – Índia , Paquistão ,Irã , entraram depois(2017).Mais 11 paises estão como observadores e com a intenção de aderir (entre os quais, Arabia Saudita , Egito, Catar, etc). Se todos os países aderirem , serão: 80.6% da população da Eurásia (3.7Bilhões de pessoas) e 92.0% do PIB da Eurásia (U$27.6Trilhões). Já há conversar dos BRICS(mais da metade está na SCO) se fundirem economicamente ao SCO. Sim , China e Rússia futuramente transformarão o SCO em sua OTAN…óbvio.… Read more »

Last edited 16 dias atrás by Bispo de Guerra
Iran
Iran
Reply to  Bispo de Guerra
15 dias atrás

UE tem financiamentos bilionários em gasodutos, oleodutos, etc em países da SCO, sobretudo a França, e os investimentos irão aumentar cada vez mais, só no Azerbaijão, Turquia, Turcomenistão e Armênia serão investidos 100 bilhões de euros no curto e médio prazo. Ou seja, os países europeus, que não são bobos, estão garantindo sua fatia na Eurásia, eles não vão simplesmente ficar sentados. Agora, quem realmente se lasca bastante com isso é os EUA que irá ficar de fora, o máximo que estão conseguindo fazer é garantir um porto em Gaza; talvez eu seja suspeito para falar, visto que sou brasileiro,… Read more »

Iran
Iran
15 dias atrás

Lembro que antes da guerra na Ucrânia muitos analistas americanos diziam que os EUA deveriam se aproximar da Rússia e torna-la um aliado para tentar conter e isolar a China na Eurásia, o auge disso foi lá pra 2018-2019, praticamente o mesmo que o Nixon e Kissinger fizeram com a China e União Soviética.

Lobby entre China e Rússia é uma tragédia para os EUA, e em certo nível também para a UE.

MGNVS
MGNVS
11 dias atrás

Tradução: estão criando uma OTAN mesclada com União Européia na Ásia Central, onde vão ter como membros além de Rússia e China, também Índia e provavelmente até a Turkya e Egito. Para o SCO evoluir para um tratado de defesa militar em comum nos mesmos moldes da OTAN pouco custa. Parabéns aos EUA por sua geopolítica desastrosa em relação à Rússia. Depois do colapso da URSS/CCCP em 1991, havia uma proposta séria de integrar a Rússia, recém saída do comunismo e enfraquecida economicamente, à União Europeia e ate mesmo à OTAN. Bóris Iéltsin chegou ate mesmo a assinar um protocolo,… Read more »

Last edited 11 dias atrás by MGNVS
Bigliazzi
Bigliazzi
11 dias atrás

Os chineses devem achar os Russos uns incompetentes. Como podem ficar mais de três anos para dominar um País com no o a Ucrânia.

MGNVS
MGNVS
10 dias atrás

[off-topic] mas ainda assim fazendo referencia ao assunto da matéria: Em uma reunião em Washington DC, com os representantes de todos os países membros da OTAN, o secretário de estado americano, Antony Blinken, disse: “Na minha opinião, pelo menos, o sucesso é uma Ucrânia forte e independente, cada vez mais integrada nas nossas instituições atlânticas como a União Europeia, como a Otan, e que seja capaz de se manter de pé, militarmente, economicamente, democraticamente” Como se não bastasse isso, a OTAN emitiu um comunicado conjunto criticando o apoio que a China está dando à Rússia na guerra contra a Ukrayna.… Read more »

Last edited 10 dias atrás by MGNVS