terça-feira, outubro 19, 2021

Saab RBS 70NG

Coreia do Norte entra em período crítico para lançamento de foguete

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Sob vigilância de satélites espiões e de radares de navios de guerra de outros países, a Coreia do Norte entrou no primeiro dia do período em que pretende lançar um foguete que anunciou ser o veículo de um satélite, mas que levantou a preocupação de vizinhos e dos Estados Unidos.
Eles dizem que o governo norte-coreano está usando o programa espacial para encobrir o teste de um míssil balístico de longo alcance –o mesmo foguete é utilizado nos dois casos.

O período anunciado para o lançamento vai deste sábado (o fuso horário da Coreia do Norte está 12 horas à frente do de Brasília) até a próxima quarta-feira (8).
O tempo na região da plataforma de lançamento está nublado, condição não perfeita, mas sem os fortes ventos que poderiam forçar um atraso.
O presidente americano, Barack Obama –que está na França para uma reunião da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte)– fez advertências à Coreia do Norte nesta sexta-feira. Ele disse que o governo de Pyongyang “não pode ameaçar a segurança de outros países impunemente”. Ele afirmou que o lançamento é um ato de provocação que deve ser parado.

O enviado da administração americana para a Coreia do Norte, Stephen Bosworth, advertiu o governo norte-coreano a não lançar o foguete sobre o Japão –a trajetória do foguete prevê que ele sobrevoe o norte da ilha japonesa de Honshu. Bosworth disse que o país enfrentaria consequências caso insista com seus planos.
Ao mesmo tempo, o enviado disse que está preparado para ir a Pyongyang, caso a viagem ajudasse a que fossem retomadas as negociações internacionais para que a Coreia do Norte abandone seu programa nuclear.

Depois que “a poeira dos mísseis baixar”, ele disse, os EUA querem retomar as negociações de seis lados, que, além dos dois países, incluem que também incluem Coreia do Sul, China, Japão e Rússia.
Bosworth apelou à Coreia do Norte para que reconsidere o lançamento, dizendo que qualquer desafio a uma resolução de 2006 do Conselho de Segurança das Nações Unidas que proíbe qualquer atividade balística à Coreia do Norte, levaria a “algumas consequências”.
A Coreia do Norte até agora tem resistido a todos os apelos. No mês passado, o governo advertiu que se a ONU adotar sanções após o lançamento do satélite provocará o fracasso das negociações multilaterais sobre seu desarmamento nuclear.

FONTE:
Folha Online, com Associated Press e Efe

- Advertisement -

3 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Mas comunismo e assim mesmo,adora arranjar confusão.

Agora na boa,também não gosto de comparações de PIBs,mas poxa eles desenvolve foguetes e mísseis e o PIB deles é o 89°(mediocre).Se bem conheço a peça,eles não investem em mais nada a não ser só nisso.

Abraços.

Hornet
Hornet
12 anos atrás

“Se bem conheço a peça, eles não investem em mais nada a não ser só nisso.”

Matou a charada, Ulisses.

abração

Jacubão
12 anos atrás

Quero ver aquele ditador maluco sentar na ogiva do foguete e depois mandar alguém acender o pavio, igual ao que falei no ano passado sobre o Ramás.

Últimas Notícias

Colin Powell, líder militar e primeiro secretário de Estado negro dos EUA, morre após complicações da Covid-19

(CNN) – Colin Powell, o primeiro secretário de estado negro dos EUA cuja liderança em várias administrações republicanas ajudou...
- Advertisement -
- Advertisement -