Começou a fabricação do primeiro protótipo de blindados de transporte de pessoal, conhecido como VBTP-6X6 MR (Viatura Blindada de Transporte de Pessoal – Média sobre Rodas) e deverá ser entregue ao Exército Brasileiro no fim de 2009, de acordo com fontes da empresa italiana responsável, a IVECO Veículos.
A empresa disse que o protótipo vai passar por uma extensa e cuidadosa análise programada pelo EB, e se aprovado, os primeiros 16 veículos serão entregues durante 2011, segundo o Jane’s Defense Weekly.
O VBTP-MR é uma nova concepção, com base nas características da família IVECO Puma em serviço no Exército Italiano.
Este projeto, inicialmente denominado Urutu III, apresenta um blindado sobre rodas 6 × 6 e 8 × 8, em diferentes configurações.
O atual contrato entre o Exército Brasileiro e a Iveco termina em 2011, mas espera-se que seja seguido por outra produção em série, com entregas de até 50 veículos por ano.

6×6-MB VBTP

A versão básica do blindado de transporte de pessoal terá uma metralhadora 7,62 mm e 12,7 mm na parte externa. Na versão de infantaria, o veículo está equipado com uma torre Elbit estabilizada, com um canhão de 30 milímetros e metralhadora de 7,62 milímetros, controlada remotamente a partir do interior do veículo.
Estas versões estão previstas para serem transportados por avião Hercules C-130 e o maior e mais pesado, no futuro C-390 da Embraer.
O VBTP-MB deverá substituir o Urutu EE-11 e, posteriormente, o EE-9 Cascavel. Sua velocidade máxima é de 100 km/h terá uma autonomia de 600 km.

FONTE: Infodefensa.com / ARTE do alto: Akivrx / COLABOROU: Baschera

Tags: ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

65 Responses to “Começa a produção do primeiro VBTP-MR para o EB” Subscribe

  1. Vassili Zaitsev 2 de abril de 2009 at 11:13 #

    Boa notícia. Espero que o projeto ande bem rápido. Só que eu prefiria que todas as versões fossem 8X8.

    abraços.

  2. Lucius Clay 2 de abril de 2009 at 11:28 #

    Excelente notícia! Espero que tenhamos encomendas firmes a partir de 2010, até substituirmos os velhos urutus e cascavéis.

  3. Pedro Rocha 2 de abril de 2009 at 11:29 #

    Olá senhores! Uma excelente noticia! Espero que o projeto por ser o mais recente, incorpore todas as lições aprendidas nos conflitos assimétricos do Iraque e principalmente no Haiti. Isso mesmo senhores conseguimos reunir uma grande expertise com operação de blindados no Haiti. Uma das lições foi que o posto de metralhadora externa não pode ficar sem proteção! Sou um defensor de torres remotas, estas são mais leves e não expõem o atirador! Também gostaria de blindagens compostas (aço, kevlar, cerâmica, etc.) em alguns pontos críticos! Porém a melhor blindagem será sensores no estado da arte (localizar antes de ser localizado) e comunicações em rede! Com essa noticia fica bem claro que aqueles generais pijamas que criticaram que a Força Terrestre não estava sendo ouvida nas decisões da END, estavam extremamente equivocados ou mal informados! O Exercito foi atendido em tudo que solicitou inclusive o soldado do futuro, porem se o alto comando pensa “pequeno” não é culpa do Ministro da Defesa! Falo assim não defendendo o atual governo, inclusive tenho aversão ao partido do presidente, mas como entusiasta que acompanha o dia-a-dia das nossas forças armadas!
    Em tempo: O projeto é nacional os italianos prestaram consultoria no projeto, inclusive não existe garantia que o motor seja da IVECO. Essa consultoria foi uma licitação publica internacional. Portanto eu acho que o veiculo não seja uma copia do Puma!

  4. RL 2 de abril de 2009 at 11:33 #

    Duas dúvidas.

    Primeira.
    Onde exatamente estes protótipos e as possíveis unidades de contrato estão ou serão fabricas?
    Na IVECO do interior paulista ou nao Italia?

    Segunda.
    Quantas unidades o EB pretende adquirir?

    Sugestão.
    Agora uma pergunta aos amigos do blog.
    Alguem ai teria uma sugestão do que fazer com as unidades de Urutu e Cascavel quando forem substituidas?

    Abraços.

