domingo, fevereiro 28, 2021

Saab RBS 70NG

Uso militar em debate

Destaques

EUA e aliados constroem cadeia de suprimentos de tecnologia ‘livre da China’

Biden assinará ordem presidencial para reforçar as indústrias de chips, baterias e terras raras WASHINGTON/TAIPEI – O presidente dos EUA,...

Uma Força Terrestre à altura dos desafios atuais

General de Exército José Luiz Dias Freitas A dinâmica das relações internacionais e das interações sociais, neste primeiro quartil do...

Tropa paraquedista retorna ao Brasil após exercício nos EUA

Rio de Janeiro (RJ) – No dia 22 de fevereiro, foi realizada no Campo do 26º Batalhão de Infantaria...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Vinícius Pedreira
Especial para o Correio

Em discurso na 10ª Conferência de Ministros de Defesa das Américas, o secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, demonstrou preocupação com a utilização das Forças Armadas como contingente policial em países da América Latina. “O uso de militares para realizar a aplicação da lei civil não pode ser uma solução de longo prazo”, defendeu. Panetta enfatizou a presença de ameaças como o terrorismo e o tráfico de drogas no Cone Sul e a necessidade do fortalecimento das autoridades civis para lidar com a aplicação da lei.

Desde o início do ano, os EUA buscam ampliar sua atuação na região, estratégia reforçada com a Declaração de Política de Defesa para o Hemisfério Ocidental do Pentágono, divulgada na semana passada e que deixa claro o foco na região da Ásia-Pacífico. Em visitas ao Peru e ao Uruguai, Panetta também tomou medidas para implantar a política norte-americana e concordou em começar a trabalhar com cada país para atualizar seus acordos de cooperação de defesa para ajustar mudanças nas leis e permitir uma cooperação mais ampla.

“Nas duas últimas décadas, nosso povo, nossas economias, nossas culturas e nossos valores tornaram-se cada vez mais conectados”, discursou. O ministro da Defesa do Brasil, Celso Amorim, também esteve presente no encontro e apresentou uma breve análise das temáticas do encontro – desastres naturais; proteção ao meio ambiente e biodiversidade; e missões de paz – e da conjuntura da segurança internacional na atualidade. O representante do país lembrou que o uso das Forças Armadas tem um papel subsidiário aos órgãos de defesa civil. “É uma contradição tentar militarizar a defesa civil”, afirmou.

FONTE: Correio Braziliense

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Advertisement -

Guerras Modernas

Armênia, Azerbaijão e Rússia fecham um acordo para acabar com o conflito de Nagorno-Karabakh

YEREVAN/BAKU (ARMENIA/AZERBAIJÃO) — Armênia, Azerbaijão e Rússia disseram que assinaram um acordo para encerrar o conflito militar na região...
- Advertisement -
- Advertisement -