Home Exércitos Ucrânia testa novo míssil de cruzeiro lançado de terra

Ucrânia testa novo míssil de cruzeiro lançado de terra

4236
43
O míssil ucraniano fotografado no momento do lançamento

Um novo míssil de cruzeiro baseado em terra da Ucrânia passou por um teste bem-sucedido em 30 de janeiro, anunciou o secretário do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, Oleksandr Turchynov.

De acordo com o Turchynov, o míssil exclusivamente ucraniano projetado pela agência de desenvolvimento de defesa Luch, com sede em Kiev, pode realizar ataques precisos em alvos terrestres e marítimos.

“Durante os testes bem-sucedidos, a eficiência do voo do míssil e as operações dos sistemas foram verificadas”, disse Turchynov.

Ele disse que, de acordo com as disposições do Memorando de Budapeste, um acordo assinado em 1994 pela Rússia, Ucrânia, Estados Unidos e Grã-Bretanha, segundo o qual a Ucrânia concorda em renunciar ao seu arsenal nuclear em troca de garantias de segurança, as forças armadas da Ucrânia entregaram seu estoque de mísseis de cruzeiro.

Na sequência da ocupação russa da Criméia e do lançamento de sua guerra na Ucrânia no Donbas, o Conselho de Segurança Nacional e Defesa iniciou um projeto para desenvolver “não só os complexos terrestres de mísseis de cruzeiro, mas também os sistemas marítimos e aéreos”, que seria “um importante valor de dissuasão contra o agressor (russo)”, disse Turchynov. Ele disse que o alcance do míssil e o tipo de cabeça de guerra não violam os compromissos internacionais da Ucrânia sobre esse tipo de arma.

Mais tarde, o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, saudou os resultados dos testes.

“Mais notícias extremamente animadoras hoje”, diz uma publicação na página do Facebook de Poroshenko em relação aos testes de 30 de janeiro.

Nenhuma das declarações oficiais deu um nome ao míssil de cruzeiro.

No entanto, de acordo com o Defense Blog, a arma recentemente testada é identificada como Neptune e é um míssil de cruzeiro subsônico avançado ucraniano baseado no Kh-35, um míssil subsônico soviético projetado na Rússia em 2003.

De acordo com a indústria de defesa UkrOboronProm, os Neptunes são capazes de afundar navios de guerra com deslocamentos de até 5.000 toneladas – o que incluiria todos os navios de desembarque russos e fragatas atualmente em serviço.

FONTE: kyivpost

43 COMMENTS

  1. Meu cirílico tá meio arranhado mas deu pra entender muito bem quando ele disse:
    – Vamos fazer picadinho dos russos, F-35 é melhor do que qualquer caça russo, nossas mulheres são mais bonitas e quem venceu a segunda guerra fomos nós.
    Esses ucranianos…são uns fanfarrões.
    Abraço.

  2. Os ucranianos que desenvolviam boa parte da tecnologia soviética, infelizmente só foram explorados pelos russos e ficaram na miséria, mas agora que se livraram das amarras russa é um país com grande potencial de crescimento.

  3. a Ucrânia é um estado falido e só está na pauta dos EUA, porque no momento é um ótimo objeto pra cutucar os Russos. Más depois de tudo isso passar, será descartada como uma lança quebrada.

  4. Os caras são fodas em mísseis, não é atoa que os motores dos balísticos eram feitos lá, fora o Blackjack e os PAs, são bons engenheiros. Torço por eles..

  5. Ucrânia está falida! É muito difícil saber ser isso é real ou propaganda barata. Até porque eles estão comendo na mão do FMI e não vejo interesse algum dos EUA deixar um país altamente corrupto é instável desenvolver uma arma desse calibre que rapidamente poderiam cair na mão de quem paga mais.

  6. HahahahA… Em 30 anos isso vai estar operacional! A Ucrânia era uma espécie de México. Dinheiro e tecnologia russa e mão de obra era descentralizada em outros países do bloco. Muito do território Ucraniano foi conquistas russas e passados para Ucrânia! O próprio Antonov era russo.

