domingo, março 7, 2021

Saab RBS 70NG

Japão diz que Coreia do Norte avança na tecnologia de foguetes

Destaques

FOTOS: Light Armed Helicopter (LAH) da Coreia do Sul

O helicóptero armado leve (LAH) é baseado no Airbus H155B1 (EC155), que é uma versão modernizada do antigo AS365...

China busca uma força nuclear com maior capacidade de sobrevivência

Segundo a Associated Press, a China parece estar se movendo mais rapidamente em direção à capacidade de lançar seus...

Gastos da China em pesquisa e desenvolvimento atingem um recorde de US$ 378 bilhões

O Escritório Nacional de Estatísticas da China disse que os gastos com P&D, que visam desenvolver novos serviços...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O “espetacular” lançamento do foguete norte-coreano do último fim de semana mostra que o país obteve avanços na sua tecnologia de mísseis, disse nesta quarta-feira o Japão, que voltou a defender uma reação dura do Conselho de Segurança da ONU contra a atividade norte-coreana.
A Coreia do Norte diz que o lançamento do domingo serviu para colocar um satélite em órbita, e que isso é parte legítima de um programa espacial pacífico. Críticos dizem, no entanto, que o lançamento é um teste disfarçado do míssil de longo alcance Taepodong-2, e que isso viola uma resolução da ONU adotada em 2006, após testes com armas nucleares e mísseis, que proíbe esse tipo de atividade por parte da Coreia do Norte.
EUA e Coreia do Sul contestam que o Norte tenha realmente colocado um satélite em órbita.

Referindo-se a imagens do lançamento divulgadas na terça-feira pela TV estatal norte-coreana, o chefe de gabinete do governo japonês, Takeo Kawamura, disse que não ficou claro se o foguete realmente levava um satélite. Ele passou sobre o Japão durante seu trajeto de 3.200 quilômetros, que acabou no oceano Pacífico.
“Ele foi lançado de forma espetacular”, disse Kawamura a jornalistas. “Podemos dizer que o lançamento ocorreu de um modo mais avançado do que os anteriores.”

No último teste anterior do Taepodong-2, em julho de 2006, o foguete se esfacelou com 40 segundos de voo. Ele foi projetado para voar cerca de 6.700 quilômetros, o suficiente para atingir o Alasca.
Kawamura reiterou a posição japonesa em prol de novas medidas do Conselho de Segurança contra a Coreia do Norte.

Diplomatas dizem que China e Rússia provavelmente aceitariam um alerta do Conselho para que Pyongyang cumpra as resoluções em vigor e volte às negociações pluripartites para o fim do seu programa de armas nucleares, em troca de benefícios políticos e econômicos.
Mas Moscou e Pequim, com poder de veto no Conselho, provavelmente barrariam novas punições ao regime norte-coreano. Tóquio e Washington gostariam de ampliar as sanções financeiras atuais.

“Houve conversas informais entre membros permanentes do Conselho de Segurança e o Japão, mas ouvimos que a posição da China é firme”, disse Kawamura. “Nosso governo continua a trabalhar com os Estados Unidos para negociar, com vistas a uma nova resolução.”
Analistas dizem que o lançamento demonstrou que a Coreia do Norte aumentou o alcance dos seus mísseis, mas que o país ainda está a anos de construir um foguete que possa ameaçar os Estados Unidos.
“A Coreia do Norte fez avanços tecnológicos, a despeito do sucesso ou fracasso do lançamento”, disse Rim Chun-taek, professor de Engenharia Aeroespacial do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia, de Seul.

FONTE: Estadão/Reuters

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Dalton
Dalton
11 anos atrás

Concordo Patriota, sançoes nao resolvem. Saddam Hussein nao deu a minima para elas, continuou afrontando a ONU depois que foi expulso do Kuwait, mas enquanto a populaçao do Iraque passava necessidades ele vivia nabababescamente em seus palacios. O Irã, continua firme com seu programa nuclear. E o Presidente vai a publico dizer que Israel precisa ser aniquilada do mapa!!! O maluco norte coreano é outro que vive cercado de luxos ocidentais, e a populaçao que se vire se bem que eles estao acostumados com pouco mesmo. Perto destes tres, George W Bush é uma Madre Tereza de Calcutá, Mas nao… Read more »

Mirage
Mirage
11 anos atrás

… e também armas quimicas. “Teremos que atacar.”

E a industria da guerra prospera.

Eh lê lê!!

Excel
Excel
11 anos atrás

Por causa do lançamento deste “satélite” a Coréia do Sul está pensando em reconsiderar o seu comprometimento com os EUA de não desenvolver mísseis balísticos com alcance superior a 300 KM e ogiva com peso superior a 500 Kg. O país já possui mísseis guiados com alcance de 1.000 km e desenvolve agora os de 1.500 km. Obviamente o Japão está também pensando em desenvolver contra-medidas semelhantes para se proteger dos norte coreanos.
A corrida armamentista por lá está se intensificando. Tem gente que fala em bomba atômica também (na Coreia, óbvio).

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

O Japão já cogita em voltar a ter Forças Armadas e não Forças de Auto Defesas…

Seria preciso uma mudança na constituição do país que, por sinal, foi imposta pelos EUA após a 2a WW.

Dalton
Dalton
11 anos atrás

Só complementando Zero, Na verdade, os americanos nem precisaram impor muita coisa…os proprios japoneses cansados dos militares no poder e querendo proteger o Imperador Hiroito de qualquer responsabilidade eles mesmos apresentaram uma serie de propostas para a Constituiçao. Os EUA, principalmente durante a guerra da Coreia reconheceram nao ser facil “carregar o Japao nas costas” e passaram a insisir mais para que o Japao assumisse mais seu papel militar com responsabilidade. Forças armadas eles já tem…e sao poderosas…a marinha tem 18 submarinos convencionais por exemplo. Mas com certeza, para mudar o nome das forças de defesa, e claro, elas terem… Read more »

Patriota
Patriota
11 anos atrás

Não sei se ampliar o embargo econômico aos norte coreanos funcionaria, esta ditadura comunista mais cedo ou mais tarde vai ter que acabar pois em breve os misseis norte coreanos serão uma ameaça direta a segurança dos EUA e seus aliados,infelizmente acho que já não existem muitos meios para solucionar isto alem de uma ofensiva militar.

saudações

Guerras Modernas

Armênia, Azerbaijão e Rússia fecham um acordo para acabar com o conflito de Nagorno-Karabakh

YEREVAN/BAKU (ARMENIA/AZERBAIJÃO) — Armênia, Azerbaijão e Rússia disseram que assinaram um acordo para encerrar o conflito militar na região...
- Advertisement -
- Advertisement -