  5. Matheus Borges 2 de abril de 2009 at 11:39 #

    Adeus Engesa =(

    Adeus meu patriotismo… =(

    Olá Industria Brasileira Militar falida… =(

  6. lampião 2 de abril de 2009 at 11:46 #

    RL bom dia a todos amigos do blog, que tal nos vendermos esses blindados pra africa ,ou ate mesmo oferecer pra o paraguai,ou pra outros paises do sub mundo, ta ai minha opiniao abraços a todos

  7. João Curitiba 2 de abril de 2009 at 12:32 #

    Caro RL

    Poderiam ser doadas ou vendidas a preço simbólico para nações amigas como forma de abrir novos mercados. Vide o exemplo da Namíbia.

    Abraços

  8. Robson Bandeira 2 de abril de 2009 at 12:46 #

    Boa notícia, porém para fazer um veículo destes era realmente necessário a participação da Iveco, poís como comentou o Pedro com o expertise adquirido no Haiti e a experiência de ex-funcionários da Engesa esse contrato bem que poderia ficar na terrinha.

    Pedro se não me falhe a memória este projeto é bem anterior ao END, e outra coisa, a reclamação dos generais é mais do que justa, poís são eles que vivem a realidade e o dia a dia da força, sem polêmica é claro.

    Sds

  9. Alexandre J.Augusto 2 de abril de 2009 at 13:05 #

    Se as forças Brasileiras ainda estiverem no Haiti em 2011, podemos mandar alguns para fazer o “test drive” lá.

  10. Mineiro 2 de abril de 2009 at 13:34 #

    João Curitiba,

    Não seria mais interessante, para o Brasil, transferir as urutus e cascaveis, usadas, para as polícias do Rio e/ou outras unidades policiais que precisem de viaturas blindadas?

    Fica aí a pergunta – sugestão – de um leigo.

    Cordialmente.

  11. Almeida 2 de abril de 2009 at 13:45 #

    Re: Mineiro em 02 abr, 2009 às 13:34

    Amigo, a imprensa e opiniao publica ja detonam o uso do “Caveirao” pelo BOPE, imagine um Urutu! Eu, enquanto carioca e cidadao consciente, sei que nossa PM faria otimo uso de tais viaturas, especialmente no controle das guerras entre as facçoes criminosas que invadem, no sentido militar da palavra, morros controlados por facçoes rivais, como vimos semana passada na Ladeira Tabajara em Copacabana. Mas, se um micro onibus transformado em carro forte ja causa tamanho alvoroço em quem nao se importa com a situaçao de guerra civil e descontrole do Estado no Rio de Janeiro, imagine se dessemos Urutus armados com MAGs pra PM? Iria ter “passeata da paz” e tudo contra seu uso! Uma lastima, mas é a verdade da nossa cidade!

  12. lucas lasota 2 de abril de 2009 at 13:53 #

    excelente noticia.

    esperamos que o conograma nao seja atrapalhado pelas frenquentes contensoes de verbas.

    quanto as unidades de cascaveis e urutus a serem desativadas compartilho da opiniao de serem repassadas para paises menores de forma a se estreitar lacos.

    abs.

  13. Tiao 2 de abril de 2009 at 13:54 #

    Concordo com o mineiro poderiamos sim tranferir alguns para unidades policiais que necessitem de viauras blindadas, podemos tambem oferecer alguns a nações que ja utilizem o urutu/cascavel!!!

  14. Jorge Lee 2 de abril de 2009 at 14:00 #

    Caro RL,

    Os protótipos serão fabricados no Brasil na planta da IVECO em Sete Lagoas. MG

    Em relação a quantidade produzida não se sabe, apenas os 16 do lote-piloto já contratados.

    Entretanto, devido às várias versões planejadas e pelo fato de ter de substituir os EE-11 “Urutu” e EE-9 “Cascavel”, podemos prever mais de 600 veículos desse tipo…se forem liberados os recursos necessários, aí que reside todo o problema.

  15. Mineiro 2 de abril de 2009 at 14:42 #

    Almeida em 02 abr, 2009 às 13:45,

    Prezado, entendo a sua frustação, e acredito que o emprego desse tipo de viatura, por forças policiais, daria um prato cheio para a imprensa sensacionalista e para os “grupos protetores dos direitos humanos”. Mais defendo, e acho que o atual governo carioca defende, que hoje deve haver uma política de enfrentamento, doa a quem doer e não acredito que o governo carioca, na atual situação, vai se deixar enfraquecer por críticas maldosas. Eu morei 11 anos no Rio, fui assaltado duas vezes por bandidos fortemente armados, na última quase fui morto pelos meliantes, somente por causa da minha carteira de advogado. Sabe o que me salvou? Uma viatura do Exército que estava passando na hora do assalto. Os saldodos ao verem o movimento do roubo desceram da viatura de FAL em punho. Foi isso que me salvou naquela hora. Agora quem ainda acha que não há guerra civil no Rio, ou é doido, burro, ou alienado para as notícias. Sendo assim acho perfeito o uso desse equipamento pelas policias não só do Rio, mais também em muitos outros locais em que os traficantes assumem o papel Estatal. Prefiro cem marginais mortos do que um policial ou cidadão. Fica aí o desabafo. Desculpem pelo longo texto, e pela obordagem fora do tema.
    Cordialmente.