  7. A competência deles é tão bom que nos levaram 1Bi pra não conseguir fazer nem um lançamento! Os contratos de defesa deles com outros países estão sendo cortados por. Deficiência de meterial e não comprir prazos!

  8. Bom dia.
    Toda vez que vejo um míssil, seja ele superfície-superfície ou superfície-ar, dotado de booster sendo lançado fico imaginando a hora que o booster se desprende e cai.
    Será que já ocorreu alguma baixa, fogo amigo, causado por essa parte do míssil que se solta após o lançamento ?

  9. Não é a primeira vez que as grandes sacrificam uma pequena para preservar a própria pele, vide o Tratado de Munique que entregou a então Tchecoslováquia de bandeja ao Reich nazista. Nosso país continua um nanico militar e diplomático por renunciar a essa tecnologia, que é bem dissuasiva.

  10. A Ucrânia não está falida, ela SEMPRE foi falida nas mãos dos russos. Interessante notar como os países que permaneceram sob influencia russa, como bielorussia e ucrania, são os mais pobres por aquelas bandas, enquanto isso a a Estonia, Lituânia e Letónia se desenvolveram bastante e hoje tem pib per capita bem maior do que o próprio Brasil…

  11. Olá Colegas, se a qualidade do foguetinho for igual a da filmagem/roteito eles estão em desgraça hehe, vale lembrar que comeram 1 Bi nosso e nada de foguete aki, em compensação a Coreia do Norte…
    Para uso interno tudo bem, mas para exportar como fica o pós venda de um produto desses com um governo desalinhado como o ucraniano.

  12. Provavelmente esse deve ser um produto da era soviética modernizado e os Ucranianos estão dizendo que é novo, como disse o Arariboia vários países compraram produtos Ucranianos recentemente e se arrependeram, posso citar 4, o Iraque mandou de volta mais de uma centena de btr4 para a Ucrânia, ao inspecionar os veículos ainda no porto, eles viram o estado lamentável dos veículos e se recusaram a receber, tem até um vídeo na net desse momento, a Tailândia cancelou um segundo pedido de oplots devido ao atraso de mais de dois anos na entrega do primeiro lote, agora eles estão testando o tanque chinês, o Paquistão que comprou motores para os seus tanques e esta tendo problemas com os mesmos e mais recentemente um empresa canadense cancelou um acordo com a Ucrânia para fabricar satélites, os Canadenses deram dinheiro para uma empresa Ucraniana fabricar partes de satélites, meses após o prazo estipulado os Ucranianos sequer tinham começado a fabricar tais partes, os Canadenses desistiram e pediram o dinheiro de volta, resultado, o dinheiro sumiu e ninguém na Ucrânia sabe onde o dinheiro foi parar

  13. Agora culpa para o fracasso do programa espacial brasileiro é da Ucrânia.
    Precisa ver quanto dos R$ 1 bi foram realmente gastos com o foguete e quanto os ucranianos receberam, ou vocês esqueceram que estamos falando do Brasil?

  14. Mais um exemplo da “engenharia” ucraniana moderna: pegar propulsor TRDD-50 soviético de Kh-55 , colocar num projeto soviético Uran (Kh-35), acrescentar a cabeça de um míssil AA S-200 (soviético :)) , inventar um booster descentralizado(!) com forte efeito de estol (visto no vídeo claramente) e enfiar tudo isso num “tubo lançador” de sistema S-300 só porque os mauditos soviéticos compraram (na Áustria) uma estação de curvar as laminas de alumínio SOMENTE daquele diâmetro. A produção já foi embora mas a estação ficou por lá.
    E depois chamar tudo isso de “arma de nova geração 100% ucraniana”.Sei..
    Um grande abraço!

  15. SmokingSnake 🐍 2 de Fevereiro de 2018 at 9:19
    ___

    Sério? você já esteve nesses países? ) Depois de chegar à UE, toda a indústria que foi construída sob a URSS foi destruída, agora esses países vivem e subsidiam funcionários de Bruxelas!

    Quanto aos ucranianos e todo o equipamento desenvolvido na era soviética)

    – Primeiro compre um mapa e estude a história do Império Russo e da União Soviética
    – todas as plantas estavam localizadas no leste da Ucrânia e no sul são as terras russas fundadas mesmo sob Catherine 2

    sobre o suposto novo míssil de Neptuno

    – O motor ucraniano de Neptuno é o bom antigo TRDD-50 soviético, usado nos homólogos soviéticos Tomagavka, X-55.