  16. Pedro Rocha 2 de abril de 2009 at 14:42 #

    Olá senhores! Os nossos Urutu e Cascavel estão chegando ao final de carreira. Hoje no Arsenal de Guerra de São Paulo (AGSP) estão revitalizando somente os veículos mais novos e menos rodados! Certamente com a chegada dos novos veículos os Urutus e Cascáveis serão repassados para outras unidades sem dotações ou insuficiência de veículos! Particularmente gostaria de doar uns seis para a Bolívia (risos). Brincadeiras aparte repassar gratuitamente para nações amigas seria um ótimo cartão de visita da nossa nova indústria de defesa! Bem como seria interessante o repasse para as Policias Militares, porém os russos estão se instalando no Rio Grande do Sul justamente para fabricar esse tipo de veiculo de uso policial! Os veículos menos rodados poderiam ser convertidos em unidades de comando, limpeza químico-bacteriológica-nuclear, varredor de minas ou (quem sabe) unidades de controle remoto para múltiplos fins! Ainda não está decidido quem irar fabricar (a Iveco só está prestando consultoria no projeto), seria interessante uma parceria publica privada entre o ministério da defesa e os vários fabricantes nacionais de caminhões para atender a demanda das Forças Armadas, inclusive com mais de uma linha de montagem no Brasil para garantir empregos em outros estados além de São Paulo! Senhores mesmo sendo um grande fã de tanques (MBT), eu tenho que reconhecer que unidades sobre rodas com blindagem leve e grande mobilidade apresenta uma infinidade de empregos, alem de ser facilmente transportado pelo ar! Portanto, mesmo sendo uma “viúva” do Osório, acho mais importante, nesse momento, o EB investir nessa família de veículos do que em taques!

  17. Marcos T. 2 de abril de 2009 at 14:43 #

    Alguem tem as especificações tecnicas do VBTP, tipo de blindagem, motorização, etc ?
    Se tiver posta ai.

  18. João Curitiba 2 de abril de 2009 at 15:32 #

    Prezado Mineiro

    Não tinha atentado para esta possibilidade. Acredito que muitas unidades ainda possam ser utilizadas por aqui, com pequenas reformas. Só fico com uma dúvida: eles nao são grades demis para atuarem em ruelas e becos? Caso das favelas no RJ. Mas isso não inviabiliza a idéia. Além de que, crime organizado não é só no RJ.

    Também podem ser usados conforme o Pedro Rocha comentou.

    Abraços

  19. Edmar 2 de abril de 2009 at 15:37 #

    Caros amigos.:
    Pergunta de um leigo…

    Ouvi dizer que iriam ser incorporados ao “Exército Brasileiro” mais ou menos 400 Blindados destes…, alguém pode confirmar?

    Será mesmo esse número?

  20. FERNANDO 2 de abril de 2009 at 15:42 #

    vcs tem uma foto deste prototipo, ele é como está no desenho, parece inferior ao URUTU, sei lá o URUTU da ENGESA parece mais bonito, mais robusto.

  21. João Curitiba 2 de abril de 2009 at 15:58 #

    Infomações extraídas do Defesanet:

    Das nove versões estudadas pelo DCT, oito serão na versão 6×6, sendo estas:

    – Viatura Transporte de Pessoal: capaz de transportar o motorista, o atirador que opera a torre de controle remoto, o Comandante do carro e mais dez combatentes em assentos individuais, frente a frente;
    – Viatura Socorro: com facilidades como guindaste e guincho;
    – Viatura Oficina: transportando motorista, atirador, Comandante e mais três mecânicos;
    – Viatura Comunicações: com motorista e mais cinco operadores de comunicações;
    – Viatura Posto de Comando: transportando motorista, atirador, Comandante de Companhia ou de Batalhão e mais três auxiliares;
    – Viatura Diretora de Tiro: transportando motorista, atirador, Comandante e mais três observadores de artilharia/esclarecedores;
    – Viatura Morteiro de 120mm: com uma guarnição de quatro homens operando um morteiro semi-automático de 120mm que dispara através de uma escotilha no teto da viatura; e
    – Viatura Ambulância: capaz de transportar, além do motorista, um médico, um enfermeiro, duas macas e quatro combatentes sentados.

    A nona versão será 8×8, para ter mais facilidade de trafegar por terrenos desconhecidos: é a Viatura de Reconhecimento, que substituirá a viatura Cascavel, sendo esta versão equipada com uma torre CMI Defense CT-CV, armada com um canhão de 105mm de nova geração que utiliza munição de alta pressão, com desempenho similar àquela de 120mm convencional.

    Também do mesmo site:

    25 toneladas, anfíbio, aerotransportável, facilidade de manutenção e disponibilidade de peças de reposição no mercado nacional, com índice de nacionalização superior a 60%.

  22. Mineiro 2 de abril de 2009 at 16:14 #

    João Curitiba em 02 abr, 2009 às 15:32,
    Prezado,
    No Rio de Janeiro existem vários tipos de favela; complexo de préidos: Vila do João, Fumacê, Cidade de Deus dentre outras. Morros Rocinha, Vidigal, Dona Marta dentros outros. Estes veículos poderiam ser usados, dependendo do caso concreto, para levar policiais com segurança, até determinados pontos da favela aonde haveria o desembarque e seriam realizadas operações de infiltração e retiradas desses policiais com mais segurança. Além do mais, acho que esses veículos tem maior capacidade de superar obstáculos e dirigibilidade do que os “caveirões”.
    Não sei ao certo qual é o nível de blindagem desses veículos, salvo engano, li em um site que os Urutus e Cascaveis teriam um blindagem resitente até o calibre 7,62 mm, e por isso teriam de ser substituidos para modelos mais novos com blindagem até 12,5 mm – acho que é assim que se denomina o calibre .50 – como acredito ser a blindagem do veículo mencionados na matérica em espeque.
    No mais a doação, cessão, venda do Exército para a polícia traria um salto tecnológico robusto para essa forças auxiliares.
    Somente uma sugestão de um leigo.
    Cordialmente.

  23. gasp?? 2 de abril de 2009 at 16:23 #

    os “carros” em piores estados deveria servir para teste do nosso missil anti carro em desenvolvimento… podriamos aperfeicoar qq arma que venha a ser testadas nesses tanques antigos, fica ai uma sugestao…

    seria interessante o Brasil adquirir blindados que utilizem rodas e lagartas ?? um veiculo misto ?? teria funcao no Brasil um veiculo com essas caracteristicas ??

  24. gaspar 2 de abril de 2009 at 16:26 #

    errei o meu nick

    os “carros” em piores estados deveria servir para teste do nosso missil anti carro em desenvolvimento… podriamos aperfeicoar qq arma que venha a ser testadas nesses tanques antigos, fica ai uma sugestao…

    seria interessante o Brasil adquirir blindados que utilizem rodas e lagartas ?? um veiculo misto ?? teria funcao no Brasil um veiculo com essas caracteristicas ??

  25. RL 2 de abril de 2009 at 17:16 #

    A principio meu pensamento foi exatamente este, o de transferir as unidades de Urutu e Cascaveis desativadas para paises amigos de tal forma que ainda vendessemos um pacote de “UP GRADE” para os mesmos.
    Por exemplo Bolivia, Uruguai, Paraguai dentre outros que pagassem pela mordernização o que garantiria ainda mais postos de trabalho aqui no brasil.

    Mas gostei da proposta de alguns que optaram por transferir algumas unidades as policias de alguns estados, apesar de que eu sou a favor de que deveriamos adotar veiculos mais ageis para esta função de policia, como o Guará da Avibras.

    Abraços.

  26. Roberto CR 2 de abril de 2009 at 17:30 #

    Carros como o Urutu não resolvem problemas como, por exemplo, combate a criminalidade.
    Polícia inteligente é que faz isso. É aí que está o verdadeiro problema referente a criminalidade no país, porque não há inteligência e nem vontade de criar isto nas polícias estaduais. Na próxima eleição pensem nisso.

    É exemplar o caso que está ocorrendo neste momento no país em que o delegado que chefiou investigações de desvio de dinheiro agora é pintado como culpado. Absurdo. E temos que falar do judiciário também, porque não adianta prender e, de acordo com a interpretação do magistrado, liberar o sentenciado a recorer em liberdade, que é algo que é rotina a anos neste país, mas que só agora começa a ser questionado.

    Acho que o enfrentamento que está ocorrendo no Rio de Janeiro demorou para acontecer, e sou a favor deste enfrentamento. O que não dá pra engolir é culpar, sempre, o governo federal por problemas que são responsabilidade imediata dos governos estaduais e municipais. É pratica recorrente a nossos governadores “elegerem” um bode espiatório à admitir a própria incompetência.