    – Também o segredo estatal mais importante da Ucrânia é o fabricante do contêiner de lançamento de transporte (TPK) para o novo míssil. Na verdade, esse é também um segredo de uma multinacional. Há muito tempo para a fábrica de máquinas Zhulyansky, “Vizar”, na Áustria, comprou uma enorme meia loja, um moinho de curvatura para folha de alumínio

    – A Ucrânia não possui seus próprios sistemas de controle de vôo inercial. E sem eles, o míssil no quadrado dado, onde a cabeça de marcha deve ser ligada, não pode ser retirada. Não que esta fosse uma tarefa insolúvel, mas o problema ainda estava lá. Quão efetivamente foi resolvido, não está claro

    – A Ucrânia teve que fazer o primeiro estágio de overclock. Ela saiu não muito bonita e não é normal. O fato é que há algum desalinhamento do estágio inicial e de marcha do foguete, que no início causa o efeito do kabeirovaniya. Eu acho que você percebeu isso no vídeo: vimos como o foguete mordeu um nariz e seguiu a trajetória. Isso é causado por esse desalinhamento. Para remover o problema, os designers ucranianos tiveram que baixar o bico do motor do primeiro estágio (em 2 graus), e agora eles estão lutando para remover completamente esse efeito.

    – Há outro problema, não se decide qual pode ser reduzido a nada toda a “ajuda”. De acordo com os TK, o novo produto, para não ceder ao análogo russo, adotado para serviço há 20 anos, pode ser capaz de voar a uma altura de 5 metros acima do nível do mar. Mas dispositivos (radioaltimetros), que forneceriam a precisão necessária do vôo, não foram feitos na Ucrânia. Para ser honesto, desde que eu não tenha informações, o problema está resolvido ou não. E se for resolvido, então, como. Os testes realizados até agora também não podem dar uma resposta a esta pergunta. Então estamos aguardando a continuação.

    Outro problema é a cabeça de homing. As cabeças puramente anti-navio que a Ucrânia nunca fez, e assim foi decidido usar para esta cabeça “melhorada” do ZUR (míssil antiaéreo). Eu não sei o que a mídia ucraniana quis dizer, dizendo que o novo míssil usa partes do míssil S-200, mas é possível que seja sobre ela.

    Então, como você pode ver, os problemas do novo míssil também existem, são suficientes
    Переводчик Google для бизнеса –Инструменты переводчикаПереводчик сайтов

    ___

    Seriously? have you ever been to these countries? ) After coming to the EU, all the industry that was built under the USSR was destroyed, now these countries live and subsidize officials from Brussel!

    Regarding the Ukrainians and all the developed equipment in the Soviet era)

    – First buy a map, and study the history of the Russian Empire and the Soviet Union
    – all the factories were located in the East of Ukraine and in the South it is the Russian lands founded even under Catherine 2

    about the allegedly new Neptune missile

    – the Ukrainian engine of Neptune is the good old Soviet TRDD-50, used in the Soviet counterparts Tomagavka, X-55.

    – Also the most important state secret of Ukraine is the manufacturer of the transport-launch container (TPK) for the new missile. In fact, this is also a secret of a multinational. A long time ago for Zhulyansky machine-building plant “Vizar” in Austria was bought a huge, half-shop, a bending mill for aluminum sheet

    – Ukraine does not have its own inertial flight control systems. And without them, the missile in the given square, where the homing head should be turned on, can not be withdrawn. Not that this was an insoluble task, but the problem was still there. How effectively it was solved, it is not clear

    – Ukraine had to make the first overclock stage. She came out not very beautiful and not quite normal. The fact is, there is some misalignment of the starting and marching stage of the rocket, which at the start causes the effect of the kabeirovaniya. I think you noticed this on the video: We saw how the rocket bit a little nose, and then went along the trajectory. This is just caused by this misalignment. To remove the problem, Ukrainian designers had to lower the nozzle of the first stage engine (by 2 degrees), and now they are fighting to remove this effect completely.