    Abraços

  27. virtualxi.phalanx 2 de abril de 2009 at 18:31 #

    Os Urutu podem ser utilizados por um bom tempo ainda no exército, como por exemplo em missões de paz, a exemplo do que ocorre no Haiti. Ou então podem ser transformados em ambulâncias móveis, ou oque seria interessante, doados para polícias que necessitam de um blindado para adentrar em regiões onde a inteligência humana já não se faz presente.
    Espero que não sejam abandonados ou sirvam de alvo. Se forem leiloados, até eu vou querer um. Afinal off road com urutu deve ser muito interessante.

    Ao novo blindado, a única coisa que deve ficar clara é que não é e nunca foi um blindado nacional. Afinal IVECO não é uma empresa nacional e sim multi, e sempre defendi que teria sido mais interessante a compra de Piranha III C no lugar desses que aí estão. Pouparia tempo e preservaria a inteligência, haja visto que blindado estrangeiro por estrangeiro ainda fico com a escolha dos fuzileiros.

  28. Raul 2 de abril de 2009 at 19:09 #

    virtualxi.phalanx

    O veículo é nacional sim e sua propriedade intelectual pertence ao Exército Brasileiro, haja vista que foi também desenvolvido por ele (através do Centro Tecnológico do Exército, o CTEx), ou seja, não é um projeto estrangeiro, apenas a empresa que o fabrica. Os engenheiros que trabalharam no projeto são brasileiros, que ganharam experiência ao projetar uma viatura blindada do início ao fim, estando aptos aos novos desafios, como os blindados sobre lagartas.
    As blindagens, armamento (torretas remotamente controladas 7,62 e 30mm) e subsistemas como a visão noturna foi todo desenvolvido pelo CTEx e fabricado por indústrias nacionais (Ares, Opto, Optovac), bem como os rádios, que são fabricados pela IMBEL.

    Quanto à aquisição de blindado Piranha, como no caso dos fuzileiros navais, não agregaria em nada ao Exército e à indústria, sendo mais um passo para trás do Brasil, uma vez que não geraria um único emprego, tampouco geraria tecnologia, que é o que está acontecendo no caso da VBTP-MR.

    Reforço aqui que a VBTP-MR é um veículo NACIONAL, projetado por engenheiros brasileiros e de instituições brasileiras, com armas e subsistemas eletrônicos feitos no Brasil, mas por uma empresa italiana. Mas que importa? Toda a documentação e propriedade intelectual do projeto pertencem ao Exército Brasileiro, logo, não faz a menor diferença quem fabrica.
    Se a IVECO vai fabricá-lo, é porque venceu uma licitação após apresentar proposta superior às outras. Por mérito.

    abraços/

  29. J Roberto 2 de abril de 2009 at 19:27 #

    Acho que se o Jacubão desenhasse o projeto do Urutu III,ficaria melhor que esse heim?? rsrs!
    Bem que poderia ser do estilo do Pátria ou do Piranha III.E os 8X8??

  30. henrique 2 de abril de 2009 at 21:35 #

    Esses blindados devem equipar as principais unidades do EB primeiramente. Seria interessante que os Urutus fossem repassados as unidades que hoje usam apenas caminhões como meio de transporte.Um Urutu usado é bem melhor que um caminhão novinho sem blindagem alguma……rsss

  31. henrique 2 de abril de 2009 at 21:35 #

    Ha, sim, seria interessante que todos os Urutus fossem revitalizados e repassados as unidades que hj usam apenas camionhões…

  32. Francisco AMX 2 de abril de 2009 at 22:22 #

    Que desenho mais feio! tenho certeza que o “real” será mais imponente…

  33. Felipe Cps 2 de abril de 2009 at 23:12 #

    Boa notícia pessoal, se vier de primeira linha mesmo será um powta reforço pro EB. Mas (não sei se eu que sou chato demais) achei o perfil dele muito alto… será que vai ficar assim mesmo? Se sim, não sei não, mas vai ser um prato cheio pra alvo…

    No mais, se vier mesmo um negócio de primeira linha, no estado da arte em termos de blindado, pode colocar todos os cascavéis, urutus, jararacas, corais e aquela bomba ambulante de M-113 e doar tudo pro Paraguai, Namíbia, Uruguai, Bolívia, Moçambique…

  34. Direto do Centro da Terra 3 de abril de 2009 at 7:39 #

    A mensagem mais importante parece estar passando sem que percebam:

    Estamos retomando algo que não faziamos há muito tempo.

    Se ele é feio, alto, 6×6 e não 8×8 etc e tal, é o que menos importa, afinal, alguém aqui será o usuário final do produto????

    Que eu saiba não. Portanto, se o blindado atender as especs do EB, que ele seja construído e uma vez aprovado, quem sabe até exportado.

    Parem com esse negócio de feio ou bonito, pois na guerra nada é bonito e o que vale é a eficácia.

    Meus 2 cents!

  35. luper 3 de abril de 2009 at 9:56 #

    mineiro.

    ,50=12,7mm = ½ polegada

  36. Adler Medrado 3 de abril de 2009 at 10:14 #

    Pessoal, no post diz que ele substituirá no futuro os EE-9 Cascavel. É possível colocar aquele canhão nesse veículo?

    []s

  37. Mário Meirelles 3 de abril de 2009 at 11:20 #

    Sou da opinião que o Brasil deve vender suas armas na América do Sul e na Africa, que são nossos grandes compradores atuais. Paraguai, Bolívia, Equador, Suriname etc.
    Se nós não vendermos armas para nossos vizinhos alguém de fora (EUA, Rússia, França etc.) vem aqui e vende !!!!
    Portanto, se é para alguém vender armas na A.S. esses somos nós, afinal, não temos inimigos estratégicos no continente.

    Saudações.

  38. João Curitiba 3 de abril de 2009 at 11:25 #

    Caro Adler Medrado

    Segundo o Defesanet, que postei acima, o Cascavel será substituído pela versão 8 X 8 com canhão de 105 mm. O canhão do Cascavel é 90 mm.

    Quanto à versão ambulância, 6 X 6, comporta duas macas contra quatro macas do Urutu. Nada a ver com sua pergunta, mas é um parâmetro para comparar os dois veículos.

    Abraços

  39. Don D 3 de abril de 2009 at 12:42 #

    Olá pessoal,
    Esse é o desenho definitivo? Achei muito ultrapassado, perfil alto, muito planos em angulos desfavoráveis, não vai ter suspensão bumerangue? Alguém sabe dizer?

  40. Zero Uno 3 de abril de 2009 at 12:49 #

    Raul:

    Está repleto de razão meu caro. Sempre penso no desenvolvimento tecnológico, na geração de empregos e na capacitação de mão de obra qualificada. Tudo o que puder ser projetado/fabricado no Brasil, deve assim ser feito. As pessoas acham que só devemos comprar de forA e não desenvolver o que puder ser desenvolvido aqui. Eu já concordo em gênero, número e grau com você.

    Abraços.

  41. Zero Uno 3 de abril de 2009 at 12:51 #

    Quanto aos Urutus e Cascavel, na minha opnião alguns deles devem permanecer em unidades do EB para treinamento de novos tripulantes e recrutas. É feito assim com o M41 e poderá ser feito com esses CCSR também.

    Abraços.

  42. Flamenguista 3 de abril de 2009 at 12:56 #

    Esses novos 8×8, se vierem mesmo, deverão ser parecidos com o Centauro italiano, creio eu.

  43. Mauricio R. 3 de abril de 2009 at 14:56 #

    Horrível, horroroso, etc…

  44. Mauricio R. 3 de abril de 2009 at 15:01 #

    “Com essa noticia fica bem claro que aqueles generais pijamas que criticaram que a Força Terrestre não estava sendo ouvida nas decisões da END, estavam extremamente equivocados ou mal informados! O Exercito foi atendido em…”

    O contrato já até estava até assinado, qndo esse troço chamado END foi publicado.
    O EB se mexeu mto antes do inutíl do MD sequer saber que fazia besteiras!!!

  45. Mauricio R. 3 de abril de 2009 at 15:08 #

    “Primeira.
    Onde exatamente estes protótipos e as possíveis unidades de contrato estão ou serão fabricas?
    Na IVECO do interior paulista ou nao Italia?”

    Serve Lagoa Santa, MG, Brasil???

  46. Zero Uno 3 de abril de 2009 at 16:21 #

    Más finalmente não é mesmo? Vamos ter novos CCSR para o EB. Num futuro, se Deus quiser, teremos blindados sob lagartas com projeto nacional e fabricados aqui mesmo… Sei que demora más um dia teremos…

  47. Marcelo Brandão 4 de abril de 2009 at 10:35 #

    Pensem no seguinte… teremos nosso VTBP-MR aproximadamente 600 unidades novas , podemos repassar após revitalização uns 100 a 130 Urutu e Cascável para outras unidades, principalmente de fronteira… Os Leopard 1A5 revitalizados no total de 220 unidades de combate e 19 unidades de oficina, escola, engenharia, etc, vão ser uma respeitável primeira linha de batalha na AL, e os Leopard A1, serão remanejados a outras unidades que estavam operando veiculos mais leves e vão ter uma padronização de cadeia logistica e de manutenção… Os M-60-A3 poderão ser concentrados em unidades de fronteira que não estavam operando nenhum CC e facilitar a sua logistica de manutenção… Parece que o EB esta dando um grande passo na AL…

  48. joao terba 4 de abril de 2009 at 11:49 #

    Esses blindados serão deslogado para fronteira norte é isso? um abraço.