    – There is another problem, not deciding which can be reduced to nothing all the “help.” According to the TK, the new product, in order not to yield to the Russian analogue, adopted for service 20 years ago, should be able to fly at a height of 5 meters above sea level. But devices (radio altimeters), which would provide the required accuracy of flight, were not made in Ukraine. To be honest, as long as I do not have information, the problem is solved or not. And if it is solved, then how. The tests conducted so far also can not give an answer to this question. So we are waiting for the continuation.

    Another problem is the homing head. Purely anti-ship heads Ukraine has never done, and so it was decided to use for this “improved” head from ZUR (anti-aircraft missile). I do not know what the Ukrainian media meant, saying that the new missile uses parts from the S-200 missile, but it is possible that it is about her.

    So, as you can see, the problems of the new missile also exist, they are enough

  16. Eu não vejo nenhum problema no míssil ucraniano usar motor soviético, aliás acho muito inteligente. Não faz sentido despender dinheiro e tempo de pesquisa para desenvolver algo que já existe e que eles dominam. É reinventar a roda.
    O nosso Super Tucano usa motores Pratt e Whitney (e muitas outras coisas mais) justamente porque não vale a pena gastar tempo e dinheiro para desenvolver algo que já existe. Aliás, se os Super Tucanos vendem relativamente bem, apesar de alguns problemas com os americanos como com o caso da Nigéria, é justamente porque o seu preço não precisa incluir a amortização do investimento na reinvenção da roda.
    Aliás, os próprios soviéticos pensavam assim. Na década de 80, quando eles não detinham tecnologia de usinagem que permitisse a fabricação de hélices de submarinos que não gerassem cavitação – em vez de reinventar a roda – eles compraram o maquinário e software dos “inimigos” da Otan – Noruega e Japão (Toshiba e Kongsberg Vaapenfabrikk).

  17. Srs
    Independente da honestidade ou não dos ucranianos, o acordo Brasil Ucrânia para a exploração de lançamentos comerciais de satélites em Alcântara implicava na construção da base de lançamento pelo Brasil e no desenvolvimento e fabricação da foguete pela Ucrânia.
    Para tanto, foi constituída uma empresa cujo controle ficou na mão do PSB (nosso famoso e eficaz presidencialismo de coalizão) que administrou lindamente a construção da base de tal forma que depois de alguns anos, o dinheiro se foi e a base não saiu (a desculpa foram os quilombolas, mas o dinheiro sumiu).
    Como, por outro lado a Ucrânia estava em crise (revolta popular contra o governo pró Rússia) e pouco se sabia sobre o andar do dito Cyclone, o nosso governo aproveitou a deixa e, espertamente, pulou fora do acordo.
    Antes de se inculpar os ucranianos, é melhor olhar bem a turma do PSB que administrou tão brilhantemente a parte brasileira do acordo.
    Sds

  18. Parece teste de armas da Coréia do norte:
    Imagem ruim, monte gente em volta pra ver , míssil feio , lançamento feio, parece um foguete de artilharia .

  19. A China copia tudo de todo mundo e a “thurma” acha o máximo e ai de quem falar mal. Já a Ucrânia copia um míssil russo e a mesma “thurma” cai de pau.
    Aiai!!

    • Eu gostaria de ver uma guerra EUA e Aliados X Rússia+China e aliados, só para ver quem tem razão nesta história. Assim todas as armas e sistemas seriam posto à prova e veríamos o que blefe e propaganda do que realmente funciona e cumpre seu propósito. De quebra ainda terminaria as disputas de lovers e fanboys por aqui.