  49. Marines1 4 de abril de 2009 at 13:31 #

    Sera que vao ser equipados com visao noturna? sera q serao veiculos qualquer tempo?

  50. Claudio 4 de abril de 2009 at 13:51 #

    Tenho várias perguntas sobre o projeto, por exemplo, como será a blindagem dele, ele agüenta o que? Um tiro de .50 frontal e tiros de fuzis 7,62X51 mm nas laterais e na parte de cima.
    Bem, se for isso ele vai atender ao padrão mínimo para esse tipo de blindado, imagino que poderá receber blindagem adicional, o Piranha pode receber proteção adicional que agüenta até tiro de canhão de 40mm.
    Como será a sua proteção contra minas ou artefatos improvisados?
    Ele poderá receber uma proteção tipo Gaiola, para atuar em locais que haja RPG-7, o lança-foguetes mais disseminado no mundo.
    Há previsão para uso de filtros contra guerra QBN (Química, biológica e nuclear)?
    E o motor, ele poderá receber diferentes motorizações, isso é fundamental caso se queira que o projeto tenha a possibilidade de ser vendido para outros países.
    Enfim, o que não falta é perguntas sobre o projeto.
    Na minha opinião perdemos muito tempo (anos), se o acordo da IMBEL para fabricação do Patria AMV tivesse ido para frente a 4 anos atrás, estariamos numa situação muito melhor do que hoje, já teriamos renovado a frota de veículos e teriamos ganho experiência na fabricação de um veículo moderno e em cima disso poderiamos fazer novos projetos.

  51. Mauricio R. 4 de abril de 2009 at 17:05 #

    Em um mercado lotado de opções:

    Patria AMV; Pandur II; Piranha III/IV/V; Stryker; BTR-90; Nexter; Boxer; etc…
    Olha só o que escolhemos!!!

  52. João Curitiba 4 de abril de 2009 at 18:31 #

    Caro Maurício R.
    Você sabe que nós não escolhemos numa prateleira. Ele está sendo desenvolvido do zero. E ainda em fase de protótipo.
    O Tucano, Cascavel e Urutu também começaram assim. E dão/deram um baile na concorrência. Agora o Marruá da Agrale começa a despontar, indo para o CFN e para os exércitos da Argentina e Equador. Por enquanto.
    Nós estamos começando a reaprender a pescar….

    Abraços

  53. Vassili Zaitsev 4 de abril de 2009 at 20:46 #

    A se o Urutu III fosse bem parecido com o Patria (em todos os quesitos). O EB teria um blindado extremamente bom. Mas vmos esperar e ver o que sai das fábricas da FIAT.

    abraços.

  54. Baschera 5 de abril de 2009 at 11:57 #

    Desculpem-me, mais um off-topic do EB…..

    RECEBIMENTO DO PROTÓTIPO DA VLEGA GAÚCHO

    Na manhã de 25 Mar 09, o militar do CTEx Cap QEM MARCIO dos Santos GOMES, gerente do Projeto da Viatura Leve de Emprego Geral Aerotransportável (VLEGA) Gaúcho, e militares do Centro de Importação e Exportação de Material (CIEM/1º DSup), com o apoio logístico da 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada e apoio aduaneiro da Delegacia da Receita Federal, realizaram o recebimento do protótipo entregue pelo Exército Argentino entre as cidades limítrofes de Uruguaiana (Brasil) e Paso de Los Libres (Argentina).
    Este projeto é fruto de acordo de cooperação científico-tecnológica entre o Exército Brasileiro e o Exército Argentino, tendo o protótipo sido produzido contemplando as modificações resultantes dos testes de engenharia até então realizados. O protótipo foi embarcado para a cidade do Rio de Janeiro, onde será submetido ao processo de avaliação conduzido pelo Centro de Avaliações do Exército (CAEx).

    Fonte e Fotos em: http://www.ctex.eb.br/VLEGA_GAUCHO/Vlega_gaucho.htm

    Sds.

  55. Luciano Baqueiro 5 de abril de 2009 at 21:40 #

    ATENÇÃO !

    Pela 1ª vez vejo falarem numa versão 8×8 :

    tecnodefesa.com.br/laad/index.php?option=com_content&view=article&id=58:esclusivo-programa-vbtp-mr-o-exercito-brasileiro-toma-uma-decisao-importante&catid=35:materias&Itemid=29

    “O EB, … definiu a sua viatura blindada de transporte de pessoal média sobre rodas (VBTP-MR 6X6), especificou também uma série de versões derivadas: comunicações, Comando e Controle … e, em versão 8X8, as viaturas de combate de fuzileiros (VBCI) e de reconhecimento.”

    P/ isso é novidade, e p/ vcs ?

  56. Fariseu 14 de maio de 2009 at 18:37 #

    quem aqui quer realmente ver os cascavel fora de serviço??
    Para mim é o melhor “tanque” leve usado pelo EB perfeito para a região centro – oeste e sul do Brasil.

  57. Natyelle 8 de junho de 2009 at 17:32 #

    Bom sou mulher e gostaria de servir como eu faço???

  58. Everaldo Santos 5 de julho de 2009 at 21:54 #

    Parabens ao Exercito Brasileiro, pela nova aquisição de viatura leves sobre rodas.

  59. Van Relsing 24 de agosto de 2009 at 14:24 #

    Ótima notícia, hoje, véspera do dia do soldado, mais uma novidade para nossos combatentes, que em caso de um conflito no futuro, eles possam se dar bem no campo de batalha. O modelo já foi apresentado pela mídia. Houve críticas e aplausos. Espero que o próximo governo, o Ministro da defesa, seja lá quem for (partido), esteja em sintonia com as F.A, como o Sr. Jobim está sendo. Gostaria que o Sr. Mangabeira Unger não tivesse saído do M.D. JOBIM + MANGABEIRA, estavam fazendo grandes avanços para as Forças Armadas.
    Que a nossa industria bélica siga um caminho sem tropeços, e que os politicos detentores da nossa riqueza, ponham a mão na consciência e ajudem no que for a indústria bélica.

  60. carlos 29 de janeiro de 2010 at 14:11 #

    Otimo so espero que não tenha os mesmos fims do sucuri , osorio , tamoyo.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Centauro: o blindado italiano que vai inspirar o VBTP-MR do EB - 6 de abril de 2009

    […] do BLOG: Clique aqui para conhecer o blindado que a Iveco está produzindo para o Exército […]

  2. Coletiva do Ministro da Defesa na LAAD - 14 de abril de 2009

    […] helicópteros EC-725 para as três Forças, submarinos “Scorpène” para a Marinha e o blindado “Urutu-III” (VBTP-MR) para o Exército. O ministro ressaltou que as aquisições são para longo e médio prazos e que, […]

  3. Mais destaque para o Comando do Exército - 14 de abril de 2009

    […] entanto, em relação ao Exército, foi anunciado apenas a parceria com a IVECO para o desenvolvimento de um novo blindado VBTP-6X6 MR, informalmente chamado de “URUTU […]

  4. América Latina se arma com US$ 500 bi em investimentos - 4 de maio de 2009

    […] nacional A retomada de projeto de um veículo blindado nacional deixará de ser exclusividade do pólo aeroespacial paulista, grande produtor entre os anos 70 e 80 […]

  5. BAe System SEP 8×8 Thor - 3 de agosto de 2009

    […] Nota do Blog: Alguma semelhança com o Urutu III? […]

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

CRE reserva verbas para Sisfron, helicópteros e rede de postos no exterior

sisfron

Projetos definidos como prioritários para os Ministérios da Defesa e das Relações Exteriores vão receber R$ 819 milhões, conforme emendas […]

Governo não retaliará general que criticou relatório da CNV

general Sérgio Etchegoyen

O governo não vai tomar nenhuma atitude contra o general de Exército da ativa Sérgio Etchegoyen, chefe do Departamento Geral […]

Dilma destaca força da indústria da defesa em encontro com generais

Dilma discursando

Em almoço anual com oficiais-generais nesta terça-feira no Clube da Aeronáutica, a presidente Dilma Rousseff exaltou o papel das três […]

Poder Naval: lançamento do livro ‘Monitor Parnaíba – 75 anos’, no dia 19 de dezembro, em São Paulo

Livro Monitor Parnaíba - 75 anos -  Capas - WEB

A editora Aeronaval Comunicação, que produz a revista Forças de Defesa, está lançando a primeira edição do livro “Monitor Parnaíba […]

Rússia diz que reagirá caso EUA imponham novas sanções

pb121107russiaparade03p

A Rússia adotará contra-medidas se os Estados Unidos impuserem novas sanções contra Moscou por conta da crise na Ucrânia, disse […]

Brasil deve fechar em 2015 compra de bateria antiaérea russa por R$2,5bi

Pantsir S1 - imagem KBP

Militares brasileiros acompanharam testes em Moscou. Mísseis capazes de atingir alvo a 15 km seriam colocados em RJ, DF e […]