  20. Control 2 de Fevereiro de 2018 at 20:38
    Como, por outro lado a Ucrânia estava em crise (revolta popular contra o governo pró Rússia) e pouco se sabia sobre o andar do dito Cyclone
    ___

    The popular uprising? Did you invent this yourself? )
    __

    A revolta popular? Você inventou isso sozinho? )

  21. Bosco
    Nunca vi uma copia melhor que o original .
    E tem gente que acredita nesses saltos tecnológicos chineses. Tipo o Su-57 que vai demorar 15 anos para estar totalmente pronto e o J-20 que foi posto em operação na metade do tempo

  22. Léo Neves 3 de Fevereiro de 2018 at 0:41
    Acredito que a China deve ultrapassar a Rússia em tecnologia na próxima década. Sabe porque? No ano passado 7 milhões de chineses terminaram o curso superior, o que significa que eles devem ter uns 25 milhões de aluno cursando universidade. Para comparam os russos têm uns 4,5 milhões de alunos cursando universidade – o Brasil.., bom, deixa para lá. Ou seja, há cinco chineses estudando para cada russo. Em dez anos a China produzirá 40 ou 50 milhões de pessoas com formação superior a mais do que a Rússia…

  23. Srs
    Não, Jovem Rustam, não sou tão criativo. Foi a mídia ocidental malvada e anti russa.
    E, por obséquio, quando quiser questionar meus comentários faça com fatos e dados fundamentados e não opiniões tolas e ofensas.
    Sds

  24. Jacinto Fernandes
    A qualidade de um engenheiro formado na Rússia é bem superior que dos formados na China, e a Rússia é ou era ate pouco tempo o pais que mais forma engenheiros no mundo.

  25. Leo Neves,
    Isso não é verdade. A China tem excelentes universidades e investe muito mais em pesquisa e educação do que os russos.
    Um meio muito importante de se aferir a qualidade de engenharia de um pais é o número de pedidos de patentes por inovação tecnológica. Em 2012, os chineses pediram o registro de mais de 500 mil patentes; os russos não chegaram a 30 mil.
    PS – quando escrevo este tipo de coisa, as pessoas acham que sou russófobo ou americanófilo. Não sou nem um nem outro: a China também vai superar os EUA.

  26. A China investe muito mais em educação, sim , investe , justamente pela população ser muito maior necessita de investimentos maiores .
    Outro ponto é que a Rússia herdou da URSS uma estrutura educacional e uma tradição , de uma educação que já era boa , na URSS se formavam engenheiros incríveis.
    A China só a partir do seculo XXI começou a ter uma educação razoável.
    E isso de pedidos de registro de patentes o próprio nome já diz , são pedidos que serão analisados etc. E esses números são justamente pela maior população , consequentemente terá mais gente para pensar e trabalhar e será mais barato.
    Eu prefiro muito mais um grupo de 10 engenheiros muito bons para criar algo do que um grupo de 100 formados em uma universidade não muito boa com uma qualidade de formação não das melhores.

  27. Leo,
    Universidade é base acadêmica, se ele gera ou não bons profissionais, depende mais do aluno que da Universidade. Obviamente as melhores universidades atraem os melhores alunos, e gira um ciclo virtuoso, não ache que os 10 engenheiros muto bons saíram somente das melhores universidades.
    Quanto a China, não tenho a muita simpatia por eles mas nem por isto, vejo só defeitos. Eles fizeram uma opção, vender mais e mais barato pois em um determinado momento era o que eles podiam fazer de melhor e sim, os fatos mostram que eles venceram.
    Infelizmente nós no Brasil, não encontramos o que podemos fazer de melhor e por isto, estamos perdendo o bonde para países menores.
    Não vejo algo vergonhoso ser o maior produtor do mundo de copias, o Japão também trilhou por este caminho e hoje, o produto japonês é considerado referencia em qualidade, na minha opinião, os chineses estão mais perto dos japoneses do que nós Brazuca. Não é inteligente ver os chineneses com desdem.
    Abraços

  28. A Ucrânia cedeu o arsenal nuclear e virou a casa da mãe Joana, a terra de ninguém onde a Rússia entra e faz a festa com seus homenzinhos verdes. Exemplo para o Brasil?

    Mas pelo menos está tentando algo com um novo míssil de cruzeiro. Quiçá portem uma ogiva nuclear duns 2 ktons para pulverizar um navio ou calcinar um batalhão inteiro. O impacto psicológico desmoralizador funciona…pouca gente desejará arriscar.

  29. O Brasil comprou o foguete ucraniano para passar a fabricar aqui na indústria local, a parceria foi só uma desculpa para obter foguete, na minha humilde opinião a parceria deu certo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here